A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Página 12 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... 10, 11, 12

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:48 pm

As crianças corriam de um lado para outro.
Simão disse raivoso:
— Luiz, esse Prefeito é um cretino!
Gostaria muito que família dele deixasse de mandar na cidade como ele disse.
— É muito fácil, basta que se candidate.
— Não, eu não poderia. Talvez, Fábio.
Ele viveu muito tempo em Brasília junto ao poder, tem experiência e poderá ser um bom Prefeito.
Sofreu na pele a discriminação por ser pobre e sabe o quanto as pessoas precisam ter uma vida digna.
Falarei com ele e, se aceitar, nós o apoiaremos.
Talvez consigamos vencer as eleições.
— E uma óptima ideia.
O meu partido ficará feliz em ter vocês em seu quadro.
Conheço Fábio há muito tempo.
Sei que tem bons princípios e já fez parte do meu partido.
O dia transcorreu com muita alegria.
O prefeito foi completamente ignorado pela população.
Todos sabiam quem havia iniciado todo aquele trabalho.
Ele passou por Regina que, abraçada a Zeca, o cumprimentou.
Sozinho, sem esposa e filhos, sentiu-se muito mal e logo foi embora.
Era um homem triste e infeliz.
Chegou em casa, tudo era solidão.
Começou a pensar em como teria sido a sua vida ao lado de Regina, a quem verdadeiramente sempre amou.
"Do que adiantou eu ter me afastado dela por causa da família?
Hoje sou um Prefeito ignorado por meu povo.
Minha mulher, a quem nunca amei, se cansou de tanta rejeição encontrou um novo amor e abandonou tudo para viver uma aventura.
Meus filhos, com os quais nunca tive tempo para ser amigo, hoje só me consideram aquele que paga suas contas.
Enquanto isso, a filha do meu amor deve chamar o outro de pai.
Meu Deus!
O que fiz com a minha vida? "
Ficou ali sentado em uma poltrona, vendo a noite chegar, sozinho com seus pensamentos.
A noite chegou, todos estavam cansados, mas felizes.
O sonho havia se realizado.
Sabiam que as pessoas do Grotão, daquele dia em diante, teriam uma vida decente.
Como Simão e os outros previram, a cidade progrediu.
Vieram turistas de todas as partes.
O atendimento por parte das pessoas que ali trabalhavam era excelente, o que fez com que o lugar se tornasse famoso.
No galpão, Célia ensinava não só pintura, mas também artesanatos, que eram vendidos aos turistas.
Ensinava não só às crianças, mas também aos seus pais.
Paulina formou uma pequena banda e as crianças se apresentavam todos os fins de semana.
Zeca passou a residir na casa de Regina e continuou seu trabalho como jardineiro, o que lhe dava muito prazer.
Não possuía mais dinheiro, tudo o que tinha foi usado na construção do projecto, mas não sentia falta.
Era feliz ao lado de Regina.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:48 pm

No bar, continuaram se encontrando. Nada mudou.
Estavam casados há mais de um ano.
Fábio tomou a frente da administração do Grotão.
Naquela tarde, Zeca estava conversando com Simão.
Regina chegou:
— Zeca, você nem imagina o que tenho para contar!
Não vai acreditar!
Estou muito feliz!
— O que, Regina?
Estou ficando nervoso!
— O que acha de ser pai?
— O quê?! Pai?! Eu?
— Você mesmo!
Fiz o teste e estou esperando Um filho!
Nós estamos esperando!
Zeca ficou de boca aberta, sem conseguir falar.
Simão começou a rir.
Paulina e Célia chegaram:
— Podemos saber do que está rindo, Simão?!
— Da cara do Zeca, Paulina!
Ele está assim porque acabou de saber que vai ser pai!
— Meus parabéns, Regina!
Eu pensei que seria a primeira!
— Eu não esperava, Célia, foi uma surpresa!
Já estou quase com quarenta anos.
Não sei o que Clara vai achar.
— Com certeza vai adorar, ela está muito bem.
— Está, sim, Paulina, disse que só vai pensar em filhos depois que se formar e isso ainda vai levar muito tempo.
Simão veio até a mesa com uma garrafa de champanhe:
— Isso merece um brinde e com champanhe!
Zeca depois que voltou do susto, abraçou e beijou Regina, que não cabia em si de felicidade.
Foram abraçados por todos.
Fábio chegou logo depois dizendo:
— Que alegria é essa?
O que estão comemorando?
— Estamos comemorando o próximo nascimento do filho do Zeca e da Regina!
— Meus parabéns aos futuros papais!
Espero que seja um garotão!
Decidi que vou me candidatar ao cargo de Prefeito.
Simão, estive pensando em tudo que você me falou, acredito que, com a ajuda de vocês, serei um bom Prefeito.
— Será mesmo!
Só falta conseguirmos derrotar o primo do Prefeito que já foi muitas vezes eleito.
— Não custa tentar.
A campanha começou.
Fábio, embora tenha saído da cidade quando adolescente, era conhecido e considerado por todos.
Seus pais eram queridos e tinha como cabo eleitoral Robertinho, que agora estava feliz em poder fazer aquilo que sempre gostou, ir de porta em porta avisar a todos que seu irmão seria o novo Prefeito.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:48 pm

A notícia do sucesso do Grotão correu por todas as cidades vizinhas.
Alguns prefeitos se interessaram em saber como tudo havia começado.
Um deles resolveu promover um encontro com os demais, quando seriam discutidas as possibilidades de fazerem o mesmo em suas cidades e onde os amigos seriam homenageados.
Um convite chegou para Simão.
O convite se estendia a todos.
Simão ficou feliz e transmitiu a notícia.
Robertinho estava ao seu lado e ficou olhando sem nada dizer.
Simão que já o conhecia bastante, disse:
— Por que essa cara, Robertinho?
Não está contente?
Outros projectos como este poderão nascer e tudo começou com você!
— Então...por que...não fui convidado?
— É por isso que está assim?
Claro que irá!
Imagine se poderia ficar fora de uma homenagem como essa!
Logo você?
— Vou poder ir mesmo?
— Claro que sim!
Pode providenciar a sua roupa nova!
— Vou espalhar pela cidade toda!
Saiu correndo, Célia olhou para o filho com muito amor:
— Ele é realmente uma criança feliz.
Eu também, por não ter tirado dele a felicidade de ter Dona Consuelo como sua mãe.
Não preciso de mais nada para ser feliz...
Iriam em uma perua que também pertencia ao Grotão.
Nela, a viagem seria confortável.
Regina não estava passando bem.
Acordou com dores, foi ao médico e ele receitou repouso.
Sua gravidez era de risco.
Por isso, ela não iria ao congresso.
Zeca ficou triste, mas, em primeiro lugar, estava a criança tão esperada.
Fábio também não poderia comparecer por já ter marcado uma reunião com seus correligionários.
No final, só poderiam comparecer Simão, Paulina, Célia, Zeca e Robertinho.
Eles representariam os outros e falariam da ajuda que tiveram deles.
Robertinho acordou com febre e o rosto cheio de pintas vermelhas.
Levado ao médico, foi constatado que estava com sarampo, portanto, não poderia ir também.
Chorou mas não conseguiu convencer ninguém.
_ Não se preocupe, Robertinho, — Célia falou ao lado de sua cama, — outras homenagens serão feitas e você irá.
Logo estará bem.
Só tem que saber de uma coisa, te amo multo.
Sou a pessoa mais feliz do mundo por ter te conhecido.
Quero que cresça sempre assim, amigo de todos.
Nunca vou deixar de gostar muito de você.
Nunca me esqueça.
— Eu queria tanto ir junto.
Tenho até uma roupa nova.
— Poderá usar na missa do domingo.
Após o almoço, saíram Simão, Zeca, Paulina e Célia.
O dia estava quente e Simão foi dirigindo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:48 pm

A homenagem começaria as sete da noite e terminaria as dez.
A cidade ficava a duas horas de Céu Dourado, portanto por volta de meia-noite estariam de volta.
A reunião transcorreu bem, muitas perguntas foram feitas e respostas dadas.
Alguns Prefeitos resolveram que tentariam fazer o mesmo ou algo parecido.
No final, Simão fez o discurso de encerramento:
"O político muito pode fazer pelo povo.
Cabe a ele escolher o caminho a seguir, mas as próprias pessoas que possuem condições devem também fazer a sua parte para a melhoria de si mesmos e de todos.
O dinheiro é sempre bem-vindo e necessário, mas não deve ser o motivo principal de nossa existência.
Ele só tem valor quando usado para fornecer trabalho e sustento a muitos.
A felicidade está não no quanto que se tem, mas no muito que se pode oferecer.
Foi muito aplaudido, pois todos ali sabiam que ele e seus amigos haviam se desfeito de tudo o que tinham para ver muitas pessoas felizes.
Ele só não estava pregando, mas já havia feito.
Zeca, Paulina e Célia, sentiam a mesma felicidade e orgulho que Simão.
Juntos, empreenderam um trabalho e, agora também juntos, recebiam o prémio.
Esse trabalho seria também imitado.
Para eles, não havia bem maior.
Após as despedidas seguiram viagem de volta.
Estavam no meio do caminho, quando uma chuva começou a cair.
A princípio fraca, mas foi ficando cada vez mais forte.
O limpador de pára-brisa não conseguia dar conta da quantidade de água que caía.
Simão não estava conseguindo ter uma visão perfeita:
A chuva está muito forte, — disse Simão — estou sem visibilidade é melhor pararmos no próximo posto de gasolina.
Estavam apreensivos.
Simão dirigia com cuidado, mas um carro, em alta velocidade, no sentido contrário, derrapou e bateu com toda força no carro de Simão que foi jogado para fora da estrada, capotando várias vezes.
Os ocupantes gritaram de horror.
Em seguida, tudo ficou escuro.
Regina estranhou a demora de Zeca.
Ele sabia que ela não estava bem, portanto não iria demorar além do necessário, mas já eram duas horas da manhã e ele ainda não havia chegado.
Ela acordara poucos minutos atrás, sentindo um aperto no coração.
Olhou em volta do quarto, mas não havia ninguém.
Levantou-se, foi até a cozinha pegar um copo com leite.
A campainha tocou.
Um carro estava parado em frente a sua casa.
Ela foi atender.
Era Fábio que, assim como ela, estava preocupado com a demora.
— Boa-noite, Regina.
O Zeca já está em casa?
— Não, Fábio, estou ficando preocupada...
— Passei pela casa da Paulina e eles também não chegaram.
Terá acontecido alguma coisa?
— Não sei, mas precisamos fazer algo para descobrir...
— Não será melhor irmos até a estrada e fazer o caminho que fariam?
Choveu muito e algo pode ter acontecido.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:49 pm

— Vamos, sim.
Espere um pouco, vou colocar uma roupa.
Fábio ficou esperando, Regina voltou logo e entrou no carro.
Consuelo e Robertinho estavam dentro.
— Boa-noite, dona Consuelo, Robertinho, você não devia estar dormindo?
Está doente...
— Eu estava dormindo, mas tive um sonho ruim e acordei assustado.
A mamãe e o Fábio estavam saindo para procurar os meus amigos e eu quis vir junto.
— Está bem. Vamos, não deve ter acontecido nada.
Disse aquelas palavras sem muita convicção.
Ainda sentia aquele aperto no coração.
Fechou os olhos e fez uma oração pedindo ajuda para aqueles que tanto amava.
A chuva havia passado, a noite estava clara.
O carro seguia, eles permaneciam calados.
Ao longe, viram luzes piscando.
Fábio aumentou a velocidade.
As luzes só podiam ser de policiais rodoviários, algum acidente havia acontecido.
Ao se aproximarem, notaram várias viaturas policiais e muitos carros parados no acostamento.
Consuelo gritou.
Fábio parou o carro a uma certa distância, desceu enquanto os demais permaneceram sentados, olhando em direcção ao provável local do acidente.
Regina só conseguia rezar, pedindo que não fossem eles.
Dona Consuelo chorava, segurando Robertinho que queria sair do carro de qualquer maneira.
Fábio foi até o local do acidente e constatou ser a perua que Simão dirigia.
Ela estava toda amassada, mas estava vazia.
Foi em direcção a um policial:
— O que aconteceu? — Fábio perguntou desesperado.
Onde eles estão?
— Não sei onde estão, quando a viatura chegou, eles não estavam mais aqui.
Talvez um outro carro tenha levado os ocupantes do carro.
Mas da maneira como está o carro, acredito que ninguém tenha se salvado.
— Está louco!
Claro que se salvaram!
— O senhor sabe de quem é esta perua?
Fábio, apavorado, não conseguia responder.
Apenas balançou a cabeça, dizendo que sim.
O policial percebeu que havia falado demais.
— Desculpe - tentou consertar.
Falei sem saber que os conhecia é melhor ir até o hospital da cidade, provavelmente eles foram levados para lá.
Fábio, chorando, ficou ali por alguns segundos.
Lembrou-se de sua mãe, Robertinho e Regina, que esperavam por ele.
Não sabia como contar, mas teria de fazê-lo.
Vagarosamente, caminhou até seu carro.
Entrou e ficou em silêncio.
Depois, olhando para trás, onde estavam Robertinho e Regina, falou:
— São eles... o acidente foi grave...
— Como e onde eles estão, Fábio? — Regina perguntou.
— Foram levados para o hospital.
Quiseram sair do carro, mas Fábio não deixou.
Ele temia que, se vissem a situação do carro, pensassem o mesmo que ele estava pensando.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:49 pm

Consuelo segurava Robertinho.
— Não adianta vocês irem até lá.
É melhor que não vejam de perto... o acidente foi muito grave...
Vamos até o hospital.
Como você sempre diz, Regina, precisamos rezar e pedir protecção para eles e para nós mesmos.
Robertinho não chorava, estava em estado de choque e não parava de falar:
— Não vai acontecer nada com eles... parece que aconteceu algo ruim, mas... só parece... se aconteceu... quem vai cuidar dos jardins?
Quem vai me ensinar a capinar?
Minha tela ainda não está pronta... e a bandinha lá no Grotão?
Quem vai ensinar às crianças?
Quem vai fazer os meus sanduíches de mortadela?
Lentamente, Fábio virou o carro, tomando o caminho do hospital.
Estava com o coração apertado.
" Por que Deus permitiu isso?
Depois de tantos anos de separação, quando finalmente nos reencontramos... ela não pode morrer, não está certo, não é justo! "
Finalmente chegaram ao hospital.
Assim que Fábio estacionou, desceram.
Entraram e pararam em frente ao balcão.
Falavam todos ao mesmo tempo com a recepcionista, que não conseguia entender nada.
— Desculpe, — Fábio disse de uma vez — estamos muito nervosos.
Houve um acidente de carro na estrada, precisamos saber como eles estão?
— O senhor é parente?
— Minha mulher estava no cano e meus amigos também.
Por favor, onde eles estão?
— Sentem-se naquele banco.
O médico vem falar com o senhor.
Tenha calma.
Ao ouvir aquilo, ficaram apavorados.
Para o médico vir falar com eles, era porque o pior havia acontecido.
Consuelo abraçou Regina e Robertinho que chorava também.
Fábio, com os olhos, seguia a moça que entrou em uma sala.
Alguns minutos depois, ela saiu acompanhada por um médico:
— Deixe adivinhar.
O senhor é o Fábio.
A senhora deve ser a Regina e você é o Robertinho.
Acertei?
Antes que qualquer um respondesse, Robertinho disse:
— Acertou, parece que eu estou com medo... mas não estou... só parece...
Antes que o médico respondesse.
Ouviram uma voz:
— Sabia que vocês viriam.
Estamos aqui e bem.
Tivemos algumas escoriações, mas nada de muito grave.
Só quebrei a minha perna, mas já foi engessada e o médico disse que dentro de algum tempo, estarei andando novamente.
Quem falou foi Simão, ao lado dos outros.
Olharam em direcção da voz e ao mesmo tempo correram para se abraçarem.
Após os abraços.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:49 pm

Robertinho perguntou para o médico:
— Como o senhor conhecia a gente?
Eu não conheço o senhor... é... parece que conheço... mas não conheço...
Acontece que desde que eles chegaram aqui, enquanto estavam sendo examinados, só falavam em vocês e na sorte que tiveram de não terem vindo junto.
Olhou para os outros e continuou:
— Como podem ver, eles estão bem.
Só não sei como isso aconteceu, pois me parece que o acidente foi muito grave.
Regina, com os olhos marejados e abraçada a Zeca, disse:
— Protecção. Doutor! Protecção...
— Só pode ter sido isso, pois estarem vivos, foi um milagre.
“Começaram a rir de felicidade.
Regina percebeu que luzes brilhantes caíam sobre eles.
Olhou e lá estavam sorrindo, dona Júlia, Ofélia e Vitória.
Sentiram um suave perfume invadindo todo o ambiente.
Fábio foi o único que viu novamente as luzes que havia visto da outra vez.
Regina olhava sorrindo para algo ou alguém que ele não podia ver.
A única coisa que via eram as luzes e sentia aquele perfume suave.
Um pouco assustado perguntou:
- Vê Regina, o que está vendo?
Que perfume é esse?
Que luzes são essas?!
Sabe o que significam?
_É a confirmação de que nunca estamos sós.
Que sempre, a protecção divina não falha.
Obrigada, meu Deus...
Fábio não podia mais negar o que estava sentindo e vendo.
Aquelas luzes realmente estavam ali.
O perfume também.
Os outros não estavam entendendo o que estava acontecendo, mas não se importavam de não ver ou não sentir.
Estavam felizes e acompanharam Regina em seu agradecimento.
As luzes, o perfume, dona Júlia, Ofélia e Vitória, foram sumindo vagarosamente.
Como não viu, Simão disse, preocupado:
— Eu dirigia o carro e vi a hora em que o outro se arremessou sobre nós.
Não tinha como evitar a batida.
O impossível, mesmo, foi não termos nos ferido.
Regina sorriu dizendo:
O importante é que estejam bem.
Temos ainda muito trabalho pela frente.
Talvez seja essa a resposta:
— Você tem razão — disse Fábio.
Não importa, foi um milagre, apenas isso.
Agora precisamos ir para casa, mas temos um problema.
No meu carro, não vão caber todos.
Preciso fazer duas viagens.
Levarei primeiro as mulheres e o Robertinho, depois virei buscar vocês dois.
— Espere aí, Fábio, — Robertinho falou alto — não vou com as mulheres!
Também sou homem.
— Você está doente, Robertinho!
Nem deveria estar aqui!
Elias e seu Pedro, entraram correndo no hospital.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:49 pm

— Estão todos aí?
Graças a Deus!
Quando vi o estado da perua, pensei que ninguém tivesse escapado.
— Estamos todos aqui e muito bem, Elias, mas como chegou aqui?
— O seu Pedro foi até a minha casa, Zeca, disse que não haviam voltado e que o Fábio tinha vindo em busca de vocês.
Pediu que eu o trouxesse, mas mesmo que não tivesse pedido, eu teria vindo da mesma forma.
— Chegou na hora certa.
Agora todos poderemos ir juntos.
— Zeca, eu vou no carro com os homens!
— Está bem, Robertinho, não precisa ficar nervoso!
Você sabe que deveria era estar na cama!
— Sai dessa, Zeca!
Se eu não estivesse aqui, como poderia contar para as pessoas?
Todos riram, se despediram do médico e foram para casa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:50 pm

Epílogo
No dia seguinte, a cidade toda comentava o acontecido.
Ninguém conseguiu segurar Robertinho na cama, que, embora, com um pouco de febre e com o corpo cheio de pintinhas, foi para o bar.
Ficou lá por algum tempo, conversando e contando para todos o que havia acontecido.
Simão não podia se mover muito, por isso, Paulina e Juca atendiam a freguesia que, naquela manhã, estava numerosa.
Queriam se certificar que ele estava bem.
Por causa das emoções da noite anterior e por causa da gravidez de risco, naquela manhã, Regina ficou em casa, não foi com Zeca para o café habitual no bar do Simão.
Estava deitada, lendo um livro, quando sentiu um perfume.
Olhou em direcção da porta, lá estava dona Júlia que lhe sorria.
Sentou-se na cama dizendo:
_ Sabia que a senhora ou uma das entidades viria.
Sabem que estou curiosa para saber tudo sobre o acidente.
— Para isso estou aqui.
Vou te contar em breves palavras.
Em outras épocas, por ganância e por poder, todos vocês fizeram muito mal à várias pessoas.
Quando desencarnaram e tomaram conhecimento de todo o mal feito, renasceram prometendo que voltariam e fariam só o bem.
Simão, Zeca e Célia nasceram com muito dinheiro que devia ser usado para esse propósito.
Paulina, através do casamento, também conseguiu muito dinheiro.
Você e Fábio, se uniram a eles e cumpriram o prometido.
Durante a jornada, com a facilidade que o dinheiro proporciona, se distanciaram do compromisso feito.
Foram obrigados a aprender o justo valor do dinheiro e voltar ao compromisso assumido.
Encontraram-se e juntos cumpriram fielmente tudo aquilo a que se propuseram.
Você, Fábio e o Robertinho fizeram parte da mesma trama passada.
Graças a Deus, no final, todos juntos, conseguiram cumprir o que haviam prometido.
Conseguiram trazer felicidade para uma cidade inteira, contando com a ajuda de Célia, Simão e Paulina que se desfizeram do dinheiro que tinham..
— E o acidente? Por que aconteceu?
— Ele estava programado.
Se não tivessem cumprido com o combinado todos morreriam, pois o tempo teria se esgotado! e voltariam para o plano espiritual.
Poderiam mais tarde retornar e tentar novamente, mas isso não foi preciso.
Todos agora continuarão no caminho.
Sempre encontrarão um meio de ajudar as pessoas.
— Arnaldo, onde esta?
— O erro dele foi muito grave.
Tirou a própria vida, fugindo assim de um compromisso antes feito.
Está em um lugar aprendendo e se preparando para voltar à Terra novamente.
— Poderei vê-lo?
— Não sei, vou me informar e depois te digo.
Gostaria muito, preciso dizer a ele que Paulina não está doente e que ela o perdoou de coração.
— Ele sabe disso e está feliz por ela tê-lo perdoado.
A maior culpa que sentia era de tê-la traído e fugido da vida sem lhe dar explicação.
O perdão dela fez muito bem a ele e mostrou a grande obrigação que terá em uma nova vida na Terra.
Após tomar o café e conversar um pouco com os amigos, Zeca foi para casa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 7:50 pm

Entrou e percebeu que Regina estava conversando em pensamento com alguém.
Parou e ficou encostado na parede.
Ela não notou a sua presença.
Dona Júlia se despediu e fez um sinal para que ela olhasse para o lado.
Ela olhou e viu Zeca que estava estático, sorriu e disse:
— Não vi quando chegou, Zeca.
Faz tempo que está ai?
— Não, acabei de chegar.
Aproximou-se, beijou-a e colocou a mão em sua barriga.
Sentiu e viu as luzes que caíam sobre eles.
— Simão e Paulina foram no carro do Elias até o Grotão.
Apesar de não poder andar muito bem, ele foi ajudado pelos dois.
Sentaram-se perto da cachoeira e olharam com orgulho tudo o que tinham feito ali.
A campanha continuou e, no dia das eleições, Fábio ganhou por maioria absoluta.
O desejo de Simão estava sendo realizado.
A cidade estava finalmente livre do jugo daquela família que a havia explorado por tanto tempo.
Ele sabia que Fábio seria um bom Prefeito e, se não fosse, teria que se ver com eles.
Regina teve o seu menino, que recebeu o nome de José Ricardo, levando assim os nomes pelos quais seu pai era conhecido.
Clara e Gustavo continuaram estudando e depois do ocorrido, resolveram que, assim que recebessem o diploma, voltariam para a cidade e lutariam por um hospital.
Robertinho continuou contando para todos tudo o que acontecia na cidade.
O projecto do Grotão deu certo.
A cidade ficou conhecida como
uma cidade turística e cresceu muito.
Dona Júlia, Vitória, Ofélia e todas as entidades que estiveram ao lado deles, naquela jornada, continuavam no plano espiritual esperando o dia em que cada um regressasse.
Estavam felizes, pois no final tudo saiu como o planeado.
Enquanto eles não retornassem, elas continuariam ali trabalhando para eles e para outros que necessitassem.

Fim

§.§.§- O-canto-da-ave
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73043
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 12 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... 10, 11, 12

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum