SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Página 9 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:23 pm

Não serei mais uma a viver outra relação infrutífera com você.
Quero amar e ser amada.
Se você não for o homem para mim, a vida trará outro, muito melhor.
Vou subir e apanhar minha mala.
Ricardo ia dizer algo, mas não conseguiu.
Engoliu seco as palavras verdadeiras de Carla.
Deixou-se cair no sofá.
Ela desceu e foi directo para a porta.
Antes, virou nos calcanhares e foi até a sala.
- A última coisa de que preciso na vida é de alguém inseguro e que usa a vida espiritual como escudo para não envolver-se afectivamente com ninguém. Passe bem.
Carla deu meia volta, pegou a mala que estava no hall de entrada e saiu, batendo a porta com violência.
Ricardo correu até a porta, mas sua cabeça impedia que o coração falasse mais alto.
Vencido pelo medo e pelo orgulho ferido, deixou que seu corpo fosse arqueando e escorregando pela porta, até cair no chão e explodir num choro convulsivo, impotente.
O silêncio da madrugada, que corria alta, foi quebrado pelo barulho da campainha insistente e das batidas fortes na porta.
Nelson estava deitado na sala, esperando por um telefonema de Carla.
Aos poucos o barulho que parecia fazer parte de um sonho qualquer, despertou-o para a realidade.
Assustado, levantou-se rápido e acendeu a luz.
Procurou recompor-se.
Quem seria a essa hora?
- Já vai.
Ajeitou o roupão e andou rápido para a porta, ainda sonolento.
Antes de abri-la, foi perguntando:
- Quem é?
- Sou eu, pai.
Esqueci de levar a chave.
Abra, por favor.
Nelson apressou-se em abrir a porta.
Na sua frente, uma garota com os cabelos em desalinho e os olhos vermelhos e inchados denunciando muito choro.
Sentiu alívio ao ser chamado de pai.
Talvez tenham brigado, pensou.
Ele a abraçou com carinho.
- O que foi, querida?
Aconteceu algo entre você e Ricardo?
Carla nada disse.
Meneou afirmativamente a cabeça e procurou conforto no peito do pai.
- Venha, entre.
Por que não me avisou que voltaria?
Iria buscá-la na rodoviária.
- Não quis incomodá-lo.
Não estava previsto que voltaria hoje.
Eu e Ricardo nos desentendemos, terminamos a relação.
Ele é inseguro, não sabe o que quer.
Não posso entregar o que tenho de mais sagrado, que é o meu amor, a alguém que não saiba correspondê-lo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:23 pm

Nelson abraçou-a novamente com carinho.
- Tudo se resolve, filha.
Venha, sente-se aqui comigo.
Fiquei muito preocupado com sua saída repentina.
Ele a conduziu até o sofá da confortável e ampla sala de estar.
- Agora conte-me.
Por que saiu tão de repente?
- Ricardo me ligou em desespero, triste, pedindo-me ajuda.
Sentia-se só e disse-me que haviam encontrado o corpo de Fernanda.
Sabe, pai, ela morreu numa explosão, não sei ao certo.
Eu e Ricardo acabamos por não conversar a respeito.
- Não li nada nos jornais.
Ela era famosa.
- A polícia descobriu hoje.
Amanhã deve estar em todas as capas de jornais e revistas.
Ainda mais agora.
- Por quê?
- Porque descobriram que ela foi a assassina de Sampaio.
A perícia concluiu os exames.
A faca que ela tentou usar para agredir-me na casa de André foi à mesma usada contra Sampaio.
- Que horror! Eu nunca pensei que uma pessoa desse nível pudesse chegar a tanto.
- Isso não tem nada a ver com nível, pai, mas com equilíbrio emocional.
Fernanda sempre foi muito instável.
Mas não cabe aqui julgá-la.
Cada um é responsável por aquilo que pratica.
Ela deve estar colhendo as atitudes que plantou.
- Mas se você foi lá para ajudá-lo e confortá-lo, por que terminaram?
Existe outra mulher na vida dele?
- Não. Acho que nunca existiu.
Hoje ele me mostrou que é excelente actor até fora das telas.
O quanto ele é inseguro e ignorante.
Custo a crer na verdade.
- Não fale assim.
Pode ser que ele esteja abalado com essa história da Fernanda.
Afinal de contas, eles tinham uma ligação e o Brasil inteiro sabia disso.
E ele perdeu um de seus melhores amigos de uma maneira trágica.
- Compreendo, mas o senhor não sabe o que ouvi dele hoje.
Ele não merece o meu amor.
Aliás, isso não é o importante.
Estou excitada e preocupada ao mesmo tempo.
Precisamos conversar.
Nelson estremeceu levemente.
Em seu íntimo sentiu que algo mais estava por vir.
Antes de perguntar, Carla o interrompeu:
- Lembrei-me de tudo.
- Como assim? Tudo o quê?
- Agora sei de toda minha vida antes de estar naquela cama de hospital, quando nos conhecemos.
Nelson ficou pálido como cera.
- Você tem certeza disso?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:24 pm

- Sim. Lembrei-me de meu nome, de minha mãe, de familiares em geral.
O pranto começou a correr incessante em ambos.
Nelson não sabia o que dizer.
Clotilde bem que o avisara:
um dia, mais cedo ou mais tarde, teria de confrontar a verdade.
E agora, o que seria de sua vida?
Antes que concatenasse qualquer outra ideia, Carla retrucou:
- Pelo menos de uma coisa você pode ficar sossegado.
- E o que é?
- Nunca conheci meu verdadeiro pai.
Ele morreu antes de eu nascer.
Eu tenho mãe, irmã, cunhado e sobrinhos, mas não tenho pai.
E mesmo que tivesse um, não iria separar-me de você.
- Vamos dar um jeito e resolver tudo. Agora me conte sua história.
- Antes de contá-la gostaria de dizer o quanto o amo.
Enquanto estiver viva, nunca deixarei de ser sua filha.
Nelson a abraçou comovido e emocionado.
Não tinha mais dúvidas de que Deus existia e de que ele realmente sabia o que fazer, sempre.
Após uma linda palestra acerca dos imperativos que um espírito enfrenta sempre que retorna a Terra, proferida por um palestrante de altas esferas, seguiu-se uma efusiva salva de palmas no grande anfiteatro.
Toda a colónia espiritual estava em festa.
Muitos amigos foram dar palavras de encorajamento a Octávio, que partiria para mais uma etapa em sua jornada evolutiva.
Ester, olhos húmidos e tocada pelo final comovente da palestra, abraçou Octávio com carinho.
- Fico feliz por ter tomado uma atitude tão difícil.
Você poderia ficar mais tempo por aqui.
- Não, minha amiga.
Estou há muitos anos por essas bandas, aprendi muita coisa.
Sinto-me forte para voltar.
Não se esqueça de que estarei entre conhecidos.
- Pois é - considerou Rogério -, isso ajuda muito.
Soube que a conversa com seus futuros pais foi emocionante.
Fiquei sabendo que vocês estão ligados por muitas vidas em laços de amor e união.
- Graças a Deus.
Fico feliz de poder nascer no meio de uma família que tanto ajudei e com quem também muito aprendi.
Lívia e Cláudio são companheiros meus de muitas jornadas.
Tenho certeza de que serei muito amado e aprenderei muito com ambos.
- Não o entristece o facto de nascer em solo estrangeiro? - inquiriu Ester.
- Não. Nossos mentores já me adiantaram alguns factos.
Haverá mudanças no Chile e o casal tende a regressar ao Brasil, essa experiência amadureceu muito os dois.
Estou convicto de que voltarei a crescer no Brasil e Cláudio poderá dar-me uma educação primorosa.
Não se esqueçam de que ele vai receber uma herança.
- Eta espírito de sorte! - considerou Rogério.
- Não se trata de sorte - objectou Ester.
Octávio faz por merecer.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:24 pm

Se dá o devido valor.
Por que haveria de nascer em outras circunstâncias?
- E quanto a vocês?
Quais os planos futuros? - perguntou maliciosamente Octávio.
Ester e Rogério ruborizaram.
Ele tomou a palavra.
- Aprendemos o valor do amor e por isso estamos juntos.
Nossos espíritos estão livres das amarras das paixões doentias.
Essa última encarnação nos ajudou a enxergar o verdadeiro amor.
Vamos para outra colónia, temos muito a aprender e muito trabalho também.
- Não somos obrigados - tornou Ester -, mas queremos de coração prestar ajuda a Ricardo.
Ele carrega um sentimento de traição em relação a Rogério que deve ser dissipado.
Faremos o que estiver ao nosso alcance para que ele enxergue a verdade e largue as impressões ruins do passado.
Assim como eu e Rogério, ele e Leonor merecem uma nova chance.
Ele é livre para fazer suas escolhas, mas encontra-se perdido no orgulho e na insegurança.
- Não estarão influenciando na escolha? - perguntou Octávio, em tom preocupado.
- Não. O plano espiritual nos permitiu que o tiremos do corpo e tenhamos uma conversa madura.
Depois, ele estará livre para decidir.
- Torço pelo melhor.
Afinal de contas, seremos parentes.
Olha como funciona a vida:
de pai, passarei a ser sobrinho de minha filha.
- Isso mesmo, Octávio, agora você será sobrinho de Leonor e também neto de Odete!
Vai ser um problema com o excesso de mimos!
Riram, bem-humorados.
Octávio continuou a receber abraços e incentivos de muitos outros amigos que granjeara ao longo de sua estada no plano astral.
Sabia ter tomado uma decisão benéfica para o amadurecimento de seu espírito.
Terminado o almoço, em elegante restaurante paulistano, Nelson solicitou:
- Você me surpreende a cada instante, filha.
Mas não acha que esteja demorando um pouco demais para reencontrar-se com sua mãe?
- De jeito algum.
Passaram-se seis anos.
Alguns dias não vão mudar o rumo dos acontecimentos.
Quero chegar até ela com tudo explicado.
O Dr. Castro está tentando anular o óbito na justiça.
Pai, você não vê que tudo está certo?
Que estamos recebendo ajuda espiritual?
- Desde que você me contou tudo e ainda está a meu lado, confesso que acredito em Deus, sem sombra de dúvidas.
Mas achar que os espíritos estão ajudando, é muito para minha cabeça.
- Veja só: Santiago atendeu um paciente, e após conversa cativante que lhe é peculiar, esse paciente deu-lhe seu cartão e não sei mais o que conversavam para que em suas mãos caísse o cartão do Dr. Castro.
- Sim.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:24 pm

Com olhar argucioso, Leonor continuou:
- Esse paciente de Santiago foi André Ramalho, pai de Rogério.
Graças a esse encontro, temos as cópias de todos os meus documentos, inclusive da certidão de óbito.
Nunca iria imaginar que André guardasse aquelas cópias.
Acha que não tem o dedo do invisível?
- Não sei. Não pode ser tudo uma grande coincidência?
- É muita coincidência para mim.
Olhe como a vida não erra nunca.
Ela faz tudo certo.
Se não fosse para esse mistério ser desvendado, você procuraria outro advogado, ou nem procuraria um.
- Você sempre a dar nó na minha cabeça!
Sabe que tem um certo sentido?
Parece que tudo se encaixa perfeitamente.
Mas algo me preocupa.
- E o que é?
- Sua mãe. Temo que ela fique zangada comigo.
Será que vai acreditar na amnésia?
Não pode julgar-me um aproveitador e até mover um processo na justiça?
Leonor começou a rir alto.
- Pai, você é muito fantasioso.
Que mente criativa!
Por que não pensa no lado bom, positivo das coisas?
Por que teima em enxergar o lado desagradável?
Você é um homem tão valente e inteligente.
Não me faça rir com essas inseguranças.
- Temo perdê-la.
- Esquece-se de que já tenho vinte e seis anos?
Sou adulta. Ninguém poderá mover um processo contra você sem meu consentimento.
- Esqueci-me.
Agora você sabe seu nome, idade, tudo.
Não sei se vou acostumar-me com Leonor.
- Fique sossegado.
Assim que tiver uma filha, não tenha dúvidas de que ela se chamará Carla.
- Uma neta! Quem diria, um homem como eu, que nunca quis saber de envolvimento, ser presenteado com uma filha e com a possibilidade de ter uma neta.
E tudo isso sem passar pelos dissabores do matrimónio.
- Por que nunca se deu o direito de investir numa relação?
Ainda acho que a qualquer momento você vai acabar se envolvendo com alguém.
- Por que diz isso?
Clotilde previu algo?
- Nossa! Para quem não acreditava em nada, você está indo longe demais.
É puro instinto feminino.
Algo me diz que você vai enamorar-se.
- Não tenho mais idade para isso.
Passei dos cinquenta.
Vai ficar para a próxima.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:24 pm

Estavam conversando animadamente quando foram abordados por Castro.
- Queria esperá-los no escritório, mas estou muito excitado com os acontecimentos.
Nelson correu a perguntar:
- O que foi dessa vez?
- Bem, com relação à documentação de Carla, é tudo muito burocrático, mas em breve teremos sentença favorável.
É uma questão de tempo.
Logo você voltará a ser Leonor Baptista, mais viva do que nunca.
- E em relação àquela garota que foi enterrada no lugar de minha filha?
- Já foi autorizada a exumação do corpo.
Os exames irão provar que se trata de Cleide, ou de qualquer outra pessoa, menos de Leonor.
Se a moça não tinha parentes nem documentos, não importa.
E tem mais: as suas digitais conferem com a identidade. Não há erro.
Leonor retrucou:
- Mas será que não podemos achar algum parente de Cleide?
Castro considerou:
- Não há meios legais para isso.
Você mesma me disse que ela não tinha documentos, que perdera a família num deslizamento na Guanabara.
Sem documentos, num país desse tamanho, vai ser impossível.
Pelo menos a exumação vai servir para provar que você está viva.
Quanto a sua amiga, será mais uma indigente, como muitos nesse Brasil.
- Espero que ela esteja vivendo muito bem no astral.
Desde que me recordei de tudo, tenho orado muito para o espírito dessa menina - e levantando-se da cadeira, continuou:
- Bem, tenho hora no cabeleireiro.
Quero ficar com a aparência bem próxima à que tinha quando morri.
- Não fale assim - replicou Nelson.
- Brincadeira, papai.
Eu preciso ficar parecida ao que era antes, minha mãe precisa saber que sou eu mesma.
Depois volto a ficar loira novamente.
- Não se atrase - rebateu Castro.
Sabe que hoje à noite vocês se comprometeram a ir comigo ao Centro.
Trata-se de uma sessão especial.
- Quanto a mim, pode ficar tranquilo - disse Leonor.
- Quanto a mim...
Também - concluiu Nelson, com gesto nervoso.
- Ora, Nelson, depois de tudo o que aconteceu ainda continua resistente?
- Não é isso.
Não me sinto preparado.
- Conversa fiada - respondeu Leonor.
Ele está com medo. Mas passa.
Agora preciso ir.
Pode nos apanhar no hotel às sete horas, Dr. Castro?
- Sim. Mas só os levarei se parar de me chamar de doutor .
- Está certo, Castro. Até logo.
Beijou o pai e o advogado e partiu sorridente rumo ao salão de beleza.
- Pelo brilho de seus olhos, Castro, percebi que veio até aqui com outras intenções.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:24 pm

- Mas queria falar com você sem a menina por perto.
- O que foi, então?
Não foi a exumação que o trouxe até aqui, não é?
- Também. Mas rapaz, você não vai acreditar.
Lembra-se do caso do general?
- Aquele que deixou a fortuna para o neto?
- O próprio. Consegui localizar o rapaz.
Está casado e pediu asilo político no Chile.
As coisas não andam bem por lá e ele e a esposa tencionam voltar.
Mas estão sem condições, vivem bem apertados.
- E como vai trazê-los para cá?
- Esqueceu-se de que ele é neto de general?
Pois é, mesmo morto, o general Ubirajara Couto tem força entre os militares.
Através de documentos comprovando o parentesco entre eles, consegui que o neto retorne ao país sem problemas.
- E ele sabe disso?
- Não. Escrevi-lhe uma carta contando sobre alguns parentes da falecida mãe que precisam muito de sua ajuda.
Fiz um grande dramalhão.
Com a situação ruim do país, mais a vida difícil que compartilha com a esposa, acho que ele volta.
Mesmo que seja para pisar no Brasil e querer voltar, não importa.
Aliás, duvido que ele queira voltar depois de saber toda sua história.
Nelson terminou de sorver o último gole de café.
Dando de ombros, perguntou:
- Mas o que tenho a ver com tudo isso?
- Cláudio dos Santos, e que agora vai somar Couto ao sobrenome, é casado com Lívia Baptista Teixeira, ninguém menos do que filha de Odete Baptista e neta de Carmem Baptista, entendeu?
Nelson arregalou os olhos.
- A sobrinha de Carla, quer dizer, Leonor?!
Não posso acreditar nisso!
- Pode sim. É a mais pura verdade.
Veja que mundo pequeno.
E como todos esses casos vieram parar na minha mão.
O mesmo advogado, cuidando das mesmas famílias, sem saber.
Sinto uma felicidade enorme por estar ajudando todos vocês, em perceber que todos estão se saindo muito bem.
- Mas isso é incrível!
Vai contar a minha filha?
- Não vejo necessidade, por ora.
Não sei se Cláudio vai responder à carta, se vai voltar logo.
- Começo a achar que o invisível se existe, está fazendo muito por todos nós.
Mas por que iriam querer ajudar simples mortais, como eu, por exemplo?
- Não sei. Pode ser que sua atitude de ter acolhido Leonor tenha contado pontos a seu favor.
Você a acolheu sem obrigação, mas com amor.
E também, vai saber o que fez com ela em outra vida?
- Deixe de besteiras.
Nunca faria nada a minha filha. Isso é insano.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:25 pm

- Vamos ver.
Quem sabe logo mais à noite tenhamos alguma novidade.
Agora preciso ir.
Não se esqueça, sete em ponto.
Castro despediu-se do médico e voltou a seus afazeres, radiante.
Nelson pagou a conta, saiu do restaurante e resolveu caminhar um pouco pela cidade.
Tomou um táxi e pediu ao motorista que o deixasse no parque do Ibirapuera.
Precisava reflectir e pensar sobre as mudanças bruscas que aconteciam em sua vida.
Logo mais à noite, no trajecto ao Centro Espírita, Nelson resmungava.
- Eu falei que o loiro ficava bem melhor.
Não gostei de você morena.
- Quem tem de gostar ou não sou eu, pai.
- Para mim, você fica linda de qualquer jeito - rebateu Castro.
- Obrigada. Sei que o castanho me deixa mais madura, mas é por pouco tempo.
Depois que reencontrar minha mãe, volto a ser loira.
- Espero que seja logo mesmo.
- Por que anda nervoso? É o Centro?
Se não quiser ir, podemos dar meia volta e deixá-lo no hotel.
Nelson iria retrucar, mas Castro, bem-humorado, respondeu:
- Estamos longe do hotel e não podemos chegar atrasados.
Se você quiser, Nelson, posso deixá-lo próximo ao Estádio do Pacaembu.
- Não! Disse que ia e vou.
Só estou um pouco irritadiço.
- Chegamos.
Carla admirou-se.
- Nunca podia imaginar um Centro numa rua elegante, com casas tão bonitas.
Castro explicou:
- Não se trata de um Centro Espírita convencional.
Um amigo meu herdou esse casarão.
Começamos com o grupo de estudos e depois naturalmente foi crescendo e partimos para o atendimento.
Mas atendemos poucas pessoas, não temos estrutura suficiente para um grande contingente.
Há muitos Centros grandes e bons aqui em São Paulo.
Nossa preocupação está em desenvolver o nosso potencial nos estudos e passá-los para as pessoas.
Como damos mais ênfase às palestras e à responsabilidade que cada um tem por aquilo que atrai na vida, não somos bem vistos.
Há muita gente que prefere olhar-se como vítima.
Vem até aqui, faz semanas de tratamento espiritual, mas não muda o jeito de ser.
Os espíritos fazem a sua parte, limpando a aura do indivíduo.
Mas a pessoa que recebe o tratamento não faz a sua parte, não procura melhorar a cabeça.
- Entendo o que você diz.
D. Clotilde me fala a mesma coisa.
Muitos vão aos Centros em desespero e depois de meses voltam-se contra os trabalhadores da casa, responsabilizando-os pelo insucesso do tratamento.
Não enxergam que eles mesmos, que receberam tratamento, não procuraram olhar para dentro de si e mudar os padrões e crenças que o impediam de progredir na vida.
- Temos a eternidade pela frente.
Uma hora todos aprendem à lição e passam de ano - concluiu Castro.
Agora vamos. Está quase na hora.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:25 pm

- Mas não há gente na porta.
- Eu avisei que se tratava de uma reunião especial.
É uma reunião de comunicação, portanto fechada ao público.
Vocês vão amar, garanto.
Desceram em silêncio do carro e caminharam para o interior do casarão.
Cleide era capaz de fazer qualquer coisa para comprar sua liberdade, e não titubeou em participar activamente de toda essa sujeira, começando por colocar alta dose de sonífero no licor servido a Pedro, logo após um jantar na casa de Carla.
O médium fez ligeira pausa.
Nelson foi afectado por pesado torpor em sua cabeça, sentindo-se como parte daquela trama.
Os olhos de Castro estavam marejados.
Leonor, embora ouvisse o nome de Carla e sentisse ali uma grande identificação com a personagem, continuava impassível.
O relato continuou:
- Após sedar Pedro, Cleide e Aldair o colocaram no quarto de hóspedes e despiram-lhe as vestes.
Desacordado, Pedro nada sentiu, ficando nu sobre a cama.
Cleide logo tirou suas vestes e deitou-se ao lado de Pedro, em posição comprometedora, para deleite de Aldair.
Algumas horas depois, fingindo estar indisposto, Aldair passou pelo corredor e abriu a porta do quarto de hóspedes.
Com um sinal de Cleide, passou a bradar pela casa.
Logo, Carla despertou, e ao chegar à porta precisou apoiar-se nos braços do pai.
A custo tentava acreditar no que seus olhos viam.
Sua ama, amiga de tantas confidências, deitada com seu noivo.
O pai novamente fingiu indignação, abraçou-a e chacoalhou e estapeou violentamente Pedro, que, assustado por se ver naquela situação inusitada, não teve palavras para explicar-se de imediato.
Mais uma pausa.
Após breve suspiro, o médium continuou:
- Carla, ferida em seu orgulho, não teve outra alternativa.
Desiludida, humilhada e ferida em seus sentimentos, casou-se com Hugo, o fidalgo.
Aldair recuperou os bens.
Cleide sumiu no dia imediato ao ocorrido, não sem antes receber das mãos do fidalgo uma quantia considerável de dinheiro para a época, permitindo-lhe comprar sua liberdade e viver muito bem pelo resto de seus dias.
Alguns médiuns que estavam sentados atrás de Leonor, Nelson e Castro, levantaram-se de suas cadeiras e passaram a aplicar-lhes passes.
O relato continuou:
- Anos depois, Hilda, irmã mais nova de Carla, que tudo vira naquela fatídica noite, não aguentando o sofrimento da irmã com um casamento medíocre, tomou coragem e contou-lhe toda a verdade.
Carla, em seu desespero, saiu à procura de Pedro, mas em vão.
Ele havia partido para a Europa, triste e desiludido por ela ter acreditado na trama urdida pelo pai.
O jovem acreditava que o amor de Carla por ele fosse maior do que aquilo que seus olhos presenciaram.
Carla, a essa altura da história, não podia desfazer o casamento, estava com filhos e os valores sociais naquele tempo eram muito rígidos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Mar 24, 2016 8:25 pm

Seu marido, desiludido também com a maneira fria como ela o tratava, voltou a viver uma paixão doentia com sua amante, a impetuosa Raquel.
Os médiuns continuavam com suas mãos sobre o coronário de Leonor, Nelson e Castro.
Após longo suspiro, o dirigente da casa, incorporado, continuou:
- Mais alguns anos e Hugo partiu com Raquel, deixando a esposa sozinha e desamparada.
No dia em que ele partiu, Carla foi ter com seu pai e jurou jamais perdoá-lo.
Culpou-o pela infelicidade de sua vida.
Ele a separara de seu grande amor e agora ela estava só, sem amor e sem um vintém.
As únicas que ficaram a seu lado foram Hilda, sua irmã, e Neide, sua mãe.
Com a ajuda das duas, Carla teve condições de criar os filhos e viver com dignidade.
Aldair arrependeu-se da atitude insana, mas já era tarde.
Carla não lhe deu o perdão, mesmo quando ele estava prestes a desencarnar, sozinho e falido.
E assim Aldair partiu para o mundo espiritual cheio de remorso e clamando pelo perdão da filha amada.
O médium suspirou novamente e concluiu:
- Por hoje é só.
Logo teremos outro contacto.
Antes, gostaria de esclarecer que o advogado que ludibriou Aldair hoje está aqui como Castro; Aldair agora chama-se Nelson e Carla chama-se Leonor, daí o facto de Nelson baptizá-la com esse nome, ao encontrá-la na vida actual.
Pedro voltou como Ricardo; Hugo voltou como Rogério; Raquel foi Ester, mãe de ambos; Hilda e Neide são respectivamente Odete e Carmem; e Cleide recebeu o mesmo nome nesta vida.
Para finalizar, gostaria de agradecer aos participantes e de me identificar:
meu nome é Ubirajara do Couto Neto e quero agradecer a Castro pela ajuda dada a todos, principalmente por poder fazer o que quisesse de minha fortuna.
Foi um teste e você foi aprovado.
Não ousou alterar meu testamento e deixou tudo para Cláudio.
Mesmo recebendo os passes, Castro não aguentou.
Se havia ludibriado no passado, jamais teria essa postura agora.
Nunca passara pela sua cabeça usurpar Cláudio, alterando o testamento do general.
Caiu num pranto emocionado.
As lágrimas corriam livremente por entre suas faces.
Intimamente, agradeceu ao general e a Deus por não ter falhado dessa vez.
O espírito do general continuou:
- Cleide encontra-se muito bem, trabalhando num posto de socorro aqui próximo.
Agora que o véu do passado foi parcialmente descortinado, vocês podem reflectir, analisar e amadurecer suas ideias.
Tenham uma boa noite.
Os médiuns terminaram os passes e voltaram a seus lugares.
Após silêncio que durou por alguns minutos, a senhora na ponta da mesa encerrou a sessão proferindo uma sentida prece.
Finalizou:
- Hoje tivemos uma noite especial.
Esperávamos ter algum esclarecimento sobre estudo e acabamos por ter uma lição de vida.
Ela pegou um jarro com água que estava a seu lado, despejou seu conteúdo em três pequenos copos e solicitou a um companheiro próximo que o desse a Nelson, Castro e Leonor.
Os três estavam cabisbaixos, com lágrimas nos olhos.
Castro e Leonor já entendiam muito da vida espiritual e a história narrada foi de grande valia para entenderem como o resultado de nossas escolhas pode perdurar por vidas e vidas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:08 pm

Para Nelson, tudo era confuso.
Ele sentia em seu íntimo que falavam dele, com outro nome.
Enquanto o médium falava, ele via alguns flashes, e agora se dava conta do sonho que o impressionara em demasia tempos atrás.
Agora começava a entender os factos.
Mas estava muito emocionado para tecer qualquer comentário.
Após beber a água, Nelson sentiu-se melhor.
Aliviado, olhou timidamente para os presentes, que discursavam em tom de voz baixo e pausado sobre os imperativos da vida, sobre as leis de Deus.
Passou os olhos pela mesa e qual não foi sua surpresa ao deparar-se com a senhora sentada à ponta.
Ela percebeu seu olhar admirado, levantou-se e foi até ele.
- Eu disse que um dia você viria até aqui.
Nelson não podia acreditar.
Era a mesma mulher que encontrará na igreja, há muito tempo.
Lembrou-se no mesmo instante de seu nome:
- D. Guiomar!
Desculpe-me, mas sinto-me envergonhado.
Nem sei onde coloquei aquele cartão.
Vim aqui por causa de Castro.
- Não se envergonhe.
Eu lhe disse que no momento certo você viria.
Já reencontrou a sua filha, e também percebe que não vai mais perdê-la, pois isso é reflexo de um passado distante.
Precisa agora é de uma limpeza nessas ideias cristalizadas.
Carla ou Leonor, tanto faz, agora está presente em sua vida.
Você pode continuar a culpar-se, continuar com medo de perdê-la ou pode simplesmente amá-la.
É uma questão de escolha - e abaixando e beijando-o na testa, tornou:
- Agora você é livre para amá-la, colocando o sentimento acima do dinheiro ou de outros interesses.
Nelson não tinha palavras.
Levantou-se e abraçou Guiomar com força e carinho.
Deixou que as lágrimas de gratidão corressem livremente pelas suas faces, sentindo no mesmo instante o peito livre das culpas e remorsos do passado.
Por intermédio de detectives competentes que deviam certos favores a Castro, não foi difícil localizar o endereço de Carmem.
O domingo de Dia das Mães foi à escolha ideal para a realização desse reencontro.
Castro ligara para Carmem na noite anterior, passando-se por um balconista de floricultura que queria confirmar o endereço e saber se haveria alguém em casa no domingo, pois tinha em mãos uma encomenda de Ricardo Ramalho para ela.
Com resposta afirmativa de Carmem, traçaram rapidamente o plano.
Leonor e Nelson não foram vencidos pelo sono, passando, cada qual em seu quarto, pelas expectativas em relação à manhã que se aproximava.
Após divertida viagem, graças ao humor de Santiago, chegaram ao endereço.
Leonor estremeceu.
Sentiu o coração bater forte.
Salvo algumas novas plantas no jardim, a casa era a mesma de seis anos antes.
Tudo parecia estar igual.
Sentiu uma saudade imensa do lugar onde passara toda sua vida até a data do acidente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:08 pm

Com olhos húmidos e voz embargada, virou-se para Nelson:
- Pai, estou muito nervosa.
Não sei qual será a reacção de todos.
Nelson procurou acalmá-la:
- Calma, filha.
Há quanto tempo vem esperando por esse momento?
A justiça já deu sentença favorável à anulação da certidão de óbito.
Quanto aos papéis, você já pode considerar-se Leonor Baptista novamente.
Até eu já me acostumei com esse nome.
- Você se impressionou com o nome da vida passada, isso sim.
Medroso! Antes adorava chamá-la de Carla, mas depois que descobriu o seu passado tenebroso, morre de medo - considerou Santiago, rindo alto.
- Não sei por que o trouxe até aqui - objectou Nelson, com o cenho fechado.
- Pai, que cara fechada é essa?
Não vê que estamos todos tensos e Santiago só está brincando?
- Tudo bem, mas precisava vir à trupe toda?
- Precisava, sim, porque eu queria que Santiago e D. Clotilde estivessem partilhando comigo desse momento.
Vocês fazem parte de minha vida, são a minha nova família.
Mamãe precisa saber com quem convivi durante esses anos todos.
Só me entristece o facto de Vilma não estar presente.
- Oras - obtemperou Nelson -, também não era tempo para formar caravana, certo?
No tempo devido todos terão condições de conhecer Vilma.
Clotilde procurou aquietá-los.
- Estão parecendo crianças.
Estamos diante de um momento importante tanto na vida de Leonor como nas nossas.
Antes de nos prendermos em pequenas coisas, não é melhor fazermos uma prece?
Todos concordaram plenamente.
Dentro do Dodge Dart Sedan preto de Nelson, os quatro deram-se as mãos, fecharam os olhos e proferiram uma prece, solicitando aos amigos espirituais que lhes dessem o amparo necessário para que tudo corresse da melhor maneira possível.
Se os presentes fossem dotados com a capacidade de enxergar além, notariam que no término da prece, luzes coloridas que transpassavam o capô do carro caíam sobre suas cabeças, trazendo-lhes paz e equilíbrio emocional.
Teriam condições também de ver Rogério e Ester atravessando a porta e adentrando a casa de Carmem.
- Prontos? - perguntou Nelson.
Santiago, Leonor e Clotilde penderam a cabeça em sinal afirmativo.
- Está certo.
Eu e D. Clotilde entramos primeiro.
Saíram do carro e Santiago passou para o banco da frente.
Mesmo sendo brincalhão, sabia que o momento não era fácil para Leonor.
Para distraí-la, ligou o rádio e começou a cantarolar uma canção que estava fazendo muito sucesso na época.
Isso acabou por aquietar um pouco o coração descompassado de Leonor.
Ela esticou-se no espaçoso banco de trás do carro e procurou ocultar por instantes a emoção, fazendo coro com Santiago.
Nelson tocou a campainha e logo um rapaz aparentando dezasseis anos os atendeu.
- Pois não?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:08 pm

Clotilde, com um arranjo de flores na mão tomou a palavra.
- Viemos fazer uma entrega para D. Carmem. Ela está?
O jovem, meio ressabiado, inquiriu:
- Quem são?
- É por parte de Ricardo Ramalho.
Ele mandou que entregássemos esse buquê para ela.
- Aguardem um instante.
O rapaz voltou e encostou a porta.
Em seguida, uma mulher muito bem vestida, perto de completar cinquenta anos, mas aparentando muito menos do que isso, pela expressão jovial que seus grandes olhos verdes expressavam, delicadamente perguntou:
- Pois não?
Nelson sentiu forte emoção.
A docilidade com que a mulher falou aquelas duas palavras mexeu fundo em seus sentimentos.
Clotilde notou o brilho emotivo que passou pelos olhos do médico e disfarçadamente falou, no tom amável que era-lhe peculiar:
- Viemos entregar-lhe uma encomenda de um amigo famoso, Ricardo Ramalho.
Carmem notou como ambos estavam elegantemente trajados e pôde ver, atrás de suas costas, o grande e luxuoso carro preto estacionado.
Leonor estava quase que deitada no banco de trás, e ela pôde vislumbrar parcialmente o semblante alegre de Santiago.
Tomada pela surpresa do momento, parada no degrau, solicitou:
- Por favor, abram o portão e entrem.
Nelson mecanicamente abriu o portão.
Com a mão fez deferência para que Clotilde passasse a sua frente.
Conforme subiam os poucos lances de escada para a entrada principal do sobrado, Nelson começou a suar frio.
O coração parecia querer saltar do peito.
Estava fascinado com a presença daquela mulher à sua frente.
Fingindo naturalidade, passou as mãos pela calça para limpar o suor e em seguida cumprimentou Carmem.
- Boa tarde.
Meu nome é Nelson Alencar.
Sou médico e resido em Guaratinguetá.
Esta aqui é Clotilde, uma amiga.
Viemos trazer esse pequeno arranjo de flores.
A senhora tem um tempo para nós?
Carmem cumprimentou-os aturdida.
Estava confusa com a presença daquele homem.
Ao mesmo tempo em que seu coração também batia descompassado, o aperto no peito que carregava desde a morte da filha esvaiu-se, trazendo-lhe paz e alegria.
Confusa, porém mantendo a linha, tornou:
- Entrem, por favor.
Hoje é dia das mães, estou aqui com minha filha, meu genro e meu neto.
Acabamos de almoçar há algum tempo...
Clotilde determinou:
- Nem se preocupe com uma coisa dessas.
Nós já almoçamos.
Viemos trazer o arranjo e conversar um pouco, se não for inconveniente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:08 pm

- De jeito algum!
Se são amigos de Ricardo Ramalho, são amigos meus também. Entrem.
Entraram e fecharam à porta.
Leonor tentava a custo conter a emoção.
Fechara os olhos quando tocaram a campainha.
Estava por demais ansiosa com tudo isso.
Dentro da casa, Carmem foi apresentando:
- Essa aqui é minha filha Odete; este é meu genro Tadeu; este aqui é meu neto Lucas; e esta é uma grande amiga, Marta.
Cumprimentaram-se e Nelson e Clotilde foram solicitados a acomodarem-se em sofá próximo onde todos estavam reunidos, apreciando o delicioso café feito por Marta.
- Vocês aceitam um café?
Ambos concordaram.
Nelson sentia uma sensação esquisita.
Olhava, disfarçadamente com o canto dos olhos, para Odete.
Tinha uma sensação de conhecê-la de algum lugar.
Mas a emoção que sentiu quando seus olhos pousaram no semblante de Carmem era indescritível.
Sentiu ímpetos de agarrá-la, abraçá-la, como se estivesse longe de alguém que muito amara.
Enquanto Clotilde conversava amiúde com os presentes, em seu íntimo Nelson começava a questionar esse sentimento estranho:
- O que está dando em mim?
Eu não sei quem é essa mulher e, no entanto estou sentindo um desejo incontrolável de tocá-la!
Eu, que sempre fui arredio a qualquer tipo de envolvimento.
Meu Deus serene meu coração.
Ajude-me a não fazer uma besteira.
Os pensamentos que desfilavam pela mente de Carmem não eram muito diferentes dos de Nelson.
Ambos estavam imersos em seus pensamentos quando Odete os chamou pela segunda vez:
- Hei, o que está havendo?
Nesse instante, ambos estancaram o fluxo das ideias e voltaram para a realidade.
Nelson pigarreou e, meio sem jeito, pediu pelo café.
Marta considerou:
- Infelizmente terá de esperar um pouco.
Ainda bem que acabaram de chegar.
O café estava muito bom e não há mais uma gota sequer na térmica.
Virando-se para Carmem:
- Você está sem pó.
Vou até em casa buscar o meu.
Carmem bateu levemente com a palma da mão na testa:
- Esqueci-me das compras!
Fiquei de ir ao supermercado ontem e acabei por passar o dia todo na praia.
Você não se incomoda de ir até sua casa pegar um pouco de pó?
Nelson interveio:
- Não precisa incomodar-se.
Estamos só de passagem.
- De forma alguma - rebateu Marta.
Eu moro do outro lado da rua, somos vizinhas.
Volto num instante.
Lucas, você me acompanha?
- Claro. É um prazer andar a seu lado.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:09 pm

Marta suspirou:
- Ah, se você fosse uns quinze anos mais velho eu não pouparia esforços para conquistá-lo.
Tão garoto e tão galante.
Só podia ser filho de Tadeu.
Riram bem-humorados e saíram.
Clotilde, mais à vontade, tornou:
- Sabemos que vocês têm um grupo de estudos num respeitado Centro Espírita aqui na cidade.
Nós fazemos pequenas reuniões em casa, lá em Guaratinguetá, e também temos participado eventualmente, de algumas sessões em São Paulo com o pai de Ricardo.
Odete exultou:
- Que maravilha!
Então vocês também se interessam pelo estudo das leis universais?
- Sem dúvida - interveio Nelson.
Eu sempre fui arredio com relação a esse tipo de assunto, mais por causa da ignorância e do preconceito.
Sempre julguei o conhecimento da vida espiritual como sendo assunto de gente que não tem o que fazer na vida.
- E para variar - completou Carmem -, você deve ter passado por algum momento difícil para despertar para essa verdade, não é mesmo?
- Como sabe? - inquiriu Nelson, preocupado.
- Porque são raros os casos de pessoas que se interessam por esse tipo de assunto por livre e espontânea vontade.
A maioria das pessoas vai mesmo pela dor, pelo sofrimento.
É uma maneira sábia que a vida encontrou para nos despertar para a existência do mundo astral e sua ligação ao nosso mundo, mesmo sendo invisível para muitos olhos.
- Pelo jeito você entende bem do assunto - afirmou Clotilde.
Pela cor de sua aura sei que você conhece muito sobre esse assunto.
- Já me disseram isso.
Infelizmente não tenho sensibilidade para ver.
O meu tacto é mais aguçado.
Eu sinto a presença de espíritos e de energias em geral - considerou Carmem.
- Todos nós - anuiu Tadeu - somos partidários dessa linha de pensamento.
Eu nunca fui ligado a esses assuntos também, mas depois que eu e minha esposa passamos por uma séria crise em nosso casamento, despertamos para a verdade das leis da vida espiritual.
Nelson sorriu:
- E deve ter feito muito bem.
Você me parece um sujeito muito simpático e tem uma linda mulher a seu lado.
Odete corou e todos riram.
Ela mudara muito desde o atropelamento.
Passara a acompanhar a amiga Ema às palestras do Centro Espírita do Pacaembu em São Paulo e percebera que tudo o que acontecia em sua vida era resultado de seus mimos.
Com o tempo, resgatara a mulher que andava escondida pela máscara pesada e enfadonha da esposa-padrão.
Odete era então uma nova mulher.
Talvez até Leonor não a reconhecesse mais.
Os cabelos, antes sempre em desalinho, agora estavam cortados à moda da época.
Mudando seus padrões de pensamento e consequentemente seus hábitos no dia-a-dia, perdera peso, e as curvas de seu corpo, mesmo sob um displicente vestido tomara-que-caia, pareciam perfeitas.
Sua pele ganhara viço e o sol a bronzeara na medida certa, realçando seus lindos olhos castanhos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:09 pm

- Deve ser hereditário - pensou Nelson.
A mãe é um desbunde, essa filha é um monumento e a minha, quer dizer, Leonor, também é estonteantemente bela.
Que família de sorte.
Como a ler parte de seus pensamentos, Tadeu replicou:
- Tive muita sorte.
Deus foi muito generoso comigo.
Odete sempre foi a mulher dos meus sonhos.
- Vocês fazem um lindo casal.
Você também é muito belo -interveio Clotilde.
Confesso que não imaginaria que esse rapaz fosse filho de vocês.
Ou casaram-se muito cedo, ou escondem a idade!
Odete completou:
- Casei-me cedo, aos dezoito anos, mas Lucas é o mais novo.
Tenho uma filha dois anos mais velha, que está muito bem casada, por sinal.
Nelson sabia de toda a história, mas precisava fazer-se de desentendido:
- Puxa, olhando vocês aí sentados, nunca imaginaria que têm uma filha casada.
O que fazem para manter essa jovialidade que extravasa pelos poros?
Tadeu e Odete beijaram-se delicadamente nos lábios.
Ela respondeu sorridente:
- Amor. Não há outra receita.
Eu e Tadeu nos amamos.
Sem cobrança, sem apego, sem posse.
Foi muito duro desprender-me de tudo isso.
O amor brota de meu peito.
Damo-nos muito bem e temos respeito e admiração mútuos.
Somos felizes.
Clotilde sentiu que naquela casa havia muita paz e harmonia.
Não havia energias paradas ou escuras em qualquer ponto que sua mediunidade pudesse perceber.
Sentiu-se feliz por estar no aconchego daquele lar.
Chegada a uma prosa, como toda pessoa saudável do interior, ela continuou com a conversa:
- Pelo que sei vocês moravam em São Paulo.
- Sim - aquiesceu Tadeu - mas Odete passou a amar o mar, e infelizmente São Paulo não podia oferecer-lhe esse atractivo.
Pedi transferência e estou leccionando em Niterói.
Vendemos nossa casa na Aclimação e em breve estaremos morando numa aqui em Ipanema.
- E daqui a pouco tempo - interveio Nelson -, com a ponte Rio-Niterói concluída, ficará mais fácil ir de casa até o trabalho, ou de um estado até o outro.
- Isso é verdade.
Em relação aos estados, já é de conhecimento público que o Rio e a Guanabara daqui a pouco tempo fundir-se-ão em um único estado.
Mas acho romântico pegar a balsa para ir trabalhar todos os dias.
Não sei se vou me acostumar com a nova ponte.
Conversaram descontraidamente por mais alguns minutos, e então Nelson procurou explicar o real motivo de estarem na casa de Carmem.
Ainda sentindo o coração batendo acelerado, mas um pouco mais à vontade, dirigiu a palavra a Carmem.
- Por ser amigo de André, pai de Ricardo, sei do que ocorreu com vocês há alguns anos.
O sorriso antes estampado em todos os rostos deu lugar rapidamente a ligeiro descontentamento.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:09 pm

Muitos anos haviam se passado, Carmem e Odete já haviam superado a dor da perda, mas o facto de serem privadas da convivência com Leonor ainda as entristecia muito.
Contudo, Odete procurou esboçar um sorriso:
- O tempo passou, mas a dor, mesmo em menor intensidade, permanece em nossos corações.
Aprendemos muito sobre a vida espiritual, sobre a reencarnação, mas é o velho ditado:
quando acontece uma situação dessas com os outros, conseguimos aceitar e compreender prontamente.
Quando se passa dentro de nossa casa, aceitar é muito difícil.
- Mas não é impossível - tornou Carmem.
O que me perturba é o facto de já ter tido contacto com o namorado de minha filha, Rogério, mas não com Leonor.
Ela nunca se pronunciou.
Com ar desolado, prosseguiu:
- Nossos amigos espirituais sempre nos dizem que precisamos ter calma, que é apenas uma questão de tempo para termos contacto com ela.
E eu continuo aguardando, às vezes ansiosa, às vezes resignada.
Clotilde replicou:
- Rogério é um espírito que muito nos ajudou com seus ensinamentos.
Odete admirou-se:
- Vocês têm contacto com Rogério?!
- Sim.
- Mas como pode ser possível? - indagou Odete.
E virando-se para Carmem:
- Isso é prova de que existe mesmo vida após a morte, mãe!
Eles se comunicam com o espírito de Rogério lá em São Paulo e nós aqui com ele!
E voltando-se novamente para Clotilde e Nelson, perguntou:
- Vocês têm certeza disso?
- Absoluta. Há outro espírito que muito nos ajudou, mas teve de parar para continuar em sua escalada evolutiva.
- E vocês sabem o nome dele? - perguntou Carmem aflita.
Naturalmente, Clotilde respondeu:
- Sim. Trata-se de Octávio - e olhando para os rostos emocionados de Carmem, Odete e Tadeu, completou:
- Daí que isso é uma prova irrefutável de que a vida está sempre trabalhando para nos ajudar, principalmente espíritos afins, como nós.
Carmem, olhos húmidos de emoção, carinhosamente pegou nas mãos de Clotilde.
- Não sei qual a ligação de vocês com esses espíritos, mas eles nos são muito queridos.
Só pode haver o dedo de Deus nessa visita de vocês, hoje.
Vocês não podem imaginar como estou feliz por conhecê-los e por saber que trabalhamos com a mesma equipe espiritual.
- O que me deixa um pouco confusa - disse Odete - é o facto de que nunca nos vimos nesta vida.
Não sei se temos ligação de passado, mas desde que os vi, quando entraram, sinto certa familiaridade.
- Eu também percebi isso desde o momento que entrei - concordou Nelson.
Carmem suspirou:
- Ah, na verdade, o que mais queria era um contacto com minha filha.
Mesmo enxergando a vida por outros ângulos, vocês não sabem o quanto eu rezei a Deus para que Leonor aparecesse por aquela porta.
Clotilde e Nelson entreolharam-se e abaixaram os olhos, com os lábios esboçando terno sorriso.
Marta e Lucas haviam saído para buscar o pó de café.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:09 pm

Desceram os degraus entre a varanda e o jardim.
Lucas encantou-se com o Dodge Dart:
- Nossa, que carrão! - e procurando curiosamente identificar as pessoas dentro do carro - indagou:
- Por que será que o moço e aquela moça no banco de trás não entraram?
Atravessaram a rua e Marta respondeu:
- Não sei. Devem ser filhos do casal.
- Ah, Marta, filhos?
Aquela senhora lá dentro tem idade para ser mãe do... Do...
- Nelson.
- Isso mesmo. Não devem ser filhos.
O homem no carro parece ser maduro.
Quanto à moça no banco de trás, só deu para vê-la de relance.
Parece que eu já a vi antes.
Santiago distraía-se cantando, mas seus olhos acompanharam Marta quando atravessava a rua, pelo retrovisor do carro.
Surpreendeu-se.
- Uau! Você viu o que saiu da casa de sua mãe?
Leonor continuava cantarolando em voz baixa e com olhos fechados.
- Abra esses olhos, Leonor Carla.
Saiu uma mulher lindíssima da casa de sua mãe.
Leonor ajeitou-se no banco rindo alto.
- Pare de me chamar assim!
Só Leonor está bom - e virando-se para trás, perguntou:
- Aonde ela foi?
- Não sei. Deve ser ela e o filho, talvez.
Entraram naquela casa - Santiago fez um gesto largo com o indicador.
- Aquela é a casa de Marta!
Leonor colocou as mãos na cabeça.
- Só pode ser ela!
- Você a conhece?
- Se for ela, sim.
- Ela é casada, solteira, desquitada...
- Ora, Santiago, tanto tempo se passou.
Sei lá se ela se casou ou não.
Quando eu morri ela estava solteirinha.
Nunca se interessou por homem algum.
- Será que ela é...
- Não sei. Mas tudo indica que não.
Marta é muito liberada.
Uma mulher forte, decidida, que sabe exactamente o que quer, que fala o que quer.
Não se deixa manipular pelos galanteios imbecis dos homens.
Tem o homem que quiser, na hora que quiser.
- Poderosa, hein?
Nossa, só de falar dela assim eu fico todo excitado.
Adoraria domar essa mulher.
Leonor falou em tom desafiador:
- Duvido que Marta caia no seu charme.
Ele mordeu os lábios e balançou a cabeça.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:10 pm

A ideia começava a deixá-lo animado.
Deu um toque no ombro de Leonor:
- Veja. Estão saindo.
Será que é a tal da Marta mesmo?
Leonor olhou pela traseira do carro.
Seu coração disparou e ela sentiu que ele estava prestes a sair pela boca.
- É Marta! É ela mesma.
E aquele deve ser...
Oh, Santiago, aquele só pode ser meu sobrinho Lucas.
Antes que Santiago dissesse algo, ela abriu a porta do carro e deu um pulo.
Emocionada, gritou:
- Marta!
Ela e Lucas haviam acabado de sair de casa.
Marta ouviu seu nome e acompanhou com os olhos para a direcção de onde a chamavam.
Assustada e emocionada deixou cair o pote de café no chão.
Lucas perguntou assustado:
- O que foi?
Marta nada respondeu.
Abriu o portão e saiu correndo em direcção a Leonor.
Parou rente à moça.
- É uma visão, uma brincadeira?
Não pode ser...
Antes que ela terminasse, Leonor abraçou-a forte.
Entre lágrimas, afirmou:
- Sou eu mesma.
É uma longa história, de mais ou menos seis anos.
Meu Deus, quanta saudade, Marta.
- Mas como pode ser isso possível?
Nós enterramos você há seis anos!
Ela apalpava Leonor como a verificar se aquele corpo a sua frente era real.
- Sei que sua cabeça está cheia de dúvidas.
Vou explicar tudo.
São seis anos de ausência.
Temos muito que conversar.
Mas tenha certeza de uma coisa:
agora estarei mais viva do que nunca ao lado de vocês.
Abraçaram-se e choraram copiosamente.
Lucas não entendeu o que ocorria.
Santiago também emocionou-se e não conseguiu impedir que uma lágrima furtiva caísse pelo canto dos olhos.
Ele trancou o carro, cumprimentou Marta e Lucas e os quatro subiram os degraus até a porta da casa de Carmem.
Ela havia acabado de dizer o quanto rezara para que um dia sua filha entrasse por aquela porta.
Após Nelson e Clotilde trocarem os olhares cúmplices, a porta se abriu.
Leonor ficou estática na porta, sem mover um músculo sequer.
Carmem, Odete e Tadeu abriram e fecharam à boca num sincronismo assustador.
Trocaram olhares indagadores e devolveram o mesmo olhar para Nelson e Clotilde.
Eles fizeram sinal afirmativo com a cabeça.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:10 pm

A cena que ocorreu daí em diante foi de extrema emoção.
Impossível poder detalhar em palavras os sentimentos que se apossaram daqueles espíritos separados por longos anos, de uma maneira tão dorida.
O choro, os abraços, as perguntas, a forte emoção.
Nem mesmo Nelson escapara do pranto.
Era um momento mágico, onde a vida, através de seus mecanismos divinos, unia novamente aqueles espíritos iluminados, mostrando que nada acontece por acaso e que, no final, só Deus sabe o melhor a fazer.
No canto da sala, Ester e Rogério não continham a emoção.
Seus espíritos sacolejavam por soluços entrecortados.
Abraçaram-se, sentindo-se vitoriosos pela tarefa bem-sucedida.
Para acalmar os corações saudosos, deram um passe energizador em cada um na sala.
Partiram felizes, deixando agora aquela família em sua intimidade.
Enquanto Leonor, mais serena pelo passe recebido, contava sua emocionante história, pétalas de rosas caíam sobre a sala.
Todos os presentes sentiram levemente o aroma das flores.
Clotilde fechou os olhos e, comovida, fez sentida prece, agradecendo a Deus por aquele momento tão sublime para todos.
Os meses que se seguiram foram de alegria, muita alegria.
Leonor mudara-se para a casa de sua mãe, com o consentimento de Nelson.
Ele ficara tão encantado com sua família que não fizera qualquer objecção à decisão da filha.
Amava Leonor acima de tudo, tinha-a como sua verdadeira filha, mas diante de tantas experiências ao longo dos últimos anos, sentia que não era mais o mesmo.
Nelson havia amadurecido muito, e após o reencontro entre Leonor e sua mãe, passara a reunir-se semanalmente com Santiago e Clotilde para juntos, destrincharem os mistérios do mundo espiritual.
E através de estudo e paciência, assimilar novos conceitos de vida.
A realidade astral tornara-se parte natural de sua vida.
O velho incómodo que carregava no peito devido ao apego por sua filha havia diminuído em demasia.
Abrindo a mente para novas ideias e valores, entrou no estágio onde começava a questionar até que ponto os valores e crenças que possuía eram benéficos ou não para a evolução de seu espírito.
Houve outro motivo, além das experiências vividas, que contribuíra, e muito, para a transformação de Nelson.
Desde o dia em que seus olhos pousaram nos de Carmem, sentira que algo muito esquisito estava se processando em seu corpo, sua mente, e acima de tudo, em seu coração.
Céptico e desiludido em relação aos envolvimentos amorosos, até aquele dia não havia se dado permissão para ir além nos relacionamentos.
Quando o envolvimento tornava-se sério, ele logo pretextava alguma coisa e afastava-se da pessoa.
Nos últimos tempos, essa sensação tornara-se mais forte.
Durante a semana ele até que conseguia dissimular, colocando toda a sua atenção no trabalho, dedicando-se aos pacientes do hospital.
Mas toda sexta-feira, impreterivelmente, apanhava Santiago e juntos iam ter com Leonor e Carmem, em Ipanema.
A simpatia e afinidade entre eles, inclusive com Odete, Tadeu Lucas e Marta, era visível.
Todos sentiam-se membros da mesma família.
Num desses finais de semana, após um delicioso almoço feito por Odete, estavam prazerosamente conversando na sala de estar.
Leonor ainda custava a crer que sua irmã tivesse mudado tanto, e para melhor.
- É impressionante como você melhorou.
Você remoçou, está alegre, como há anos não via.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:10 pm

- De facto - tornou Odete.
Mas tive muita ajuda do plano superior.
Devido aos meus padrões de pensamento presos na auto-desvalorização, acabei por arrumar uma companhia astral de baixa vibração.
Depois de fazer o tratamento adequado no Centro que frequentamos até hoje, pude desenvencilhar-me dessa entidade.
Carmem orgulhava-se muito da filha.
Com brilho nos olhos, comentou:
- O tratamento espiritual ajuda muito, mas não soluciona os casos de obsessão.
Nós temos que ter a consciência de que somos responsáveis por atrair essas companhias, e afastá-las requer um trabalho interior que demanda tempo e muita paciência para connosco.
- É impressionante - considerou Tadeu - como somos cruéis connosco.
É muito fácil perdoarmos os outros, mas muito difícil perdoar nossos próprios deslizes.
Odete resgatou o seu valor, tomou posse de si, passou a ter plena consciência da importância de suas escolhas.
Aprendi muito a seu lado e hoje sou o homem mais feliz do mundo.
Ao dizer isso, virou-se para a esposa e beijou-a amorosamente nos lábios, recebendo em seguida aplausos efusivos dos presentes.
Diante da descontracção, não perceberam o olhar perscrutador de Nelson sobre Carmem.
Ela também o olhou com os cantos dos olhos, procurou disfarçar, mas não conseguiu.
De uma certa maneira, também havia se sentido atraída por Nelson desde aquele domingo.
Como ela sustentasse o olhar, Nelson sentiu-se encorajado.
Entre a algazarra generalizada, chamou-a para conversar na varanda.
Os presentes notaram algo diferente no ar.
Entreolharam-se com um sorriso nos lábios que denotava certa malícia, mas, por respeito, nada disseram.
Continuaram conversando como se nada tivesse acontecido.
Santiago por sua vez levantou-se.
- A conversa está muito animada, mas preciso fazer uma visitinha.
Odete, bem-humorada, inquiriu:
- Por acaso, essa visita que você vai fazer é do outro lado da rua?
O riso foi geral.
Santiago não perdeu a pose:
- Vou sim.
Eu e Marta temos nos entendido muito bem.
Tanto que ela está estudando a possibilidade de passar uns tempos em Guaratinguetá.
A surpresa foi geral.
- Então vocês estão mesmo bastante adiantados - replicou Tadeu.
- Claro que estamos.
Não é à toa que tenho vindo às sextas-feiras para cá.
Leonor, brincalhona, fez beicinho. Fazendo voz manhosa, indagou:
- Pensei que sentisse saudades de mim.
- Ora, minha pequena.
Claro que também venho por sua causa, mas pela primeira vez na vida sinto-me verdadeiramente apaixonado.
Também sou correspondido, e isso me basta.
Agora chega de delongas. Até mais.
- Vou com você - tornou Lucas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:10 pm

- De jeito nenhum! - objectou Santiago.
- Só vou acompanhá-lo até o portão.
Vou para a praia.
Tem uma garota me esperando no píer.
- Então o amor está pairando por esses lados! - tornou bem-humorado Santiago.
Nelson foi ter com Carmem lá na varanda; Tadeu e Odete fazem o casal modelo; eu e Marta, quem diria, estamos nos acertando; agora o pequeno Lucas já anda se envolvendo; Lívia e Cláudio estão retornando ao Brasil e pelo jeito continuam apaixonados; ora, só falta...
Somente nesse momento Santiago deu-se conta da saia-justa em que se metera.
Esquecera-se de que Leonor, embora feliz com o retorno aos seus familiares, sentia-se profundamente aborrecida com a atitude de Ricardo.
Desde o dia em que recobrara a memória, nunca mais se falaram.
Ele não a procurou e ela também não deu o braço a torcer.
Estava cansada da imaturidade emocional do rapaz.
André e Sílvia tentaram, em vão, uma reaproximação.
Haviam-na visitado algumas vezes, e nesses encontros tentavam fazer com que ela fosse atrás do rapaz, chamando-o para uma conversa definitiva.
Mas Leonor, com veemência os repreendia e negava-se.
Santiago, percebendo que falara demais, e notando a tristeza nos olhos de Leonor, correu até a poltrona onde ela estava.
Abaixou-se, levantou delicadamente seu queixo, e olhando fixamente em seus olhos, considerou:
- Sei que não tem sido fácil.
Sempre fui brincalhão, nunca levei nada a sério.
Esse é o meu jeito natural de ser.
Não mudei depois que passei a me interessar por Marta, e ela também não mudou.
Queremos juntos somar, jamais tentar mudar um ao outro.
Você é forte, amadureceu com a lição que a vida lhe deu.
Poderia não fazer a lição de casa, ou seja, a sua parte, e estar até hoje vivendo connosco, com a memória bloqueada.
Leonor, só Deus sabe o quanto você cresceu.
Sei que você já sabe, mas preciso repetir.
Leonor, olhos húmidos, após suspiro dolorido, perguntou:
- O quê?
Pegando delicadamente em suas mãos, Santiago concluiu:
- Você é livre para fazer suas escolhas.
Sei o quanto ama Ricardo, mas talvez ele não esteja maduro o suficiente para você.
Se o ama de verdade, liberte-o.
Deixe-o seguir sua vida.
O amor verdadeiro é o que liberta, que solta o ser amado.
Quem ama não prende nunca.
Liberte Ricardo de seu coração sofrido.
Quando tomar essa atitude, você correrá dois riscos, mais nada.
- E quais são esses riscos?
- Ao aceitar a realidade e perceber que tudo não passou de ilusão criada pela sua mente, você terá condições de libertá-lo.
Perceba que quem tem de mudar é você, e não ele.
Você, aí no fundo, quer que ele seja como você sonhou, como se ele pudesse representar vários papéis para que você pudesse escolher o melhor Ricardo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:10 pm

Veja que a profissão dele é a de representar.
Ele não é o que passa para o público.
Não exija dele aquilo que ele não pode lhe dar.
Quando você mudar sua maneira de pensar em relação a Ricardo, libertando-se de suas ilusões, ele também mudará.
Daí, então, ele poderá tomar dois caminhos:
ou perceber o quanto é imbecil de deixar uma garota como você para trás, ou continuar em sua eterna busca até perceber que tudo está dentro dele mesmo e não fora.
Leonor, mordendo delicadamente os lábios, tornou a perguntar a Santiago:
- E qual caminho você acha que ele pode tomar caso eu tome uma atitude?
- Só Deus sabe.
Santiago encerrou a conversa, beijou-a na testa e levantou-se.
Despediu-se de Tadeu e Odete e saiu com Lucas.
Leonor ficou pensativa por alguns instantes.
Em seguida levantou-se.
Limpou os olhos com as palmas das mãos, e com voz firme, disse à irmã e ao cunhado:
- É isso mesmo.
Só Deus sabe o caminho que Ricardo vai tomar.
Eu fiz a minha parte.
Sempre expressei o meu amor por ele.
Se ele se culpa por me amar, devido ao meu envolvimento anterior com Rogério, isso é problema dele e não meu.
Eu estou resolvida.
Não vou ficar amuada por causa disso.
Eu sou dona de mim, não preciso do apoio nem do amor de ninguém.
Tenho a mim. Vou seguir o meu caminho.
Não deixarei de ser feliz por causa disso.
Aceito a ilusão que criei ao longo do tempo, achando que ele poderia mudar, mas a desilusão está sendo amiga preciosa.
Tadeu e Odete emocionaram-se com a firmeza de Leonor.
Levantaram-se e abraçaram-na com amor.
- Você está certa, Leonor - tornou Tadeu.
Siga o seu caminho e seja feliz.
Odete, após beijar a irmã, ponderou:
- Agora que tudo está resolvido, por que não faz uma viagem?
Nelson prometeu-lhe uma viagem a Londres, não foi?
Então, aproveite essa oportunidade.
Você já possui documentos e passaporte.
Vá conhecer a capital cultural da década, reciclar-se.
Aproveite e desligue-se um pouco de tudo isso que vem acontecendo nesses últimos tempos.
- Considerei fortemente essa possibilidade enquanto falava com vocês.
Estou decidida, vou para a Inglaterra.
Passarei uns tempos lá.
Um pouco longe daqui e estarei em melhores condições de reavaliar tudo isso.
Mas antes quero aguardar a chegada de Lívia e Cláudio.
- Bem, Lívia deve retornar dentro de quinze dias, conforme a carta que recebemos.
Prepare-se, então, para viajar no mês que vem - declarou Tadeu.
- Um mês é mais do que suficiente.
Vocês estão realmente cobertos de razão.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:11 pm

Tadeu, procurando distrair Leonor, começou a contar-lhe factos sobre a Inglaterra.
Embora fosse professor de História do Brasil, na faculdade havia estudado História Universal e falava sobre os britânicos com maestria e desenvoltura, conquistando inclusive a atenção de sua esposa.
Na varanda, Nelson e Carmem falavam sobre passagens de suas vidas.
Nenhum dos dois escondia a emoção que sentiam naquele momento.
Ela ameaçou acender um cigarro e ele gentilmente puxou o isqueiro do bolso.
Ao virar-se para acendê-lo, suas mãos se tocaram e ambos sentiram um choque.
Tomada pela emoção, Carmem tirou o cigarro da boca e ficou olhando para Nelson.
Não tinham palavras para expressar o que estavam sentindo.
Nelson largou o isqueiro, pegou nas mãos de Carmem e disse com a voz carregada de sentimento:
- Desculpe, mas não consigo mais me controlar.
Você não me sai do pensamento desde o dia em que a vi aqui nesta varanda.
Nunca senti isso por mulher alguma antes.
Sei que somos maduros, não somos mais crianças...
Carmem cortou-o delicadamente:
- Parece-me que o que sentimos é semelhante.
Além do mais, temos outro ponto em comum.
- E qual é?
- Nossa filha.
Nelson pigarreou.
Abriu e fechou a boca, mas não disse palavra.
Carmem continuou:
- É isso mesmo.
Leonor nunca teve um pai, mas sempre sonhou com um.
Às vezes acho que a vida fez tudo isso para satisfazer-lhe esse tão profundo desejo.
Eu sou a mãe, e você a acolheu e a amou como a uma filha por esses seis longos anos.
Você é o verdadeiro pai.
Não sei o que será de nossas vidas daqui para frente, mas ser-lhe-ei eternamente grata por ter cuidado de nossa filha.
Nelson, deixando uma lágrima de emoção escorrer pelo seu semblante iluminado, declarou:
- Eu sei o que será de nossas vidas daqui para frente.
Antes que Carmem pudesse responder, ele a beijou vigorosamente nos lábios.
Ela deixou-se levar pela emoção e entregou-se de corpo e alma àquele beijo.
Beijaram-se repetidas vezes.
Emocionado, ele perguntou:
- Quer viver comigo?
- Quero. Aceito.
Nelson sorriu e abraçou-a com amor.
Continuaram a conversar, entre juras de amor e planos para o futuro.
Logo apareceram Santiago e Marta, de mãos dadas.
Santiago, com seu humor peculiar, afirmou:
- Íamos dar as boas novas, mas parece que vocês passaram na frente.
- Mais ou menos - considerou Carmem.
Sabemos da relação de vocês.
Quais são as boas novas?
- Eu e Marta resolvemos morar juntos.
Temos muitas afinidades, gostamos muito um do outro e não vamos perder essa chance que a vida nos deu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Mar 25, 2016 8:11 pm

- Então vou perder minha amiga? - perguntou Carmem.
- Claro que não! - respondeu Nelson.
Você também vai morar comigo.
Estaremos os quatro juntos.
Marta admirou-se:
- Então, Carmem, declarou-se para Nelson?
Aleluia, até que enfim!
Riram animados.
Carmem tornou:
- Não tinha pensado na possibilidade de ir embora.
Nunca saí de Ipanema. Temo não adaptar-me.
- Bobagem - replicou Santiago.
A piscina na casa de Nelson é do tamanho da praia de Ipanema.
- Exagerado - objectou Nelson.
- Não é, mas quase! - respondeu o amigo rindo em tom de brincadeira.
- Mas o que vou fazer com esta casa?
Não me agradaria ter que vendê-la.
- Ora - retrucou Marta -, alugue.
Ou melhor, deixe para Leonor.
- Não sei. Desde que ela voltou, tem mostrado imenso desejo de voltar a Guaratinguetá.
Parece que lá é seu verdadeiro mundo.
Tem a vocês. E além do mais, sente muita saudade de D. Clotilde e de Vilma.
- Ela lhe disse isso? - inquiriu Nelson.
- Não. Mas percebo pelo seu olhar.
Ela está bem aqui porquanto está com a família, matando as saudades.
Mas tenho certeza de que se ela pudesse, voltaria.
- Então está resolvido - completou Nelson.
Ela vai connosco.
E a casa você pode deixar para a sua neta.
- A julgar pela herança que Cláudio vai receber, poderá comprar dezenas de casas como a minha.
- Mas eles precisarão se estabelecer ao chegar.
É necessário dar entrada no inventário.
O dinheiro não virá da noite para o dia.
Pode levar um tempo considerável, mesmo com a ajuda brilhante e correta de Castro.
- Você está certo.
Deixarei a casa para eles.
Quando decidirem por outra moradia, veremos o que fazer.
Talvez depois a deixe para Odete.
Leonor apareceu na varanda.
- Decidi viajar.
Nelson levantou-se da cadeira.
Admirado, perguntou:
- Então resolveu ir para Londres?
- Sim. Está decidido.
Preciso me refazer.
Vou aceitar a sua oferta.
Irei no fim do mês.
- Eu e sua mãe temos algo a lhe comunicar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70274
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SÓ DEUS SABE - Marco Aurélio / Marcelo Cezar

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 9 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum