C a r i d a d e

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jul 29, 2011 10:08 pm

Caridade
Livro: Instruções Psicofónicas
José Silvério Horta & Francisco Cândido Xavier

Filhos, em verdade, outra virtude não existe mais bela.

Todos os dons da vida, emoldurando-a, empalidecem como os lumes terrenos quando o sol aparece vitorioso.
Desde a antiguidade, a ciência e a filosofia erigem à própria exaltação gloriosos monumentos que se transformam em cinza, a fim de que elas mesmas se renovem.

Em todos os tempos, a autoridade e o poder fazem guerra que esbarram no sepulcro, entre sombra e lamentação.
Só a Caridade, filha do Amor Celeste, é invariável.

Com ela, desceu Nosso Senhor Jesus Cristo à treva humana e, abraçando os fracos e enfermos, os vencidos e desprezados, levantou os alicerces do Reino de Deus que as Forças do Bem na Terra ainda estão construindo.

Vinde, pois, à Seara do Evangelho, trazendo no coração a piedade fraternal que tudo compreende e tudo perdoa!...

Acendamos a flama da caridade quando orarmos!

Em nossas casas de socorro espiritual, achamo-nos cercados por todos os tipos de sofrimento, enquanto nos devotamos à prece...
que decorrem de tristes almas desencarnadas a carregarem consigo as escuras raízes de ilusão e delinquência, com que se prendem à retaguarda...

São as filas atormentadas daqueles que traficaram com o altar, que venderam a consciência nos tribunais da justiça, que mercadejaram com os títulos respeitáveis, que menosprezaram a bênção do lar, que tripudiaram sobre o amor puro, que fizeram do corpo físico uma porta à viciação, que se renderam às sugestões das trevas alimentando-se de vingança, que fizeram da violência cartilha habitual de conduta, que acreditaram na força sobre o direito, que se desmandaram no crime, que sepultaram a mente em pântanos de usura e que se abandonaram, inermes, à ociosidade, à perturbação, à perversidade e à morte moral...

Para todos esses corações encarcerados na sombra expiatória, é indispensável saibamos trazer, em nome do Cristo, a chama do sacrossanto amor que ilumina e salva, esclarece e aprimora...

Inegavelmente, enquanto na carne, não conseguis analisar a extensão das consciências em desequilíbrio que se nos abeiram das preces, como sedentos em torno à fonte...

Viveis, provisoriamente, a condição do manancial incapaz de saber quão longo é o caminho da própria corrente na regeneração do deserto.
Cabe-nos, assim, o mais amplo esforço para que a caridade persista em nossos pensamentos, palavras e acções, porquanto é imprescindível avivá-la também quando agimos.

No círculo doméstico e na vida pública, tanto quanto em todos os domínios de vossa actuação nas lides terrestres, sois igualmente defrontados pelos companheiros em desajuste que, como nos acontece a todos, anseiam por reerguimento e restauração.

Guardemos caridade para com todos aqueles que nos rodeiam...
Para com os felizes que não sabem medir a própria ventura e para com os infortunados que não podem ainda compreender o valor da provação que os vergasta, para com jovens e velhos, crianças e doentes, amigos e adversários!...

Cultivemo-la em toda parte...
Caridade que saiba renunciar a favor de outrem, que se cale ajudando em silêncio, e que se humilhe, sobretudo, a fim de que o desespero não domine os corações que pretendemos amar...

Todos na Terra suspiram pelo melhor.

A mulher que vedes, excessivamente adornada, muita vez traz o coração chagado de angústia.
O homem que surge, assinalado pela riqueza terrestre, quase sempre é portador de um vulcão no crânio entontecido.
A juventude espera orientação, a velhice pede amparo.

Onde estiverdes, não condeneis!
O lodo da miséria nasce no charco da ignorância em cujos laços viscosos a leviandade ainda se enleia.

Nós, porém, que já conhecemos a lição do Senhor, aquinhoados que fomos por sua bênção, podemos abreviar o caminho para a grande libertação, desde que a caridade brilhe connosco, dissipando a sombra e lenindo o sofrimento.

É assim que vos concitamos à mais intensa procura do Cristo para que o Cristo esteja em nós, de vez que somente no Espírito Divino de Jesus é que conseguiremos vencer a dominação das trevas, estendendo no mundo o império silencioso da caridade, por vitoriosa luz do Céu.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jul 29, 2011 10:10 pm

O que é Caridade
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Para muita gente a Caridade é dar esmolas.
Para outros até mesmo jogar um pão velho e duro do terraço ou varanda , podendo mesmo causar lesões no pedinte.

Mas segue um texto abaixo com alguns tipos de caridade ditas por quem entende.

Caridade é, sobretudo, amizade.
Para o faminto –
é o prato de sopa.
Para o triste – é a palavra consoladora..

Para o mau – é a paciência com que nos compete ajuda-lo.
Para o desesperado – é o auxilio do coração.
Para o ignorante – é o ensino despretensioso.
Para o ingrato – é o esquecimento.

Para o enfermo – é a visita pessoal.
Para o estudante – é o concurso do aprendizado.
Para a criança – é a protecção construtiva.
Para o velho – é o braço irmão.

Para o inimigo - é o silencio.
Para o amigo – é o estimulo.
Para o transviado – é o entendimento.
Para o orgulhoso – é a humildade.

Para o colérico – é a calma.
Para o preguiçoso - é o trabalho sem imposição.
Para o impulsivo – é a serenidade.

Para o leviano – é a tolerância.
Para o maledicente - é o comentário bondoso.
Para o deserdado da Terra - é a expressão de carinho.

Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente.

É o sol de mil faces, brilhando para todos, é o génio de mil mãos, ajudando, indistintamente, na obra do bem, onde quer que se encontre, entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes, porque, onde estiver o Espírito do Senhor, aí se derrama a claridade constante dela, a beneficio do mundo inteiro.

Amigos são os que nas prosperidades aparecem sem receberem convite, e nas adversidades aparecem sem serem chamados.

Muita Paz
Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jul 29, 2011 10:14 pm

Caridade - A Meta
Livro: Vigilância
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Guarda, na mente, que a caridade em teus actos deve ser a luz que vence a sombra.

Enquanto não compreendas que a caridade é sempre a bênção maior para quem a realiza, ligando o benfeitor ao necessitado, estarás na fase primária da virtude por excelência.

Poderás repartir moedas, a mãos-cheias;
todavia, se não mantiveres o sentimento da amizade em relação ao carente, não terás logrado alcançar a essência da caridade.

Repartirás tecidos e agasalhos com os desnudos; no entanto, se lhes não ofertares compreensão e afabilidade, permanecerás na filantropia.

Atenderás aos enfermos com medicação valiosa;
entretanto, se não adicionares ao gesto a gentileza fraternal, estarás apenas desincumbindo-te de um mister de pequena monta.

Ofertarás o pão aos esfaimados;
contudo, se os não ergueres com palavras de bondade, não alcançaste o sentido real da caridade.

Distribuirás haveres e coisas com os desafortunados do caminho;
não obstante, sem o calor do teu envolvimento emocional em relação a eles, não atingiste o fulcro da virtude superior.

A caridade é algo maior do que o simples acto de dar.

Certamente, a doação de qualquer natureza sempre beneficia aquele que lhe sofre a falta. Todavia, para que a caridade seja alcançada, é necessário que o amor se faça presente, qual combustível que permite o brilho da fé, na acção beneficente.

A caridade material preenche os espaços abertos pela miséria sócio-económica, visíveis em toda parte.

Além deles, há todo um universo de necessidades em outros indivíduos que renteiam contigo e esperam pela luz libertadora do teu gesto:
A indulgência, em relação aos ingratos e agressivos;
a compaixão, diante dos presunçosos e perversos;

a tolerância, em favor dos ofensores;
a humildade, quando desafiado ao duelo da insensatez;
a piedade, dirigida ao opressor e déspota;

a oração intercessória, pelo adversário;
a paciência enobrecida, face às provocações e à irritabilidade dos outros;
a educação, que rompe as algemas da estupidez e da maldade que se agasalham nas furnas da ignorância gerando a delinquência e a loucura. . .

A caridade moral é desafio para toda hora, no lar, na rua, no trabalho.

Exercendo-a, recorda também da caridade em relação a ti mesmo.

Jesus, convivendo com os homens, leccionou exemplificando todas as modalidades da caridade, permanecendo até hoje como o protótipo mais perfeito que se conhece, tornando-a a luz do gesto, que vence a sombra do mal, através da acção do amor.

Caridade, pois, eis a meta.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jul 29, 2011 10:16 pm

Caridade
Casimiro Cunha & Francisco Cândido Xavier

Use o tostão que sobra
E que em nada te aproveita,
Dar sempre é exemplificar
a caridade perfeita!

Caridade é, muitas vezes,
Fazer-se sempre o menor,
Está na luz da Humildade
A caridade melhor.

Caridade é perdoar
A quem te causa uma dor
É converter todo o espinho
Numa braçada de flor.

Caridade, enfim, na Terra
É buscar a perfeição,
A perfeição de si mesmo
No templo do coração.


Caridade
Livro: Esperança e Vida
Auta de Souza & Francisco Cândido Xavier

Glorificada seja onde fores,
Mãos que te fazes sol, apoio e ninho
Para todos os tristes do caminho,
Mãos que recorda um lírio aberto às dores...

Mãos generosas, mão em que adivinho
A mensagem de Cristo em resplendores,
Mão que convertes lágrimas em flores,
Deus te abençoe os gestos de carinho.

Nunca enxerguei a forma de teu culto,
Fito-te a luz que passa e enquanto exulto
Vejo que o mundo se aprimora ao vê-la!

Caridade! És o dom que nos irmana,
Amor de Deus na inteligência humana,
Uma estrela engastada noutra estrela!...

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jul 29, 2011 10:16 pm

Caridade do Tempo
André Luiz & Waldo Vieira

Amplia-se na vida, segundo as nossas necessidades, o tema sempre novo da caridade.

Ninguém calcula a importância do pão que socorre o faminto, nem o valor do remédio que alivia o doente.

Outras expressões de beneficência, contudo, vão surgindo imperiosas.

Uma delas, que raramente reflectimos, baseia-se na dádiva das horas - caridade do tempo, ao alcance de todos.
Não há criatura impedida de exerce-la.
Em qualquer clima social, semelhante cooperação é fundamento do bem.

Um dia de trabalho gratuito no levantamento das boas obras. . .
Uma semana tomada às férias para concurso desinteressado às instituições que reúnem doentes menos felizes. . .
Um horário de serviço puramente fraterno na esfera profissional para os que nos breclam a experiência. . .

Um momento de tolerância e respeito para os que se extraviam na cólera.
Um minuto a mais de atenção para a conversa de alguém que ainda ignora o processo de resumir. . .

Uma hora para a visita espontânea ou solicitada em que sejamos úteis...
todos podemos calar para que outros falem, extrair alguns instantes dos apertos do dia a dia para actividades edificantes, empregar retalhos de repouso no estudo para conseguir esclarecer ou ensinar, suprimir um passeio ou uma distracção para a felicidade de servir. . .

Não nos esqueçamos de articular oportunidades em auxílio de outrem.

Caridade do tempo, fonte de amor e luz.
É com ela e por ela que a própria Sabedoria Divina nos ampara e nos reergue, corrige e aprimora, usando paciência infinita connosco, através das reencarnações.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Jul 30, 2011 10:33 pm

Caridade e Esperança
Livro: Caridade
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Lembra-te da esperança para que a tua caridade não se faça incompleta.

Darás ao faminto, não somente a côdea de pão que lhe mitigue a fome, mas também o carinho da palavra fraterna, com que se lhe restaurem as energias.

Não apenas entregarás ao companheiro, abandonado à intempérie, a peça que te sobra ao vestiário opulento, mas agasalhá-lo-ás em teu sorriso espontâneo a fim de que se reerga e prossiga adiante, revigorado e tranquilo.

Não olvides a paciência divina com que somos tolerados a cada hora.

Qual acontece ao campo da natureza, em que o Sol mil vezes injuriado pela treva, mil vezes responde com a bênção da luz, dentro de nossa vida, assinalamos a caridade infinita de Deus, refazendo-nos a oportunidade de servir e aprender, resgatar e sublimar todos os dias.

Não te faças palmatória dos próprios irmãos, aos quais deves a compreensão e a bondade de que recebes as mais elevadas quotas do Céu, na forma de auxílio e misericórdia, em todos os instantes da experiência.

Não profiras maldição nem espalhes o tóxico da crítica, no obscuro caminho em que jornadeiam amigos menos ditosos, ainda incapazes de libertarem a si mesmos das algemas da ignorância.

Recorda que Jesus nos chamou à senda terrestre para auxiliar e salvar, onde muitos já desertaram da confiança no eterno bem.

Seja onde for e com quem for, atende à esperança para que o mundo conquiste a vitória a que se destina.

Aliviar com azedume é alargar a ferida de quem padece e dar com reprimendas é envolver o socorro em repulsivo vinagre de desânimo ou desespero.

À maneira de raio solar que desce à furna cada manhã, restaurando o império da luz, sem reclamação e sem mágoa, sê igualmente para os que te rodeiam a permanente mensagem do amor que tudo compreende e tudo perdoa, amparando e auxiliando sem descansar, porque somente pela força do amor alcançaremos a luz imperecível da vida.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Jul 30, 2011 10:33 pm

Nas Trilhas da Caridade
Livro: Benção de Paz
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

"A caridade nunca falha... -
Paulo. (I Coríntios, 13:8).

A caridade possui maneiras múltiplas de ajudar, em tudo aplicando o senso das dimensões.

No atendimento de cada necessidade ei-la que se expressa não somente com a luz da bondade, mas também com o metro da prudência:
o distribuindo alimento às vítimas da penúria, abstém-se de azedar o pão com o vinagre da reprimenda, respeitando a condição dos que lhe batem à porta;

o medicando o enfermo, não lhe exige atitudes em desacordo com os desajustes orgânicos em que o socorrido se veja, e sim escolhe os melhores gestos de tolerância e compreensão, de modo a servi-lo;

o alfabetizando o ignorante, não lhe reclama demonstrações de cultura antes do aprendizado, mas revela paciência e brandura para guiar-lhe a inteligência nos mais simples degraus da escola.

Assim também, se invocamos a caridade a fim de orientar os que se transviam, não nos cabe esquecer as dificuldades em que se encontram.
Para recuperar-lhes o equilíbrio não basta identificar-lhes as fraquezas e reprová-las.

É imprescindível anotar-lhes a posição desfavorável e socorrê-los sem exigência.

Daí o impositivo de se reconhecer, em qualquer parte, quanto à distribuição da verdade, que, se existe um modo distinto para que a beneficência exerça a caridade de saber assistir nos domínios do corpo, nos reinos do espírito é preciso que ela aperfeiçoe igualmente a caridade de saber explicar.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Jul 30, 2011 10:34 pm

Saber Ouvir
Livro: Episódios Diários
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Quando desconheceres um assunto, confessa a tua ignorância a seu respeito.
Não tens obrigação de saber tudo, de estar informado sobre todas as coisas.

Questão de apreço é a honestidade de quem reconhece os próprios limites.
E mesmo que estejas inteirado da informação que alguém te dá, ouve-a com paciência.

Terás ensejo de conferi-la com as notícias que já tens, enriquecendo mais o teu conhecimento ou corrigindo-o.

Uma pessoa que parece muito bem informada, às vezes tem somente um conhecimento superficial, aparentando mais do que sabe.

Quem sabe ouvir, lucra sempre.


Saber Ouvir
Livro: Vida Feliz
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Ouve com atenção e cuidado.

Não te apresses em cortar o assunto, como se já o tivesses entendido.

Há pessoas que têm dificuldade de expressão e tornam-se difíceis de ser compreendidas.

Após ouvires, se a circunstância permitir, dialoga um pouco com o expositor, a fim de que o tema te fique esclarecido e o apreendas.

Quem ouve bem, penetra melhor nos ensinamentos que lhe chegam.

Ouvir, é ainda uma arte pouco exercitada.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Jul 30, 2011 10:35 pm

Saber Ouvir para decidir bem
Livro: Conviver e Melhorar - 29
Batuíra & Francisco do Espírito Santo Neto

"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz..."
(Apocalipse, 3:22).

Inúmeras criaturas que se aproximam dos operários reais do Senhor não passam de desequilibrados faladores.
É essencial prudência e vigilância, para que não transformemos a mente em vaso de entulhos e ruínas.

Nas organizações espíritas convivemos, no curso de suas atividades diárias, com companheiros que nos trazem as mais diversificadas mensagens pessoais, obrigando-nos a reflectir a respeito das solicitações que nos alcançam.

Necessário é saber guiar-nos com o coração amparado pelos Planos Maiores, ligados na realidade dos factos, e não nos influenciar pelas fantasias e queixas enfermiças.

Ouvir com habilidade é perceber a atmosfera fluídica que envolve os outros.

Usemos todos os sentidos aliados à intuição.
Prestemos atenção às palavras, ao volume e ao tom de voz da pessoa atendida.
É preciso ir além da verbalização para compreender o conteúdo e a intenção do interlocutor.
Às vezes, o sentimento é muito mais explícito, e, por isso mesmo, muito mais enfático do que as próprias palavras.

A capacidade mais importante na comunicação é saber ouvir.
É interessante notar que aprendemos a escrever, falar e ler, mas quase nunca nos ensinaram a ouvir correctamente as verdadeiras intenções que envolvem as palavras.

Quando utilizamos somente a estrutura da audição, desprezando as forças subtis da alma, nunca chegamos às profundezas da percepção do espírito.

Escutar é simplesmente manter um diálogo convencional, passageiro e corriqueiro;
ouvir, porém, é embrenhar-se na troca de alma para alma, em que a essência realmente age com sintonia e inspiração.

Não podemos nos esquecer de que nosso objetivo é ouvir, para que, obtendo uma noção clara do que a pessoa está dividindo connosco, possamos aconselhá-la o mais corretamente possível.

É fundamental que o orientador procure entender o que está sendo transmitido, evitando argumentar, recriminar, inquirir ou dar respostas apressadas e irreflectidas.

Quem orienta deve aprender a captar tanto visual como auditivamente, controlando suas emoções e a tendência de responder antes que a criatura termine sua exposição.

Para podermos induzir uma comunicação aberta entre companheiros que nos procuram, comecemos antes de tudo, por nós mesmos.
Sejamos francos e acessíveis nos contactos pessoais.
Se o dirigente se fechar ou mostrar-se reservado, certamente encontrará a mesma dificuldade no comportamento do outro.

A prece, aliada à inspiração dos bons espíritos, dará o significado e a verdadeira intenção do intercâmbio verbal.

Em nossas actividades evangélicas, o êxito do atendimento depende da atenção ao que foi dito ou feito, bem como da forma como agimos e auxiliamos diante do problema relatado.

O apóstolo João recomenda a necessidade de ouvir o que o Espírito diz.
Entendia que somente dessa forma é que se pode utilizar com sabedoria do silêncio ou da palavra, diferenciar com segurança a sombra da luz e separar com sensatez o joio do trigo.

A Luz do Mundo ouvia espiritualmente as situações; portanto, auxiliava sem ofender, esclarecia sem ferir, ensinava sem perturbar.

O Cristo Jesus instruía falando e exemplificando.
Os homens que exclusivamente O escutavam não absorveram suas lições imorredouras;
porém, todos aqueles que O ouviram em espírito e verdade impressionaram suas almas para a Eternidade e se converteram em plenitude.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Jul 30, 2011 10:36 pm

A Arte de Doar
Livro: Momentos de Renovação
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Há moedas esquecidas que se podem tornar dádivas de importância.

Tais como a Hospitalidade fraternal, a expressão de cortesia, o gesto de amizade, a participação no sofrimento alheio, o sorriso gentil, que não custa dinheiro e, em certos momentos, são mais valiosos do que ele.


A Arte de Doar
Livro: Momentos de Renovação
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Quando ofertamos, possuímos.
Quando recebemos, tornamo-nos devedores.
A felicidade em poder repartir é sempre maior do que aquela que convida a acumular quando o próximo tem carência.

A semente que se nega a sucumbir na terra, para desdobrar-se em vida, morre na inutilidade.
Todavia, a que perece, esmagada no solo, revive com exuberância.
Toda doação é uma sementeira para o futuro, que a vida se encarrega de multiplicar.

Há moedas esquecidas que se podem tornar dádivas de importância, tais como a hospitalidade fraternal, a expressão de cortesia, o gesto de amizade a
participação no sofrimento alheio, o sorriso gentil, que não custam dinheiro e, em certos momentos, são mais valiosos do que ele.

A caridade que se converte em triunfo pessoal naquele que a recebe, é sempre luz inapagável na vida de quem a pratica.
Vive com optimismo na confiança integral de deus e distribui alegria por onde passes.

Não deixes ninguém afastar-se de ti, sem que leve um traço de bondade ou um sinal de paz da tua vida.

Quem se aproximou de Jesus, nunca mais foi o mesmo, jamais O esqueceu.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Jul 31, 2011 10:27 pm

Caridade da Coragem
Livro: O Essencial
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

É na hora solene da morte que todas as recordações da vida sobem à tona da consciência.

Uma espécie de caridade de que poucos amigos se lembram: - a caridade da coragem.

Recorda os companheiros que adoeceram por falta de energia emocional, diante de confidências amargas;
dos que enlouqueceram, ouvindo denúncias lamentáveis, não vacilando em atingir a própria delinquência, ante o ressentimento de que se viram acometidos, ao
recolherem anotações indébitas, em torno da vida familiar;

dos irmãos outros que receando dificuldades e obstáculos da existência, se mergulharam nos alucinógenos sem necessidade;

dos que se impressionaram em demasia com sintomas sem maior importância e caíram na rede das moléstias imaginárias que lhes devastam a mente;

e daqueles que se confiaram à subversão, em matéria de trabalho, acompanhando impensadamente as atitudes destrutivas de colegas revoltados e infelizes.

Pensa naquelas criaturas que te aguardam a assistência e o carinho e que ainda não te podem dispensar a presença protectora, a fim de se consagrarem às obrigações que lhes dizem respeito.

Reflecte nas calamidades afectivas, provocadas pela fraqueza daqueles que desertam dos compromissos assumidos, arruinando o caminho de famílias inteiras.

Meditemos nos infortúnios a que nos referimos e pede ao Senhor te acrescente a capacidade de resistir às tentações e ao medo, à omissão e ao desânimo, porque nós todos não prescindimos de equilíbrio para executar os encargos que abraçamos e é indispensável se reafirme, em cada um de nós, a força espiritual suficiente para agir com intrepidez, sem temeridade, e a disposição de cultivar a coragem de sermos fiéis à Lei de Deus.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Jul 31, 2011 10:28 pm

Pedindo esmola para enterrar o ex-patrão
Livro: Lindos Casos de Chico Xavier
Ramiro Gama

Chico levantara-se cedo e, ao sair, de charrete, para a Fazenda, encontra-se no caminho com o Flaviano, que lhe diz:
- Sabe quem morreu?
- Não!...

- O Juca, seu ex-patrão.
Morreu na miséria, Chico, sem ter o que comer...
- Coitado!

E Chico tira do bolso um lenço e enxuga os olhos.
- A que horas é o enterro?
- Creio que vão enterrá-lo a qualquer hora, como indigente, no Caixão da Prefeitura, isto é, no rabecão...

Chico medita, emocionado, e pede:
- Flaviano, faça-me um favor:
vá à casa onde ele desencarnou e peça para esperarem um pouco.
Vou ver se lhe arranjo um caixão, mesmo barato.

Flaviano despede-se e parte.
Chico desce da charrete.
Manda um recado para seu Chefe.

Recorda seu ex-patrão, figura humilde de bom servidor, que tanto bem lhe fizera.
E alí mesmo, no caminho, envia uma prece a Jesus:
-"Senhor, trata-se de meu ex-patrão, a quem tanto devo;
que me socorreu nos momentos mais angustiosos;

que me deu emprego com o qual socorri toda a família;
que tanto sofreu por minha causa.
Que eu lhe page, em parte, a gratidão que lhe devo.
Ajude-me, Senhor".


E, tirando o chapéu da cabeça e virando-o de copa para baixo, à guiza de sacola, foi bater de porta em porta, pedindo uma esmola para comprar um caixão para enterrar o extinto amigo.

Daí a pouco, toda Pedro Leopoldo sabia do sucedido e estava perplexa se não comovida com o acto de Chico.

Seu pai soube e veio ao seu encontro, tentando demovê-lo daquele peditório...
- Não, meu pai, não posso deixar de pagar tão grande dívida a quem tanto colaborou connosco.

Um pobre cego, muito conhecido em Pedro Leopoldo, é inteirado da nobre acção do Chico, a quem estima.
Esbarra-se com ele:
- Por que tanta pressa Chico?
- Meu Nêgo, estou pedindo esmolas para enterrar meu ex-patrão.
- Seu Juca!? Já soube.

Coitado, tão bom!
Espere aí, então, Chico.
Tenho aqui algum dinheiro que me deram de esmola ontem e hoje.

E despejou no chapéu do Chico tudo o que havia arrecadado até ali...
Chico olhou-lhe os olhos mortos e sem luz.
Viu-os cheios de lágrimas.

Comoveu-se mais.
- Obrigado, meu Nêgo! Que Jesus lhe pague o sacrifício.

Comprou com o dinheiro esmolado o caixão.
Providenciou o enterro.
Acompanhou-o até o cemitério.

E já tarde, regressou à casa.
Tinha vivido um grande dia.

Sentou-se à entrada da porta.
Lá dentro, os irmãos e o pai, observavam-no comovidos.

Em prece muda, agradece a Jesus.
Emmanuel lhe aparece e sorri.
O sorriso de seu bondoso Guia lhe diz tudo.

Chico o entende.
Ganhara o dia, pagara uma dívida e dera de si um testemunho de humildade, de gratidão e de amor ao Divino Mestre.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Jul 31, 2011 10:28 pm

Não Desistas do Bem
Sheilla & Francisco Cândido Xavier

Seja qual for a dificuldade, persevera no Bem.

Dor é porta de acesso a esferas superiores.

Quem te agride não te conhece por dentro.

Os que te desprezam, desconhecem tua essência.

Pense no bem e esquece o mal.

Rompe as algemas que te atam ao pessimismo.

Mentaliza o progresso e abraça a tarefa nobilitante.

O tempo tudo encaminha e a tudo corrige.

Entra no clima da prece sincera, em cuja atmosfera ouvirás a voz do Mais Alto.

Segue para frente, confiando em Deus e em ti.

A felicidade do amanhã começa no pensamento que cultivares agora.

Abraça o ideal elevado, entregando-se ao bem possível.

No final, a vitória será sempre do amor.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Jul 31, 2011 10:28 pm

Caridade do Dever
Livro: Apostilas da Vida
André Luiz & Francisco Cândido Xavier

De quando em quando, troquemos os grandes conceitos da caridade pelos actos miúdos que lhe confirmem a existência.

Não apenas os factos de elevado alcance e os gestos heróicos dignos da imprensa.

Beneficência no quotidiano.

Não empurrar os outros na conducção colectiva.

Evitar os serviços de última hora, nas instituições de qualquer espécie, aliviando companheiros que precisam do ônibus em horário certo para o retorno à família.

Reprimir o impulso de irritação e falar normalmente com as pessoas que nada têm a ver com os nossos problemas.

Aturar sem tiques de impaciência a conversação do amigo que ainda não aprendeu a sintetizar.

Ouvir, qual se fosse pela primeira vez, um caso recontado pelo vizinho em lapso de memória.

Poupar o trabalho de auxiliares e cooperadores, organizando anotações prévias de encomendas e tarefas por fazer, para que não se convertam em andarilhos por nossa conta.

Desistir de reclamações descabidas diante de colaboradores que não têm culpa das questões que nos induzem à pressa, nas organização de cujo apoio necessitamos.

Pagar sem delonga o motorista ou a lavadeira, o armazém ou a farmácia que nos resolvem as necessidades, sem a menor obrigação de nos prestarem auxílio.

Respeitar o direito do próximo sem exigir de ninguém virtudes que não possuímos ou benefícios que não fazemos.

Todos pregamos reformas salvadoras.

Guardemos bastante prudência para não nos fixarmos inutilmente nos dísticos de fachada.

Edificação social, no fundo, é caridade e caridade vem de dentro.

Façamos uns aos outros a caridade de cumprir o próprio dever.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Jul 31, 2011 10:29 pm

Insuperável Brandura
Marco Prisco & Divaldo P. Franco

Quando você for defrontado por alguém violento, que o agrida verbalmente ou o ameace fisicamente, recorde-se de que ele é muito infeliz.
Todo aquele que não recebeu amor na infância ou foi vítima de insucessos emocionais, sempre perde o endereço de si mesmo e se torna inimigo dos outros.

Conceda-lhe a graciosa dádiva da bondade que não o torna mais desventurado.
Não há quem resista a um indisfarçável gesto de benevolência.

Surpreendido pela astúcia dos perversos, sempre hábeis na arte de infligir sofrimentos aos outros, tenha em mente que eles são também impiedosos para consigo mesmos.

A sua desorientação provém de experiências amargas, nas quais sofreram crueldades e abandono.
Proporcione-lhes o ensejo de despertar, dando-lhes compreensão.
Ninguém recusa amor, mesmo que, aparentemente reaja com aspereza, o que é falta de hábito em recebê-lo.

No pandemónio da revolta que grassa violenta em toda parte, anunciando desastres morais e conjunturas físicas dolorosas, reserve-se o direito de permanecer em paz.

O aturdimento que procede de alguns poucos, facilmente contamina o grupo social que se perturba. O agitador, é alguém que se sentiu desrespeitado nos seus direitos de criança e, na ocasião, não soube administrar a ira nem a frustração, agora tornadas bandeiras de comportamento doentio.

Seja amistoso para com ele, apresentando-lhe o outro lado da existência humana. O ser carente vive armado contra tudo e todos, até o momento em que se sente rociado pela presença da brandura.

No crepitar das labaredas das acusações e calúnias contra alguém, gerando situações asfixiantes e más, continue portador de generosidade para com a vítima.

Quem delinque, perde-se no labirinto de terríveis alucinações morais.
Não fustigue mais o desditoso, antes aplique temperança para com ele. O solo que arde, não pode receber mais calor, e sim, água refrescante que lhe diminua e aplaque a temperatura elevada.

Todos somos sensíveis à compreensão de alguém para connosco.
Perseguido pela inveja ou malsinado pela insensatez daquele que não gosta de você, resguarde-se na compaixão para com ele.
A insegurança que o leva a afligi-lo é resultado da família com a qual viveu e de quem somente recebeu lições de impiedade e malquerença.

Ele gostaria, por certo, de ser como você, e, na impossibilidade de que se dá conta, tenta amargurá-lo.
Ofereça-lhe o silêncio em resposta de brandura, que o alcançará inexoravelmente, alterando-lhe a atitude interior.
Nada pode detê-la, e quem a recebe jamais prossegue como antes.

Na raiz de muitos males, que afligem e desconcertam a criatura, o desamor de que foi objecto, na actual ou em anterior reencarnação, é o responsável pelo seu transtorno.

Naturalmente, quem lhe experimenta o aguilhão impiedoso deseja libertar-se, defendendo-se e acusando, reagindo.
Não existe, porém, defesa real quando se agride nem se conquista harmonia quando se entra em debates de violência.
Nunca aceite as injunções do mal nem as arruaças dos desordeiros, simplesmente deixando de conceder-lhes consideração.

Você cresce na vertical do amor, tendo por dever levantar caídos e nunca torná-los mais vulneráveis ao mal que neles reside.
Viva com brandura e esparza-a, tornando o mundo melhor e as criaturas menos desesperadas.
Somente quem ama e se reveste de bondade pode resistir aos conflitos e desafios perturbadores da sociedade agressiva que prefere ignorar o Bem.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 01, 2011 10:46 pm

Nunca Enganar
Livro: Vida Feliz
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Nunca enganes a ninguém.

A vida é grande cobradora e exímia retribuidora.

O que faças com os outros sempre retornará a ti.

A sementeira sucede a colheita.

Quem engana, ilude, trai, a si próprio se prejudica, desrespeitando-se primeiro e fazendo jus depois aos efeitos da sua conduta reprochável.

Sê honesto para contigo, e, como consequência, para com teu próximo.

Muita Paz
Gilberto Adamatti


Diante dos Fracos
Livro: Vida Feliz
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Compadece-te dos fracos.

Dá-lhes mão amiga em qualquer situação.

Além da fragilidade orgânica, são tímidos e dependentes, reconhecendo a deficiência de energias.

Ajuda-os com um sorriso afável de companheirismo, com uma promessa de silencioso apoio, mediante um gesto que lhes dê insegurança.

Coloca-te no lugar deles, e fazes em seu favor, o que gostaria de receber, estando na sua situação.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 01, 2011 10:47 pm

Posse dos bens terrestres
Livro: Vida Feliz
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

A tua posse em relação aos bens terrestres é relativa.

Num mundo transitório, no qual tudo passa, o que agora te pertence, amanhã terá mudado de mãos.

Usa, mas não abusa dos recursos de que disponhas.

Não te escravizes ao que deténs por momentos, evitando-te sofrimentos quando se transfiram para outrem.

Os únicos bens de duração permanente são os tesouros dos sentimentos, da cultura e das virtudes.

"Acumula tesouros no céu", ensina o Evangelho.


A Tolerância para com o Semelhante
Livro: Vida Feliz
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Usa da medida de tolerância para com o teu próximo, conforme a esperas receber de alguém em momento próprio.

Ninguém existe, na Terra de hoje, que marche sem equívocos, sem temor, sem tormentos, gerando aflições quando desejava acertar e produzindo sofrimento quanto intentava apaziguar, necessitando compreensão, como efeito, tolerância.

Assim, semeia hoje a tolerância, de forma a colhê-la amanhã.

Muita Paz
Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 01, 2011 10:47 pm

Dinheiro e Amor
Livro: O Espírito da Verdade
Meimei & Francisco Cândido Xavier

Diante do bem, não pronuncies a palavra "impossível".

Certamente, sofres a dificuldade dos que herdaram a luta por preço das menores aquisições.
Ainda assim, lembra-te de que a virtude não reside no cofre.

Onde encontrarias ouro puro a fazer-se pão na caçarola dos infelizes?

Em que lugar surpreenderias frágil cobertor tecido de apólices para agasalhar a criança largada ao colo da noite?

Entretanto, se o amor te faz lume no pensamento, arrebatarás à imundicie a derradeira sobra da mesa, convertendo-a no caldo reconfortante para o enfermo esquecido, e farás do pano pobre o abrigo providencial em favor de quem passa, relegado à intempérie.

Uma garganta de pérolas não emite pequenina frase consoladora e um crânio esculpido de pedras raras não deixa passar leve fio de ideação.

Todavia, se o amor te palpita na alma, podes falar a palavra renovadora que exclui o poder das trevas e inspirar o trabalho que expresse o apoio e a esperança de muita gente.

Respeita a moeda capaz de fazer o caminho das boas obras, mas não esperes pelo dinheiro a fim de ajudar.

Hoje mesmo, em casa, alguém te pede entendimento e carinho e, além do reduto doméstico, legiões de pessoas aguardam-te os gestos de fraternidade e compreensão.

Recorda que a fonte da caridade tem nascedouro em ti mesmo e não descreias da possibilidade de auxiliar.

Para transmitir-nos semelhante verdade, Jesus, a sós, sem finança terrestre, usou as margens de um lago simples, ofertou simpatia aos que lhe buscavam a convivência, confortou os enfermos da estrada, falou do Reino de Deus a alguns pescadores de vida singela e transformou o mundo inteiro, revelando-nos, assim, que a caridade tem o tamanho do coração.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 01, 2011 10:47 pm

Prescrições sempre novas
Livro: Estude e Viva
André Luiz & Waldo Vieira

Veja o que você quer, realmente.
A procura da luz inclui o combate à sombra.

Alimente princípios superiores.
Realizar o melhor é melhorar a si mesmo.
Use discernimento.

A convicção espírita baseia-se na ciência da lógica.
Atenda à paz com todos.
Quem cultiva aversões cria a infelicidade.

Trabalhe nas boas obras.
Ninguém segue o Evangelho sem transpirar.
Critique o que você fale ou escreva.

A propaganda indisciplinada costuma desacreditar o serviço que apregoa.
Não inculpe os outros por suas decepções.
Somos arquitectos de nossos destinos.

Sirva sem discutir.
O concurso sincero silencia a discórdia.
Aperfeiçoe as próprias preces.

A natureza da rogativa evolui com a elevação de nossa própria natureza.
Partilhe as tarefas do bem geral.
Com Jesus, o ideal de um coração é o ideal de todos.

Muita Paz
Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 01, 2011 10:48 pm

Desafio à Caridade
Livro: Alerta
Joanna de Ângelis & Divaldo Franco

Sempre que o tema da caridade seja trazido a considerações, recorda que ela é a luz da razão, mantida pelo combustível do sentimento, a projectar claridade pelo caminho em sombras de quem avança em sofrimento ou limitação.

A caridade resulta da irradiação do amor, que jamais se exaure.
Estrutura-se no esforço pessoal e robustece-se no sacrifício de quem a cultiva, sem o que não passa de filantropia ou emoção de transitório prazer.

Mais se engrandece a caridade, quanto mais difícil se apresenta à circunstância pelo praticá-la.
Por isso, tem uma elasticidade imensa o seu exercício.

Transcendendo às doações materiais - que são, igualmente, suas manifestações respeitáveis -, sublima-se, santificando quem se propõe vivê-la, na área dos contributos morais.

Não são poucos os desafios à caridade.
O delinquente, pela ação infeliz de que se tornou responsável, inspira animosidade;
amá-lo, na condição de um enfermo necessitado de recuperação, é caridade.

O rebelde provoca reação equivalente de agressividade;
auxiliá-lo com paciência até conquistá-lo para o equilíbrio, constitui relevante caridade.

Aquele com quem te sentes enfadado ou que te provocou antipatia, representa um teste para as tuas realizações espirituais;
superar a condição negativa e trazê-lo à província do teu coração, é significativa caridade.

O ingrato, naturalmente inspira o desprezo, senão indiferença;
prosseguir ajudando-o, conquanto as dificuldades no relacionamento, representa elevada caridade.

Quem te ofendeu por qualquer razão, legítima ou injusta - como se razão houvesse para que alguém a outrem ofendesse -, provoca um natural retraimento;
insistir na acção cordial com esquecimento do mal, constitui verdadeira caridade.

Caridade para com todos, mediante uma revolução íntima de superação pessoal.
Sempre a caridade como directriz.
Nunca é demasiado a sua presença; ninguém que a dispense.

Sem a caridade do Pai Criador para conosco, prosseguiríamos no primitivismo ou rentearíamos ainda com a barbárie.
A caridade, porém, alimenta a vida e impele para a paz.

Não olvides que a caridade é o amor que se expande e o amor que retorna em força harmonizadora.

Coroando todo o ministério de amor com a estrela de primeira grandeza dentre as virtudes, a caridade moral do Cristo, na cruz, expressou-se no perdão a todas as faltas perpetradas contra Ele, e corporificada no seu retorno paciente ao convívio com os companheiros enfraquecidos, no esplendente amanhecer da Sua perene ressurreição.

Muita Paz
Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 02, 2011 10:18 pm

Amor e Caridade

Qual a diferença entre Amor e Caridade ?

Confunde-se, frequentemente, caridade com amor.
No entanto, não são palavras sinónimas, tanto que ambas aparecem numa lei divina que inclui a justiça.

Caridade é, na óptica de "O Livro dos Espíritos":
- Benevelência, que se exprime na boa vontade e na disposição para praticar o Bem;
- Indulgência, que é clemência e misericórdia para com as imperfeições alheias;
- Perdão, que é o ato de desculpar as ofensas.

Exercício de Benevolência:
- Trabalho em favor do semelhante.

Exercício de indulgência:
- Solidariedade em face das limitações e fraquezas do próximo, evitando discriminá-lo.

Exercício do perdão:
- Esquecimento do mal que se tenha sofrido de alguém, num ato de tolerância esclarecida que se exprime na compreensão.

Talvez tenhamos aí a origem da máxima de Kardec:
- "Trabalho, Solidariedade e Tolerância", a orientar a acção espírita.
Sem tais princípios não há a possibilidade de um entendimento perfeito entre os homens na construção de um mundo melhor.

E o Amor?

Amor é afeição profunda.
É gostar muito.
É, em sua acepção mais nobre, querer o bem de alguém na doação de si mesmo.

Decantado pelos poetas e exaltado pelos sonhadores, o Amor é abençoado sol que ilumina e aquece os escabrosos caminhos humanos.
Só há um problema:
- é impossível sustentá-lo, torná-lo operoso e produtivo sem o combustível da caridade.

Encontramos na via pública uma mulher em penúria, rodeada de filhos maltrapilhos e famintos.
Sensibilizamo-nos:
- "Que quadro triste, meu Deus! Quanto sofrimento!"

Estendemos-lhe alguns trocados e seguimos em frente, evocando, cheios de compaixão:
- "Jesus a ampare, minha irmã!..."

Naquele exacto momento brilhou em nós uma réstia de amor, infiltrando-se no impassível egocentrismo humano.

Mas que amor vazio, efêmero!
Um amor quase inútil, que se limitou à esmola para aliviar a consciência, transferindo para o Cristo providência melhor, sem considerar que Ele esperava por nós para atendê-la com a iniciativa de parar, conversar, conhecer melhor a extensão de seus problemas, ajudando-a.

Sem caridade o amor pode ser muito displicente...

Temos um grande amigo.
Gostamos muito dele.
Um dia ele faz algo que nos desagrada.
Irritamo-nos profundamente.

Azedamos nosso relacionamento.
Distanciamo-nos, jogando fora uma gratificante amizade.
Sem caridade o companheiro mais querido pode converter-se num estranho ...

O casal vive muito bem.
Marido e mulher amam-se profundamente.
Um dia ele comete um deslize:
- envolve-se em aventura extraconjugal.

A esposa toma conhecimento e o abandona imediatamente, não obstante ele implorar-lhe que fique, dilacerado de remorsos.
E estagiam ambos em crónica infelicidade, marcada por insuperável nostalgia.

Sem caridade o afecto mais ardente pode ser afogado num oceano de mágoas e ressentimentos.
No passado muitos religiosos instalavam-se em lugares ermos, impondo-se privações e flagícios como sacrifício em favor da Humanidade.

Em sua maioria apenas comprometeram-se em excentricidades e desequilíbrios.
Sem caridade o amor pelo semelhante pode converter-se em pertubadora paixão por nós mesmos.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 02, 2011 10:18 pm

O FIO DA CARIDADE

Conta-se que um homem, pecador, egoísta, um dia precipitou-se num abismo e foi ter ao fundo de um fosso escuro e profundo.
Assustado, mexeu-se, procurou saída, não encontrou.
Tentou subir pelas encostas, mas as paredes, muito lodosas, não davam firmeza.

Bradava por socorro e tinha por resposta tão só o eco de suas palavras.
Desesperado, lembrou-se de Deus e, pela primeira vez na vida, dobrou os joelhos em terra, em prece fervorosa, deprecando a misericórdia do Senhor...
Abriu os olhos, banhado em lágrimas, e parecia estar tudo do mesmo jeito.

Quando já ia descoroçoando, conseguiu divisar um tênue fio de aranha, que descia do alto, até onde ele estava.
Mirando-o, uma voz lhe disse no ádito do ser:
- Por que não se agarra nesse fio, quem sabe por ele poderá se salvar?

Espantado e duvidoso, não tendo todavia opção, nosso personagem resolve tentar.
Segurou o fio e, de facto, foi subindo por ele, subindo, subindo devagarinho.

Quando já estava quase alcançando a borda do fosso, olhou para baixo e viu que não estava sozinho:
- dois outros perdidos do abismo subiam também, agarrados no mesmo fio.

O homem deu-se pressa em enxotá-los com o pé, bradando:
- Soltem isso aí, seus atrevidos, não vêem que não dá para mais de um?

Os outros dois caíram, mas logo em seguida o fio se rompeu e ele caiu também.
Novamente no fundo do fosso e sem recursos, a voz se fez ouvir de novo:
- Se você tivesse deixado os outros dois subirem também, teriam todos se salvado, mas o seu egoísmo pesou muito e o fio não resistiu...

O apólogo expressa bem o que é a caridade em nossa vida.
Primeiramente, a sua delicada simbologia nos ensina que as coisas de Deus são mesmo assim:
- os mais frágeis recursos (teia de aranha), com Sua Graça, se tornam os mais poderosos.

Em seguida, vemos que a lei da caridade segue, muitas vezes, uma lógica oposta à nossa e a própria lei física da matéria:
- quanto mais peso (da ajuda que se presta a outrem), tanto mais resistência e poder:
- quanto mais leve (dos cuidados só consigo próprio), menor capacidade.

Assim acontece com as pessoas que, embora pobres de recursos materiais ou intelectuais, enfermas ou aparentemente incapazes, se animadas do sentimento do bem, exercendo a solidariedade humana, vão conseguindo superar os maiores obstáculos e avançam, conduzindo outros no caminho do socorro e do aprendizado.

Mas aqueles que, preocupados, acreditam não dispor de meios para ajudar a ninguém não encontram também solução nem para os próprios males.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 02, 2011 10:19 pm

Dividir com Amor
Livro: Episódios Diários
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

A miséria socioeconómica, que entulha as avenidas do mundo, mistura-se à de natureza moral, que atulha os edifícios e residências de luxo como os guetos da promiscuidade libertina.

O que podes fazer, parece-te quase sem sentido ou significação, tão grande e volumoso é o problema.
Apesar disso, não te escuses de auxiliar.

Se não consegues ir à causa do problema, minimiza-lhe os efeitos.
Desde que não podes erradicar, de um golpe, a fome, a enfermidade, a ignorância, contribui com a tua quota de amor, por mínima que seja.

Sempre podes dividir do que possuis, com aquele nada tem.
Quando repartes com amor, multiplicas a esperança, favorecendo a alegria.

Menos tem, aquele que se nega a doar algo.
Afirma-se que esse gesto de amor gera o paternalismo, promove o vício...

Não têm razão, os que assim informam.
Muitos males, e alguns crimes são abortados quando uma atitude de amor interrompe o passo do infeliz que padece fome, desespero e dor...

Somente quem aprende a abrir a mão, descerra o bolso, terminando por oferecer o coração.
Faz o que te esteja ao alcance, e a vida fará o resto.


Serviço de Caridade
Livro: Escrínio de Luz
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Calemo-nos, diante da maledicência.
Auxiliemos o companheiro de luta, quanto possível.

Abstenhamo-nos de maldizer onde não possamos louvar.
Distanciemo-nos das ideias de vingança, quando o mal nos visite o coração.

Busquemos a conciliação fraterna, ajudando, ainda mesmo de longe, àqueles que nos ofendem.
Desculpemos quantas vezes se fizerem necessárias, cada dia, exercitando-nos para o verdadeiro perdão.

Esqueçamos os velhos caprichos de nosso "eu" que, muitas vezes, nos prendem a escuras ilusões.
Aprendamos com a vida para sermos mais úteis.

Multipliquemos as bênçãos do serviço no campo das nossas horas, como quem sabe que o tempo é também um empréstimo inestimável da Providência Divina.

E, assim procedendo, estejamos certos de que praticaremos a caridade com o próximo e connosco, de vez que, corrigindo em nós aquilo que nos aborrece nos outros, estaremos acompanhando Jesus em nosso esforço de ascensão.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 02, 2011 10:20 pm

Caridade para Connosco
Livro: Atenção
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Não nos esqueçamos de que há também uma caridade que devemos a nós mesmos, a fim de que a caridade que venhamos a praticar, à frente do mundo, não se reduza a mera atitude de superfície.

Caridade que nos eduque no espírito do Senhor,cuja Doutrina de Luz abraçamos com o pensamento e com os lábios e que, pouco a pouco, nos cabe esposar com toda alma e coração.

Para exercê-la é preciso saibamos:
- Perdoar as faltas alheias sem desculpar-nos;
- Cooperar nas boas obras sem aguardar a colaboração do companheiro;
- Ajudar os que nos cercam sem esperar que nos retribuam;

- Dar do que temos e detemos sem cobrar o imposto da gratidão;
- Iluminar o caminho que nos é próprio, aprendendo a vencer as sombras que ainda e nos adensem ao redor;
- Calar para que outros falem;

- Defender os outros, sem procurar defender-nos;
- Humilharmo-nos, sem pedir que os outros se humilhem;
- Reconhecer nossas falhas e corrigi-las;

- Servir sem recompensa, nem mesmo a da compreensão que nos remunera com salário do reconforto;
- Trabalhar incessantemente, sem aguardar aguilhões que nos constranjam o desempenho dos deveres que nos competem;
- Sentir no irmão de experiência necessidades e dores iguais às nossas, para que a vaidade não nos induza à cegueira;

- Considerar a bondade constante do Senhor que opera sempre o melhor, em nosso benefício, e cultivar o reconhecimento a Ele, através do sacrifício, em favor daqueles que nos rodeiam.

Aperfeiçoarmo-nos por dentro é ajudar por fora com mais segurança e como salvar significa recuperar com finalidades justas no trabalho comum, assim como oferecemos mão forte à árvore a fim de que ela cresça, frondeje e produza para o bem de todos, salvando-se da inutilidade, também o Senhor nos estende braços amigos para que nos aprimoremos, transformando-nos em instrumentos vivos de Seu Infinito Amor, onde estivermos.

Muita Paz
Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave


Última edição por O_Canto_da_Ave em Ter Ago 02, 2011 10:21 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 02, 2011 10:21 pm

Caridade Transferida
Livro: Oferenda
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Ninguém objecta quanto à qualidade dos elevados propósitos.
Não se faz qualquer restrição à nobreza de tais sentimentos.

A caridade é sempre uma luz acesa vencendo trevas.
Por isso mesmo não é lícito eximir-se alguém de clarificar-se com a luminescência que dela emana.

Quem conduz uma luz, beneficia-se primeiro.
Generaliza-se uma prática que, embora edificante, tem assumido um caráter passadista.

Pessoas generosas, que desejam auxiliar, sempre se eximem de fazê-lo, justificando-se falta de tempo, de saúde, poucas possibilidades econômicas...
E encaminham os necessitados que lhes buscam o concurso a outras que lhes parecem bem aquinhoadas, valorosas, sem problemas...
Mas que os têm, igualmente, só que não se queixam, fomentando o comércio do desânimo e da insensatez.

São criaturas bem formadas, sem dúvida, as que assim procedem, no entanto, se recusam a alegria de servir, a bênção de socorrer, a felicidade de amar.
Claro que ante à impossibilidade real de fazer-se o bem, a atitude de encaminhar o aflito a uma fonte abençoada é correta.

Não, porém, como um hábito constante, transferindo-se a caridade de domicílio e de mãos...
Quando alguém te chegar em sofrimento, sempre poderás auxiliar, se o quiseres.
Não mensurando tempo nem examinando valores, deves repartir dádivas e repartir-te no ministério da caridade com Jesus.

Caridade transferida - socorro tardio.

Conhecendo alguém que se afadiga no labor santificante da caridade, corre em seu auxílio, ao invés de o sobrecarregares com novas incumbências e maior soma de responsabilidades.

Detendo-te a meditar na "Parábola do Bom Samaritano", compreenderás a necessidade de fazeres, tu mesmo, a caridade.
Não mandes outrem realizá-la em teu lugar.
Não postergues o teu momento de felicidade.

Jesus jamais se poupava, transferindo labores.
Inclusive na cruz, quando solicitado pelo atormentado bandido, que Lhe rogava ajuda, distendeu-lhe a mão generosas da esperança, em nome da excelsa caridade de Nosso Pai.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74020
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: C a r i d a d e

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum