SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Página 8 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 22, 2016 8:24 pm

- Você se machucou?
- Não. Isso não interessa, quero saber o que está acontecendo.
- Vamos para os fundos.
Onofre abriu a porta e saiu.
Ao lado, havia um portão de ferro, um corredor malcheiroso que dava acesso ao quarto nos fundos da casa, onde ele fazia as consultas e trabalhos.
O cheiro aumentava à medida que chegavam ao cómodo.
- Que cheiro esquisito é esse, Onofre?
- Vazamento de gás.
Por essa razão, não tenho acendido velas aqui essa semana.
Estou fazendo os trabalhos pesados num terreno aqui perto.
Entraram no quarto.
Onofre acendeu um pequeno abajur.
Fernanda perguntou:
- Com esse cheiro forte, não seria melhor conversarmos na sala de sua casa?
A lâmpada do abajur pode esquentar em demasia, não sei.
- A consulta será rápida, não vai durar mais que alguns minutos.
Precisamos nos concentrar.
Preciso saber o que está acontecendo.
Sentaram-se na pequena mesa de consulta.
Onofre suspirou, fechou os olhos.
Em seguida, pegou nas mãos de Fernanda.
- Hum, vejo que se meteu em encrenca.
Ela nada respondeu.
- O rapaz que você machucou foi levado para o lado da luz.
Ele ainda não sabe o que aconteceu.
Está muito bem amparado.
- Não me interessa isso, Onofre.
Quero que Sampaio se dane.
Vim aqui por causa de Ricardo.
Quero que você imediatamente afaste uma mulher de seu caminho.
Farei o que for preciso, inclusive pagar-lhe o que for necessário e um pouco mais.
Também posso praticar alguma coisa que você me ensinou lá no altar que fiz em casa.
Onofre respirou fundo mais uma vez.
Pegou novamente nas mãos de Fernanda.
- É impossível. Não posso alterar.
Tem muito espírito de luz metido no meio disso tudo.
Fernanda tirou violentamente suas mãos das de Onofre.
Levantou-se de um pulo.
- Como ousa dizer-me isso?
E eu quero saber se tem espírito de luz no meio?
Quero afastá-los. Você fez tanto para mim!
Farei o que quiser.
Pagarei o quanto for preciso.
Os olhos de Onofre brilharam.
Ele sabia ser impossível fazer o trabalho.
Seu bando de espíritos não queria se meter com as entidades de luz que protegiam Ricardo e Carla.
Ele percebeu que Fernanda estava desesperada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 22, 2016 8:24 pm

Seria o momento para dar o golpe final.
Pegaria muito dinheiro, diria que faria o trabalho e depois sumiria.
Nunca mais seria encontrado.
Viveria bem e abriria um local de trabalho em outro estado, ou até mesmo em outro país.
Procurou disfarçar o tom de voz.
- Vai ser o trabalho mais difícil que já fiz na vida, mas nada é impossível para mim e para o meu bando.
Vai custar muito caro.
- Não importa.
Tendo ele a meu lado, pagarei o que for preciso.
Onofre não titubeou:
- Trezentos mil cruzeiros.
- Você está louco?
É muito dinheiro!
- Lamento. Você acha que míseros trezentos mil valem mais do que o moço?
Fernanda mordeu os lábios com força.
Não tinha tanto dinheiro assim guardado.
Havia investido em acções, pois a febre na Bolsa de Valores era contagiante.
Todos queriam comprar acções, e a rentabilidade era impressionante.
Ela fechou os olhos, pensou no quanto tinha no banco.
- Posso dar uma parte hoje, mas o resto só pode ser para daqui a um mês.
Vou comprar mais acções, verei se consigo um empréstimo com pessoas influentes.
- Sem o dinheiro não posso trabalhar.
Eu recebo tudo, ou não faço nada.
E o moço vai ficar para sempre ao lado da outra.
Fernanda estremeceu de ódio.
Onofre sabia como pegar em seu ponto fraco.
Ela estava a ponto de fazer qualquer negócio, não tinha limites ou escrúpulos para conseguir o que queria.
- Vou descansar.
Preciso dormir e está quase amanhecendo.
Volto no fim da tarde, pensarei numa solução boa para nós.
- Não se trata de solução boa para nós, mas para você.
Quem está a ponto de ficar só é você.
Vá para casa, reflicta, veja o que pode arrumar, o que pode vender, sei lá.
Vire-se. Não adianta chegar aqui mais tarde com nada nas mãos.
Ou você traz toda a quantia, ou nada feito.
Onofre estava irredutível.
Poderia negociar metade do valor, que se tratava de quantia razoável, mas sua ganância falava mais alto.
Ele não moveria uma palha para aproximar Ricardo ou reforçar o trabalho.
Queria enganar mais uma.
Só que essa era um peixão, tinha prestígio e poderia dar-lhe o dinheiro suficiente para mudar de vida.
Fernanda não sabia o que responder.
Ao mesmo tempo em que sentia raiva pela maneira contundente de Onofre, sentia medo, muito medo.
Precisava ter Ricardo a seu lado.
Não sabia se seria incriminada pela morte de Sampaio.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 22, 2016 8:24 pm

Sua cabeça fervia, ela percebia que havia passado dos limites, mas sua obsessão era mais forte.
Apavorada, abriu a bolsa, remexeu-a e nervosamente pegou um cigarro.
Colocou-o na boca, apanhou o isqueiro e acendeu.
Onofre estava de costas nesse momento.
Ao virar-se, Fernanda estava accionando o polegar e o isqueiro soltando as faíscas reluzentes no quarto fracamente iluminado.
Ele não teve tempo de impedi-la.
Antes mesmo de qualquer gesto ou fala, uma forte explosão fez-se ouvir a muitos metros de distância.
O quarto onde estavam e parte do pequeno sobrado de Onofre foram para os ares.
Um cogumelo negro e amarelado surgiu em seguida, alterando a paisagem matinal que se descortinava no horizonte.
Com a intensidade da explosão, os corpos foram violentamente sacudidos e destroçados.
Não houve sobreviventes.
Carla chegou em casa radiante.
O fim-de-semana havia sido esplêndido.
Vilma foi recepcioná-la.
- Minha menina, fiquei com o coração partido quando não a vi chegar ontem junto a seu pai e Santiago.
Pensei em algo ruim.
- Pela minha cara você acha que foi ruim?
Vilma olhou e percebeu um brilho diferente em Carla.
Ela estava radiante.
- Você está linda mesmo!
Posso saber o que aconteceu?
- Eu também quero saber.
Ambas olharam para porta da cozinha.
Carla deu um grito de felicidade:
- D. Clotilde!
Abraçaram-se com carinho e ternura.
- Menina, vejo que você está redescobrindo o seu caminho.
Carla, olhando para Vilma e Clotilde, continuou:
- Não sei explicar.
Algo muito incrível aconteceu na noite de sábado.
Clotilde interveio:
- Eu sempre disse que na hora certa você começaria a recordar-se de tudo.
- Mas não me recordei de nada.
Quer dizer, aconteceu uma situação esquisita lá no casamento.
- Seu pai nos falou sobre o desmaio.
Disse que você não havia se alimentado bem.
Mania de ficar em forma - tornou Vilma.
- Nada disso.
Vocês sabem que o Dr. Nelson é osso duro de roer.
Não aceita a espiritualidade.
Chega a ser impossível mantermos qualquer tipo de conversa sobre esse assunto.
Quando percebe que estamos permeando o terreno da vida astral, ele desconversa e muda o tom.
- É natural - considerou Clotilde.
Seu pai sempre foi céptico, nunca quis acreditar em nada.
Mas ele já está mudando. Está diferente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 22, 2016 8:25 pm

Você sempre acreditou, e quando nos conhecemos, estudou com afinco.
Praticou com maestria os ensinamentos aprendidos e vive melhor por causa disso.
- Não sei se vivo melhor ou não.
Só sei que tenho passado por poucas e boas nos últimos anos.
Sei também que nada acontece por acaso, que não existem coincidências.
Isso realmente me intriga muito.
Vilma interveio:
- Estou preparando o almoço.
Você almoça connosco, Clotilde?
- Com o maior prazer, Vilma.
Vá com seus afazeres, eu preciso conversar com essa menina.
- Papai e Santiago vão passar para almoçar?
- Não. Seu pai teve uma cirurgia de emergência e Santiago o está ajudando.
Disseram que não viriam almoçar.
- Mas ele sabia que eu estaria aqui hoje cedo.
Atrasei-me um pouco porquanto a estrada estava ruim.
- Deixe de mimos. Ele cumpre com o dever.
Você terá o tempo todo para ficar ao lado dele.
Nelson percebeu que você está diferente.
Seu orgulho está um pouco ferido.
Mas deixemos seu pai de lado e vamos para a sala de estar.
Vilma voltou para a cozinha.
Carla e Clotilde dirigiram-se até a sala e sentaram-se no mesmo sofá, cada qual em uma das pontas.
- Fale-me sobre o desmaio.
- Não sei explicar ao certo.
Quando meus olhos cruzaram os de Ricardo, senti uma emoção muito grande, meu coração começou a bater descompassado...
E então tive um sonho.
- Você conversou com um casal, certo?
Carla olhou Clotilde admirada:
- Como à senhora sabe disso?
- Ora, Carla, esse casal de espíritos vem nos acompanhando há um bom tempo.
Nas nossas reuniões, estão sempre presentes.
Eu os percebo com facilidade.
- Eu sabia conhecê-los de algum lugar, mas naquela noite ,não me passou pela cabeça que eram os mesmos.
A senhora sabe que eu sempre tive mais afinidade com o Octávio.
Ele não estava no sonho.
- Bem, agora você sabe que não foi um sonho, e sim um encontro.
Eles a estão preparando para a verdade.
Eu sempre desconfiei de sua amnésia.
- Como assim?
- Desde o momento em que a vi, sabia que o seu bloqueio estava ligado a desejos inconscientes que você trazia de vidas passadas.
Houve o tempo para que você burilasse o seu espírito, amadurecesse o seu campo emocional e assim pudesse seguir sua jornada sem carregar as situações doloridas que muito a marcaram.
Você ainda se lembra do que conversaram?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 22, 2016 8:25 pm

- Mais ou menos.
Só ficou forte o final, onde ficou claro que eu deveria ajudar e cultivar o meu amor por Ricardo.
- Você vai precisar mesmo fazer brotar todo o seu amor.
Há alguém em total desequilíbrio que não aceita a verdade.
- Você deve estar falando de Fernanda.
Ela é obcecada por Ricardo.
A sorte foi que não nos amolou ontem, nem hoje cedo. Sumiu por ora.
- Você precisa estar muito firme para o que vem pela frente.
Por acaso lembrou-se de alguma cena passada, de algo que tenha ocorrido antes do bloqueio?
Carla mexeu os lábios.
Torceu as mãos e considerou:
- Veio uma cena forte de acidente.
Vi-me sendo jogada a grande distância e perdendo os sentidos.
E a certeza de que conheço Ricardo de algum lugar, nada mais.
- Bem, eu vim até aqui porque os espíritos querem fazer uma reunião em breve.
Ainda não sei se será no Centro Espírita de São Paulo ou no do Rio.
Algo vai acontecer, talvez o mistério sobre seu passado seja esclarecido.
Pediram para orarmos e confiarmos.
Com fé, teremos todo o suporte espiritual necessário.
- A senhora me assusta dizendo isso.
Por acaso pressente alguma coisa ruim?
Clotilde fechou os olhos.
Abriu-os e sorriu para Carla.
- Vamos ver.
- Ah, ia me esquecendo.
Ricardo virá aqui amanhã.
Está com folga na televisão.
Vem para passar o dia.
Ele começará a gravar na próxima semana, precisará mudar o visual, e quer aproveitar para nos conhecermos melhor.
Espero que Fernanda não nos atrapalhe.
Continuaram conversando e logo foram chamadas por Vilma para sentarem-se à mesa e almoçar.
Ricardo estava radiante.
Desde que conhecera Leonor não sentia algo tão forte por alguém.
Não conseguia deixar de pensar em Carla.
Seu sorriso, seus olhos, sua postura firme.
- Como Carla pode ser tão diferente de Fernanda? - disse em voz alta.
Lembrou-se de como havia se envolvido com a actriz, dos comentários de amigos e parentes.
Todos o haviam alertado para que não se envolvesse em demasia com Fernanda.
Por que não havia percebido antes?
O que teria acontecido para ficar tão apaixonado e de repente perceber que nada sentia por ela?
Por que precisou conhecer Carla para sentir que não amava Fernanda?
Como dizer isso a ela?
Ricardo tinha pavor de escândalos.
Era uma pessoa pública, conhecida, não podia permitir que sua imagem fosse arranhada por factos desagradáveis.
E se Fernanda fosse aos jornais tentar difamá-lo?
Ela era bem capaz disso.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:43 pm

Estava com os pensamentos a mil quando Elvira o chamou, preocupada:
- Ligação para você.
Parece que aconteceu alguma coisa com Sampaio.
Ricardo esqueceu-se por ora de seus pensamentos e correu ao telefone.
- Quem fala?
- Ricardo, aqui é Eugénio, da televisão.
- Aconteceu alguma coisa?
- Sim, aconteceu.
Você esteve com Sampaio até que horas no sábado?
Ricardo começou a suar frio.
Pressentia que algo muito desagradável estava por vir.
- Por que pergunta?
O que aconteceu, Eugénio?
- Sinto muito, mas Sampaio está muito mal.
Eugénio sabia da amizade entre ambos.
Não convinha dizer pelo telefone que Sampaio estava morto.
Sentia-se incomodado por ter de dar a notícia a Ricardo.
Tomou a iniciativa porque ninguém se atrevia a dizer-lhe a verdade.
- Onde ele está? Que hospital?
- Você poderia ir até a residência dele?
A esposa quer falar com você.
- Vou para lá agora mesmo.
Ricardo mal terminou a conversa com Eugénio e saiu em disparada, muito aflito.
Pegou seu carro e foi para a residência de Sampaio.
Chegando lá, sentiu que realmente algo muito ruim havia acontecido.
No local ainda havia algumas viaturas da polícia.
Ricardo sentiu o sangue sumir e as pernas tremerem.
Os policiais, ao reconhecê-lo, deixaram-no entrar.
A sala ainda estava bagunçada, com móveis pelo chão, cacos de vidro espalhados.
Correu até uma mulher em prantos, sentada no sofá.
- Ricardo!
A mulher o abraçou com força e as lágrimas molharam sua camisa.
- O que foi Letícia?
O que aconteceu?
- Mataram o nosso Sampaio...
Letícia, a esposa de Sampaio, não conseguia articular palavras.
Agarrou-se novamente a Ricardo e agora ambos choravam.
Ricardo ainda não conseguia concatenar os pensamentos.
- O que foi? Pelo amor de Deus, Letícia, o que aconteceu?
Em prantos, a viúva foi relatando:
- A polícia acha que foi assalto.
O vizinho do lado notou a porta aberta ontem à noite.
Chamou a polícia. Ligaram-me na praia.
A sala foi toda revirada, e encontraram-no na cozinha.
Letícia falava e soluçava ao mesmo tempo.
Preocupou-se com a ligação da polícia.
Acreditou numa tentativa de furto, mas não imaginava que o marido tivesse sido atingido.
Ao chegar em casa, ainda pôde ver a retirada do corpo de Sampaio.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:43 pm

Ela entrou em choque.
Estava sentada naquele sofá desde a noite anterior.
Só levantou-se quando Ricardo chegou.
- Onde ele está, Letícia?
- Disseram que logo ele vai ser liberado do Instituto Médico Legal.
Calculam que ele tenha morrido na madrugada de ontem.
Quero, se possível, enterrá-lo hoje mesmo.
Ajude-me com os papéis.
Ricardo estava em estado catatónico.
Precisava ajudar a esposa de seu amigo, mas também precisava saber o que havia acontecido.
O bairro onde Sampaio morava não tinha incidência de assalto.
Era um bairro tranquilo e elegante, com residências de luxo e segurança.
Acertou alguns papéis para a liberação do corpo, comprou um lanche para Letícia alimentar-se.
Enquanto o corpo era encaminhado para o cemitério da Vila Mariana, Ricardo foi até a delegacia.
- Quer dizer, então os senhores imaginam que tenha sido um assalto?
O delegado o olhou com indiferença, dando de ombros:
- Foi uma fatalidade.
Esta cidade está ficando perigosa.
Bandido hoje está matando por qualquer coisa.
Seu amigo deve ter tentado se defender reagiu e acabou sendo perfurado por algum instrumento pontiagudo.
- Ele não foi baleado?
- Não. Por isso acho que seu amigo foi infeliz.
Pegou um ladrão despreparado, que talvez tenha se sentido amedrontado.
O corpo foi encontrado na cozinha.
Não achamos à arma do crime.
Mas tudo indica que foi uma faca.
O corpo de Ricardo estremeceu e ele empalideceu.
Se não estivesse sentado iria ao chão.
Naquele momento, lembrou-se de Fernanda suja de sangue e com uma faca na mão.
Não, ela não poderia ter feito uma coisa dessas.
Ele recusava-se a acreditar numa barbaridade dessas.
O delegado continuou:
- Sabemos que seu pai casou-se no sábado.
Até que horas Sampaio ficou na recepção?
Ricardo agora não tinha mais dúvidas.
Lembrou-se que Sampaio pegara Fernanda pelos braços e a conduzira ao interior do carro, levando-a para casa.
Sampaio fora morto na madrugada de domingo.
Fernanda não dava as caras desde a discussão daquela noite.
Só podia ter sido ela.
De súbito, Ricardo levantou-se.
Olhou bem firme para o delegado:
- Não foi assalto, foi assassinato.
Eu sei onde está a arma do crime.
O delegado continuou sustentando o olhar de Ricardo.
Impassível, pois estava acostumado com essa rotina, inquiriu:
- O senhor está dizendo isso com muita propriedade.
Sei que gostava muito da vítima, mas não queremos confusão nas investigações.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:43 pm

- Aguarde. O enterro será agora no fim da tarde.
Quero estar lá ao lado da família.
Seria muito penoso eles saberem que Sampaio foi assassinado.
- Estarei aqui à noite. É meu plantão.
Se tiver provas ou quiser nos dar mais informações, estaremos ao dispor.
- Preciso de um favor.
Ricardo tirou uma fotografia que trazia na carteira.
Entregou-a ao delegado.
- O que tem essa foto?
É autografada pela actriz?
Conheço essa Fernanda Santos.
Ricardo anotou algo num pequeno pedaço de papel.
- Esse é o endereço dela.
Está sumida desde a madrugada de ontem.
Dêem uma busca. Volto à noite para conversar melhor.
Ricardo saiu da delegacia desnorteado.
Tinha a mais clara certeza de que Fernanda havia matado Sampaio.
O quebra-cabeças estava montado, pois ela havia saído com ele da festa, depois havia retornado com a roupa manchada de sangue e com um facão de cozinha.
Por que ela teria feito isso?
Por que desgraçara sua carreira e sua vida?
O que seria dela agora?
Sentiu pena e remorso ao mesmo tempo.
Seus sentimentos por Fernanda tornavam-se nebulosos.
Assim foi até chegar em casa.
Quis tomar uma ducha antes de ir para o enterro.
Avisou Vilma e Douglas.
Depois, ligou para Carla contando o ocorrido.
Todos ficaram consternados.
Ricardo foi correto ao omitir sobre o envolvimento de Fernanda com o crime.
Enquanto a polícia não tivesse todas as provas nas mãos, ele nada diria.
Cancelou a viagem para o interior no dia seguinte.
Precisava ficar um tempo sozinho e reflectir sobre sua vida.
O enterro de Sampaio foi comovente.
Ele era uma pessoa querida.
Artistas lotaram seu velório.
Sua morte foi anunciada na televisão com grande pesar.
Os jornais também lhe dedicaram linhas de reconhecimento e admiração.
Ricardo voltou à delegacia e entregou o plástico com a faca ao policial.
A polícia já havia dado busca no apartamento de Fernanda e nada encontrara, a não ser o terrível santuário num dos cómodos.
- Pelo que sabemos, você mantém um relacionamento amoroso com ela, não?
- Sim, mas nunca participei muito de sua vida particular.
Vivemos gravando, e ela fica muito em minha casa.
Para ser sincero, eu nunca fui ao seu apartamento.
É estranho, mas é uma relação doentia, ela é muito ciumenta.
Afastei-me de muita gente por causa dela.
Como agora estou morando no Rio, a relação vem minguando naturalmente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:43 pm

- Sabia que ela era adepta de rituais parecidos com magia negra?
Ricardo assustou-se.
Nunca havia notado em Fernanda nenhuma característica que a ligasse a esse tipo de assunto tão pesado.
- Nem desconfiava.
Já disse que não costumo frequentar seu apartamento.
- Bem, estamos dando buscas. Ela desapareceu.
Vou encaminhar a faca para os peritos analisarem.
Pelo visto, a carreira de sua amiga vai sofrer um grande arranhão.
- Não me importo com isso, quero justiça.
Se ela praticou esse crime, deverá responder.
Ela é adulta. Não tem o direito de tirar a vida de alguém, ainda mais sendo um grande amigo, que a ajudou muito na carreira.
- Assim que tivermos notícias, entraremos em contacto.
Você está liberado.
Sinto muito por ter que chamar a família do falecido novamente, mas o inquérito já foi aberto e precisaremos de declarações.
- Pode contar comigo no que for preciso.
Ricardo despediu-se do delegado e foi para casa.
Estava descontente, desmotivado.
Ainda era-lhe difícil aceitar que Sampaio estava morto, e mais difícil que Fernanda tivesse sido a assassina.
Chegou em casa e foi directo para o seu quarto.
Arrancou as roupas sem o menor cuidado e jogou-se pesadamente na cama.
Seu corpo estava cansado de tantas emoções.
Dormiu logo em seguida.
Com o tumulto criado ao redor da morte de Sampaio, Ricardo solicitou licença para continuar acompanhando as investigações em São Paulo.
Deixou seu apartamento aos cuidados de Carmem e permaneceu na casa de seu pai, que aliás nada sabia do ocorrido, pois encontrava-se em viagem de núpcias com Sílvia.
Ainda não haviam localizado Fernanda, e em sua cabeça ainda restavam resquícios de dúvida quanto à autoria do crime.
Ele relacionava-se com ela; era-lhe pesaroso, pois, aceitar a verdade dos factos.
Carla procurou retomar seus afazeres, já que Ricardo não arredaria pé de São Paulo.
Para ela, depois do ocorrido, sensações antes desconhecidas permeavam seu corpo.
Só em pensar em Ricardo, sentia o sangue ferver nas veias.
O coração expandia-se e ela sentia que o amava.
Desde o incidente no casamento de André, dez dias atrás, vagas lembranças voltaram a rondar sua memória.
Todos os dias, impreterivelmente logo após o almoço, Carla sentia o mesmo torpor.
Começava com uma leve sensação de cochilo e, logo em seguida, ela já estava deitada em sua cama, em estado de sono profundo.
- Já vai deitar-se? - perguntou Vilma.
- Sim. Sinto-me cansada.
Deve ser o esgotamento que tive no casamento e também as vitaminas que papai me deu - respondeu Carla, bocejando e subindo as escadas.
- Bons sonhos.
- Obrigada, querida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:44 pm

Carla cumpriu novamente o mesmo ritual.
Subiu e foi directo para o quarto.
Logo após o sono, seu espírito deslocou-se do corpo e foi conduzido delicadamente por duas mãos macias.
- Venha, querida.
Sente-se connosco - disse Ester.
- Vocês novamente!
Adoro sonhar com vocês - respondeu Carla, com largo sorriso nos lábios.
- Eu e Rogério estamos terminando nossa parte.
Seu tratamento encontra-se no fim.
Está na hora de voltar a viver com a sua real identidade.
- É muito interessante - replicou Carla.
Eu, quando estou fora do corpo, lembro-me perfeitamente de toda minha vida.
Lembro-me de minha mãe, de minha irmã, de absolutamente tudo.
Mas qual o motivo de não me lembrar de nada ao voltar para o corpo?
Sinto-me bem sendo chamada de Leonor fora do corpo, soa natural.
- Há alguns detalhes a serem observados - obtemperou Rogério.
Ao libertar-se do corpo físico, seu espírito sente-se mais leve, e fica mais fácil absorver as ideias aqui no astral.
O corpo físico limita os nossos sentidos.
Livres do corpo, nossa consciência capta com mais facilidade as informações.
- Além do mais - continuou Ester -, há ainda alguns fios energéticos ligados ao seu corpo físico criando uma capa que a impede de perceber a verdade por inteiro.
Todo bloqueio energético é causado por um trauma emocional.
As suas formas-pensamentos em relação à perda de seu pai estão cristalizadas, pois você as traz de vidas passadas.
Você entende, situações repetidas e atitudes semelhantes, provocando sempre o mesmo desfecho.
Sua essência clama pela libertação dessas formas.
A sua evolução está ligada à quebra desses padrões negativos acerca da paternidade.
- Eu sinto muito amor por Nelson.
Não imagino por que poderia querer afastá-lo do meu caminho - disse Leonor, um tanto confusa.
- Você diz isso porque ainda não lhe foi dada permissão para saber sobre o passado.
A sua resistência em perdoá-lo seguiu até momentos antes de Carmem engravidar.
O tempo corria célere e você não se decidia.
Ficou indecisa entre Octávio e Nelson.
Na verdade, sua alma ansiava por Nelson.
O seu orgulho falou mais alto e você relutou.
Mas não tinha como escalar.
Você teria de confrontar seus medos para melhorar - concluiu Rogério.
- Mas o que Rogério tem a ver com tudo isso?
E aquela menina?
Já havia sofrido o diabo com a perda da família e ainda por cima sofreu o acidente que lhe tirou a vida! - exclamou Leonor, alterada.
- A vida é prática e procura ser rápida - complementou Ester.
Tudo é feito pelo melhor.
Rogério tinha lá os seus impulsos violentos.
Cleide tinha muita raiva da vida que levava.
Muitos pensamentos cristalizados, de ambos, foram liberados com o choque do acidente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:44 pm

Tanto que Rogério está aqui com você, com o coração muito mais tranquilo, e Cleide trabalha em colónia próxima, ajudando recém-desencarnados.
- Ainda é difícil para mim aceitar.
Por que a tragédia, a dor, para podermos nos libertar de pensamentos cristalizados?
Não há uma máquina, ou qualquer outra coisa que possa nos limpar de tudo isso?
- E você acha isso justo? - inquiriu Rogério.
E como fica a nossa parte?
Deus vai ficar fazendo tudo?
Afinal de contas, fomos nós os responsáveis por esses pensamentos.
Se nós os criamos, também temos a responsabilidade de nos livrar deles ou de reformulá-los.
E não se esqueça, Leonor, que aos olhos de Deus não existem tragédias.
Pode parecer injustiça a princípio, mas o tempo sempre mostra que tudo foi feito para o melhor.
Deus sabe o que faz.
- Bem, se a vida está sempre pronta a nos ajudar, gostaria de saber quando irei trazer para o corpo todas as impressões de nossas conversas.
- As impressões já estão em seu corpo.
Elas estão ajudando na limpeza do seu bloqueio emocional.
Em breve você estará voltando a ser Leonor.
- Vamos ver como será.
Espero acostumar-me com meu antigo nome.
- Você vai - tornou Rogério. - Agora vá.
O tratamento está no final.
Vamos aproveitar e nos despedir.
A garota, com beicinho protestou:
- Isso não! Adoro esses encontros.
- Temos outras responsabilidades.
Seu tratamento chegou ao fim.
Você precisa retomar sua vida, ser dona de seu caminho.
Estaremos sempre por perto.
Mas eu e Rogério temos os nossos planos e também o nosso trabalho.
- Ah, Ester, adoro vocês - Leonor levantou-se emocionada da cadeira e abraçou o casal, e passando as costas da mão para secar uma lágrima insistente, considerou:
- É muito trabalho.
Não seria melhor vocês reencarnarem?
Percebo que se trabalha muito no astral.
- É verdade - interveio Rogério.
Mas gostamos muito disso tudo.
Não voltaremos tão cedo, ainda temos outras metas a serem cumpridas.
Bem, faremos ainda mais alguns contactos, mas precisamos ir.
Despediram-se mais uma vez.
O casal de espíritos desapareceu gradativamente do quarto, mas antes conduziram Leonor e a encaixaram adormecida no seu corpo.
- Acorde menina, acorde!
- Hum, que sonho bom.
- Vamos Carla, acorde.
Telefone para você.
- Vilma, por que acordar-me agora?
Estava tão gostoso.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:44 pm

- Vamos, menina, é Ricardo.
Carla levantou o corpo e sentou-se de um salto.
Saiu em disparada escada abaixo.
- Alô!
- Oi, Carla, como está?
Seu coração batia descompassado:
- Muito melhor agora.
Como andam as coisas aí?
Alguma notícia?
- Infelizmente, sim - Ricardo mudou o tom de voz.
Sentia-se chocado e triste com o desenrolar dos factos.
- O que foi? Descobriram algo?
- Sim. O sangue na faca de Fernanda era realmente o mesmo de Sampaio.
- Oh, Ricardo, então suas suspeitas eram verdadeiras!
E agora? Ela está perdida.
- Deve estar mesmo. Ela está morta.
Carla empalideceu.
Mesmo não simpatizando com sua rival, sentiu-se penalizada.
- Como assim? O que houve?
Ricardo não conseguiu segurar as lágrimas.
Sentia-se só e desnorteado.
- Desculpe-me, Carla, mas não estou bem.
A polícia foi informada de uma explosão numa casa na periferia da cidade.
Na porta da casa estava o carro de Fernanda.
Havia um corpo, ou o que sobrou do corpo de uma mulher, totalmente carbonizado, que estava no Instituto Médico Legal para reconhecimento.
Mas como ninguém aparecia, o delegado juntou os factos...
Desculpe, mas seria muito pedir para que viesse até São Paulo?
Preciso tanto de você.
Carla estava estupefacta com o que ouvira, mas não titubeou em responder:
- Claro, irei imediatamente.
Pegarei o primeiro ônibus para São Paulo.
- Não, isso não.
Você mal conhece São Paulo.
Não gostaria que você descesse sozinha na estação Júlio Prestes.
É perigoso.
- Eu me garanto. Sei o endereço.
Assim que chegar, tomo um táxi para sua casa.
Aguarde-me até o fim da tarde.
- Obrigado.
- Mantenha a calma.
Fique em casa. Não saia.
Carla desligou o telefone e correu até Vilma.
- Preciso ir urgente a São Paulo.
- Aconteceu mais alguma desgraça?
- Pelo visto, sim, mas nada com Ricardo.
Agora não tenho tempo para conversarmos.
Vou para a rodoviária.
Avise meu pai que está tudo bem.
Assim que chegar, eu ligo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:44 pm

- Ele não vai gostar nada disso.
- Não me importo com isso por ora, Vilma.
Ricardo precisa muito de mim.
Estarei em boas mãos. Agora vamos.
Ajude-me a fazer a mala.
- Vai ficar muito tempo?
- Não sei ao certo.
Talvez alguns dias.
- Dr. Nelson vai ficar fulo da vida.
- Ficando ou não, eu vou.
Ele vai compreender.
Ah, ligue para D. Clotilde e peça a ela que reze por Fernanda.
- Por aquela lambisgóia que quase acabou com a festa do casamento?
- Ora Vilma deixe isso de lado.
Fernanda sentiu-se ameaçada.
Precisa agora não de correctivo, mas de oração.
Peça esse favor a D. Clotilde por mim.
Em menos de uma hora Carla arrumou a mala com a ajuda de Vilma e partiu para a rodoviária.
Por sorte, havia leitos vagos para São Paulo, e ela partiu imediatamente.
Nelson chegou em casa cansado.
O dia no hospital havia sido intenso, com muitas cirurgias.
Estava exaurido. Vendo a sala em penumbra, chamou por Carla.
Não obtendo resposta, foi até a cozinha.
- Vilma, onde está Carla?
Torcendo as mãos nervosas no avental, ela gaguejou em resposta:
- Ela... Ela...
- Ela o quê, mulher? Onde está?
- Bem, ela recebeu uma ligação urgente de Ricardo e foi ter com ele em São Paulo.
Nelson sentiu o sangue subir às faces.
- E como você permitiu?
Ela mal conhece a cidade.
Você estava louca ao permitir tamanha insanidade?
Por que não me telefonou?
- Desculpe, Dr. Nelson.
Ela impediu-me de ligar no hospital.
Disse que tudo estaria bem, para não se preocupar.
- Como não me preocupar?
Que falta de respeito é essa?
Quem ela pensa que é?
Nelson deu um soco violento na parede.
Sentia muita raiva por não ter sido informado.
Na verdade, sentia-se profundamente inseguro com a atitude de Carla.
Era perigoso seu contacto com Ricardo.
E se ela voltasse a recordar-se do passado?
Será que teria estrutura emocional para isso?
Ela não passava de uma irresponsável.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:44 pm

Era muita falta de consideração para com ele, depois de tudo que havia feito, desde o dia em que a acolhera em sua casa.
De forma alguma ele conseguia concatenar os pensamentos.
Sentia-se profundamente inseguro.
Foi até o telefone e pediu para que Santiago viesse até sua casa.
- Mais tarde, após o jantar, irei - disse Santiago.
- Agora. Jante comigo. Estou nervoso.
Carla foi para São Paulo sem pedir-me autorização.
Você sabe muito bem o que pode acontecer.
- Calma, Nelson.
De nada vai adiantar esse nervosismo.
Vou terminar o banho e vou.
- Logo.
- Está certo, logo.
Nelson desligou o telefone e jogou-se no sofá, com as luzes da sala ainda apagadas.
Começou a admitir para si mesmo que não teria condições de sustentar essa história por mais tempo.
Chegara ao limite.
Ricardo sentia as têmporas prestes a explodir.
A cabeça doía terrivelmente.
Foi até a cozinha, tomou duas aspirinas.
Elvira, percebendo a aflição do rapaz, tornou:
- Meu menino, vá descansar.
De nada adianta preocupar-se.
Não podemos mudar o ocorrido.
Sei que é muito triste tudo isso, mas é a verdade.
Agora vá descansar, tome um banho.
- Preciso esperar Carla.
Já deve estar em São Paulo.
- Sim, mas eu estou aqui.
Não precisa ficar como cão de guarda plantado na porta da sala. Eu aviso.
- Você tem razão, Elvira.
Estou cansado, minha cabeça vai explodir.
Vou encher a banheira e procurar meditar um pouco.
- Isso mesmo. Aproveite.
Não se esqueça que semana que vem você começa a gravar novamente.
Precisa estar com bom aspecto, muito embora esse novo visual o tenha remoçado muito.
- Você gostou? Não sei, pareço estar com vinte anos.
Acho que sou o único que teve coragem de cortar todo o cabelo.
- E de tirar aquelas costeletas horríveis.
Parecia um macaco.
Não gosto dessa moda.
Homem deve ter o cabelo curto, as costeletas curtas também.
Você tem quase trinta anos, mas está tão...
Elvira não terminou de falar.
Grossas lágrimas começaram a banhar-lhe as faces.
- O que foi Elvira?
Por que chora?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:45 pm

- Desculpe, menino.
Com esse visual, é muito difícil não lembrar-me de seu irmão.
Embora tenham se passado alguns anos, a sua aparência livre de pêlos faz com que eu às vezes pense que ele está aqui.
Ricardo abraçou-a emocionado.
- Oh, Elvira. Não fique assim.
Também sinto saudades de Rogério.
Elvira enxugou as lágrimas.
- Suba. Quando a moça bonita chegar, eu a mando a seu encontro.
Piscou maliciosamente para Ricardo e voltou para seus afazeres.
Ele, por sua vez, subiu para o quarto e pôs logo a banheira a encher.
A campainha tocou e Elvira foi prontamente atender.
- Como ele está? Onde está?
- Calma, Carla, está tudo bem.
Faz um pouco mais de meia hora que subiu para um banho.
Estava com dor de cabeça, deve estar relaxando.
- Preciso vê-lo.
- Antes me dê sua mala.
E não vai me dar um abraço?
- Desculpe, Elvira.
Cheguei tão preocupada, com mil pensamentos rondando a cabeça - Carla abraçou-a e deu dois beijos em seu rosto, que foram retribuídos em seguida.
- Não está cansada da viagem?
- Imagine. Foram poucas horas.
O ônibus não era muito confortável, mas razoável.
Estou bem descansada.
Tenho descansado todos os dias depois do almoço.
Hoje fiz o mesmo. Acordei muito bem.
Estou com vigor e energia de sobra.
Importa-se se eu subir?
- Claro que não.
Você sabe onde fica o quarto.
- Obrigada.
Carla passou as mãos pelos cabelos, jogou-os por trás dos ombros.
Subiu e bateu na porta.
Ricardo não respondeu.
- Ele deve estar no banho - pensou.
Girou a maçaneta e entrou no quarto.
Gostou da música suave que tocava na vitrola e lembrou-se que Ricardo sempre tomava banho ouvindo música.
A porta do banheiro estava entreaberta.
Ela bateu levemente.
- Posso entrar?
Ricardo voltou imediatamente de seus devaneios.
Remexeu-se na banheira.
- É você Carla? Entre.
O banheiro estava um pouco enevoado pela fumaça da água quente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:45 pm

Carla entrou a passos lentos.
Não conseguia ver Ricardo nitidamente.
Deu meia-volta.
- Prefiro esperá-lo aqui fora.
Ricardo levantou-se, pegou uma toalha e enxugou-se rapidamente.
Colocou o roupão e foi até a porta.
Carla estava de costas, entretida com os discos enfileirados na prateleira.
- Que bom que veio.
Carla girou os calcanhares e seus olhos congelaram.
A respiração esvaiu-se dos pulmões.
Os músculos paralisaram.
Ela tentou falar, abriu e fechou a boca.
Tomada pela emoção, disse com um fio de voz:
- Rogério...
Os seus olhos viraram e o seu corpo tombou no chão.
Ricardo desesperou-se.
Correu até ela.
- Carla, o que foi?
O que aconteceu? Acorde!
Desesperado e exaurido de suas forças, começou a chorar e a gritar por Elvira.
Debruçou seu corpo sobre o de Carla e deixou que o pranto corresse solto.
Aflita por perceber que Nelson não conseguia se acalmar e que Santiago tardava em chegar, Vilma ligou para Clotilde pedindo auxílio.
- Não sei mais o que fazer.
Estou muito aflita.
Carla foi para São Paulo, pediu-me que você orasse por Fernanda, mas o estado do Dr. Nelson é que me preocupa.
- Sossegue o coração - tornou Clotilde -, o desespero não vai ajudar em nada agora.
Dê-me alguns minutos e logo estarei aí.
Enquanto eu não chego, prepare um chá de camomila e dê para ele.
- E se ele quiser fazer uma besteira, sei lá, ir para São Paulo, por exemplo?
- Não se preocupe, Vilma, faça o que peço. Logo estarei aí.
Quase meia hora depois Clotilde chegou à casa de Nelson.
Vilma correu a seu encontro.
- Obrigada por ter vindo.
O chá está pronto, porém ele recusa-se a tomá-lo.
- Onde ele está?
Vilma fez sinal com o indicador.
- Está prostrado, jogado no sofá.
Clotilde dirigiu-se até a sala.
Com passos lentos e postura firme, acendeu a luz.
Tapando os olhos com as mãos, incomodado com a luz, Nelson gritou:
- Oras, por que me desobedeceram?
Pedi para não ser amolado.
- Vamos, Nelson, acorde.
Não vai ser educado e receber-me?
Ele levantou-se contrariado.
- Não estou para visitas hoje.
Veio num péssimo dia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:45 pm

- Engano seu. Vim no dia certo.
Como andam as coisas?
- Péssimas!
Tenho uma filha que não me respeita mais.
O que quer que eu faça?
- Nada. Mas é muito drama, não acha?
- Porque não é com você.
Ninguém sabe a aflição que corre em mim.
Só Deus sabe o quanto sofro só com a possibilidade de perdê-la.
- Você sempre soube que um dia teria de enfrentar a verdade não é mesmo?
- Sim, mas na minha cabeça sempre seria um dia tão distante quanto à eternidade.
Se Deus existisse, poderia ter me dado um toque para ao menos me preparar.
Clotilde sentou-se mais próxima.
Pousando firmemente os olhos nos de Nelson, considerou:
- Assim a vida seria muito fácil, não haveria a necessidade da reencarnação.
O maior sabor desta aventura terrena é justamente não sabermos o que virá depois, embora lá no fundo sempre saibamos mais ou menos o que vai acontecer.
- Como assim?
- Pelas escolhas que fazemos.
Estamos livres neste mundo, Nelson.
Ninguém nos impõe nada.
Vivemos de acordo com nossas próprias escolhas e com o resultado dessas escolhas em nossas vidas.
Ninguém o obrigou a acolher Carla em sua casa.
Embora estejam ligados pelo passado, foi uma escolha sua ficar ou não a seu lado.
- Mas não me arrependo.
Só tenho medo de que ela se vá.
- Largue, deixe nas mãos de Deus.
Você faz uma ideia muito errada a respeito Dele, embora já tenha tido provas contrárias.
Se há amor entre vocês, não vejo razão para ficarem separados.
- Gostaria muito de acreditar em Deus, mas sinto-me inseguro.
Clotilde nada disse.
Pegou o bule ao lado e despejou um pouco de chá numa xícara.
Em seguida entregou a Nelson.
- Relaxe, tome um pouco.
A camomila acalma.
Nelson pegou a xícara e agradeceu fazendo sinal com a cabeça.
Ela continuou:
- O facto de Carla ter entrado em sua vida é um presente de Deus.
Nada acontece por acaso, você sabe disso.
Como explicar o amor genuíno que você sentiu assim que seus olhos a viram?
Como explicar a afinidade, a harmonia na relação de vocês?
Não percebe que o dedo de Deus sempre esteve presente?
Nunca parou para perceber que em determinadas situações que fogem do nosso controle, só Ele sabe o que fazer?
Nelson ouvia com atenção, enquanto bebericava seu chá.
- Não sei o que responder.
Embora minha mente não aceite, meu coração sabe que existe algo que sustenta e ampara todo esse universo.
Mas a vida com Carla tem me mostrado que devemos desconfiar de tantas coincidências na vida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:45 pm

- Você está pronto e não sabe.
- Não entendi.
- Você já despertou para a realidade espiritual.
É tudo uma questão de tempo.
A seu modo, você vai aprendendo a lidar com os desígnios da vida.
Se acredita em algo maior, trabalhe em cima dessa fé.
Vai precisar de agora em diante.
Nelson mexeu-se nervosamente no sofá.
Quase derrubou o chá.
- Por que fala comigo nesse tom?
Quer assustar-me?
Veio aqui para ajudar ou para confundir e atrapalhar?
- Não precisa ficar nesse estado - e piscando para Nelson, continuou -, afinal de contas, não sabemos como ela irá reagir quando descobrir seu passado.
- De que está falando? O que sabe?
- Sei o suficiente para dizer que devemos aguardar e confiar.
Se a vida permitiu que ela fosse ao encontro de Ricardo sozinha, é porque está na hora de Carla enfrentar a verdade.
Ela pode ser constrangedora a princípio, causar-nos desconfortos terríveis, mas o tempo nos mostra sempre que a verdade vale a pena.
Nelson pousou suas mãos suadas nas de Clotilde.
Estava inquieto e receoso.
Tornou aflito:
- Tenho medo de que ela fique biruta, ou que nunca me perdoe por não ter lhe contado a verdade.
- Ora, como ela poderia saber?
Mesmo que você tomasse coragem de lhe contar, ela poderia escolher não acreditar.
Nelson, o passado dela foi bloqueado.
A mente de Carla sofreu mecanismo semelhante ao que nos acontece quando reencarnamos.
Se eu falar aqui sobre a sua vida passada, por exemplo, você pode e tem todo o direito de não acreditar.
Sua mente não alcança os registos para saber a verdade.
De que adiantaria contar tudo a Carla?
Não faria sentido. Você agiu correctamente, sim.
Só não pode agora impedi-la.
Quer reactivar a memória que ela deliberadamente inconscientizou.
- Não venha me dizer que ela é a culpada!
- Não gosto de falar em culpa, mas em responsabilidade.
É de total responsabilidade de Carla o que acontece e acontecerá em sua vida.
Ela guia o seu próprio destino, assim como nós dois.
- Ainda custo a crer no que me fala.
Já tive algumas provas, mas tudo soa fantasioso em minha mente.
Será que um dia mudo esse meu jeito?
- Muda. A vida ainda vai trazer-lhe outras surpresas.
- Não gosto desse seu olhar, Clotilde.
Quando olha para as pessoas desse jeito, é porque alguma coisa vai acontecer.
Sabe de algo que eu não sei ainda?
- Aguarde. Mesmo não sendo religioso, dê-me sua mão e vamos orar.
Pelo menos sabe um Pai Nosso?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:46 pm

- Mais ou menos.
- Então feche os olhos e me acompanhe.
Após a oração, gostaria que mentalizasse o rosto de Carla feliz.
Consegue fazer isso?
- Consigo.
- Então vamos.
Fecharam os olhos e começaram a prece.
Ricardo estava desesperado.
Havia colocado Carla sobre a cama e ela continuava desacordada.
- Elvira, ligue para o Dr. Rezende.
Ela não me parece bem.
- Trata-se de um desmaio.
Ela não parece estar mal.
Deve ter sido um susto.
Continue friccionando o álcool em seu punho.
Logo, Carla remexeu-se na cama.
De sua boca saíam palavras desconexas.
Ricardo procurou colocar o ouvido próximo a sua boca para escutar melhor.
- Hum... São Paulo...
O baile... A chuva...
Cleide... O grito...
- O que ela diz? - inquiriu Elvira, aflita.
- Não sei ao certo.
Sua voz está muito baixa.
Algo sobre chuva, baile...
O que será que tudo isso quer dizer?
Estou preocupado. É melhor chamar o médico.
Ou ligar para a casa dela.
- Não vamos preocupar a família à toa.
Ela acabou de chegar.
Deve estar com alguma indisposição.
Vamos aguardar.
Carla continuou a balbuciar algumas palavras, até que seus olhos se abriram e ela curvou de súbito seu corpo na cama.
Olhando para um ponto indefinido do quarto, gritou:
- Mãe!
Virou seu rosto para Elvira e abraçou-a em desespero.
Ricardo nada entendeu.
Chorando copiosamente, Carla falou:
- Elvira, lembrei-me de minha mãe!
Em questão de segundos eu lembrei-me de tudo.
Parece que saí de um torpor, como se um véu escuro fosse arrancado de minha mente.
- Não chore, menina. Acalme-se.
Está ao lado de pessoas que a amam muito.
Estamos aqui para ajudá-la no que for preciso.
- Isso mesmo, está ao lado de pessoas que a amam muito - tornou Ricardo.
Nesse instante Carla se deu conta da presença dele.
Desgrudou-se de Elvira e virou-se para o moço.
De imediato estancou o choro.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Mar 23, 2016 8:46 pm

Passando as costas das mãos para secar as lágrimas, olhava incrédula para Ricardo.
- O que foi?
Por que me olha tão assustada?
Enquanto Carla olhava firme nos olhos de Ricardo, sua mente não parava um segundo de processar as ideias.
Era como se tudo o que vivera até o acidente tivesse acontecido naquele momento, de tão frescas que as lembranças se mostravam.
Ela abriu e fechou a boca, tentou dizer algo, mas lembrou-se nitidamente do sonho com Rogério e Ester.
Agora tudo começava a fazer sentido.
Ricardo continuava em agonia.
- Fale alguma coisa.
Por que me olha assim?
O que foi, meu amor?
O que se passa?
Carla esboçou um sorriso tímido.
Estava muito difícil concatenar as ideias.
Passou suavemente as mãos no rosto de Ricardo.
- Não sei o que dizer.
Embora esteja com a mente embaralhada, sinto que o amo. Abrace-me.
Ricardo abraçou-a com força.
Como amava aquela mulher!
Elvira levantou-se para sair.
- Não, Elvira, fique - tornou Ricardo.
- Preciso me recompor - tornou Carla.
Por favor, Elvira, conduza-me até o quarto de hóspedes.
Ricardo precisa arrumar-se.
- Não, fique aqui.
Tome banho no meu quarto.
- Não, obrigada.
Preciso ficar um pouco só.
Você se incomoda, Ricardo?
- Tem certeza de que está bem?
- Tenho. Elvira conduza-me até o outro quarto.
Vou tomar um banho.
Assim que terminar, voltamos a conversar.
Esperem-me na sala.
Preciso muito desabafar.
Ricardo tentou impedi-la, mas em vão.
Carla beijou-o delicadamente nos lábios e saiu de seu quarto com Elvira.
Ele ficou olhando-a sair até ambas desaparecerem na porta.
Cocou a cabeça, mordeu timidamente os lábios.
O que será que ela queria conversar?
O que se passava pela sua mente?
Porque gritara pela mãe?
O que estava de facto acontecendo com Carla?
Os pensamentos fervilhavam em sua cabeça.
Ricardo não conseguia também concatenar suas ideias.
Encostou a porta, despiu-se do roupão e começou a vestir-se.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:22 pm

Carla trancou a porta.
Não queria ser incomodada, pelo menos por ora.
Sentia o corpo dolorido, uma necessidade imensa de relaxar na banheira.
Lágrimas desciam copiosamente de suas faces.
Toda sua vida desfilou em segundos pela sua mente, desde situações vividas na infância até cenas confusas momentos após o acidente.
Enquanto abria as torneiras da banheira, seu pensamento corria solto.
Como se estivesse mantendo uma conversa com si própria tornou em voz alta:
- Eu sei que sou Carla, mas também sei que sou Leonor.
Agora tudo faz sentido.
Oh, meu Deus!
Será que minha mãe ainda está viva?
Será que ela e minha irmã ainda se lembram de mim?
O que acham que aconteceu comigo?
Será que procuram por mim até hoje?
Preciso localizá-las, é urgente!
Tudo era muito confuso.
Sentia saudades de sua família, de sua mãe, mas ao mesmo tempo não sabia com iria lidar com as duas famílias.
Amava Nelson do fundo de sua alma e não o deixaria, jamais.
Em voz alta, continuou:
- Graças a ele tive uma família nesse tempo todo.
Fui bem acolhida e bem-amada.
Aprendi verdades da vida astral com D. Clotilde.
Tenho a amizade de Santiago e de Vilma.
E estou apaixonada por Ricardo.
Como pode ser isso?
E quando souber a minha verdadeira identidade?
Será que vai gostar de mim do mesmo jeito?
Continuou a pensar.
Despiu-se e entrou na banheira.
A água quente lhe proporcionou aconchego e conforto imediatos.
Sentiu-se protegida dentro da banheira.
Fechou os olhos e continuou a pensar e pensar.
Ester fluidificou a água e passou a fazer um trabalho energético com as mãos sobre a cabeça de Carla.
- Elvira, estou preocupado.
Faz duas horas que ela está trancada na suíte.
Será que aconteceu alguma coisa?
- Não aconteceu nada, Ricardo.
Pare com esse sofrimento gratuito.
Use sua dramaticidade na televisão.
Aqui não há necessidade.
- Por que é tão dura comigo?
Não vê que estou preocupado?
- E a preocupação vai trazer algum benefício?
Vai mudar a situação?
Você chegou a frequentar o Centro aqui em São Paulo e agora estuda com o grupo lá na Guanabara.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:22 pm

Por acaso o que vem aprendendo na teoria não dá para aplicar com facilidade na prática?
Os livros podem dar-lhe sabedoria, mas a prática é que nos ajuda a agir na vida.
Pegue tudo o que aprendeu e use agora, antes que eu perca a paciência com você.
Ricardo olhou para Elvira receoso.
Ela nunca lhe falara nesse tom.
Sempre mostrara-se cordata e amorosa.
Mas ela estava certa, coberta de razão.
Precisava dissipar a preocupação, que em nada o ajudaria no momento.
Procurou serenar, mas o atraso de Carla o impacientava cada vez mais.
- Sei que aprendi muita coisa, mas é difícil colocar em prática.
- O verdadeiro aprendizado vem nessa hora.
Quando nos sentimos aflitos, chateados, preocupados.
Precisamos aprender a confiar, a serenar o nosso coração.
Com o coração sereno escolhemos sempre o caminho certo.
Enquanto ela não desce, procure aquietar seu coração; faça aqueles exercícios de visualização com luzes sobre seu peito.
- Tem razão, Elvira.
Vou procurar me acalmar.
Não tem sentido ficar desse jeito.
Parece que nunca estudei as leis da vida.
- Estudá-las você estudou.
Agora só precisa aplicá-las no dia-a-dia.
Serene e confie.
O resto fica por conta da vida.
- Mas são tantas coisas!
Primeiro a morte de Sampaio, depois a de Fernanda.
É muita coisa.
- Sinta-se um privilegiado.
Com todo o respeito ao seu amigo e a sua antiga namorada, você tem bagagem suficiente para encarar esses factos por outros ângulos.
A vida sempre trabalha pelo melhor, Ricardo.
Ela não seria injusta com Sampaio ou com Fernanda.
Nem ao menos com você.
- Mais uma vez certa - Ricardo levantou-se e beijou-a nas faces.
Agora desça e vá preparar algo para comermos.
Vou aproveitar e ficar na sala fazendo o exercício de visualização.
Ricardo saiu do quarto, desceu lentamente as escadas.
Chegou até a sala, fechou os olhos e começou seu exercício.
Ao seu lado estava Rogério, ajudando-o com passes energéticos ao redor de seu peito e projectando em sua mente uma luz violeta radiante.
Carla terminou o banho.
Sentiu-se bem-disposta, pronta para conversar com Ricardo.
Ainda emocionada pelos sentimentos diversos que carregava no peito, ajeitou-se e desceu.
- Precisamos conversar.
- Sente-se melhor? - indagou Ricardo, também mais tranquilo então.
- Sim. Lembrei-me do passado.
Ricardo deu um salto do sofá.
Correu em direcção a Carla e abraçou-a com carinho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:22 pm

Com a voz embargada disse:
- Meu amor! Até que enfim.
Isso só pode ser um milagre.
Sente-se aqui. Conte-me tudo de que se recorda.
- Ainda estou confusa.
Promete acreditar em mim?
- Claro!
Com lágrimas a cair pelos cantos dos olhos, Carla começou:
- Estou muito emocionada.
De repente tudo ficou claro.
Inclusive a ajuda dos espíritos que recebi.
Só agora reconheço a realidade espiritual, como estamos sempre sendo amparados pelo invisível.
- Concordo com isso.
Desde a morte de meu irmão passei a acreditar nisso.
Graças ao amparo espiritual estou aqui até hoje, forte, amadurecido.
- Pois é. Quando o vi parado na porta do banheiro, tudo veio à tona.
Na verdade, ao vê-lo com esse novo visual, tudo tornou-se claro.
- Mas o que tem a ver a minha nova aparência com tudo isso?
- Você faz parte do meu passado.
- Como assim?
Você diz de vidas passadas?
- Quanto a vidas passadas, não sei.
Seria lembrança demais para mim.
Digo desta vida mesmo.
- Agora quem está confuso sou eu.
Carla pegou delicadamente nas mãos de Ricardo.
- Talvez fique.
E talvez possa me ajudar a desvendar toda a verdade.
Há peças que não consigo encaixar nesse grande quebra-cabeças que se formou.
- Então fale.
Carla pigarreou.
Passou a língua nervosamente pelos lábios.
- Sei quem sou.
Lembrei-me de minha mãe, minha irmã, meu cunhado, sobrinhos.
Até a lembrança de meu namorado está viva em minha memória.
Ricardo empalideceu.
- Você tinha namorado?
- Você falou certo:
eu tinha um namorado.
Mas ele morreu.
- Como tem certeza disso?
- Porque desde que estou na casa de Nelson, tenho estudado e aprendido muito com D. Clotilde.
Sei que meu namorado não está entre nós, porque tive contactos com seu espírito em algumas reuniões espíritas.
Na época eu não sabia de quem se tratava, mas hoje tudo ficou nítido.
- E quanto a sua família?
Sabe o nome, endereço?
- Sei o nome.
Não sei se moram no mesmo lugar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:23 pm

Faz tantos anos!
Devem ter-me dado como morta, ou como desaparecida.
Essa parte da história somente eles poderão me dizer.
É a parte do quebra-cabeças que não possui peças que se encaixem para que eu compreenda toda a verdade.
- Vamos pelo começo.
Qual o nome de sua mãe?
- Minha mãe chama-se Carmem Baptista, que eu me lembre deve morar ainda no estado da Guanabara.
- Carmem Baptista?
Eu tenho uma amiga no Rio com esse nome, mas ela não tem filha...
De repente Ricardo sentiu o chão sumir.
Tirou abruptamente as mãos que pousavam no colo de Carla.
Sentiu uma agonia muito grande.
Deu um salto do sofá.
- O que foi, Ricardo?
Por que ficou agitado?
- Qual o seu verdadeiro nome?
- Leonor.
Ricardo estremeceu.
Abriu e fechou a boca, mas não conseguiu falar.
Andou agitado a passos largos de um lado para outro da sala.
Sua cabeça pendia de um lado para o outro, como a afastar as ideias.
- O que foi?
Por que está tão nervoso?
Ricardo parou de andar e fitou-a nos olhos.
- Se você queria aprontar uma comigo, conseguiu.
Mas confesso que é uma brincadeira de muito mau gosto.
- Desculpe. Olhe bem para meus olhos.
Talvez a cor dos cabelos dificulte o reconhecimento, e seis anos se passaram.
Estou um pouco diferente, mas sou eu mesma, Leonor.
Eu não morri no acidente.
Ela parou de falar.
Colocou as mãos no rosto e, num gesto desesperado, começou a chorar convulsivamente.
Ricardo olhava-a incrédulo.
- A família enterrou Leonor.
Eu fui ao funeral.
Que brincadeira de mau gosto é essa?
- Sei que é difícil, Ricardo.
Mas eu sou Leonor, que namorava seu irmão Rogério.
Eu só me lembro de ter sido violentamente jogada para fora do carro...
Depois me vejo acordada numa cama de hospital sob os cuidados de Nelson.
Eu juro que estou falando a verdade.
- E quem nós enterramos no seu lugar?
- Paramos no meio da viagem para um lanche.
Lá encontramos uma garota que pediu carona.
Ela não tinha roupas, tampouco documentos.
Agora foi a vez de Carla dar um salto do sofá.
- É isso mesmo, Ricardo!
Por isso minha família não me procurou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:23 pm

Devem achar que morri no acidente!
Enterraram aquela pobre menina no meu lugar.
- Você amava meu irmão e iria se casar com ele!
Se for verdade mesmo, não podemos ficar juntos.
- Por que não?
Seu irmão não está mais aqui.
Eu tenho direito a minha felicidade.
Gostei muito dele, mas apenas namoramos.
- Não sei se o que diz é verdade. É muita fantasia.
Eu não posso ter me apaixonado pela mesma mulher que era amada pelo meu irmão. Isso é traição.
- Você está louco?!
Eu estou aqui, falando sobre a minha verdade, a minha vida, o meu amor por você, e recebo a censura como resposta?
Então você não me ama.
- Eu a amo, sim.
Mas estou com um aperto no peito.
Eu mal tive contacto com você quando namorava Rogério.
A bem da verdade, eu a vi primeiro, encantei-me com seu sorriso.
Mas Rogério chegou na frente.
Procurei nunca encontrá-la quando estava com ele, tanto que vimo-nos umas duas vezes no máximo.
- E daí, Ricardo?
Ele passou a gritar histérico:
- Como e daí?
Rogério era meu irmão!
Ele está vivo em espírito e acho que não gostaria de nos ver juntos.
Se fosse para ficarmos juntos, você teria se apaixonado por mim primeiro.
Desculpe, mas não posso continuar com essa relação.
Não posso trair meu irmão.
- Depois de tudo o que estudou e aprendeu, você vem com esse discurso?
- Por isso mesmo!
Acredito na vida espiritual e por isso sei que Rogério está vivo, quem sabe até participando dessa conversa.
Não tenho coragem, não posso. Sinto muito.
- Você não sabe o que quer.
Quando a vida coloca alguém em seu caminho para amar, você descarta como um jogo que não quer mais brincar.
Você vai se arrepender por ter feito essa escolha.
Acho que não tenho mais nada a fazer aqui.
Vou-me embora.
- Você não pode ir. É tarde.
Durma no quarto de hóspedes e Douglas amanhã a levará para casa.
- Não preciso de sua falsa preocupação nem de sua falsa caridade.
Sou adulta e sei me virar.
Meu coração está triste e chora nesse momento.
Mas eu não vou lutar nem tampouco implorar que você fique comigo.
Isso não é uma decisão do seu coração, mas de sua mente doente.
Percebo que está confuso e não sabe o que quer.
Usa seu irmão como desculpa para não se relacionar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73027
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 8 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum