SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Página 5 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 17, 2016 8:04 pm

A equipe médica, que acabara de chegar, interrompeu-o:
- Não toque nela.
Não sabemos se teve alguma fractura.
Pelo menos está respirando.
De facto, Odete respirava.
Estava desacordada, mas viva.
Marta terminou de secar os cabelos.
Ouviu o barulho de uma sirene de ambulância.
Chamou por Odete e não obteve resposta.
Desceu as escadas, olhou para a sala, encontrou a porta escancarada.
Olhou para o lado e viu o fone fora do gancho.
Logo pensou no pior.
Sentiu um frio na barriga e saiu para a rua.
- Meu Deus! - gritou Marta.
O que aconteceu?
O motorista, ainda em choque, respondeu em desespero:
- Não sei o que aconteceu, dona.
Ela saiu correndo da sua casa, não tive tempo de brecar.
Eu buzinei, mas ela não ouviu.
O vizinho, olhando Marta de cima a baixo replicou, irónico:
- Bem que você tinha de estar metida nessa história.
Vai saber o que você deve ter falado para a pobre moça.
Bem que eu estava ouvindo aquela canção demoníaca que não acaba nunca.
A coitada não podia dar confiança para uma... Uma...
- Uma o quê?! - perguntou Marta, nervosa.
O que o senhor está querendo insinuar?
Já não basta ser repreendida com os olhares que vocês me lançam quando saio à rua?
Agora não sou obrigada a escutar os seus desaforos.
Gosto de música ouço o dia inteiro, mas ao entardecer abaixo o volume, pois respeito o próximo.
E quanto a você?
Por que não vai tratar da sua vida, em vez de chegar bêbado em casa a altas horas e perturbar o nosso sono?
Quem é você para me dirigir à palavra?
O vizinho, ruborizado, tentou dissimular e contemporizar.
Antes que a discussão esquentasse, foram surpreendidos por Carmem:
- O que se passa?
Marta, o que aconteceu com minha filha?
- Não sei, minha amiga.
Eu estava secando os cabelos, ela na sala me esperando...
- Somos do pronto-socorro.
Carmem, lágrimas nos olhos, perguntou aflita:
- Ela corre risco de vida?
Vai ficar boa?
- Calma, minha senhora.
Por enquanto verificamos que ela fracturou a perna esquerda, logo acima da coxa.
No resto, parece que está tudo bem.
Teremos um diagnóstico preciso só mesmo no hospital.
Alguém da família pode nos acompanhar?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 17, 2016 8:04 pm

- Eu vou - respondeu Marta.
- Nada disso! Trata-se de minha filha.
Não posso perdê-la. Ela precisa de mim.
Fique e ligue para Tadeu.
Peça que venha, mesmo que seja de avião.
Eu me viro para ajudá-lo nas despesas das passagens.
Assim que chegar ao hospital, eu ligo dando notícias.
- Está bem.
Eu ligo para Tadeu e explico.
Carmem foi até sua casa, pegou a bolsa, voltou correndo e entrou na ambulância.
Segurando as mãos frias da filha, começou a fazer sentida prece.
- Por favor, não permitam que nada de mal aconteça a minha filha.
Acredito na espiritualidade, na vida após a morte, mas ficar sem marido e uma filha já me basta.
Odete precisa de mim, em vida. Ajudem-me.
Octávio estava a seu lado.
Emocionado, telepaticamente sorveu os pensamentos aflitos de Carmem.
Ele aproveitou o momento e deu um passe em Odete, reequilibrando seus chacras, que haviam se alterado com o acidente.
Depois, pousou uma mão no coronário e outra na região cardíaca de Carmem.
De suas mãos saíam luzes coloridas, revitalizando o sistema energético dela.
Em instantes Carmem sentiu um grande bem-estar.
Percebeu que alguma entidade amiga estava ali presente.
Não estava desamparada.
Comovida, agradeceu a Deus e sentiu forças novamente para enfrentar mais essa situação.
O corpo de Odete, após o passe, estremeceu levemente.
Lentamente ela abriu os olhos.
Ainda alheia a tudo, olhou para a mãe.
Esboçou leve sorriso e seus olhos se fecharam novamente.
A telefonista completou a ligação.
- Alô, Tadeu?
- Sim, o que foi?
Já conseguiu o que eu queria?
- Como assim?
Você ficou de me ligar.
- Mas liguei agora a pouco, Marta.
Entendi que você não queria falar por causa de uma eventual escuta.
- Ai, Meu Deus!
Agora sei o que se passou.
Tadeu preocupou-se do outro lado da linha:
- O que houve?
Aconteceu alguma coisa?
Descobriram-nos?
Marta, procurando assentar os pensamentos, pendia a cabeça de um lado para o outro.
Após pesado suspiro, tornou:
- Aconteceu. Mas nada ligado aos nossos assuntos.
- Então o que foi?
Embora a ligação esteja péssima, cheia de ruídos, sua voz não está nada boa.
O que está acontecendo?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 17, 2016 8:04 pm

- Não há como esconder...
Bem... Odete sofreu um pequeno acidente.
O outro lado da linha ficou mudo.
Marta aumentou a potência na voz:
- Você está me ouvindo?
Tadeu, com a testa e as mãos banhadas pelo suor, deixou que um fio de voz saísse de sua boca:
- É grave?
- Aparentemente não.
Carmem está com ela no hospital.
Receio que sofreu uma fractura, não sei ao certo.
- Como não sabe?
O que aconteceu realmente?
O que está escondendo de mim?
- Nada. Já disse que aparentemente ela está fora de risco.
Mas é bom que venha para cá.
Vou ficar em casa aguardando um telefonema de Carmem.
Vá correndo até Congonhas e pegue o primeiro voo para cá.
Venha directo para minha casa.
Marta desligou o telefone.
Foi até a sala e jogou-se pesadamente no sofá.
Falou para si:
- O que será que Tadeu falou na conversa?
Será que usou aqueles códigos?
Só pode ser isso.
Odete nada entendeu. Mas como...
A vida nos testa!
Por que Odete tinha de justamente atender a essa ligação de Tadeu?
Será que era um teste para medir na prática, o que aprendera com o nosso grupo?
Por quanto tempo ela vai continuar a ser uma vítima de sua insegurança e baixa-estima?
Lembrou-se do cabeleireiro.
Levantou-se, ligou e desmarcou os horários.
Fechou as cortinas, impedindo a claridade de entrar pela sala.
Deitou-se no sofá e ali ficou, absorta em seus pensamentos.
Tadeu estava horrorizado.
Com o peito oprimido e a cabeça pesada, ainda não havia percebido que fora Odete quem atendera o último telefonema que ele dera uma hora atrás.
Imediatamente lembrou-se da esposa de Seixas.
Ela trabalhava no aeroporto.
Ligou para o amigo.
- O que está acontecendo, Tadeu?
Parece que hoje você não sai do meu pé - brincou Seixas.
- Desculpe-me mais uma vez.
Preciso agora de um favor da sua esposa.
- Espere um pouco, vou chamá-la. Um abraço.
Alguns segundos depois, uma simpática voz soou do outro lado da linha:
- Olá Tadeu, como vai?
- Mais ou menos, Ema.
Sei que hoje é sua folga, mas preciso de um grande favor.
- Diga, e se eu puder, ajudarei.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 17, 2016 8:05 pm

- Odete sofreu um acidente no Rio.
- Não diga! É grave?
- Parece que não.
Eu preciso pegar um avião para lá.
Sei que você está de folga hoje.
Sabe, é sábado, será que você poderia me ajudar a arrumar uma passagem?
- Claro! Vou fazer uma ligação e em seguida retorno.
Fique tranquilo, faremos o possível.
Pode contar connosco.
- Obrigado.
- A propósito, não quer trazer Lívia e Lucas para cá?
É melhor não deixá-los sós.
- Pensando melhor, vou levar Lucas até sua casa.
Fico mais sossegado.
Marilza está de folga.
Veja se me consegue dois bilhetes.
Vou levar Lívia comigo.
- Está bem, retorno em seguida.
Tadeu desligou o telefone ainda atordoado.
- Papai, o que houve?
- Lívia, sua mãe não está muito bem.
- O que aconteceu?
Caiu em depressão novamente?
- Não. Sofreu um acidente.
Lívia colocou e tirou a mão da boca.
- Acidente? Como?
- Não sei ao certo.
Marta não me deu maiores detalhes.
Por sorte os interurbanos hoje estão a nosso favor.
Acabei de ligar para a casa de Seixas e Ema está tentando providenciar dois bilhetes, um para mim e outro para você.
Suba e faça uma maleta para nós dois.
- E se ficarmos mais tempo?
Não sabemos da gravidade.
- Eu sei. Mas se tudo correr bem, quero transferi-la para cá.
Odete precisa estar hospitalizada ao lado dos filhos e do marido.
Traremos sua mãe para São Paulo.
- Está certo, papai.
E quanto a Lucas? E Cláudio?
- Ema pediu-me para deixar Lucas com ela.
Seus filhos têm a mesma idade que ele.
Não quero assustá-lo.
Diremos somente que vamos buscar a mamãe.
Quanto a Cláudio, ele pode ficar por aqui.
É mais seguro. Marilza estará de volta amanhã.
Não temos tempo a perder.
Lívia acatou de pronto as ordens do pai.
Subiu e foi fazer a mala.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 17, 2016 8:05 pm

Tadeu deixou-se cair no sofá.
Começou a chorar.
Amava muito aquela mulher.
O que estava acontecendo?
Por que o casamento estava a ponto de ruir?
Por que Odete não percebia o amor que sentia por ela?
Será que ela estava bem?
Será que Marta não estava a acobertar uma situação grave?
O emaranhado de pensamentos foi cortado pelo toque do telefone.
- Alô?
-Tadeu, sou eu, Ema.
Consegui um voo para as dezoito horas.
Acha que consegue chegar a tempo?
- Sim. Lívia está preparando uma maleta.
Daqui a pouco deixarei Lucas em sua casa.
Muito obrigado.
Mal desligou, o telefone voltou a tocar.
- Nada disso. Vocês vêm para casa.
Sabe como é hospital público, enfermaria, essas coisas.
Assim que chegarem, vamos juntos.
- Está bem, até mais.
- Boa viagem.
Dê um beijo em Lívia.
- Obrigado.
Tadeu desligou o telefone ainda preocupado.
Pensou no estado de saúde da esposa e logo sentiu o peito apertar.
Agora era o basta.
Dessa vez, faria o possível para reconquistar o amor da esposa.
Não mediria esforços para tê-la feliz, a seu lado, com todo o amor que ele tinha a lhe ofertar.
Após caminhar cerca de uma hora, Nelson já estava no saguão do hotel.
Dirigiu-se até um simpático atendente e apanhou a chave do quarto.
Pegou o elevador, chegou até o seu andar.
Caminhou alguns metros até a porta de seu quarto.
Abriu a porta, acendeu a luz, olhou ao redor.
Atordoado ainda com a conversa tida na igreja momentos antes, foi vagarosamente tirando o paletó e desatando o nó da gravata.
Colocou as roupas sobre a cama.
O silêncio foi quebrado pelo toque do telefone.
- Alô. Sr. Nelson há uma pessoa aqui na recepção esperando-o.
Nesse instante Nelson deu-se conta do horário.
Antes de responder, tampou o bocal do telefone.
Olhando para cima, balançando as mãos, disse para si mesmo:
- Oito horas! E Castro na recepção.
Estou completamente atrasado.
Respirou fundo, tirou a mão do bocal do telefone.
Com voz que procurou tornar calma, disse:
- Ponha-o na linha, por favor.
Alguns segundos depois, Castro estava ao telefone:
- Algum problema, Nelson?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:21 pm

- Desculpe-me. Eu perdi a hora.
Acabei de chegar ao quarto.
- Não há problema algum, posso esperar.
- Estarei pronto em dez minutos.
- Está bem.
Encontre-me no bar, ao lado da recepção.
Não se apresse.
André está preso em uma reunião e também vai se atrasar.
- Obrigado.
Nelson desligou o telefone chateado.
Disse em voz alta:
- Eu nunca me atrasei antes.
No primeiro encontro e eu já apronto uma dessas.
Coçou a nuca, procurou na mala uma camisa limpa.
Quinze minutos foi tempo suficiente para um banho rápido e uma troca de roupa.
Ele desceu e dirigiu-se até o bar.
Castro estava de costas, fumando e bebendo um cocktail.
Nelson estapeou levemente o seu ombro:
- Perdoe-me. Não sou de atrasos.
- Ora, deixe disso.
Imprevistos acontecem - e fazendo gesto para que o médico se sentasse:
Quer aproveitar e tomar algo antes de sairmos?
- Não, obrigado.
Gostaria mesmo que fôssemos directo ao jantar.
Desculpe-me a indelicadeza, mas tive um dia estafante e me esqueci de comer.
O meu estômago está doendo.
- Meu carro está logo aí na recepção.
O restaurante também não fica muito longe daqui. Vamos.
- Óptimo - respondeu Nelson.
Saíram em silêncio e foram até o carro.
O advogado, após dar a partida, acelerou e percebendo uma ponta de timidez em Nelson puxou assunto:
- Há quanto tempo não vem a São Paulo?
- Mais ou menos cinco anos.
Realmente essa cidade não pára.
Estou fascinado com tantas mudanças.
Nelson ia conversando com Castro sem desgrudar os olhos da paisagem.
O advogado, percebendo o brilho nos olhos do médico, considerou:
- Estamos com novas avenidas, temos duas marginais.
Logo teremos o metro.
Castro, conforme passava pelos pontos alterados da cidade ia mostrando as diferenças, apontando o que haviam feito.
Subiram pequena rampa, dando acesso a uma via expressa, elevada.
- O que é isso? - admirou-se Nelson.
- Acabaram de inaugurar.
É uma avenida suspensa, que serpenteia os prédios.
Nelson meneou a cabeça.
- Interessante.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:21 pm

- Não deixa de ser - rebateu Castro -, mas poderiam ter feito um planeamento melhor.
Poderiam considerar outras alternativas.
Nos últimos anos a cidade vem crescendo demais, mas não há uma preocupação quanto à estética.
Esta obra por onde estamos passando é útil, mas não precisava passar pelo meio dos prédios.
Nelson olhou ao redor:
- Isso é verdade.
Deve ser difícil para as pessoas que moram por aqui conciliar o sono.
- Esse é o lado degradante.
Construíram o elevado para a melhor fluidez do trânsito, para ligar o centro à Água Branca, mas se esqueceram da qualidade de vida de quem mora nesses prédios.
Castro, após alguns segundos, percebendo que Nelson estava mais à vontade, tornou:
- Infelizmente, a Avenida São João, que já foi um marco da nossa cidade, e uma das mais bonitas e arborizadas, tende a sofrer com essa obra.
Não sei como será esta parte do centro daqui a alguns anos.
Receio pelo pior.
- Não havia pensado nisso.
Você é muito observador.
Um advogado que gosta de arquitectura.
Castro sorriu.
- Amo a minha profissão.
Afinizo-me com a arquitectura porque embeleza, organiza e melhora a vida das cidades.
Uma cidade bem organizada, com prédios e casas bonitas, árvores, trânsito disciplinado, é um sonho para muitos de nós.
Dá-nos a sensação de ordem, capricho e valor.
- Você poderia ser arquitecto e advogado, por que não?
- O Direito toma quase que exclusivamente todo o meu tempo
- Ser advogado não implica em saber de cor um punhado de leis.
Implica, acima de tudo, em ser um observador do comportamento humano.
- Deve ser difícil advogar.
E se você conseguir absolvição para um criminoso? - considerou Nelson.
- Todas as pessoas têm direito a defesa.
Aos olhos de Deus, não há criminosos.
Mas ninguém fica impune.
Eu não gosto de advogar a favor de um criminoso, embora ele tenha todo o direito a uma defesa.
Cada caso é um caso, não podemos generalizar.
Defender pessoas é delicado e complicado.
Mas acredito na justiça dos homens, pois, embora falha em alguns pontos, ainda é o único meio que temos de manter a sociedade em equilíbrio.
Particularmente prefiro trabalhar na área tributária.
Nelson passou a mão pelos cabelos.
Em tom irónico, disse:
- Você falou agora a pouco em Deus.
Deve ser complicado juntar divindade com justiça humana, não acha?
- Muito pelo contrário.
Sempre fui muito céptico, nunca quis saber de nada.
Sempre achei que tudo o que fosse relacionado com Deus era perda de tempo.
Mas parece incrível, porque quando a vida percebe que estamos prontos para compreender suas leis, ela sempre dá um jeitinho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:21 pm

- Agora estou curioso - tornou Nelson.
O que aconteceu para você deixar de ser céptico e mudar de ideia?
Castro foi falando e se empolgando.
Sem desviar a atenção do trânsito, olhando para frente, continuou, animado:
- Situações, apenas situações.
- Como assim? - retrucou Nelson - Não entendi.
- Eu sempre gostei de questionar.
Nunca aceitei o imposto pela sociedade ou pela igreja.
Sempre quis saber a verdade das coisas.
- Sei. Mas e daí?
- Sempre queremos factos que comprovem o extrafísico, situações que nos mostrem que algo maior existe e controla as coisas.
Há alguns anos, antes de me especializar em legislação tributária, atendi a um senhor.
O contacto com ele definitivamente mudou minha maneira de interpretar os factos.
Nelson fingiu uma postura interessada.
Queria saber até onde Castro iria com suas considerações.
Em tom que procurou tornar interessado, perguntou:
- Como foi?
Castro, percebendo a falta de interesse de Nelson, respondeu:
- Deixe para lá.
Você não vai se interessar.
Respeito o seu ponto de vista.
Nelson, procurando ser educado, e lembrando-se da tarde na igreja, insistiu:
- Desculpe-me. Realmente não gosto desses assuntos.
Mas passei por uma situação nesta tarde que me deixou intrigado.
Talvez a sua história possa me ajudar a entender alguma coisa.
- Está bem.
Temos ainda alguns minutos antes de chegarmos ao restaurante.
- Por favor - implorou Nelson.
Castro começou a contar sobre um general do exército que lhe pedira ajuda para fazer seu testamento, anos atrás.
Nelson procurou dar atenção.
Castro continuou:
- Ele era um homem quente, pois as Forças Armadas tinham acabado de assumir o poder.
Estranhei o seu telefonema.
Ele disse-me que seu filho, que havia estudado comigo na faculdade, tinha cometido um deslize no passado.
Nelson meneou a cabeça:
- Acabou engravidando alguma mocinha.
Castro riu alto:
- Bingo! Pedro Henrique, o meu amigo, havia engravidado a empregada de sua casa na época da faculdade.
Mas eu nunca soube de nada.
Só sei que a família acobertou tudo e o general deu dinheiro suficiente para a moça sumir definitivamente da vida do filho.
- Mas ela não chantageou a família?
Eles corriam esse risco.
- O general era tacanho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:21 pm

Como ela queria a criança, ele a alertou:
se um dia viesse exigir alguma coisa, ele daria cabo do menino.
Nelson pendeu a cabeça para o lado:
- Nossa, mas que homem rude.
- Sim. Mas veja o arrependimento.
O homem ficou viúvo, Pedro Henrique era seu único filho e morreu solteiro num acidente há alguns anos.
Cansado e desiludido, o velho Ubirajara arrependeu-se do que fizera e resolveu deixar tudo para o neto bastardo.
- E como pretende localizá-lo?
- O general e o espírito de Pedro Henrique me ajudaram muito.
Já sei o paradeiro do garoto, que hoje já é homem feito.
A mãe usou todo o dinheiro em sua educação.
Sei que Cláudio é professor muito bem conceituado, por sinal.
Nelson impacientou-se.
Mais um metido com espíritos!
Em que mundo vivia?
Por que isso agora?
Procurou dissimular a irritação:
- Então é só localizar o rapaz e dar-lhe o dinheiro.
O que teria o espírito de seu amigo a ver com tudo isso?
Não é fantasia de sua cabeça?
O próprio general não ajeitou tudo?
Castro percebeu a irritação na voz de Nelson.
Imperturbável, respondeu:
- Foi ele quem indicou o meu nome ao general, durante uma sessão espírita.
Não acha fantástico?
Imagine um caso desses em mãos inescrupulosas.
Causaria tremores nas mais altas patentes de Brasília.
Nelson nada respondeu.
Castro considerou:
- Esse neto é ligado à esquerda.
Safou-se de várias situações, pois o general, embora inactivo, conseguia impedir que prendessem o neto.
Como ele morreu no ano passado, não sei se continuaram a proteger o moço.
Se depender dos espíritos do pai e do avô, ele deve estar recebendo muita protecção.
O inventário ficou pronto semana passada e preciso entregá-lo para que esse Cláudio receba a herança.
Nelson estava meio mal-humorado por estar com fome.
Ouvindo o papo de Castro, perguntou à queima-roupa:
- Pelo visto, mesmo sendo um doutor, acredita em reencarnação?
Vida após a morte?
Castro ficou estático por alguns segundos.
Mantendo o humor, respondeu:
- Depois desse episódio com o general, comecei a ler a respeito.
É impressionante como encontrei material sério e concludente.
Nelson, eu tenho a mente aberta, estou sempre pronto para novos aprendizados.
Você nunca se perguntou, sequer uma vez na vida, já que é médico, por que Deus permite que algumas pessoas nasçam saudáveis e outras, que aos olhos humanos parecem pequenas e indefesas, nasçam deficientes ou doentes?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:22 pm

Sinto haver alguma explicação lógica para que Ele não seja imparcial com Seus filhos.
Nelson foi pego de surpresa.
Nunca havia pensado por esse ângulo.
- Acho fantasioso demais.
Só aceito o que é visível.
Castro riu novamente:
- Então não acredita em micróbios?
Nelson lembrou-se do jantar com D. Clotilde.
Abriu e fechou a boca, estupefacto.
Ia falar, mas Castro cortou-lhe o fluxo:
- Acredito numa razão maior para tudo isso ocorrer.
Só não aceito que Deus jogue, favorecendo alguns e desfavorecendo muitos outros.
Nelson continuou quieto.
Em sua cabeça começaram a fervilhar perguntas, que careciam de respostas.
Estava incomodado com o assunto.
Procurando tornar-se participativo, falou:
- Qualquer pessoa tem o direito de pensar o que quiser.
Não tenho preconceito, tanto que meu amigo Santiago adora estudar a vida espiritual, o mundo astral.
Já tentou me convencer, mas eu não entro nessa, embora respeite a sua opinião.
Ele também é de nível, vem de boa linhagem.
- Espiritualidade não tem a ver com nível, está disponível para qualquer um - e manobrando o carro, finalizou:
- Chegamos ao restaurante.
Desculpe-me, mas toda vez que toco nesse assunto, fico emocionado.
Quem sabe você um dia não mude de ideia e venha conhecer o Centro que frequento perto de casa, lá no Pacaembu?
Nelson imediatamente lembrou-se de D. Guiomar.
Será que se tratava do mesmo Centro Espírita?
Era coincidência demais para sua cabeça.
Procurou dissimular:
- E então, o que você começou a fazer nesse Centro?
- Estudar, compreender, observar.
A história de Pedro Henrique me estimulou.
Às vezes o espírito dele, ou o do general aparece em algumas sessões especiais.
Nelson não sabia qual atitude tomar.
Estava com a mente confusa.
Abriu a porta do carro e saiu cabisbaixo.
Pela sua cabeça desfilavam as imagens de Carla, Clotilde, da igreja que visitara à tarde, da simpática senhora de nome Guiomar...
Castro, procurando respeitá-lo, nada disse.
Dirigiram-se até a recepção do restaurante.
Enquanto Castro se informava a respeito da mesa, Nelson ia se questionando, pela primeira vez na vida, se realmente não existia algo maior que regia todo esse universo.
Começava a aceitar uma ínfima possibilidade da existência de Deus e da reencarnação.
Antes de sentar-se à mesa, em sua mente veio nitidamente o rosto de D. Clotilde a sorrir-lhe.
- Será que ela está certa?
Será que não alucina? - pensou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:22 pm

Sentou-se, enquanto Castro dirigia-se ao banheiro.
Pediu um drinque, recostou-se na cadeira.
Eram muitas informações, em muito pouco tempo.
Respostas mal apareciam para esse turbilhão de perguntas que assolavam a sua alma.
André chegou ao restaurante quinze minutos depois.
Atencioso e com sorriso nos lábios, foi cumprimentando Castro:
- Até que enfim, estamos frente a uma mesa sem papéis, amigo.
Castro levantou-se da cadeira.
Animado, respondeu:
- Afinal de contas, estamos sempre falando sobre leis e tributos.
Este aqui é um cliente e amigo - disse o advogado, apontando com os dedos para a figura bem-apessoada de Nelson.
- Muito prazer - disse André.
- Como vai? Sente-se, por favor.
- Não ligue para a cara de Nelson - tornou malicioso Castro.
No caminho fui lhe contando a história do general.
André, sorriso maroto, virou-se para o médico:
- Ele pegou você com essa história?
- Por quê? Não é verdade? - perguntou Nelson, remexendo-se timidamente na cadeira.
- Claro que é.
Castro pode ser o que for, mas nunca poderão chamá-lo de mentiroso.
Quando soube da história, eu já estudava as leis universais, o encontro com Deus, com a espiritualidade.
Nelson admirou-se:
- Um rico empresário falando sobre encontro com a espiritualidade...
Interessante.
- E qual o problema? - inquiriu André.
Conhecer e estar em sintonia com o mundo astral nos propicia uma maneira mais branda de encarar certas situações desagradáveis na vida.
Após pedirem um drinque para um garçom impecavelmente vestido, André continuou:
- Quando a minha esposa morreu, eu não me interessei em saber se ela iria para o céu ou para o inferno.
Eu tinha dois filhos pequenos para cuidar.
Era muita responsabilidade.
- Com filhos pequenos para criar, deve ser difícil arrumar tempo para pensar em... Em... - balbuciou Nelson.
- Em Deus? - perguntou Castro.
- Sim - tornou o médico, sério.
- Engano seu - respondeu André.
Quando Ester morreu, fiquei completamente perdido.
Vivíamos bem, em permanente rotina, onde eu trazia o dinheiro para dentro de casa e ela administrava os gastos.
Nunca conversávamos sobre a educação de nossos filhos.
Isso era trabalho e problema dela.
Se pudesse voltar no tempo, eu teria participado mais da educação de meus filhos.
Mas por preconceito, nunca quis me envolver.
Castro interveio:
- É a velha história de dividir os compromissos dentro de casa por tarefas de homem e de mulher.
Muito sistemático e pouco prático.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:22 pm

Em nome do preconceito, nós, homens, deixamos de trocar muitas experiências com as esposas.
Nelson nada disse.
Procurou prestar atenção em André, mesmo que em mente estivesse fazendo um questionário acerca da vida, da morte e de Deus.
André tornou:
- Nunca fui apaixonado por Ester.
Percebi isso após sua morte.
Gostava bastante o suficiente para perceber que esse sentimento era capaz de segurar um casamento comum como tantos por aí.
Nelson, procurando tornar-se participativo, considerou:
- Então, como se diz por aí, não foi à dor da perda de sua esposa que o fez procurar conforto espiritual?
- Nem sempre é assim.
Para cada pessoa a vida dá o recado de uma maneira singular - replicou Castro.
Curioso, Nelson perguntou a André:
- Então, o que o fez procurar esse conforto?
André, olhos perdidos no infinito, com brilho emotivo no olhar, respondeu:
- Quando um de meus filhos morreu.
Nelson remexeu-se nervosamente na cadeira.
Castro, procurando tornar o ambiente menos constrangedor, disse animado:
- André é pai do famoso Ricardo Ramalho.
- Que honra!
Estar sentado ao lado do pai de um galã.
- Obrigado - respondeu timidamente André.
- Qual nada! Seu filho é um grande actor.
Não sou de assistir novelas.
É difícil lá no interior.
Tem dias que a imagem fica péssima não conseguimos assistir nada.
Dessa forma, não temos paciência para assistir à televisão em casa.
- Nem colocando palha-de-aço na antena? - perguntou Castro, bem-humorado.
Todos riram animados.
Nelson continuou:
- Gosto de manter-me informado sobre tudo.
Leio jornais e revistas que tratam vários assuntos.
Ultimamente tenho visto seu filho em capas de revista.
- Ricardo está em boa fase.
Agora anda metido com uma actriz, o que me preocupa um pouco.
Mas é um bom rapaz.
- Lamento que tenha perdido um filho - considerou Nelson.
André, semblante tranquilo, contemporizou:
- Até hoje é duro.
Quando Rogério morreu, eu quase enlouqueci.
Fui internado numa casa de saúde, tratamento psiquiátrico pesado.
Pensei que fosse morrer.
- E eu pensei que fosse perder um de meus melhores clientes - retrucou Castro, procurando tornar aquele relato menos dorido.
Todos riram animados.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:22 pm

André continuou:
- Um dia, cansado de tanto chorar, lamentar e praguejar contra Deus resolvi ir com Elvira, minha governanta, até o Centro que ela frequentava.
Nelson balançava a cabeça.
Em seu íntimo, pensava:
Por que ele não aceita a fatalidade?
Por que não aceita que nascemos, morremos e pronto?
Por que essa mania de procurar um Centro Espírita para abrandar a dor?
André, como que captando os pensamentos de Nelson, replicou:
- Sempre considerei a vida espiritual assunto de quem não tem o que fazer.
Coisa de gente ignorante.
Sabe, no dia em que estive lá pela primeira vez, não pude acreditar no que meus olhos viram.
André, através do brilho nos olhos, voltou no tempo.
Como se tivesse a sua frente uma imagem reflectida, tornou:
- Um lugar singelo...
Pessoas educadas, de várias camadas sociais.
Um ambiente harmonioso e tranquilo.
Sentamos numa mesa, com cadeiras ao redor.
Era dia de estudos.
E fiquei emocionado quando encontrei Castro lá.
Nunca havíamos conversado a respeito.
André pigarreou levemente, sorveu um gole de seu drinque.
Castro e Nelson, olhos grudados no empresário, mal sorviam o drinque que seguravam elegantemente nas mãos.
André acendeu um cigarro, tragou-o.
Após soltar vagarosas baforadas, acrescentou:
- Havia uma mesa forrada por uma fina toalha branca, ricamente bordada.
Sobre ela, alguns livros, um vaso com flores, um jarro com água e alguns copos.
Sentei-me timidamente.
Uma jovem apanhou um dos livros, abriu-o ao acaso e leu pequeno trecho.
Depois, proferiu linda prece e palestrou sobre a continuidade da vida.
- E assim você tornou-se conivente com esse tipo de pensamento? - perguntou Nelson encarando-o nos olhos, cinicamente.
- Sem dúvida. Comecei a entender muitas das diferenças e desigualdades da vida.
E o mais importante...
- O quê? - inquiriu Nelson.
- Que Deus não faz absolutamente nada para nós.
Nelson admirou-se com a resposta:
- Então faz como?
- Deus atua através da gente.
Só Ele sabe como actuar.
Mas é necessário que nós permitamos a Ele entrar e realizar.
- Ponto de vista interessante.
Não querendo ser piegas, e talvez sendo céptico demais, gostaria de conhecer o local que vocês frequentam.
Quando regressar a São Paulo, gostaria de ir.
- Estarei às ordens.
- Eu também.
Vamos deixar o assunto só um pouquinho de lado e pedir o cardápio - rogou Castro.
Nelson está faminto!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:23 pm

Riram novamente e solicitaram o menu.
Durante o jantar, a conversa girou sobre temas diversos, amenidades.
Na hora do cafezinho, André considerou:
- Sei que você tem uma filha.
Nelson, procurando não revelar detalhes, limitou-se a dizer, em tom que procurou tornar agradável:
- Uma linda garota.
Nelson piscou para Castro.
Voltou para André e disse:
- Acho que uns vinte e três, mais ou menos.
- Como assim?
Não sabe ao certo? - estranhou André.
- Confundo a idade dela.
Não sou muito ligado em datas.
Procurando disfarçar, Nelson disse:
- Tenho aqui uma foto dela.
Inclinou levemente o corpo e tirou a carteira do bolso interno de seu paletó.
Abriu e pegou a foto.
Falou orgulhoso:
- É esta aqui.
André olhou admirado.
Pareceu-lhe familiar.
Passou a mão pela testa como a afastar perguntas.
Tornou sorridente:
- Nossa! Que loira!
Deve dar muito trabalho.
Rindo, Nelson disse:
- Confesso ser verdade.
Carla é muito bonita, corpo bem-feito, jovem.
Dá um pouco de trabalho.
- Ela faz televisão, reclames ou peças publicitárias?
- Não, por que pergunta?
- Ela tem um rosto bem familiar.
Parece ser conhecida.
- Deixe-me ver - pediu Castro.
André deu-lhe a foto.
Castro colocou-a próximo aos olhos.
Limitou-se a dizer:
- Bonita mesmo.
André, rindo, disse:
- Bem que meu filho poderia namorar sua filha.
- Ora, imagino que seu filho tenha o mundo a seus pés.
Não será uma garota do interior, que vira e mexe tinge o cabelo de loiro que possa fisgar o coração de um galã nacionalmente desejado.
André também pegou a sua carteira.
Pousando os talheres sobre o prato, foi dizendo a Nelson:
- Deixe-me agora mostrar-lhe as minhas fotos.
Castro conhece toda a minha história e seus personagens.
Você não.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:23 pm

Logo começou a desfilar fotos na mesa.
Com o dedo indicador apontado para cada foto, André falava:
- Esta aqui é Sílvia, minha namorada.
Estamos juntos há um tempo, pretendo casar-me com ela.
- Nossa, que moça bonita!
- Ainda encontro-me em condições de ter uma vida afectiva feliz.
Não morri. Estou na casa dos cinquenta, mas sinto-me um garoto.
Deram sonora risada.
André continuou com as fotos.
- Esta é Ester, a mãe de meus filhos.
Estes são Ricardo e Rogério.
- Gémeos? - Nelson inquiriu admirado.
- Sim. Idênticos.
Nunca houve diferenças físicas.
Somente de temperamento.
Esta foto é antiga.
Eles ainda eram adolescentes.
Enquanto André falava, tirava outras fotos da carteira.
-Veja, este é Ricardo hoje.
Nelson olhou, balançando a cabeça:
- Reconheço seu filho.
É o mesmo rosto que vejo estampado nas capas de revista.
Longas costeletas e cabelos fartos.
- É sua marca registada - anuiu Castro.
André tirou uma última foto de sua carteira.
Com voz levemente modulada pela emoção, tornou:
- Guardo comigo a última foto que Rogério tirou.
Foi na noite de Ano Novo.
Aqui estão ele e sua namorada.
Nelson pegou a foto.
Nesse instante, sentiu um peso cair sobre sua cabeça.
Sua vista turvou-se.
Faltou-lhe o ar, e a tosse e o mal-estar foram iminentes.
André e Castro assustaram-se.
André disse:
- O que foi?
Não está se sentindo bem?
Nelson, olhos grudados na foto, respondeu, com um fio de voz:
- Não...
André e Castro fitaram-no.
Nelson, coração descompassado, procurando recompor-se:
- Desculpem-me.
Deve ter sido a comida.
Suando frio, voltou a olhar a foto.
Não podia ser verdade.
Esfregou impacientemente os olhos, como a constatar a veracidade daquele retracto.
Aquela era Carla, sua filha!
O que estava ela fazendo naquela foto, abraçada àquele rapaz?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:23 pm

Com voz que procurou tornar natural, perguntou a André:
- Diga-me.
Esta moça, por acaso, tem irmã?
- Tem sim.
- São gémeas, como seus filhos?
- Não. Ela tinha uma irmã mais ou menos uns dez anos mais velha que ela.
Não eram parecidas.
Leonor era uma garota lindíssima.
Nelson notou um brilho emotivo em André.
Castro interveio:
- Esta garota e o filho de André sofreram um acidente e morreram há uns seis anos.
Nelson procurou disfarçar.
Levantou-se, sentiu as pernas bambas.
Apoiou-se em sua cadeira.
- Você está pálido!
Tem certeza de que se sente bem?
Ainda apoiado na cadeira, Nelson, passos lentos, foi para o banheiro sem nada dizer.
Castro ficou fitando-o por um bom tempo.
- De onde conheço Nelson? - perguntou para si.
Tinha certeza quase que absoluta de já ter visto o médico antes.
Mas de onde o conhecia?
Procurou afastar os pensamentos com as mãos e terminou seu café.
Nelson, chegando ao toalete, debruçou-se pesadamente sobre a pia.
Abriu a torneira, abaixou a cabeça e começou a molhar vigorosamente o rosto.
Olhou-se no espelho.
Estava pálido mesmo.
Encontrando-se sozinho no reservado, disse em voz alta, olhando firme para sua imagem reflectida no espelho:
- É ela! Eu sei que é ela.
Mas como? Ele falou agora a pouco em acidente...
Será que tem algo a ver com aquele acidente?
Jogou mais água no rosto.
De súbito, gritou:
- É isso! Agora já sei de onde conheço Castro.
Ele está um pouco diferente, mas lembro-me perfeitamente dele, naquela noite com o médico e o dentista da família.
Deus do Céu!
Agora me lembro, Rogério Ramalho...
Nelson parou de falar.
Sentiu forte enjoo e dirigiu-se ao vaso sanitário.
Inclinou o corpo e vomitou todo o jantar.
Grossas gotas de suor banhavam-lhe as faces.
Após regurgitar, voltou a pia.
Jogou mais água no rosto e continuou em voz alta:
- Ajudei na liberação dos corpos.
Era Leonor alguma coisa.
Fechou a torneira.
Esfregou a toalha pelo rosto, com vigor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:23 pm

Voltou a olhar-se no espelho, agora menos pálido:
- Deus, se é que você existe, me ampare.
Estou perdido - as lágrimas começaram a lavar seu semblante.
Eu preciso saber a verdade, custe o que custar.
Aquela moça da foto é Leonor, que morreu no acidente.
Carla é idêntica a ela.
Meu Deus, se você existe, me ajude a decifrar o que aconteceu realmente naquela noite...
Sentiu forte aperto no peito.
Enquanto sua consciência se esvaía, só conseguiu balbuciar:
- Não posso perdê-la...
Lentamente foi se ajoelhando.
Tentou agarrar-se a pia do toalete, mas não conseguiu.
Sentiu mais uma pontada no peito.
Seu braço esquerdo começou a formigar, sua vista se embaçou por completo e nada mais enxergou.
Nelson caiu pesadamente no chão do banheiro e perdeu por completo os sentidos.
O táxi estacionou frente ao sobrado de Marta.
- É aqui.
Tadeu impacientemente tirou um maço de cruzeiros do bolso.
Pegou algumas notas e deu ao motorista.
- Vamos, Lívia.
Desceram do táxi e tocaram a campainha.
A porta abriu-se.
- Estava preocupada com vocês - e beijando pai e filha, Marta tornou:
- Fizeram boa viagem?
Lívia respondeu:
- Fizemos sim.
Com um pouco de turbulência, mas estamos aqui.
- Entrem, devem estar com fome.
- Não se incomode - considerou Tadeu.
- Como não? Primeiro vão tomar um banho e depois vamos até o hospital.
- Como está mamãe?
- Sua avó ligou há pouco.
Odete já está na enfermaria, encontra-se sedada.
Graças a Deus fora de perigo.
Só teve a perna quebrada, mais nada.
- Será que agora poderemos saber o que houve, Marta? - perguntou Tadeu, impaciente.
- Quando você retornou a ligação para casa, não fui eu quem atendeu.
- Como assim?
O que isso tem a ver com o acidente de Odete?
- Calma. O pior já aconteceu, e está tudo sob controle.
Odete estava bem.
Foi à primeira vez que eu e Carmem a vimos reagir.
Estava bem-disposta, com vontade de se arrumar, ficar mais bonita.
Parecia-nos que estava realmente se valorizando.
Fiquei de buscá-la para irmos juntas ao cabeleireiro.
Como sempre acontece, atrasei-me.
- E daí?
- Não sei. Na minha cabeça só venho tecendo hipóteses.
Ainda ninguém conversou com ela.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:24 pm

Somente quando acordar saberemos o que houve de facto.
Carmem me disse que ela estava muito ansiosa e resolveu ir até minha casa porque eu estava me atrasando.
E atendeu sua chamada...
Tadeu, gestos largos, pousou as mãos na cabeça.
- Então foi isso!
Eu tinha certeza que era você.
Nunca iria imaginar Odete atendendo um telefonema em sua casa.
Ainda mais ela, que não simpatiza muito com você.
Eu estava na casa de Seixas, não queria abusar...
Procurei ser rápido, usando o nosso código.
- Então foi isso, papai - interveio Lívia.
Mamãe ouviu a conversa e achou que você tem um caso com Marta.
- Mas isso é mentira.
Marta só tem nos ajudado.
Ela tem dado muita força a Cláudio.
- Sim, mas mamãe não entende e não sabe sobre os encontros clandestinos e sobre a ajuda que vocês vêm recebendo ultimamente.
Sabemos que ela anda emocionalmente instável, daí foi fácil deduzir que estava sendo traída.
Marta anuiu:
- Pois bem, Tadeu.
Ela sempre se sentiu insegura a seu lado.
Sempre teve medo de perdê-lo.
A minha presença sempre foi uma ameaça para ela.
Imagine o que possa ter passado pela sua cabeça quando atendeu ao telefone.
Tadeu começou a chorar.
Sentou-se na cadeira, abaixou a cabeça e a enterrou entre os braços.
- Eu tento fazer tudo para que nosso casamento não desande!
Sou fiel e a amo.
Não consigo olhar para outra mulher com segundas intenções.
Odete é a mulher da minha vida.
Por que toda vez que penso que tudo vai estar bem acontece algo que muda toda a história?
Ela deve estar sofrendo muito e tudo por minha culpa.
- Não fale assim, papai.
Não fale em culpa.
Você sempre fez o melhor que pôde durante todos esses anos.
Mamãe sempre foi insegura.
Sempre quis agarrar-se aos outros, nunca procurou desenvolver sua força interior.
Agora a vida está lhe mostrando que está na hora de mudar.
- Mas não precisava ser dessa maneira, minha filha.
Por que ser atropelada?
Por que sentir-se traída?
Ela não merece uma injustiça dessas.
Marta, que voltava rapidamente da cozinha com duas xícaras de café, considerou:
- A vida não é injusta com ninguém.
Tadeu e Lívia pegaram cada qual uma xícara e bebericaram um pouco.
Lívia percebeu um brilho diferente no olhar de Marta.
Tadeu, ainda emocionado, procurava a custo entender o que ela lhes falava.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:24 pm

Marta continuou:
- Tudo está certo no universo.
Às vezes recebemos toques subtis da vida para promover mudanças em nossas posturas, reavaliar valores e conceitos.
Odete recebeu toda a ajuda possível.
Veio até nós, teve tempo para reflectir e sinceramente começou a mudar.
Quando começamos a fazer esse trabalho interior, não há mais volta.
Lívia assentiu:
- Pelo que sei, mamãe estava se sentindo muito melhor.
Desejou mudar, ficar mais bonita.
Mas o seu interurbano fez com que ela colocasse tudo a perder, como se voltasse à estaca zero.
Ela se esqueceu que não tem mais protecção.
- Não entendo essa maneira como você fala.
Por que sua mãe não teria mais protecção?
Acaso Deus protege e desprotege a hora que quer?
- Você não está em condições de reflectir agora.
Quando ignoramos o funcionamento das leis universais, somos protegidos pela vida.
A partir do momento que tomamos contacto com a verdade e começamos a promover mudanças em nosso interior, não temos mais protecção.
Não precisamos mais, porque já temos consciência do que devemos fazer, e assim aprendemos a nos defender e a agir no mundo.
Odete estava preparada para uma nova etapa.
A vida testou seu equilíbrio emocional.
- Isso é injusto.
Ela temeu perder-me.
- Não. Tudo bem que ninguém tenha sangue de barata.
Mas mamãe poderia parar, respirar, pensar, reflectir.
Este é o problema quando damos mais atenção ao que os outros falam e menos atenção ao que sentimos.
Se ela tivesse certeza do que sentia por você, poderia ficar chateada, mas poderia ter outra atitude.
Poderia falar com você, resolver o mal-entendido.
Pelo que sei, ela saiu correndo como uma desvairada aqui da casa de Marta.
Foi imprudência da parte dela.
Tadeu levantou-se, aturdido:
- Você está falando de sua mãe.
Exijo respeito. O que é isso?
Coloque-se no lugar dela!
Imagine o quanto ela deve ter sofrido
- Não vou me colocar no lugar dela.
Não posso pensar, agir ou sentir como ela.
Será que o sofrimento dela não está ligado ao orgulho ferido?
Será que o ciúme não foi o grande vilão dessa história?
- Ela me ama!
É lógico que sente ciúme.
- Papai, não estou aqui querendo desrespeitar minha mãe.
Entenda que estou fazendo o possível para procurar entender suas atitudes, entender seu comportamento para poder de alguma maneira ajudá-la, sem tratá-la como uma vítima das circunstâncias.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 18, 2016 8:24 pm

Marta, no embalo da conversa, concluiu:
- Se ela fosse segura de seus sentimentos e valorizasse a si mesma amando você incondicionalmente, não faria o que fez.
Teria o direito de sentir-se fragilizada no início, mas estaria do lado dela, acreditando que quem iria perder seria você, que não soube valorizar o amor recebido.
- Você sabe que essa é uma maneira muito diferente de enxergarmos os factos.
Lívia sempre me confortou em momentos difíceis.
Para mim faz sentido o que ela diz, mas quando começa a usar esses termos para falar de Odete, sinto desconforto.
- O senhor sente desconforto porque a trata como uma coitada.
Sei que a ama, mas precisa mudar sua maneira de se relacionar.
Saiba que a hora que ela mudar, e se mudar, não vai mais tolerar esse seu jeito passivo de ser.
- Isso é um insulto!
Você não pode falar assim comigo.
- Posso e estou falando.
Amo você, mas precisa ser mais firme.
Com essa sua moleza emocional, mamãe não sente estímulo para mudar.
Sente-se coitada, mimada, dependente.
Solte um pouco as rédeas.
Continue amando-a como sempre, mas mude seu jeito de ser.
- Prometo que vou pensar em tudo que me falaram aqui - Tadeu terminou de beber seu café, levantou-se da cadeira.
- Bem, agora vou lavar o rosto.
- Troque de roupa, tome uma ducha - sugeriu Marta.
- Não. Você tem nos ajudado em demasia.
Sou grato por tudo o que tem feito por nós, inclusive a ajuda a Cláudio.
- Está bem. Suba.
No banheiro deixei toalhas limpas.
Sinta-se à vontade.
- Serei rápido, quero ver minha esposa.
- Está certo.
Tadeu subiu as escadas e trancou-se no banheiro, carregando sua maleta.
Ao ver o banheiro impecavelmente limpo e cheiroso, não resistiu.
Tirou a roupa e tomou uma ducha reconfortante.
As duas na sala, ouvindo o barulho da água, animaram-se.
Lívia declarou:
- Papai está muito tenso.
Eu tinha certeza que ao entrar no seu banheiro lindo e perfumado ele não iria resistir.
Marta tornou alegre:
- Gosto de manter tudo em ordem e com capricho.
Afinal de contas é minha casa, meu santuário.
- Acho que está na hora de arrumar um homem para deixar este santuário mais quente - considerou maliciosamente Lívia.
Marta riu. Levantou-se e foi falando alto, indo até a cozinha pegar mais um pouco de café:
- No Rio está impossível.
Por mais que eu tente, está complicado.
Metade dos homens querem casar com uma mulher casta e que seja dona de casa, submissa e que eduque maravilhosamente os filhos.
- E a outra metade? - Perguntou Lívia, animada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Mar 19, 2016 8:03 pm

- A outra metade quer sair connosco sem compromisso algum, ou manter um casamento aberto.
Sabe, essa história de sair com qualquer um quando despertar o desejo não está com nada.
Não sinto que estejamos preparados para viver dessa maneira.
Já é difícil manter uma relação monogâmica, imagine uma relação aberta!
- Você tem razão.
- Aí fica difícil.
Se pelo menos os homens tivessem um pouquinho de cada metade, seria mais fácil.
Não sei se vou me apaixonar um dia.
- Quem sabe o amor de sua vida não esteja em outra cidade?
- Já desisti. Passei anos na América e não encontrei nada.
Claro que tive alguns relacionamentos, mas nada que pudesse despertar-me um interesse maior, como casar.
Aqui no Rio também me desencantei com os homens.
Não sei. Não estou nem um pouco preocupada com isso.
Jogo nas mãos da vida, de Deus.
Quando eu estiver preparada, tenho certeza de que vai aparecer um excelente partido.
Você verá.
Lívia sorriu.
- Você fala com tanta convicção!
- Tenho certeza.
Mas desde que chegaram, eu tenho notado um brilho diferente no seu olhar.
Por acaso aconteceu alguma coisa?
Que história é essa de arrumar uma passagem para você viajar?
Lívia soltou um suspiro.
Com os olhos marejados e felizes disse emocionada:
- Estou apaixonada por Cláudio.
Ele é o homem da minha vida.
Marta admirou-se.
- Meu Deus! Eu tenho quase idade para ser sua mãe e não sei o que é isso!
Como você é rápida.
Lívia ruborizou-se.
Marta a abraçou, feliz:
- Parabéns, querida.
Sempre a achei muito madura e independente, desde a mais tenra idade.
Sempre soube que você despertaria muito mais rápido para a realidade.
E quanto a Cláudio?
Acha que ele sente o mesmo por você?
- Sim. Ele me ama na mesma intensidade.
Nem mais, nem menos.
Estamos em plena sintonia.
- Fico muito feliz.
- Gostaria que você fosse nossa madrinha, mas papai e mamãe irão emancipar-me.
Pegamos os documentos e vamos embora para o Chile.
Não sei se nos casaremos aqui ou lá e voltaremos quando a situação estiver melhor para Cláudio.
Mas se não for à madrinha de casamento, prometo que será madrinha do meu primeiro filho, ou filha.
Marta emocionou-se.
- Serei madrinha de seu filho com prazer.
Você é realmente lúcida e madura.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Mar 19, 2016 8:03 pm

Sabe o que quer.
Tenho certeza de que vai muito longe.
Cláudio deve agradecer por tê-la a seu lado.
- Sempre o amei, Marta.
Desde a primeira vez que nossos olhos se encontraram.
Sinto que foi recíproco.
- Mas como tudo aconteceu? Ele se declarou?
- Não. Foi o contrário.
Quer dizer, mais ou menos.
- Você o encostou na parede e disse tudo?
- Também não foi assim.
Quando papai ligou na primeira vez para você, soube que estava arrumando documentos falsos para Cláudio fugir.
Naquele momento agoniei-me e me senti sem o chão.
Não podia deixar de lhe dizer o quanto o amava.
Tomada pela emoção, falei tudo o que sentia a papai.
Não percebemos que Cláudio estava ouvindo quase toda a conversa.
- Deve ter sido cinematográfico - tornou Marta, apertando as mãos de Lívia com delicadeza.
- Nem tanto. Papai ruborizou.
Pensei que fosse ter um ataque cardíaco.
Mas aí Cláudio entrou e disse que também me amava.
Esquecemos de meu pai e nos abraçamos e nos beijamos.
- Ah, agora já sei por que seu pai está tomando uma ducha!
Primeiro vê a filha se jogando nos braços de seu melhor amigo; logo depois acontece toda essa confusão que culminou com o atropelamento de sua mãe.
Será um dia memorável para Tadeu.
- Isso é verdade, Marta.
A vida também está trabalhando com papai.
- Com ele e com todos nós.
Uma situação, mesmo que isolada, acaba afectando o nosso campo de energia.
Mesmo que não tenhamos sido atropeladas, esta situação de alguma maneira tem nos feito reflectir acerca de muitas coisas.
- Isso é verdade.
Uma delas é de não perdermos as oportunidades que a vida nos dá a todo instante.
Não vou perder a oportunidade de ser feliz ao lado de Cláudio.
- Desculpe a intromissão, mas sabe que Cláudio não tem um padrão estruturado.
Você não está acostumada a apertos, sempre teve tudo do bom e do melhor.
- E qual o problema?
- Nenhum. Não ligo para isso.
Só quero que você tenha consciência de que terão uma vida árdua no começo, que as coisas não serão fáceis.
- Sou muito madura, embora ainda não tenha dezoito sou capaz, sei fazer muitas coisas, tenho vontade de aprender.
Isso é o mais importante.
O resto vem naturalmente.
Marta olhou fundo nos olhos da garota.
Lívia realmente era uma garota espectacular.
Que lucidez! Sentiu um grande amor e uma ternura que saía de seus poros.
Com carinho, abraçou-se a Lívia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Mar 19, 2016 8:04 pm

Ficaram assim por algum tempo, sem nada dizer, apenas deixando que algumas lágrimas de felicidade e gratidão escorressem pelas suas faces.
Tadeu desceu as escadas e as viu abraçadas.
- Parecem mãe e filha.
Nunca vi duas pessoas que se dessem tão bem sem ter laço sanguíneo.
As duas se recompuseram no sofá, limparam as lágrimas e assuaram o nariz.
Lívia tomou a palavra:
- Papai, para nós que estudamos a vida espiritual, laços de sangue não contam muito.
Na verdade, os laços de sangue servem muito mais para unir desafectos do que amigos.
São poucas as famílias que estão sempre em harmonia.
É só olhar para a maioria dos lares.
Marta assentiu:
- Quantas vezes percebemos ter mais afinidade com amigos do que com parentes?
Quantas vezes percebemos o quanto é difícil manter um relacionamento estável dentro de casa?
- E você sabe, papai, que procuramos manter um clima harmonioso lá em casa.
Eu amo mamãe, gosto muito dela.
Não posso exigir dela aquilo que não pode me dar.
- Mas ela ama você.
- Claro, papai!
Mas os pais não amam os filhos do mesmo jeito.
- Isso é mentira!
Amo você e Lucas do mesmo jeito.
- Por mais que o senhor tente se enganar, sabe que está sendo leviano.
É impossível amar duas pessoas do mesmo jeito, porque elas não são iguais.
Eu e Lucas temos um temperamento parecido, mas somos muito diferentes.
Todos sabem em casa o quanto mamãe arrasta um bonde por ele e o quanto você é mais apegado a mim.
Isso não quer dizer que me ame menos ou mais do que a Lucas, mas que nos ama de maneira diferente, só isso.
- São muitas informações, por hoje.
Estou exausto. Quero ver sua mãe, por ora.
Depois continuaremos com essa história de pais e filhos.
- O senhor é quem manda.
Vamos antes que o horário de visitas seja encerrado.
- Você não vai se lavar, filha?
- Não, vou assim mesmo. Estou bem.
E ainda carrego em minha pele o perfume de Cláudio.
Vou tomar banho só amanhã!
Tadeu emudeceu.
Ainda era-lhe difícil imaginar sua garotinha prestes a se tornar esposa de seu melhor amigo.
Fechou o cenho, mas acabou rindo de si mesmo.
- Estou ficando velho!
Preciso abandonar logo essas crenças.
Vamos garotas, que o papaizão aqui vai dirigindo o carro de Marta.
- Assim é que se fala, velho. Vamos nessa.
Saíram contentes e animados rumo ao hospital, carregando em seus corações o forte desejo de ajudar Odete em tudo quanto fosse possível.
Nelson estava hospitalizado havia uma semana.
Seu quadro clínico era estável.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Mar 19, 2016 8:04 pm

Encontrava-se sedado, tivera um princípio de enfarte.
Nada mais grave. Necessitava de repouso e descanso.
Não poderia sofrer fortes emoções por algum tempo.
Era hora de serenar. Fundo suspiro brotou de seu peito.
Levemente, ele balançou a cabeça de um lado para o outro.
Abriu vagarosamente os olhos.
Bocejou um pouco. Nelson olhou ao redor.
Uma fraca luz de abajur iluminava o quarto.
Nesse instante lembrou-se da cena em que se via caindo no banheiro do restaurante.
Algumas cenas desencontradas na mente, alguns gritos, uma maca, ambulância e agora ele ali, naquele quarto.
Olhou para o lado e viu sua filha e seu grande amigo sentados e cochilando em um sofá próximo.
Era-lhe difícil articular palavras.
Sentia-se ainda muito cansado, sem forças para falar.
Olhou novamente, procurando espremer os olhos na tentativa de ver se aquela cena era real.
O que Carla e Santiago estavam fazendo ali?
Como souberam?
Afinal de contas, o que teria lhe acontecido de verdade?
A porta se abriu e uma simpática enfermeira entrou.
- Boa noite, Dr. Nelson.
Acordou de vez, isso é bom.
Sente fome?
Nelson meneou positivamente a cabeça.
Embora estivesse recebendo alimentação intravenosa, sentiu o estômago roncar.
- Óptimo. Vou providenciar uma sopa especial para o senhor.
Os dois no sofá acordaram com a conversa.
Carla levantou-se rápido e correu ao encontro de Nelson.
- Pai!
Ela não conseguiu mais articular palavras.
O pranto a impedia de continuar.
Abraçou Nelson com ternura e amor.
- Que susto o senhor nos deu.
Pensei que fosse perdê-lo.
Santiago interveio, bem-humorado:
- Ora, homem! Isso não é papel que se faça!
Onde já se viu, passar mal por causa de um jantar?
Não sabia que a idade o estava atacando.
Nelson limitou-se a fazer um gesto peculiar com o dedo.
Carla e Santiago caíram na risada.
- O senhor anda rabugento.
Perdeu os modos?
Com dificuldade, Nelson perguntou:
- Como foram informados?
Pelo que percebo olhando este quarto, não estou no hospital de nossa cidade.
- De facto, não está.
Você está em São Paulo.
Não vimos necessidade de removê-lo para lá.
Está sendo tratado no melhor hospital da América Latina para esses casos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Mar 19, 2016 8:04 pm

E, afinal de contas, foi só um princípio de enfarte.
Não chegou a obstruir artérias.
Você escapou por pouco de uma cirurgia.
- Eu e D. Clotilde fizemos, juntamente com Santiago, uma corrente de cura pedindo sua melhora.
Os espíritos disseram que tudo correria bem.
Que deveríamos orar e confiar.
Nelson imediatamente lembrou-se do jantar.
Da conversa que tivera com Castro sobre o general, sobre a senhora que o abordara na igreja.
Será que esse mundo astral era verdadeiro?
Será que existia algo além daquilo que nossos olhos pudessem enxergar?
Será que tudo o que aprendera sobre religião, céu e inferno era um conceito humano?
Sentia-se ainda em estado de torpor.
Não conseguia manter ordem no fluxo de ideias que iam e vinham pela mente.
Estava para dizer algo quando bateram na porta.
Um homem de estatura alta colocou a cabeça e as mãos elegantes e bem cuidadas para dentro.
- Posso entrar?
Estou interrompendo?
Carla afirmou:
- Dr. Castro! Entre.
O senhor faz parte da família.
- Já pedi para não me chamar de senhor.
Sinto-me velho - beijou-a delicadamente na testa, apertou com força a mão de Santiago e virou-se para Nelson:
- Como vai? Parece melhor!
- De facto. Sinto-me fraco, mas estou bem.
Parece que por pouco não fui para esse outro lado que vocês tanto falam.
- Não era a sua hora.
Poderia até ser, mas seu espírito quis ficar.
Você tem missões a cumprir ainda encarnado.
- Carla, você ainda vem com essa conversa boba de missão.
Eu até estou começando a acreditar no invisível, pelo que tenho ouvido ultimamente.
Mas missão não soa bem.
- Interprete como o senhor quiser.
Estamos acostumados a falar a palavra missão para designar os propósitos de nossa alma.
- Quais propósitos?
- Quando reencarnamos, trazemos o desejo de acertar, de evoluir, de crescer, de enfrentar situações desagradáveis que tivemos no passado com uma postura mais firme e lúcida.
Vimos com o propósito de melhorar a nós, e consequentemente, ao nosso redor.
Alguns chamam isso de missão, outros de dívidas do passado, mas nada deixa de ser o próprio desejo de nossa alma de crescer e de iluminar-se cada vez mais.
- Acho que você tem razão.
Estou ficando velho.
Começo a achar que o que diz faz sentido.
Impressionei-me muito com a história de Castro.
- A do general? - interpelou Carla.
- Como sabe? - perguntou Nelson, espantado.
- Não se esqueça que estou aqui há quase uma semana.
Já fiz amizades. Estou pajeando o senhor, mas seus amigos não param de vir um instante sequer.
Até D. Guiomar vem lhe visitar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73915
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum