Espiritismo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 03, 2011 10:40 am

Actua em Paz
Livro: Roteiro de Libertação
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Não suponhas que a mudança das velhas estruturas ocorra de um para outro momento.

A violência, por mais intente fazê-lo, não consegue os resultados desejados.
Ao contrário, complica a situação.

A sedimentação de hábitos morais e comodismos sociais não se desfaz a golpes de precipitada determinação.
Exige recursos e tempo que propicie o seu desgaste.

As circunstâncias e os sofrimentos gerais que constringem os homens têm logrado expressivas alterações no comportamento geral, não, porém, o suficiente para mudar a face egoísta da sociedade.

O trabalho actual é de preparação psicológica e despertamento dos que dormem na indiferença acerca dos valores do espírito.

.§.
Se já consegues despertar o interesse de alguns poucos, em torno da mensagem espírita, rejubila-te, porquanto Jesus começou com reduzido número de companheiros para a grande tarefa de renovação da Humanidade, que infelizmente ainda não se deu.
Se logras fazer-te ouvir e te apresentam as suas inquietações, entusiasma-te, porque o Mestre, não raro, depois dos seus incomparáveis ensinos, era sempre defrontado pelo sarcasmo farisaico ou pela provocação de adversários gratuitos.

Se alcanças mentes que se propõem, em pequeno grupo, estudar ou conhecer a Doutrina, agradece, pois que o Senhor, por identificar a alma humana em toda a sua realidade, já afirmava que a "Seara é grande, mas os seareiros são poucos".
Se já podes desviar alguém da delinquência ou da ociosidade, induzindo a uma mudança de atitude perante a vida, alegra-te, tendo em vista que o Rabi, após haver liberado tantas almas das suas duras aflições e torpes compromissos, não contou com ninguém à hora do testemunho.

O importante, por enquanto, é apresentar a mensagem da vida eterna, embora muitos a desprezem e te desconsiderem.
Não descoroçoes no labor para o qual foste chamado e estás a atender.

Evita preocupar-te com o sucesso do ministério que, aliás, não pode ser considerado do ponto de vista multidinário.
O ocidente diz-se cristão e o oriente parece ressumar antiga Espiritualidade;
todavia, os factos e os problemas humanos superlativos demonstram o contrário.

Certamente que há excepções, o que corrobora a generalidade.

.§.
Actua, em paz e confiança, sem pressa nem imposição.
A vida se manifesta em ciclos que se traduzem em resultados eficazes.

Há um período para a sementeira e outro para a germinação;
hoje é o dia do crescimento, amanhã, o da flor e, mais tarde, o do fruto...

O embrião espera o tempo para alcançar a plenitude da forma.
Nas realizações morais do espírito, o tempo é, igualmente, factor de sua importância.

Procede com equilíbrio e jamais te desanimes.
Um dia os resultados se darão e esses, sim, são os que mais importa.

§.§.§- O-canto-da-ave


Última edição por O_Canto_da_Ave em Qui Nov 03, 2011 10:42 am, editado 1 vez(es)
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 03, 2011 10:41 am

Equipe Juvenil
Livro: Conviver e Melhorar - 46
Batuíra & Francisco do Espírito Santo Neto

"Não repreendas duramente um ancião, mas admoesta-o como a um pai; aos jovens, como a irmãos; ... com toda pureza".
(I Timóteo, 5:1 e 2).

Na Terra, a mocidade simboliza a metade do percurso entre a infância e a madureza.
Na adolescência, surge nos jovens um conjunto de transformações morfológicas e psicológicas que se traduzem num despertar de novas energias antes adormecidas.
A própria índole juvenil impele-os a realizações diversas.

Dinâmicos e arrojados, programam e concretizam sua vida profissional, religiosa, afectiva, desportiva, com participação activa na esfera social a que pertencem ou almejam a pertencer.
Na puberdade nascem forças que dão aos moços ânimo e vigor, que todos nós admiramos, além de vontade, determinação, decisão e coragem para perseverar até vencer.
Mesmo quando fracassam, voltam a insistir até atingir o alvo idealizado.

Não podemos negar à juventude os encargos de responsabilidade na área mediúnica, na coordenação interna, no serviço de divulgação doutrinária, na assistência social, alegando que ela é demasiadamente arrojada.
Ao contrário, é preciso aproveitar os jovens em cargos em que possam demonstrar seus valores.

Realmente, devemos aos mais velhos consideração e respeito pelo fruto da experiência acumulada no ambiente social;
pela sabedoria adquirida no amadurecimento da vida familiar;
pela lucidez alcançada no estudo da fé espírita-cristã;
pela reunião dos princípios de compreensão, justiça e humanidade na vida diária.

Contudo, não podemos esquecer que, onde o mais experiente hesita ao recordar o evento mal sucedido, o mais moço lança-se com grande animação à conquista de novos empreendimentos.
Valorizar as qualidades e virtudes da mocidade é ceder-lhe espaço na seara do Mestre.
O Núcleo Espírita depende muito dos jovens.

As sementes das ideias novas, do progresso cientifico e de precursoras correntes de pensamento ligadas ao estudo do comportamento humano - indícios da Era Nova predita pelos Espíritos Superiores - encontrarão na alma dos adolescentes terreno fértil para produzir os frutos de uma sociedade mais humanitária e evoluída.

É preciso dar aos jovens espíritas um estudo fundamentado nas obras básicas, acrescentado de noções de estética, de forma, de conteúdo artístico, para despertar-lhes o gosto pela escultura, pintura, poesia, teatro, círculo de leituras, enfim, para evocar sentimentos e habilidades que promovam seu crescimento intelecto-moral.

Continua...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 03, 2011 10:43 am

Continua...

Devemos escolher com critério o monitor para os novos aprendizes do Evangelho.
Se não for pessoa dinâmica, firme, com senso da realidade e conhecimentos sólidos do Espiritismo, além de detentora de certa capacidade pedagógica, sua acção poderá disseminar desinteresse pelo estudo e diminuir o entusiasmo e a união da equipe juvenil.
Ninguém deve ter a pretensão de ditar normas aos jovens.


Eles se sentem mais tranquilos diante de um professor que nada lhes impõe;
desenvolvem igualmente mais receptividade, simpatia e amizade por aquele que os conduz com espontaneidade na senda do conhecimento, nunca por indivíduos que queiram sobrepor aos outros suas ideias.
Nem sempre um ouvinte silencioso está aprendendo.

O que de facto determina se a mensagem penetra na mente da criatura é seu grau de atenção, ou seja, a faculdade de raciocinar em acção.
Pensar sobre algum ensinamento significa colocá-lo em trabalho mental, avaliando-o, comparando-o com algo mais, analisando-o e prevendo suas possíveis consequências e resultados.
Qualquer prelecção que não promova isso é considerada simplesmente um monólogo. No mínimo, precisa haver troca de ideias.

Se nosso ouvinte não quer dar-se ao trabalho de pensar, estimule-o, fazendo perguntas, motivando seus sentimentos e emoções;
despertando sua mente da inércia e colocando-a em actividade.

Não existem "frases mágicas" nem "palavras certas" para o bom desempenho em sala de aula.
Do professor, basicamente, requer-se:
observação do grau de convicção dos alunos a respeito da matéria do dia, domínio e certa vivência do assunto intelectual a ser tratado, lógica aliada ao bom humor, informações concretas e interpretações com exemplos claros.

O apóstolo da gentilidade, escrevendo aos fiéis em geral, solicitava que tratassem os "jovens como a irmãos" e "com toda pureza".
Ele sabia que a puberdade é a última etapa do crescimento em que os adultos exercem papel predominante e activo na orientação dos adolescentes.

Por isso, recomenda tratá-los com fraternidade e pureza, ajudando-os com muito amor e respeito, para que tenham uma vida melhor;
[/i]ao mesmo tempo, proporcionando-lhes oportunidades para se realizarem em todas as áreas da actividade humana, inclusive na lavoura da Cristandade.

Os moços são velhos espíritos que renascem com capacidade própria de sentir e pensar, empreender e construir.
Todos nós somos filhos emancipados da Criação, buscando a Vida Abundante.

O excesso de zelo e de receio em confiar actividades à juventude no Centro Espírita pode influenciá-la de modo negativo em sua auto-estima, desestimulando-a da obra do bem comum.

Muita Paz

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 03, 2011 10:44 am

Entrevistas e Triagens
Livro: Conviver e Melhorar - 36
Batuíra & Francisco do Espírito Santo Neto

Em alguns círculos do Cristianismo Redivivo, essa passagem pode ser traduzida simplesmente como uma exortação à sabedoria divina.
Todavia, podemos infundir-lhe uma interpretação mais extensa.

A morada da alma permanece localizada na fonte abundante de seus próprios pensamentos, pois cada um de nós vive nas dimensões do entendimento e na altura da visão espiritual que já conquistou.
Todo aprendiz da experiência humana estagia temporariamente em determinadas estradas, recolhendo ensinamentos específicos.

Consoante a sábia conceituação do apóstolo, "são insondáveis os juízos de Deus e impenetráveis seus caminhos".
Unicamente a Luz Universal conhece a intimidade dos indivíduos e sabe tudo aquilo que lhes convém aprender e transformar.
O abismo da riqueza de Deus contém tesouros que representam as infinitas formas de proteger e impulsionar as criaturas ao burilamento e ao progresso.

Conscientes dessas verdades, os entrevistadores (orientadores) do Grupo Espírita devem adoptar uma atitude de profunda compreensão e respeito para com os entrevistados.

Nas triagens da fraternidade, o orientador deve lembrar-se de que, acima de tudo, a finalidade principal não é resolver o problema momentâneo ali apresentado, mas ajudar o irmão necessitado a obter independência e amadurecimento, para que aprenda a resolver outras dificuldades que possam surgir no futuro.

Cada um possui em germe a habilidade ou capacidade de decidir por si mesmo seus embaraços e equívocos;
por isso, basta lhe seja proporcionada uma atmosfera de segurança baseada no amor cristão.
É ingênita a capacidade de auto-compreensão, e Deus tudo pode, porém Ele espera que cada criatura se auto-realize usando sua própria vontade e cooperação.

Os orientadores, se de facto querem ajudar, não devem se preocupar em saber quem são os beneficiários, nem se prender de forma exagerada à problemática narrada, direccionando imediatamente caminhos.
Na verdade, o objectivo da entrevista é compreender e valorizar o ser humano, para que ele, por si só, consiga superar os seus problemas actuais, além dos outros que fatalmente surgirão no amanhã.

Quem orienta não julga, não decide, não conclui em definitivo, não determina os passos dos outros;
unicamente presta assistência doutrinária com base no entendimento das leis de Deus:
O espírito só se torna infeliz quando se afasta das leis divinas ou naturais.


Toda orientação espírita deve apoiar-se na lei de causa e efeito.
Quem participa de entrevistas e triagens na seara da Mestre precisa auxiliar as pessoas a entender profundamente o significado desta lei nos acontecimentos de sua vida.
É provável que a solução da dificuldade não esteja nos outros, mas nelas mesmas.
Talvez em grande parte, talvez por completo.

Um aconselhamento jamais se mostra autoritário - que repreende e põe medo no atendido; nem paliativo - que adia e acalma temporariamente.
Deve, sim, levar a criatura à compreensão das causas verdadeiras de seu sofrimento, proporcionando-lhe um grau de consciência espírita que lhe permita indagar a si própria:
qual a parte que me cabe na sucessão dos factos que desencadearam o meu problema?

Para que um homem obtenha saúde, é preciso que entenda a lição oculta da moléstia.
Para que obtenha bem-estar é imprescindível que reconquiste a serenidade.
Quantos se adentram nas tarefas socorristas pedindo novas mensagens espirituais, sem ao menos terem seguido as recomendações de outras tantas recebidas anteriormente!...

Finalizando, repetimos a feliz expressão de Paulo:
"são insondáveis seus juízos e impenetráveis seus caminhos".

Nas triagens da caridade, é indispensável que os instrutores do Evangelho se conscientizem de que a melhor orientação a ser dada é aquela que ajuda nossos irmãos a ver, avaliar e ponderar por si mesmos, no santuário do próprio coração, qual o caminho a seguir ou a opção a escolher, recordando que apenas Deus sabe de tudo em todos.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 03, 2011 10:45 am

O Mestre e o Apóstolo
Livro: Opinião Espírita
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Luminosa, a coerência entre o Cristo e o Apóstolo que lhe restaurou a palavra.

Jesus, o Mestre.
Kardec, o Professor.

Jesus refere-se a Deus, junto da fé sem obras.
Kardec fala de Deus, rente às obras sem fé.

Jesus é combatido, desde a primeira hora do Evangelho, pelos que se acomodam na sombra.
Kardec é impugnado desde o primeiro dia do Espiritismo, pelos que fogem da luz.

Jesus caminha sem convenções.
Kardec age sem preconceitos.

Jesus exige coragem de atitudes.
Kardec reclama independência mental.

Jesus convida ao amor.
Kardec impele à caridade.

Jesus consola a multidão.
Kardec esclarece o povo.

Jesus acorda o sentimento.
Kardec desperta a razão.

Jesus constrói.
Kardec consolida.

Jesus revela.
Kardec descortina.

Jesus propõe.
Kardec expõe.

Jesus lança as bases do Cristianismo, entre fenómenos mediúnicos.
Kardec recebe os princípios da Doutrina Espírita, através da mediunidade.

Jesus afirma que é preciso nascer de novo.
Kardec explica a reencarnação.

Jesus reporta-se a outras moradas.
Kardec menciona outros mundos.

Jesus espera que a verdade emancipe os homens;
ensina que a justiça atribui a cada um pelas próprias obras e anuncia que o Criador será adorado, na Terra, em espírito.

Kardec esculpe na consciência as leis do Universo.

Em suma, diante do acesso aos mais altos valores da vida, Jesus e Kardec estão perfeitamente conjugados pela Sabedoria Divina.

Jesus, a porta.
Kardec, a chave.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 04, 2011 11:05 am

Os Espíritas e a Eleição
Núcleo Espírita Jesus no Lar, Recife-PE.
em seu boletim literário de setembro de 2004

"O espiritismo não cria a renovação social;
a madureza da humanidade é que fará dessa renovação uma necessidade.
Pelo seu poder moralizador, por suas tendências progressistas, pela amplitude de suas vistas, pelas generalidades das questões que abrange, o Espiritismo é mais apto do que qualquer outra doutrina para secundar o movimento de regeneração;
por isso, é ele contemporâneo desse movimento.
Surgiu na hora em que podia ser de utilidade, visto que também para ele os tempos são chegados".
(in: A Génese, de Allan Kardec - Ed. FEB)

Esclarecem os espíritos, em o Livro dos Espíritos, que o progresso moral decorre do progresso intelectual, porém nem sempre a ele se segue.
(Questão 780).

Nós espíritas sabemos que temos um compromisso intransferível com a reforma íntima:
"Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar as suas más inclinações"
(Cap. XVII item 4,"in fine" de O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec), mas esse aperfeiçoamento pessoal deve reflectir-se em nossa actuação consciente para transformar a sociedade justa e amorosa, pois, advertem os Espíritos:
"Numa sociedade organizada segundo a Lei do Cristo, ninguém deve morrer de fome" e adita Allan Kardec:
- "Quando o homem praticar a Lei de Deus, terá uma ordem social fundada na justiça e na solidariedade e ele próprio será melhor"
(q. 930 Livro dos Espíritos).

Destaca-se então, o compromisso do espírita com uma nova ordem social, baseada no Direito e no Amor.
Obviamente, essa transformação dependerá da acção consciente dos bons e, ao lado deles, os espíritas actuando com uma "consciência política", dentro dos princípios éticos das Leis Morais do Livro dos Espíritos.
Portanto, não pode o espírita alienar-se da sociedade e não agir, como conhecimento e amor, nessa transformação do importante momento histórico da civilização humana;
Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as anunciadas transformações da Humanidade (Cap. XX, item 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo).

Observando a ousadia da maldade e a confusão entre a bondade e a omissão, Allan Kardec, indagou aos Espíritos:
"Por que, no mundo tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons?"
-
"Por fraqueza destes, os maus são intrigantes e audaciosos;
os bons são tímidos; quando estes quiserem, predominarão".
(q, 932 Livro dos Espíritos).

A resposta é clara e precisa, não permite dúvidas aqueles que pretendem ser bons.

O mundo e, especificamente a estrutura social, está precisando de transformações urgentes, para coibir a acção dos maus que solapam os bons costumes, que semeiam a miséria, que se utilizam dos instrumentos da corrupção, da fraude e da mentira para atingirem seus objectivos egoísticos e anti-éticos.

Momento significativo para a transformação da sociedade é a realização das eleições para os poderes Legislativo e Executivo.
Seremos chamados às urnas...
O espírita precisa estar consciente da sua responsabilidade neste acto, seja pleiteando cargos electivos, seja depositando o seu voto.

O voto é uma procuração, que se passa ao candidato para que, se eleito, ela aja em nosso nome a bem da colectividade.
É a nossa maior manifestação de amor ao povo.
Não votar, anular o voto, omitir-se e, apoiar as forças do mau, é permitir que os maus sobrepujam aos bons.

Para que o espírita tenha critério de avaliação do candidato, ele deve basear-se nos princípios contidos no Livro dos Espíritos - 3ª parte - Leis Morais.
Nela encontramos os conceitos sobre o Bem e o Mal, Sociedade, Trabalho, Progresso, Igualdade, Justiça e Amor.

Vote consciente. VOTE COM AMOR!!!

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 04, 2011 11:06 am

Síntese de Luz
Livro: Seara de Luz
Irmão José & Carlos A. Baccelli

O Espiritismo é uma síntese de luz, estabelecendo indissolúveis pontos de contacto entre a ciência, a filosofia e a religião.

Em seu tríplice aspecto, ele é a Ciência, quando revela e estuda as leis que regem os mundos visível e invisível;
é Filosofia, quando pesquisa as questões concernentes ao ser, ao destino e a dor;
é Religião, quando nos ensina a vivênciar o amor, possibilitando-nos percorrer o caminho de volta para Deus.

A alma do Espiritismo é o Evangelho de Jesus, que ele revive para a Humanidade, que se encontrava, então, a mercê das ideias materialistas que grassam entre os homens, neste ocaso de milénio.

Suprimir a parte evangélica da Doutrina é mutilar-lhe o corpo doutrinário, atingindo-lhe o órgão vital.

Espiritismo sem Jesus seria uma filosofia como tantas outras que subsistem na Terra, incapazes de conscientizar o homem, em profundidade, quanto à sua imperiosa necessidade de reforma íntima.

Unindo fé e razão, construindo uma ponte sobre o abismo cavado entre Ciência e Religião, o Espiritismo nos mostra que todos os ramos do conhecimento humano são interdependentes, porque tudo caminha para a Grande Unidade.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 04, 2011 11:07 am

O Retorno do Apóstolo
Recebida no dia 2 de julho de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Quando mergulhou no corpo físico, para o ministério que deveria desenvolver, tudo eram expectativas e promessas.

Aquinhoado com incomum património de bênçãos, especialmente na área da mediunidade, Mensageiros da Luz prometeram inspirá-lo e ampará-lo durante todo o tempo em que se encontrasse na trajectória física, advertindo-o dos perigos da travessia no mar encapelado das paixões bem como das lutas que deveria travar para alcançar o porto de segurança.

Orfandade, perseguições rudes na infância, solidão e amargura estabeleceram o cerco que lhe poderia ter dificultado o avanço, porém, as providências superiores auxiliaram-no a vencer esses desafios mais rudes e a crescer interiormente no rumo do objectivo de iluminação.

Adversários do ontem que se haviam reencarnado também, crivaram-no de aflições e de crueldade durante toda a existência orgânica, mas ele conseguiu amá-los, jamais devolvendo as mesmas farpas, os espículos e o mal que lhe dirigiam.

Experimentou abandono e descrédito, necessidades de toda ordem, tentações incontáveis que lhe rondaram os passos ameaçando-lhe a integridade moral, mas não cedeu ao dinheiro, ao sexo, às projecções enganosas da sociedade, nem aos sentimentos vis.

Sempre se manteve em clima de harmonia, sintonizado com as Fontes Geradoras da Vida, de onde hauria coragem e forças para não desfalecer.

Trabalhando infatigavelmente, alargou o campo da solidariedade, e acendendo o archote da fé racional que distendia através dos incomuns testemunhos mediúnicos, iluminou vidas que se tornaram faróis e amparo para outras tantas existências.

Nunca se exaltou e jamais se entregou ao desânimo, nem mesmo quando sob o metralhar de perversas acusações, permanecendo fiel ao dever, sem apresentar defesas pessoais ou justificativas para os seus actos.

Lentamente, pelo exemplo, pela probidade e pelo esforço de herói cristão, sensibilizou o povo e os seu líderes, que passaram a amá-lo, tornou-se parâmetro do comportamento, transformando-se em pessoa de referência para as informações seguras sobre o Mundo Espiritual e os fenómenos da mediunidade.

Sua palavra doce e ungida de bondade sempre soava ensinando, direccionando e encaminhando as pessoas que o buscavam para a senda do Bem.

Em contínuo contacto com o seu Anjo tutelar, nunca o decepcionou, extraviando-se na estrada do dever, mantendo disciplina e fidelidade ao compromisso assumido.

Abandonado por uns e por outros, afectos e amigos, conhecidos ou não, jamais deixou de realizar o seu compromisso para com a Vida, nunca desertando das suas tarefas.

As enfermidades minaram-lhe as energias, mas ele as renovava através da oração e do exercício intérmino da caridade.

A claridade dos olhos diminuiu até quase apagar-se, no entanto a visão interior tornou-se mais poderosa para penetrar nos arcanos da Espiritualidade.

Nunca se escusou a ajudar, mas nunca deu trabalho a ninguém.

Seus silêncios homéricos falaram mais alto do que as discussões perturbadoras e os debates insensatos que aconteciam a sua volta e longe dele, sobre a Doutrina que esposava e os seus sublimes ensinamentos.

Tornou-se a maior antena parapsíquica do seu tempo, conseguindo viajar fora do corpo, quando parcialmente desdobrado pelo sono natural, assim como penetrar em mentes e corações para melhor ajudá-los, tanto quanto tornando-se maleável aos Espíritos que o utilizaram por quase setenta e cinco anos de devotamento e de renúncia na mediunidade luminosa.

Por isso mesmo, o seu foi mediunato incomparável.

...E ao desencarnar, suave e docemente, permitindo que o corpo se aquietasse, ascendeu nos rumos do Infinito, sendo recebido por Jesus, que o acolheu com a Sua bondade, asseverando-lhe:
- Descansa, por um pouco, meu filho, a fim de esqueceres as tristezas da Terra e desfrutares das inefáveis alegrias do reino dos Céus.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 05, 2011 10:49 am

Espiritismo no Lar
Livro: SOS Família
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Todos sabemos valorizar o benefício de um copo com água fria ou de uma ampola de injetável tranquilizante, ofertados num momento de grande aflição.
Reconhecemos a bênção do alfabeto que nos descortina as belezas do conhecimento universal e bendizemos quem no-lo imprimiu nos recessos da mente.
Mantemos no carinho do Espírito aqueles que nos ajudaram nos primeiros dias da reencarnação, oferecendo-nos amparo e amamentação.

Somos reconhecidos àqueles que nos nortearam em cada hora de dúvida e não esquecemos o coração que nos agasalhou nos instantes difíceis do caminho renovador...
Muitos há, no entanto, que desdenham e esquecem todos os benefícios que recebem durante a vida...
Há um inestimável benefício que te enriquece a existência na Terra: o conhecimento espírita.

Esse é guia dos teus passos, luz nas tuas sombras e pão na mesa das tuas necessidades.
Poucas vezes, porém, pensaste nisso.
Recebeste com o Espiritismo a clara manhã da alegria, quando carregavas noite nos painéis mentais e segues confiante, de passo firme, com ele a conduzir-te qual mãe desvelada e fiel.

Se o amas, não o detenhas apenas em ti.
Faz mais. Não somente em propaganda "por fora", mas principalmente dentro do teu lar.

No lar se caldeiam os Espíritos em luta diária nas tarefas de reajustamento e sublimação.
Na família os choques da renovação espiritual criam lampejos de ódios e dissensão, que podes converter em clarões-convite à paz.
Não percas a oportunidade de semear dentro de casa.

Apresenta a tua fé aos teus familiares mesmo que eles não queiram escutar.
Utiliza o tempo, a psicologia da bondade e do optimismo, e esparze as luminescências da palavra espírita no reduto doméstico.

Se te recusarem ensejo, apresenta-o, agindo.
Se te repudiarem, conduz-lo, desculpando.
Se te ferirem, espalha-o, amando.

Pelo menos uma vez por semana, reúne a tua família e felicita-a com o Espiritismo, criando, assim, e mantendo o culto evangélico, para que a directriz do Mestre seja eficiente rota de amor à sabedoria em tua casa...

Ali, na oportunidade, ouvidos desencarnados se imantarão aos ouvidos dos teus e escutarão;
olhos atentos verão pelos olhos da tua família e se nublarão de pranto;
mentes se ligarão às outras mentes e entenderão...

Sim, ouvidos, olhos e mentes dos desencarnados que habitam a tua residência se acercarão da mesa de comunhão com o Senhor, recebendo o pão nutriente para os Espíritos perturbados, através do combustível espírita que não é somente manancial para os homens da Terra, mas igualmente para os que atravessaram os portais do além-túmulo em doloroso estado de sofrimento e ignorância.

Agradece ao Espiritismo a felicidade que possuis, acendendo-o como chama inapagável no teu lar, para clarear os teus familiares por todos os dias.

O pão mantém o corpo.
O agasalho guarda o corpo.
O medicamente recupera o corpo.
O dinheiro acompanha o corpo.


Seja o Espiritismo em ti o corpo do teu Espírito emboscado no teu corpo, a caminhar pelo tempo sem fim para a Imortalidade gloriosa.
E se desejares felicidade na Terra, incorpora-o ao teu lar, criando um clima de felicidade geral.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 05, 2011 10:49 am

Na Difusão do Espiritismo
Livro: Segue-me
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

"E eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador para que fique convosco para sempre".
- Jesus (João, 14:16)

Na condição daquele Consolador prometido por Jesus à Humanidade o Espiritismo, sem dúvida, atingirá todas as consciências.

Entretanto, à frente das múltiplas interpretações que se lhe imprimem nos mais variados núcleos humanos, de que modo esperar o cumprimento da promessa do Cristo?

Nesse sentido recordemos os primórdios da Codificação Kardequiana.

Preocupado com o mesmo assunto Allan Kardec formulou a Questão nº 789, de "O Livro dos Espíritos", à qual os seus instrutores Espirituais, solícitos, responderam:
"Certamente que o Espiritismo se tornará crença geral e marcará nova era na história da Humanidade, porque está na natureza e chegou o tempo em que ocupará lugar entre os conhecimentos humanos.

Terá, no entanto, que sustentar grandes lutas, mais contra o interesse do que contra a convicção, porquanto não há como dissimular a existência de pessoas interessadas em combatê-lo, umas por amor-próprio, outras por causas inteiramente materiais.

Porém, como virão a ficar insulados, seus contraditores se sentirão forçados a pensar como os demais, sob pena de se tornarem ridículos".

Certifiquemo-nos, pois, de que, na difusão dos princípios espíritas, estamos todos em luta do bem para a extinção do mal e de que ninguém alcançará a suspirada vitória sem a vontade de aprender e a disposição de trabalhar.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 05, 2011 10:51 am

Exaltação do Livro Espírita
Recebido no Centro Espírita Caminho da Redenção, em 24 de janeiro de 2001
Vianna de Carvalho & Divaldo P. Franco

Repositório feliz da trajectória histórica da Humanidade, o livro é o silencioso mensageiro dos tempos, apresentando os fastos das culturas do passado e as narrativas sobre homens e mulheres que desfilaram pelas páginas das diferentes épocas.

Desde as escritas rupestres às estelas de pedras, às argilas, papiros, pergaminhos, tábuas, peles de animais até o momento grandioso da descoberta do papel, a partir dos sinais toscos e informes até às letras e caracteres bem definidos, as mensagens vivas referindo-se às glórias e misérias da Humanidade passaram através dos seus registos de uma para outra geração, eternizando os acontecimentos.

Foi ele que auxiliou o desenvolvimento da razão humana e contribuiu decisivamente para a conquista do conhecimento, abrindo mais amplos e grandiosos espaços para o pensamento.

Imortalizado através dos evos, alcançou este momento relevante de tecnologia insuperável, permanecendo insubstituível.

Não obstante a glória da ciência virtual, ele prossegue oferecendo contribuição própria indispensável ao processo de evolução das criaturas.

Perpetuando o pensamento oriental, rico de sabedoria e de mística, na Grécia e em Roma preservou para o futuro a genialidade de Tucídides, de Ésquilo, de Hesíodo, de Sócrates, de Platão, de Aristóteles, de Hipócrates, de Leucipo, de Epicuro, de Heródoto, de Pitágoras, de Homero, de Cícero, de Ovídio e de incontáveis mensageiros de Deus e do progresso para auxiliarem o ser humano no avanço inevitável para a aquisição da sabedoria.

Posteriormente, em diferentes períodos, fez-se a alavanca para impulsionar a cultura, tornando-se responsável pelos momentos grandiosos das decisões magnas da sociedade.

Através de Shakespeare ou de Charles Dickens, de Dante Alighieri ou de Voltaire, de Teresa de Jesus, a santa de Ávila, ou de Jean-Jacques Rousseau, de Sóror Juana Inês de la Cruz ou do Marquês de Beccaria penetrou no bojo das criaturas humanas e fez desmoronar as masmorras da ignorância ou construiu-as na emoção de muitos, assinalando profundamente cada época.

Graças a Goethe através de Sofrimentos do jovem Werther, induziu ao suicídio inúmeros adolescentes frustrados afectivamente que se identificavam com o drama da infeliz personagem, sulcando vidas com amargura.
O mesmo aconteceu com Tolstoi, no seu Anna Karenina, de que se arrependeria dolorosamente mais tarde...

No entanto, noutros momentos desencarcerou milhões de vidas quando se apresentou como fonte geradora de esperanças no formato de obras espirituais em todas as culturas, culminando em o Novo Testamento, que retrata o maior momento da História.

Apesar da missão sublime de que se encontra investido, nem sempre aqueles que o escrevem dão-se conta da sua significação e objectivo.

Por isso, no livro espírita encontramos a mensagem de vida eterna desvestida de sortilégios e dogmatismo, reflectindo a transparente claridade da Vida exuberante.

Foi Allan Kardec quem o brindou com eloquente entusiasmo e imbatível coragem, lutando contra os preconceitos e as paixões servis ao apresentar em Paris, em 1857, o Espiritismo, despido de sofismas e silogismos, das complexidades de sistema e dos conflitos de escolas filosóficas, através de O Livro dos Espíritos, hoje património da Humanidade.

Contendo as questões mais palpitantes do pensamento histórico analisadas pelos Imortais, é síntese de sabedoria em todos os sentidos, que as conquistas da ciência contemporânea vêm confirmando a cada dia.

Escrito com clareza meridiana e acessível aos diferentes níveis culturais, tem resistido às revoluções das diversas ideologias sem sofrer qualquer prejuízo de conteúdo ou de forma, transcorridos cento e quarenta e quatro anos após sua publicação.

Base de sustentação da Doutrina Espírita, desdobra-se em outros que são fundamentais para a compreensão do ser, do destino, da dor, dos objectivos essenciais, quais sejam:
O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Génese em incomparável harmonia entre a ciência, a filosofia e a religião, unindo a razão ao sentimento, a ética à moral, o pensamento à emoção, como ninguém dantes o conseguira.

Graças a esse conjunto estrutural, desdobra-se em novos livros de orientação e consolo, de esclarecimento e debate, de informações valiosas e de revelações incomuns, dignificando a vida e todo os seres que habitam a Terra, por elucidar que o processo evolutivo é inestancável, a todos facultando a glória da plenitude.

Por essas razões, exaltamos o livro espírita, nele encontrando Jesus descrucificado e libertado dos mitos com que O ocultaram através dos tempos, retornando ao Planeta, a fim de erguê-lo na escala dos mundos e impulsioná-lo no rumo do Pai.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 06, 2011 12:07 pm

Espiritismo na Prática
Livro: Antologia Espiritual
Divaldo P. Franco

Mergulhando a mente nas profundas lições da Doutrina Espírita, o homem se ilumina e descobre os tesouros que buscava, a fim de enriquecer-se de conhecimento e beleza, realizando uma experiência humana caracterizada pela ética-moral relevante, que ressalta do conteúdo superior absorvido.

Não obstante a excelência das informações espíritas, estas impõem como finalidade precípua a transformação íntima da criatura, que deve adoptar uma conduta pautada nos seus ensinamentos, graças aos quais se fazem imediatos o aprimoramento moral, a renovação emocional e sua consequente aplicação no comportamento social.

Sem a devida utilização dos recursos intelectuais que decifram as incógnitas da existência corporal, toda essa conquista não passará de adorno sem sentido, que não contribui, significativamente, para a felicidade real do indivíduo.

O conhecimento propõe responsabilidade, e esta acciona os mecanismos dos deveres fraternais, concitando à acção positiva, cujos efeitos a Humanidade fruirá em paz e plenitude.

A prática espírita se expressa através da incorporação dos ensinamentos à actividade quotidiana, demonstrando a transformação do carácter melhor, com os seus saudáveis efeitos de bem-estar no grupo social no qual o indivíduo se movimenta.

Irradiando a serenidade que decorre da identificação da lei de causa e efeito, esta modificação conclama, sem palavras, quantos o cercam, a uma correspondente atitude, superando as reacções perniciosas que decorrem da ignorância delas.

Por extensão, as acções se expandem em favor do próximo, contribuindo para que as suas aflições sejam diminuídas, atendendo-lhes aos efeitos visíveis, ao mesmo tempo remontando às raízes geradoras das desgraças, a fim de erradicá-las.

A prática do Espiritismo faculta a construção de uma nova sociedade, na qual o egoísmo cede lugar à solidariedade, e a injustiça permite a acção da ética dos direitos humanos, a todos proporcionando o uso e a vivência das bênçãos que o amor de Deus propicia igualitariamente.

Surge, então, como decorrência, uma inevitável alteração dos códigos legais e estatutos actuais com formulações mais consentâneas com o amor, tomando o lugar das leia arbitrárias ainda vigentes em vários Organismos e Nações da Terra.

A prática espírita acende estrelas de esperança nos céus plúmbeos da actualidade e aponta os rumos da solidariedade a todos quantos se enjaulam no personalismo e nas ambições desvairadas do eu enfermo.

Há todo um imenso campo a joeirar.

A terra árida dos corações, maltratada e ao abandono, aguarda a tecnologia do amor a fim de reverdecer, e esse esforço concentrado cabe à prática espírita daqueles que se iluminaram com o conhecimento.

Todas as doutrinas espiritualistas fomentam a acção do bem e a renovação moral do homem, no entanto, só o Espiritismo lhes confere a demonstração da sobrevivência da alma, por meio da mediunidade dignificada.

Utilizar desse imenso acervo de factos para a prática salutar, colocada no dia-a-dia, é o compromisso que assume o homem inteligente que, tendo a mente esclarecida, dulcifica o coração e torna-se amante do bem, da verdade e da caridade legítima.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 06, 2011 12:09 pm

Medo de ver espíritos
Livro: Força Interior
Rita Foelker

Pessoas que às vezes vêem Espíritos são muito comuns.
E tão mais comuns, são pessoas que se apavoram diante da simples possibilidade de ver um Espírito.

Isto ocorre, primeiro, porque quase sempre se imagina um Espírito mau ou uma intenção má, por trás destes fenómenos, o que não corresponde à realidade.

Há grandes possibilidades de se tratar de um parente desencarnado, de alguém infeliz ou sofredor, de alguém que queira apenas falar connosco, ou de alguém querendo nos dar provas da realidade espiritual e da continuidade da vida após a morte do corpo físico.

Em segundo lugar, o medo nasce do facto de atribuirmos a estes seres um poder que eles, de facto, não têm.
Sem dúvida, é nossa ignorância - e o temor, consequentemente - que nos colocam à mercê deles.
Afinal, autoridade real sobre nós, só Deus e os Espíritos superiores a nós podem ter, e os Espírito Superiores jamais desejarão nosso mal.

Além disso, mesmo que os Espíritos sejam inferiores e tenham o desejo de nos prejudicar, não irão fazê-lo, a não ser que sintonizemos com seus propósitos inferiores, acolhendo seus pensamentos e assimilando seus fluidos.

Quando nos resguardamos no ambiente da prece, dos bons pensamentos e da prática do bem, nós nos subtraímos à sua influência e saímos de sua esfera de actuação.

Agora: o medo excessivo é uma janela aberta a alguns Espíritos brincalhões, que se divertem assustando pessoas.

Se isto vem ocorrendo com você, experimente ignorar suas tentativas, confiando sempre na Providência de Deus e em seu anjo guardião, e verá que eles terminarão por desistir.

E se você tem visto ou ouvido Espíritos com frequência, e não sabe como lidar com isto, o melhor a fazer é procurar um bom curso ou grupo de estudos, numa casa espírita séria.

Descobrir que você não está só, pôr para fora seus receios e suas dúvidas, pode ser muito reconfortante.
Consulte os responsáveis a respeito da conveniência, ou não, de participar de reuniões de experimentação mediúnica.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 06, 2011 12:10 pm

Ensinamento Espírita
Livro: Rumo Certo
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Dividimos o prato com os irmãos em penúria, extinguindo o suplício da fome.

Dividimos o vestuário com os que sofrem nudez, para que o frio não lhes anule a existência.

Providenciamos remédio em favor dos enfermos desamparados.

Partilhamos o tecto com os que vagueiam sem rumo.

Mas não é só.

Ensinamos lições de justiça para que a desordem não nos induza à barbárie.

Espalhamos noções de higiene preservando a saúde.

Quanto mais se adianta a civilização mais se nos desdobram os bens da vida.

.§.

Imperioso lembrar que é necessário distribuir também os valores da alma.

Nós, os tarefeiros desencarnados e encarnados da Doutrina Espírita, em plena renovação da Terra, não podemos olvidar que é preciso repartir o conhecimento superior.

Saibamos repartir, através da palavra e da acção, da atitude e do exemplo, o ensinamento espírita à luz do Evangelho do Cristo, imunizando a vida terrestre contra as calamidades de ordem moral.

Nós que levantamos a escola para remover as sombras do cérebro, atendamos à educação espiritual que dissipa as trevas do coração.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 07, 2011 10:56 am

Lógica Espírita
Livro: À Luz do Espiritismo
Albino Teixeira & Francisco Cândido Xavier

A Lei de Deus permite:
que desfrutemos tantas posses, quantas sejamos capazes de reter honestamente, mas espera estejamos agindo com elas, em benefício dos outros;

que tenhamos tanta cultura, quanto os recursos da própria inteligência no-lo permitam, mas espera nos empenhemos a convertê-la em realização no bem de todos;

que sejamos felizes, mas espera busquemos fazer a felicidade dos semelhantes;

que sejamos amados, mas espera nos transformemos em amor para os nossos irmãos;

que solucionemos as nossas necessidades, mas espera que não venhamos a prejudicar ninguém, no campo dos deveres em que nos achamos comprometidos;

que sejamos desculpados em nossas faltas, mas espera que perdoemos sem condições as ofensas que se nos façam;

que usufruamos os bens do Universo, mas espera nos mostremos prontos a reparti-los sempre que necessário;

que se pense ou fale mal de nós, tanto quanto se queira nos círculos de nossa convivência, mas espera nos devotemos a guardar a consciência tranquila;

que erremos, em nossa condição de almas imperfeitas ainda, mas espera que na base de nossos fracassos permaneça brilhando a luz da boa intenção.

Enfim, a Lei de Deus permite sejamos quem somos, mas nos apoia ou desapoia, abate ou exalta, corrige ou favorece pelo que somos, através do que fazemos de nós, porque Deus não cogita daquilo que parece mas daquilo que é.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 07, 2011 10:57 am

Hoje e Sempre
Maria O´Neil & Raul Teixeira

Nada obstante o pouco tempo em que a luz pujante do pensamento espírita projecta benditas messes sobre o planeta terrestre, já bem podemos observar o quanto de consolações e de aclaramentos para as mais diversas situações que há feito parte das bendições do grande Mestre Galileu.

Acompanhando os passos da jubilosa doutrina nesse seu quase sesquicentenário, vemos que as ciências hão logrado imbatível crescimento dilatando as reflexões e descobertas humanas, sem que, apesar de tudo, tenha conseguido estancar qualquer lágrima nascida nos vales da dor, nos pauis dos ingentes sofrimentos.

Não tem tido possibilidade, a formidável academia e os super-aparelhados laboratórios científicos, de desarmar a fúria beligerante do ser humano que engendra a guerra, quase com a mesma disposição de ânimo dos bárbaros de outros tempos, apenas convertendo os incêndios devastadores de cruéis fogueiras em outros devastadores incêndios provocados por covardes mísseis e outras bombas pirogénicas...

Somente hão transformado adagas, flechas e lanças em potentes metralhadoras antiaéreas, em tanques com blindagens contra minas explosivas e telescópios munidos de infravermelhos para facilitar os ataques em plena escuridão.

Não podemos olvidar que essa mesma ciência que se vê incapaz de sossegar os ímpetos belicosos do homem tem avançado, gloriosamente, nas áreas da farmácia, da cirurgia, da electrónica, da informática, facilitando a existência na Terra.

Por que semelhante paradoxo, afinal?
O que se acha em equivoco nas experiências humanas?
Não é nova a ânsia pela paz.

Não é decente a busca da harmonia entre povos, entre nações.
Não é de hoje a necessidade de transformação ética e de iluminamento moral.
O que há faltado, então?

Agarrando-nos às meditações filosóficas e reflectindo amadurecidamente em torno de tudo, hemos verificado que é esse "anjo em formação" - o homem - que se encontra enfermo em si próprio.

Tem partido do seu próprio âmago as ondas de insatisfação consigo mesmo e que ele atribui seja insatisfação contra os outros, e investe atormentado e cego, cobrando dos irmãos em Humanidade o que não tem coragem de exigir de si próprio.

E guerreia, e domina e se compromete... não obstante tudo isso faça parte das pelejas do auto-descobrimento na longa trajectória para Deus.

Mergulhando, assim, em cogitações tão pertinentes ao estado evolucional dos indivíduos, retomamos o ensinamento socrático que o espiritismo reaviva, propondo-nos o conhecimento de nos mesmos como chave para o aperfeiçoamento moral.

Enquanto desconhecer o homem a sua origem divina, a sua natureza espiritual, os seus compromissos com o inadiável progresso no mundo e enquanto ignorar que pela Terra se acha de passagem de estudos, de aprendizados, com destino final reservado para o campo energético donde proveio - o mundo dos espíritos - tudo ele referirá ao corpo somático e à matéria grosseira e todas as suas conquistas, por mais exuberantes, terão o selo do imediatismo, do consumismo, da dominação, do poder dos fortes sobre os frágeis, provocando mais exacerbada leira de egoísmo.

Somente quando o auto-conhecimento prodigalizar a cada um a visão da imortalidade do ser, a compreensão da realidade do espírito, a criatura humana, desenvolverá a consciência de que os mais eloquentes progressos científicos e os mais rebuscados engenhos tecnológicos não passam de pequenos e inexpressivos brinquedos de meninos espertos perante tudo o quanto o Criador dispõe ainda para enviar ao mundo através de embaixadores Seus, quando para tanto todos nos tenhamos moralmente aparelhado.

Somente sob o comando de Jesus, o Cristo, nobilíssima Inteligência a governar os nossos destinos em nome de Deus, lograremos avançar para as construções de paz e alegria, ventura e trabalho, fazendo desaparecer o egoísmo que desarvora tantas almas, para que não mais exista a guerra, a fome, o abandono e o materialismo aviltante.

Jesus hoje e sempre há de ser o verdadeiro e insubstituível modelo, guia e companheiro maior da Humanidade.

Com Ele caminhemos, pois.
Junto Dele estejamos sempre.

Sob seu jugo ponhamos os nossos conhecimentos científicos, as nossas reflexões filosóficas e os nossos sentimentos de fé racional, para que, e somente então, todos sejamos realmente vitoriosos sobre a bruteza da humana condição.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 07, 2011 10:58 am

Kardec e o Auto de Fé de Barcelona
Livro: À Luz do Espiritismo
Viana de Carvalho & Divaldo P. Franco

A manhã de 9 de outubro surgiu perfumada e radiosa.
Na esplanada de Barcelona, trezentos exemplares de livros e opúsculos devem morrer.
A Idade Média ainda se demora na dourada terra de Espanha.

O Santo Ofício trucida e, envenenado pela intolerância, sentindo o soçobro que se aproxima, destila ódio e violência, tentando manter a soberania.
A autoridade eclesiástica lê o libelo burlesco.
A multidão tem lágrimas nos olhos.

Archote fumegante aparece e, em breve, ousadas línguas de fogo transformam-se em labaredas, devorando as páginas grandiosas dos livros libertadores.
Temperamentos audazes atiram-se sobre as chamas que diminuem de intensidade e arrancam páginas chamuscadas que se transformarão em documentos preciosos do crime.
Emocionado pintor, desejando eternizar o acto de barbaria sob a inspiração do momento, regista em cores e traços vigorosos o atentado à liberdade de consciência.

As cinzas e a tela são endereçadas ao Codificador.
Em Paris, Kardec dobra-se sob o peso da própria dor.
O gigante lionês tem a alma ferida. O vigoroso coração, parecido a corcel fogoso, agora exaurido, trabalha dominado pelo gigantismo do sofrimento.

Mentalmente, recorda a figura martirizada de João Huss, o Apóstolo queimado vivo no século XV por sentença do Concílio de Constança, apesar do salvo-conduto que o Imperador Sigismundo lhe havia dado...

A impiedade e o despotismo da fé em decadência queimá-lo-iam agora, se o pudessem.
E nessa impossibilidade tentam destruir-lhe a obra, já que nada podem contra as ideias.

Todavia, recolhido à oração salutar, parece-lhe escutar as Vozes dos Céus - aquelas mesmas que o conduziram na compilação dos primeiros trabalhos - que lhe dirigem as expressões de alento e vigor.

"Ninguém poderá destruir o edifício da fé imortalista!" - tem a impressão de ouvir na intimidade da mente.
Os Imortais estão de pé no campo de batalha.
A Doutrina Espírita é Jesus Cristo de retorno aos corações, acolitado pelas legiões dos Espíritos Eleitos, abrindo as portas para o acesso à verdadeira vida.

É necessário que o trabalhador experimente o suplício e tenha os braços atados à cruz dos testemunhos necessários, para que ele triunfe.
Jesus não se fizera respeitar pelos contemporâneos e através dos tempos pelo que ensinou, mas pelo legado da renúncia e do sacrifício.
Assim também, a Doutrina Espírita, reivindicando as luzes da Imortalidade do Senhor e da renovação dos conceitos evangélicos na Terra, deveria experimentar o guante das mesmas dilacerações...

Era indispensável sofrer de pé, confiando, imperturbável!...

Allan Kardec, vitalizado pelo fluxo da misericórdia divina e encorajado pelo tónus celeste, levanta-se outra vez, fita os cimos dourados que a vida lhe reserva, renova as disposições do espírito e, jubiloso, continua a luta.
A Doutrina Espírita se lhe afigura, então, um anjo de luz dilatando as asas sobre a Terra inteira e vestindo-a de claridade...

.§.

Mestre!
Cem anos depois de Barcelona, o Brasil, que te guarda a mais profunda gratidão, ergue-se em louvor, através das mil vozes dos beneficiários do teu carinho, para te agradecer os sacrifícios.

Contempla dos Altos Cimos, a colossal legião de servidores do Cristo, seguindo as tuas pegadas e esparzindo o aroma da tua mensagem, em toda parte.
Barcelona vive em nossos corações reconhecidos.

As obras incineradas se multiplicaram e levam a mensagem vibrante dos Espíritos da Luz à Humanidade toda.
Ninguém pôde paralisar tuas mãos no sacerdócio da escrita, nem força alguma silenciou teus lábios no ministério da pregação...
Quando o corpo se negou a prosseguir contigo, extenuado pelo trabalho infatigável, já o mundo compreendia a Mensagem de Jesus com que enriqueceste a Terra.

E hoje, quando ameaças se levantam em toda parte, dirigidas à paz das criaturas, em forma de intranquilidade e pavor, a Doutrina que nos legaste, como bandeira de vida, é o penso consolador nas mãos de Jesus Cristo, medicando as feridas de todos os corações.
Glória a ti, desbravador do Continente da Alma!
A Humanidade espiritista, renovada e feliz, edificada no teu trabalho eficiente, rende-te o culto da gratidão e do respeito.

Salve, Allan Kardec, no dia 9 de outubro, cem anos depois de Barcelona!

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Nov 08, 2011 10:45 am

Em Desobsessão
Livro: Paz e Renovação
Albino Teixeira & Francisco Cândido Xavier

Aqueles companheiros na Terra:

que nos desfiguram as melhores intenções;

que nos
falham à confiança;

que nos
criam problemas;

que nos
abandonam na hora difícil;

que nos
induzem à tentação;

que nos
impõem prejuízos;

que nos
criticam os gestos;

que nos
desencorajam as esperanças;

que nos
desafiam à cólera;

que nos
dificultam o trabalho;

que nos
agravam os obstáculos;

que nos
perseguem ou injuriam;

são geralmente os examinadores utilizados pela Espiritualidade Maior - através do mecanismo das provas - a fim de saber como vamos seguindo na obra libertadora da própria desobsessão.

Renteando com eles, acalme-se, observe, aproveite, agradeça e abençoe.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Nov 08, 2011 10:45 am

A Força do Espiritismo
Livro: Um pouco por dia
Rita Foelker

Quando Allan Kardec formulou as bases da Doutrina Espírita, ele recebia comunicações mediúnicas de cerca de mil centros espíritas espalhados por diversos lugares do mundo.

Além de dialogar, ele mesmo, com os Espíritos, ele estudou o assunto por sua própria conta, comparou todas essas comunicações, pesquisou fenómenos e, só depois, veio a publicar "O Livro dos Espíritos", a primeira das Obras Básicas do Espiritismo.

Um homem sozinho pode ser enganado.
Pode enganar a si mesmo e a um pequeno número de pessoas.

Se a Doutrina Espírita tivesse sido concebida por um só homem, seria preciso acreditar neste homem para acreditar na Doutrina, e ela estaria limitada por seu nível de esclarecimento e cheia dos seus preconceitos.
Seria uma Doutrina com falhas.

Se os Espíritos tivessem transmitido a Doutrina Espírita a um só homem, ele poderia ser enganado, por mais sinceros que fossem os seus propósitos, pois a razão de uma só pessoa pode errar em seus julgamentos.

Mas o Espiritismo começou a ser revelado através de fatos que movimentaram diversos pontos do mundo ao mesmo tempo, na segunda metade do século passado.

Os ensinamentos dos Espíritos foram disseminados através de comunicações mediúnicas dadas em lugares muito distante entre si e, apesar disto, e apesar das diferenças de linguagem, os princípios coincidiam precisamente.

Não seria possível que a mesma ideia fosse lançada em grupos tão diferentes e que não tinham contacto entre si, se elas não tivessem a mesma origem, se não tivessem uma finalidade maior.

Segundo Allan Kardec, esta universalidade no ensinamento dos Espíritos é que torna o Espiritismo forte, indestrutível, garantindo, ao mesmo tempo, a autoridade do que ele nos ensina.

O Espiritismo é um trabalho conjunto de homens e Espíritos.

E pode-se, afinal, fazer desaparecer um homem, mas não se pode calar milhões de pessoas.

Os fenómenos mediúnicos acontecem por toda parte, e mesmo que todos os livros espíritas fossem queimados, e os centros espíritas, fechados, o Espiritismo poderia começar novamente, pois a sua origem não está sobre a Terra.

Onde houvesse um Espírito e um médium - e os há em todo lugar - poderia a Doutrina Espírita começar a ser revelada novamente.

Sempre haverá gente que veja com seus próprios olhos e que tire suas próprias conclusões, partindo da lógica irrefutável dos princípios do Espiritismo.

§.§.§- O-canto-da-ave


Última edição por O_Canto_da_Ave em Ter Nov 08, 2011 10:46 am, editado 1 vez(es)
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Nov 08, 2011 10:46 am

O Sinal Espírita
Livro: Caminho Espírita
Albino Teixeira & Francisco Cândido Xavier

Quando a pessoa entrou no Espiritismo, é fácil verificar:
basta perquirir um fichário ou escutar uma indicação.

Entretanto, a fim de positivar se o Espiritismo entrou na pessoa, é indispensável que a própria criatura faça menção disso, através de manifestações evidentes.

Vejamos dez das inequívocas expressões do sinal espírita na individualidade, que sempre se representa pelo designativo "mais",nos domínios do bem:
mais serviço espontâneo e desinteressado aos semelhantes;

mais empenho no estudo;

mais noção de responsabilidade;

mais zelo na obrigação;

mais respeito pelos problemas dos outros;

mais devotamento à verdade;

mais cultivo de compaixão;

mais equilíbrio nas atitudes;

mais brandura na conversa;

mais exercício de paciência.

Ser espírita de nome, perante o mundo, decerto que já significa trazer legenda honrosa e encorajadora na personalidade, mas, para que a criatura seja espírita, à frente dos Bons Espíritos, é necessário apresentar o sinal espírita da renovação interior, que, ante a Vida Maior, tem a importância que se confere na Terra às prerrogativas de um passaporte ou ao valor de uma certidão.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Nov 09, 2011 11:58 am

Sobre a Assistência Espiritual
Livro: A Presença de Deus
Richard Simonetti

Somos todos assistidos espiritualmente.

Há apenas uma diferença:
Os grandes benfeitores da Humanidade, idealistas e devotados a sagrados propósitos em favor do semelhante, fazem-se seguir por Gênios do Bem que encontram neles a receptividade necessária para lançar idéias que aceleram o progresso em todos os sectores da actividade humana.

Já o homem comum tende a cercar-se de Espíritos que guardam correspondência com suas tendências imediatistas.

O bebum é acompanhado por alcoólatras.

O fumante atrai amigos da nicotina.

O faminto do sexo liga-se aos viciados sexuais.

O violento é dominado por entidades agressivas.

O maledicente cerca-se dos gênios da discórdia.

O indolente associa-se aos representantes da preguiça.

Por isso, o Espiritismo sinaliza a necessidade de mobilizarmos nossas energias criadoras, nossos impulsos, na direcção do auto-aprimoramento moral, livrando-nos das sombras para sintonizar com a Luz.

Alegria, equilíbrio, paz interior, são os frutos de nossa adesão aos valores mais nobres, tanto quanto desequilíbrios variados sustentam-se de actividades que não interessam à nosso economia espiritual.

O apostolo Paulo, que sabia dessas coisas, recomendava aos companheiros, na Epístola aos Filipenses (4:8):
Tudo o que é verdadeiro,
Tudo o que é respeitável,

Tudo o que é justo,
Tudo o que é puro,

Tudo o que é amável,
Tudo o que é de boa fama,

Se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja tudo isso o que ocupe o vosso pensamento.


Muita Paz

Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Nov 09, 2011 11:59 am

Jesus e Kardec
Livro: Irmãos Unidos
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Porque se visse questionado por um de nossos colegas, quanto à necessidade do sofrimento, o Instrutor esclareceu:
Disse o Cristo:
"Há muitas moradas na casa do Pai".
Sem Allan Kardec não perceberíamos que o Mestre relaciona os mundos que enxameiam na imensidade cósmica, a valerem por escolas de experiência, nos objectivos da ascensão espiritual.

Disse o Cristo:
"Necessário é nascer de novo".

Sem Allan Kardec, não saberíamos que o Sublime Instrutor não se refere à mudança íntima da criatura, nos grandes momentos da curta existência física, e sim à lei da reencarnação.

Disse o Cristo:
"Se a tua mão te escandalizar, corta-a;

ser-te-á melhor entrar na vida aleijado que, tendo duas mãos, ires para o inferno".
Sem Allan Kardec, não concluiríamos que o Excelso Orientador se reporta às grandes resoluções da alma culpada, antes do renascimento no berço humano, com vistas à regeneração necessária, de modo a não tombar no sofrimento maior, em regiões inferiores ao planeta terrestre.

Disse o Cristo:
"Quem vier a mim e não deixar pai e mãe, filhos e irmãos, não pode ser meu discípulo".

Sem Allan Kardec, não reconheceríamos que o Divino Benfeitor não nos solicita a deserção dos compromissos para com os entes amados e sim nos convida a renunciar ao prazer de sermos entendidos e seguidos por eles, de imediato, sustentando, ainda, a obrigação de compreendê-los e servi-los por nossa vez.

Disse o Cristo:
"Perdoai não sete vezes, mas setenta vezes sete vezes".

Sem Allan Kardec, não aprenderíamos que o Mestre não nos inclina à falsa superioridade daqueles que anelam o reino dos céus tão-somente para si próprios, e sim nos faz sentir que o perdão é dever puro e simples, a fim de não cairmos indefinidamente nas grilhetas do mal.

Disse o Cristo:
"Conhecereis a verdade e a verdade vos fará livres".

Sem Allan Kardec, desconheceríamos que o raciocínio não pode ser alienado em assuntos da fé e que a religião deve ser sentida e praticada, estudada e pesquisada, para que não venhamos a converter o Evangelho em museu de fanatismo e superstição.

Cristo revela.
Kardec descortina.

Diante, assim, do Três de Outubro que nos recorda o natalício do Codificador, enderecemos a ele, onde estiver, o nosso preito de reconhecimento e de amor, porquanto todos encontramos em Allan Kardec o inolvidável paladino de nossa libertação.

Muita Paz

Gilberto Adamatti

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Nov 09, 2011 11:59 am

Examinando Kardec
Livro: À Luz do Espiritismo
Viana de Carvalho & Divaldo P. Franco

Não que outros missionários não tivessem aportado antes dele:
ases do conhecimento que dilataram os imensos horizontes do saber;
místicos que se embrenharam nos dédalos do “eu”, aprendendo vitória sobre si mesmos;
santos que rasgaram sendas luminosas no matagal das aflições;

apóstolos que fizeram da renúncia e da humildade os baluartes da própria força;
filósofos que ensejaram à razão o campo da investigação;
cientistas corajosos e audazes que ofereceram a vida em prol de pesquisas inapreciáveis na preservação de milhões de vidas...

E heróis, missionários do amor, sacerdotes da fraternidade, operários sublimes, todos eles, do Pai Constructor, encarregados de impulsionar o progresso da Terra conjugado à felicidade dos homens.

Ele, entretanto, guardadas as proporções fez-se nauta de uma experiência antes não tentada nos mares ignotos da verdade:
auscultou o insondável além-da-morte, inquirindo e estudando, seleccionando e fazendo triagem das informações recebidas dos imortais, de modo a edificar o colossal edifício do Espiritismo.

Nem um só momento se deixou empolgar pela vitória conseguida ao peso das lágrimas, nem jamais se quedou desanimado sob o fardo das incompreensões, quando crivado pelas farpas da inveja e da calúnia.
Não se permitiu o luxo dos triunfos fáceis, nem aceitou a coroa da consagração.
A própria vida celeremente se lhe extinguiu no corpo somático, logo se permitiu conquistar o país do conhecimento, demandando a Imortalidade antes que os lauréis da gratidão ou de qualquer glória lhe pesassem sobre a cabeça veneranda.

Antes, outros espíritos de escol também velejaram pelas regiões desconhecidas do após-o-túmulo, tomando apontamentos, registando observações.
Muitos se embrenharam pelas veredas da vida-além-da-vida e se detiveram deslumbrados no pórtico da revelação.
Os que se atreveram a adentrar pelos recônditos da Imortalidade, procuraram explicações mirabolantes, formulando hipóteses rocambolescas ou, fortemente impressionados, se recolheram à meditação profunda, ao flagício, à oração.

Os que se facultaram apresentar o resultado do descobrimento, experimentaram a zombaria dos contemporâneos e, não raro, desencantados, refugiaram-se no silêncio ou arderam em piras crepitantes...
Ele, não!
Não se deteve a observar somente, nem se aquietou a experimentar emoções.

Após o meticuloso exame do mediunismo, patenteada a veracidade da vida incessante mesmo depois da disjunção celular, entregou-se ao conhecimento libertador.
Do fenômeno extraiu a doutrina.
Do informe puro e simples conseguiu o facto comprovado.

Enfrentando os Imortais não os temeu, não os exaltou.
Inquiriu-os e analisou-os a todos quantos passaram suas informações pelo crivo da discussão, do debate franco, do exame rigoroso.
Compulsou os alfarrábios dos tempos e aprofundou-se na cultura da época.

Armado de equilíbrio invulgar, esteve a todo instante à altura da investidura e, quando o reboliço da aventura cedeu lugar ao marasmo e à monotonia, ele apresentou o resultado dos seus estudos sérios, apoiados na razão e no bom-senso.

Kardec foi, sem dúvida, o magnífico missionário da Humanidade, precursor do Mundo Novo.
Em sua obra reacendem os aromas específicos da tríade perfeita do conhecimento: Ciência, Filosofia e Religião.
São o esquema ímpar da sabedoria em todos os seus ângulos e faces.

.§.

Transcorrido o primeiro século da Codificação Kardequiana, mais se fazem actuais os seus ensinos e conclusões, ensejando elucidações valiosas para os enigmas que surgem no momento em que ruem os tabus e os preconceitos, em que necessidades aparecem para substituir as manifestações místicas da ignorância e da falsa pudicícia da fé que se esboroam.

Por essa razão é que se faz imperioso estudar o Espiritismo, trazendo os informes destes dias para examiná-los à luz meridiana da Doutrina, clareando as nebulosas informações de psiquistas e parapsicólogos, os problemas morais ao estudo sistemático da moral espírita e as conclusões da ciência ao ensinamento doutrinário.

Não olvidar, no entanto, que os descobrimentos e as informações de carácter eminentemente revelador, no campo do mundo, aos homens do mundo competem, sendo a Doutrina mesma o guia moral e espiritual para todos nós, não pretendendo como não o fez o Codificador, resolver ou realizar as tarefas que ao homem incumbem como medidas imperiosas de crescimento e evolução.

Estudemos mais e analisemos melhor o Espiritismo, porquanto com as suas lições no coração e na mente encontraremos o pão e a luz, o instrumento e a rota para levar-nos à harmonia e à paz real.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Nov 09, 2011 12:00 pm

Às voltas com Espíritos
Livro: Para Uso Diário
Joanes & José Raul Teixeira

Não é necessário que alguém acredite na existência de entidades espirituais, para que elas actuem das formas mais diversas na vida das pessoas.

Não se faz indispensável que alguém seja espiritualista, a fim de estar às voltas com as acções de desencarnados nos caminhos humanos.

É importante lembrar que a humanidade terrena é composta por todos os espíritos que o Criador a ela destinou, em razão da lei de afinidades, e colocou sob a coordenação de Jesus, o Cristo.

Daí, não será difícil compreender que num mundo com tantas potencialidades, com tantos recursos a serem explorados, como é a Terra, a grande massa dos espíritos a ele vinculados se acha desencarnada.

Há mais espíritos na faixa da erraticidade do que espíritos reencarnados.
Isto é o que explica por que o número dos mortais tenha crescido, através dos séculos.

Vivendo essa realidade de um mundo considerado em dois níveis gerais, o nível dos que estão no corpo físico e o dos que se encontram fora dele, não é surpreendente a constatação de que ocorram recíprocas influências de um nível sobre o outro.

Imensa é a leva de desencarnados que procura contactar os encarnados, seja para ajudar, em qualquer coisa, seja para participar de qualquer coisa, ou seja para perturbar, de qualquer forma.

Enorme é a massa de encarnados que deseja contactar os desencarnados, seja para pedir uma ajuda banal, seja para vingar-se de desafectos ou seja para rogar um socorro directo em casos complexos.

Há entidades espirituais que se comprazem somente em fazer o bem, em ajudar para o bem, em participar de qualquer esforço pelo bem.
No entanto, outras há inteiramente voltadas para o contrário, dando vazão as suas inclinações inferiores, ainda não devidamente transformadas.
Uma vez que você sabe disso, observe o tipo de sintonias, de contactos mentais que faz e que deseja fazer com os espíritos.

Analise os conteúdos dos seus pedidos dirigidos ao além e o teor das suas expectativas diante da vida, mantendo a certeza de que, quaisquer que sejam suas buscas, alguma entidade espiritual a elas se associará.

As suas decisões quanto ao seu estilo de vida, as suas relações de afecto ou desafecto, o rumo que dê as suas realizações na faixa da honestidade ou da desonestidade, tudo funcionará como tomadas ideais para a sua ligação com nobres mensageiros da luz ou com desafortunados agentes da sombra.

Busque Jesus e una-se a Ele em tudo o que faça.
Viva com alegria interior, aprenda a enfrentar e superar problemas sem ódios, sem guardar mágoas de ninguém.
Solte-se. Viva em clima de liberdade espiritual, por guardar o coração e a mente livres de vínculos com espíritos perturbadores.

Busque Jesus e a tudo o que se refira ao bem, e esteja certo de usufruir da melhor assistência invisível, atraída por suas felizes predisposições morais.

.§.
Meditação:
Bons Espíritos que vos dignais de assistir-me, dai-me a força de resistir à influência dos Espíritos maus e as luzes de que necessito para não ser vítima de suas tramas.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73884
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Espiritismo

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum