NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Página 9 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:42 pm

Ela e os outros acharam melhor atender a seu pedido. Entraram.
Assim que desapareceram pela porta, Cássio viu que o homem se aproximava dele.
Quando chegou a seu lado o homem falou:
- Sei que está sofrendo muito.
Estou aqui para lhe dizer que, embora eu seja um homem de negócios, não sou insensível a sua dor.
Pode ficar tranquilo:
vou esperar mais dois meses.
Acredito ser o tempo necessário para que consiga o dinheiro.
Mas vou avisá-lo de que, passado esse tempo, não esperarei nem mais um dia.
Cássio não acreditou no que estava ouvindo.
Só pôde responder:
- Não sei como agradecer.
Pode ficar tranquilo, que antes desse dia eu o estarei procurando.
O homem sorriu e se afastou, não voltando à igreja.
Depois de algum tempo, Cássio, com os olhos vermelhos, retornou para junto de seus amigos e assistiu à missa até o fim.
Nas despedidas, todos o consolaram.
Acompanhado por Elvira, voltou para casa.
Lá, novamente, entrou no quarto e só saía alguns minutos por dias.
Assim permaneceu por mais quinze dias.
Em uma manhã, chegou um mensageiro da cidade, com uma carta para Cássio.
Elvira recebeu-a e bateu à porta do quarto dele.
- Menino, tenho aqui uma carta que chegou.
Posso entrar?
Cássio, que lia um livro tranquilamente, escondeu-o, estampou no rosto novamente aquela expressão de dor e respondeu:
- Pode entrar.
Elvira entrou e não pôde esconder a enorme preocupação que sentia ao ver Cássio naquele estado.
- Menino, você não pode continuar assim.
Tem de sair desse quarto e voltar a cuidar das fazendas.
Já faz quase um mês que a menina Virgínia foi para junto de Deus.
Você tem de reagir.
O tempo é bom companheiro e o trabalho é o melhor remédio para tudo.
Chegou esta carta.
Parece ser do doutor António.
Cássio sorriu, dizendo:
- Já estou me sentindo melhor, não precisa se preocupar.
Entendi que não adianta continuar aqui sofrendo.
Amanhã mesmo, voltarei ao meu trabalho, mas me dê essa carta.
Que será que ele quer comigo?
- Não sei, mas talvez seja a respeito do testamento.
- Pode ser. Obrigado.
Se for isso, não quero nem saber.
Não me interesso por esse testamento. Só queria ter todos comigo.
- Sei que não se importa com o dinheiro, mas não poderá fugir disso.
Se ele estiver chamando-o para tratar disso, tem de ir, não pode se furtar.
- Está bem, vou ver o que ele quer comigo.
Elvira ficou feliz por vê-lo mais calmo e disposto a recomeçar a vida.
Saiu do quarto aliviada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:42 pm

Assim que ela saiu, ele rapidamente abriu a carta.
Era só um convite para que fosse até o escritório do advogado tratar de assuntos de seu interesse.
Ele, sorrindo, pensou:
Até que enfim vou tomar posse de tudo, pagar minha dívida e usufruir de todo o dinheiro.
Virgínia me deu uma boa ideia:
vou viajar e conhecer o mundo.
Naquele dia, ainda permaneceu no quarto, só saindo para as refeições.
No dia seguinte, logo pela manhã, entrou na cozinha com a barba feita e arrumado para sair:
- Bom-dia, Elvira.
Atendendo a seu pedido, hoje me levantei disposto a retomar minha vida.
Você tem razão:
não adianta ficar da maneira como eu estava.
Deus sabe o que faz; se foi Sua vontade me deixar sozinho, que assim seja.
Vou até a cidade conversar com o doutor António, vou saber o que ele quer comigo.
- Menino, não sabe como estou feliz por vê-lo bem novamente.
Deus seja louvado.
Sabe o quanto gosto de você e não imagina como fiquei preocupada por vê-lo sofrer daquela maneira.
Cássio sorriu.
Em seu pensamento, estava triunfante por tudo ter dado certo, exactamente como planeara.
Preciso continuar com essa minha cara de tristeza por mais alguns dias, depois voltarei ao normal, receberei tudo a que tenho direito e começarei a viver realmente.
Elvira, radiante, serviu o café.
Ele comeu como há muito tempo não fazia.
Após o café, montou no cavalo e saiu para encontrar-se com seu destino.
Na cidade, foi cumprimentado por muitas pessoas que compartilhavam sua dor.
A todos recebia com um sorriso e agradecia.
Depois de muito tempo cumprimentando as pessoas, conseguiu finalmente chegar ao escritório do doutor António.
Este o recebeu com um largo sorriso:
- Senhor Cássio, fico feliz por vê-lo tão bem disposto.
- Estou um pouco melhor.
E ansioso por saber o motivo de seu chamado.
- Como sabe o senhor agora é o único herdeiro de todos os bens de sua falecida esposa.
Tenho em minhas mãos alguns documentos que precisa assinar.
- Estou à sua inteira disposição, embora não esteja ainda preocupado com isso.
Sinto muita falta de Virgínia, mas, como diz Elvira, preciso continuar.
- Isso mesmo, ela tem razão.
Mas sente-se e aguarde um momento; vou pegar as pastas.
O advogado saiu.
Cássio teve de fazer um esforço tremendo para não demonstrar a alegria que estava sentindo.
Pouco depois, o advogado voltou, trazendo em suas mãos algumas pastas.
Sentou-se em sua cadeira, que ficava do lado oposto à que Cássio se encontrava.
Abriu uma pasta e de dentro dela retirou um papel que estava lacrado:
- Este é o testamento deixado pela senhora Virgínia.
Cássio se admirou:
- Não sabia que ela havia feito um testamento.
- Fez, sim.
Ela o fez na frente de um tabelião.
Mas, antes de ir para o testamento, tenho instruções de ler esta carta.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:42 pm

- Que carta é essa?
- Não sei, ela apenas me disse que, em caso de sua morte, deveria ler esta carta na presença do delegado.
Por isso ele já deve estar chegando.
- Não estou entendendo.
Por que faria isso?
- Também não entendi, mas preciso atender a um pedido de minha cliente.
Cássio começou a suar frio.
Pressentia que algo muito grave estava para acontecer, pensou um pouco e, com um esforço enorme, falou:
- O senhor tem razão.
Devemos atender a um pedido de Virgínia.
Logo veremos do que se trata.
Embora demonstrasse calma, sentia que estava perto de ver tudo com que sonhara perdido para sempre.
Logo depois, o delegado chegou:
- Bom-dia, doutor.
- Bom-dia, delegado.
- Posso saber por que me mandou chamar?
- Sente-se, delegado.
Preciso abrir um envelope que a senhora Virgínia deixou, mas tem de ser aberto na sua presença.
- Porque isso?
- Não sei.
Na tarde anterior ao dia em que morreu, ela esteve aqui e me deu estas instruções, que preciso cumprir à risca.
Cássio queria sair dali.
Disfarçando, pensava:
No dia anterior?
Foi na tarde em que saiu acompanhada por Elvira.
Tenho certeza de que foi logo depois de saber de minha situação.
O que ela terá planeado?
O advogado abriu o envelope e começou a ler:
Prezado doutor António, se estiver lendo esta carta, é porque estou morta.
Há alguns dias, tomei conhecimento da situação financeira de meu marido, por isso vou contar uma história.
Antes que o advogado terminasse de ler, Cássio levantou-se:
- O que tudo isso significa?
O que o senhor está fazendo comigo?
- Não sei, estou apenas seguindo instruções de minha cliente.
Mas por que está tão nervoso?
Antes que Cássio respondesse, o delegado falou:
- Senhor, acredito ser melhor que volte a se sentar e juntos veremos do que se trata.
Não havendo alternativa, Cássio voltou a se sentar.
O advogado continuou a ler a carta.
Nela, Virgínia contava tudo o que, juntos, fizeram, desde a morte de Renato, depois a de Juliana e da pequena Helena.
Cássio, enquanto ouvia o advogado, ficava cada vez mais nervoso.
Olhou para o delegado e percebeu que ele estava com o rosto crivado e impassível.
Antes que o advogado terminasse de ler, Cássio levantou-se e, sem que o delegado pudesse impedir, saiu correndo do escritório, montou no cavalo e foi embora em disparada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:42 pm

Após o susto, o delegado saiu e foi em sua captura.
Enquanto cavalgava, desesperado, Cássio ia falando em voz alta:
- Aquela miserável!
Como pude acreditar que seria fácil me livrar dela?
Como pude acreditar que ela, esperta como sempre foi se deixaria matar sem nada fazer?
Desesperado, chegou a casa, entrou correndo e passou por Elvira que, ao ouvir o tropel do cavalo, foi até a varanda esperá-lo.
Sem nada dizer, mas mostrando o quanto estava desesperado, gritou:
- Saia de minha frente, Elvira!
Ela ainda quis falar, mas ele não lhe deu tempo.
Entrou correndo em seu quarto e fechou a porta.
Ela ficou batendo, desesperada.
- Menino, abra essa porta.
Que está acontecendo?
Ele não respondeu, e ela saiu para chamar alguém para ajudá-la.
Viu que, ao longe, um cavaleiro chegava.
Pressentia que algo muito grave estava acontecendo, mas não imaginava o que poderia ser.
Ao chegar, o cavaleiro desmontou, falando muito nervoso:
- O Senhor Cássio está aí?
Elvira reconheceu o delegado e ficou sem saber o que dizer.
Ele percebeu seu nervosismo e falou:
- Sei que sabe onde ele está.
Preciso encontrá-lo e prende-lo.
Ele matou muitas pessoas.
- Não posso acreditar!
O senhor está mentindo, ele jamais faria isso.
- Posso imaginar o que está sentindo, mas, infelizmente, é a verdade, ele matou seus patrões e a menina Helena.
Desconfio que tenha matado a senhora Virgínia também.
Elvira ficou paralisada.
O que aquele homem estava falando não podia ser verdade, mas, pela expressão do rosto do delegado, percebeu que ele não estava mentindo.
Um súbito ódio tomou conta dela:
- Ele chegou correndo e trancou-se no quarto.
Por favor, senhor, diga que não está falando a verdade...
O delegado, muito nervoso, disse:
- Por favor, minha senhora...
Estou dizendo a verdade. Onde é o quarto?
Elvira levou-o até a entrada do quarto de Cássio.
Batendo à porta, o delegado gritou:
- Senhor Cássio, abra essa porta!
Não adianta ficar escondido aí.
Vai ter de enfrentar a situação.
Cássio não respondeu nem abriu a porta.
Alguns empregados da fazenda, ao verem o modo como o patrão havia chegado e logo em seguida o delegado, correram lá para ver o que estava acontecendo.
O delegado, vendo ser inútil continuar chamando, resolveu sair da casa.
Vendo os homens parados, pediu a alguns que o viessem ajudar.
Entraram e, juntos, conseguiram abrir a porta.
Lá dentro, Cássio estava deitado e, pela cor de sua pele, pôde-se notar que ele estava morto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:42 pm

A seu lado, no chão, havia um vidrinho, que mais tarde se constatou ser um veneno muito poderoso, provavelmente o mesmo usado para matar Juliana e Helena.
Novamente, a notícia correu por toda a cidade.
As pessoas, agora, entendiam o motivo de toda a desgraça ocorrida com aquela família.
Todos se condoíam pelo destino que tiveram Renato, Juliana e Helena nas mãos daqueles assassinos.
No enterro de Cássio, os amigos não compareceram só alguns poucos empregados.
Em seu testamento, Virgínia passou todos os seus bens para Elvira enquanto esta vivesse.
Após sua morte, tudo passaria para a igreja.
Julgava que, assim fazendo, estaria comprando seu pedaço no céu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:43 pm

A REACÇÃO DE FARIAS
Enquanto isso, Juliana, alheia a todos esses acontecimentos, continuava junto de Renato e Helena.
Estava pensativa, quando Renato se aproximou.
- Olá, Renato, estava aqui pensando em Virgínia e Cássio.
Não os odeio mais, nem quero vingança, só sinto que eles destruíram dentro de meu coração algo muito importante:
a fé, a confiança na amizade.
Acredito que nunca mais poderei confiar em alguém novamente.
Eu os amei como irmãos, confiava neles.
Mesmo assim, foram capazes de tramar contra nossas vidas e a de nossa filha, que era ainda uma criança.
- De longe, percebi que nuvens negras passavam por sua cabeça.
Está relembrando?
- Não posso evitar.
Por mais que me esforce, as lembranças insistem em voltar.
Tento esquecer, deixar de pensar e de sofrer pela atitude deles, mas não consigo.
Hoje, devem estar felizes, usufruindo daquilo que foi meu.
Não consigo me conformar com tanta maldade.
- Sei e entendo o que está sentindo, mas sei também que você, com o tempo, conseguirá esquecer e perdoar.
- Não sei há quanto tempo estou aqui, mas sinto que preciso fazer algo para preencher meu tempo.
Vejo os outros indo e vindo, todos trabalhando em algo.
Eu, pelo contrário, fico aqui parada sem ter o que fazer, e isso faz com que eu tenha muitos pensamentos ruins.
- Gostaria de fazer algum tipo de trabalho?
- Claro que gostaria!
Será que poderia arrumar?
- Posso e vou providenciar.
Vou falar com Marina.
Ela, com certeza, encontrará algo em que possa trabalhar.
Antes que Juliana dissesse algo, como se os estivesse ouvindo Marina veio se aproximando deles.
Quando chegou perto, com um largo sorriso, disse:
- Juliana, vejo que agora está muito bem.
Isso só pode trazer felicidade ao coração de todos que estão aqui e a amam.
- Estou muito feliz também.
Ai! Ai, que dor! Renato, que dor é esta? Rogério...
Estou pensando muito em Rogério.
Vejo seu rosto.
Parece que está sofrendo.
Renato, muito assustado, abraçou Juliana e, olhando para Marina, perguntou:
- O que está acontecendo?
Por que ela está sentindo essa dor?
- Provavelmente, Rogério está, neste momento, pensando nela, com muita dor e desespero.
Seu pensamento a atingiu.
Ela está sentindo o mesmo sofrimento que ele.
Juliana, ainda com muita dor, disse:
- Então, ele deve estar sofrendo muito, porque a dor é imensa.
O que poderemos fazer para ajudá-lo?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:43 pm

- Vamos nos dar as mãos, fechar os olhos e juntos pensarmos em Rogério.
Nosso pensamento nos levará até ele.
Renato e Juliana seguraram forte nas mãos que Marina estendia.
Fecharam os olhos.
Ficaram assim com o pensamento forte, pensando naquele amigo muito querido.
Quando abriram os olhos, estavam na casa de Rogério em Portugal, no momento exacto em que um senhor terminava de ler uma carta.
Rogério chorava desesperado:
- Não acredito!
Ela não faria isso.
Amava-me, tenho certeza, íamos nos casar, ela estava feliz.
Meu pai, não pode ser verdade.
Preciso voltar para lá o mais rápido possível.
Preciso saber o que aconteceu realmente.
- Filho, posso imaginar o que está sentindo, mas infelizmente deve ser verdade.
Seu primo não brincaria com um assunto como este.
Você conviveu com essa moça por poucos dias, não teve tempo de conhecê-la realmente.
- Não, meu pai!
Conheci-a o suficiente para saber que ela não faria algo assim, muito menos com a filha.
Ela amava aquela menina.
Ela estava muito feliz a meu lado.
Não posso aceitar.
Ao vê-lo naquele estado, Juliana ficou também com lágrimas nos olhos.
Olhou para Renato, que, sorrindo, consentiu com a cabeça.
Juliana aproximou-se de Rogério e abraçou-o carinhosamente.
- Meu querido, sei a dor que está sentindo, mas não deve ficar assim.
Estou muito bem. Realmente, não fiz aquilo.
Foram eles que nos destruíram.
Eu os odeio! Você deve ir até lá, sim.
Deve descobrir tudo e colocá-los na prisão!
Novamente, voltara todo o ódio que sentia por eles.
Renato assustou-se por vê-la tão transtornada.
- Juliana, tente se controlar!
Agindo assim, não vai ajudá-lo.
Só vai fazer com que fique mais desesperado ainda. Lembre-se da Lei e do amor.
- Que Lei? Que amor?
Rogério está sofrendo, e a culpa é daqueles dois.
Como posso não odiá-los por isso?
- Neste momento, a única coisa que pode fazer é deixar que o amor flua em seu coração.
Envolva Rogério com muito carinho e amor.
É disso que ele precisa não de seu ódio.
Juliana começou a chorar.
- Sei que preciso me acalmar, mas é mais forte que eu.
Não consigo me controlar.
Como demonstrar um sentimento que não sinto?
Neste momento, estou sentindo um ódio muito grande.
O que quer que eu faça?
Quer que eu minta?
Marina interrompeu-os:
- Entendemos o que está sentindo.
É normal que isso aconteça não se preocupe.
Você não está suportando ver mais uma pessoa que ama sofrendo por uma maldade de outros.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:43 pm

Sente ódio. Sente desejo de vingança.
Sinta tudo isso, mas por pouco tempo.
Depois, retorne para a Lei.
Entenda que ela é sábia, que tudo vê.
E a tudo dá a devida atenção. Confie nela.
Acredite que tudo está certo.
Ao ouvi-la, Juliana sentiu um bem-estar enorme.
Sentiu que todo aquele ódio, como por encanto, havia passado.
- Obrigada, Marina, e perdoe-me por este momento.
Durante todo este tempo, aprendi que a Lei é maior que tudo.
Mas não consigo aceitar o que eles nos fizeram sofrer e que agora desfrutem de tudo, como se nada houvesse acontecido...
- Neste momento, não deve se preocupar com isso.
Deve apenas ajudar Rogério para que ele não sofra tanto.
Enquanto Marina conversava com Juliana, Renato estava perto de Rogério e, com as mãos, lançava sobre ele raios de luz.
Ele ainda chorava, mas agora com mais tranquilidade.
Seu pai, muito emocionado, também o abraçava.
Marina aproximou-se do velho senhor e colocou as mãos em sua cabeça, sobre a qual agora caíam luzes coloridas.
Ele começou a dizer:
- Meu filho, este momento está sendo difícil, mas pense bem:
o que adiantaria ir até lá só para descobrir o que aconteceu realmente?
Isso agora não tem mais importância.
Precisa continuar a vida.
Deus é nosso pai.
Ele é quem sabe de tudo.
Confiemos em sua bondade.
Marina acompanhava, sorrindo, as palavras que ele dizia.
Juliana percebeu que Rogério, aos poucos, parava de chorar.
Ela também se aproximou e o abraçou com muito carinho.
Ele, ao sentir aquele abraço, lembrou de seu rosto sorrindo e dizendo o quanto ele a havia feito feliz.
Marina, sorrindo, disse:
- Juliana, percebeu o poder do amor?
Se quiser ver Rogério realmente bem, terá de fazer sempre isso:
enviar-lhe pensamentos de amor e de carinho.
Vocês terão outras chances de ficar juntos.
Isso precisa acontecer, porque os dois terão de cumprir uma missão que agora foi interrompida.
Não esqueça nunca que a Lei é sábia.
Renato abraçou-a e deu-lhe um suave beijo.
Ela correspondeu, sabendo agora que ele havia sido o verdadeiro amor de sua vida.
Por Rogério, sentia um profundo carinho, mas sabia que não era amor.
Rogério, com a voz mais calma, respondeu a seu pai:
- Talvez o senhor tenha razão, mas preciso voltar ir até seu túmulo, para poder, finalmente, aceitar que toda essa desgraça tenha se abatido sobre nós.
- Se acredita que isso seja necessário, terá todo o meu apoio.
Sabe muito bem que a única coisa que me importa nesta vida é ver você e seus irmãos bem.
- Obrigado, meu pai, por entender o que estou sentindo.
Irei o mais cedo possível.
Juliana sorriu ao ver a atitude que ele tomara.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:43 pm

Olhou para Marina, perguntando:
- Que faremos agora?
- Voltaremos para nosso lugar.
Ele agora está melhor e você também.
Não estão mais sentindo aquela dor de antes.
- É mesmo. Havia me esquecido da dor. Como pode?
- Neste momento, ele está pensando em você com carinho e amor, por isso as vibrações dele lhe chegam como um suave alento.
- Quer dizer que eu sentia a mesma dor que ele?
Quer dizer que seu sofrimento também me fazia sofrer?
- Isso mesmo.
Acontece sempre quando alguém, na Terra, não se conforma com a partida de um ente querido.
A dor de um se transforma na dor dos dois.
E, ao contrário, quando da Terra é enviado um pensamento de amor, carinho e saudade, isso faz bem aos dois.
Podemos voltar agora?
- Mas e Rogério? Ficará sozinho?
- Nunca estamos sozinhos, por piores que formos.
Ele terá toda a ajuda necessária, só que não poderá ser a sua.
Você ainda não está em condições de ajudá-lo.
Sua presença poderá lhe causar muito mal, por isso será melhor irmos embora.
- Se não há alternativa, só posso concordar, mas, antes, não podíamos passar na fazenda?
Gostaria de saber como tudo está caminhando por lá.
- Se acredita que lhe fará bem, podemos ir desde que prometa se comportar e não interferir no livre-arbítrio de Cássio ou de Virgínia.
- Farei o possível, mas na realidade estou com muita saudade de Elvira.
Ela deve estar sofrendo muito com nossa partida.
- Elvira é um espírito amigo que a acompanha já há muito tempo.
Ela sofre muito, sim, mas tem muita protecção.
Vamos até lá, você precisa saber o que está acontecendo.
Juliana deu um último olhar para Rogério, que agora, após chorar e se desesperar, pensava nela com muito amor e carinho.
Ela se aproximou e com um sorriso, beijou sua testa.
Em seguida, dando-se as mãos novamente, ela, Renato e Marina fecharam os olhos.
Chegaram à casa-grande da fazenda, exactamente no momento em que Cássio, desesperado, se preparava para morrer.
Sem que Juliana conseguisse evitar, ao ver aquela cena, embora não quisesse, em seus olhos surgiu um brilho de felicidade.
Não sabia o que estava acontecendo, mas percebeu que deveria ser algo muito grave.
Marina tentou se aproximar de Cássio para evitar que ele tomasse aquela atitude drástica, mas Virgínia e alguns vultos negros estavam em volta dele e não permitiram.
Juliana gritou:
- Marina, perdoe-me, mas você não pode fazer isso!
Se eu não posso interferir no livre-arbítrio, você também não pode!
Ele tem de fazer isso.
Precisa pagar por todo o mal que nos fez!
Marina, com lágrimas nos olhos, disse:
- Tem razão. Embora tenha vontade de ajudá-lo, mesmo que quisesse não poderia.
Ele está protegido por espíritos que atraiu para si, nada poderei fazer.
A Lei tem de ser cumprida.
A Lei do livre-arbítrio é soberana.
Virgínia não podia ver os vultos negros.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jun 13, 2017 7:44 pm

Ela envolvia o corpo de Cássio, dizendo:
- Você tem de fazer isso.
Não há outra saída.
Precisa vir para minha companhia. Estou esperando-o.
Farias, quando ouviu Juliana, falou:
- Damião, ela tem razão.
Ele tem de concretizar o que está pensando.
Ele tem de se matar.
Precisa pagar por tudo o que fez.
Tem de ir para o vale.
A tela novamente se congelou.
Damião olhou para ele e, sorrindo, disse:
- Tem certeza de que isso é o que deve acontecer?
- Claro que tenho!
Se a Lei existe, ela tem de ser cumprida.
Ele merece todo o sofrimento do mundo.
- Se acredita nisso, vamos fazer com que se cumpra a Lei.
Fez um sinal para Duarte.
Na tela, estavam os rostos de Cássio, Virgínia e Juliana.
Aos poucos, eles foram se transformando.
Ao ver aquilo, Farias gritou:
- Que é isso?
Que está acontecendo?
Não pode ser... Não acredito!
É uma Mentira!
Realmente, ele tinha de estar assustado.
Os rostos na tela se transformaram.
O de Virgínia transformou-se no rosto de Marlene.
O de Juliana, no rosto de Márcia, e o de Cássio, no rosto dele próprio.
Farias, com os olhos arregalados, dizia:
- Não pode ser!
Eu não fiz todas essas maldades.
Aquele não sou eu.
Damião colocou a mão em seu ombro, dizendo:
- Sim, meu irmão, é você mesmo.
Foi você quem cometeu todo o mal na vida da Juliana de ontem, aquela mesma que hoje é Márcia, a quem você tanto odeia.
A mesma contra quem exige que a Lei seja cumprida.
Você. Só você, por se julgar injustiçado, poderá dar a ela a sentença que julgar merecida.
Naquele instante, no pensamento de Juliana, surgiram os rostos de Helena e Rogério.
Apareceram por um instante e foram se transformando nos rostos de Lenita e Ronaldo.
Farias ficou mais desesperado ainda.
Quis se levantar da poltrona para poder fugir, mas uma força maior o prendeu.
Olhava desesperado para a tela e para Damião.
Este, com o rosto sério, disse:
- Não adianta querer fugir, não vai conseguir.
Estamos aqui por você.
Exigiu que a Lei fosse cumprida.
Precisamos agora ir até o fim.
Qual é a sentença?
O que acredita que deve ser feito com Cássio?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:18 pm

Farias, agora, chorava muito:
- Não sei. Não sei. Não sei...
- E com Márcia?
Qual deveria ser a sentença?
que acha que ela merece?
- Não sei. Não sei. Não sei...
- Entendeu, agora, meu irmão, por que tantas vezes pedi a você que deixasse a Lei maior ser cumprida, por meio do perdão e do amor?
No auge do desespero, Farias gritou:
- Damião, por favor, ajude Cássio!
Não permita que ele faça o que pretende!
- Não posso.
Ele teve ontem seu livre-arbítrio, como você teve hoje o seu.
Ontem, ele cometeu suicídio; hoje, como Farias você também se suicidou.
Damião levantou-se e estendeu as mãos sobre a cabeça de Farias, que chorava muito.
Aos poucos, ele foi se acalmando.
- Sou obrigado a reconhecer que mereço tudo que me aconteceu, Damião.
Fui um canalha.
Mas como uma moça doce como Juliana pode ter se transformado em um monstro como Márcia?
- A culpa também foi sua.
Você a traiu, enganou e mentiu.
Nesta encarnação, ela veio prevenida contra tudo que passou na anterior.
Não quer saber o que aconteceu com Cássio e Virgínia?
- Quero claro que quero.
Como Virgínia se transformou em Marlene, que vi cercada de tanta luz?
Continuemos assistindo.
A imagem na tela voltou a se movimentar.
Juliana estava ali novamente, diante de seus inimigos e ao lado de Rogério e Helena.
Tentou conversar com eles, mas não conseguiu.
Rogério e Helena estavam com a imagem congelada.
Pensou:
Vendo Virgínia e Cássio em minha frente, não posso deixar de pensar que, por culpa deles, fui obrigada a me afastar de Rogério, um homem tão gentil e amável Marina e Renato dizem que tenho de perdoar, mas como posso fazer isso?
Eles foram maus e mesquinhos, não tiveram compaixão de mim, de Renato e, principalmente, de Helena.
Sei que, um dia, talvez, eu os perdoe, mas por enquanto não pode ser.
Ficou ali olhando Virgínia, que, pairando sobre Cássio, continuava dizendo:
- Você não pode parar.
Tem de ser agora.
O delegado está chegando.
Só naquele momento Juliana percebeu que Virgínia não estava mais viva.
- Renato, ela está morta?
Ela morreu? Como aconteceu?
- Foi vítima de seus próprios actos.
Durante toda a vida ela se cercou de companhias que a envolveram, lhe deram ideias e a ajudaram a praticar todas aquelas maldades.
Após seu assassinato e o de Helena, ela se voltou contra Cássio e ele a matou.
Juliana começou a rir.
- Está me dizendo que eles brigaram?
Ele a matou?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:18 pm

- Sim, por isso ela está agora a seu lado, esperando que ele cometa esse acto, para poder levá-lo com ela.
Mas você não deveria ficar feliz.
Cássio é um irmão que mais uma vez não conseguiu vencer e está prestes a cometer um erro novamente.
- Novamente? Ele já se suicidou antes?
- Sim, pelo mesmo motivo: covardia.
Farias agora estava quase deitado na poltrona, envergonhado, querendo se esconder.
Damião apenas olhou, mas ficou calado.
Na tela, finalmente Cássio tomou de uma só vez todo o veneno no próprio vidrinho.
No mesmo instante, sentiu que era arrancado violentamente do corpo.
Viu os vultos que o esperavam.
Sentindo-se livre, quis fugir, mas não conseguiu.
Saiu correndo e eles foram atrás.
Desesperado e com muito medo, desmaiou.
Marina, com os olhos tristes, disse:
- Vamos embora, nada mais temos para fazer aqui.
Agora, ele está entregue à sua própria sorte.
Juliana, apesar do ódio que julgava sentir por eles, ficou horrorizada com tudo o que acabara de ver.
Disse:
- Vamos embora, sim.
Acredito que a Lei realmente existe.
Vamos deixar que ela siga seu curso.
Foram embora, abraçados.
Assim que retornaram, Juliana correu para junto de Helena, que brincava com outras crianças.
Aproximou-se, abraçou-a e, com o rosto por trás dos cabelos da menina, chorou muito.
Não dizia o que estava pensando, apenas abraçava a filha com muito carinho, enquanto seus pensamentos fervilhavam:
Meu Deus, obrigada por ter me livrado de tudo aquilo que vi.
Obrigada por ter permitido que, quando deixei a Terra, tivesse Renato e meu pai à minha espera.
Perdão por todas as coisas que disse.
Confio hoje na Lei.
Sei que ela existe e que é implacável.
Beijou Helena, deixou-a brincando e foi procurar Renato.
Quando o encontrou, ele estava conversando com outras pessoas.
Discutiam sobre o que fariam à noite, quando teriam uma reunião.
Ela se aproximou.
Ao vê-la, ele, sorrindo, perguntou:
- Como está, meu amor?
Esteve com Helena?
- Estou bem.
Sim, estive com ela, parece que está muito bem.
Preciso falar com você a respeito do trabalho que Marina disse que encontraria para que eu fizesse.
- Vamos falar com ela?
- Gostaria muito.
Sinto que preciso fazer algo para preencher meu tempo.
Despediram-se das pessoas com quem Renato conversava e foram em busca de Marina.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:18 pm

Ela os recebeu com um largo sorriso:
- Como estão? Que bom vê-los juntos.
Estão precisando de alguma coisa?
- Estou sim. Lembra-se do dia em que disse que iria arrumar algo para eu fazer?
Queria saber se já pensou a respeito.
- Estou amadurecendo uma ideia, Juliana.
Dê-me mais alguns dias.
Acredito que vai gostar muito, tenha só mais um pouco de paciência.
Juliana sorriu e afastou-se, acompanhada por Renato.
Ele disse:
- Tenho de continuar aquela conversa que estava tendo.
Esta noite será muito especial.
Quer ficar junto?
- Não. Não entendo ainda desses assuntos e vou andar um pouco pelo jardim.
Ele a beijou e se afastou.
Ela foi para o jardim.
Andou um pouco, sentou-se em um banco e olhou à sua volta, pensando:
Aqui tudo é tão bonito...
Respira-se muita paz.
Todas as pessoas que aqui estão parecem muito felizes.
Que bom seria se as pessoas na Terra soubessem como é a vida após a morte.
Talvez não sofressem tanto quando um ente querido partisse.
Estava assim, presa em seus pensamentos, quando uma senhora se aproximou e se sentou a seu lado, dizendo:
- Também está esperando alguém?
Juliana olhou para ela e respondeu sorrindo:
- Não. Estou apenas apreciando tudo.
- Estou já há muito tempo esperando um de meus filhos.
Eles me colocaram aqui neste hospital e nunca mais vieram me visitar.
Não sei o que aconteceu.
Em todos os outros hospitais em que estive eles sempre vinham, mas neste está sendo diferente.
Juliana percebeu que ela não sabia de sua condição.
Notou que aquela senhora estava muito triste, mas não sabia o que falar para ajudá-la.
Tentou:
- A senhora não deve se preocupar com isso.
Eles podem estar com algum problema, mas a senhora me parece muito bem, só está um pouco ansiosa.
Precisa fazer algo para tomar seu tempo.
Já sei! Venha comigo.
Levantou-se e levou a velha senhora até o pavilhão onde se encontravam as crianças.
Ali chegando, encaminhou-se em direcção a uma moça que parecia ser a coordenadora do local:
- Olá, Paula, posso falar com você?
- Olá, Juliana, claro que sim.
Está precisando de alguma coisa?
- Estou. E acho que pode me ajudar.
Esta senhora está esperando que os filhos a venham visitar.
Disse a ela que eles devem estar muito ocupados, mas que ela precisava preencher seu tempo para não ficar tão ansiosa.
Poderia nos ajudar?
Paula entendeu o que Juliana queria fazer.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:18 pm

Pensou por um instante e disse:
- Estou precisando exactamente de alguém como à senhora.
Algumas de nossas crianças estão muito tristes, talvez a senhora possa nos ajudar a fazer com que fiquem mais alegres.
- Eu? Não sei como faria isso.
Já estou muito velha.
- Isso não importa.
A senhora deve conhecer muitas histórias e brincadeiras de seu tempo.
Poderá contar histórias e ensinar as brincadeiras.
A mulher pensou por um minuto.
Seus olhos brilharam.
- Sim, conheço muitas histórias e brincadeiras.
Será que as crianças gostariam mesmo?
Paula olhou para Juliana e, sorrindo, disse:
- Gostarão, sim, tenho certeza.
Obrigada, Juliana, agora ela ficará bem.
Juliana saiu aliviada, deixando Paula acompanhar a mulher.
Estava saindo, quando encontrou Marina, que vinha entrando.
Ao ver Juliana, disse:
- Está gostando de seu trabalho?
- Trabalho? Que trabalho?
- Você acabou de encontrar uma solução para nossa irmã Sara.
Ela já está aqui há muito tempo, mas até hoje não conseguimos fazer com que realizasse algo.
Era muito apegada aos filhos, exercia sobre eles total controle.
Desde que aqui chegou, não aceita que eles não a venham visitar.
Sofre muito por isso.
O apego em demasia a qualquer coisa traz muito sofrimento.
Hoje, você conseguiu fazer com que ela se interessasse por algo. Parabéns.
Juliana olhou para ela, tentando acompanhar o que dizia:
- Está dizendo que fiz um trabalho?
- Sim, e muito importante.
Percebi que você tem muito jeito com pessoas idosas.
De hoje em diante, ficará responsável por todas que aqui chegarem. Que acha?
Juliana lembrou-se de Elvira, de como era boa e carinhosa Respondeu:
- Ficarei muito feliz se conseguir ajudar.
Marina saiu, sorrindo.
Juliana ficou olhando para Sara, que agora estava rodeada de crianças.
Percebeu que ela falava com muito entusiasmo.
Não ouvia o que estava dizendo, mas, pela expressão das crianças, percebeu que a velha senhora havia encontrado um motivo para ser útil, e ela também.
Daquele dia em diante, ficou encarregada de dar boas-vindas a todos os recém-chegados.
Aquele trabalho lhe fez muito bem.
Enquanto isso, Cássio, que desmaiara de tanto horror, abriu os olhos, olhou à sua volta e viu Virgínia a seu lado, rindo, vitoriosa:
- Finalmente, você acordou.
Estive esperando-o neste lugar imundo por muito tempo.
Sabia que chegaria a qualquer momento.
Fiquei esperando ansiosa.
Você sempre foi um idiota!
Acreditou que poderia me enganar?
Acreditou ser mais esperto que eu?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:18 pm

Pois não era e nunca foi!
Estou aqui e ficarei para sempre a seu lado.
Vou fazer você pagar por ter tirado minha vida.
- Não pode ser você. Está morta!
- E você também!
Estamos os dois juntos na mesma jornada, somos cúmplices dos mesmos crimes e, por isso, estaremos ligados por muito tempo.
Cássio não queria acreditar.
Fechou e abriu os olhos, várias vezes, para certificar-se de que não estava sonhando.
Virgínia ria às gargalhadas, demonstrando, assim, sua situação quase de demência:
- Não adianta.
Está mesmo morto e estarei a seu lado, atormentando-o para sempre.
Juliana, Renato e Helena também estão aqui.
Você vai revê-los, a todo o momento, como acontece comigo desde que aqui cheguei.
Eles não me deixam em paz...
Cássio olhou ao redor novamente e percebeu que o lugar era horrível.
Escuro e lamacento.
Ouviu gritos de dor, mas não conseguia ver de onde vinham. Sentiu muito medo.
- Que lugar é este?
Não quero ficar aqui.
Preciso encontrar uma saída.
- Não existem saídas. Já procurei.
Estamos presos aqui para todo o sempre, ou melhor, por toda a eternidade.
- Você está mentindo! Não estou morto.
Apesar do veneno, continuo vivo e bem vivo!
- Também tive essa impressão quando aqui cheguei, mas aos poucos percebi que havia morrido mesmo.
Olhe meu rosto.
Ela virou o rosto para uma pequena fresta de luz e aproximou-se de Cássio, que gritou horrorizado ao ver o rosto de Virgínia descarnado e apodrecido.
Saiu correndo e gritando.
Depois de ter dado alguns passos, tropeçou e caiu.
À sua frente, apareceram Renato, Juliana e Helena querendo pegá-lo.
Ele se levantou e continuou correndo, na esperança de fugir daquelas figuras que o faziam lembrar-se dos crimes que cometera.
Correu, correu muito.
Enquanto corria, encontrava seres feios e horrendos que o queriam pegar também.
Correu, gritou e tentou se esconder, mas não havia para onde ir.
Virgínia seguia-o rindo de todo aquele desespero.
Deixou que ele tentasse, até se cansar.
Ela estava feliz:
ele, tanto quanto ela merecia tudo o que estava passando.
Depois de muito correr e perceber que não adiantava, ele se atirou ao chão e começou a chorar sem parar.
Seu estômago doía, não sabia se de fome ou por causa do veneno que havia tomado.
- Não posso acreditar que esteja morto.
Sinto tantas dores e tanta fome.
- É assim mesmo.
Sentirá que seu corpo precisa das mesmas coisas que antes, só que não terá como saciá-lo.
E isso durará por toda a eternidade.
- Não! Você está mentindo!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:19 pm

Não estou morto.
Tudo isto é só um sonho!
Ouviram um estrondo, e uma fumaça espessa tomou conta dos dois.
Do meio dela surgiu a imagem de suas vítimas, que se lançavam sobre eles com os rostos crispados de ódio.
Eles começaram novamente a correr para tentar se esconder, mas não conseguiam encontrar um lugar.
O horror tomou conta dos dois.
A fumaça desapareceu, e com ela as imagens.
Apavorada, Virgínia chorava muito:
- Durante o tempo em que estive sozinha, eles nunca apareceram dessa forma.
Meu Deus, isso vai durar até quando?
Assustado, Cássio escondia os olhos com as mãos.
- Deve existir uma saída.
Não posso aguentar todo esse horror.
Aquele lugar era sempre escuro, por isso eles não viam o tempo passar, não sabiam se era dia ou noite.
Eles viam a todo instante a imagem de Juliana, que sempre surgia chorando e implorando por sua vida e a da filha.
Eles escondiam o rosto, horrorizados.
O remorso, aos poucos, foi tomando conta de seus pensamentos.
Aquela imagem que, a princípio, fazia com que eles sentissem medo, agora os fazia sofrer ainda mais, por entenderem, finalmente, os crimes cometidos.
Um acusava o outro. Por tudo.
Não conseguiam ficar separados.
Quando tentavam se afastar, figuras horrendas apareciam, obrigando-os a ficar juntos.
Sentiam fome, e se desesperavam ao ver os corpos se descarnando.
Os gritos de agonia não paravam.
Mais uma vez, as imagens apareceram.
Juliana chorava:
- Não façam isso!
Não quero morrer.
Vou ser feliz novamente. Deixem minha filha em paz!
Ela é só uma criança.
Faço tudo o que quiserem.
Dou tudo que é meu, mas não façam mal para minha filha!
Horrorizados, os cúmplices se abraçavam e choravam.
Tentavam fugir, mas não adiantava:
para onde iam, as imagens os perseguiam.
Enquanto isso, na fazenda, Elvira agora era a dona de tudo.
Desde que tomara conhecimento disso, ficou sem saber o que fazer.
Não entendia nada de lavoura.
Sempre fora apenas uma empregada.
Criara Juliana e Virgínia, apenas isso.
Mandou chamar André, e ele prontamente atendeu seu pedido:
- A senhora me chamou?
- Sim. Preciso de sua ajuda.
Sei que sempre foi o homem de confiança do pai de Juliana, de Renato e, por fim, de Cássio.
Com a morte de todos, a fazenda ficou em meu nome.
Sabe muito bem que não entendo nada do assunto, por isso preciso de sua ajuda.
- Não se preocupe:
farei o possível para que nada mude.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:19 pm

Pode confiar. Tudo dará certo.
Realmente tudo deu certo.
Ele continuou cuidando da fazenda com muita competência, como sempre fizera.
Elvira, porém, apesar de ser dona de tudo, vivia sempre muito triste.
Enquanto eu viver, serei dona desta fazenda e de tudo o mais.
O que adianta tudo isso?
Não tenho mais minhas crianças.
Por causa disto tudo, crimes aconteceram.
Para quê? Para quê?
Estava assim na varanda pensando, quando viu uma carruagem na estrada de acesso à fazenda.
Curiosa, ficou olhando.
A carruagem se aproximou, parou em frente à escadaria e dela desceu Rogério.
Ao vê-lo, ela deu um grito:
- Senhor Rogério! Senhor Rogério!
Que bom que veio!
Ele, muito nervoso, subiu as escadas correndo e abraçou Elvira, que agora chorava muito.
- Como estou feliz por vê-lo aqui!
Quanto pensei no senhor durante todo esse tempo.
- Vim assim que recebi a carta.
Não consigo acreditar que Juliana fez aquilo.
Por favor, diga que ela não o fez.
Onde estão Virgínia e meu primo?
Ela percebeu que ele não sabia o que havia acontecido.
- Não, meu filho, ela não o fez.
Ela o amava muito, estava feliz esperando sua volta.
Assim como você, nunca acreditei em seu suicídio.
Vamos entrar, temos muito para conversar.
Ele, mais tranquilo por saber que Juliana não era culpada, acompanhou Elvira.
Sentaram-se à mesa que havia na sala.
Ela, chorando, contou tudo.
Ele a ouvia sem acreditar.
Seu primo sempre foi para ele um exemplo de bom carácter.
Por isso, ele o respeitava muito.
- Elvira, não pode ser.
Cássio não faria isso.
Não consigo acreditar no que diz.
- Sei o quanto custa acreditar, mas, infelizmente, aconteceu tudo do modo como lhe contei.
Ele e Virgínia tramaram contra a vida de Renato, de Juliana e de Helena, tudo por ganância.
De que adiantou?
Eles foram embora e tudo continua aqui do mesmo modo.
Os sentimentos de Rogério eram desencontrados.
Ele sentia muito amor e saudade de Juliana; ao mesmo tempo, ódio, desilusão e muita decepção em relação a seu primo.
- Elvira, diga-me que nada disso aconteceu.
Por favor, faça isso.
Não quero que seja verdade.
Ela se levantou e o abraçou.
Ele chorava violentamente.
- Infelizmente, não posso fazer isso.
Queria do fundo do meu coração, dizer o que me pede.
Mas não posso.
Aconteceu, realmente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:19 pm

Minhas crianças foram embora.
Voltaram para Deus.
Ele continuou ali chorando por muito tempo.
Depois se levantou e foi para o quarto de Juliana.
Entrou. Olhou para tudo.
Olhou para a cama, onde haviam sido tão felizes.
Deitou-se sobre ela e chorou, chorou por muito tempo.
Novamente, Juliana se lembrou dele e sentiu aquela dor que já havia sentido uma vez.
Correu para falar com Renato.
Encontrou o e contou-lhe o que estava acontecendo.
A dor não passava e ficava cada vez mais forte.
Foram juntos falar com Marina.
Ela ouviu o que Juliana tinha para contar.
Depois, disse:
- Ele está novamente pensando em você com muita dor.
Precisamos ajudá-lo, para que você mesma não sofra.
Vamos até ele.
Dêem-me suas mãos, fechemos os olhos e façamos uma oração, pedindo ajuda.
Assim fizeram.
Em poucos segundos, estavam na fazenda, dentro do quarto, onde Rogério chorava.
Juliana aproximou-se, colocou a mão no rosto dele e beijou sua testa.
Marina e Renato colocaram as mãos sobre a cabeça dos dois.
Uma luz branca saiu de suas mãos e os envolveu.
Juliana dizia:
- Rogério, meu querido, não precisa sofrer assim.
Estou muito bem.
Você também deverá ficar.
Somos filhos de um Deus maior que está sempre ao nosso lado, dando-nos todo o amor que tem e que é imenso.
Continue sua vida.
Você é bom, por isso nada deve temer...
Ele, que chorava muito, deitado sobre a cama, aos poucos foi se acalmando.
Via diante de si o rosto de Juliana sorrindo e falando da felicidade que sentia por tê-lo encontrado.
Sabia agora de toda a maldade que havia sofrido.
Foi se acalmando, levantou-se e voltou para a sala acompanhado pelos três amigos espirituais.
Encontrou EIvira, que, ainda sentada à mesa, continuava chorando.
Ao vê-la, Juliana correu para ela e abraçou-a com muito carinho.
- Querida EIvira, como estou feliz por revê-la.
Você foi à mãe que não tive.
Criou-me e cuidou de mim sempre com tanto carinho.
Não chore. Não sofra.
Estamos, agora, eu e Helena muito bem.
Ajude Rogério.
Ele, sim, precisa de suas palavras de consolo.
EIvira viu Rogério se aproximando.
Levantou-se e disse, sorrindo:
- Parece que, agora, está melhor, mais calmo.
Não sei meu filho, mas tenho a sensação de que Juliana e Helena estão muito bem e felizes.
Precisamos nos lembrar delas com carinho, mas nunca com dor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:19 pm

Demorei muito para entender isso, mas agora, não sei por que, estou sentindo que deve ser assim.
- Eu amei e amo Juliana com todo o meu coração.
Pela primeira vez em minha vida acreditei que seria feliz, mas nada disso aconteceu.
Por maldade, estamos, hoje, separados e de uma maneira sem volta.
Como posso aceitar sem me revoltar?
- Devemos confiar na vontade de Deus.
Estou feliz que tenha voltado.
Enquanto eu viver, serei a única dona de tudo que pertenceu à menina Juliana.
Depois, tudo passará para a igreja.
Infelizmente, suas posses foram o motivo de tanta ganância.
Não sei como cuidar disso.
André está tomando conta, e muito bem, mas você é a única família de Cássio, por isso acredito que seja quem tem o direito de tomar conta de tudo.
Estou velha e logo mais irei me encontrar com minhas crianças.
- Não estou entendendo onde está querendo chegar.
- Estou pedindo que fique aqui connosco, que cuide de tudo.
Rogério não respondeu no mesmo instante.
Saiu da sala, foi até a varanda.
Em seu pensamento, a imagem de Juliana voltou a surgir.
Reviu-a no dia em que chegou:
ele embaixo, descendo da carruagem; ela no alto, naquele mesmo lugar em que ele estava agora.
Quando a viu, sentiu que ela era a mulher de sua vida.
Fechou os olhos.
Marina, a seu lado, jogava sobre sua cabeça luzes coloridas.
Juliana ficou encantada com a beleza daquelas luzes.
Com um sinal feito com as mãos, Marina fez com que ela também estendesse as mãos.
Juliana obedeceu e, de suas mãos, também começaram a sair luzes.
Ela não acreditava e começou a rir.
Renato fez o mesmo gesto.
Rogério ficou totalmente envolvido por aquelas luzes.
Sentindo um bem-estar profundo, voltou para a sala.
Chegou junto de Elvira, que o olhava ansiosa para saber sua resposta.
Ele se sentou em uma cadeira à sua frente e disse:
- Pensei bem, e estou sentindo como se Juliana estivesse aqui, agora, ao nosso lado.
Sinto que ela quer que eu permaneça aqui. Assim farei.
Ficarei e não deixarei que nada se destrua.
Continuarei vivendo com a certeza de que um dia estarei a seu lado.
- Obrigada, meu filho.
É isso mesmo o que estou sentindo.
Ela está aqui...
Juliana olhou para Marina, que sorriu e disse:
- Agora está tudo bem.
A vida continuará para eles.
Os problemas normais da vida surgirão, o que fará com que aos poucos se envolvam com outros assuntos e lembrem-se cada vez menos de tudo que aconteceu, mas, quando se lembrarem, será uma saudade boa.
Juliana, abraçada a Elvira, disse:
- Como posso perdoar aqueles dois que, além de fazerem tanto mal à minha família, atingiram também estes meus dois queridos?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:20 pm

Não precisavam estar sofrendo assim.
Nunca poderei perdoar.
Marina apenas sorriu.
- Agora que tudo está bem por aqui, podemos voltar.
Temos muito trabalho.
Vamos embora?
Abraçaram-se e pouco depois estavam de volta a seu lar actual.
O tempo passou.
Juliana e Renato estavam cada vez mais juntos, porém Cássio e Virgínia continuavam vivendo o horror que eles mesmos haviam criado para si.
Continuavam correndo, escondendo-se, sempre juntos, porque tinham medo de ficar sozinhos.
Brigavam muito, trocando acusações e responsabilizando-se um ao outro por toda aquela situação.
Corriam de um lado para outro.
Sentiam fome, frio.
Aos poucos, foram entendendo por que estavam ali.
Choravam muito e, nessas horas, se abraçavam.
Em determinado momento, Virgínia falou, quase gritando:
- Cássio, que foi que fizemos?
Nós destruímos três vidas...
Por quê? Para quê?
Cássio a ouviu e também começou a chorar, pois percebia agora a inutilidade de tudo.
- Tem razão.
Nossa ganância, nossa covardia nos conduziu até aqui.
A fazenda, o dinheiro estão lá, no mesmo lugar.
Tem razão. O que fizemos? Para quê?
Mais uma vez os cúmplices se uniram e se abraçaram só que desta vez estavam unidos na dor e no arrependimento.
Muito tempo se passou.
Cássio e Virgínia não sabiam precisar quanto.
Viviam escondidos e protegendo-se mutuamente.
A inimizade que a princípio existia entre os dois foi se tornando, com o tempo, uma necessidade imperiosa de ficarem juntos.
Desesperada, Virgínia disse:
- Cássio, deve existir um meio de repararmos todo o mal que fizemos.
Minha mãe sempre dizia que há um Deus bom e generoso que nunca nos abandona e nos perdoa sempre.
Se for verdade, ele deve estar nos vendo agora.
Deve estar vendo o quanto me arrependo de todo o mal que fiz.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:20 pm

PERDIDOS NO VALE
Cássio estranhou as palavras de Virgínia.
Sentia que ela estava diferente.
- O que está dizendo?
Parece outra pessoa.
Virgínia agora chorava desesperada:
- Talvez eu seja mesmo.
Sinto muito arrependimento por tudo o que fiz.
Se minha mãe tinha razão, deve existir um Deus.
Meu Deus, perdão por todo o mal que pratiquei.
Hoje, entendo a inutilidade de tudo.
Juliana, onde você está?
Onde estiver, ouça-me, por favor.
Perdão... perdão!
Juliana, embora continuasse trabalhando, às vezes se lembrava dos dois traidores.
Nesses momentos, fazia um esforço enorme para não sentir ódio, mas, na maioria das vezes não conseguia.
Naquele dia, conversava com Renato, quando a lembrança de Virgínia chegou com muita força.
Ficou reflectindo por um instante e disse:
- Renato, estou pensando muito em Virgínia.
Como será que ela está?
Renato fechou os olhos.
Após alguns minutos, disse:
- Não sei, mas se quiser poderemos tentar encontrá-la.
Você quer?
- Não sei por que, mas hoje estou pensando muito nela e em Cássio também.
Acredita que possamos realmente ir até eles?
- Iremos descobrir agora mesmo. Venha.
Foram procurar Marina e a encontraram em sua sala, trabalhando, como sempre.
Juliana contou a ela o que estava sentindo.
Após ouvi-los, falou calmamente:
- Está bem. Vou falar com alguns amigos e iremos procurá-los.
Com uma única condição: não podemos interferir.
Apenas veremos como estão.
Está bem assim?
Concordaram e saíram da sala.
Juliana via diante de si Virgínia, não àquela que lhe disse todas aquelas coisas horríveis na noite em que a assassinou, mas sim a do tempo em que eram crianças e ela estava sempre a seu lado, protegendo-a e ajudando-a.
Após alguns dias, Marina chamou-os:
- Podemos ir agora, estamos prontos.
Vocês também estão?
Responderam juntos:
- Sim, quando iremos?
- Agora mesmo. Alguns amigos nos acompanharão.
Eles devem chegar dentro de alguns minutos.
Pouco depois, entraram na sala quatro pessoas.
Marina os recebeu com um sorriso, dizendo:
- Sejam bem-vindos.
Sabem que nossa jornada será difícil, para isso temos de nos preparar.
Vamos dar as mãos e pedir ajuda a Deus nosso Pai.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:20 pm

Deram-se as mãos, fecharam os olhos, e ela começou a falar:
- Senhor, meu Pai.
Estamos aqui, neste momento, iniciando uma viagem em busca de conhecimento e de nossos irmãos, Virgínia e Cássio.
Sabemos que ela é longa e perigosa.
Colocamo-nos em Suas mãos, sabendo que nos protegerá de todo o mal.
Permita Senhor, que, se for possível, possamos trazer de volta aqueles seus filhos pródigos.
Saíram e dirigiram-se ao vale.
Quando chegaram, Virgínia e Cássio estavam abraçados, ajoelhados. Virgínia dizia:
- Pai de infinita bondade, nunca acreditei muito em sua existência, mas hoje acredito e sei que é o único que poderá nos perdoar e nos dar uma nova chance.
Hoje, entendemos toda a extensão de nossos erros.
Sabemos da inutilidade de todo o mal que praticamos.
Não sabemos se poderemos um dia corrigir tudo.
Mas, Pai, a única coisa que podemos fazer neste momento é do fundo de nosso coração, pedir perdão.
Perdão e perdão.
Juliana... Renato... sabemos, também, que devem estar em um lugar muito bom, pois foram apenas vítimas em nossas mãos.
Perdão... perdão... perdão...
Ao ouvir aquilo, Juliana gritou:
- É mentira! Ela como sempre, está mentindo! Nunca vou perdoar. Nunca. Nunca!
Marina a abraçou:
- Entendo o que está sentindo, mas ela não está mentindo.
Se assim fosse, não estaríamos aqui com ela.
Cristo, quando esteve na Terra, nos ensinou que devemos perdoar setenta vezes sete.
Quando rezamos o pai-nosso, dizemos:
Perdoai nossas dívidas como perdoamos a nossos devedores.
Pense bem. Em suas mãos estão esses dois irmãos que caíram, mas que agora buscam, através de um arrependimento sincero, um modo de se redimir de todo o mal que praticaram.
Juliana chorava, abraçada a Renato, que disse:
- É isso mesmo, meu amor.
Está em nossas mãos.
Apesar de tudo, hoje, somos felizes.
Estamos juntos, trabalhando para nossa evolução.
Eles, ao contrário, perderam uma chance imensa de aproveitar a vida que tiveram para aprender e crescer.
Para que continuarmos odiando?
- Não sei o que fazer Renato.
Eles nos fizeram tanto mal.
Mas acredito que tenha razão.
Estamos juntos e felizes...
No instante em que Juliana se desarmou, uma luz os envolveu e todos ficaram visíveis.
Virgínia e Cássio, ao vê-los, começaram a chorar, agora com muito mais força.
- Juliana! Renato!
Vocês estão aqui.
Obrigada, meu Deus.
Perdão... perdão... perdão...
Dessa vez, Juliana ficou realmente emocionada.
À sua frente, estavam aqueles dois há quem um dia ela muito amou.
Não eram nem sombra do que haviam sido.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:20 pm

Sujos e rasgados, com o rosto descarnado.
Ela, por um momento, esqueceu o mal que lhe fizeram, lembrou-se apenas da grande amizade que os unia.
Aproximou-se, os abraçou e disse:
- Eu perdoo, acredito que já tenham sofrido muito.
Venham connosco, vamos tirá-los deste lugar horrível.
Ficarão muito bem.
Aprendi que tudo está sempre certo.
Quem sou eu para julgar?
Vamos embora.
Eles choravam muito.
Juliana os levantou e olhou para Renato, que, juntamente com os outros, sorria.
Uma imensa luz iluminou o caminho por onde todos regressaram.
Farias permanecia sentado, quase caindo da poltrona.
Nesse instante, enquanto na tela Juliana levantava os dois, ele, baixinho, com a voz embargada e com lágrimas que insistiam em cair, disse:
- Damião, como ela conseguiu nos perdoar?
Nós não merecíamos perdão.
O que fizemos foi terrível.
Damião fez novamente com que a tela congelasse.
Olhou para Farias, dizendo:
- Deus, nosso Pai, é justo e maravilhoso.
Concede a todos, pecadores ou não, o direito ao perdão.
Abençoa-nos sempre.
Sua Lei é implacável, mas também magnânima.
Ele fica feliz quando vê um filho retornando para o caminho do bem, Farias.
- Neste momento, só posso agradecer a Juliana, e muito, muito a Deus e à Sua Lei maravilhosa.
Damião olhou para Duarte, que permanecia sentado ao lado.
Os dois sorriram e a imagem na tela voltou a se movimentar.
Cássio e Virgínia foram levados para o hospital.
Estavam como que alucinados.
Mesmo ali, naquele lugar acolhedor, por muitas vezes lembravam ou viam aquelas figuras horrendas que os perseguiram durante tanto tempo.
Nesses momentos, gritavam e queriam fugir.
Juliana, pacientemente, conversava e acalmava os dois.
Nesse instante, a tela novamente parou, mas desta vez por ordem de Damião.
Farias permanecia calado.
Damião disse:
- Está tudo terminado, podemos voltar.
Sei que agora você está preparado para dar sua sentença.
Aprendeu a usar a Lei.
Ela está aí para isso mesmo.
- Mas ainda não entendi como Juliana pôde se transformar na Márcia má e mesquinha de hoje.
Nem como Virgínia se tornou aquela mulher iluminada.
- Se é assim que deseja, continuemos assistindo.
As imagens recomeçaram.
Farias, agora, olhava tudo com mais atenção.
Na tela, apareceu Juliana conversando com Virgínia e Cássio.
Ela dizia:
- Estou muito feliz por ver que estão muito bem.
Tudo aquilo terminou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:21 pm

Cássio pegou sua mão e a beijou:
- Devemos tudo isso a seu perdão e amor.
Sabemos, agora, que sempre nos amou.
Esse amor foi mais forte que o ódio, por isso conseguiu esquecer o que lhe fizemos e nos perdoou.
Você nunca mudaria.
Sempre foi boa e generosa.
- Engana-se. Apesar do perdão que lhes dei, e foi sincero, sinto que nunca mais serei a mesma.
Sinto que nunca mais poderei confiar em alguém.
Venham comigo.
Ela os levou até um grande pátio, onde Helena brincava com outras crianças.
Ao vê-la, Virgínia e Cássio pararam.
Não tiveram coragem de se aproximar.
Juliana pegou-os pela mão e levou-os até ela.
Ao vê-los, Helena correu com os braços abertos:
- Tia Virgínia! Tio Cássio!
Que bom que vieram!
Estava com muita saudade.
Virgínia não suportou.
Abraçou-se à menina e, chorando, beijou-a com muito carinho, enquanto dizia:
- Minha menina! Como está bonita!
Também pensei muito em você.
Também senti muita saudade.
Perdão, minha querida... perdão...
- Perdão por quê? Juliana interferiu:
- Titia está pedindo perdão por causa do longo tempo que nos abandonou.
- Isso não faz mal.
Agora ela está aqui.
E não vai mais embora, não é, Virgínia?
- Sim. Vou ficar aqui até quando for possível.
Cássio também se abaixou e a beijou.
Não pediu perdão em voz alta, mas em pensamento:
Perdão, minha querida, perdão.
É só isso que posso dizer no momento.
Helena os apresentou às outras crianças que se aproximaram e dizia com orgulho:
- Estes são meus tios.
Vieram me visitar.
Virgínia, em poucos minutos, estava contando histórias para as crianças.
Juliana pegou na mão de Cássio e se afastaram.
Ela disse:
- Agora, ela ficará melhor do que já estava.
As crianças têm muito para nos ensinar.
- O que me deixa admirado é ver tantas crianças por aqui, Juliana.
Sabemos que o espírito não tem idade, que todos estamos crescendo espiritualmente já há muito tempo.
O certo seria que as crianças, assim que deixassem o corpo, voltassem a ser adultos.
- Não sei responder a isso.
Para ser sincera, nunca pensei a respeito.
Estou feliz por Helena continuar sendo minha menina.
Quando encontrar Marina, vou perguntar.
Talvez ela possa nos esclarecer, mas isso não tem muita importância.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Jun 14, 2017 7:21 pm

Iam saindo, quando encontraram Renato:
- Estava procurando-os.
Marina quer lhes falar.
Cássio, você está muito bem.
Mas Virgínia, onde está?
Juliana, sorrindo, apontou para Virgínia ao lado de Helena e das outras crianças. Renato sorriu:
- Ela também parece que está muito bem.
- Está sim. Terá, agora, a oportunidade de ficar ao lado de Helena e recompensar com seu carinho todo o mal que lhe fez.
- Fico feliz por isso, mas, agora, vamos conversar com Marina?
Foram até ela, que, como sempre, os recebeu, sorrindo:
- Que bom que vieram!
Precisamos conversar a respeito de como estão se sentindo aqui.
Juliana, já sei que está muito bem.
Preciso saber de você, Cássio.
Como está se sentindo?
- Nem sei como dizer.
Nunca estive tão bem!
Sei hoje todo o mal que fiz.
Mas sei também que Deus é nosso Pai e que me dará uma chance de consertar todo o mal que pratiquei.
Preciso compensar Juliana, Renato e Helena.
Só não sei como.
- Não se preocupe com isso, tudo tem seu tempo, Cássio.
Por enquanto, procure apenas aprender o máximo que puder sobre a Lei.
- Assim farei Marina...
Marina sorriu.
Estava se despedindo, quando Juliana disse:
- Marina, antes de irmos embora, queria lhe fazer uma pergunta. Posso?
- Claro que sim.
O que quer saber?
- Cássio chamou minha atenção para algo que nunca havia pensado antes.
Se todos nós somos espíritos antigos, seja renascemos muitas vezes, como podem existir tantas crianças aqui?
Com sua tranquilidade de sempre, Marina sorriu, respondendo:
- Também estranhei quando aqui cheguei, mas aprendi que a Lei é sábia.
Imaginem se, ao acordar aqui, vocês olhassem para um espelho e fossem uma outra pessoa.
O que sentiriam?
Juliana e Cássio se olharam.
- Muito medo - respondeu Juliana.
- Exactamente. Sentiriam muito medo e não aceitariam a realidade.
Por isso, quando regressamos, mantemos sempre a mesma aparência da última encarnação.
Após algum tempo, após entendermos e até relembrarmos de existências passadas, podemos apresentar a imagem que quisermos.
Muitos usam as de outra encarnação, ou continuam com a última.
Algumas das crianças que vieram, assim como Helena, são recém-chegadas.
Outras preferiram continuar sendo crianças.
Continuarão assim até que queiram mudar.
A maioria diz que os pais que estão na Terra sempre se lembram delas como crianças, e assim elas recebem com mais facilidade os pensamentos de carinho que eles lhes mandam.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 70131
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: NADA FICA SEM RESPOSTA / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 9 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum