É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Página 11 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 9, 10, 11

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Mar 20, 2017 8:31 pm

PLANO DE VIDA
“Artur continuou morando com eles.
Com a ajuda de alguns amigos, Jarbas conseguiu um emprego para ele em uma oficina que consertava computadores.
Ele começou a estudar sem parar, precisava recuperar o tempo perdido.
Leandro estava completamente curado.
Estava estudando para prestar o vestibular, queria ser médico, para tristeza de Álvaro, que queria que ele fosse advogado.
Quando reclamava, Odete dizia:
— Não reclame com o menino, deixe-o ser o que quiser.
— Sei disso, mas para quem vou deixar meu escritório?
— Não se preocupe com isso.
Iracema continuava trabalhando lá.
Ela já não precisava, mas não queria deixá-los.
Sempre que via Odete ou Álvaro tristes pelos cantos, sentia vontade de dizer que Artur estava bem e na casa dela, mas havia prometido e não trairia sua confiança.
Ainda mais naquele momento, que ele estava tão bem.
Um ano e meio mais tarde, Iracema chegou trazendo em suas mãos um papel, onde havia um endereço.
Entregou-o para Odete e Álvaro, que almoçavam.
Disse para Álvaro.
— O meu filho pediu pra eu entrega esse papel, disse que sabe que o dotô tá preocupado cum as droga no mundo.
Pediu pro doto i amanhã que vai tê uma palestra ou sei lá o quê.
A senhora também, dona Dete, é bom ir.
Álvaro pegou o papel e leu o endereço.
Passou para Odete, que após ler, passou para Leandro, que disse:
— Também quero ir. Vamos, papai!
Sei que não gosta de falar sobre Artur, mas desde que tudo aquilo aconteceu, o senhor está interessado no assunto e ajudando várias clínicas que recuperam viciados.
Álvaro pensou um pouco e disse:
— Está bem, Iracema, pode dizer ao Jarbas que iremos.
Já que perdi meu filho para as drogas, quem sabe não poderei ajudar outros a sair delas.
— Isso mesmo, dotô, quem sabe.
O Jarbas vai fica contente, vai sim.
No dia seguinte, à hora marcada, Álvaro estacionou o carro no endereço marcado.
Era uma escola. Nas paredes havia faixas e cartazes contra as drogas.
Jarbas estava ansioso no portão andando de um lado para outro.
Assim que os viu descendo do carro, correu para eles, dizendo:
— Ainda bem que chegaram!
Daqui a dez minutos vai começar.
Eles entraram.
Perceberam que muitos jovens estavam acompanhados por seus pais.
Sentaram-se em poltronas que Jarbas lhes mostrara.
Ficavam na quarta fileira do auditório, que era bem grande.
No palco havia uma mesa com uma toalha branca e enfeitada com flores.
Algumas pessoas entraram e tomaram assento nas cadeiras que estavam em volta dela.
Quando todos estavam sentados, um senhor começou a falar:
— Hoje estamos aqui reunidos para discutirmos a droga, que está tomando conta de muitas pessoas, mas principalmente dos nossos jovens.
Sei que muitos são pais ou parentes de dependentes químicos.
Sabemos o mal que isso representa para a família e para o país.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Mar 20, 2017 8:31 pm

Eu, como pai de um ex-dependente, sei o quanto a família sofre, mas posso lhes dizer que o dependente sofre muito mais e precisa de toda a ajuda que possamos lhe dar, pois sempre há uma esperança.
Para provar o que estou dizendo, chamo neste momento ao palco o senhor Artur.
Ele nos contará sua história.
Ao ouvirem aquilo, Álvaro, Odete e Leandro levantaram-se sem perceber.
Os três não sabiam se riam ou choravam.
A emoção era tanta que eles não conseguiram dizer nada.
Lágrimas caíam por seus rostos.
As pessoas que estavam sentadas atrás deles pediram que se sentassem.
Ainda chorando, e de mãos dadas, sentaram-se.
Artur entrou no palco, o auditório estava lotado.
Olhou para todos, viu muitas pessoas com o mesmo olhar que um dia vira no rosto de seus pais.
Não viu que eles estavam no auditório.
Já não era mais aquele garoto alto e magro, com o rosto cheio de espinhas.
Havia tomado corpo, seus cabelos bem penteados, seus olhos com um brilho imenso de felicidade e lucidez.
Começou a falar:
— Meu nome é Artur, sou um dependente químico, mas estou dia a dia lutando contra isso.
Sei que muitos dos que estão aqui são pais, esposas, esposos ou simplesmente amigos de outros como eu.
Sei o quanto estão sofrendo, mas como nosso dirigente disse, existe sempre uma esperança, e eu estou aqui para provar.
Vou lhes contar minha história.
Começou a contar desde o início.
Muitas vezes teve que parar, pois a emoção tomava conta dele e dos ouvintes.
Enquanto falava, atrás dele André sorria.
Quando terminou de contar tudo o que lhe havia acontecido e como conseguira se libertar, disse:
— Gostaria muito que meus pais e meu irmão estivessem aqui.
Durante esse tempo todo estive afastado deles e morro de saudades, mas prometi a mim mesmo que só voltaria a encontrá-los quando estivesse certo de que realmente eu havia conseguido.
E, graças a Deus, esse dia chegou.
Assim que sair daqui, irei para casa, pois preciso lhes contar que terminei o segundo grau, prestei o vestibular, e quero abraçá-los e voltar a dizer:
agora sim, serei o rei dos computadores.
A plateia começou a aplaudir.
Todos estavam emocionados e, conforme ele previra, muitos choravam.
Mas tinham uma esperança de dias melhores.
Álvaro, Odete e Leandro não se contiveram.
Saíram de onde estavam e dirigiram-se ao palco.
Artur, ao vê-los, ficou paralisado.
O coração deles batia sem controle.
Jarbas aproximou-se de Álvaro, dizendo:
— Venham, vou levá-los até o palco.
Enquanto subiam, Álvaro lhe disse:
— Por que não nos contou?
— Precisava ter certeza de que ele havia mesmo se libertado.
E, além do mais, ele me proibiu.
Finalmente chegaram.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Mar 20, 2017 8:31 pm

Artur não sabia se ria ou chorava.
Lágrimas caíam de seus olhos, mas dessa vez eram de felicidade.
Estava diante das pessoas que mais amava.
Correu para recebê-los.
Assim que se encontraram não disseram nada, apenas se abraçaram, beijaram e choraram muito.
O auditório estava todo em pé aplaudindo.
Eles também estavam emocionados e felizes por ver aquela família reunida novamente.
Ninguém havia dito que aquelas pessoas que subiram ao palco eram da família de Artur, mas não foi necessário, todos entenderam.
Sem que a plateia visse, muitos amigos espirituais estavam presentes.
Luzes brilhantes caíam sobre eles.
Entre todos, André era o que parecia estar mais feliz.
Assim que terminaram de se abraçar, Jarbas os conduziu para que descessem do palco.
Foi o que fizeram, sob muitos aplausos.
Embaixo, ao pé da escada, estavam Iracema e sua família, que também queriam abraçar a todos, principalmente a Artur.
Ao vê-la, Odete não se conteve e abraçou-se a ela, dizendo:
— Obrigada, Iracema, por tudo que fez para ajudar meu filho!
Nunca poderei pagar sua bondade, mas também nunca poderei perdoá-la por ter-nos escondido que ele estava em sua casa.
Iracema, também chorando, disse:
— Num pudia, dona Dete...
Num pudia. Ele pidiu...
Sabe que sempre fiz tudo que ele pidiu...
— Isso agora não tem mais importância, hoje é o dia mais feliz da minha vida!
— Da nossa, dona Dete! Da nossa!
Todos juntos, saíram dali.
Já na rua, Leandro, abraçado ao irmão, disse:
— Pôxa, cara!
Precisei quase morrer pra você sarar da sua doença!
Artur, chorando, respondeu:
— Foi isso mesmo, cara!
Mas você está bem e bonito pra caramba.
Está quase da minha altura!
— Agora eu vou ganhar a briga!
E você nunca mais vai me roubar batatas!
— Isso vamos ver!
Pode ter certeza que continuarei tentando.
Álvaro, que escutava os dois conversando, disse:
— Já sabem que não gosto de brigas durante as refeições...
Artur voltou-se para ele.
Os olhos se encontraram, um nó se formou na garganta.
Queriam falar, mas não conseguiam.
Apenas abriram os braços e se abraçaram com muita emoção.
Álvaro disse:
— Seja bem-vindo, meu filho, de volta à família...
Esperei com ansiedade por este dia, mas preciso confessar que algumas vezes pensei que nunca chegaria...
— Obrigado, papai, por tudo que tentou fazer para me ajudar.
Sei que lhe causei muitos desgostos, mas prometo que de hoje em diante farei o possível para compensá-lo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Mar 20, 2017 8:31 pm

— Não se preocupe com isso...
Só quero que seja feliz e conquiste sua felicidade.
Desculpe se algumas vezes, mesmo sem saber, exigi muito de você...
— Não se culpe de nada, o senhor foi, é e será sempre um pai maravilhoso, e eu o amo muito...
Odete, que estava conversando com Iracema, ao ver o marido e o filho abraçados, disse:
— Iracema, finalmente este dia chegou.
Preciso agradecer a Deus por tudo o que nos está acontecendo.
— Isso mesmo, dona Dete... Isso mesmo...
Álvaro levou todos para um restaurante.
Precisavam comemorar aquele dia tão importante.
Odete pediu licença e voltou para dentro da escola.
Pediu para usar o telefone, ligou para sua mãe.
Noélia lia um livro quando o telefone tocou.
Assim que ouviu a voz de Odete, percebeu que algo havia acontecido.
Disse:
— O que aconteceu, minha filha?
— Mamãe, a senhora não vai acreditar!
Artur voltou! Está lindo e curado!
Noélia sentou-se, dizendo:
— Louvado seja Deus!
Onde ele está?
— Aqui, mamãe!
Estamos todos juntos e indo para o restaurante do Gino.
A senhora pode ir até lá?
— Claro que sim.
Estou indo agora mesmo.
— Venha, mamãe!
Artur ficará muito feliz.
Desligaram.
Noélia levantou os olhos para o alto, dizendo:
— Obrigada, meu Pai, por este momento, por ter trazido meu neto para junto de nós.
Obrigada...
Vestiu-se e saiu rapidamente.
Todos no restaurante, enquanto comiam, conversavam.
A felicidade naquele momento era completa.
Odete viu nos braços de Jarbas a pequena Renata.
Aproximou-se, dizendo:
— Ela é muito bonita!
Vai se tornar uma linda moça!
Artur, rindo, disse:
— É, meu amigo, ela vai lhe dar muito trabalho.
Você vai ter que ter cuidado com os gaviões!
Jarbas, sorrindo, disse:
— Pode deixar aquele que se aproximar eu mato.
Foi preciso juntar muitas mesas no restaurante para que coubessem todos.
Iracema olhou para Álvaro e disse:
— Dotô, quando o sinhó imaginô que um dia todos nóis ia tá sentado numa mesma mesa?
— Preciso confessar que nunca.
Mas estou muito feliz!
— Eu tamén!
Vai vê nóis tudo já foi amigo em outra incarnação!
Num é mesmo?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Mar 20, 2017 8:32 pm

— Quem sabe... Quem sabe...
Terminaram de comer e saíram.
Lá fora, enquanto se despedia de Jarbas, Álvaro disse:
— Sei que cometi uma enorme injustiça com você, e você me devolveu meu filho.
Preciso de alguma forma, compensá-lo.
— Deixe disso, doutor.
Minha vida tomou outro rumo, estou contente com a profissão que tenho, e tão feliz quanto o senhor por ver Artur bem.
Gosto muito dele.
— Sei disso, e lhe agradecerei pelo resto da minha vida.
Mas, como sabe, meu escritório é grande, já viu que não terei para quem deixá-lo.
Leandro diz que vai ser médico, Artur engenheiro de computação.
De todo o único que sei que quer ser advogado é você.
Queria lhe pagar a faculdade, e assim, quando eu me for desta Terra, saberei que meu escritório continuará.
Jarbas respirou fundo, não sabia o que responder.
Artur, que ouvira o pai dizer aquilo, começou a rir:
— É, meu amigo, se você não aceitar, vai ter que ouvi-lo lhe pedindo pelo resto da vida!
Ele adora aquele escritório.
Se disse que é pra você que ele quer deixá-lo como herança, com certeza vai conseguir convencê-lo.
Para evitar trabalho é melhor aceitar logo.
Conheço o pai que tenho.
Jarbas disse:
— Não sei doutor.
Não quero receber pagamento por algo que fiz por amizade.
— Quem está dizendo que quero pagar?
Quero apenas dar-lhe uma oportunidade, como alguém um dia me deu!
Sei que você será um óptimo advogado.
— Vou pensar e conversar com minha mãe e minha esposa.
Depois lhe darei uma resposta.
Despediram-se. Voltaram para suas casas.
Artur acompanhou os pais.
Assim que entrou em seu quarto, pôde perceber que tudo estava igual.
Deitou-se na cama, olhou para o tecto, pensando:
"Obrigado, meu Deus, por mais esta oportunidade.
Depois de tudo que aprendi sobre a Sua lei, sei que alguém está aqui neste momento.
Sei também que fui muito ajudado.
Seja você quem for, obrigado, muito obrigado..."
André, que estava ali, sorriu e disse:
— Meu filho, seja bem-vindo de retorno ao seu caminho.
Deus o abençoe.
Jogou muita luz sobre ele.
Tanta que o quarto ficou todo iluminado.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 21, 2017 9:01 pm

EPÍLOGO
“Aquele dia em diante tudo se modificou e voltou ao normal.
Artur dedicou-se intensamente aos estudos.
Jarbas concordou em estudar, pois era o que mais queria na vida.
Continuou como policial, conseguiu organizar sua vida para que pudesse estudar e trabalhar.
Nas horas de folga ia para o escritório de Álvaro e o ajudava ao mesmo tempo em que aprendia na prática.
Em toda oportunidade que tinha Álvaro dizia em alto e bom som, para que todos pudessem ouvir:
— Sabe, com Jarbas eu ganhei mais um filho.
Esse moço vale ouro mesmo!
Ele e Odete respiravam tranquilos.
Renata ia completar cinco anos.
Jarbas teve outro menino, dois anos mais novo que ela.
Para seu aniversário foi organizada uma festinha simples, só mesmo para a família.
No dia da festa, as duas famílias estavam reunidas.
Iracema brincava com Renata quando Artur chegou e lhe entregou uma caixa grande.
Assim que Renata pegou a caixa, quase a deixou cair.
Artur abaixou-se para ajudá-la, os olhos se encontraram.
Ele sentiu algo estranho, mas não deu atenção.
Disse:
— Deixe que eu a ajude, é muito pesada.
— Já sei! É uma boneca!
— Isso mesmo!
Será que vai gostar?
— Claro que vou!
Foi você quem me deu!
— Por que está dizendo isso?
— Porque quando eu crescer vou me casar com você!
Iracema e Artur riram.
Ele disse:
— Isso é impossível, sou muito mais velho, poderia até ser seu pai.
Ela fez um beicinho e disse quase chorando:
— Não é! Vou me casar com você!
Iracema, rindo, disse:
— Essa menina é muito esperta!
Quem sabe ocês não se casam mesmo!
Artur, rindo mais ainda, disse:
— Você deve estar louca!
— Num sei não, vai vê ocês já foram namorados em outra incarnação!
Quem sabe, num é mesmo?
O tempo passou.
Artur e Jarbas formaram-se.
Jarbas deixou a polícia e foi trabalhar com Álvaro.
Precisava aprender muito e sabia que ali seria o melhor lugar para isso.
Leandro estava na faculdade de Medicina.
Artur começou a trabalhar em uma grande empresa de medicamentos.
Trabalhava com computador e ajudava na área de pesquisas.
Ele não tinha ainda trinta anos quando, um dia, acordou com um programa todo pronto em sua cabeça.
Foi para a empresa, trabalhou muito até conseguir.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 21, 2017 9:01 pm

Surgiu um programa que facilitaria aos cientistas pesquisar a cura de muitas doenças.
Ele foi muito premiado e elogiado, além de receber um aumento de salário.
Álvaro e sua família e a família de Iracema compareceram à festa onde ele seria homenageado.
Ao ver o neto recebendo aquela homenagem, Noélia não conseguiu evitar as lágrimas e, mais uma vez, agradeceu a Deus por tanta felicidade.
Artur, trabalhando, viajou muito pelo mundo.
Nunca se interessou por moça alguma.
Dizia sempre que não tinha tempo para o casamento.
Em uma das vezes em que estava em casa, ia acontecer novamente o aniversário de Renata.
Ela ia fazer dezasseis anos.
Novamente a família foi convidada.
Assim que chegou à casa de Jarbas, viu Renata, que foi correndo para recebê-los.
Ele ficou parado e pensando:
"Como ela está linda!
Transformou-se! Não é mais aquela menina!
Ela se aproximou, olhou bem em seus olhos, dizendo:
— Está quase chegando a hora da gente se casar.
Álvaro olhou para Odete, que olhou para Leandro, que olhou para Iracema, mas ninguém disse nada.
Depois de alguns segundos, Iracema disse:
— Essa menina só diz bestagem!
O pior é que sempre falou isso, desde que era piquininha!
Dessa vez, Artur não disse que não, estava encantado com aquela moça que lhe sorria.
Só pensava:
"Já conheço esses olhos!"
A festa começou.
Todos se divertiram muito. Havia paz no ar.
Leandro já era médico e estava acompanhado de sua esposa e de um bebé recém-nascido.
Álvaro conduziu Odete para o jardim.
Lá fora, disse:
— Nossa família está feliz.
Finalmente encontramos a paz, mas fico pensando:
será que no final não foi bom tudo aquilo ter nos acontecido?
— Por que está dizendo uma coisa como essa?
— Porque aprendemos muito.
Eu, pelo menos, aprendi.
Deixei de lado meus preconceitos e minha superioridade.
Entendi que não somos nada nesta vida e que não temos nada sob controle.
Além do mais, com tudo aquilo que aconteceu pudemos descobrir que o nosso amor é realmente verdadeiro.
Eu a amo muito!
— Não mais que eu a você.
Só posso agradecer a Deus por este momento e por ter-me dado um marido como você e dois filhos maravilhosos, que só me causam orgulho.
Artur estava em um canto da sala quando Renata se aproximou dizendo:
— Vamos dançar?
Ele, um pouco sem jeito, aceitou.
Começaram a dançar calados, apenas os olhos se encontravam de vez em quando.
André e Hélio acompanhavam tudo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Mar 21, 2017 9:01 pm

Também estavam felizes, pois o filho e amigo de outros tempos tinha conseguido vencer suas fraquezas e estava ali, vitorioso.
André disse:
— Finalmente estão juntos.
Letícia conseguiu com seu amor e esperança.
Hélio interrompeu-o, nervoso:
— André! Não vai dar certo.
A diferença de idade é muito grande.
As famílias não concordarão!
— Ora, Hélio! Para o amor não existe idade!
Haverá alguma confusão, mas no final dará tudo certo.
O amor entre eles é imenso, nada nem ninguém poderá impedi-los de ficar juntos para sempre.
— Tem certeza disso?
— Claro que sim!
E você, meu amigo, vá se preparando, que logo fará parte dessa família que está nascendo...
Hélio arregalou os olhos:
— Que está dizendo?
Serei filho deles?
— Só se não quiser...
— Mas claro que quero!
Serei o melhor filho do mundo!
Você vai ver!
— Espero que seja mesmo!
Hélio, rindo muito, começou a volitar por toda a sala, e da ponta dos dedos jogava luz prateada sobre todos os presentes.
Parecia uma criança que acabara de ganhar uma bala.
André ria da felicidade dele e dizia baixinho:
— Espero que seja mesmo um bom filho, e que todos sejam felizes para sempre...”

Fim

§.§.§- O-canto-da-ave

Caro amigo:
Se você gostou do livro e tem condições de comprá-lo, faça-o, pois assim estarás ajudando diversas instituições de caridade; que é para onde os direitos autorais desta obra são destinados.


Muita Paz
Que Jesus o abençoe
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70224
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: É PRECISO ALGO MAIS / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 11 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 9, 10, 11

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum