A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:40 am

Maryanne e o show da vida

Com o passar do tempo, Maryanne ficou impaciente.
— E então, o que é que vai acontecer agora?
Em pé, com os braços cruzados de encontro ao peito, ela estava ansiosa para começar algo novo.
— Onde que tá o Menino Jesus e todas aquelas coisas sobre o rio Jordão, Bob?
Você tá escondendo algo de mim?
Ela estava brincando, mas até que o rio Jordão era um bom começo.
— Tudo bem, hoje vamos tentar atravessar aquele rio.
Isso era algo bem ambicioso para ser dito num bate-papo informal, mas eu achava que ela estava preparada.
Iríamos conversar sobre o darma, uma parte da doutrina budista, e como ele se liga ao carma.
Nunca gostei dessas duas palavras, primeiro porque elas soam de um modo estranho para nós.
Segundo, porque tais palavras viraram estereótipos.
A primeira imagem que vem à mente das pessoas são monges tibetanos em fila, vestindo robes carmim, cantando e rezando, no meio da fumaça exalada dos incensos adocicados.
Lendo meus pensamentos, Maryanne riu.
Ela viu os monges também.
— Maryanne, quando você entender o que é carma e darma, iremos conversar sobre reencarnação.
Então você terá uma visão completa disso tudo à sua frente.
Portanto deixe os monges recitarem.
Eles sabem exactamente o que estão fazendo.
A seguir comecei a explicar-lhe sobre carma e darma.
— Vamos chamar o darma de Força A.
Essa é a nossa missão na vida. Simples, não é?
O darma é o resultado de vibrações adquiridas durante várias encarnações.
A soma dessas vibrações é o carma, ou Força B.
Durante nossa jornada espiritual, nós agimos, tomamos decisões, julgamos e escolhemos.
Construímos carma com outras almas também:
ligações, dívidas, afinidades, gostos e desgostos.
— Entendi! Carma gera darma.
Gostou dessa explicação?
Ambos rimos, pois, de um certo modo, ela estava certa.
O tempo estava passando, então decidi continuar a explicação.
— Sei que você está cansada de ouvir isso, mas saiba que nós escolhemos a vida na qual nascemos.
Cada alma tem sua própria vibração e é ela que determina a encarnação.
Em cada encarnação, temos uma missão ou darma.
Essa missão pode ser curar, ensinar, aprender ou viver nossa vida como um exemplo para os outros.
O tipo de missão favorece a mudança do carma para melhor.
A gora você está pronta para entender a resposta.
— Que resposta?
Eu nem sei a pergunta!
— A pergunta que você tem feito desde que chegou aqui, com a qual você se tortura.
Onde está a justiça?
— Já tava na hora!
— Quando estava na Terra, você nunca pensou sobre sua vida, não é?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:40 am

— Pensar como?
Eu tava muito ocupada tentando sobreviver no dia-a-dia.
— A maioria está.
Você nunca teve a curiosidade de saber o que acontece quando seu coração pára de bater ou quando você pára de respirar?
— Não. Como eu disse, eu tava muito ocupada tentando sobreviver.
Mas por que você tá perguntando tudo isso?
Eu sei onde tô agora. Tô viva, não morta.
Foi só meu corpo que ficou pra trás.
Por que você tá fazendo essas perguntas agora, se nós já falamos sobre isso?
— Estou apenas curioso.
— Bem, eu me lembro da minha avó, sempre tentando me levar pra alguma igreja pra eu rezar.
Mas aquilo não significava nada pra mim.
Concordei em parte, mas acrescentei que a religião tinha uma função.
Todos, no final, acabam encontrando o caminho para casa e, nessa estrada, o viajante encontra muitas verdades.
— Muitos nunca pensam no que há por trás do que o padre, o rabino ou o pastor lhes disse.
As pessoas são ensinadas a viver de acordo com certas regras:
se você jogou bem, você vai para o céu; se não, você vai se encontrar com os caras de chifres e rabos.
Mas isso não faz nenhum sentido.
Não há justiça nisso.
Eu também disse que ela podia ver, por si mesma, que o jogo do céu e inferno não era verdadeiro.
Ela respondeu:
— Concordo com você, principalmente com a parte sobre justiça.
A vida não foi justa pra mim em Los Angeles.
Por que para mim tudo deu errado, enquanto pros garotos ricos do outro lado da cidade tudo ia às mil maravilhas?
Isso não faz a menor diferença.
Vivi como um animal, mas e daí?
No final a gente acaba aqui, não é mesmo?
Por que essas diferenças?
Onde está a justiça?
Lembrei-lhe de que há um bom tempo ela tinha perguntado a mesma coisa.
— É verdade, mas você não me respondeu daquela vez.
Agora você diz que vai responder.
Então vamos logo com isso.
Eu estava sendo encurralado contra a parede.
Respondi dizendo que iria explicar tudo a ela.
Mas pedi-lhe que fosse paciente.
— Você vai saber todas as respostas, aos poucos.
Primeiro, lembrei-lhe das pessoas, na Terra, que não acreditavam em nada.
— Quando você está morto, você está morto! — eles dizem.
Ela disse conhecer muitos que acreditavam nisso.
— Sabe, se eles estivessem certos, e nós somos a prova viva de que eles não estão, não haveria lógica e justiça na vida.
A vida de um homem rico e a vida de um homem pobre teriam o mesmo fim.
Tudo acabou, é o fim, o sono eterno.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:40 am

A diferença da vida deles, a forma como eles viveram, nada disso teria significado algum — continuei.
— Acho que sei aonde você tá querendo chegar. Continua.
Procurei voltar nossa atenção para aquelas pessoas que acreditam no céu e no inferno.
Elas seguem as regras e conhecem todos os pecados.
Evitam os pecados, rezam, vão à igreja e acreditam piamente que todos nós iremos nos encontrar na porta do paraíso.
— Como a minha avó e as suas amigas — ela completou.
— E não há justiça lá também — salientei.
Ela estava realmente me ouvindo, e eu tinha sua total atenção.
— O homem rico vive sua vida, forma sua família e faz o melhor que pode.
O homem pobre faz o mesmo.
Com uma excepção:
a vida do pobre é mais difícil.
Mas, de acordo com as senhoras que frequentam as igrejas, ambos vão para o céu.
Isso é justo?
— Ê claro que não! — ela gritou com tal entusiasmo, como se estivéssemos em um daqueles encontros religiosos, e acrescentou:
— Lá na Terra, existem muitos pregadores que falam bem, têm carrões, igrejas bonitas e roupas de grife.
Todos dizem:
"Venha por este caminho, porque este é o caminho certo.
Não escute aquele cara do outro canal, meu caminho é o caminho de Jesus".
Todos pregam que Jesus vai mandar você pro inferno se não ouvir o que eles dizem.
Maryanne sabia que a Terra estava cheia de mentirosos, enganadores e ladrões.
Contudo, os piores, em minha opinião, eram aqueles que usavam o nome de Jesus, Moisés, Maomé ou Buda para vender um modo de vida, uma crença ou uma opinião.
— Nem todos os pregadores são falsos e fingidos.
Alguns realmente acreditam no que pregam, e isso é bom.
Lembre-se:
existem muitas estradas e diferentes verdades pelo caminho.
— A minha avó realmente acredita no rio Jordão, no sangue de Jesus e em outras coisas como essas.
Mas tudo isso é besteira, não é?
— As pessoas conseguem entender somente aquilo que estão preparadas para entender — respondi.
Paraíso, inferno, salvação, condenação, harpas, fogo e enxofre não são ideias que existem por acaso.
As almas terrestres precisam de guias e mapas que indiquem seu caminho de casa.
Ainda respondendo à sua pergunta, continuei:
— As conversas sobre o céu e o inferno vêm dos ensinamentos do espírito de Jesus.
Sim, ele existiu e ainda existe, assim como Buda, Maomé, Krishna, Moisés e tantos outros profetas e professores.
Eles são espíritos divinos, como nós.
Eles são almas de luz que foram à Terra em uma missão.
Eles viveram para servir como guias, professores e pioneiros.
Mas suas palavras, ensinamentos e vidas têm sido mal interpretadas.
Lembra-se das palavras de Cristo, quando ele falou:
"Há muitas moradas na casa de meu pai"?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:41 am

Expliquei então o significado dessas palavras como eu as entendia:
— Deus é o universo, e nesse universo existem muitas mansões, onde os espíritos vivem.
Cada mansão, ou nível, tem sua própria vibração e os espíritos vivem onde suas vibrações os levam.
O nível terrestre é um desses mundos.
A Terra é onde os espíritos aprendem, crescem e se desenvolvem.
Cada mansão é simplesmente um nível diferente de vibração e de evolução.
A seguir, fiz com que ela se lembrasse do que Cristo falou sobre renascer, e ressaltei que tais palavras têm causado muitos mal-entendidos.
Ele falou que quem não nascer da água e do espírito não poderá entrar no Reino de Deus.
Uns dizem que Jesus estava falando do baptismo.
Outros dizem que ele estava falando de receber o Espírito Santo e renascer com uma nova fé.
Ambos estão errados.
O que o espírito de Cristo nos ensinou é que ninguém pode ver o Reino dos Céus sem nascer outra vez.
Você lembra alguma coisa sobre suas aulas de biologia no colegial?
— Vou tentar — respondeu ela.
— Do que é feito aproximadamente setenta por cento do corpo humano?
Ela pensou por alguns instantes.
Então seus olhos brilharam e ela disse:
— De água!
— Foi isso o que ele quis dizer.
Espírito renascendo no corpo.
O renascimento não é uma punição, é uma expressão da perfeita ordem de Deus.
Nenhum espírito é enviado para a condenação ou salvação eterna com base em apenas uma vida na Terra.
Não há justiça nisso, mas há justiça na reencarnação.
Não apenas em uma vida, mas em muitas.
Não em uma única chance, mas em muitas.
Não em uma só justiça, em um só destino.
Perguntei se ela gostaria de ser responsável pelo que ela fez quando tinha seis anos de idade.
Sem esperar por sua resposta, eu disse:
— É claro que você não gostaria. Ninguém gostaria.
Quando ficamos mais velhos, adquirimos sabedoria, maturidade e conhecimento.
Mas você e a garotinha de seis anos são uma só.
Conforme seu espírito viaja através de nascimentos e mortes, você é sempre a mesma individualidade e sempre será a mesma por toda a eternidade, só que com mais sabedoria.
E aí é onde está a justiça, Maryanne.
É onde está a equidade.
Ela sorriu e concordou.
Maryanne estava em paz; ela havia encontrado sua justiça, afinal.
Carma e darma, é o show da vida.
Nossa viagem para casa é muito simples, muito mais simples do que se possa imaginar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:41 am

Peter se transforma em Jeff

Somos a soma de nosso passado e a promessa do futuro.
Para a maioria, essa promessa é uma esperança, enquanto percorremos os diversos caminhos que conduzem a ela.
Assim era o caso de Peter.
Ele iria na próxima encarnação tornar-se Jeff.
Quando o encontrei como Peter, ele estava estudando sua próxima encarnação, escolhendo um novo caminho para atingir sua meta de um futuro melhor.
Estava em um quarto amplo, arejado, com janelas que davam para um grande jardim, repleto de vibrações provenientes de flores recém-desabrochadas.
Uma forte luz dourada atravessava as janelas.
Essa luz era mais suave que a luz do sol, porém com a mesma intensidade e brilho.
O piso do quarto era de mármore branco e o tecto era de madeira clara, com livros ajeitados correctamente em prateleiras de mogno.
O espírito estava sentado no meio de uma longa mesa de carvalho com pilhas de livros tanto de seu lado direito quanto de seu lado esquerdo.
Ele estava concentrado num livro e não percebeu minha chegada.
Peter era um espírito de nível avançado, um daqueles que já tinha viajado muito.
Ele sabia que a Terra dava oportunidade a uma auto-evolução e às descobertas, mas ele sabia também da obrigação de ajudar outros pelo caminho.
O livro que estava lendo era o livro de sua vida.
Ele podia ler sem o auxílio de seus guias porque já estava em um nível de vibrações elevadas.
Imerso no livro, lembrou-se de tudo que ele, seus guias e mentores haviam traçado para sua última encarnação na Terra.
Imagens antigas de muitas de suas outras encarnações na Terra surgiam à sua frente.
O lugar era a mesma biblioteca onde ele estava sentado agora, com a mesma luz delicada e clara atravessando as janelas do jardim.
Com ele estava seu guia, Jacob, e sua professora, Úrsula.
Ambos eram novos, e era a primeira vez que estavam trabalhando com ele.
Úrsula, um espírito bonito, com luz especial própria, falou primeiro:
— Jacob e eu achamos que você atingiu um importante estágio de desenvolvimento.
O que você já conseguiu o trouxe para este nível e agora você está pronto para prosseguir.
Ele ficou feliz com aquelas palavras.
— Estamos aqui para ajudar — completou Jacob.
Você atingiu um novo nível de desenvolvimento, e estamos com você para guiá-lo em seu caminho.
Frequentemente espíritos atraem novos guias, conforme eles passam para outros níveis de evolução, porque em cada novo nível aparecem diferentes desafios, deveres e responsabilidades.
Conforme nossa vibração aumenta, aumentam também as escolhas.
Novos guias chegam com conhecimentos especiais para nos ajudar.
Úrsula explicou tudo isso para ele e acrescentou que, como sempre, ele iria escolher suas novas provas, missões e responsabilidades.
Lembrou-lhe que a escolha era livre e a responsabilidade era só dele.
Peter continuou a assistir aquelas cenas passarem, vendo suas vidas anteriores surgirem através dos séculos nas páginas daquele livro.
Ele viu a soma de seu passado e reconheceu como era a nova composição de seu espírito.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:41 am

Do passado não muito distante, Jacob falou novamente:
— Você adquiriu importantes habilidades, como lógica, persuasão e comunicação.
Seu espírito livrou-se de emoções terrestres negativas, como ciúme, medo, insegurança e ganância.
Eles foram substituídos por amor, confiança, compaixão e compreensão.
Você mudou.
Com certa melancolia, Peter, que em breve se tornaria Jeff, continuou a olhar para seu passado.
Ele se lembrou da alegria que seu progresso lhe dera e como sua alma havia se enchido de esperança quando ele sonhava com o futuro.
As páginas de seu livro viraram e sua história continuou.
Peter viu a si mesmo antes de sua última encarnação, com seus novos guias, discutindo com entusiasmo as possibilidades de progresso de sua alma.
— Eu realmente gostaria de voltar para a Terra.
Há tanto para ser feito lá, e tenho certeza de que posso ajudar outras almas a encontrar o caminho certo através do labirinto.
Sim, é isso o que sinto, isso é o que meus instintos me dizem que tenho de fazer.
Peter irradiava uma verdadeira luz brilhante.
Conquistara sabedoria e queria levar seu conhecimento para o plano terrestre.
— Acredito que posso ajudar almas terrestres a enxergar o significado de suas vidas.
Irei explicar essas verdades de um modo simples, fácil de entender.
Posso facilitar o discernimento dos valores básicos e fazer com que as pessoas encontrem sua própria verdade.
Vocês sabem como é...
Quando as almas chegam aqui, elas estão confusas e não enxergam as oportunidades à sua volta.
Quando na Terra, estão tão envolvidas com poder, competição, inveja e status que se enrolam e não conseguem encontrar uma saída da teia que elas próprias criaram.
Eu posso ajudar, eu sei que posso.
Então, com a ajuda de Úrsula e Jacob, ele planejou seu caminho.
Escolheu uma missão em que ele poderia voltar à Terra e ajudar outras almas em sua trajectória.
Seu nome seria Peter e ele nasceria em um tempo e em um lugar onde a revolução na comunicação estava para surgir.
— Vou pegar o elevador dessa revolução no andar térreo — disse.
Aquele tempo e lugar seria na Inglaterra, em 1919.
Encarnando dentro de uma família amorosa e que o apoiasse, o espírito não teria nenhum problema para estudar e atingir suas metas profissionais.
Quando Peter estava com trinta anos, a Segunda Guerra já teria passado.
Ele iria combater nessa guerra, aprendendo assim o sofrimento e o horror que os homens provocam para si mesmos.
Lutando bravamente, ele ganharia reputação de um líder brilhante, trazendo glória e honra à Inglaterra.
Ele iria usar essa fama para iniciar sua carreira como escritor.
A televisão estaria engatinhando; o rádio, no auge.
Esses dois novos meios de comunicação seriam ferramentas para alcançar grandes massas de almas terrestres.
Peter iria usar essas ferramentas e seu talento para espalhar as verdades eternas da vida, da morte e da fraternidade universal.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:41 am

Esse era o plano.
Essa era a estrada que ele desenhou para si mesmo.
Essas foram as responsabilidades que ele escolheu e os objectivos que ele desejava atingir.
De volta à biblioteca cheia de luz, observando a colorida harmonia de cores do jardim, Peter fechou seu livro.
Ele sabia que havia falhado.
E, sentindo-se responsável pelo fracasso, esperava a cobrança.
Ao sentir minha presença, ele desviou seu olhar do jardim para mim.
— Olá, Bob. Como você está?
É bom vê-lo por aqui.
Nós já éramos amigos há um bom tempo.
— Então você está de volta.
Inglaterra... era lá onde você estava, não era?
Fazia algum tempo que estava aqui, por isso não pude deixar de assistir à sua peça — tornei, apontando para o livro de sua vida.
O espírito suspirou, e a tristeza envolveu seu ser.
— Tantas esperanças.
Eu realmente botei tudo a perder quando estive lá.
Nós éramos o que se poderia chamar de espíritos com a mesmas afinidades.
Consequentemente, eu não estava ali como sua luz, professor ou guia.
Eu estava apenas como seu amigo.
— Deixe disso!
As coisas não podem ter sido tão ruins assim.
Você não matou ninguém, não se culpe tanto.
O que aconteceu?
Peter, que seria Jeff em breve, perguntou-me se eu me lembrava de como ele havia encarnado, com o objectivo de espalhar a palavra e abrir a porta entre os dois mundos.
Com sarcasmo, ele parodiou as palavras que proferiu momentos antes de entrar no ventre de sua futura mãe terrestre:
— Vou iluminar o mundo com a verdade, e aqueles que me ouvirem irão abraçar uma nova causa.
Eu ri e disse que, pelo menos, ele iria ganhar uma nota dez por seu entusiasmo.
— O que eu deveria ganhar é um chute no traseiro por ser um idiota convencido — respondeu ele irónico.
Sempre gostei da capacidade que ele tinha de fazer piadas de si mesmo.
E continuou:
— Eu estava realmente entusiasmado em minha última encarnação.
Quando voltei aqui e vivi uma nova vibração, a vida não era mais tão misteriosa.
Eu queria que todos vissem o que vi, sentissem o que senti e entendessem o que aprendi.
Mas acabei me fenando.
Não apenas prejudiquei a mim mesmo como também deixei
de compartilhar meu conhecimento com muitas almas.
Úrsula e Jacob chegaram, e este seria o primeiro encontro deles com Peter, em mais de cinquenta anos terrestres.
Úrsula cumprimentou-o.
Sua aura brilhava com a luz do amor e da bondade.
Eu sabia que ela era exactamente o que Peter precisava.
Ela me pediu para ficar e, é claro, aceitei.
Foi a primeira a falar, e, com a aura plena de compaixão, foi directo ao assunto.
— Bom, nós podemos perceber que você não está muito feliz.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:42 am

Está um pouco chateado, não é verdade?
Culpando-se por não ter feito o que havia planejado.
Você está certo.
Não pode culpar ninguém a não ser você mesmo.
Ele murmurou algo, como querendo dizer que ela tinha razão, que ele já sabia tudo aquilo e o que ela queria com ele.
Jacob andou até o outro lado do quarto, ficou de pé ao lado da janela que dava para o jardim, e então respondeu à sua pergunta.
Ele também deixou claro que não tinha tempo para ouvir besteiras.
— Não queremos nada de você, você já devia saber disso.
Podemos ir embora e só voltar quando você não estiver mais perdendo seu tempo sentindo pena de si mesmo.
Chame-nos quando estiver pronto.
Ficamos esperando uma resposta.
Conhecendo bem Peter, achei que ele iria encolher os ombros, relaxar e pedir para seus guias ficarem.
E isso foi exactamente o que ele fez e disse:
— Tudo bem, vamos em frente.
Eu já vi o filme de minha última encarnação.
Eu sei onde me ferrei.
Conhecendo-o bem, eu também sabia que ele não tinha paciência para perder tempo com minúcias.
Úrsula e Jacob sabiam disso também.
Úrsula, ainda com sua voz firme e severa, foi quem respondeu.
— Antes de irmos em frente, você precisa entender por que está aqui.
Essa verdade não se aplica somente à nossa vibração, mas também à da Terra.
Estamos presos ao carma, situações e ciclos que nunca terminam, porque não usamos o tempo para entender.
Rodando, rodando sem parar, como um hamster em sua roda de exercícios, estamos sempre no mesmo lugar.
Jacob caminhou até onde Peter estava sentado e colocou a mão sobre seu ombro.
Uma luz forte de tom violeta iluminou o espírito que em breve se tornaria Jeff.
— Você foi para a Terra com sonhos muito grandiosos e acabou se tornando vítima desses mesmos sonhos.
O ego, o orgulho e a tentação o dominaram — disse Jacob.
"Nossa, já vi isso acontecer outras vezes", pensei.
— Ei, eu já sei disso tudo.
Eu me ferrei. Estraguei tudo.
Droga, como enche o saco voltar para as vibrações terrestres.
Acho que vamos ter de fazer tudo de novo outra vez, não é?
Peter era um espírito evoluído, mas evoluído não significa, necessariamente, calmo e reflexivo.
Isso é uma boa notícia para vocês que pensam que os níveis mais elevados devem ser invariavelmente tão entediantes quanto uma palestra sobre macroeconomia.
Jacob riu. Úrsula deu uma piscada de olhos.
Peter era um encrenqueiro de mão cheia.
— Não seja tão melodramático — disse ela irritada.
Primeiro, você sabe perfeitamente que não dá para perder uma encarnação inteira.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:42 am

Você sempre aprende alguma coisa e sempre deixa uma semente.
Depois, você fez um monte de gente rir com aquelas comédias que escreveu para o rádio e a televisão.
Divertiu e aliviou o dia-a-dia das pessoas.
Não há nada de errado nisso.
Você realmente aprendeu a se comunicar com a massa, por intermédio de suas peças.
Para fazer isso, você precisa ter empatia.
E empatia significa compaixão, e compaixão nasce da compreensão.
Peter escutou em silêncio.
Ele estava se julgando pelos padrões que havia definido para si mesmo.
Ele não havia conseguido atingir esses padrões, mas sua encarnação não havia sido um fracasso total. Nenhuma é.
— Meu irmão — disse Jacob —, quando se comunica com a massa, você trabalha com muitos elementos diferentes.
Sintoniza-se com a divindade que temos em comum, aprende a simplificar seus pensamentos de modo que um grande número de pessoas possa entendê-los.
Não há nada de errado nisso também.
Peter, que em breve se tornaria Jeff, estava escutando atentamente cada palavra que eles diziam.
Úrsula continuou o que Jacob havia começado:
— Mas existem dois lados na moeda.
Quando você se prendeu à vibração da grande massa, sua própria identidade se apagou.
Você assimilou tão bem o que o povo queria que acabou se esquecendo de quem você era e do trabalho que precisava fazer.
Ele olhou para mim e eu só pude balançar a cabeça, dizendo que concordava com seus guias.
Eles estavam certos:
Peter simplesmente havia perdido o rumo.
Quando ele finalmente falou, o que disse veio do fundo de sua alma.
— Eu sei.
Escrevi o que as pessoas queriam ouvir, ao invés de escrever o que eu sabia que eles deveram ouvir.
Absorvi tão bem seus preconceitos, seu cotidiano, que não pude mais ouvir meu eu interior.
Eu queria ser amado por tocos e admirado como alguém perspicaz que conseguia uma enorme audiência para meus patrões e patrocinadores.
Fiz isso e ajudei maus patrocinadores a vender mais sabão, desinfectante e remédio para resfriados.
Que perda de tempo...
Sua lamentação era verdadeira e profunda.
Jacob e Úrsula trocaram olhares.
Ambos sabiam que Peter, que ia se tornar Jeff, estava, ao mesmo tempo, certo e errado.
Sim, ele falhou, se formos comparar suas metas e o que ele realmente conseguiu fazer.
Mas era a missão deles ajudar esse espírito a progredir.
Úrsula falou sem rodeios:
— Você sabe como a humanidade é.
Conhece seus diferentes níveis: alguns elevam o espírito, enquanto outros denigrem.
Você dançou entre mundos; adoptou os ideais deste, enquanto se apaixonou pela fama e fortuna da Terra.
Você queria que seu nome continuasse a existir através das páginas da história terrestre:
um herói de guerra condecorado que se tornou uma celebridade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Fev 26, 2016 10:42 am

Mas sua fama na guerra aconteceu para que você tivesse credibilidade em sua verdadeira missão, que era a de divulgar a mensagem de vida eterna e de fraternidade.
Contudo, você ficou intoxicado pela fama e queria, desesperadamente, que ela continuasse.
Você adorou seus momentos de sucesso e não queria que eles terminassem e, consequentemente, acabou viajando por um outro caminho.
Com serenidade e imparcialidade, Jacob falou:
— Você sabe que o objectivo de uma encarnação na Terra não é a glória, mas sim a evolução de sua alma e das almas à sua volta.
Você não superou seu ego e, até que o faça, você não progredirá.
Peter concordou, dizendo que sua vida era aqui e não na esfera da Terra.
— Na vibração terrestre — continuou ele — tudo é confuso e as emoções reinam.
Vamos continuar. Quero tentar de novo.
Rimos de sua impaciência, e Úrsula respondeu:
— Relaxe. Por que a pressa?
Estamos lidando com a eternidade aqui.
Além do mais, queremos mostrar-lhe algo.
Palavras não podem descrever o que aconteceu em seguida.
Fomos ao cinema, ou melhor, o cinema veio até nós:
vivo, real e à nossa volta.
O filme se chamava Terra, um Documento Histórico.
Desde o momento de sua criação, a vibração terrestre tem sido um terreno de provas.
Os espíritos chegam lá para serem testados.
Aprendem encarando de frente a tentação, e purificam-se por meio dos obstáculos.
E, conforme esses espíritos desenvolvem sua consciência, a Terra também se desenvolve.
O espírito que se tornaria Jeff viu como as mudanças nas vibrações humanas alteram a história da Terra.
A vida trabalha em favor da evolução, e essas mudanças com suas consequências não acontecem por acaso.
Todos nós nos lembramos da passagem bíblica que diz:
"E nem uma folha cairá da árvore sem que Ele saiba".
Então, nosso filme começou a passar cenas do futuro, dando-nos uma ideia do que estava por vir, caso os eventos seguissem seu actual curso.
Jacob disse:
— Desde o início, a vibração terrestre foi uma escola, um lugar onde se aprende por tentativas e erros.
Tem sido um lugar para os espíritos actuarem e aprenderem por intermédio de seus próprios dramas e carmas.
Você, eu, todos nós viajamos por lá, muitas vezes.
Em sua passagem mais recente, você aprendeu como usufruir da vibração terrestre para se comunicar, efectivamente, com as almas que vivem lá.
Sua última encarnação pode, se você quiser, servir como um valoroso passo no caminho para uma nova era na Terra.
Você está vendo o futuro não como um vidente ou profeta vê, mas sim como um espírito que atingiu um elevado estado de consciência.
Peter estava quieto, reflectindo sobre as palavras de Jacob e sobre o filme que ele tinha visto.
A vibração da Terra mudaria, evoluindo de um mundo expiatório para um mundo de consciência mais elevada.
Um processo de purificação iria ocorrer, e as marchas cósmicas estariam lentamente mudando.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:15 am

Úrsula interrompeu sua reflexão.
— Como você sabe, meu amigo, há sempre os poréns...
Peter prestou atenção em cada palavra que ela disse, sentindo que aquela conversa acabaria se tornando muito pessoal.
O filme não era uma revisão de sua vida, era uma previsão do futuro, um futuro do qual ele faria parte.
Ele se lembrou da época em que estava no exército inglês e da sensação ruim que sentia quando seus superiores pediam voluntários para uma missão perigosa.
Ele sabia que um momento semelhante estava se aproximando.
Uma escolha teria de ser feita muito em breve.
Ela continuou:
— Você sabe que as escolhas e responsabilidades aumentam a cada nível de maior desenvolvimento.
Na Terra, uma criança não pode ser responsável por seus actos porque não está suficientemente desenvolvida.
E, como crianças, os espíritos são guiados e nutridos ao longo do caminho, de acordo com suas necessidades.
Você deu mais um passo e, agora, tem capacidade para abraçar dificuldades novas e mais pesadas.
Você decide:
faz isso ou vira as costas.
Você tem livre-arbítrio para escolher.
Nós somente podemos guiá-lo.
E, se você não está pronto para dar outro passo para a frente, não.
iremos julgá-lo nem abandoná-lo.
O medo é uma emoção negativa, porque paralisa a alma.
A dúvida e o medo que são colocados em nosso caminho precisam ser superados.
Peter, que em breve se tornaria Jeff, sabia disso.
— Parece que muita coisa pesada está por vir.
Tudo bem.
Essa foi sua resposta.
Achamos que ele quis dizer "sim" e, então, sorrimos.
Ele também sorriu.
Jacob andou até a janela, onde a suave luz branca continuava a banhar a biblioteca com seu calor.
Tudo estava em harmonia e em paz.
Ele se sentou no batente da janela e assumiu um ar professoral.
— Reflicta sobre a história da Terra.
Você notará que, após cada tragédia, as vibrações reajustaram-se e progrediram.
Durante sua última passagem por lá, a Terra sobreviveu a uma grande guerra e entrou em uma nova era.
Grandes avanços foram feitos na ciência, física, comunicações e informação.
Mas, como sempre, o progresso traz consequências; o progresso criou poluição, pornografia, drogas, armas químicas e uma lenta e corrosiva destruição da humanidade.
Para cada causa existe um efeito e para cada efeito existe uma causa.
A vibração terrestre reagirá ao distúrbio de seus habitantes no delicado sistema de apoio à vida.
Haverá uma epidemia chamada Aids, que irá matar milhões.
Peter questionou seus guias.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:16 am

— E daí?
Todas essas coisas já aconteceram no passado.
Fazem parte da história da Terra.
A Terra presenciou a peste negra, a peste bubónica, a febre tifóide, secas, inundações e guerras.
E a vida continuou.
Concordei com ele.
Qual seria o problema caso houvesse outra epidemia?
As pessoas pegariam a doença, morreriam e retornariam aqui para se preparar para uma outra encarnação.
A maneira como alguém morre é, às vezes, cármica, porque, pelo que me consta, morrer de velhice ou em um acidente de avião dá na mesma.
Úrsula, que tinha se juntado a Jacob na janela, agora se aproximou de Peter e explicou para ele e para mim o que seria diferente quanto à Aids.
— Essa doença vai ser única.
A Aids irá trazer um estigma horrível, uma mancha que provocará sentimentos muito fortes nas pessoas.
Todas as vibrações negativas, como medo, ódio, injustiça e intolerância, serão atiradas contra as vítimas de Aids.
Ainda na janela, mantendo seu espírito em perfeita harmonia com a iluminação e as cores, Jacob disse:
— Essa epidemia vai servir como uma oportunidade para os espíritos progredirem.
Lembre-se:
o universo não regride, ele apenas progride.
Peter perguntou o que tudo isso tinha a ver com ele.
— Você ainda tem o darma para ensinar, inspirar e educar.
Você mesmo sabe que não conseguiu completar seu darma na última encarnação.
Você o adiou porque acabou atraído pelo dinheiro, pela fama e pelo poder.
Você não roubou, não destruiu, mas você simplesmente não evoluiu como deveria.
Seu carma ainda o amarra a seu darma.
O espírito que iria se tornar Jeff muito em breve estava exasperado.
Ele ficou de pé pela primeira vez, e olhou para Jacob e Úrsula.
— Então, o que devo fazer?
Virar um doutor, liderar um movimento e descobrir uma cura para a Aids?
Eles se olharam e, então, viraram-se para mim.
Eu não tinha a mínima ideia do que estava acontecendo.
Também esperava pela resposta deles.
Úrsula respondeu, em um tom sério e calmo:
— Não, sua missão não será a de curar; essa tarefa pertence a outros.
Vou colocar isso de um modo bem simples:
nós queremos que você seja um voluntário para morrer dessa doença.
Ele ficou confuso. Não havia entendido.
— Qual é o problema em morrer? — perguntou.
Nós passamos por isso todo o tempo.
Naquele momento, Peter virou Jeff.
Nós voltaremos a ele.
Como ele costumava escrever em seus antigos programas de rádio, em uma de suas vidas, vamos dizer o mesmo:
"Primeiro, uma palavra de nossos patrocinadores".
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:16 am

As viagens de Borunda

Borunda e seu guia sentaram-se à margem de um rio de água azul-clara que fluía através de um vale plano e fértil.
Podia-se ver trutas e salmões nadando nas águas do rio.
Em alguns pontos, a água formava calmas piscinas naturais onde crianças, em meio às risadas, brincavam e espirravam água umas nas outras.
Embora esse rio se parecesse com qualquer rio da Terra, ele era, na verdade, diferente, pois não refrescava o corpo, mas sim a alma.
Borunda e seu guia estavam falando de mim e da viagem que fizemos juntos.
Ele disse que, quando estava vivendo na Terra, nem imaginava que existissem bilhões de pessoas que viviam vidas diferentes em diferentes lugares exactamente na mesma época que ele vivia.
E acrescentou:
— Nós vivemos de maneira diferente, mas no fundo somos todos iguais e estamos na Terra para cumprir uma missão.
Algumas são realizadas em um nível, outras em outro, mas essa é a única diferença.
Como um pai orgulhoso, seu guia sorriu.
O que Borunda descobrira o agradou.
— Vidas diferentes, missões diferentes, estradas diferentes e caminhos diferentes, mas um mesmo destino.
Isso, Borunda, é a verdade e a justiça universais.
Ele disse ainda que, deste lado da vida, existia a mesma verdade universal que Borunda viu em suas viagens pela Terra:
vibrações diferentes, níveis diferentes, consciências diferentes, isso tudo em cada plano habitado por espíritos, de acordo com a vibração de cada um.
Borunda concordou, observando que, desde sua chegada, ele percebeu ordem e ritmo na vida.
— Sua última encarnação ajudou você a compreender isso.
Na Terra, você viu como os eventos são resultantes de acções, e como as acções são influenciadas pelos eventos, num fluir contínuo sem início ou fim.
Borunda viu sua pequena aldeia na África e lembrou-se dos ciclos da natureza.
Ele sorriu, pois sabia que aquilo que nós chamávamos de natureza na Terra era chamado aqui de força criadora.
Ambas as coisas eram na verdade uma só.
Seu guia captou esses pensamentos, e gentilmente sugeriu que era hora, se ele quisesse, de continuar a jornada.
Borunda concordou.
O guia se levantou e pediu para ele o seguir pela margem do rio.
Deixando a sombra refrescante da grande árvore, eles caminharam lado a lado em direcção à luz com um passo muito mais rápido que o fluxo do rio.
— Borunda, veja como a água profunda corre suavemente.
Quando chove, cada gota d'água se transforma em parte do rio.
O rio é a soma das gotas d'água.
É assim também com o espírito; o espírito é a soma das gotas das encarnações.
Mas o rio continua sendo um rio.
Assim como o espírito é sempre espírito, ainda que cada gota de uma encarnação desenvolva sua consciência, fazendo-o crescer.
Vamos ver as gotas de suas encarnações, assim vamos poder ver melhor seu rio.
Está na hora.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:16 am

Sorrindo de felicidade, como um estudante primário que resolveu uma charada, Borunda perguntou a seu guia:
— Se as gotas das encarnações são parte de meu espírito, então cada vez que nascemos e cada vez que morremos acrescentamos algo ao nosso progresso.
Como na Terra, esse rio um dia vai encontrar um outro e formar um rio maior, cada um carregando suas gotas diferentes, sua parte da soma.
Algum dia, quando todos esses biliões de gotas estiverem em harmonia e todos os rios houverem se encontrado, todos nós seremos um só com o criador, não é isso?
Sei que a força criadora está aqui.
Posso sentir sua presença em mim e à minha volta.
Neste momento eu ainda não sei como ajudar no processo, só sei que desejo fazer isso.
Quero construir meu rio para que eu possa me unir aos demais.
A graça da criação fluiu através de Borunda.
Seu guia, mais tarde, me contou que seus olhos se encheram de lágrimas quando ele ouviu aquela simples mas maravilhosa declaração de fé.
Ele só pôde responder um breve sim.
Do outro lado do rio, eles viram uma encarnação de Borunda que se chamava David.
Ele foi a primeira encarnação de Borunda na Terra.
David era um trabalhador braçal, um homem com limitada inteligência e poucos recursos.
Naquela encarnação, Borunda não estava pronto para tomar decisões, então ele nasceu numa baixa vibração, onde as escolhas eram poucas e simples.
— E você partiu para a bebida.
A vida era dura e nada compensadora, então você bebia porque não sabia lidar com sua vida — explicou o guia.
Lentamente, viajando ao longo da margem do rio, outra gota apareceu e eles viram Simone e David andando lado a lado.
— Anos depois, você reencarnou como Simone.
Você trabalhou com as crianças de trabalhadores braçais, nas favelas da França.
Criou um fluxo de instrução e inspiração para elas e ajudou-as a superar a pobreza.
Seu vício pela bebida, quando você era David, prendeu-o a uma força cármica.
Você se entregou como David, mas sacrificou a si mesmo como Simone.
Quando ensinou, você também aprendeu com seus pupilos e, com isso, acrescentou outra gota e engrandeceu seu espírito.
Borunda e seu guia caminharam por uma margem, enquanto Simone e David caminharam pela outra.
Logo, o par que estava do outro lado se juntou a um actor grego chamado Mikhail, que, interpretando papéis escritos por autores há muito tempo falecidos, fez com que suas palavras voltassem a ter vida, inspirando, assim, novas gerações.
Borunda e seu guia continuaram sua caminhada.
O trio, na outra margem do rio, virou um quarteto.
Eles se juntaram a Dame Edith, uma rica inglesa aristocrata.
O acesso dela ao poder e seus privilégios na virada do século ajudaram-na a plantar as sementes do emergente movimento feminista na Inglaterra.
O nome Dame Edith não pode ser encontrado em nenhum livro de história.
Às vezes, os famosos não são aqueles que plantaram a primeira semente.
Finalmente, os quatro se transformaram em cinco.
Borunda viu a si mesmo do outro lado do rio, alegremente se juntando a David, Simone, Mikhail e Dame Edith.
— Sua última encarnação foi parecida com a primeira num ponto:
você nasceu em uma vida de escolhas simples.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:17 am

Mas as duas foram diferentes, porque em sua última encarnação você nasceu para aprender os altos e baixos da vida de acordo com as verdades do criador.
E acrescentou:
— Você aprendeu bem.
Borunda olhou através do rio.
David, Simone, Mikhail e Dame Edith, cada um com a sua própria luz, formavam uma única luz.
Uma mescla de tons violeta, amarelos, verdes, azuis e rosa girou no ar, formando uma única bola de luz branca.
A bola ficou suspensa no ar por alguns instantes, então ganhou velocidade e atravessou o rio em direcção a Borunda.
A bola branca envolveu seu espírito e, lenta e uniformemente, entrou nele.
Borunda, que agora não era mais Borunda, virou-se e olhou para seu guia.
Ambos sabiam que outra encarnação esperava por ele.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:17 am

Maryanne e o perdão

Maryanne estava sozinha novamente.
Ela havia deixado nosso hospital.
Sua raiva, que a prendia ao plano terrestre, tinha abrandado durante sua estada no hospital, e ela havia agora entrado em uma rotina diferente.
A escola, que era uma coisa de que ela nunca havia gostado muito, agora tomava a maior parte de seu dia.
É claro que a escola de Maryanne não era como as da Terra.
Nela aprendia-se mais sobre o espírito, vidas passadas e futuras escolhas.
Embora ela estudasse com seus guias e professores, sempre vinha me procurar para fazer perguntas sobre os temas que achava difíceis.
— Para manter você alerta — dizia.
Esse dia que vou relatar não foi diferente, e a conversa que tivemos realmente me deixou bem atento.
— Bob, ajude-me, por favor.
Como você está sempre pronto para dar uma opinião sobre qualquer assunto, eu queria lhe pedir um conselho, porque estou com sérias dúvidas.
Eu estava começando a gostar da forma "espontânea" que ela tinha de expor as coisas.
— É sobre essa história de autojulgamento, sabe, esse negócio que você está sempre falando.
Estou adorando meus guias, mas eles falam o tempo todo sobre isso também, e eu não consigo entender.
Como vou me julgar se não sei nada?
Achei que Deus julgasse todo o tempo.
Sempre me ensinaram que o dia do julgamento era o grande momento dele.
— Pelo que me consta eu ainda não encontrei o "chefão", pelo menos não até agora, e portanto sou o único juiz de mim mesmo.
Não tente me contrariar, para mim isso está óptimo.
Eu sou um cara que perdoa fácil.
Eu disse a ela que o "chefão" não deixa o julgamento connosco, apenas permite que nos tornemos conscientes dos resultados de nossas escolhas.
Além do mais, expliquei, ele não viveu nossas vidas.
Nós as vivemos.
Ele não faz nossos destinos, nós os fazemos.
Sei que isso é algo que as almas terrestres acham difícil aceitar.
Maryanne riu e respondeu em sua peculiar maneira de falar:
— Sabe o que aqueles pregadores da TV que minha avó assiste iriam dizer sobre isso?
Que você só fala besteira.
Deus e Jesus estão aqui, esperando por nossa morte, assim eles podem nos mandar para o céu ou para o inferno.
Esses pregadores dizem que Deus escreveu tudo isso na Bíblia.
Deus é justo, e os justos serão salvos.
Ela recitou a última frase como fazem aqueles pregadores da igreja de sua avó.
Ambos rimos.
— Escute, acho que você já entendeu o que quer dizer essa história de céu e inferno.
Portanto vamos passar por cima disso.
Quero que você tente uma coisa.
Ela esperou atentamente por minhas instruções.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:17 am

Eu prossegui:
— Tente se observar por um minuto.
Olhe para si mesma e pergunte:
"Sou perfeita?
Sou justa? Sou amável?"
— É claro que não.
— Certo, nenhum de nós é.
— Nem mesmo você, Bob?
Eu não sabia se ela estava falando sério ou se estava brincando, mas respondi do mesmo modo.
— Ninguém é, nem eu mesmo, algumas vezes.
Pedi para que continuasse a se analisar e, então, perguntei se ela, caso fosse possível, mudaria algumas de suas atitudes passadas.
Sem esperar pela resposta dela, afirmei:
— É claro que mudaria!
Maryanne me lembrou mais uma vez dos pregadores que apareciam na TV todas as vezes que ela apertava o botão do controle remoto.
— Eles dizem:
"Reze para Jesus, ele a perdoará e tudo dará certo.
Reze, e você nascerá de novo.
Reze, e Jesus entrará em sua vida e removerá seus pecados com seu sangue".
O que acha disso?
Tudo que pude dizer é que Jesus perdoa realmente.
Deus, como nosso criador, perdoa.
— Ele conhece nossas limitações, e nós também.
Mas, Maryanne, suas orações não a livrarão de suas imperfeições, nem a farão entrar no paraíso.
As injustiças, os enganos que cometemos agridem a vida e as pessoas.
Para conquistar a harmonia e contribuir com a criação, temos de colher os resultados de nossas escolhas e aprender com eles.
Deus não faz isso por nós, mas permite que tomemos consciência da verdade e reformulemos nossos caminhos.
Isso é justiça.
Ela concordou, mas perguntou o que acontecia quando o espírito, que deveria julgar a si próprio, não se julgava.
— Um marido que espanca sua mulher e pensa que está certo.
Quem decide? Boa pergunta.
Nem todos os espíritos atingiram um nível em que eles podem julgar a si mesmos; alguns assassinos acreditam na justiça de seu acto e outros acreditam em suas próprias mentiras.
— É realmente simples — respondi.
Quando um espírito não entende, ele não progride.
O espírito permanece onde está, até que entenda.
A iluminação pode levar várias encarnações na Terra, ou milhares de anos de reflexão aqui.
— Quem decide se um espírito está iluminado ou não?
Quem decide se ele deve evoluir ou ficar onde está?
Agora entendi aonde ela queria chegar.
— O modo como o universo foi criado é que decide, Maryanne.
Nas esferas mais elevadas não há lugar para a raiva, o ódio, a inveja e a mentira.
Cada nível tem sua própria vibração e um espírito só pode alcançar aquele nível que está em sintonia com sua vibração.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:17 am

Deixe-me dar um exemplo.
Imagine que, lá na Terra, você tentasse sintonizar uma estação de rádio FM em um rádio que só recebesse AM.
É impossível, as frequências não são as mesmas.
Na Terra, o bem às vezes existe junto com o mal, uma vez que essas duas vibrações diferentes são necessárias para o desenvolvimento da Terra.
Mas o mal não pode se misturar com o bem nos níveis mais elevados do mundo espiritual.
Maryanne sorriu pretensiosamente.
Ela sempre sorria desse jeito quando achava que tinha a resposta.
— Então aqueles pregadores da Terra estão certos e errados ao mesmo tempo.
Deus fez as coisas de tal modo que só podemos ir para o lugar que estamos prontos para ir.
Para evoluir, temos de nos tornar melhores.
De certa forma, existe um julgamento preestabelecido.
Era minha vez de sorrir pretensiosamente.
Eu tinha dado uma boa explicação.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:18 am

Clara se transforma no todo

Nós somos parte do todo.
Consequentemente, como cada espírito é parte do todo, então cada vida que vivemos é também parte do todo.
A vida de uma pessoa toca a vida das pessoas à sua volta, através de toda a eternidade.
Cada uma de nossas vidas é parte de nosso espírito, e cada uma de nossas vidas molda o espírito, através de toda a eternidade.
Clara ainda estava com seus guias.
O filme das vidas passadas tinha terminado e ela estava prestes a dar um outro passo em um dos muitos caminhos em direcção ao lar.
Ela estava pronta e a hora havia chegado.
Seu guia mais velho disse que queria levantar uma outra cortina, deixando entrar mais luz ainda.
Ele pediu a permissão dela para continuar.
Ela imediatamente disse sim e ele prosseguiu:
— Saia de si mesma e deixe Clara para trás, procure lembrar que esta foi simplesmente uma vida a mais.
Deixe as emoções que você trouxe consigo irem embora.
Você é Clara, e, apesar disso, você não é Clara.
Ela é somente uma de suas muitas partes.
Deixe-a para trás, de modo que possamos recuar e ver o todo.
Deixe-me explicar a você o que está prestes a acontecer.
O processo se chama reintegração, e esse processo não é fácil.
O espírito deixa a si mesmo, com a ajuda de guias, e olha para cada encarnação passada individualmente, separada do todo.
A reintegração é algo como desmontar um motor, examinar cada peça para entender como essas peças se encaixam e funcionam como um todo.
Obviamente, os guias de Clara acharam que ela estava pronta para tentar tal processo.
Então eles começaram.
Lentamente, como se a estivesse hipnotizando, a voz do guia primeiramente puxou o espírito de Clara para fora de si mesmo.
— Liberte-se de seu passado.
Deixe suas emoções para trás.
Deixe Clara para trás.
Não tenha medo, ela voltará e outros se juntarão a você.
Mas agora é só você.
Espírito de luz, espírito do criador, parte do todo, nascido do todo e feito pelo todo.
Una-se ao todo agora, busque orientação e ilumine sua alma.
Você pode fazer isso ao tirar as pesadas roupas da Terra.
É chegada a hora de se libertar de seus medos, seus sonhos, suas esperanças, suas ansiedades e de você mesma.
Chegou a hora de ser livre.
Eu observava Clara enquanto a voz serena de seu guia atravessava o caminho até o interior de seu espírito.
Lentamente, a aura que a cercava iluminou-se e, pulsando com energia, levantou-se para longe do espírito, transformando-se em um ser próprio.
O espírito chamado Clara ficou para trás, observando.
A aura, agora sendo quase pura energia, flutuava ao redor, quando a própria Clara se transformava.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Fev 27, 2016 11:18 am

A aura se dividiu, sem, porém, diminuir de tamanho.
Cinquenta e poucas entidades apareceram, e essas eram do mesmo tamanho e formato que a original.
O guia era experiente em reintegração.
A seguir, ele começou a falar.
Mas não com Clara, pois ela era apenas uma das cinquenta entidades.
Ele falou directamente com o espírito dela.
— Olhe para as partes de seu todo.
À sua frente, estão as vozes que falam de dentro; as vozes que têm estado com você desde o momento em que você foi criado.
À sua frente, estão suas esperanças, frustrações, alegrias e obsessões.
Essas são suas vidas, e todas elas viveram na Terra.
Peça a elas para falar, e escute-as.
A essência espiritual dela, obedecendo ao suave comando do guia, entrou em contacto com cada uma de suas partes e ouviu a história de cada uma.
— Meu nome é David.
Não vivi por muito tempo.
Na verdade, vivi por apenas alguns meses.
Minha encarnação foi curta, para que meus pais terrestres pudessem aprender do sofrimento e da dor que minha perda traria.
Mas eu também senti uma perda terrível e um vazio muito grande.
Não pude crescer e encontrar um lugar no mundo.
Isso parece injusto.
Sei que nasci para morrer cedo.
Escolhi esse caminho para que pudesse ajudar outros.
Mas o vazio permanece dentro de mim.
O guia disse ao espírito dela:
— Fale com David e conte que ele é parte de você.
Diga a ele que o vazio e a perda acabaram.
Ele encontrou seu lugar no mundo e esse lugar é com você e com seu espírito.
Um dia, vocês juntos encontrarão seu lugar com Deus.
O espírito, na verdade, não precisava falar; para tocar a entidade chamada David, bastava apenas olhá-la e pensar.
— Agora, peça a David que se junte a você para que ambos se tornem um só.
Aceite-o agora, ele tem muito para lhe dar, pois é jovem, com vitalidade e cheio de sonhos.
Traga-o para dentro de si, traga-o para seu lar.
O espírito e David brilharam, quando suas vibrações se sincronizaram e se tornaram um só.
A aura emitiu um som agradável, devido a essa nova energia.
Kristen, a norueguesa, foi a próxima entidade a falar.
— Eu também estou sozinha. Fui criada por pais frios e indiferentes.
Nem mesmo uma criança pôde trazer calor humano para meu lar.
Meu pai, obcecado com seus negócios, forçou-me a casar com um homem que eu mal conhecia, o filho de um de seus sócios.
Nasci em uma família sem amor e vivi minha vida dentro de um casamento sem amor.
Por causa de David e agora de Kristen, eu estava começando a entender a composição desse espírito que conheci como Clara:
frustração, vazio e solidão.
Um a um, esses problemas emocionais tinham de ser resolvidos, caso o espírito quisesse evoluir.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Fev 28, 2016 1:02 pm

O guia falou com o espírito dela novamente.
— Olhe para Kristen e para a vida dela.
São parte de você.
Em sua lembrança você a vê sozinha, em um casamento sem amor?
Pois apague essa cena.
Tire suas cores e deixe as imagens em preto-e-branco se fundirem até que não existam mais.
O espírito de Kristen levantou-se vagarosamente, e sua luz pálida e fraca se fortaleceu, conforme a aura e Kristen trabalhavam juntas para resolver a experiência daquela encarnação.
O guia pediu à aura para que deixasse aquela encarnação entrar nela também, curando seus ferimentos e tornando-a uma parte do todo do novo espírito.
E assim esse processo continuou, até que todas as encarnações foram auxiliadas e reintegradas ao grande espírito.
Clara não era mais Clara.
Ela era um verdadeiro espírito, o total de suas vidas, experiências e acções.
Seu guia perguntou como ela se sentia.
— Para ser sincera, um pouco tonta e desorientada, mas sinto um poder, uma força interior como nunca senti antes.
Seu guia explicou que sua tontura e desorientação eram uma coisa normal, simplesmente o resultado de colocar suas partes separadas, analisá-las, limpá-las e encaixá-las de volta em seus respectivos lugares.
Ela respondeu dizendo que não tinha ideia dos laços que ligavam todas as suas vidas:
o homem de negócios em Veneza que ignorava sua família em função dos negócios.
O professor da Lituânia que passou a vida inteira educando crianças dos outros, apenas para descobrir muito tarde que queria ter suas próprias crianças.
— Pela primeira vez — ela disse — eu vi, claramente, o círculo de rejeição que eu mesma criei, mas não sinto mais um vazio.
Eu sou uma, comigo mesma.
Se eu soubesse que era assim fácil, teria pedido ajuda antes.
O guia mais novo, que estava assistindo a tudo em silêncio, falou pela primeira vez.
— Reintegração não é fácil, Clara.
Levou todos esses anos e encarnações para que atingisse esse nível.
Você não poderia ter feito isso antes.
Lembre-se, é um passo por vez.
As coisas acontecem quando devem acontecer, nem um minuto antes, nem um minuto depois.
Ela concordou.
— Lá na Terra, existe um ditado: primeiro conheça a si mesmo para depois tentar conhecer os outros.
Agora, pela primeira vez, sei o que isso quer dizer.
Eu realmente sei quem sou.
Ambos os guias a olharam e sorriram.
— Sim, conhecer a si mesmo é muito importante.
Mas existe uma outra coisa que também é tão importante quanto isso — disse o guia mais novo.
— O que é?
Foi o guia mais velho quem respondeu:
— Depois que você se conhece, precisa se amar, com todas as suas falhas, seus defeitos e suas fraquezas.
Somente depois que você aceita seus defeitos, poderá libertar-se deles.
Ame a si mesmo, e você amará o eu que encontrar nos outros.
Ela concordou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Fev 28, 2016 1:02 pm

Todos reflectiram sobre essa revelação por alguns momentos.
Eu também.
Conheça quem você é, o que você é e do que faz parte.
Então, ame a si mesmo, com seus defeitos, suas insignificâncias, suas qualidades e suas virtudes.
Quando nós, verdadeiramente, fizermos isso, teremos dado um grande passo em direcção ao lar.
Clara perguntou a seus guias o que viria a seguir.
O mais jovem respondeu:
— Examine a si mesma, não como a Clara da última encarnação, mas como um espírito inteiro se vendo pela primeira vez.
Acho que você encontrará sua resposta.
Ela sorriu. Todos sorrimos.
Clara ficaria connosco por algum tempo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Fev 28, 2016 1:03 pm

Maryanne chega aos programas de televisão

Eu gostava de Maryanne.
Ela era cheia de vida, esperta e, acima de tudo, me fazia rir.
Lembro-me de uma conversa especial que tive com ela.
Foi no dia em que decidi virar o jogo.
Nós nos encontramos perto de sua "faculdade" (creio que esta seja a melhor maneira de descrever este lugar aqui no astral), onde ela estava estudando a história terrestre.
Por algum motivo, Maryanne era atraída por esse assunto, e ela estava se tornando boa em história.
Estávamos no grande pátio central, lugar onde os estudantes se encontravam para conversar e discutir.
Ele estava cercado por esferas de aprendizado.
Era um lugar tranquilo, coberto pelas copas de árvores.
Eu estava sentado na grama quando ela chegou.
— Olá, Robert.
Nessas roupas, você parece um velho aposentado que não tem nada para fazer.
Eu estava vestindo meu jeans azul, minha camisa quadriculada também azul e um boné de beisebol do New York Yankees.
As roupas aqui mudam, conforme o humor do espírito.
Acho que estava com o humor de um velho aposentado, porque, ao me observar, percebi que ela estava realmente certa.
Maryanne tinha mudado.
Não era mais aquela garota mal-humorada, havia se tornado uma moça madura e bonita.
Seu folgado manto vermelho era uma prova de sua evolução espiritual, e sua aura energizada mostrava que ela havia abandonado a maior parte daquela energia negativa que cultivara na Terra.
— É um prazer revê-la, Maryanne.
Você sempre tem uma palavra bondosa para acalmar uma alma cansada.
Ambos rimos, e então perguntei por que ela queria me ver.
— Por nenhum motivo em especial...
É que não tenho visto você por um tempo, e sinto falta de nossas conversas.
Sem pausas, ela me contou sobre seus estudos e seu fascínio pela história e desenvolvimento da esfera terrestre.
— Acho que existe alguma razão para minha atracção pela história terrestre.
É como você disse uma vez:
"Nada acontece ao acaso".
Bem, não preciso saber o porquê, só sei que gosto muito de história.
Nunca imaginei que gostaria, mas esta escola é diferente.
Não há pressão.
Você aprende porque quer aprender e não porque você tem de aprender.
Se o que está estudando é complicado, bem, você não se sente um idiota.
Aqui você aprende em seu ritmo.
Não há pressão, julgamento ou repetência.
Ela me perguntou quais as novidades.
Brincando, eu disse estar me sentindo como um velho aposentado.
Disse então estar trabalhando com um espírito novo que tinha acabado de chegar.
Seu nome era Ernst e ele havia acabado com minha energia.
Quando contei sobre ele, Maryanne disse ter ouvido falar dos nazistas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Fev 28, 2016 1:03 pm

— Hoje em dia eles são chamados "skinheads", e têm muito a aprender.
— Maryanne, você já percebeu que, toda vez que nos encontramos, você me pergunta um monte de coisas?
Bem, hoje eu gostaria de fazer-lhe algumas perguntas.
— Nossa, um teste! Isso é demais!
Exactamente o que preciso.
Expliquei que não se tratava de um teste, era somente uma curiosidade minha.
— Deixe um velho de bom humor — acrescentei.
Você está aqui há algum tempo e está começando a aprender a razão da vida.
Uma vez que você está estudando essas coisas, seria interessante tentar algo.
— O quê, por exemplo?
— Suponha que você encarnasse novamente na Terra e não perdesse a consciência e a lucidez que conseguiu aqui.
Você retornou à Terra com a missão de compartilhar suas experiências com almas terrestres...
Ela sorriu e perguntou se ela seria um profeta.
— De um certo modo — respondi.
— Ei, eu gosto disso...
Profeta Maryanne.
Vou chegar a flutuar, ter visões e entrar em transes?
Ambos rimos.
Disse, brincando, que, se ela fizesse isso, alguém a colocaria em um hospício.
— Na verdade, eu só estou curioso para saber como você lidaria com certas questões.
Isso daria uma ajuda também em minha jornada.
Ela disse que ficaria muito feliz em me ajudar.
— Muito bem! O negócio é o seguinte: você está de volta à Terra e você está pregando sobre a vida que existe deste lado.
Você explica que a vida após a morte é diferente do que a maioria das pessoas imagina e do que os religiosos mais tradicionais pregam.
Você fala sobre reencarnação, carma, darma e todas as verdades que aprendeu aqui.
Você se torna uma celebridade e, já que você fala bem, um daqueles programas tontos de auditório a convida para uma entrevista.
Nesse show há outros convidados que não concordam com você.
Os produtores desses programas gostam de fazer isso porque discussões e brigas acabam ocorrendo, o que lhes garante audiência.
E não se esqueça do auditório, essa é a parte divertida.
Eles são mais loucos do que os convidados.
Ela entendeu o que eu estava querendo dizer.
Então, achei que estávamos prontos para começar.
— Espere um minuto, Robert.
Antes de começar, há algo que preciso saber.
— O quê?
— Vou ter uma grande apresentação nesse programa ou só vou entrar no palco e ficar sentada?
— Você terá uma grande apresentação. Como dizem na TV, você vai ser a convidada especial da noite.
Ela gostou disso e pediu para fazer sua própria apresentação.
E começou:
— Eles vão dar um close no apresentador do programa, para começar.
A expressão dele está querendo dizer:
"Vocês não vão acreditar nisso, mas vou ajudá-los a entender".
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Fev 28, 2016 1:03 pm

Ele começa o programa falando um pouco sobre mim:
"Maryanne é do sul da Califórnia e ela está causando muita controvérsia por lá.
Parece-me que nossa primeira convidada (que sou eu) não acredita nem no céu nem no inferno".
Nesse momento, ele se vira para mim e pergunta, num tom dramático:
"Se não existe nem céu nem inferno, onde fica essa vida após a morte sobre a qual você tanto fala?"
Maryanne disse que o apresentador iria fazer-lhe perguntas capciosas para provocar, tentando armar uma cilada para ela.
E prosseguiu:
— Os apresentadores têm muita facilidade para fazer isso, Robert.
Eles até podem perguntar na hora certa, mas sua voz sugere que há uma resposta secreta que só eles sabem.
Perguntei como ela lidaria com o assunto "vida após a morte".
Maryanne disse que começaria falando que o mundo astral está à nossa volta.
— Quando nosso corpo pára de fazer o que costumava fazer e morre, nosso espírito, ou alma, abandona-o e passa para uma outra vibração.
É realmente simples.
Nossa vida continua em um outro nível; e esse nível varia de alma para alma.
Onde se localiza essa outra vibração?
Bem, se pudesse sintonizá-la, você a veria em todo lugar, à sua volta.
É como um cruzeiro em um transatlântico.
Imagine-se indo até o cais para se despedir de alguns amigos.
Eles, assim como centenas de outros passageiros, embarcam nesse navio para um cruzeiro pelo Caribe.
O navio, lentamente, deixa o porto e navega em direcção ao horizonte.
O navio vai ficando cada vez menor, até que se transforma em um minúsculo ponto.
Então, o navio e seus passageiros desaparecem.
Mas ele realmente desapareceu? É claro que não.
Ele ainda está lá, embora você não o veja mais.
Um radar poderá localizá-lo.
Alguns dias depois, o contrário acontece.
O navio aparece como um ponto no horizonte, depois fica cada vez maior, até que chega ao cais novamente.
A morte é assim:
nós simplesmente entramos em uma dimensão que nós, na Terra, não conseguimos ver.
Maryanne disse que o apresentador iria provocá-la ao fazer a próxima pergunta.
— Você está querendo nos dizer que a morte é como um cruzeiro para o Caribe?
Maryanne disse que o auditório iria rir muito da esperteza do apresentador.
— Na verdade, não.
Um cruzeiro é uma forma de passar as férias durante nossa vida na Terra.
A morte é o renascimento em nossa verdadeira vida espiritual.
Esta vida terrestre não é nada além de uma ilusão que prepara e desenvolve a alma para sua verdadeira existência.
— Bem, Maryanne, isso é muito interessante, mas teremos de dar uma parada para os comerciais e, quando voltarmos, o reverendo William T. Robeson estará connosco.
Pode apostar que ele vai ter algumas perguntas para você.
Eu interferi:
— Maryanne, deixe-me fazer o papel do reverendo.
Você não pode ser a convidada e o inquisidor ao mesmo tempo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 75742
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A PASSAGEM - Bob / Richy Medeiros

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum