Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Página 2 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 02, 2016 10:10 am

— Cruz-credo!
Depois dessa festa, Milena vai precisar ir ao centro para benzer o quebranto.
Joana pensou um pouco.
Ela ainda não se conformara em ver Milena conversando com espíritos.
Para ela, a alma dos mortos não podia falar com os vivos.
Depois que ela começara a levar a filha ao centro espírita, Milena, com o passar do tempo, deixara de mencionar os espíritos, e Joana ficara satisfeita.
No entanto, após completar treze anos, a jovem recomeçara a mencionar a presença dos espíritos, e Joana voltou a conversar com dona Áurea, pedindo-lhe que a impedisse.
Porém, Áurea não concordou:
— Não dá para evitar, Joana.
Essa é uma conquista do espírito dela.
— Estou com medo!
Gente que já morreu deve viver no outro mundo e ficar longe de nós!
Áurea fixou os olhos em Joana e respondeu:
— Milena não corre perigo, pois sabe lidar muito bem com essas energias.
Além disso, sua filha tem muita protecção dos espíritos superiores.
Você está insegura porque, além de não ver os espíritos, não consegue controlar esses fenómenos.
Mas eu lhe garanto que no estado dela é normal.
Milena fala com naturalidade.
Joana suspirou, pensou um pouco e depois disse:
— Eu ficaria muito sossegada se ela parasse de fazer essas coisas...
— Joana, você diz que tem fé, mas não acredita na protecção divina.
O medo acaba atraindo justamente o que você teme.
Pare de pensar no mal, para evitar que ele faça parte de sua vida.
— Deus me livre!
Eu só quero o bem de minha filha e de nossa família!
— Quando você duvida da bondade de Deus, mesmo depois de a vida lhe dar tantas coisas boas, está sendo ingrata.
Acha isso certo?
— Todos os dias, dona Áurea, eu agradeço a Deus por estarmos tão bem.
— Você diz isso, mas não faz.
Depois que Milena nasceu, a vida de vocês mudou.
Ela lhes despertou a força para trabalhar e melhorar de vida.
Sua filha chegou ao mundo acompanhada por espíritos bons, que os inspiraram com ideias novas e os apoiaram.
Vocês trabalharam, se esforçaram, e eles puderam auxiliá-los a progredir.
— Isso é verdade.
Nós trabalhamos muito para ter o que conseguimos.
Milena foi a nossa luz.
— Então, não alimente seus medos, se deseja que as coisas sejam cada vez melhores.
Depois da conversa que teve com Áurea, Joana tentou controlar o medo que tinha dos espíritos, quando Milena decidiu matricular-se na escola de médiuns do centro, aos catorze anos.
Ela não se opôs e decidiu acompanhar a filha.
Na primeira aula, Áurea colocou Milena ao redor da mesa e deixou Joana sentada na plateia.
O coração da mãe da jovem batia descompassado e ela sentia arrepios pelo corpo.
Joana colocou toda a sua atenção na filha, com a intenção de protegê-la.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 02, 2016 10:10 am

Depois da leitura de um trecho do Evangelho e de várias pessoas tomarem a palavra para comentar o tema, o grupo passou para a parte prática.
As luzes foram apagadas, ficando apenas acesa uma fraca luz vermelha.
Temerosa, Joana redobrou a atenção sobre a filha, mas uma sonolência a acometeu e ela começou a bocejar.
Em seguida, a cabeça de Joana pendeu e ela adormeceu.
Quando acenderam as luzes, Joana despertou assustada.
Olhando em volta, viu que algumas pessoas falavam sobre o que sentiram e que duas pessoas na plateia abraçavam Milena, comovidas porque o espírito que ela recebera havia atendido ao caso delas e sugerido a solução.
Admirada, Joana não entendia o que havia acontecido.
Acompanhara a filha na intenção de protegê-la, mas a preocupação, a penumbra, a música suave no ar fizeram-na ceder ao cansaço.
Joana, no entanto, não ia desistir.
Da próxima vez, ficaria mais atenta.
O facto, porém, voltou a acontecer nas semanas seguintes.
No fim de casa sessão, Joana acordava e, enquanto as pessoas comentavam os acontecimentos, muitos deles envolvendo o transe de Milena, ela não se conformava.
Depois da quinta semana, Joana não foi embora logo do centro.
Esperou uma oportunidade e aproximou-se de Áurea, que dava as aulas e no final ficava rodeada de pessoas.
Assim que Áurea se dispôs a ouvi-la, Joana contou o que estava acontecendo e finalizou:
— Às vezes, em casa, eu perco o sono pensando nas coisas que tenho de resolver, mas aqui eu tento ficar mais atenta e observar o que está acontecendo...
No entanto, dona Áurea, percebi que, assim que a luz se apaga, eu começo a bocejar e adormeço sem sentir.
Tento evitar que isso aconteça, mas não consigo e acordo envergonhada.
Parece que estou fazendo pouco caso da aula.
Tenho até vontade de não vir mais...
Áurea sorriu e perguntou:
— Como você tem se sentido em casa, durante a semana?
— Em casa, eu estou muito bem.
Gerson disse que estou mais alegre, porque me pega cantando enquanto estou fazendo meu serviço.
Mas eu quero saber o que acontece aqui.
As pessoas comentam, falam da Milena, mas eu não sei nada, não vejo nada...
Eu queria saber.
Os olhos de Áurea brilharam, quando ela respondeu:
— Talvez nossos amigos espirituais estejam querendo lhe mostrar que são competentes para controlar o que acontece aqui, aguardam pelo seu cochilo e aproveitam para levá-la para fora do corpo a fim de refazer suas energias.
Tenho acompanhado suas saídas do corpo.
Você passeia com eles, mas, ao voltar, esquece os lugares por onde andou.
Joana arregalou os olhos:
— Eu saio do corpo e fico voando por aí?
— É isso o que você faz quando dorme todas as noites.
De vez em quando, você não sonha que está passeando por outros lugares?
— Ah! Mas sonho é imaginação.
Não é de verdade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 02, 2016 10:10 am

— Há vários tipos de sonhos, Joana.
Daqui a alguns dias, vou dar uma aula sobre os sonhos.
O importante é que você esteja bem, pois Milena está melhor a cada dia.
Gerson aproximou-se:
— Joana sempre lhe dando trabalho.
De tanto ela falar, eu decidi vir assistir a uma aula dessas.
Gostei daquela história que Milena nos contou.
Só que a voz dela mudou, falava como homem.
Não sei como ela fez isso.
— Era o espírito de um homem quem estava falando por meio dela.
Milena estava sob o efeito das energias desse espírito.
Gerson olhou-a admirado e comentou:
— Gostei muito do que ele disse.
Isso me fez pensar em coisas boas, e eu me senti muito bem.
— Trata-se de um espírito muito esclarecido.
— Obrigado, dona Áurea.
A lanchonete dá muito trabalho, mas, quando eu puder, quero vir aqui mais vezes.
— Venha mesmo.
Obrigada pelo carinho.
O casal se despediu de Áurea e saiu.
Milena conversava do lado de fora do centro, trocando ideias sobre o tema de estudos da noite.
Vendo os pais chegarem, despediu-se do grupo e foi para casa.
Milena e Renata surgiram na copa.
Joana lembrou-se da festa e sorriu satisfeita:
— Vocês estão lindas!
— Mãe, está tudo bem?
— Sim. Logo os convidados chegarão!
Preciso me arrumar.
Milena sorriu e respondeu:
— Você tem que ficar muito linda!
Hoje é uma noite de comemoração!
Vamos cantar, dançar, celebrar.
— Isso mesmo — reforçou Renata sorrindo.
Vamos conversar com Bernardo e perguntar que músicas eles vão tocar.
Enquanto as duas jovens iam conversar com os amigos, Joana acompanhou-as com os olhos e notou o quanto Milena havia mudado nos últimos meses.
Ganhara altura, seu corpo tornara-se cheio de curvas e sua postura estava mais elegante.
Sua menina havia crescido.
Essa descoberta a intimidou um pouco.
A beleza pode ser uma faca de dois gumes.
Joana não se achava bonita e Gerson, seu marido, era um homem bom, mas comum.
Como eles haviam gerado uma moça tão linda?
Parecia-lhe um milagre.
Milena era alta, tinha corpo bem-feito, postura elegante, rosto moreno, cabelos castanhos e levemente ondulados, que lhe caíam pelos ombros, boca carnuda e grandes olhos verdes, que chamavam, desde pequenina, a atenção das pessoas.
No fundo, Joana preferia que a filha não fosse tão bonita.
Ela tinha medo da beleza física.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 02, 2016 10:10 am

Preferia que a filha não chamasse tanta atenção, principalmente dos homens.
De uns tempos para cá, Joana adoptou a postura que antes era do marido, ou seja, passou a ficar sempre em volta, protegendo a filha a tal ponto que Gerson teve de chamar sua atenção:
— Deixe a Milena fazer as coisas sozinha.
Nossa filha precisa aprender a lidar com a vida.
Pare de ficar sempre colada a ela.
— Você vivia atrás dela, vigiando seus passos.
— Percebi com os anos que não precisava me preocupar.
Milena é ajuizada, estudiosa.
Nunca nos deu preocupação.
— Mas tem muita opinião e só faz o que quer.
É muito nova, não tem maturidade, por isso tenho de ficar do lado dela.
— Isso acontece porque nós não tivemos mais filhos.
Eu bem que queria...
— Eu também.
Mas não vieram.
Joana olhou o relógio e tratou de subir para se arrumar.
Dentro de meia hora, os convidados começariam a chegar e eia precisava estar pronta.
Chegou apressada ao quarto e, lembrando-se das palavras da filha, caprichou no visual.
Queria que Milena se orgulhasse dela.
Por instantes, esqueceu seus medos e cuidou de fazer o melhor que podia para melhorar a aparência.
Quando terminou de arrumar-se, Joana sorriu satisfeita.
Estava certa de que a festa seria um sucesso.
Desceu pronta para receber os convidados.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Fev 02, 2016 10:10 am

Capítulo 4

Bernardo começara a tocar e, aos poucos, os convidados foram chegando, sendo recebidos por Milena e Renata, que os apresentavam a Gerson e Joana, que logo os deixavam à vontade.
A casa tinha duas salas grandes.
Em uma delas, os móveis foram retirados, restando apenas algumas cadeiras.
Os músicos foram acomodados em um canto, deixando espaço para os convidados dançarem.
Na outra sala, a mesa, que fora posicionada em um canto, estava arrumada com capricho e nela foram colocadas as comidas e as bebidas.
Gerson trouxera dois funcionários da lanchonete para servir os convidados e ele mesmo cuidava para que nada faltasse a todos.
Além de Zefa e João, havia mais dois casais com os quais Gerson e Joana mantinham relações de amizade.
Enquanto Bernardo alegrava os jovens tocando e cantando com entusiasmo, os mais velhos conversavam na outra sala.
Milena estava dançando com um colega, quando viu chegar à porta da sala um rapaz desconhecido.
Era alto, tinha pele morena, que contrastava com seus cabelos louros levemente ondulados, porte elegante.
Estava muito bem-vestido, e seus olhos se encontraram com os de Milena, que o fixou séria.
Sem desviar os olhos, o rapaz sorriu-lhe, mostrando seus dentes alvos e bem distribuídos.
— Com licença, preciso receber um convidado — disse ela ao parceiro de dança e encaminhou-se imediatamente na direcção do rapaz parado à porta.
Ao mesmo tempo, Renata chegou pelo lado oposto e abraçou o jovem sorrindo.
Voltando-se para Milena, Renata apresentou:
— Milena, este é meu primo Davi.
A voz de Milena estava um pouco trémula quando estendeu a mão ao rapaz dizendo:
— Seja bem-vindo.
Sem desviar os olhos, o rapaz apertou a mão que Milena lhe oferecia:
— Obrigado pelo convite.
Renata a admira muito.
Fala tanto de você que eu tinha muita vontade de conhecê-la.
— Ela deve ter exagerado.
Nós somos muito amigas.
— Renata é muito verdadeira em suas opiniões.
Não faz amizades com facilidade.
Joana surgiu trazendo um convidado, e Milena apressou-se a recebê-lo, estendendo-lhe a mão:
— Marcos! Que bom vê-lo!
Depois dos cumprimentos, Milena apontou Renata e disse:
— Você conhece a Renata?
— De vista. Como vai?
— Bem. Este é meu primo Davi.
Os rapazes apertaram as mãos.
— Vocês querem tomar alguma coisa?
— Mais tarde — respondeu Davi.
Marcos comentou:
— Gostei de sua mãe.
Fez-me lembrar de uma tia que mora no interior e de quem eu gosto muito.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:55 am

Os olhos de Milena brilharam quando disse:
— Ela é mãezona mesmo!
E, quanto a vocês, façam de conta que estão em casa!
Fiquem à vontade.
Joana chamou Milena para atender a um casal de jovens que acabava de chegar, e a jovem, então, apressou-se a recebê-los.
Eram amigos de Bernardo, e Milena abraçou-os satisfeita.
A festa estava animada e a presença de Davi e Marcos dera às duas amigas uma emoção maior.
Fazia tempo que Renata se sentia atraída por Marcos e, pela primeira vez, pôde ser-lhe apresentada.
Mais alguns convidados chegaram, e Milena circulou entre eles dando-lhes as boas-vindas e apresentando-os a seus pais.
Durante esse tempo, a jovem notou o olhar de Davi acompanhando seus passos e começou a sentir-se atraída por ele.
Davi e Marcos continuavam conversando com Renata e, assim que Milena voltou para junto deles, Davi, fixando-a, não lhe deu tempo para dizer nada.
Simplesmente colocou a mão no braço da jovem, convidando:
— Venha, vamos dançar essa!
Milena deixou-se conduzir prazerosamente por Davi, enquanto Marcos e Renata faziam o mesmo.
Com o rosto próximo ao de Renata, Marcos disse satisfeito:
— Eu adoro esta música.
Estava ansioso para dançar com você!
Renata sorriu e, com olhos brilhantes, concordou:
— Essa música é contagiante.
Não dá para ficar parado.
— Não foi bem isso o que eu quis dizer...
Há tempos, eu sentia vontade de conhecê-la melhor.
Estava apenas esperando uma oportunidade para isso.
Você deve ter notado meu interesse.
— Trocamos alguns olhares, mas, como você nunca se aproximou, esqueci o assunto.
Marcos afastou um pouco a cabeça, olhou Renata nos olhos e perguntou:
— Você é sempre assim? Difícil?
Um sorriso seu, e eu a teria abordado.
Renata sorriu e não respondeu.
Marcos aconchegou-a um pouco mais, e os dois entregaram-se ao prazer da dança.
Davi e Milena dançavam em silêncio.
Sentindo o calor do corpo da jovem e o delicioso perfume que vinha de seus cabelos, ele tinha vontade de beijá-la e a custo tentava controlar a emoção.
Milena, com o coração descompassado, sentia a respiração de Davi próxima de seu ouvido e desejava que a música não acabasse e que eles pudessem ficar assim para sempre.
Quando a música terminou, os quatro ficaram em silêncio, cada um sentindo as emoções do momento.
Milena e Renata haviam combinado de animar a festa e de dar atenção a todos os convidados, mas, depois daquela dança, ambas esqueceram tudo e continuaram o resto da festa com os dois rapazes.
Passava da uma da manhã, quando os convidados foram se despedindo e apenas os dois casais continuaram dançando.
Bernardo tocou um pouco mais e depois decidiu parar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:55 am

A festa acabara.
Enquanto guardavam os instrumentos, os músicos comentavam a festa e aproveitavam para comer um pouco mais.
Davi e Marcos, ao lado de Milena e Renata, conversavam com os rapazes e falavam de música.
Ao mesmo tempo, Joana, Gerson e seus auxiliares davam uma ordem na casa.
Passava das duas da manhã, quando Bernardo e seus irmãos resolveram ir embora.
Davi ofereceu-se para levar Renata e Marcos em casa, e todos se despediram dos anfitriões, agradecendo-lhes pela festa.
Milena acompanhou os amigos até o portão, e Davi beijou-a delicadamente na face:
— Está difícil ir embora.
Não vou esquecer essa noite.
Quero vê-la de novo, Milena.
— Podemos ser amigos.
Eu também gostaria de conhecê-lo melhor.
— Eu quero ser mais do que um amigo.
Acha que tenho chance?
Os lábios de Milena entreabriram-se em um doce sorriso:
— Acho que vale a pena experimentar.
— Nesse caso, pode esperar por notícias minhas em breve.
Depois que eles se foram, Milena entrou em casa. Gerson e Joana a esperavam.
A jovem abraçou os pais com carinho, agradecendo alegre:
— Obrigada por tudo que vocês fizeram por mim.
Por todo o carinho de sempre e pela festa dessa noite. Sou uma moça de muita sorte por ter vocês como pais.
Os três abraçaram-se felizes.
Eles não viram, mas, naquele momento, os espíritos de Josias e Lauro oravam com eles, derramando-lhes energias de luz e paz.
Depois, quando os três se preparavam para dormir, os dois espíritos, satisfeitos, elevaram-se, atravessaram as paredes da casa e desapareceram rumo ao infinito.
A partir daquela noite, Davi e Marcos, que se tornaram amigos, passaram a frequentar assiduamente tanto a casa de Milena quanto a de Renata.
Dava gosto ver os quatro estudando, conversando e saindo juntos para divertirem-se.
Joana gostava dos dois rapazes e via com bons olhos aquela amizade.
Gerson, por sua vez, estava sempre por perto, procurando ouvir o que os jovens conversavam e, embora percebesse que eram bons rapazes, notara o interesse de Davi, cujos olhos brilhavam sempre que fixava Milena.
Já Marcos, mais discreto, cativara sua confiança.
Milena queria ser advogada, e Renata preferia Letras.
A jovem sonhava em ser escritora.
Ambas decidiram, então, se unir para estudar, pois queriam prestar vestibular sem fazer o cursinho preparatório.
Davi já estava cursando o segundo ano de Direito e Marcos o primeiro de medicina.
Notando o esforço e a vontade de aprender das duas jovens, os dois rapazes dispuseram-se a auxiliá-las nos estudos.
As provas do fim do ano já haviam começado e, como todos estudavam durante o dia, à noite se reuniam na casa de Milena a fim de passarem as matérias juntos.
Davi já havia terminado as provas, mas Marcos ainda não.
Apesar das diferenças nas áreas de conhecimento, os jovens trocavam ideias com tal entrosamento, disposição e alegria, que se beneficiavam com aquelas reuniões.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:55 am

Estudar, para eles, tornara-se um prazer.
Renata, sempre muito criativa, costumava imaginar histórias envolvendo situações difíceis, a fim de que cada um encontrasse uma solução.
Milena ia mais fundo nesses assuntos, enquanto Marcos ouvia calado para só no fim dar sua opinião.
O ano acabou, as duas se formaram no colegial e, em seguida, prestaram vestibular conforme desejavam.
Renata recebeu o resultado das provas primeiro, e Milena, que prestara exame para duas faculdades, precisou esperar um pouco mais.
Ambas as amigas, no entanto, conseguiram passar.
Naquela noite, os quatro se reuniram com os pais de Milena para comemorar as aprovações no vestibular.
Gerson fez questão de abrir um champanhe e, com alegria, recebeu os dois rapazes que tanto haviam contribuído para aquela vitória.
Felizes, todos conversavam fazendo planos para o futuro.
Depois do brinde, os quatro sentaram-se na varanda.
Enquanto Marcos, entusiasmado, comentava o que aprendera no curso de medicina — e Renata o ouvia encantada —, Davi, voltando-se para Milena, disse:
— Eu escolhi fazer Direito por vocação.
Sonho poder contribuir para que a justiça seja feita sempre do jeito certo.
E você, o que a motivou a seguir essa carreira?
— Eu acredito que todas as pessoas desejam fazer coisas boas, ter sucesso, vencer na vida, mas têm dificuldade para encontrar o caminho verdadeiro.
Por isso, cometem erros, sofrem, demoram a encontrar a paz e a felicidade.
Eu sonho poder lhes mostrar como se faz isso.
Davi admirou-se:
— E você sabe como fazer isso?
— Eu sou espiritualista, Davi.
Acredito na eternidade do espírito e na reencarnação.
Essa é a minha maneira de ver a vida.
Nunca falei com você sobre o assunto, porque se trata de algo muito pessoal.
Davi ficou calado durante alguns segundos e depois disse:
— Nós nunca trocamos ideias sobre religião.
— Não falo sobre religião.
Falo sobre as experiências que tenho vivido desde meus primeiros anos.
— Você me surpreende!
— Por quê? Para mim tudo é natural!
Pensativo, Davi remexeu-se na cadeira e não respondeu.
Com a cabeça baixa, permaneceu em silêncio.
Milena levantou o rosto do rapaz, fixou os olhos nos dele e disse com voz suave:
— Eu vejo e falo com espíritos desde que era bem pequena.
— Por que nunca mencionou isso?
— Essa é a verdade da vida.
Para mim é natural.
Davi levantou-se, respirou fundo e disse sério:
— Eu não gosto de falar de gente morta.
Não gosto, fico mal.
Acho que vou para casa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:56 am

Milena fixou-o séria e respondeu:
— Sinto que chegou a hora de você conhecer como as coisas são, Davi.
Do que você tem medo?
— Não quero falar sobre isso.
Eu preciso ir...
Não estou me sentindo bem.
Davi levantou-se e saiu apressado, sem se despedir.
Marcos olhou admirado, e Renata perguntou:
— O que aconteceu?
Davi não está bem?
Os olhos de Milena estavam tristes, quando ela respondeu:
— É, ele não está bem.
Vamos mandar para Davi pensamentos de calma e bem-estar.
Vou entrar. Fiquem à vontade.
Renata levantou dizendo:
— Está na hora de eu ir embora.
Marcos vai me deixar em casa.
Os dois despediram-se, e Milena foi para o quarto.
Desde que conhecera Davi, ela nunca comentara o assunto com ele, porque sabia que a família do rapaz era muito católica e frequentava a igreja com assiduidade.
Embora gostasse muito de Davi, Milena sentia que não podia abdicar de seus projectos espirituais.
A jovem sentou-se na cama, elevou seu pensamento e pediu a Deus que a inspirasse a encontrar uma forma de auxiliar o rapaz.
Para ela, era confortador saber que a vida continua depois da morte do corpo e que reencarnamos na Terra várias vezes, a fim de aprendermos as verdades da vida e conquistarmos a sabedoria.
Milena não tinha dúvidas quanto a isso e sabia que, um dia, Davi seria forçado a tomar conhecimento dessa verdade.
Enquanto isso, ela continuaria a cuidar da própria vida e seguir adiante.
Durante os dias que se seguiram, Davi não apareceu.
E, depois de uma semana, Gerson comentou:
— Davi não tem vindo... Ele viajou?
— Não sei. Deve estar ocupado com os estudos.
— Imagino o que deve ser ler todos aqueles livros!
Acredito que seja estafante mesmo.
Joana, que estava perto, não interveio.
Ela notara que, na última visita, o rapaz saíra sem se despedir, o que não era habitual.
Quando se viu a sós com Milena, comentou:
— Davi não estava muito bem quando saiu daqui...
Nem se despediu. Será que ele está doente?
— Não, mãe. É que aconteceu o inevitável.
Contei a ele sobre minha mediunidade.
— Eu sabia que ele não ia aceitar, filha.
A mãe dele não sai da igreja.
A Zefa me contou que ela cuida da sacristia do padre José.
Você não devia ter contado nada.
— Eu estou muito feliz por conhecer a verdade da vida, mãe.
Um dia, ele terá de aprender o caminho.
Por ora, acredito que ele não vá aparecer por algum tempo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:56 am

Apenas lamento que ele pense assim.
Quanto a nós, vamos seguir nosso caminho, com a mesma alegria e paz.
Os olhos de Joana brilhavam quando fixou a filha e disse:
— Eu acredito em tudo que você diz.
Você me deu a prova antes de nascer.
Apareceu em sonho, linda, e pediu-me para que eu a chamasse de Milena.
Nunca vou esquecer esse sonho!
Milena abraçou a mãe com carinho e disse sorrindo:
— Sou muito feliz por ser sua filha e ter o melhor pai do mundo!
Nós não precisamos de mais nada para sermos felizes.
— Eu pensei que um dia vocês fossem se casar.
E, para ser sincera, tinha receio por causa de sua mediunidade.
Eles não aceitariam, filha, pois têm preconceitos.
— As pessoas são livres.
Cada um tem o direito de pensar e escolher como quer viver.
Nós temos de respeitar.
— Mas você sabe que é verdade e deveria tentar convencê-los.
Estaria fazendo um bem.
— Eu não posso me intrometer na vida dos outros, mãe.
Não tenho esse direito.
Só tenho o poder de cuidar de mim.
Essa é a minha obrigação.
Quanto às outras pessoas, estou certa de que a providência divina cuidará de todos na hora certa, do melhor jeito e com mais eficiência.
Nós não precisamos nos preocupar com isso.
— Você tem o dom de me acalmar.
Eu estava preocupada com Davi, mas já passou.
Milena abraçou Joana, deu-lhe um sonoro beijo na testa, e recomendou:
— Isso mesmo. Vamos ficar em paz.
Meia hora depois, Renata chegou à casa de Milena, e as duas foram conversar no quarto.
Assim que entraram no cómodo, Renata perguntou:
— Então, Davi deu notícias?
— Não. Nem sinal.
— E você, como está?
— Bem. Eu sempre soube que ele ainda tem preconceito.
— Que pena! Você gosta tanto dele!
— Continuo gostando.
Ele tem muitas qualidades, mas não vou mudar o que sinto só porque ele pensa diferente de mim.
Sei que, algum dia, Davi ainda chegará aonde tem de ir.
Quanto a mim, pretendo aproveitar muito bem esta chance que a vida me deu.
Vou estudar muito, quero me tornar a melhor jurista que conseguir ser e cuidar de minha carreira.
E pretendo realizar alguns projectos que tenho em mente quando me formar.
— Não está nem um pouco triste de ter terminado o relacionamento?
— Estou, mas entendo e respeito a maneira de Davi pensar e ser.
Nós temos posturas muito diferentes.
Não há como manter laços de amor e muito menos de amizade dessa forma.
Já seu namoro com Marcos está cada dia melhor!
Vocês se entendem e se amam.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:56 am

— É verdade. Marcos é um espírito do bem.
Vai ser um médico abnegado e presente.
Estou certa de que ele será um óptimo profissional.
— E um óptimo marido, gentil e amoroso!
— Estamos pensando em nos casar assim que ele se formar.
Eu gostaria que você e Davi também se casassem e fossem felizes.
É uma pena que ele tenha se afastado.
— Não lamente. Não vale a pena.
O que é meu está a caminho.
Eu confio na vida e estou disposta a me dedicar inteiramente aos projectos que desejo realizar e estou certa de que sairei vencedora.
Os olhos de Renata brilhavam quando ela fixou a amiga e disse:
— Eu admiro sua força e sua disposição, Milena.
Estou certa de que seus projectos serão realizados com sucesso.
Já eu tenho apenas a ambição de ser uma boa esposa para Marcos e ter uma família feliz.
É só isso que desejo!
Abraçadas, as duas continuaram conversando e trocando ideias para o futuro.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:56 am

Capítulo 5

No decorrer dos dias, Davi não apareceu mais na casa de Milena como era habitual.
Gerson estranhou a ausência do rapaz e comentou com a filha:
— Davi sumiu. Estará doente?
— Penso que não.
Ele deve estar ocupado com os estudos.
Joana, que estava do lado, fixou-os preocupada, mas não interveio.
Depois que Gerson saiu para o trabalho, ela foi ter com Milena e comentou:
— Eu ainda acho que Davi, apesar do preconceito que tem, vai voltar a procurá-la.
Ele parecia tão apaixonado!
— Ele não virá, mãe.
Por enquanto não tem condições de entender meu ponto de vista.
— Mas você gosta tanto dele...
— Gosto, mas sinto que ele ainda está muito ligado às opiniões dos outros.
Nossos caminhos não estão seguindo na mesma direcção.
— Como pode ter tanta certeza disso?
Milena pensou um pouco e depois respondeu:
— Eu sinto que ele não faz parte de minha vida, mãe.
— Tenho certa tristeza quando penso na atitude dele.
Milena abraçou Joana com carinho e respondeu com convicção:
— Pois eu não.
Quero viver minha vida com alegria, aprender, realizar coisas boas, aproveitar o tempo aqui.
Sabe, mãe, viver neste mundo é uma chance maravilhosa de progresso.
Eu sinto uma vontade muito grande de viver, progredir e me tornar uma pessoa melhor.
Foi isso que eu vim aprender aqui.
Os lábios de Joana entreabriram-se em um largo sorriso e ela disse:
— Você é a luz que Deus mandou para iluminar nossa vida, filha.
Todos os dias, eu agradeço a Ele por ter você bem perto.
Milena fez a mãe sentar-se no sofá, acomodou-se ao seu lado e, segurando a mão de Joana, começou a falar-lhe sobre os projectos que sonhava realizar no futuro.
Ela pretendia estudar com afinco as leis e aprofundar-se nos problemas humanos, a ponto de buscar novas ideias para encontrar saídas que favorecessem o progresso da sociedade.
Apesar de ainda não saber como faria isso, Milena sentia que precisava preparar-se e estudar muito para seguir esse caminho.
Embevecida, Joana ouvia a filha, sentindo que, um dia, Milena alcançaria o que queria e seria muito feliz.
As aulas começaram.
Milena dedicou-se com disposição aos estudos, passara em duas faculdades e, por coincidência, uma delas era a mesma em que Davi estudava.
A jovem optara por essa, porque a instituição era melhor avaliada em termos de qualidade de ensino.
Quando Joana soube que Milena frequentaria a mesma faculdade que Davi, perguntou logo:
— Você conversou com ele?
— Não, mãe.
Estudamos em períodos diferentes.
Ainda não nos encontramos.
— Ele não a procurou nem para cumprimentá-la?
— Ainda não o vi.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:56 am

— Estudando na mesma faculdade, uma hora vocês ainda vão se encontrar.
Milena sorriu e comentou:
— Pode ser, mas isso não me incomoda.
Já me entrosei com duas colegas de minha classe e, quanto aos rapazes, estou indo mais devagar.
Não tenho interesse em me envolver com ninguém.
Só vou me juntar com pessoas que queiram realmente estudar.
Vocês estão se esforçando para pagar a mensalidade, que é cara, por isso pretendo aprender o que puder.
O primeiro semestre na faculdade acabou, e Milena fez um balanço do que aprendera e sentiu--se um pouco decepcionada.
A jovem ainda não encontrara nos estudos os elementos e os assuntos de que gostaria.
Os trâmites legais, o âmbito judiciário, a prática complicada e burocrática que dificultava soluções efectivas e justas incomodavam-na.
Não era bem isso que ela esperava encontrar.
Tinha a impressão de que estava dando voltas sem sair do lugar.
Naquela noite, Milena recolheu-se pensativa e lembrou-se de dona Áurea.
Desde que prestara vestibular e iniciara o curso de Direito na faculdade, a jovem deixara de frequentar o centro e começou a sentir saudades das energias espirituais.
Milena acomodou-se na cama e fez uma oração comovida, sentindo saudades de algo que não sabia definir.
Aos poucos, foi relaxando até que finalmente adormeceu.
Pouco depois, a jovem levantou-se e olhou em volta.
Espantada, Milena viu seu corpo adormecido na cama e pensou:
“Para onde estou indo?”.
Nesse momento, ela viu um rosto conhecido e sorriu encantada:
— Lauro! Você veio!
Que saudade!
Ele a abraçou com alegria.
— Eu sempre estou por perto, conforme havia lhe prometido.
— Que bom! Você chegou em boa hora.
Estou confusa. Vamos conversar.
— Primeiro, vamos passear um pouco.
Você está precisando refazer suas energias.
Vamos visitar os amigos.
Lauro passou o braço em volta da cintura de Milena e os dois foram se elevando, passando através da parede do quarto e subindo um pouco mais.
Milena sentia uma energia gostosa no peito, que se expandia em alegria e bem-estar.
Feliz, ela exclamou:
— Que bom seria se eu pudesse ficar aqui para sempre!
— Ainda não é hora.
Você tem muito a fazer neste mundo!
Veja as luzes da cidade brilhando lá embaixo.
Esse é o seu mundo agora, Milena.
É nele que terá de viver e aprender.
Estar nesse planeta maravilhoso é um privilégio!
— Não sei... Estou insegura.
Escolhi uma carreira, mas tenho a sensação de ter me enganado.
Não era bem isso que eu queria.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:57 am

— Não tenha pressa.
Vá mais fundo nos assuntos e sinta o que cada um tem para lhe oferecer de melhor.
O que importa mesmo é encontrar os elementos que favorecem o progresso.
Afinal, essa é a finalidade da vida.
Para alcançar o que você deseja, é preciso ir além dos ensinamentos académicos.
É preciso sentir as necessidades de sua alma.
É aí que você descobrirá como conquistar seus objectivos.
— Estou me sentindo insegura para isso.
— Quando você valoriza mais a cultura e o conhecimento das academias do mundo, acaba entrando nas limitações humanas e se distanciando de seus conhecimentos espirituais.
Não nego que há muitas coisas boas e verdadeiras que a humanidade já aprendeu a valorizar, mas, estando mergulhado no mundo material, o espírito continua sujeito a iludir-se com facilidade, porque lhe parece que a vida física é mais objectiva e lhe dá a sensação de ser mais forte.
Lembre-se de que seu espírito vem de outras experiências ao longo do tempo e já vivenciou muitas coisas:
sofreu, aprendeu, viveu.
Sua alma sente e vai fundo em como as coisas são.
Não se deixe iludir.
Confie em seus sentimentos e vá além do que parece.
Você tem como fazer isso.
— Vou fazer o que você está sugerindo.
— Faça mesmo. Lembre-se de que o entusiasmo é fundamental para a conquista de seus objectivos.
Estamos chegando a Campos da Paz.
Nossos amigos estão nos esperando.
— Estou ansiosa para encontrá-los!
Na manhã seguinte, Milena acordou alegre e bem-disposta.
A jovem lembrou-se da presença de Lauro, do passeio que fizeram, e do regresso, quando ele a deixou em casa.
Ela sabia que visitara o lugar em que vivera antes de nascer e se sentia muito melhor, mais confiante.
Todas as suas dúvidas em relação aos estudos haviam desaparecido.
Milena apenas não conseguia recordar-se completamente do que acontecera durante o passeio, mas, apesar disso, levantou-se da cama disposta a assumir os estudos com entusiasmo.
A partir desse dia, a jovem mergulhou nos estudos e, embora estivesse sempre em dia com as matérias, procurava aprofundar-se em cada tema da aula, direccionando as questões e observando com atenção como as pessoas reagiam aos assuntos em pauta.
Ao avaliar cada um dos assuntos, Milena logo notava que, embora a verdade estivesse anotada de forma clara, cada pessoa, ao estudá-la, a interpretava do seu jeito e obtinha diferentes resultados.
A jovem percebeu que o nível de conhecimento de cada um fazia a diferença.
Os pensamentos da pessoa, suas crenças e a forma como ela enxergava a vida criavam os resultados.
Para Milena, era fácil perceber as ilusões das pessoas à sua volta, que eram indiferentes a coisas importantes que precisavam ser entendidas, a fim de que a vida pudesse fluir-lhes melhor, com mais proveito e alegria.
O que a jovem desejava de facto era poder encontrar uma forma de ensinar a quem estivesse pronto para aprender a conquistar bem-estar e usufruir de uma vida plena, que lhe proporcionasse meios de desenvolver seus dons em potenciais e valorizar sua estadia neste mundo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:57 am

Milena sentia alegria de viver.
Ela prestava atenção às belezas da vida e à perfeição da justiça divina, que respeita a liberdade individual, age de forma a oferecer a chance de cada um dirigir a própria vida, escolher como quer viver e criar o próprio destino.
A jovem valorizava a beleza da natureza, o prazer de criar coisas boas, produzir, testar capacidades, criar progresso e cooperar com a vida.
Nesses momentos, Milena sentia seu entusiasmo aumentar e uma vontade muito grande de aprender ainda mais e desenvolver um caminho prático que lhe mostrasse com naturalidade como as leis da vida funcionam.
E, quanto mais ela observava as circunstâncias e os fatos à sua volta, mais sentia que a vida poderia ser melhor, se fosse vivida com inteligência.
O poder da escolha é absoluto e o Ser cria o próprio destino.
Cada um é livre para escolher como deseja viver, mas colhe o resultado de suas escolhas.
Enquanto as verdades libertam, as ilusões trazem dor.
A reencarnação é um programa de libertação criado para promover a evolução do espírito.
Ao nascer na Terra, onde a matéria é mais densa, o espírito esquece o passado e, assim, ele pode ser reeducado pelos pais, aprender coisas novas e ir adiante.
Em seu subconsciente estão arquivados todos os acontecimentos, bons ou ruins, vivenciados anteriormente.
O que ele já aprendeu em outras vidas favorece para que dê um passo à frente, mas o que ainda não foi bem compreendido dificulta a realização de seus objectivos.
Milena percebia o quanto as pessoas se iludiam com as coisas do mundo e desvalorizam a própria vida, limitando suas faculdades espirituais e não desenvolvendo seus dons.
Reencarnando neste mundo, cuja cultura antiquada favorece o domínio dos mais fortes sobre os mais fracos, algumas religiões pregam o sofrimento como base de progresso, alegando que o Ser já nasce em pecado.
Indicam a autoflagelação como castigo e a obediência aos orientadores, para obter uma vida melhor, ocultando as belezas da alma, a força do espírito, criado à semelhança de Deus, e os dons que cada um precisa desenvolver para evoluir, se libertar e ser feliz.
Tais religiões julgam-se mais capazes, têm a pretensão de tornarem-se o caminho único por onde todas as pessoas deverão seguir se quiserem obter uma vida melhor, e isso não é verdade.
A vida, em sua sabedoria, tem condições de cuidar do progresso de todos.
O espírito de cada um tem dentro de si tudo de que precisa para assumir a própria vida e cuidar do próprio progresso.
A vida é muito rica em sua diversidade e não cria duas pessoas iguais.
Embora existam semelhanças, cada ser é único e possui algo diferente e um caminho que é só dele para evoluir.
Durante sua trajectória, é isso que ele procura e, quando o encontra, consegue ser mais feliz.
Milena percebia tudo isso quando se dedicava aos estudos, sempre direccionando os temas à acção.
A jovem sentia que só a vivência, a experiência, consegue mostrar a verdade das coisas.
Ela sonhava em desenvolver ideias que despertassem as pessoas e lhes mostrassem a verdade e sentia que a vida poderia ser muito melhor do que é, se cada um se interessasse em evoluir, observasse mais os acontecimentos em volta e acreditasse nas possibilidades de dirigir bem a própria vida e aprender a lidar com as leis naturais, que funcionam e promovem o progresso, permitindo que cada um siga como quiser, no seu ritmo, do jeito que escolher, arcando com os resultados e investindo na própria felicidade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:58 am

Com esses sentimentos na alma, Milena, mesmo se dedicando aos estudos, era alegre e não comentava com ninguém seus pensamentos íntimos.
Renata e Marcos gostavam de dançar e sempre convidavam Milena para ir ao clube, pois a jovem adorava dançar e divertia-se muito com o casal de amigos.
Ela era sempre muito assediada, mas evitava compromisso.
Renata, no auge do seu namoro, tendo por objectivo casar-se com Marcos depois que ele terminasse o curso, não entendia por que Milena não namorava ninguém.
Ela, no entanto, alegava que ainda não conhecera alguém que a interessasse.
Inteligente, Milena não precisava estudar muito para passar de ano na faculdade.
Alegre e falante, a moça sabia se expressar com clareza e era sempre convidada a dar sua opinião nas discussões não só pelos colegas como também pelos professores, que sempre lhe pediam para comentar os assuntos do dia.
O tempo foi passando.
Milena estava cursando o último ano de Direito, quando recebeu o convite de casamento de Renata e Marcos, que havia se formado no ano anterior.
Os dois estavam radiantes e fizeram questão de entregar o convite pessoalmente à amiga.
A conversa fluiu animada.
O casal falava da casa que o pai de Marcos comprara como presente de casamento, da festa, dos convidados, e do trabalho de Marcos, que fazia residência médica em um grande hospital.
Depois que os amigos se despediram, Milena acompanhou-os até a rua.
Gerson, então, aproximou-se de Joana, que estava na sala.
Vendo-o sentar-se ao seu lado, ela perguntou:
— O que foi?
Por que está com essa cara?
— Estava pensando no futuro de Milena.
Ela é uma moça bonita, só estuda, e até agora não teve um namorado.
— Ela só vai namorar quando se apaixonar.
Ela é muito verdadeira em relação a seus sentimentos.
— Apesar de nós termos trabalhado, melhorado de vida, dado a ela estudo e uma vida boa, nossa filha não tem ninguém.
A culpa é minha.
Eu sou negro, e as pessoas têm preconceito contra minha cor.
— Não acredito nisso, Gerson.
Aonde Milena vai, os rapazes se aproximam.
Dá para perceber que a admiram.
Você está enganado sobre isso.
— Apesar de fazer o meu melhor, de ser do bem, trabalhar com honestidade, sinto que algumas pessoas me desprezam.
Estou acostumado. Sempre notei isso.
Mas não quero que Milena sofra por minha causa.
Joana colocou a mão sobre a do marido, tentando acalmá-lo com carinho:
— Não se preocupe com isso!
Você é o melhor homem do mundo!
Todos os dias, eu agradeço a Deus por ter me casado com você!
Milena é uma filha adorável e nos ama de verdade.
Depois, ela é uma boa moça.
Tem sabedoria e veio nos trazer progresso, felicidade.
Ela sempre vai ter o melhor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:59 am

— É, foi depois que ela nasceu que nossa vida mudou.
Nossa filha nos trouxe progresso.
Só não quero que ela sofra.
Joana pensou um pouco e disse lentamente:
— Ela só vai passar pelo que for necessário para aprender.
Das lições da vida ninguém escapa.
— Pois eu não quero que ela sofra.
Estou aqui para fazer tudo para a felicidade dela, nem que eu tenha até de ir embora, sair de casa, para que ela possa ser feliz.
— Não diga besteira.
Milena nunca aceitaria isso.
Nós vamos continuar do lado dela e, ela vai ser muito feliz.
Gerson não respondeu e se afastou pensativo.
Pouco depois, Milena aproximou-se da mãe comentando alegre:
— Eles estavam tão felizes!
Esse é um casamento que vai dar muito certo!
Pensativa, Joana não respondeu logo, e Milena perguntou, intrigada:
— O que foi, mãe? Está tão calada!
Aconteceu alguma coisa?
— Não. Estou pensando em você.
Até agora não namorou ninguém.
Toda moça sonha em ter um amor, filha.
Você não sonha com isso?
Milena sorriu e respondeu:
— É que ainda não aconteceu.
Mas sei que, quando chegar o momento, vai aparecer a pessoa certa, que me fará feliz.
É o que vale a pena.
— Você tem ido a festas, se divertido, mantém amizade com colegas da faculdade...
Nunca se interessou por nenhum deles?
— O que é meu está a caminho, mãe.
Ainda não chegou.
— Não estará sendo muito exigente?
Milena sacudiu a cabeça negativamente:
— Não se preocupe com isso.
As coisas têm o tempo certo para acontecer.
No momento, tenho outras prioridades.
Quero me formar, organizar minha vida e fazer as coisas do meu jeito.
Prometo que, quando acontecer, você será a primeira a saber de tudo.
Milena aproximou-se, deu um sonoro beijo na face de Joana e subiu as escadas em direcção ao seu quarto.
Gerson, que ouvira a conversa, aproximou-se de Joana, que, ao vê-lo, disse logo:
— Viu? É ela que não quer namorar ainda.
É você quem tem complexo por causa de sua cor.
A cor da pele é apenas uma questão de raça, não tem nada a ver com carácter, Gerson.
— Você me ama como eu sou, mas a maioria das pessoas tem preconceito.
— Bobagem.
Eu vejo que até os mulatos ficam querendo ser mais claros e chegam a se julgar melhores do que os negros, só porque têm a pele um pouco mais clara do que os outros.
O valor das pessoas está no que são e em como elas levam a vida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:59 am

O resto é ilusão.
Eu não trocaria você por ninguém.
É o amor da minha vida e me faz muito feliz.
Gerson abraçou a esposa com carinho e não disse nada.
Sua experiência de vida lhe mostrara que nem todos pensavam como Joana.
Ele depositou um beijo na testa da esposa e depois comentou emocionado:
— Eu fui abençoado por ter uma mulher como você!
Joana riu e considerou:
— Você é o homem que escolhi para amar e eu só escolho o melhor!
Esqueça os preconceituosos.
Uma noite, no centro, dona Áurea contou a história de um homem que era muito preconceituoso e que dizia que negro não tinha alma.
Quando ele morreu, acordou no outro mundo, cercado por espíritos de alguns negros que vieram pedir-lhe contas.
Para poder vencer o preconceito e se libertar, ele precisou nascer na raça que ele tanto criticava, para aprender tudo que ela lhe dá de bom.
Cada raça humana tem seu caminho, sua cultura, sua força.
Todas as raças são necessárias e servem a um propósito da vida e são de Deus.
Eu adorei essa história.
— Dona Áurea é uma mulher muito sábia.
Ela deve estar certa.
— Está mesmo.
Há negros que têm mais preconceito que os brancos.
Tome cuidado para não se machucar.
Tudo que você condena, sem conhecer a verdade, terá de experimentar para aprender como é.
— Ela disse isso mesmo?
— Disse. E eu senti que é mesmo verdade.
— Deve ser. Ela é muito sábia.
Milena apareceu na sala e comentou:
— A conversa de vocês estava muito boa.
Ouvi uma parte e gostei.
Estou com saudades de dona Áurea.
Por causa dos exames na faculdade, faz algum tempo que não vou a centro.
— Falta muito para terminar?
— Não. Falta o último exame, que farei amanhã.
Se passar, terminarei o curso.
Gerson perguntou ansioso:
— Acha que vai passar?
— Espero que sim.
Joana interveio:
— Milena nunca repetiu o ano.
Ela é inteligente e gosta de estudar.
Claro que ela vai passar.
— Se der tudo certo, nós três iremos juntos ao centro agradecer a Deus pelo progresso — programou Gerson com satisfação.
Joana levantou-se dizendo:
— Vou ver como está o jantar.
Você vai continuar a estudar hoje?
— Não. Pretendo descansar e relaxar para conseguir ficar bem.
Joana foi à cozinha, onde Nena arrumava a mesa para o jantar, e voltou em seguida dizendo alegre:
— O jantar já vai ser servido.
Pouco depois, os três, abraçados, foram para a copa, onde as travessas já estavam sendo dispostas sobre a mesa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:59 am

Capítulo 6

Milena levantou-se apressada da cama e foi directo para o banho.
Era seu primeiro dia de trabalho, e ela não queria atrasar-se.
Na noite anterior, havia separado a roupa que achava adequada para desempenhar as funções pelas quais fora contratada.
O escritório do doutor Gilberto Torquato, conceituado advogado criminalista, ficara famoso por defender uma mulher da alta sociedade que, tendo sido traída, dera dois tiros no marido.
Ele foi socorrido, mas morreu dois dias depois.
O caso fora muito comentado.
No dia do julgamento, ela, que estava sentada no banco dos réus, abatida e triste, era a imagem da dor.
Ao fazer a defesa, doutor Gilberto pôde mostrar seus dons de oratória, descrevendo o sofrimento da cliente.
Colocando-a como vítima do caso, ele conseguiu que a mulher fosse absolvida.
A peça de sua defesa foi considerada magistral.
Novos casos, então, surgiram, e ele contratou mais dois advogados para auxiliá-lo.
Milena estava feliz por conseguir esse emprego.
Como estava começando na profissão, sabia que seria mais uma pessoa de recados dos três advogados e que não teria autonomia.
No entanto, ela não se importava.
O que Milena queria mesmo era entrar nesse meio, aprender como lidar com as situações e continuar estudando para decidir o próprio futuro.
Quando disse aos pais que escolhera trabalhar com advogados criminalistas, eles não gostaram.
Milena era doce, alegre, delicada, e seus pais temiam que a jovem se arrependesse da decisão.
Durante anos, morando na comunidade, onde havia de tudo e os marginais misturavam-se às famílias pacatas, não aprovaram a escolha.
Gerson conversou com a filha, tentando demovê-la de seguir aquela carreira, mas, mesmo diante das ponderações do pai, Milena não cedeu.
Como ele insistia, a jovem respondeu firme:
— Pai, eu quero trabalhar nessa área, entender como as pessoas pensam, como elas vêem as coisas, e entender por que, podendo escolher uma vida boa, de trabalho e progresso, alguns indivíduos preferem ir pela maldade, apesar do sofrimento que terão de enfrentar.
Que ilusões elas têm, a ponto de inverterem as coisas de tal forma e não enxergarem que o mal só conduz ao sofrimento?
Gerson ainda tentou demovê-la, porém Milena estava segura do que queria.
Inconformado, ele foi queixar-se com Joana, que, mesmo não aprovando o que a filha queria, foi mais ponderada:
— Milena é ainda muito jovem.
Está cheia de sonhos.
Vamos ver o que ela vai pensar quando tiver de enfrentar a verdade e defrontar-se com a perversidade de algumas pessoas.
Ela não vai se adaptar. Você vai ver.
Logo, nossa filha mudará a forma de pensar.
— Você acha mesmo?
— Claro. Ela não vai se sentir bem nesse meio.
— Mesmo assim, estou preocupado.
Vou ao centro falar com dona Áurea.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Fev 03, 2016 11:59 am

— É uma boa ideia.
Milena tem ido ao centro com frequência.
Na terça-feira, fui com ela.
Dona Áurea pediu que nossa filha fizesse a palestra da noite, e você precisava ver o que ela fez.
Falou um tempão, e as pessoas se comoveram e, no fim, foram abraçá-la.
Eu me emocionei. Nossa filha tem o dom da palavra.
— Eu não entendo por que ela decidiu trabalhar com esses advogados.
— Eu confio nela.
Milena só faz o que é bom.
Milena acabou de se arrumar e desceu para o café.
Estava elegante, mas discreta.
Gerson preparava-se para falar com ela sobre o trabalho, mas Joana fez-lhe sinal para que se calasse.
Enquanto Milena se alimentava, Joana disse num tom alegre:
— Hoje, eu acordei e pedi a Deus que abençoasse seu primeiro dia de trabalho.
Vai dar tudo certo. Você vai ver.
— Obrigada, mãe.
Vou me esforçar para isso.
Depois que Milena terminou o café, os dois a acompanharam até a porta e se despediram.
Conforme Milena previra, aconteceu.
A secretária indicou-lhe a mesa onde ela deveria trabalhar e explicou-lhe algumas coisas que seriam da responsabilidade da jovem.
O mais importante era acompanhar os processos e fazer anotações de tudo.
Disposta a aprender o que pudesse, Milena dedicou-se inteiramente ao trabalho.
Discreta, simples, mas observadora e atenta aos detalhes de cada caso, depois de uma semana a jovem já estava sendo disputada pelos três advogados.
É que ela fazia anotações muito claras e pertinentes sobre cada processo que acompanhava.
Apesar de doutor Gilberto ser criminalista, o escritório também actuava em outras áreas.
Ao acompanhar cada processo, Milena lia as informações anteriores e também apresentava sua opinião sobre os casos.
É que, ao mergulhar nos processos, ela sentia as emoções, via algumas cenas dos casos e percebia o nível de conhecimento de cada um.
Depois que começara a fazer esse trabalho, sua sensibilidade se abrira ainda mais.
Milena continuava indo ao centro de dona Áurea assistir às aulas sobre espiritualidade, mas, muitas vezes, era ela quem se levantava e falava sobre o assunto, emocionando as pessoas, fazendo-as entender mais sobre a vida, ensinando-lhes o que fazer para manter a paz e construir uma vida melhor.
Áurea tinha um carinho especial por Milena e sentia que o espírito da jovem era esclarecido e estava sendo orientado por espíritos muito elevados e interessados pelo progresso de todos.
Por esse motivo, quando Gerson se preocupava com a profissão da filha, Áurea o tranquilizava.
Doutor Gilberto logo notou que havia contratado uma pessoa sensível, dedicada e que, apesar de jovem, tinha clareza de ideias.
Milena era uma funcionária na qual ele podia confiar.
Seis meses depois, notando que os outros dois advogados estavam disputando a ajuda da jovem, ele interveio.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Fev 04, 2016 10:50 am

Ele sentia que Milena, conforme adquirisse mais experiência e prática, se tornaria uma grande advogada.
Sendo assim, uma tarde, quando a jovem chegou ao escritório, doutor Gilberto chamou-a para conversar em sua sala.
O advogado pediu que ela se sentasse diante de sua mesa, acomodou-se, fixou-a e disse:
— Faz seis meses que eu a contratei, Milena.
Durante esse tempo, pude avaliar seu trabalho e penso que chegou o momento de dar um passo à frente.
Milena fixou-o séria:
— O que o senhor tem para me dizer?
— Antes, preciso saber:
o que você espera do seu futuro?
— Estudei Direito para entender um pouco mais sobre como as coisas funcionam, mas, para ser sincera, não encontrei nas leis da justiça humana o que eu esperava.
O que me move são as leis divinas, que regem a vida.
Elas, sim, mantêm a ordem no universo e as coisas funcionando.
Sinto que há um poder maior gerindo tudo, colocando cada pessoa e cada coisa em seu lugar.
— Você acha que isso é possível?
— Tenho certeza disso.
— A maldade anda solta e olhando em volta.
Dá para perceber que, a cada dia, o mundo está ficando pior.
— Por enquanto, a ignorância da maioria das pessoas as impede de perceber a perfeição da natureza.
Mas, já existem neste mundo pessoas que valorizam a vida, percebem a grandeza do universo e se comovem com a beleza e a luz que há neste planeta cheio de sol, de estrelas, de pássaros e de flores.
E o que dizer da inteligência do corpo humano?
Instrumento perfeito para que nosso espírito possa transitar neste mundo.
Tão perfeito que, mesmo quando alguém o agride, o machuca, ele se recompõe e nos mostra sua perfeição.
Enquanto o doutor olha as mazelas da ignorância do ser imaturo, eu prefiro olhar a beleza e agradecer a chance de poder estagiar neste mundo, para aprender a lidar com as coisas, melhorar meu senso de realidade e poder me guiar pela inteligência.
Doutor Gilberto fixou-a pensativo e não respondeu de imediato.
Havia um brilho diferente nos olhos de Milena, que o impressionou.
— Eu quero enxergar mais essa força, essa luz.
Sinto que há outras possibilidades de criar uma sociedade melhor, mais produtiva e feliz.
Quero descobrir o caminho.
O advogado meneou a cabeça negativamente:
— Olhando em volta, não consigo ver essa possibilidade.
A voz de Milena estava um tanto modificada quando respondeu:
— Pois eu vim de um lugar onde a vida é organizada, as pessoas são optimistas e o amor é a força que as move, aconteça o que lhes acontecer.
— Você ainda é muito jovem, está se deixando levar por suas ilusões.
Na juventude, eu também estava cheio de ilusões e tive a pretensão de salvar o mundo.
Mas, a verdade é que, no correr do tempo, todas elas foram desaparecendo.
Você está começando na profissão e não terá sucesso com essas ideias, Milena.
Talvez até acabe desistindo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Fev 04, 2016 10:50 am

— Sei que as pessoas demoram para aceitar as mudanças que a vida lhes pede.
Temem as novidades, conformam-se com o pouco e resistem ao novo.
Mas, apesar disso, a evolução da sociedade vem se processando através dos anos.
Para perceber isso, basta olhar para trás.
— Não vejo assim.
A maldade continua agindo.
A violência e a desonestidade fazem novas vítimas todos os dias.
— Ninguém é vítima a não ser de si mesmo.
Cada um escolhe livremente como quer viver, mas colhe o resultado de suas escolhas.
É simples entender isso:
todo bem faz bem e todo mal faz mal.
A pessoa escolhe onde quer ficar.
— Essa é uma forma simplista de ver as coisas.
O bem e o mal são conceitos que cada um entende como lhe convém.
As pessoas só olham o que lhes favorece.
— Concordo. Elas são limitadas, e o conceito só é bom quando a pessoa já conquistou a sabedoria.
Mas as leis divinas, que regem o universo, não falham.
Elas trabalham pela evolução do Ser.
— Você é idealista. Vamos ver com o tempo, como vai reagir.
Chamei-a para esta conversa porque notei seu empenho, sua boa vontade.
Sinto que, se for bem orientada, poderá se tornar uma excelente profissional.
Em nosso escritório, sinto falta de ter uma mulher para atender determinados casos.
Mas é um pouco cedo para pensar nisso, pois você é ainda muito jovem.
— A idade não reflecte o amadurecimento.
São as atitudes que mostram a capacidade de cada um.
Doutor Gilberto sorriu e comentou:
— Não nego que você tem sagacidade.
Pensamento ágil, opinião própria.
A partir de hoje, você vai ficar sob minha supervisão.
Quero orientar seu trabalho.
Milena ficou em silêncio durante alguns segundos, depois sorriu levemente e considerou:
— Doutor Gilberto, é uma honra saber que o senhor quer me ensinar, mas devo esclarecer-lhe que funciono melhor quando entendo bem a parte que me cabe.
Se tiver alguma dúvida, vou questioná-lo.
— Eu já havia notado esse seu lado.
Eu também gosto de ser claro.
Em pouco tempo, você vai me entender até pelo pensamento.
Não consigo trabalhar com gente lenta.
Amanhã, às nove, a espero em minha sala para lhe passar algumas providências. Seja pontual.
— Obrigada, doutor Gilberto. Serei pontual.
Quando Milena deixou a sala, os dois advogados tomavam café e conversavam animados.
Vendo-a, doutor Mário aproximou-se com uma pasta e comunicou:
— Amanhã, logo cedo, você terá de levar estes contractos ao doutor Rodrigues.
São muito importantes, e você terá de entregá-los pessoalmente.
— O doutor Gilberto quer que eu faça um serviço para ele às nove da manhã, doutor Mário.
É melhor conversar com ele.
— Estes contractos são urgentes.
Vou falar com ele agora mesmo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Fev 04, 2016 10:50 am

O expediente estava encerrado, e, enquanto esperava um posicionamento, Milena aproveitou para ir ao toalete.
Pouco depois, ao voltar para sua sala, viu que doutor Mário já estava em sua mesa.
Ao fixá-lo, ela sentiu uma energia ruim e, tentando não absorvê-la, aproximou-se:
— O senhor conversou com o doutor Gilberto?
Doutor Mário respondeu irritado:
— Ele agora resolveu dificultar as coisas para nós.
Quer que você só trabalhe para ele.
— Ele é o chefe, e eu estou aqui para trabalhar.
— Ele pensa que sabe mais do que todos nós!
Tem o rei na barriga!
Milena apanhou a bolsa e disse calma:
— Boa noite, doutor.
Milena deu a volta e foi para casa.
Durante o trajecto, sentiu que energias desagradáveis continuavam incomodando-a.
Sentia arrepios, as pernas pesadas e o estômago enjoado.
Respirou fundo e esforçou-se para mandá-las embora.
Insistiu até que teve certo alívio e lembrou-se de que era noite de ir ao centro.
Ela e Renata estavam fazendo estudos sobre a abertura da sensibilidade, tendo aulas teóricas e práticas, ministradas por dona Áurea.
Renata chegou e Milena já estava pronta.
Apesar de ter melhorado, ainda sentia certo enjoo e, por isso, não quis comer nada antes de sair.
Quando ela ia ao centro, Joana preparava-lhe uma comida mais leve.
Nesse dia, ela insistiu para que a filha se alimentasse, mas Milena não quis.
As duas amigas chegaram ao centro meia hora antes do início da aula.
Milena parou diante da porta da sala de dona Áurea e pediu a Renata:
— Pode ir para a sala de aula.
Quero conversar um pouco com dona Áurea.
Milena bateu levemente na porta, e Áurea levantou-se para abraçá-la.
Depois, ela indagou:
— O que aconteceu?
Em poucas palavras, Milena contou para Áurea o que havia acontecido no trabalho e finalizou:
— Ao conversar com o doutor Mário, fui envolvida por energias muito pesadas.
Fiquei mal. Tentei mandá-las embora, aliviou um pouco, mas ainda sinto certo enjoo.
Por que não consegui ficar bem?
— Você fez o que sabia, mas estava diante de alguém que não tem pensamentos elevados e que está rodeado de espíritos que lhe são afins.
As energias desse senhor são pesadas e atraem os que pensam como ele.
— Como lidar com isso?
— Você precisa aprender a gerenciar seus pensamentos, Milena.
Ao abraçar uma pessoa, ou até conversar com ela, saiba que há uma troca de energias, cujo teor reflecte os pensamentos que ela tem.
Isso pode ocorrer até a distância.
Ao pensar em alguém, você está ligando-se a essa pessoa e trocando energias com ela.
Às vezes, quando você se lembra de alguém que não vê há certo tempo, em seguida ela aparece, ou lhe telefona.
Essa pessoa pensou em falar com você e se conectou.
É muito comum. As pessoas se ligam por meio do pensamento.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Fev 04, 2016 10:50 am

— Eu quero ficar bem e não me ligar com pessoas maldosas.
— Para isso, você precisa aprender a tomar conta dos seus pensamentos.
O verdadeiro bem deixa bem.
Mas o mal tem muitas caras, e as pessoas iludem-se ao tratar com as energias do dia a dia.
— Para mim, o mal é o mal.
— Como é que você reconhece a diferença?
— Pelo teor das energias.
O bem nos deixa bem.
Já o mal pesa e nos deixa mal.
— Isso mesmo.
Você já tem sensibilidade para entender essa diferença, mas muitos ainda se iludem com as aparências.
Olham através das conveniências, se esforçam para parecer melhores do que são, sem se importarem com a qualidade do seu mundo íntimo.
Só vêem o mundo físico, não acreditam na eternidade do espírito, fazem tudo para impressionar, ter fama, conquistar a glória e vencer, seja a que preço for.
A hipnose do mundo é uma força a que todos nós nos submetemos ao reencarnar na Terra.
É preciso fortalecer o espírito e ser verdadeiro em relação a seus sentimentos.
Não aceitar o mal, manter pensamentos positivos, conquistar a paz, desenvolver nossos dons, que estão latentes, e alcançar a sabedoria.
Essa é a nossa trajectória de evolução.
— Isso me parece muito difícil!
Áurea sorriu alegre e respondeu:
— Não se preocupe, minha querida!
Ninguém nos está exigindo nada.
Cada um pode ir no ritmo que quiser, escolher como quer viver, experimentar novos modelos, viver, aprender.
Mas, leve o tempo que levar, é bom saber que temos toda a eternidade pela frente.
Milena ficou em silêncio durante alguns segundos e depois tornou séria:
— Pois vou fazer tudo para aproveitar essa chance.
Adoro a natureza, gosto de viver aqui, tenho uma família que me ama e que eu adoro.
Quero ficar aqui o mais que puder, sempre com alegria e muita paz.
Obrigada por ter me ensinado tanto.
Milena levantou-se, e Áurea abraçou-a comovida, sentindo a beleza daquela alma, que espalhava luz por onde passava.
Ela firmou intimamente o propósito de cuidar daquela jovem com muito carinho, ensinar-lhe tudo que sabia sobre a vida espiritual, a fim de que ela conseguisse progredir e realizar o que veio buscar nesta encarnação.
Sorrindo satisfeita, Áurea respondeu:
— Muitas coisas a esperam em sua caminhada, Milena.
Você sabe o que quer.
Estou certa de que vencerá todos os desafios do caminho.
Não tenha medo de nada.
Confie na vida e siga adiante.
— Obrigada pela ajuda, dona Áurea.
— Venha sempre que quiser.
Áurea abraçou novamente Milena com carinho.
Ao sair, todo mal-estar que a [ovem sentia havia desaparecido.
Satisfeita, ela procurou a sala de reuniões.
A luz estava apagando-se, e Milena apressou-se a tomar assento no lugar habitual.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Fev 04, 2016 10:50 am

Capítulo 7

Milena olhou o céu e apressou o passo.
A chuva ia despencar, e ela procurou abrigar-se em uma loja de roupas, enquanto os pingos da chuva começavam a cair, lavando a poeira da rua.
Apesar da rapidez com que se abrigou na loja, Milena não conseguiu impedir que a chuva molhasse seus cabelos e a água escorresse por seu rosto.
Uma balconista correu para abaixar um pouco a porta, a fim de preservar os clientes que estavam ali.
Era uma jovem alta, morena, de olhos negros, boca carnuda, sorriso fácil, que, vendo Milena passar a mão pelos cabelos molhados, se apressou a oferecer-lhe um lenço para que os enxugasse.
Milena aceitou a delicadeza, sorriu e agradeceu.
A chuva continuava forte, e ela aproximou-se de um balcão de vidro e encantou-se com algumas bijuterias.
Um brinco em pingente, com pequenas rosas vermelhas na ponta, interessou-a.
A balconista aproximou-se, dizendo:
— Esses brincos são lindos mesmo — tirou-os da vitrine, aproximou um deles da orelha de Milena e continuou:
— Experimente. Foram feitos para você!
Milena segurou os brincos, e a vendedora aproximou o espelho enquanto ela os colocava, exclamando alegre em seguida:
— Ficou lindo em você! Veja!
Olhando para o brinco na orelha, Milena gostou do que viu, mas o preço pareceu-lhe muito alto.
Depois de olhar mais alguns instantes, devolveu--os dizendo:
— Gostei muito, mas não vou levar. Está acima de minhas posses.
— Essa peça é muito fina, é uma jóia!
Meu nome é Flávia.
Vou conversar com a gerente e ver se consigo um abatimento no preço.
Milena olhou-se mais um pouco no espelho, pensou um pouco e decidiu:
— Mesmo assim. Penso que está acima do que posso pagar.
A jovem devolveu os brincos à vendedora e voltou-se à porta com a intenção de ver se a chuva havia parado.
O chão da loja estava molhado, e Milena perdeu o equilíbrio e teria caído se um braço forte não a tivesse segurado pela cintura.
Ela não conseguiu evitar uma exclamação de susto.
Diante dela, estava um rapaz alto, de rosto claro, cabelos cor de mel, que a olhava sério, enquanto ela, acanhada, tentava acalmar-se.
Ele fixou os olhos nela e perguntou:
— Está tudo bem?
— Está. Obrigada pela ajuda.
Milena recobrou a postura, ajeitou a roupa e fixou-o.
Ele, por sua vez, considerou:
— Tem certeza de que não se machucou?
— Tenho. Não foi nada.
Está tudo bem.
— Está sentindo alguma dor?
— Um pouco no tornozelo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 71967
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lucius - Ela Confiou na Vida / Zibia Gasparetto

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum