O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Página 10 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:30 pm

Chego até a pensar que Deus realmente não existe, pois, se existisse, não permitiria que algo assim acontecesse.
Não sei, mas parece que está tudo errado nessa vida.
Deve estar brava por eu não ter cuidado da Maria.
Estava envolvido com o trabalho, mas deverias ter notado que ela estava magra e mal nutrida e que vivia sempre triste, mas não notei.
Nunca imaginei que Carmem fosse uma doente e que fizesse todas aquelas barbaridades com ela, mas prometo que ela não vai sofrer nunca mais.
Tomarei cuidado e prestarei mais atenção.
Eu amei você verdadeiramente e amo sua filha.
Não sei explicar o que aconteceu, mas hoje amo Berenice.
Apesar de ter certeza de que ela me ama, entendo por que não quer ir comigo para uma aventura que não sei se vai dar certo.
Não posso ficar bravo por isso.
Ela tem medo da pobreza que não conhece e eu, que conheço, sei que tem razão.
O que tenho para lhe oferecer?
Nada! Não sei se vou viajar.
Não posso levar a Maria, porque não tenho quem cuide dela nem um lugar para ficar, mas, por outro lado, se continuar aqui, nada vai mudar e eu não vou poder dar, para ela nem para Berenice a vida que merecem.
Não sei o que fazer.
Sei que deve estar em um lugar muito bom, porque você, como diz Maria, era um anjo. Por isso, vou pedir, que, por favor, se puder me ajude.
Estou perdido e sem saber que rumo tomar.
Onde estiver, receba meu beijo, carinho e muita saudade.
Ainda amo você.
No mesmo instante, bolas de luz partiam da cabeça de Rafael e atingiam Lola que, ao recebê-las, sentiu muita paz e vontade de chorar de tanta emoção.
Olhou para Isabel e Manolo que sorriram.
— Está vendo, Lola, era disso que eu estava falando.
Viu o que pode fazer um pensamento de amor?
Que paz e felicidade trazem?
Lola, com lágrimas nos olhos e emocionada, não conseguiu falar.
Isabel, sorrindo, olhou para sua mão.
Lola, entendendo, também sorriu e estendeu as mãos e delas saíram luzes que atingiram o coração de Rafael directamente.
Assim que as luzes o atingiram, Rafael deu um suspiro profundo e, sorrindo, pensou:
Você está aqui, Lola.
Posso sentir a sua presença.
Obrigado por estar ao meu lado.
Sorrindo e com as forças renovadas, abaixou-se e molhou o rosto com aquela água límpida que, alheia a tudo que acontecia, continuava correndo, indo para longe, conhecer outros recantos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:30 pm

Decisão de vida
Rafael estava distraído em seus pensamentos.
Não viu quando Berenice se aproximou e se sentou ao seu lado.
Assustado, perguntou:
— O que está fazendo aqui, Berenice, há esta hora?
Alguém pode nos ver!
— Não me preocupo mais com isso, Rafael.
— O que está dizendo?
— Que não me preocupo mais com isso.
— Alguém pode nos ver e contar para o seu pai.
— Eu já contei.
— O quê?
— Eu já contei tudo sobre nós.
— Por que fez isso?
— Depois que Carmem e a mãe da Maria morreram tão jovens, fiquei pensando que não sei por quanto tempo vou viver.
Poderá ser muito, como também poderá ser pouco.
Portanto, se eu viver muito, vou ter uma vida infeliz ao lado de um homem de quem não gosto e se eu viver pouco, deixarei de ficar ao seu lado, o amor da minha vida.
Por isso, decidi que prefiro lutar ao seu lado por uma vida melhor do que ser infeliz sem você.
Ele abraçou-a e beijou-a com carinho:
— Disse isso ao seu pai?
— Disse. Ele ficou muito bravo e, como sempre, falou a mesma coisa.
Que estou fazendo isso porque sou mulher e não penso e que, por eu ser mulher, devo obediência a ele e que, também por ser mulher, não tenho capacidade para escolher o que eu quero para a minha vida.
Ele já havia decidido que eu ia me casar com aquele homem que tem muito dinheiro.
Se eu for embora com você, posso me esquecer de que sou sua filha, vai me tirar do testamento e vou ficar sem nada.
Disse que quer ver como eu vou viver sem o dinheiro dele e sem tudo aquilo que ele me dá e a que estou acostumada.
— O que disse a ele?
— Que eu, justamente por ser mulher, precisava provar a ele e a mim mesma ser capaz de me cuidar e que não seria mais comprada pelo dinheiro dele ou de outro homem qualquer.
Sou mulher, mas tenho um cérebro, muitas vezes melhor do que o de qualquer homem, portanto, sou igual!
A mulher precisa ser livre, Rafael!
Não pode continuar vivendo à sombra do homem, sendo dominada, vendida como se fosse escrava e como meu pai quer fazer.
Nunca mais vou aceitar isso dele ou de qualquer outro homem!
Foi por isso que eu disse que escolhi ficar ao seu lado.
Lutaremos juntos por uma vida melhor!
A vida é muito curta, se não fizer isso agora, talvez não tenha tempo de fazer nunca mais!
Talvez eu morra antes disso!
Não sei o que vai acontecer, mas essa é a minha contribuição para que, no futuro, a mulher seja livre, tome conta da sua vida e do seu destino, escolha com quem quer se casar.
Como você disse, não preciso esperar que minhas filhas ou minhas netas façam isso, eu estou começando!
— Não devia ter feito isso, Berenice.
Ele tem razão.
O que tenho para oferecer a você?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:30 pm

Nada! Estava indo embora para tentar uma vida melhor.
Nem sabia se ia dar certo, mas precisava fazer, agora...
— Agora o quê, Rafael?
— Não posso mais ir embora.
Não tenho como levar Maria comigo, nem posso deixar que ela fique sozinha.
Depois do que aconteceu não confio em mais ninguém.
Quando sua mãe morreu, eu prometi que cuidaria bem dela, mas não cumpri essa promessa.
Não me dei conta do quanto ela estava sofrendo e isso não vou me perdoar nunca...
— Não teve culpa.
Não podia saber o que acontecia.
Quanto a ir embora, precisa ir, pois, se continuar aqui, nunca terá o seu negócio de ferro com que tanto sonha.
Precisa fazer isso, Rafael.
Não pode desistir.
— Quero me convencer disso, mas devia ter prestado mais atenção à Maria.
Percebendo que ele não entendia ou não ouvia o que ela dizia, irritada, se levantou:
— Pare com isso, Rafael!
Pare de se fazer de vítima!
— O que está dizendo?
Estou desconhecendo você!
— É para desconhecer, mesmo!
Depois que tive a coragem de dizer tudo o que disse ao meu pai, sou outra mulher!
Quero ficar ao seu lado para sempre, mas se for para lutarmos juntos.
Agora, se for para ver você dessa maneira, derrotado e se destruindo, eu não quero você, vou embora sozinha!
— Parece que você não viu o que aconteceu com a Maria!
Não viu o quanto ela sofreu nas mãos daquela louca?
— O que ela passou, não tem como se esperar que não sinta e que se esqueça facilmente!
Não temos como consertar o que foi feito.
Daqui para frente, você deve se preocupar em lhe dar uma boa vida para que possa crescer tranquila.
Ela é ainda muito pequena, com o tempo, esquecerá.
Ficar do jeito que você está não vai ajudar Maria, você e muito menos a nós!
— Não estou entendendo o que está falando!
Sabe que não posso deixar que ela fique sozinha!
— Todos na fazenda a adoram, ainda mais depois do que aconteceu.
Pode deixar com qualquer um ou com todos, ela será bem tratada.
Além do mais, eu, indo com você, cuidarei dela com todo amor e carinho e farei com que se esqueça desse tempo ruim por que passou.
— Você vai cuidar dela?
— Sim, por que não!
É apenas uma criança e, por sinal, linda!
— Em você eu confiaria.
Mas, como você disse, não temos dinheiro, vamos ter de trabalhar os dois.
Não podemos levar Maria!
— Ela não vai ser problema alguma.
Quando resolvermos o que faremos com a nossa vida, tudo isso se arranjará.
O importante é que fiquemos juntos e, com nosso amor, consigamos superar todos os problemas que estão por vir.
Eu amo você, Rafael...
— Embora esteja feliz, estou também com um pouco de medo de que você se arrependa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:30 pm

— Esse é problema meu Rafael.
Não sei se vou me arrepender ou não, só sei que preciso fazer.
É melhor me arrepender por não ter dado certo do que por não ter feito.
— Está bem, meu amor.
Vamos ser felizes!
Beijaram-se novamente.
— Agora preciso ir.
Minha avó vai chegar a qualquer momento, estou morrendo de saudade dela.
Depois, vamos conversar e marcar o dia de irmos embora.
— Seu pai vai permitir?
Não vai fazer nada para impedir?
— Ele disse que não.
Também não está acreditando que eu vá embora.
Disse que não vai mais me dar dinheiro, acha que vou desistir, mas não vou.
Agora vou embora.
Ela se afastou e ele, com o coração cheio de amor e felicidade sorriu ao vê-la se afastando.
Depois, voltou a sentar e a pensar:
Tudo vai dar certo.
Preciso pensar assim!
Preciso ter esperança!
Agora vou conversar com os meninos.
Com a morte de Carmem, eles ficaram sozinhos, mas eu vou continuar ao lado deles.
São muito garotos e ainda não podem ficar sozinhos.
Quando tudo der certo na minha vida, como acho que vai dar, eu venho buscar os dois e, se Julian quiser, vai poder ir também.
Embora tenha quase me matado, entendo tudo por que estava passando e a força que tem o amor e muito mais o desejo.
Levantou-se e foi embora.
Quando estava passando pela casa-grande, viu que uma carruagem se aproximou e que dela desceram duas senhoras.
Berenice desceu a escada correndo e abraçou uma delas, depois, pareceu ser apresentada à outra e entraram.
Essa deve ser a sua avó.
Assim que elas entraram, ele, sabendo que poderia passar sem ser visto, fez isso e foi ao encontro de Julian.
Quando se aproximou, viu que Maria brincava feliz, com os filhos de Josefa. Sorriu:
Agora ela está feliz.
Foi para a casa de Julian. Entrou.
— Olá, Julian. Podemos conversar?
— Claro que sim, Rafael.
Entre, sente-se aí. Estou terminando de coar café.
Rafael sentou-se.
Julian serviu o café e, enquanto bebiam, ele contou tudo o que havia conversado com Berenice e terminou, dizendo
— Não sei se tudo vai sair como estamos planeando, mas acredito que sim.
A vontade é imensa.
Quando isso acontecer, não vou me esquecer de você nem dos rapazes.
Volto aqui e todos vão embora comigo.
— Nunca esperei outra coisa de você que não fosse isso, Rafael.
Sei que não mereço, por isso agradeço muito pelo que quer fazer por mim.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:31 pm

— Tudo aquilo já passou, Julian.
Fomos enganados. Daqui para frente, precisamos pensar só no futuro.
— Obrigado, meu amigo.
Agora, vá em paz.
Vamos ficar aqui torcendo por vocês.
Falou em levar Maria.
Penso que não deveria fazer isso, Rafael.
Não sabe como vai ser a vida de vocês.
Pelo visto, Berenice com toda sua força, vai querer trabalhar e Maria seria um empecilho
Por isso, pode deixar que ela fique aqui.
Além de mim, todos vão cuidar Mela.
Ela pode ficar bem com Josefa que, praticamente, já a adoptou.
— Não sei Julian.
Prometi que ia cuidar dela.
— Ela não ficará desamparada, Rafael.
Quando voltar, ela vai estar aqui esperando por você, linda e feliz.
Pode ter certeza disso.
Ela vai estar bem e muito feliz por sua volta.
— Vou pensar Julian, e conversar com Berenice.
Saiu dali e foi até Maria que brincava feliz com os filhos de Josefa.
Olhou e ao ver que ela estava bem, não quis interromper, apenas sorriu e pensou:
Lola, acho que agora ela vai ser feliz.
Lola ouviu e, sorrindo, disse:
— Eu também, Rafael... Eu também.
Obrigada por ser quem é...
O destino de cada um
No dia seguinte, no horário de sempre, Rafael foi para o rio, no mesmo lugar onde se encontrava com Berenice.
Ficou lá por algum tempo, mas ela não apareceu.
Depois de muito esperar, pensou:
Ela não veio.
Seu pai não deve tê-la deixado sair.
Sabia que ele ia fazer de tudo para impedir aquilo que ele julga ser uma loucura.
Pensando bem, não posso dizer que está errado, pois eu mesmo não sei se o que estou fazendo é o certo.
Berenice tem razão em escolher a segurança que o casamento com um homem rico pode lhe dar.
Depois de se convencer de que ela não viria, foi embora.
Estava passando, quando viu que a mesma carruagem se aproximava.
Escondeu-se e, quando ela passou por ele, pôde ver que dentro estava Berenice e as duas senhoras.
Ela está indo embora.
Sua avó deve ter conversado com ela e ela entendeu que o nosso amor nunca ia dar certo.
Como pude imaginar que ela ia largar tudo a que está acostumada para ter uma vida de pobreza?
Isso a nunca ia acontecer.
Agora, preciso pensar o que e como vou fazer.
Vou ter, mesmo, de deixar Maria aqui, mas, como disse o Julian, não vai ter problema, pois todos vão cuidar dela.
Preciso ir e vencer!
Sentiu o coração apertado e lágrimas querendo cair por seu rosto.
Apertou os olhos para impedi-las e foi para casa.
Julian chegou e ele contou o que havia acontecido.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:31 pm

— Você está se precipitando, Rafael.
Não sabe o que aconteceu realmente.
— Vi quando ela foi embora.
A avó e o pai devem tê-la convencido de que o melhor seria, mesmo, ir para a Espanha e se casar com aquele homem.
— Está bem, já que pensa assim, não tenho o que fazer.
E agora?
— Vou continuar com meus planos.
Preciso deixar Maria aqui com vocês, mas vou voltar o mais rápido possível.
— Quanto a isso já disse para não se preocupar.
Pode ir tranquilo, Rafael.
Ela vai ficar bem aqui.
— Você é mesmo um grande amigo.
— Por mais que eu faça nunca vou me perdoar por aquilo que quase fiz.
— Esqueça disso, meu amigo.
Vamos pensar no futuro.
Agora preciso conversar com Maria e explicar o que vou fazer e o porquê.
Saiu dali e foi encontrar Maria que ainda brincava.
Assim que se aproximou da menina, ela o viu e correu para abraçá-lo.
Ele, depois de abraçá-la, disse:
— Preciso ir embora, Maria.
Não se preocupe, vai ter de ficar aqui, mas vai ser por pouco tempo.
Vai ser difícil ficar longe de você, mas prometo que volto o mais rápido que puder.
Acha que pode ficar sem mim?
Ela olhou para Josefa que acabara de sair da casa e ouviu o que Rafael dizia. Sorriu:
— Pode ir, pai.
Agora eu tenho uma mãe.
Rafael olhou para Josefa:
— Pode ficar com ela, Josefa?
Vai ser por pouco tempo.
— Não se preocupe Rafael.
Pode ir sossegado.
Ela vai ficar bem.
Vou cuidar dela como se fosse minha filha, como cuido dos meus filhos.
— Obrigada, Josefa.
Não sei como agradecer, só Deus mesmo pode fazer isso.
Emocionada, Josefa sorriu e, com a voz embargada, gritou:
— Vamos entrar crianças, está na hora de comer.
Rafael, tranquilo por saber que Maria ficaria bem, entrou em casa, pegou suas poucas roupas, colocou-as em uma das malas que trouxe na viagem e com tudo pronto, pensou:
Amanhã vou embora.
Fui um louco em achar que uma mulher como Berenice ia deixar tudo o que tem para viver ao meu lado.
Embora esteja triste, pela Maria e por mim, preciso ir embora e tentar uma vida melhor.
Sei que vou conseguir.
Colocou a mala no chão e saiu.
Estava entardecendo.
Naquela noite, se despediria de Maria, pois, quando saísse pala manhã, ela estaria dormindo e não gostaria de acordá-la.
Assim que saiu, viu que Berenice se aproximava acompanhada pelas duas mulheres:
— Que está fazendo aqui, Berenice?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:31 pm

— Minha avó e a dona Maria das Graças queriam conhecê-lo e à Maria também.
Onde ela está?
— Na casa da Josefa, deve estar jantando.
Pensei que tivesse ido embora.
— Por que pensou isso?
— Vi quando vocês saíram na carruagem.
Pensei que estivessem voltando para a Espanha...
Elas se olharam e sorriram.
Olga, a avó de Berenice, foi quem falou:
— Estava enganado, meu rapaz.
Não estávamos indo para a Espanha.
Fomos somente até a cidade.
— Não estou entendendo...
— Sei que não está, mas não se preocupe, logo entenderá.
Não tem um lugar onde eu possa me sentar.
Já estou velha, portanto me canso à toa. — disse rindo.
Rapidamente, ele puxou dois bancos feitos de madeira que estavam ali e elas se sentaram.
Ele e Berenice ficaram em pé.
Sem entender o que estava acontecendo, ele olhava ora para Berenice, ora para a avó.
— Queria conhecer o homem que virou a cabeça da minha neta.
Agora que estou conhecendo, descobri o que aconteceu.
Ela tem razão, você é um belo homem.
Ele, envergonhado, abaixou a cabeça.
— Não fique assim.
Você sabe que é bonito, mas a minha visita tem outra razão.
Ele, intrigado, voltou a olhar para ela, que continuou:
— Quando a Berenice me contou o que estava acontecendo e que meu filho disse que ia deixá-la sem dinheiro algum, me revoltei e me lembrei do que tinha acontecido na minha vida.
Também, por ser mulher, tive de obedecer ao meu pai, abandonei o homem que amava, me casei com outro que eu mal conhecia e fui infeliz pelo resto da minha vida.
Não tive a coragem que Berenice está tendo.
A única coisa que posso fazer agora é ajudá-la no que for possível.
Já estando velha e, com a vinda de Berenice para cá, mesmo que voltasse para se casar, iria embora com o marido e eu ficaria sozinha.
Achei que a melhor solução seria vender todos os meus bens e passar o resto do tempo que me falta ao lado da minha família.
Ainda sem entender o que significava tudo aquilo, Rafael olhou para Berenice, que sorriu.
A senhora continuou:
— Tenho muito dinheiro e pouco tempo para gastar.
Vocês estão começando a vida e vão precisar de dinheiro.
Hoje, pela manhã, fomos até o banco na cidade e peguei uma boa quantia para que possam começar.
Com esse dinheiro, você vai poder iniciar o seu negócio sem problema algum e logo estará muito bem, desde que permita que minha neta trabalhe e lute ao seu lado e seja uma mulher com sua própria opinião e, por fim, prove que a mulher pode pensar e agir, pode ser livre para escolher o seu destino.
O resto do dinheiro vai ficar no banco.
Instruí o gerente de que esse dinheiro é todo de Berenice e ela poderá pegar quando quiser.
Ela foi à primeira da família que teve essa coragem.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:33 pm

Estive pensando que, se eu tivesse tido a coragem que ela teve e feito o que ela fez, hoje, a história não se repetiria, pois ela já seria uma mulher livre.
Ela lhe entregou um pacote.
Rafael não imaginava a quantia de dinheiro que tinha dentro, mas, pelo tamanho, podia deduzir que era muito.
Ele, abismado, olhou para Berenice que sorria.
A senhora continuou:
— Sei que está louco de vontade de abraçar minha neta, pode fazer! Faça de conta que não estamos aqui.
Eles abraçaram-se, felizes.
Nesse instante, Maria saiu da casa de Josefa e, ao ver aquelas senhoras, tímida, se aproximou de Rafael que ao vê-la, pegou-a nos braços e rodou-a.
Sem saber o que estava acontecendo, ela somente ria.
A senhora que estava acompanhando Olga, vendo tudo o que acontecia, sorria e, ao ver Maria, seus olhos encheram-se de água.
Olga percebeu:
— Vamos, Maria das Graças, faça o que tem vontade.
Ela, olhando para Maria e, com os olhos cheios de lágrimas, disse:
— Maria, venha até aqui.
Tímida e sem entender, a menina olhou para Rafael que, com a cabeça, concordou.
Assim que se aproximou, a senhora pegou suas mãozinhas e, olhando em seus olhos, tentando não chorar, disse:
— Meu nome é Maria das Graças e sou sua avó.
Ao ouvir aquilo, Rafael, surpreso, olhou para Berenice que, com a cabeça, fez um sinal para que continuasse ouvindo.
Maria das Graças continuou, agora olhando para Rafael:
— Meu marido morreu e eu fiquei sozinha.
Quando isso aconteceu, percebi que o dinheiro e tudo mais não passavam de ilusão.
Meu marido, que foi sempre tão apegado a ele, morreu e nada levou.
Por causa de dinheiro, ele afastou nosso único filho.
Não pude nem ir ao seu enterro nem conhecer minha neta.
Vendi tudo o que tinha e me dediquei a encontrar você, Maria.
Sabia que devia estar em algum lugar aqui, no Brasil.
Através de Maria Augusta, a mãe de Berenice, soube que, na época, tinham vindo para cá muitos imigrantes.
Com o coração cheio de esperança vim e, quando cheguei, Berenice me contou toda a história.
Descobri que minha neta estava aqui sendo criada por você.
Sei que sofreu muito nas mãos de uma mulher ciumenta, mas agora todo sofrimento terminou.
Ao ouvir aquilo, Rafael se desesperou:
— A senhora veio para levar Maria?
Não pode fazer isso!
Ela é minha filha!
Está registada no meu nome!
Não vou permitir.
Maria, assustada ao ouvir e ver o desespero de Rafael se afastou e abraçou sua perna.
Maria das Graças percebeu.
— Fique calmo, não pretendo tirá-la de você.
Estou velha e não vou viver o tempo suficiente para vê-la crescer, mas quero que ela tenha uma vida boa.
Para que isso aconteça, tenho muito dinheiro e não tenho o que fazer com ele.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:35 pm

Rafael voltou a olhar para Berenice:
— É isso mesmo o que está ouvindo, meu amor.
Parece que hoje você ganhou um premio do céu.
Está rico!
Maria das Graças continuou:
— O dinheiro está todo no banco.
Hoje fui lá para colocá-lo todo em seu nome.
Sei que vai usá-lo para o bem da minha neta.
Rafael ficou mudo.
A senhora continuou:
— Só queria pedir uma coisa, não sei se poderão me atender.
— O que a senhora deseja?
— Como disse, estou sozinha e velha.
Gostaria, que, se vocês permitissem, me deixassem morar junto da minha neta, para poder passar o tempo que me resta de vida ao lado dela.
— A senhora está dizendo que quer morar connosco?
— Isso mesmo, Berenice.
Sei que quer ser livre e que para isso precisa trabalhar ao lado de seu marido.
Enquanto estiver trabalhando, eu poderei tomar conta dela.
Berenice e Rafael se olharam.
Maria, à distância e em silêncio, ouvia tudo, mas não entendia muito bem o que estava acontecendo.
— Está bem. Não haveria ninguém melhor do que a senhora para cuidar dela.
Vai morar connosco.
— Obrigada, minha filha!
Deus a abençoe...
Berenice olhou para Rafael e, sorrindo, disse:
— Ele já me abençoou, dona Maria das Graças...
Já abençoou...
— Venha até aqui, Maria.
Maria olhou para Rafael, que sorriu.
A menina se aproximou.
Maria das Graças novamente pegou em suas mãos e, olhando em seus olhos, disse:
— Não precisa ficar com medo.
Sou sua avó e quero somente o seu bem.
Jamais eu ia tirar você de seu pai.
A menina, ainda desconfiada, perguntou:
— O que é uma avó?
— Bem... Dizem que avó é mãe duas vezes...
— Então... Eu que não tinha mãe nenhuma, vou agora ter duas?
— Três, Maria.
Berenice também vai ser uma mãe para você.
— Isso mesmo, Maria.
Vou ser sua mãe e você, de hoje em diante, vai ser muito feliz.
— Uma avó, Maria, além de ser mãe duas vezes, gosta muito de contar histórias.
Vou contar muitas sobre outra avó que você tem e que a ama muito.
Além de tios e primos também.
Você tem uma família muito grande e, quando crescer mais um pouco, se seu pai deixar, vou levar você para que todos a conheçam e também possa conhecê-los.
— O que está acontecendo, dona Isabel?
Ela quer levar Maria para conhecer a minha família, minha mãe?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:39 pm

— Isso mesmo que está vendo, Lola.
Deus, quando seus filhos encontram o caminho, dá a eles tudo em abundância.
Rafael, apesar de tudo o que passou não se revoltou e só quis progredir para dar a Maria muita felicidade.
É assim, minha filha, que Deus trabalha.
Ele sempre abençoa seus filhos, embora, muitas vezes não seja com dinheiro.
— Está dizendo que de, hoje em diante, Maria não vai sofrer mais?
— É isso que estou dizendo, Lola.
Todos vocês, em primeiro lugar, vieram para ajudar Carmem a encontrar o caminho.
Caso ela tivesse conseguido, o futuro seria diferente.
Ela se casaria com Julian e viveriam felizes, pois ele sempre a amou e faria com que ela o amasse também.
Caso não conseguisse, como infelizmente aconteceu, tudo tem de ser mudado.
Rafael, com o dinheiro que recebeu, não vai mais para uma cidade grande, mas para uma Capital.
Com seu negócio, farão contractos governamentais para construir pontes, portas de cemitérios e de bancos.
O dinheiro que está recebendo hoje vai se multiplicar.
Com ele, mais tarde, seguirão Julian, os rapazes e Josefa com seu marido e filhos.
Julian e os rapazes encontrarão espíritos que estão à espera deles e continuarão a jornada.
Berenice e Rafael terão quatro filhos.
A primeira será uma menina que vai se chamar Olga em homenagem à avó.
No dia em que Berenice estiver voltando do hospital, trazendo sua primeira filha nos braços, vai encontrar seu pai, que vai lhe dizer mais ou menos isso:
— Conversei muito com Maria das Graças e ela me contou o que aconteceu com o marido dela.
Disse que ele, apesar de todo dinheiro que tinha, morreu sozinho e triste por não ter aceitado o que seu filho queria e, por ignorância, nem mesmo foi ao seu enterro, mas o que mais sentia era não ter podido conhecer sua neta.
Não quero cometer o mesmo erro.
Sua mãe me disse que você ia voltar hoje para casa, trazendo minha neta e eu, se você deixar, gostaria muito de conhecê-la.
Berenice vai chorar e dizer:
— Claro, meu pai...
Ela está ali, é linda, não é?
— Isso vai acontecer, dona Isabel? — Lola perguntou, com lágrimas nos olhos.
— Vai, Lola.
Para que Maria possa cumprir sua missão, é preciso que cresça feliz e saudável.
Para que isso aconteça, todos aqueles que são responsáveis por ela precisam estar na mesma situação.
— Deus é mesmo sábio, dona Isabel.
Depois, o que vai acontecer?
Estou curiosa.
Pablo vai começar a tomar parte da vida da filha.
Seguindo conselhos de Rafael, entenderá que o dinheiro não tem tanto valor como ele acha, vai passar a tratar de modo diferente seus empregados.
Quando Maria crescer mais um pouco, vai, sim, para a Espanha com Maria das Graças para conhecer sua família e levar um pouco de felicidade para sua mãe que não consegue se esquecer de você e se perdoar por não a ter ajudado.
Maria, quando ficar moça, vai começar sua missão.
Começará sendo uma das principais lutadoras para que a mulher possa ter direito ao voto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:39 pm

Depois de conseguir, com a ajuda de Berenice e sua filha, Olga, comprará uma casa, onde dará assistência a mulheres e seus filhos, vítimas de maridos violentos.
Alem de dar abrigo, dará também uma profissão para que elas, sozinhas, possam seguir em frente.
— Ela não vai se casar e ter filhos?
— Vai, claro que vai.
Terá quatro filhos, todos homens, aos quais ela ensinará a amar e respeitar as mulheres.
Tanto eles como seu marido estarão sempre lutando ao seu lado.
Além de criar seus filhos, passará toda sua vida lutando pelos direitos das mulheres e vai conseguir, não tudo, porque não terá tempo, mas vai dar passos significativos em direcção à liberdade da mulher.
Levará tão a sério sua missão, que, embora muitas vezes o desejo de se matar volte a atacá-la, envolvida pelo trabalho, expulsará esses pensamentos e, se Deus quiser, não se matará nesta encarnação, afastando assim, para sempre, o desejo suicida.
Enfim, se as escolhas não forem mudadas e nada acontecer para que os planos sejam também mudados, esse é o destino de cada um.
Como pode ver Lola, Deus, quando seus filhos fazem bem suas escolhas e conseguem fazer um décimo do que prometeram antes de renascer, lhes dá bens em abundância para que possam continuar sem problema algum.
Ele é mesmo um Pai maravilhoso.
— Tem razão, dona Isabel.
Estou feliz que tudo termine assim, que cada um encontrará seu caminho.
Garanto que da maneira como as coisas estavam, não pensei que terminasse assim.
Não via caminho para Rafael nem para Maria.
— Isso sempre acontece.
Quando a vida não caminha da maneira que queremos, costumamos nos desesperar, mas logo mais à frente, veremos que alguma coisa acontecerá ou alguém aparecerá para nos dar um novo rumo.
Deus não abandona Seus filhos nunca.
— A senhora tem razão.
Quando morri e deixei minha filha sozinha, fiquei com medo de que ela fosse sofrer muito, mas não aconteceu.
Ela, embora tenha sofrido um pouco, vai ter o resto da vida para ser feliz.
Depois de tudo o que aconteceu, entendo o motivo de eu ter partido.
— Tem de agradecer, mesmo, Lola.
Agora que tudo está bem e cada um é dono de seu próprio destino, precisamos ir embora.
Temo muito trabalho a fazer.
Precisamos, daqui a algum tempo, quando Carmem entender o que fez e novamente desejar se redimir, buscá-la e planear a próxima encarnação, que, infelizmente, não vai ser das mais fáceis.
Esperamos que, dessa vez, ela consiga.
Para isso, estaremos, todos nós, ao seu lado novamente.
— Um dia ela vai conseguir, não vai?
— Claro que vai.
Como já disse, Deus tem uma eternidade para esperar por Seus filhos pródigos.
Vamos embora?
Há muito trabalho nos esperando.
Manolo e Lola sorriram e, dando-se as mãos, desapareceram.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:39 pm

Epílogo
O trânsito estava parado e a noite estava quente.
Eram mais de oito horas da noite.
Maristela, dentro do carro, estava nervosa, exausta e pensava:
Não suporto mais esta vida!
Mais um dia tive de ficar até mais tarde no escritório e agora tenho de suportar este trânsito e este calor insuportável.
Estou cansada de ter de viver assim!
Porque teve de ser assim?
Porque o João Paulo teve de ser mentiroso e traidor?
Sei que fui eu quem não quis mais que ele continuasse em casa, mas estou cansada...
Quando conseguiu chegar a casa, já eram quase nove horas da noite.
Irritada, entrou.
Sua mãe, que estava vendo televisão, assim que ela entrou, se levantou:
— Ainda bem que chegou.
Estava preocupada.
— Não precisa se preocupar, mãe!
Sabe que quase sempre sou obrigada a ficar até mais tarde no escritório.
— Como você demorou, o jantar esfriou.
Enquanto toma banho, vou aquecer.
Maristela foi para o seu quarto.
Entrou, olhou no espelho:
Estou um bagaço.
Cansada de tanto trabalhar.
Mas, enfim, o que posso fazer, fui eu quem escolhi.
João Paulo era um marido ruim e traidor.
Descobri que, enquanto eu trabalhava, ele tinha uma porção de mulheres e, várias vezes, quando ficou violento, me bateu.
Por não querer terminar o meu casamento nem ficar sozinha, suportei o mais que pude, mas precisei mandá-lo embora.
Agora estou aqui, sozinha, trabalhando para criar meus filhos.
Que vida é esta, meu Deus do céu?
Tomou banho e, ainda secando os cabelos com uma toalha, foi para a cozinha ao encontro da mãe, que estava colocando a comida sobre a mesa:
— Não suporto mais essa vida, mãe!
— O que aconteceu para estar assim, Maristela?
— O que aconteceu?
Estou cansada desta vida!
Preciso trabalhar feito louca para poder me manter e às crianças.
Tenho também de me preocupar com as contas e despesas da casa.
Com a escola das crianças! Não suporto mais!
Enquanto isso, João Paulo deve estar numa boa, com uma porção de mulheres e nem está se lembrando dos filhos!
Não aguento mais!
— Não reclame, minha filha.
Agradeça por ter uma profissão que permite que você faça tudo isso e, por ser independente financeiramente, ter podido mandar o seu marido embora.
Em outros tempos, por não ter direito a coisa alguma nem mesmo a um trabalho, para poder criar seus filhos, teria de aguentar a traição e a violência sem reclamar.
Muitas mulheres lutaram e dedicaram suas vidas para que, hoje, você tivesse esse direito, o de ser livre e de escolher seu destino.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:39 pm

— Por um acaso, eu pedi para que mulher alguma fizesse isso?
Nunca me perguntaram se era o que eu queria!
Pois fique sabendo que o que mais queria, neste momento, era ser dondoca, ficar só cuidando da casa e dos meus filhos e gastando o dinheiro do meu marido!
Ter um homem para me sustentar!
Cansei de ser livre!
— Não fale assim, minha filha.
Não sabe o que está dizendo.
Não sabe o que é não ter direito algum...
— Eu e que não sei o que é viver sem ter de me sacrificar tanto!
Lucélia, balançando a cabeça, sorriu.
— Venha, sente-se e coma.
Amanhã será outro dia e pensará diferente e melhor.
— Acho que não, mãe!
Estou mesmo cansada desta vida!
Quero ser dondoca!
Quero ter um homem que cuide da minha vida e não me importo com o que tenha de fazer para ter isso! — gritou.
Ao ouvir aquilo, Lucélia voltou e, visivelmente alterada, disse baixo
— Isso mesmo, faça isso, porque aquelas mulheres, às quais você não pediu e nem lhe perguntaram se queria que lutassem por você fizeram isso para que, hoje, você pudesse fazer o que está fazendo.
— O quê?
— Pensar, ter suas próprias ideias, escolher o seu destino, ter sua vida em suas mãos e, finalmente, ter o direito e poder falar o que sente, mesmo que seja esse monte de bobagens
que está falando!
Dizendo isso, Lucélia, a passos largos e, nervosa, saiu e foi para seu quarto.
Maristela se sentou e ficou pensando.
Lola que passava ali acompanhada de Isabel, desacreditando no que ouvia, perguntou:
— O que significa isso, dona Isabel?
Depois de tudo o que aconteceu, hoje, as mulheres pensam assim?
— Algumas, Lola... Algumas...
Muitas não querem pagar o preço da liberdade que às vezes é muito alto, como está acontecendo com Maristela que, para poder ser livre, precisa trabalhar muito.
Outras não conseguem ficar sem um homem do lado para mostrar às outras pessoas ou somente para demonstrar que não estão sozinhas.
Existem, ainda hoje, mulheres que se deixam abater por maridos violentos que as espancam e aos filhos e não lhes dão valor algum.
— Não consigo acreditar que isso esteja acontecendo.
Não acredito que ainda existam mulheres que se deixam dominar pelas aparências!
Que se deixam dominar pelo medo de agressores covardes!
Então, toda aquela luta não adiantou?
Continua tudo igual?
Porque hoje isso ainda acontece?
— Isso acontece, porque, até hoje, muitas mulheres não aceitaram que são espíritos livres e que não podem ser aprisionadas por nada em ninguém.
Entretanto, existem mulheres que assumiram seus lugares e são profissionais competentes, boas mãe e esposas, assim como Maristela.
Apesar de tudo o que ela disse, jamais se conformaria em ser dominada por um homem que não a respeitasse.
Por causa da luta anterior, hoje, a mulher, em qualquer situação boa ou ruim, graças a todas aquelas que vieram antes e brigaram muito, pode usar seu livre-arbítrio, escolher como quer viver, com quem quer viver e a companhia com a qual deseja caminhar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 03, 2017 7:40 pm

Hoje ela é livre, Lola, e dona do seu destino, coisa que, antes, não acontecia.
Tudo o que está acontecendo significa, também, que o espírito nunca está contente com o que tem ou consegue e é essa insatisfação que faz com que não pare de evoluir, não pare de caminhar e, assim, os espíritos, acertando ou errando, um dia, chegarão à Luz.
Lola ficou calada, lembrando-se de tudo o que havia acontecido.
Isabel, ao vê-la pensativa, sorriu e disse:
— Vamos embora, não se esqueça de que estávamos indo nos encontrar com Maria, Julian, Rafael e Manolo.
Hoje, como sabe, depois de muito tempo, Carmem vai planear sua próxima encarnação e precisamos estar ao seu lado para poder ajudar em tudo o que for preciso.
— Vamos renascer, dona Isabel.
— Isso vai depender de cada um de nós.
Vamos decidir se queremos continuar ajudando Carmem.
Por muito tempo temos feito isso.
Hoje, podemos deixar que venha sozinha e, assim, continuar o nosso caminho.
— Eu não sei quanto aos outros, mas, com certeza, quero estar ao lado dela, dona Isabel.
É um espírito amigo precisando de ajuda.
— Não esperava outra coisa de você, Lola.
Já conversei com Maria, Rafael, Julian e Manolo.
Eles pensam da mesma maneira que você.
Você sabe que a encarnação dela vai ser muito sofrida e quem estiver ao lado dela, provavelmente, sofrerá também.
— Sei, dona Isabel, e não me importo porque sei, também, que nunca estarei sozinha.
E digo mais, dona Isabel:
demore o tempo que demorar, vou ficar sempre ao lado de Carmem.
Como a senhora sempre fala.
Se Deus que é Deus vai esperar por ela uma eternidade toda, quem sou eu para me recusar?
Isabel sorriu.
Lola olhou mais uma vez para Maristela que, agora, jantava e, inconformada, deu a mão a Isabel e desapareceram.

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Destino em suas Mãos / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 10 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum