Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Página 6 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:52 am

À polícia, Arnaldo justificou o crime dizendo que havia lavado sua honra.
Doutor Borges ficou furioso.
Teve raiva da filha por ter sujado seu nome e do genro, que, em vez de lhe pedir conselhos, fez a besteira de acabar pessoalmente com o traidor.
Se Arnaldo o tivesse procurado, ele teria dado cabo do músico sem que o nome da família fosse envolvido.
Por esse motivo, doutor Borges contratou um advogado não para defender o genro ou a filha, mas para vingar-se de ambos.
Suspeitando que Cláudia fosse filha do músico, uma noite, ele sequestrou as crianças e mandou-as para um colégio interno.
Uma manhã, ao acordar e ir ver as crianças, Estela descobriu que elas haviam desaparecido.
Abriu os armários e notou que duas malas e muitas peças de roupas faltavam.
Não teve dúvida.
Sentiu que seu pai era o responsável por aquilo.
Imediatamente, Estela foi ao encontro do pai e exigiu-lhe que trouxesse as crianças de volta.
Doutor Borges não negou:
— Fui eu sim.
Mandei-os para um lugar muito longe, e você nunca mais os verá.
— Você não tinha esse direito!
Vou descobrir onde eles estão e os terei de volta.
Você ainda vai se arrepender por ter feito isso!
Vai pagar muito caro!
Augusto Borges deu uma gargalhada e respondeu, petulante:
— Eu sou poderoso!
Vou deserdá-la e nunca os encontrará.
Estela fixou-o séria:
— Deus vai me ajudar a encontrá-los!
Ele meneou a cabeça, deu de ombros e saiu.
Estela pensou, pensou, e resolveu ir até o Rio de Janeiro, em busca de um bom advogado.
Lá, ninguém a conhecia, e seu pai não poderia interferir em seus planos.
Chegando à cidade, ela instalou-se em um hotel.
Precisava encontrar o melhor advogado de todos.
Alguém que tivesse coragem de enfrentar seu pai e pudesse ajudá-la de facto.
Pretendia entrar na justiça e ter seus filhos de volta.
Estela começou sua procura, contactando alguns advogados, mas não gostou de nada do que ouviu.
Depois, lembrou-se de que o doutor Gilberto conseguira inverter o caso, fazendo seu marido ser preso.
Ele seria a pessoa certa para auxiliá-la.
Foi ao escritório dele pedir-lhe ajuda.
Doutor Gilberto aceitou a causa e conseguiu não só convencer Milena a auxiliá-los, como acabou contando com a ajuda de Reinaldo, que se juntou a eles por sentir que o motivo era justo.
Doutor Gilberto começou a trabalhar no caso e decidiu procurar Elaine, para auxiliá-los.
Ela fora colega dele na faculdade e tornara-se uma grande amiga.
Ademais, Elaine trabalhava para o serviço secreto dos Estados Unidos e, além de inteligente, era uma pessoa muito séria.
Foi ela que, valendo-se de suas amizades, conseguiu descobrir onde o doutor Borges internara as crianças.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:53 am

Na noite em que Elaine interveio e tirou as crianças do colégio interno, doutor Borges ficou sabendo e, imediatamente, sequestrou Estela e prendeu-a na fazenda, impedindo-a de ir encontrar os filhos e pressionando-a de todas as formas para que ela contasse onde as crianças estavam.
Todas essas lembranças passavam pela mente de Estela e ela só pensava em ir embora com os filhos para bem longe, onde seu pai não pudesse encontrá-los.
Pouco depois, enquanto todos tomavam o café da manhã, Zito apareceu para falar com Estela.
Na véspera, ele conversara com doutor Gilberto, que não concordava com o que Estela queria fazer.
O certo seria entrar na justiça, para que a verdade aparecesse, e fazer doutor Augusto Borges ser responsabilizado judicialmente por suas atitudes.
Só assim eles poderiam viver em paz.
Estela pensou um pouco, mas estava cansada e sem paciência para remexer naquela situação e acusar o próprio pai.
— Eu só quero viver minha vida ao lado dos meus filhos.
Nada mais. É o que vou fazer.
Milena fixou-a e perguntou com voz calma:
— Quem é Marta?
Estela fixou-a surpreendida e exclamou:
— Minha mãe, que morreu quando eu era ainda bebé!
A voz de Milena mudou, quando ela disse emocionada:
— Filha! Finalmente posso falar com você!
Estela encarou-a e exclamou:
— Mãe, é você?
— Sim, filha. Sou eu.
Vim para pedir que ouça o doutor Gilberto e faça o que ele recomenda.
— Eu não quero ver meu pai nunca mais.
— Se fugir, ele a perseguirá de todas as formas.
Para ter paz, você precisa libertar-se do assédio dele.
Você tem todos os direitos sobre seus filhos!
Enfrente-o sem medo!
Nós a ajudaremos a ganhar essa luta!
Lágrimas desciam pela face de Estela, quando desabafou:
— Você foi embora, me abandonou!
Por que não me levou com você?
— Era o que eu mais queria, mas não consegui.
Fui escorraçada da vida de forma violenta.
Em meu desespero, ao acordar do outro lado, eu odiei seu pai, quis me vingar e tudo fiz para atingi-lo, mas ele foi mais forte do que eu.
Augusto sabe odiar com mais força, e eu perdi essa guerra.
Fui ficando pior.
O desânimo e a tristeza tomaram conta de mim.
Quis desaparecer da vida, mas nem isso eu consegui.
A morte não me libertou.
Sem forças, fui recolhida por um grupo de enfermeiras, que me levou para um hospital no astral, onde fui tratada com amor e respeito.
Lá, ensinaram-me a ver as coisas do jeito que são.
Então, aos poucos, fui me recuperando.
Eu queria procurá-la, tentar ampará-la de alguma forma, mas não obtive autorização.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:53 am

Meus orientadores disseram que, naquele momento, eu precisava de um tratamento para me equilibrar.
Só então poderia vê-la.
— Eu nunca soube de nada disso!
Você continua viva!
— Sim. A morte não é o fim.
A vida continua! Hoje eu sei disso!
Ainda estou em tratamento, mas permitiram que eu viesse até aqui para dar este recado:
você só terá paz, se enfrentar seu pai na justiça dos homens!
Ele não entende outra linguagem.
Tenha coragem. Diga que fará isso!
— Ele nunca foi um pai.
Sempre foi um carrasco.
Eu não quero mais ter nenhuma ligação com ele!
— Reaja! Você tem o direito de defesa! Use-o!
As leis da justiça existem para disciplinar a sociedade.
Augusto será impedido de continuar a tramar contra sua paz, e você poderá usufruir de uma vida mais calma ao lado de seus filhos.
Pensativa, Estela baixou a cabeça durante alguns segundos e depois prometeu:
— Vou tentar.
Eu não queria mais ter contacto com ele.
Vai ser difícil suportar essa guerra.
— A justiça humana vai protegê-la, e ele a deixará em paz.
Mas você terá de fazer sua parte.
Renove sua vida. Deixe o passado passar.
Entregue seu pai aos cuidados da vida.
Ela tem meios de ensinar tudo que ele precisa aprender.
Nenhuma ovelha do rebanho se perderá!
Um dia, Augusto também aprenderá, se tornará uma pessoa melhor e será feliz!
— Não sei se serei capaz de perdoá-lo.
— Meus amigos e protectores estarão do seu lado, auxiliando-a.
Estou certa de que você vai conseguir!
Estou pedindo às forças superiores que a protejam e fortaleçam.
Tenho de ir... Fique com Deus!
Milena estendeu as mãos sobre a testa de Estela, sorriu levemente e sussurrou:
— Deus a abençoe!
Estela sentiu que uma energia suave e agradável a envolvia e suspirou dizendo:
— Só uma mãe pode dar tanto amor!
Obrigada, Milena, por ter me proporcionado esse encontro!
— Pense bem no que vai fazer!
— Depois do que minha mãe disse, farei o que ela quer.
— Que bom! Você vai vencer e ficar livre de uma vez.
Havia certa tristeza na voz de Estela, quando ela disse:
— É só isso que eu quero agora.
Criar meus filhos, educá-los e viver em paz.
Milena fixou-a com carinho e tornou com voz suave:
— O tempo passa depressa e um dia todos estarão reunidos.
Estela estremeceu e perguntou:
— Você também lê pensamentos?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:53 am

Milena sorriu alegre e respondeu:
— Tudo passa e se renova.
É bom pensar sempre no melhor.
Reinaldo entrou, aproximou-se de Milena e abraçou-a, dizendo alegre:
— Logo tudo isso estará resolvido e poderemos cuidar dos nossos projectos.
Estela fixou-os comovida:
— Vocês serão muito felizes!
Quisera eu ter tido essa chance!
— O tempo passa depressa, e um dia você e Geraldo estarão juntos novamente. O amor une as pessoas.
Os olhos de Estela brilharam, quando ela respondeu:
— Desta vez, saberemos esperar.
Agora, quero resolver todos os meus compromissos com meus filhos e orientá-los para que sejam livres e felizes.
— Tenho certeza de que você será uma excelente mãe.
Zito aproximou-se de Estela e falou:
— Doutor Gilberto ligou e pediu para avisar-Ihe que a está esperando no escritório, para assinar a procuração o quanto antes.
Vamos para o Rio de Janeiro.
Reinaldo abraçou Milena sorrindo:
— Vamos voltar pra casa e cuidar dos nossos projectos!
— Estou com saudade dos meus pais! Que bom.
— Vamos marcar a data do nosso casamento.
É hora de retomarmos nossa vida! — exclamou Reinaldo.
— Vou ligar para minha mãe e dar a notícia!
— Primeiro, vou ver as passagens e depois você poderá ligar e informar a data certa que chegaremos.
Compradas as passagens para a manhã seguinte, Milena começou a arrumar as malas, preparando-se para a viagem.
Tudo era calmo e o ambiente de alegria os deixava confiantes.
Augusto Borges continuava amarrado e vigiado pelos homens de Zito.
Doutor Gilberto entrara na justiça com um pedido de prisão para ele, por ter sequestrado os netos e a filha.
Zito pediu a Nelson, seu homem de confiança, que fosse até a cidade próxima para saber se o mandado de prisão já chegara e indicar ao delegado onde deveria buscar doutor Borges.
Só depois que tudo já estivesse resolvido e o pai de Estela estivesse preso, eles poderiam voltar para casa.
Passava das nove horas da noite, quando Nelson voltou de Uberlândia e informou que o mandado de prisão só chegaria nas primeiras horas da manhã seguinte.
Assim, eles poderiam ir buscar doutor Borges.
Zito mandou que seus homens ficassem atentos e, se percebessem, durante a noite, algum movimento diferente, que fossem avisá-lo imediatamente.
Todos estavam alegres, desejando que a noite passasse logo para que pudessem voltar para casa em paz.
Milena e Reinaldo faziam planos para o futuro, e Estela, feliz na companhia dos filhos, sonhava com uma vida calma, em que pudesse acompanhar o progresso das crianças, ensinando-as a tornarem--se pessoas de bem.
Tudo estava calmo e em silêncio na fazenda.
Dessa forma, ninguém poderia imaginar o que aconteceria logo em seguida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:53 am

De repente, ouviu-se um barulho forte na porta da frente.
Vários homens entraram, com armas em punho, tendo Augusto Borges à frente.
Assustadas, as crianças começaram a chorar.
Estela, pálida, agarrou-se aos filhos, tentando protegê-los, enquanto Reinaldo, abraçado a Milena, procurava entender o que estava acontecendo.
Augusto Borges deu uma gargalhada e gritou:
— Vocês pensaram que tinham vencido?
Ninguém nunca conseguiu me derrotar.
Vocês agora terão de fazer o que eu quiser!
Abraçada aos filhos, Estela gritou nervosa:
— A polícia vai chegar, e você vai acabar seus dias na cadeia, que é o seu lugar!
— Você não sabe de nada mesmo!
Eu sou o dono da situação!
Se eu quiser, nenhum de vocês sairá vivo deste lugar.
Eu posso tudo! Eu sou poderoso!
Você é uma filha ingrata, adúltera, que só me cobriu de vergonha.
Não vale nada.
Nesse momento, Milena libertou-se dos braços de Reinaldo e posicionou-se diante de doutor Borges.
Com os olhos arregalados e fixos nele, gritou com voz firme:
— Você não vai fazer com minha filha o mesmo que fez comigo!
Chegou a sua hora!
— Saia da minha frente!
Não conheço você!
Como teve coragem de me enfrentar?
— Olhe pra mim. Eu sou Marta!
Lembra-se do que fez comigo?
Chegou a hora de pagar por tudo que você fez!
Eu não estou sozinha.
Há um exército de pessoas que você infelicitou e está aqui exigindo vingança!
Augusto Borges estremeceu, empalideceu e gritou, nervoso:
— Você está morta!
Voltou do inferno para se vingar!
Saia da minha frente, senão eu atiro!
A mão com a qual doutor Borges segurava a arma começou a tremer, então ele tentou usar as duas, mas elas afrouxaram e o revólver caiu no chão.
O corpo dele tremia e ele gritava apavorado:
— Atirem neles, atirem, vamos...
Eles querem me matar!
Um dos homens de doutor Borges, que estava armado e posicionado logo atrás, gritou nervoso:
— Ele está sendo tomado pelo diabo!
Eu não fico mais aqui! — e saiu correndo, como se estivesse sendo perseguido por uma multidão.
Outro homem gritou:
— Eu não tenho medo, não acredito em espírito!
Vou atirar para acabar com isso.
Mas a arma saiu de sua mão como se alguém a houvesse arrancado e foi parar longe.
Assustado, ele olhou em volta e saiu correndo da casa.
Os outros sumiram atrás dele.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:54 am

Parado e com os olhos arregalados, Augusto Borges balbuciava palavras desconexas e parecia ter perdido a razão.
Reinaldo segurou o braço dele, que não reagiu.
Fê-lo sentar-se, apanhou as cordas que estavam no chão e amarrou-o bem.
Enquanto isso, doutor Borges continuava alheio a tudo.
Reinaldo apanhou a arma do chão e apontou-a para ele, que não demonstrou qualquer reacção.
Pálida, Estela tentava acalmar as crianças e dizia que tudo havia passado.
Reinaldo disse:
— Penso que eles não voltarão, mas preciso sair e ver por que Zito e seus homens não apareceram.
— Tome cuidado!
Pode ser uma cilada! — tornou Estela nervosa.
— Sei o que estou fazendo.
Não se preocupem.
Reinaldo saiu, e Milena pediu:
— É hora de confiar na vida.
Ela sabe o que fazer para que cada coisa volte ao seu lugar.
Vamos nos ligar com Deus e esperar o melhor acontecer!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:54 am

Capítulo 18

Reinaldo saiu da casa, olhou em volta e não viu ninguém.
Tudo estava em silêncio.
Segurando a arma, começou a caminhar lentamente pela estrada, apurando os ouvidos.
Ao aproximar-se do local onde Zito normalmente reunia o pessoal, sentiu o cheiro de algo queimando, apressou o passo e viu que havia fogo nas janelas.
Assustado, ele olhou em volta procurando alguma coisa para apagar as chamas.
Não encontrando, foi até a porta que estava trancada com cadeado.
Reinaldo avistou mais à frente uma pilha de lenha.
De forma rápida, foi até lá, apanhou uma que lhe pareceu melhor e tentou arrebentar a madeira em volta do cadeado.
Estava difícil, e ele retornou ao monte de lenha, em busca de algo mais pesado.
Foi então que ele viu que, atrás do monte, havia uma enxada.
Rapidamente, voltou à porta do barracão, ouviu vozes lá dentro e reconheceu as de Zito e de Nelson.
Gritou o mais alto que pôde:
— Afastem-se da porta!
Estou tentando abrir.
A enxada era velha e não deu resultado.
Reinaldo, então, abriu o tambor da arma que carregava e viu que havia duas balas.
Decidido, disse num tom de voz elevado:
— Sou eu, Reinaldo.
Não se assustem.
Vou atirar para abrir a porta!
Afastem-se bem.
Ele atirou, e o cadeado espatifou-se, arrancando um pedaço de madeira junto.
Reinaldo entrou na casa e viu que Zito e seus quatro homens estavam amarrados.
Primeiro liberou Zito, que, por sua vez, o auxiliou a soltar os outros.
Todos saíram tossindo muito e afastaram-se rapidamente do local, enquanto o fogo crescia devorando tudo.
Estavam sujos, com os olhos vermelhos, mas felizes.
Assim que se distanciaram o suficiente da casa em chamas, Zito abraçou Reinaldo dizendo alegre:
— Você insistiu em fazer parte do nosso grupo e acabou sendo a nossa salvação.
Como estão os outros?
Onde está o doutor Augusto Borges?
— Calma. Tudo está sob controle.
No momento, vocês precisam de um banho.
Depois, vou examiná-los e daremos um jeito de voltarmos à civilização.
Chegou o momento de resolver essa história.
Ao vê-los chegarem sujos, cheios de fuligem e com os olhos vermelhos, as mulheres se assustaram, e Reinaldo disse rindo:
— Não se impressionem.
Eles estão bem. Só precisam de um banho!
Zito fixou-as e comentou emocionado:
— Reinaldo salvou nossas vidas.
Se ele não tivesse ido nos procurar, estaríamos mortos.
Ele é o nosso herói.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:54 am

Reinaldo sorriu e disse em tom de brincadeira:
— E você não queria que eu fizesse parte do grupo!
— Estou muito arrependido de ter subestimado sua capacidade.
Aprendi uma grande lição com isso.
— Mas, agora, vou fazer a minha parte como médico.
Terão de me obedecer.
Peço que tomem um bom banho, para que eu possa examiná-los.
Fixando-o, Zito perguntou:
— E o doutor Borges, fugiu?
— Vamos olhar no depósito ao lado.
Todos o acompanharam e viram que Augusto Borges estava amarrado a uma cadeira, mas fora de si.
Admirado, Zito questionou:
— Ele está dopado?
Você deu-lhe algum remédio?
— Não foi preciso.
A vida encarregou-se de cuidar dele.
— O que vamos fazer agora?
Ele não vai poder responder por seus actos.
— Será que essa já não foi uma boa resposta?
— Talvez ele esteja fingindo, para escapar da lei.
Esse homem é capaz de tudo.
— Ele não aceitou a situação, teve uma convulsão provocada por uma crise emocional e pode ter sofrido alguma lesão cerebral.
Mas só vamos saber, se fizermos os devidos exames.
— Você vai cuidar dele?
— É o meu dever como médico, mas ele tem a filha e os netos.
Eles é que decidirão o que fazer a respeito.
Agora, vamos tomar um banho, para tirar esse cheiro de fumaça.
Depois, precisamos nos reunir para decidir quais serão as próximas providências.
— Tem razão.
Ainda temos de resolver esse caso, e você irá nos ajudar.
— Eu já fiz a minha parte.
Você decide o que é melhor — tornou Reinaldo.
— Acha que vou assumir isso sozinho?
Vamos conversar, e todos darão suas opiniões.
Zito foi o primeiro a ir tomar banho no cercado, onde haviam improvisado um chuveiro.
A água estava fria, mas, apesar disso, ele sentiu-se aliviado por livrar-se do cheiro da fumaça e da fuligem.
Um dos homens entregou-lhe uma toalha, e ele enrolou-se e correu para dentro da casa.
Depois, procurou uma roupa para vestir, uma vez que a sua tinha se rasgado e chamuscado no incêndio.
Envergonhado diante das mulheres que o olhavam curiosas, Zito foi para um dos quartos da casa, abriu o armário, procurando algo para cobrir o corpo.
Lá, havia algumas roupas dos empregados da fazenda.
Eram grosseiras, mas ele escolheu uma e a vestiu.
Vendo-o chegar um pouco tímido diante da situação, Reinaldo disse sério:
— Não se preocupe.
Nossa intenção é ir embora daqui logo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:54 am

Elaine foi até a cidade próxima procurar o delegado, para contar-lhe o ocorrido e pedir-lhe ajuda.
Teremos de esperar que ela volte.
Depois do que houve aqui, não poderemos ir embora sem procurar a polícia.
Os quatro homens que trabalhavam com Zito surgiram já limpos, mas todos vestidos com as roupas dos empregados da fazenda.
Vendo-os entrar, ele disse:
— Temos de verificar toda a área.
Os homens do doutor Borges fugiram, mas podem voltar para tentar libertar o patrão, ou até para saquear a propriedade.
Alguns deles são conhecidos e temidos na cidade próxima daqui, por serem suspeitos de alguns assaltos e crimes.
Enquanto estivermos aqui, teremos de ficar vigilantes.
Não sabemos o que passa pela cabeça desses homens.
Celina aproximou-se de Zito:
— É preciso ir à vila comprar alimentos.
Alguns estão acabando.
— Está bem. Faça a lista, e eu pedirei para Pedro ir buscar.
Nelson, reúna os homens, pois precisamos nos proteger.
Apesar da situação tensa, todos estavam calmos e dispostos a colaborar.
Estela, na companhia das crianças, falava sobre o futuro.
Depois que ela concordara em responsabilizar legalmente o pai pelo que ele fizera, ela desejava que aquele caso fosse resolvido logo, para que pudesse, enfim, viver com seus filhos.
Seu ex-marido continuava preso e, segundo o advogado a informara, cumpriria, pelo menos, metade da pena.
Mas isso não a preocupava.
Arnaldo estava com o orgulho ferido e mostrara claramente durante o julgamento o quanto desprezava Estela por tê-lo traído, insistindo, durante o processo, em perguntar a ela quando seu relacionamento com Geraldo começara de facto.
Não tendo conseguido esclarecer esse assunto, preferira a acreditar que ambas as crianças não eram suas.
Estela contribuiu para que Arnaldo continuasse a pensar assim, para evitar que, quando fosse solto, ele tentasse relacionar-se com as crianças.
Dessa forma, ela ficaria livre para viver com seus filhos e educá-los do jeito que queria.
Todos queriam ir embora o quanto antes dali, mas Zito achou prudente esperar o delegado chegar com o mandado de prisão para levar doutor Augusto Borges.
Só assim, poderiam ir embora com segurança.
Estela ligou para o doutor Gilberto, para informá-lo sobre os últimos acontecimentos e prometeu procurá-lo assim que chegassem ao Rio de Janeiro.
Às dez horas da manhã seguinte, quando o delegado chegou na companhia de Elaine, trazendo o mandado de prisão do doutor Borges, todos já estavam prontos para ir embora.
Elaine aproveitou o momento para despedir-se do grupo.
Abraçando Milena emocionada, disse:
— Quando a vi, tive a certeza de que poderia confiar no sucesso dessa acção.
Não foi fácil, mas deu tudo certo.
— Durante o tempo que moramos na Filadélfia, vivendo como uma família, você revelou seu lado amoroso e alegre.
Soube ser a tia amiga e colaborar.
Eu não tinha experiência em lidar com crianças, e você me ajudou muito nisso!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 09, 2016 10:54 am

— A troca foi boa.
Eu era muito céptica, e você me ensinou a ter fé.
Isso me fez muito bem.
Depois que Augusto Borges foi levado para a cidade em uma ambulância, Elaine despediu-se de todos e saiu com o delegado.
Zito dispôs-se a acompanhar os que ficaram até Uberlândia.
De lá, partiriam para o Rio de Janeiro, no voo das dezanove horas.
Milena, Estela, as crianças e Reinaldo aproveitaram o tempo de espera para comprarem alguns objectos pessoais e algumas lembranças para os familiares.
Zito acompanhou-os ao aeroporto, satisfeito por ter colaborado para o desfecho do caso.
Depois de se despedir de todos, abraçou Reinaldo dizendo comovido:
— Você salvou minha vida.
Confesso-lhe que tive muito medo e imaginei que fosse morrer queimado!
Mas houve um instante em que me lembrei das palavras de Milena sobre a eternidade da vida e pedi a ajuda de Deus!
Foi, então, que você surgiu armado e nos salvou.
Estou certo de que ela sabe das coisas.
— Eu também!
Assim que a vi, soube que queria ficar com ela para sempre!
— Vocês serão muito felizes!
Obrigado por tudo.
Milena ligou para o pai, que, emocionado, combinou de ir esperá-los no aeroporto.
Ela e Reinaldo estavam felizes e não cansavam de fazer projectos para o futuro.
No aeroporto, Gerson e Joana aguardavam Milena com ansiedade.
Assim que a viram chegar, uniram-se em um emocionado abraço.
Reinaldo, com os olhos húmidos, juntou-se a eles.
Estela, olhos brilhantes, aproximou-se.
Milena apresentou-a aos pais, enquanto Ernesto os observava sério.
Cláudia agarrou-se ao braço de Milena:
— Fique comigo, não vá embora!
Você é minha mãe do coração!
Milena abraçou a garotinha com carinho:
— E você sempre será minha filha!
Em seguida, Milena puxou Ernesto e os três se abraçaram emocionados.
Estela, que observava a cena, não se conteve e juntou-se a eles no mesmo abraço.
E assim permaneceram durante alguns minutos.
— Nunca esquecerei o que você fez por nós! — tornou Estela e continuou:
— Não sei ainda onde iremos viver depois que tudo isso terminar.
Mas, seja onde for, sinto que nossa amizade continuará para sempre.
Reinaldo interveio:
— Em breve, vamos nos casar e fazemos questão de sua presença.
— Terei o maior prazer de abraçá-los nesse dia.
Ainda não pude expressar o quanto o admiro.
Você deixou tudo e se dedicou em nos ajudar.
Foi um herói, que arriscou a própria vida para salvar Zito e seus homens.
— Eu não corri nenhum risco.
Estava do lado de fora da casa e com uma arma na mão.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:25 am

Estela sentiu a presença de Geraldo e disse emocionada:
— Você correu risco sim!
Agiu sem saber se havia algum dos capangas de meu pai vigiando o local.
Certamente, você foi protegido por um anjo bom!
Milena interveio:
— Um anjo que tem muito interesse em protegê-la!
Os olhos de Estela brilharam e ela perguntou:
— Será quem estou pensando?
Milena sorriu:
— Pergunte ao seu coração.
— Sei que foram seus amigos espirituais que trouxeram Geraldo para me visitar naquela noite, enquanto meu corpo dormia.
Pudemos nos abraçar e conversar.
Ele prometeu ficar ao meu lado e me auxiliar a cuidar das crianças, até o momento em que poderei ir encontrá-lo.
Quando chegar essa hora, faremos tudo para que possamos ficar juntos.
Agora, eu estou livre.
Reinaldo fixou-a sério:
— Estela, precisamos conversar sobre a doença de seu pai.
Ainda não foram feitos todos os exames necessários, mas posso adiantar-lhe que o caso é grave e não tem volta.
Estela suspirou, pensou um pouco e disse triste:
— Depois do que ele fez, não consigo pensar nele como pai.
— Augusto Borges está acabado, Estela.
Nunca mais terá como gerir a própria vida e a fortuna que possui.
É você quem terá de fazê-lo.
— Eu não quero nada dele.
— A herança é de seus filhos.
Você terá de assumi-la.
Com esse dinheiro, poderá dar-lhes uma vida boa e pagar os estudos das crianças.
Além disso, é bom lembrar-se de que seu pai agora também é uma criança doente, que precisa de amparo.
Milena respondeu com voz suave:
— Ele ainda não sabe dar amor, mas lembre-se de que lhe deu a chance de nascer neste mundo.
Todos nós temos pontos fracos, mas nosso espírito é eterno.
No fim, todos vamos evoluir, aprender e conquistar a sabedoria.
O momento é de compaixão, entendimento e paz.
Vamos compreender e acreditar no futuro.
Dias melhores virão!
As lágrimas desciam pela face de Estela, que abraçou Milena dizendo com voz embargada:
— Tem razão. Este é um momento de paz, no qual estamos vendo uma possibilidade de viver melhor.
É hora de agradecer, não de julgar.
Milena e Estela permaneceram abraçadas durante alguns segundos.
As duas crianças juntaram--se a elas, e Milena disse séria:
— Estela, eu não concordo com o que você quer fazer.
— Como assim? Não estou entendendo.
— Por que quer afastar-se de nós?
Eu também sou mãe desses dois e, se você for para longe, vou sentir muitas saudades!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:25 am

Por que não fica aqui, no Rio de Janeiro?
Esta cidade é uma das mais lindas do mundo.
Olhe em volta e sinta o quanto amamos este país!
Estela fixou-a pensativa e respondeu em seguida:
— Eu não tinha pensado nisso.
Sempre desejei ficar longe do meu pai e ir para o outro lado do mundo.
— Mas agora você não precisa mais fazer isso — tornou Reinaldo.
As coisas mudaram!
— Este é o nosso país!
Apesar dos problemas que circulam à nossa volta, este é o lugar onde a vida nos colocou.
Um lugar cujo povo é bom, amoroso, e sabe levar a vida com prazer.
Quando você olha em volta, sempre encontra alguém sorrindo e cantando com alegria!
— Com tantos problemas para enfrentar, eu só queria ir para longe, como se a distância tivesse o dom de me separar deles.
Até agora, não me situei na nova realidade.
Milena abraçou-a com carinho:
— Tudo isso passou.
Está em suas mãos o comando de sua família.
Terá três filhos para cuidar.
Enquanto os dois menores poderão, um dia, assumir as próprias vidas, o mais velho continuará dependente do seu carinho.
Está tudo certo.
A vida sempre sabe o que faz!
Estela suspirou, pensou um pouco e tornou:
— Eu também amo nosso país!
Vocês têm razão!
Não há motivo para vivermos longe daqui.
As coisas mudaram.
Estamos começando uma nova vida.
Você e Reinaldo deixaram seus interesses de lado, para que eu pudesse realizar meu maior sonho:
levar uma vida digna e feliz ao lado dos meus filhos.
As crianças correram para abraçá-la:
— Que bom! — exclamou Cláudia abraçando Milena.
Ernesto juntou-se a elas, dizendo alegre:
— Nós formamos uma família de verdade!
Reinaldo adoptou um ar sério ao dizer:
— De certa forma, vocês dois são também nossos filhos.
Prometo que vou estar sempre presente na vida de vocês.
Vamos ter de conversar bastante!
— Pena que você não sabe contar histórias de fadas... — reclamou Cláudia.
— Mas ele sabe contar boas histórias de bichos e de aventuras de que eu gosto muito! — protestou Ernesto.
— Além de boas histórias, nós vamos cuidar dos estudos de vocês.
Está na hora de irem para a escola.
— A Elaine me deu algumas aulas — comentou Ernesto.
Estela interveio:
— Estamos no Rio.
Em breve, tratarei desse assunto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:26 am

Vocês verão como é bom aprender e saber fazer as coisas com facilidade e inteligência.
O mundo está mudando, e a ciência, a cada dia, descobre novos caminhos, para nos ajudar a viver melhor.
— Vocês devem estar cansados.
Vamos para minha casa.
Estela esclareceu:
— Agradeço o carinho, mas já tenho uma reserva no hotel.
Milena interveio:
— Eles devem ter preparado uma festa para nós, com muito amor.
Nossa casa é simples, confortável e há lugar para todos.
— Isso mesmo! — disse Joana sorrindo.
Rezei muito para que tudo desse certo e Milena voltasse logo para casa.
É hora de comemorar!
A Nena fez aquele bolo de chocolate que Milena adora e ela está nos esperando ansiosa em casa!
Reinaldo disse sorrindo:
— Eu não perderia esse bolo da Nena!
Vamos embora!
Gerson reforçou alegre:
— A casa é grande.
Vocês podem ficar morando lá toda a vida, se quiserem.
— É muita gentileza sua.
Está nos meus planos comprar uma boa casa aqui no Rio — Estela tornou.
— Tenho muitos amigos.
Gente de confiança, que poderá ajudá-la a procurar uma casa e fazer um bom negócio.
— Meu pai é óptimo para isso!
É a pessoa certa para auxiliá-la! — exclamou Milena.
Gerson auxiliou-os a pegar a bagagem e, na saída, já havia dois carros os esperando com motorista.
Eles cuidaram da bagagem, enquanto o grupo se dividia nos veículos.
Ao descerem do carro e entrarem no jardim da bela casa, sentiram um perfume agradável de jasmim e olharam em volta com admiração.
Os canteiros estavam floridos, e eles respiraram com prazer.
Nena apareceu e, com os olhos brilhantes, abraçou Milena, que se emocionou ao sentir o quanto ela a queria bem.
O momento era de alegria.
Ao ser apresentada a Estela, Nena disse sensibilizada:
— Graças a Deus a senhora conseguiu ficar com seus filhos!
Rezei muito para que isso acontecesse.
Sei o que significa fazer parte de uma família!
Aqui, eu encontrei amor, apoio, e aprendi muitas coisas boas.
Estela abraçou-a com carinho, dizendo emocionada:
— Minha mãe morreu pouco tempo depois que eu nasci.
Sofri muito sua falta.
O que eu mais quero nesta vida é poder viver com meus filhos, viver esse amor que sinto sempre que eles me abraçam e vejo o brilho em seus olhinhos amorosos!
Minha solidão acabou!
Depois de conversarem um pouco, Nena levou Estela para uma das suítes:
— Estou aqui para ajudá-la em tudo o que precisar.
A senhora deve estar cansada, mas antes é melhor comerem alguma coisa.
Há um lanche na copa e as crianças devem estar com fome.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:26 am

— Obrigada. Iremos em seguida.
As crianças estavam entusiasmadas e queriam descer logo para brincar no quintal.
Lavaram as mãos e desceram.
Milena e Reinaldo já estavam sentados à mesa, servindo-se de café com leite.
As crianças preferiram se fartar com o bolo de chocolate, que estava delicioso.
Quando terminaram de comer, sentiram sono, mas a curiosidade ainda era mais forte que o cansaço.
Eles queriam sair, conhecer melhor a cidade, mas Estela não concordou:
— Antes, vamos descansar um pouco, para refazer as energias.
Nós vamos morar aqui, no Rio.
Temos todo o tempo do mundo para conhecer a cidade. Esqueceram?
Depois que eles foram para o quarto, Reinaldo levantou-se dizendo para Milena:
— Agora, você vai descansar.
Antes de ir para casa, vou passar no hospital.
Amanhã cedo, pretendo voltar ao trabalho.
Milena abraçou-o com carinho:
— Vou sentir sua falta!
Ele beijou-a diversas vezes e tornou:
— Está difícil ficar longe de você!
Amanhã, quando eu vier, vamos conversar com seus pais e marcar a data do nosso casamento.
— É o que eu mais quero!
Gerson saiu para fazer compras, mas tinha deixado o carro com motorista à disposição.
Reinaldo despediu-se de Joana, e Milena acompanhou-o até o veículo, onde o motorista já havia colocado a bagagem dele.
O casal trocou mais um beijo.
Reinaldo, então, entrou no carro, acomodou-se ao lado do motorista, e Milena ficou acenando até o veículo desaparecer na esquina.
Ao entrar em casa, Milena notou que Joana estava triste e a abraçou dizendo:
— Mãe, eu estou muito feliz!
Eu e Reinaldo vamos ser muito felizes!
— Reinaldo estava falando em comprar uma casa.
Ele não precisa gastar esse dinheiro!
Esta casa é muito grande!
Por que vocês não vêm morar aqui?
— Quando vocês se casaram, foram morar sozinhos.
— Na verdade, nós não tínhamos dinheiro para casar.
Fugimos e fomos morar juntos.
Só nos casamos, quando tivemos dinheiro para pagar as despesas do cartório.
— Você nunca me contou isso!
— Eu tinha vergonha...
Milena beijou-a na face e respondeu:
— Você encontrou o amor de sua vida e não perdeu tempo.
Deixou de lado as convenções do mundo e casou-se com ele do jeito que deu.
E, pelo que sei, nenhum dos dois se arrependeu!
Eu tenho muito orgulho de ter nascido de vocês!
— É verdade! Eu tive muita sorte de ter me casado com Gerson!
Eu estava triste, porque você vai sair de casa, mas eu fiz a mesma coisa.
A vida é assim, e eu não vou mais ficar triste por isso.
— A vida tem sabedoria e sempre faz tudo certo!
Nunca se esqueça disso!
Eu estou com sono, vou subir e descansar um pouco.
Uma vez no quarto, Milena fechou as janelas, tirou os sapatos e estendeu-se na cama.
Pouco depois, adormeceu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:26 am

Capítulo 19

Na tarde seguinte, quando a campainha tocou, Nena foi atender.
Um rapaz entregou-lhe um ramo de rosas vermelhas, primorosamente arrumado, no qual havia um cartão com o nome de Milena.
Comovida com a beleza das flores, Nena imediatamente foi entregá-las dizendo alegre:
— Chegou para você, Milena!
A moça apanhou o cartão e leu:
Esta noite irei falar com seus pais, para marcarmos a data do nosso casamento.
Beijos, Reinaldo.
Milena aspirou deliciada o perfume das flores e arrumou-as em um vaso de cristal, pensando em colocá-las em seu quarto.
Mas, ao lembrar-se de que Reinaldo faria o pedido oficial de casamento na sala, decidiu deixar as flores lá.
Joana estava no jardim, e Milena apressou--se a procurá-la.
— Mãe, Reinaldo mandou flores e um cartão, avisando que virá esta noite falar com vocês, para marcarmos a data do nosso casamento.
Joana fixou-a pensativa durante alguns segundos, sorriu e comentou alegre:
— Eu sabia que ele não ia demorar para marcar a data!
Gerson chegou de surpresa e, vendo-as conversando, aproximou-se.
Em seguida, beijou-as levemente na face:
— Estou sentindo que tem alguma coisa nova no ar. O que é?
Milena apressou-se a contar emocionada:
— Esta noite, Reinaldo virá até aqui para conversar com vocês e marcar a data do nosso casamento!
Joana comentou:
— Eu sabia que ele estava tramando levar Milena embora o quanto antes!
Os olhos de Gerson brilharam emocionados:
— É a vida.
O tempo passa, as coisas mudam, mas sei que será para melhor!
Milena tem luz própria!
Depois que ela surgiu, nossa vida melhorou.
Estou certo de que o mérito é dela!
Por onde passa, ela ilumina tudo!
Comovida, Milena beijou o pai na face dizendo:
— Pai, tenho muito orgulho de ter nascido de vocês dois!
São os melhores pais do mundo!
Milena puxou a mãe pelo braço, e os três permaneceram abraçados durante alguns minutos.
Joana reagiu e tornou:
— Esta noite merece uma comemoração!
Vamos fazer as honras do momento e nos preparar para celebrar a ocasião à altura!
— Eu posso ajudá-la!
O que vamos fazer?
— Você vai ficar noiva!
Tem de se arrumar para a ocasião.
Eu e Nena vamos cuidar de tudo.
— Mas eu quero ver vocês muito elegantes!
— Eu vou estrear aquele vestido lindo que você me deu no aniversário! — exclamou Nena sorrindo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:26 am

— Faça isso.
Aliás, faz tempo que eu tenho notado aquele rapaz moreno da padaria derreter-se todo quando vê você!
Nena ficou vermelha e respondeu encabulada:
— Imagine! Ele é sócio da padaria.
Não vai se interessar por mim.
Milena colocou a mão no braço de Nena, fixou seus olhos e afirmou séria:
— Pois eu notei que ele a admira.
Mas quero saber: você gosta dele?
Nena baixou a cabeça e não respondeu.
Joana puxou Gerson pelo braço, dizendo:
— Venha, vamos para a cozinha planejar o que fazer.
Os dois saíram.
Milena levantou o queixo de Nena e perguntou novamente com calma:
— Você gosta dele?
— É um sonho impossível!
Ele é uma pessoa que venceu na vida, e eu não tenho nada!
— Como você é ingrata, Nena!
Sempre a vi como uma irmã.
Pensei que se sentisse feliz em nossa casa.
Nossos pais sempre nos deram tudo!
— Ingrata? Vocês são tudo que eu tenho nesta vida! Eu os amo.
Agradeço a Deus por ter sido amparada pelos seus pais.
Milena encarou-a surpresa.
As lágrimas começaram a descer pelo rosto de Nena em profusão.
Milena abraçou-a com carinho durante alguns segundos e, aos poucos, ela foi acalmando-se.
Quando Nena parou de chorar, Milena, olho no olho, disse séria:
— Estamos juntas, desde que eu era muito pequena.
Você é minha irmã de verdade!
Se não somos irmãs de sangue, somos irmãs de alma.
Nossos laços de amor são verdadeiros e nos acompanharão para sempre!
— Não sei o que teria sido de mim, se não tivesse encontrado vocês!
— Minha mãe estaria triste por não ter tido mais filhos, e eu não teria a quem confiar meus segredos.
Você é minha irmã de verdade e faz parte da família.
Só nasceu de outra pessoa, porque minha mãe só quis ter uma filha.
Você veio ao mundo antes de mim para ajudá-la em tudo, como sempre fez, e para dar muito amor a todos nós!
Nunca se esqueça disso!
Milena alisou os cabelos de Nena com carinho, e ela foi acalmando-se.
Depois, fixou-a e esboçou um leve sorriso.
Milena continuou:
— Está na hora de pensar em você.
De cuidar do seu futuro.
— Eu estou muito bem e quero ficar aqui para sempre.
— Você terminou o ginásio e não quis estudar mais, Nena.
— Eu não sou tão inteligente como você.
— Isso não é verdade.
Você é rápida, despachada, muito mais esperta do que eu.
Deveria continuar os estudos e fazer uma faculdade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:26 am

— Eu gostaria de fazer outras coisas.
— Fazer o quê, por exemplo?
— Saber fazer pratos especiais, desses que as pessoas comem saboreando.
Doces e bolos confeitados, que parecem obras de arte.
Milena olhou-a surpresa:
— Por que nunca me disse isso?
Nena deu de ombros:
— Porque ainda não sei se seria capaz de fazer todas essas coisas.
Milena sorriu maliciosa e comentou:
— Será que isso tem a ver com o dono da padaria?
— Eu não vou falar mais nada para você!
Milena abraçou-a dizendo séria:
— Você é muito boa na cozinha.
Tudo que faz é gostoso.
Por que não tenta se especializar nisso?
Amanhã mesmo, vamos procurar uma escola boa para você aprender tudo o que quiser.
— Será que seus pais não vão ficar aborrecidos?
— Claro que não! Eles vão adorar.
Vamos ver isso o quanto antes. Venha comigo.
Milena abraçou Nena e juntas foram para a cozinha.
— Mãe, a Nena está com vontade de aprender a fazer bolos e doces.
— Ela não precisa aprender nada!
Já sabe fazer bolos muito bem.
— O que ela quer é fazer aqueles bolos enfeitados, de confeitaria!
Gerson fixou-as admirado:
— Que ideia boa!
Eu ajudarei em tudo que precisar!
Joana fixou-a:
— Você leva jeito para isso.
Seus bolos são muito gostosos!
Estou certa de que será uma excelente profissional.
— É que esses cursos são caros...
Além disso, não sei se conseguiria aprender...
— Eu pagarei os cursos com prazer.
Você precisa pensar no seu futuro — interveio Gerson.
Milena disse alegre:
— Amanhã mesmo, vamos procurar uma boa escola.
Gerson pensou alguns instantes e depois considerou:
— Há algum tempo, venho pensando em aumentar nossos negócios.
Abrir uma loja fina, com coisas especiais, saborosas, mas diferente de tudo que já foi feito!
Quando você se formar, vamos ser sócios.
Eu entro com o dinheiro, e você com o trabalho.
Os lucros serão divididos meio a meio.
— Não acho justo.
Eu aceito que pague os cursos, mas será a título de empréstimo.
À medida que for ganhando dinheiro com o trabalho, pagarei o senhor aos poucos.
Milena interveio:
— E você pretende ir trabalhar para os outros?
Meu pai está lhe oferecendo a chance de crescer e ser independente!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:27 am

— Eu não quero ser independente.
Aconteça o que acontecer, eu nunca irei embora daqui.
Esta é minha família!
Milena abraçou-a:
— Ser independente é ganhar o próprio dinheiro com o seu trabalho e isso é muito prazeroso.
É uma sensação de liberdade e prazer.
Você pode continuar morando aqui pelo resto da vida!
— Está resolvido.
Trate de procurar uma boa escola e começar a aprender! — tornou Gerson satisfeito.
Agora, vamos nos preparar para esta noite.
— O que vocês estão pensando em fazer? — indagou Milena.
Joana devolveu:
— O que você gostaria que fizéssemos?
— Um bom vinho e alguns petiscos será suficiente.
— Seria melhor fazermos um jantar! — interveio Joana.
— Ele disse que virá às nove.
É melhor que façam algo mais leve.
Nena abraçou Milena dizendo:
— Você é a noiva.
Vá descansar que nós resolveremos isso!
Eram nove e meia da noite, quando Reinaldo chegou.
Gerson recebeu-o satisfeito.
Enquanto Nena ia avisar Milena, Joana foi dar-lhe as boas-vindas.
Os olhos de Reinaldo brilharam quando Milena surgiu, linda em um vestido cor de prata, que destacava a perfeição de seu corpo.
Como único enfeite, ela usava os brincos de pequenas rosas vermelhas, que, para eles, tinham um significado especial e combinavam com a pele morena e o verde dos olhos da moça.
Reinaldo aproximou-se emocionado, beijou-a delicadamente nos lábios e elogiou:
— Você está linda!
Gerson e Joana se aproximaram, e, depois dos cumprimentos, Reinaldo fixou-os sério:
— Vim para conversar com vocês e marcar a data do nosso casamento.
— Milena nos contou.
Estamos à disposição.
Sente-se, por favor.
Gerson indicou-lhe o sofá.
Joana sentou-se ao lado de Milena, e Gerson acomodou-se na poltrona lateral.
— Esta noite, estou duplamente feliz.
Numa tarde, uma chuva inesperada e forte nos fez buscar abrigo em uma loja.
Ao olhar para Milena, senti, pela primeira vez na minha vida, que havia encontrado a mulher com a qual eu gostaria de ficar pelo resto de minha existência.
A vida tem seus caminhos, e tivemos de passar por momentos difíceis antes, para que pudéssemos ficar livres e conseguíssemos realizar nossos sonhos.
Joana sorriu e disse emocionada:
— Felizmente, deu tudo certo.
Agora, vocês poderão realizar o que desejam.
Nós estamos felizes, mesmo sabendo que Milena terá de deixar nossa casa.
Vamos nos lembrar sempre dos momentos felizes que vivemos juntos.
Nossa filha nos trouxe luz e deu sentido à nossa vida.
Estou certa de que vocês dois serão muito felizes.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:27 am

Os olhos de Reinaldo brilharam, quando ele respondeu emocionado:
— Tenho certeza disso.
Mas, apesar dos momentos de preocupação e insegurança que vivenciamos, sinto que fui presenteado pela vida, porque aprendi muito nesse período.
Reinaldo fez uma ligeira pausa e, vendo que todos o estavam ouvindo com atenção, continuou:
— Durante esses anos, em que trabalhei como médico, alguns pacientes me contaram suas experiências de quase morte, quando ficaram fora do corpo e visitaram outras dimensões do universo.
Eu ouvi muitos desses relatos, mas tinha dúvidas e resistia a acreditar neles.
Milena, com naturalidade, deu-me muitas provas da eternidade e da intervenção dos espíritos em nosso dia a dia.
Nos momentos difíceis, eles estiveram por perto, nos aconselhando a ter calma, nos prevenindo de alguns acontecimentos e nos envolvendo com energias de paz.
Joana não se conteve:
— Milena sempre teve essa ajuda.
Antes de nossa filha nascer, Gerson, apesar de ser trabalhador, estava desempregado.
Nossa vida, na época, estava difícil.
Quando Milena nasceu, tudo mudou.
Ele teve boas ideias, fez coisas que nunca tinha feito antes, e nossa vida mudou para melhor!
— É verdade! Quando ela era pequena, costumava ver e falar com os espíritos, e nós ficávamos preocupados com isso.
Fomos conversar com dona Áurea, e ela nos acalmou, falando sobre espiritualidade.
Depois disso, passamos a frequentar o centro.
Estudamos e aprendemos que a vida continua depois da morte e que somos eternos.
Milena interveio:
— Dona Áurea é uma mulher especial.
Quando eu entrei na adolescência, minha sensibilidade se abriu.
Eu não tinha comando ainda e muitas vezes era invadida por espíritos necessitados, que me pediam ajuda.
Por essa razão, eu sentia os problemas deles e ficava mal.
Minha mãe me levava ao centro todas as semanas para que eu passasse por um tratamento espiritual e aprendesse a lidar com as energias dos outros, que estão à nossa volta.
— Você era muito criança.
Eu ia junto, mas, aos poucos, você foi melhorando.
Recentemente, quando ficamos preocupados por não termos notícias suas, fomos várias vezes procurar dona Áurea, que se concentrava e nos dizia que estava tudo bem.
Ela nos pedia que, todas as noites, pensássemos em você, a mentalizássemos muito alegre e feliz, e mandássemos energias de amor e de paz.
Enquanto você estava fora, eu fazia isso todas as noites — tornou Joana.
— Antes de nossa filha nascer, quando Joana me contou que ela lhe aparecera durante o sono e dissera que se chamava Milena, eu tive a certeza de que Deus estava cuidando de nós.
Foi Ele quem me inspirou a fazer os primeiros sanduíches e deu tudo certo.
Depois, quando dona Áurea falava dos espíritos, eu sentia que era verdade.
Reinaldo não se conteve:
— Estou muito honrado e feliz por fazer parte de sua família.
Sempre que venho aqui, sinto-me acolhido, à vontade, como se essa fosse a minha casa.
Meus pais sempre moraram em São Paulo e são pessoas de bem.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:27 am

Têm uma empresa e sempre me proporcionaram uma vida boa.
Apoiaram-me, e eu pude estudar o que quis.
Sou grato a tudo que fizeram por mim, mas, para ser sincero, nunca senti que fazia parte da vida deles.
Minha maneira de pensar e de ver as coisas sempre foi muito diferente, mas eu respeito isso.
Eles, como eu, têm o direito de escolher como desejam viver.
Reinaldo ficou calado durante alguns segundos e, vendo que todos o ouviam com atenção, continuou:
— Eu sinto que meu caminho é outro.
Tenho um irmão de sangue, com o qual nunca me senti ligado.
Às vezes, eu tentava me aproximar dele, mas ele não correspondia e eu desisti.
Passei a manter com minha família um relacionamento respeitoso.
Se precisarem de algo, estou disposto a fazer o melhor que puder.
A emoção fez a voz de Reinaldo tremer um pouco, quando ele continuou:
— Mas foi aqui, com vocês, nesta família, que encontrei o que sempre desejei e nunca tive.
Tenho a certeza de que, para conseguir esse prémio, foi preciso saber primeiro que a vida continua, evoluir um pouco mais, entender e valorizar as coisas.
Assim, pude merecer uma vida melhor e estar com vocês.
Milena abraçou-o emocionada:
— Eu me recordo de que, no momento em que ia reencarnar, senti muito medo.
Pedi aos meus amigos espirituais que prorrogassem o prazo, porque eu precisaria estudar um pouco mais e preparar-me, para poder lidar com as energias do mundo e não fracassar.
Mas eles não aceitaram, e eu mergulhei naquele corpo e nasci.
Agora, no entanto, eu sinto que foi aqui, no aconchego dos meus pais e com o apoio dos amigos espirituais, que tudo aconteceu para melhor.
Milena ficou em silêncio durante alguns segundos.
Havia um brilho de alegria em seus olhos, quando ela continuou:
— Hoje, sou muito mais forte do que antes.
Sinto que a vida neste mundo pode ser muito boa, quando a pessoa se esforça para aprender e quando faz sua parte.
A vida dispõe tudo a nosso favor.
O passado foi esquecido, e temos uma página em branco para aprender coisas novas.
Ganhamos um cérebro virgem, no qual os pais introduzem os valores da vida.
Na adolescência, nós estudamos, melhoramos nossos conhecimentos, tomamos posições, vivenciamos experiências e descobrimos como a vida funciona.
Assim, vamos evoluindo cada dia mais.
A vida não erra e sempre faz tudo certo e para melhor.
Reinaldo beijou levemente a testa de Milena, dizendo:
— É por isso que me sinto tão bem em estar aqui.
Minha alma sente que suas palavras são verdadeiras, e estou disposto a cooperar para que juntos, e nos apoiando mutuamente, possamos desfrutar uma vida melhor, cheia de amor e paz.
Que tal marcarmos a data do nosso casamento para daqui a um mês?
— É muito pouco.
O cartório pede mais tempo.
Além disso, esse casamento precisa ser comemorado à altura.
Gostaria de fazer uma grande festa — explicou Gerson.
— Eu prefiro que, em nosso casamento, estejam presentes apenas a família e as pessoas que amamos.
Quero reunir nesse dia os que compartilham da nossa felicidade.
A amizade verdadeira é luz em nosso caminho — Milena tornou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:27 am

— Eu penso como você, Milena.
Amanhã mesmo o doutor Gilberto dará entrada nos papéis, e depois iremos visitar alguns imóveis e escolher onde vamos morar.
— Acha que dará tempo para tudo isso? — quis saber Joana.
Milena abraçou-a e sorriu dizendo:
— Prometo-lhe não ir morar muito longe daqui.
Gosto do nosso bairro.
Além do mais, não é muito distante do hospital onde Reinaldo trabalha.
O ambiente era agradável.
E, enquanto degustavam o vinho e os petiscos, eles continuaram conversando e fazendo planos para o futuro.
Nena observava a cena alegre, pensando nas coisas que faria para o casamento de Milena.
Ela já conhecia uma conceituada escola de culinária e, estimulada pela família, pensava em ir até lá para matricular-se.
Queria aprender a fazer algo para que pudesse homenagear Milena.
Cada um, com seus sonhos e receios diante das mudanças que aconteceriam na família, sugeria ideias, querendo encontrar o melhor caminho.
Passava da uma da manhã, quando Reinaldo, tendo programado algumas coisas para aquele dia, se despediu de todos.
Milena acompanhou-o até o jardim, e, de mãos dadas e felizes, os noivos programaram o que fariam dali para frente.
Estava difícil para Reinaldo despedir-se e ir embora.
Ele abraçou Milena e a beijou várias vezes.
Em seguida, disse emocionado:
— O tempo vai demorar a passar.
— Mas vai chegar o dia em que você nunca mais precisará ir embora.
Depois de trocarem mais alguns beijos, Milena disse:
— Você precisa ir, descansar.
Amanhã, retornarei ao trabalho, e, no fim de semana, teremos muitas coisas para fazer.
Custosamente, ele conseguiu deixá-la ir.
Assim que entrou em casa, Milena foi para o quarto.
Enquanto se preparava para dormir, ficou imaginando como seria sua vida ao lado de Reinaldo.
Estava calma, feliz e em paz.
Milena deitou-se e agradeceu a Deus por tê-la protegido e lhe dado a chance de realizar seus sonhos de felicidade.
A moça lembrou-se de Lauro e Josias, seus amigos espirituais, e agradeceu-lhes a protecção e o carinho.
Logo depois, adormeceu.
Os dois estavam lá, comovidos com a gratidão que ela manifestara.
Ambos elevaram o pensamento, sentindo o quanto a amavam.
Do peito de ambos saíam ondas de luz coloridas, que envolviam Milena, enquanto ela, nesse momento, deixava o corpo adormecido e ia abraçá-los com carinho.
Os três ficaram abraçados durante alguns segundos, e depois Lauro disse alegre:
— Lembra que você, na hora de nascer, queria desistir?
Se eu não fosse firme, você teria ido embora.
— Eu senti muito medo. O esquecimento e a força da matéria nos iludem, invertendo tudo.
Eu sei que morrer é voltar para casa, encontrar os amigos, os parentes, é uma festa.
Mas nascer, por incrível que pareça, é muito difícil.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:27 am

É complicado ter de mergulhar no corpo, esquecer tudo e ficar sem poder comandar as atitudes, viver na dependência dos pais por determinado tempo.
Há alguns que, na boa intenção, obrigam os filhos a fazerem tudo do jeito deles.
É aterrador.
Mas, agora, sinto que fui privilegiada por ter tido os melhores pais do mundo!
Sou feliz e agradeço a vocês por terem me empurrado no momento certo!
Os olhos de Lauro brilharam emocionados e ele convidou:
— Vamos dar uma volta, renovar nossas energias e sentir a grandeza da vida.
Milena, abraçada aos dois, atravessou a janela do quarto e juntos saíram volitando.
Ela sentiu no peito um prazer muito grande e uma alegria indescritível, enquanto olhava do alto as luzes da cidade adormecida.
As estrelas brilhavam no céu, e a lua cheia parecia acompanhá-los, mostrando-lhes a grandeza da vida e dizendo-lhes que a felicidade existe e pode ser conquistada, quando a alma assume o próprio caminho e faz a parte que lhe cabe, usando o poder do seu espírito para conquistar uma vida melhor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 10, 2016 11:28 am

ZIBIA GASPARETTO
Eu comigo!
“Toda forma de arte é expressão da alma.”
Zibia Gasparetto convida você a mergulhar no seu mundo interior.
Deixe os problemas de lado, esqueça o negativismo e libere o stresse do dia a dia.
Passeie por entre as figuras, inspire-se com cada mensagem e coloque cor em seu mundo.
Use suas tonalidades preferidas, libere o potencial criativo que existe dentro de você.
Eu comigo! é um livro para quem quer fugir da rotina e buscar aquela sensação de paz que a arte pode proporcionar.
Inspire sua alma com as frases de Zibia Gasparetto criadas especialmente para você e ricamente ilustradas com desenhos encantadores.
Bem-vindo ao seu mundo interior.

Contracapa

Ela Confiou na Vida
É mais difícil nascer do que morrer.
Morrer é voltar para casa, rever parentes e amigos.
Nascer é ter de esquecer tudo, enfrentar as energias do mundo, encarar problemas mal resolvidos do passado, desenvolver dons e aprender as leis da vida!
Embora tivesse se preparado para nascer, Milena sentiu medo, quis desistir, mas era sua hora, e seus amigos espirituais a mergulharam em um pequeno corpo preparado para ela.
No entanto, o futuro revelou toda a beleza de seu espírito e a força de sua luz.
É que, apesar do medo, ela confiou na vida.

Zíbia Gasparetto.

§.§.§- Ave sem Ninho
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74080
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum