A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Página 3 de 12 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:38 pm

O Mistério Continua
No dia seguinte à tarde, Célia foi para a praça.
Lá estavam Robertinho e Maurício.
Célia sorriu, montou as telas e começou a ensinar os dois.
Robertinho já começava ver a sua tela se formando.
Não era perfeita, mas para ele se tornou a coisa mais importante.
Célia disse:
— Robertinho, não sei onde mora, nem quantos anos tem.
— Moro lá atrás da praça.
Logo vou fazer dez anos.
— Que bom! Vamos ter bolo?
— Minha mãe sempre faz.
Ela disse que todos os anos são diferentes.
E que nunca mais eu vou fazer dez anos.
— Ela tem razão.
O tempo passa depressa, e a gente nunca mais pode voltar e mudar o que fizemos de certo ou errado.
— O que está falando, Célia?
Não estou entendendo...
— Nada! Não estou falando nada.
Só estou pensando.
Você gosta muito da sua mãe, não é?
— Gosto sim, ela é tudo pra mim, faz tudo o que quero.
As vezes me coloca de castigo, mas só quando faço alguma coisa errada.
Parece que ela é ruim, mas não é não!
Só parece...
— Tem mais irmãos?
— Só um. Ele mora em Brasília faz um tempão!
Só vem aqui às vezes e sempre me traz muitos presentes.
— O que ele faz em Brasília?
Trabalha ou estuda?
— Não sei muito bem, parece que é advogado.
— Quando ele vai voltar?
— Não sei, ele nunca avisa.
— Gostaria de conhecer a sua mãe, parece ser muito boa.
— Ela é mesmo!
Vou falar com ela e pedir pra ela vir conversar com você.
Você vai gostar dela! Eu sei!
Maurício sujou as mãos e roupas com tinta vermelha.
Célia, distraída e conversando com Robertinho, não notou.
Robertinho quando viu, começou a rir e Maurício a chorar.
— Não chore, Maurício... — Célia disse abraçando-o.
No começo é assim mesmo.
Olhe, vamos pegar essa estopa e num instante limparemos tudo.
Quando aprender a mexer com as tintas, isso não acontecerá mais.
Desculpe, eu me distraí e esqueci que você nunca tinha mexido com as tintas.
Com a estopa, limpou as mãos do menino.
Recolheu todo o material.
A mãe de Maurício veio buscá-lo.
Quando viu o menino todo sujo, e com cara de quem havia chorado falou:
— Que aconteceu?
O pincel caiu em sua roupa?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:38 pm

— Não, — respondeu Célia — ele está começando a aprender.
Logo mais será um grande pintor!
A mãe do menino sorriu, deu um beijo nele, despediu-se e agradeceu Célia.
Foi embora levando o menino pela mão. Célia foi para casa.
No dia seguinte, como já fazia há alguns dias, foi para o bar se encontrar com Zeca e Paulina para tomarem o café da manhã.
Simão já os esperava com a mesa colocada.
Tinham muito que conversar.
Paulina disse:
— Ontem falei com o meu amigo, Juarez.
Ele se interessou pela ideia e quer falar com vocês na tarde do próximo domingo.
— Muito bem, Paulina! — Simão disse sorrindo.
O primeiro passo já está dado.
Quando o Prefeito voltar e resolver nos atender, vamos convencê-lo a nos ajudar!
Simão sabia que o convenceria. Enquanto conversavam, viram que Gustavo e Clara também estavam conversando.
— Clara, meu pai disse que não vai nos ajudar.
Disse a ele que não irei sozinho.
Ele está muito nervoso.
— Você vai sim!
Não deve se preocupar comigo.
Ficarei bem e te esperando.
Só estou triste por ter tanta vontade de estudar e não poder por causa de dinheiro.
Que país é este?
Também, o país não tem culpa.
Se tivesse um pai ele me mandaria para a faculdade e estaria orgulhoso como o seu está.
_ Somos muito jovens ainda.
Vou esperar por você...
Do bar eles os viam, mas não conseguiam escutar.
Ficaram ali por um bom tempo, depois cada um foi cuidar de sua vida.
Zeca foi trabalhar e Célia para a praça, pintar.
Paulina foi para sua casa tocar piano e Simão ficou no bar, pensando nas pessoas rio Grotão e como poderia transformar tudo aquilo...
Os dias foram passando, sem grandes novidades.
Encontravam-se pela manhã e à tarde.
No domingo, se encontraram com Juarez, que após ouvi-los, disse:
— Posso fazer o projecto e não cobrar, mas penso que o custo será alto e se o Prefeito não aprovar, será muito difícil.
Simão, de todos, era o que estava mais animado:
— Vamos falar com ele!
Tenho certeza que entenderá.
Saberá que será bom para a cidade e para ele próprio!
Como os outros, Juarez também riu, dizendo:
— Simão, pode tentar, mas acho que será difícil.
Ele não se importa muito com a cidade, só com suas viagens.
— É impossível que ele seja tão insensível, Juarez.
— Espero que consigam.
A minha parte farei.
Quando estiver pronto avisarei.
Vai demorar, porque só poderei fazer nas horas vagas.
Mas farei o mais depressa que puder.
— Se fizer até a volta do Prefeito será óptimo, assim mostraremos o projecto pronto.
Acredito que será mais fácil.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:38 pm

— Vou tentar, Paulina, mesmo que não seja o projecto final, mas ao menos terão uma ideia aproximada do custo-benefício.
Simão serviu refrigerante para todos.
Eram agora amigos e tinham muita coisa para conversar a respeito do Grotão.
_ Já pensaram como vai ser bom, se todas aquelas pessoas tiverem uma boa casa para morar, além de trabalho?
— Seria bom mesmo, Zeca, mas corremos o risco desta cidade deixar de ser o que é, com tantos turistas...
Não havia pensado nisso, Paulina.
Mas será inevitável.
Aquelas pessoas do Grotão precisam viver com dignidade.
Célia, enquanto concordava com a cabeça, disse:
— Paulina, terminei de ler o livro.
Confesso que gostei.
Você vai mesmo querer emprestado?
Já te disse que não acredito em Deus e em nada disso, mas se achou bom, vou ler.
Não lhe prometo chegar ao fim.
— Para mim foi muito bom. Se não quiser, não tem importância.
Não precisa se preocupar.
— De que livro estão falando? — Simão perguntou.
— Estive lendo um livro a respeito do Espiritismo.
Gostei do que li, encontrei algumas respostas para os meus problemas.
— Isso de Espiritismo é tudo charlatanice, Célia!
Aliás, todas as religiões são.
Em todas elas o dinheiro corre solto!
Que é isso, Simão?
Existem muitas pessoas que se dedicam sem nada ganhar!
— Pode ser que algumas não ganhem, mas por trás delas, alguém está ganhando.
Já há muito tempo foi dito que a religião é o ópio do povo.
Enquanto as pessoas rezam, os poderosos ficam cada vez mais ricos e mais poderosos!
— Ele é um socialista! —- Zeca começou a rir — seguidor de Karl Marx!
Já foi provado que luta de classes não é a solução!
_ Não estou falando de luta de classes.
Estou falando de religião.
Todas elas pregam o conformismo.
Enquanto isso, o povo fica esperando ajuda de Deus e não luta por seus, direitos.
Por isso disse a Célia, que não acredito, nem mesmo em Deus.
Ele não existe, porque se existisse não haveria tanta tragédia, sofrimento e desigualdades neste mundo!
Não, Ele não existe!
Zeca e Paulina concordaram com a cabeça.
— Também pensava assim, mas depois que li esse livro, encontrei algumas respostas para tudo isso.
Quem sabe se lerem, não encontrão também.
Gostei do que li.
Vou procurar saber mais.
O livro está comigo.
Quem quiser pode ler.
— Vou tentar ler, Célia, embora saiba que vai ser difícil voltar a acreditar em Deus. — afirmou Paulina.
Mudaram de assunto.
Voltaram a falar sobre o projecto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:38 pm

Robertinho, a cada dia que passava, trazia mais um amiguinho para vê-lo pintar.
Alguns queriam aprender.
Célia já ensinava a seis crianças.
Só conseguia pintar a sua tela em casa, durante a noite.
As crianças tomavam toda a sua atenção.
As pessoas da cidade que, a princípio, estranharam aquela moça com o rosto coberto, agora já gostavam dela, por todo amor e carinho que ela demonstrava no trato com as crianças.
Naquela tarde, após voltar da escola, Robertinho entrou no bar, gritando, nervoso e ofegante:
— Seu Simão! Seu Simão!
O dinheiro! O dinheiro!
— Calma, Robertinho!
De que dinheiro está falando?
— Do dinheiro da Clarinha!
— Que dinheiro?
— Chegou um monte de dinheiro pra ela!
— O que está dizendo?!
Simão perguntou curioso:
— Igual o dinheiro do seu José.
Está lá no Correio!
Veio uma carta que fala pra ela usar o dinheiro para estudar.
— Não acredito! Outra vez?!
Tem certeza?!
— Tenho sim!
No Correio todos estão comentando.
Eu fui até lá buscar o Maurício e escutei!
— Quem será que mandou?
— Não sei e ninguém sabe!
Isso é que está me deixando nervoso!
Preciso descobrir...
— Quer ser o primeiro a saber e contar, não é?
— É isso mesmo, mas não faz mal, tem muita gente que não sabe e eu preciso contar, senão vão ficar sem saber! Tchau!
— Tchau Robertinho!
Vá correndo, senão pode ser tarde.
Robertinho saiu correndo, Simão ficou rindo.
Na casa de Regina, a alegria era total.
Clara via todo aquele dinheiro e a carta dizendo que era para ela ir para a faculdade.
— Mamãe, quem terá mandado?
Com esse dinheiro poderei morar e estudar!
Vou poder realizar o sonho de toda minha vida!
Ser médica! Deus existe mesmo!
— Sempre acreditei nisso.
Mas, quem terá mandado?!
— Mamãe, não terá sido o meu pai?
Regina já tinha pensado nisso, mas sabia que não havia sido ele.
Nunca se preocupou com ela, nem com a filha.
— Não filha! Não foi ele.
Não sabe da sua existência.
— Tem certeza disso?
Tenho. Mas não importa quem foi.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:39 pm

O importante é que agora, poderá ir à faculdade.
Quem fez isso, acredita que você se esforçará muito para ser uma óptima médica.
— Será que foi o seu Manolo?
Não comentei com ninguém, a não ser com o Gustavo que falou com os pais.
— Também não comentei com ninguém.
Só com você.
- Só posso agradecer a Deus, mamãe.
Vou estudar muito!
A pessoa que me deu este dinheiro não vai se arrepender!
— Acredito nisso, minha filha.
Sei que estudará muito!
O telefone tocou, ela correu para atender.
— Alô, Clarinha!
— Oi, Gustavo! Já soube?
— Sim! Mas não estou acreditando!
É verdade mesmo?!
— E sim! Agora já poderei ir com você!
— Seremos os melhores médicos que possam existir neste planeta!
Amo você!
— Também amo você!
Mas, comentou com alguém que eu não tinha dinheiro para ir à faculdade?
— Não. Só em casa, com meus pais.
— Será que não foi o seu pai?
— Não. Ele não tem todo esse dinheiro.
Vai me mandar todos os meses.
Todo de uma vez assim, ele não teria.
Não sabe mesmo quem foi?
— Não! Estávamos conversando eu e a minha mãe.
Não contamos a ninguém.
Por isso não sabemos quem mandou.
— Estranho, mas quem mandou caiu do céu!
— Isso mesmo!
O importante é que agora iremos juntos.
Seja quem for, que Deus o abençoe!
O comentário na cidade era novamente sobre o dinheiro que, como o primeiro, chegou misteriosamente e da mesma maneira.
No Correio, não havia o nome do depositante.
Todos estavam curiosos e toda e qualquer pessoa queria ser a próxima ganhadora.
A carta que chegou, só dizia que era para Clara estudar e se manter na faculdade.
Zeca, Simão, Célia e Paulina, como os outros, também falavam sobre isso.
Zeca estava abismado:
— Quem terá mandado?
— Ninguém sabe! — respondeu Paulina.
É um mistério!
— Esse benfeitor deve ter muito dinheiro...
— Ora, Célia, — disse Paulina — talvez seja alguém que ganhou na loteria, fez algum tipo de promessa!
— Ou talvez algum milionário condenado à morte e sem herdeiros! — agora quem falou foi Simão.
Cada um dava a sua opinião, mas não se convenciam.
— Gustavo e Clara, há dias, estavam muito nervosos.
Seria por causa disso, Paulina?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:39 pm

— Talvez. Eu sabia que Gustavo ia para a faculdade, mas não sabia que a Clara também quisesse ir.
— Zeca, você que frequenta a casa do delegado, nunca ouviu nada a respeito?
Nunca comentaram?
— Sabia que estavam namorando, e que o delegado não queria esse namoro, mas sobre dinheiro?
Nunca comentaram!
Eu não tinha a menor ideia.
_ Agora a Clara deve estar achando que Deus existe.
— Por quê? Você não acredita, Célia?
Estou começando a acreditar!
— Célia, falando nisso, comecei a ler o livro que me emprestou.
O assunto é mesmo interessante!
Não me convenceu ainda da existência de Deus, mas está me fazendo pensar.
Vou ler mais um pouco, depois discutiremos sobre o assunto.
O que acha?
— Pensar é óptimo, Paulina.
Quem sabe encontre respostas.
— É, Zeca, parece que as nossas amigas encontraram algo em comum para discutirem!
— Sempre fui da opinião que não se deve descartar qualquer coisa, dizendo não acreditar. Simão.
— Nunca pensei que fosse mística, Célia!
—Zeca, durante muito tempo fiquei afastada da sociedade, o que me fez pensar em Deus.
Por muito tempo, cheguei a acreditar que Ele não existia.
Aliás, só voltei a considerar este assunto agora, depois de ter lido este livro.
Tudo o que está escrito nele, até pode ser verdade, e, se for, é maravilhoso...
— Sou eu quem não quer saber de Deus ou de qualquer outra religião.
O que aconteceu em minha vida, me fez acreditar que somos todos vítimas de um destino que pode ser muito cruel.
Deus nos castiga através daqueles a quem amamos.
—Quer falar sobre isso, Simão?
— Quem? Eu? Não, não quero, Paulina.
E nem tenho condições de falar.
Ainda não consegui curar as minhas feridas.
_ Vamos mudar de assunto.
Não quero e nem posso me recordar do passado.
Estou há muito tempo querendo esquecer tudo.
Após ter lido o livro, Simão, entendi que, talvez, o nosso encontro aqui, nesta cidade, tenha um propósito maior.
— O que está querendo dizer, Célia?
_ Viemos, cada um trazendo um passado que insistimos em não revelar.
Nos encontramos e estamos juntos, envolvidos em um projecto.
Vocês não acham isso estranho?
É, — disse Zeca — dá para pensar.
Como nos tornamos amigos tão depressa?
Como nos demos tão bem?
Não será por que já nos conhecíamos?
— Como, Célia?
Um não sabe nada da vida do outro!
— Ela está querendo dizer de outra encarnação! — disse Paulina.
Não é isso, Célia?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:39 pm

Célia ficou olhando para cada um bem devagar, respondeu:
— E isso mesmo!
Foi sobre isso que li no livro.
— O quê? Reencarnação? — disse Simão.
Não acredito nisso!
É coisa de louco!
De charlatão!
Não dá para aceitar!
— Por que não?
Só ela pode nos explicar muitas coisas!
— Nunca soube nada a esse respeito — disse Zeca — e confesso que não tenho vontade alguma de saber.
— Pois eu, desde que li, a primeira vez, estou pensando seriamente nisso.
— Talvez algum dia eu leia, mas agora só estou interessado no nosso projecto.
Quem sabe talvez... um dia... esse negócio de espíritos e reencarnação me chame a atenção.
— Está bem, Zeca.
Nesse dia, voltaremos falar a respeito.
Hoje, temos outra prioridade.
Continuaram conversando.
Aquela ida até o Grotão despertou um sentimento de solidariedade, que há muito não sentiam.
Estavam, todos eles, presos ao passado.
Mas agora era diferente, eles deixaram de pensar nos seus problemas e sonhavam em mudar as coisas para aquelas pessoas sofridas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:39 pm

Ingratidão
Os dias passaram, finalmente o Prefeito retornou.
Paulina foi até a Prefeitura e marcou uma audiência, que seria em três dias.
Juarez trouxe o projecto, colocando tudo o que pretendiam fazer.
Não era o projecto final, mas dava para se ter uma ideia aproximada do custo benefício.
No dia marcado, os quatro acompanhados por Juarez, foram até a Prefeitura.
Foram recebidos pelo Prefeito.
Um homem com pouco mais de quarenta anos e com boa aparência.
Sentaram-se em cadeiras apontadas por ele:
— O que os traz aqui? — o Prefeito perguntou com um Sorriso forçado.
Em que posso ajudá-los?
— Meu nome é Simão.
Estes são Célia, Zeca, Juarez e Paulina.
Somos moradores da cidade e estivemos no Grotão.
Tivemos algumas ideias para mudar tudo ali.
— Aquele lugar me traz muitos problemas.
Preciso tirar aquelas pessoas dali, mas não tenho para onde mandá-las.
O que viram lá, podem estar certos de que não será por muito tempo.
Logo todos serão mandados embora e tudo ficará bem.
E um manancial e a lei estará ao meu lado para tirá-los de lá!
— Prefeito, espere!
Não estamos aqui para que as pessoas saiam de lá!
Ao contrário, queremos que fiquem, pois são pessoas pobres.
Quando lá estivemos, surgiu uma ideia que gostaríamos de passar ao senhor para que possa avaliar.
— Qual foi a ideia?
Juarez mostrou os projectos.
O Prefeito prestava atenção em tudo.
Quando terminaram de falar, ficaram olhando para ele esperando uma resposta.
Ele olhou para todos, depois para os papéis que estavam sobre a mesa:
— A ideia é boa, mas é um projecto inviável.
— Como inviável? — perguntou Simão.
— A cidade não tem dinheiro para uma obra como essa.
Lá é um manancial, não pode haver moradias.
Esse projecto teria que ser aprovado pela maioria dos vereadores.
Simão interrompeu nervoso:
— Como a cidade não tem dinheiro?
Há muito tempo não é feito nada de novo aqui!
Uma cidade como esta, que planta para exportar, deve arrecadar muito imposto!
Quanto às moradias, elas podem ficar em um lugar próximo, sem pertencer ao perímetro do manancial.
As pessoas tendo emprego, poderão pagar por suas casas.
— Todo dinheiro arrecadado, só dá para manter os gastos.
Não dá para arriscar em um projecto mirabolante como este!
— Mirabolante?
O senhor entendeu bem a extensão dos benefícios que traria para os moradores e para a cidade?
Ela se tornaria uma cidade turística, trazendo para cá pessoas de todos os lugares.
Essas pessoas gastariam e ajudariam o comércio da cidade, trazendo para a Prefeitura muito dinheiro!
— Seria uma óptima ideia, senhor Simão, mas também deixaria de ser uma cidade calma e tranquila, como é!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:40 pm

— Por outro lado, as pessoas viveriam melhor e o senhor cresceria no conceito delas e poderia se reeleger outras vezes!
— Isso não me interessa, porque já há muito tempo a minha família cuida desta cidade.
Todos votam sempre em nós... — disse com um sorriso irónico.
Simão não conseguia esconder sua raiva.
Como ele podia ser tão pedante e insensível?
Jogou a sua última cartada.
— Tem algo que o senhor não pensou. — falou com voz mansa e prestando atenção no rosto do Prefeito.
Para que tudo seja feito, o senhor terá que contratar construtoras...
O Prefeito parou, pensou, pensou e pensou, depois, com um brilho nos olhos, disse:
— O senhor me fez pensar.
Vou falar com algumas pessoas.
Depois voltarei a conversar com os senhores.
Estendeu a mão despedindo-se.
Levantaram-se e foram embora.
Simão mantinha no rosto um sorriso maldoso.
Os outros olhavam para ele sem entender o que havia acontecido.
Quando saíam, encontraram Regina, que entrava.
Cumprimentaram-se e ela entrou.
Eles foram para o bar.
Regina aproximou-se da secretária do Prefeito:
— Boa-tarde, Sueli, — disse Regina aproximando-se da secretária do Prefeito — preciso falar com o Prefeito.
É urgente!
— Boa-tarde, Regina.
Você tem hora marcada?
— Não, mas é urgente!
— Vou falar com ele.
Aguarde um momento, por favor.
Entrou na sala do Prefeito, voltando logo depois.
— Ele pediu para eu dizer que está ocupado, mas se a senhora quiser esperar um pouco, logo a atenderá.
— Vou esperar.
Preciso falar com ele ainda hoje.
Sentou-se em uma poltrona, pegou uma revista que havia sobre a mesa e começou a ler.
Esperou por quase duas horas até que a secretária pediu que ela entrasse.
Entrou, com o coração na boca.
— Olá, Regina! Como vai?
O que aconteceu?
Nunca veio aqui para falar comigo!
— Nunca vim mesmo, mas agora precisei.
Quero saber se foi você quem mandou o dinheiro para Clara.
— Eu não! Nem sabia que ela queria ir para a faculdade!
Você nunca me pediu nada!
— Nunca mesmo, e não vou pedir.
Só não estou entendendo por que esse dinheiro chegou e quem mandou?
Pensei que fosse você querendo fazer algo por sua filha.
— Não! — ele disse quase gritando.
Volto a dizer que não sabia que ela estava precisando!
Estive viajando por mais de um mês.
Retornei ao trabalho há poucos dias.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Ago 07, 2017 7:40 pm

Também estou querendo descobrir quem é essa pessoa que mandou tanto dinheiro.
Primeiro para o José, agora para Clara.
Preciso saber qual é o interesse que está por trás de tudo isso!
Sim, só pode existir algum!
Ninguém faria uma doação assim, se não houvesse.
— Por que sempre acredita que haja um interesse?
Quando a Clara nasceu, me acusou de insistir na gravidez, só porque você era filho de uma família rica e poderosa!
Por isso, eu nunca quis nada do que era seu.
Criei a minha filha sozinha e hoje é uma moça maravilhosa, que só me traz felicidade.
Não sei onde estava com a cabeça quando pensei que poderia ter sido você!
Sou uma idiota mesmo!
Ela está querendo saber quem é o pai.
Não disse e nunca direi!
Tenho vergonha de um dia ter te amado.
Você é mesquinho e cruel! Boa tarde!
— Espere, vamos conversar.
Por que toda essa revolta?
Você sabe que eu dependia do dinheiro dos meus pais.
Jamais poderia ter assumido você e a criança.
Eles nunca aceitariam!
— Você foi um covarde, mas eu não precisei de nada!
Precisaria agora, para poder mandar minha filha estudar.
Mas, graças a Deus, alguém fez isso por mim.
— Não será alguém com quem você mantém um romance escondido?
Não se casou até hoje, por quê?
— Você é mesmo um cretino!
Sendo um mau carácter, pensa que todos também são!
Não me casei porque tive que continuar morando aqui e todos sabem que sou mãe solteira.
Jamais, qualquer homem se aproximaria de mim!
Também seria muito difícil eu acreditar em outro homem!
Não temos mais nada para falar!
Até logo. Ou, melhor, até nunca mais!
Regina saiu da sala.
Tremendo de raiva, saiu do prédio.
" Sou mesmo uma cretina!
Como consegui pensar, por um minuto, que esse canalha poderia ajudar a filha?
É egoísta, covarde e orgulhoso!
No final, foi bom não ter sido ele.
Assim não precisarei mais voltar a vê-lo ou ficar devendo-lhe favor!"
Foi até a igreja. Ajoelhou-se.
Padre Jorge, se aproximou:
— Como vai, Regina?
Estou feliz por te ver aqui!
— Estou bem padre.
Só vim aqui buscar paz.
— Soube do dinheiro que Clara recebeu.
Pensei que você estivesse feliz, mas parece que está triste e nervosa.
— Estou sim, Padre.
Acabei de falar com o Raul.
Como sempre, se mostrou o canalha que sempre foi e que é!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:30 pm

— Quando tudo aconteceu, você era muito criança.
Ele usou da sua boa fé.
Você me contou tudo em confissão, por isso, não comentei, mas aconselhei você a lutar por todos os direitos da sua filha.
Preferiu ficar calada, pois dizia que, ele sendo da família que era, além de nada fazer, talvez te prejudicasse.
O tempo passou, você criou Clara e muito bem.
Ela é uma moça de um grande carácter.
Agora, com esse dinheiro, vai ser uma boa médica.
Você deve agradecer a Deus.
— Estou nervosa, porque cheguei a pensar que ele havia mandado o dinheiro.
Mas, não! Continua o mesmo cretino de sempre.
Na época, eu devia ter aceitado o seu conselho para que fosse embora da cidade antes da Clara nascer.
Não fui porque, no fundo, achava que ele a assumiria, mas não fez isso.
Quando voltou da faculdade tentei falar com ele que simplesmente me ignorou, dizendo estar casado com uma moça da classe dele!
O senhor se lembra de que vim até aqui?
— Claro que me lembro!
Quis te mandar para a Capital.
Iria trabalhar na casa da minha irmã, mas você não quis, porque, sempre acreditou que um dia ele reconheceria a filha.
Você o amava muito e não sei se ainda não ama.
— Tem razão, eu não queria acreditar que tudo havia sido só um capricho.
Que simplesmente me usou.
Ele dizia que me amava e, assim que voltasse da faculdade, seríamos felizes para sempre.
Sozinha no mundo, morando em sua casa.
Padre, acreditei em tudo o que ele me prometeu.
—Agora já passou.
Não adianta ficar presa ao passado nem guardar mágoa ou rancor.
Sua filha está bem, você tem um bom emprego, mas mesmo assim, deveria ir embora daqui e morar com ela.
Com o dinheiro que receberam, poderão alugar uma casa e ficarem juntas.
Longe dele e desta cidade, quem sabe não conseguirá recomeçar a sua vida?
E ainda muito jovem e bonita!
Arrumará um emprego e poderá estudar mais, tornando-se uma profissional.
Não perca mais tempo, já esperou demais por ele.
— O senhor está mostrando um caminho que eu não havia pensado!
Regina começou a chorar — não mais de mágoa ou tristeza, mas de alegria.
Estou há muito tempo presa ao passado.
Vou tomar a frente da minha vida e continuar.
O que passou, passou!
Vou falar com Clara e irei com ela!
Obrigada, padre!
O senhor me ajudou muito, como tentou fazer naquela época.
Estava nervosa, mas agora, estou calma e tranquila.
— Vá, minha filha.
Você tem todo o direito de ser feliz.
Se continuar aqui, só vai sofrer; tem a vida toda pela frente.
Regina levantou-se, beijou a mão dele e saiu leve e calma.
Passou pela praça.
Ficou olhando tudo, como se já não pertencesse mais àquele lugar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:30 pm

Chegou em casa. Clara não estava.
Foi até a cozinha, pegou um copo com suco.
Dirigiu-se para a varanda, sentou-se numa cadeira de balanço, fechou os olhos e ficou pensando em tudo o que havia passado.
Só que, desta vez, não estava braba.
Só podia agradecer a Deus por ter lhe dado uma filha maravilhosa.
Clara chegou.
— Mamãe! Está dormindo?
— Não, filha, só estou pensando em tudo que aconteceu.
— Também estive pensando.
Quero pedir desculpas por todas aquelas coisas que falei naquele dia.
— Que coisas?
— Quando disse que a senhora era a culpada por todo o meu sofrimento!
Mesmo dizendo todas aquelas barbaridades, Deus ainda foi bom e me ajudou.
Cheguei à conclusão que não quero e nem vou mais me preocupar em saber quem é o meu pai.
Não me importa, só tenho a senhora, que me criou com todo amor e sempre me deu tudo o que eu precisei.
Agora, que tenho dinheiro para ir embora, vou começar uma nova vida, longe de tudo e de todos.
Vou esquecer que esta cidade existe.
Nunca mais voltar para aqui.
— Não diga isso, minha filha! — Regina disse sem acreditar no que estava ouvindo.
Você nasceu aqui, vai estudar e quem sabe poderá voltar e trabalhar aqui, ajudando as pessoas pobres da cidade!
Eu, estando junto com você, sem a preocupação de dinheiro, poderei estudar também e arrumar um bom emprego!
— O quê?! — Clara gritou — Está pensando em ir comigo?
Nem pensar! Vou com Gustavo!
Quando disse que iria esquecer de tudo e de todos, a senhora estava incluída!
Tive uma infância infeliz por sua culpa!
Só fiquei porque não tinha alternativa, mas agora posso viver a minha vida!
A senhora não está incluída em meus planos!
Vai continuar aqui!
Vivendo ao lado desse povo inútil!
Se quiser ir, vá. Mas sozinha!
Não preciso mais da sua ajuda e muito menos da sua companhia!
Clara entrou em casa para telefonar para Gustavo.
Regina continuou na varanda, com os olhos cheios de lágrimas.
Não queria acreditar no que tinha acabado de ouvir:
Como é estranha esta vida.
Alguns dias atrás, eu estava triste e desesperada por não poder dar o que minha filha precisava e agora que tudo estava se ajeitando, descubro que ela sempre me odiou.
Será que Deus comanda mesmo a nossa vida e as pessoas?
Será que temos mesmo um destino preparado?
Conheço todas essas respostas, mas, mesmo assim, me custa aceitar..."
Enquanto tudo isso acontecia, no bar, os amigos conversavam.
— Simão, o que aconteceu? — perguntou Zeca.
Não entendemos o que falou para que, de repente, o Prefeito mudasse de atitude e de opinião!
Simão respondeu com um sorriso sarcástico:
será estudado e, do que depender do Prefeito, ele será aprovado...
— Como pode ter tanta certeza?
Confesso que não percebi qual foi o motivo que o fez mudar de ideia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:30 pm

— Fiquem tranquilos.
Pode continuar com o projecto, Juarez.
Tenho certeza que logo o Prefeito vai nos chamar e dizer que o projecto está sendo estudado.
Olharam-se sem entender, mas o importante era que o Prefeito realmente havia mudado de atitude.
Simão continuou:
_ Alguns políticos não pensam no bem estar do povo, a não ser quando possam tirar algum proveito.
Esse nosso Prefeito é uma prova viva disso...
— Em que hora ele mudou de ideia, Simão?.
— Espere, Célia.
Acho que estou descobrindo...
— Quando foi, Zeca? — Insistiu Célia.
Foi quando Simão falou a respeito das empreiteiras, não foi, Simão?
Você acha que ele agora vai estudar o projecto, porque com a contratação das empreiteiras poderá ganhar dinheiro?
— É isso mesmo! Ele só construirá o que queremos, se notar que poderá ganhar algum!
Todos agora estavam entendendo qual foi a jogada de Simão.
— Você tem razão, Simão, — disse Paulina abismada — mas como sabia o que dizer e qual seria a reacção dele?
Já conhece como o mundo da política funciona?
— Claro que conheço e todos vocês deveriam conhecer também.
E só ler jornal ou assistir aos noticiários na televisão.
— Confesso que leio jornais e assisto aos noticiários, mas nunca percebi essas coisas.
Jamais teria essa ideia.
— Bem, Paulina, isso agora não importa!
Vamos esperar e ver o que acontece!
— Simão, se ele aprovar, aquelas pessoas do Grotão mudarão de vida!
Poderão viver com dignidade.
— Claro, Célia, tenha certeza de que não só aquelas pessoas, mas toda a cidade!
Todos riram. Simão sabia o que estava dizendo.
Começaram a desconfiar que ele entendia do mundo da política.
Despediram-se e foram embora.
Ao chegar em casa, Paulina viu sobre a mesa o livro que Célia lhe emprestara.
Pegou-o e foi para o quarto.
Deitou-se e continuou a ler do lugar onde havia parado.
Leu algumas páginas, deixou-o de lado, fechou os olhos e ficou pensando...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:30 pm

Encontro casual
Regina saiu de casa sem saber o que fazer e para onde ir.
Chorava muito.
Zeca também estava indo para sua casa.
Desde que falou com a mãe, não conseguia esquecer do passado.
Ao dobrar a esquina, deu de encontro com Regina que vinha no sentido contrário.
Assustaram-se, ele deixou cair um pacote com doces que levava para Robertinho.
Abaixaram-se para pegar.
Os olhos se encontraram e ele percebeu que ela estava chorando.
Pegou suas mãos e levantaram-se juntos.
— Por que está chorando, Regina?
O que aconteceu?
Imaginei que estaria muito feliz com a chegada do dinheiro!
— Desculpe pelo esbarrão.
Eu estava distraída e pensando na vida.
Estou um pouco nervosa, mas logo vai passar...
— Nervosa, por quê?
— Desculpe, mas agora, não quero falar sobre isso...
— Está bem, mas já que está nervosa e eu estou triste, por que não vamos até a praça e poderemos conversar.
— Não sei se quero conversar.
Estou abismada...
— Não adianta ficar pensando, vamos conversar.
Sei que não quer falar, mas eu preciso conversar com alguém.
— Está bem, me convenceu.
Vamos conversar.
— Eu e alguns amigos, estamos envolvidos em um projecto, para melhorar a vida das pessoas que moram lá no Grotão.
— Como é?! Um projecto para o Grotão?
Sentaram-se em um banco na praça. Zeca contou os planos.
Regina ouvia com muita atenção.
— Mas é formidável!
Quem teve essa ideia?
Quais são as pessoas envolvidas nisso?
Zeca percebeu que ela estava entusiasmada.
Contou da visita que ele e os companheiros fizeram ao Grotão.
— Posso participar também?
— Não só pode, como deve!
Quanto mais pessoas se interessarem, mais fácil irá se tornar em realidade.
— Só vejo um inconveniente.
Se depender do Prefeito, vai ser difícil.
Ele é muito egoísta para querer ajudar o povo.
— Simão já sabe como cuidar disso.
Ele jogou o anzol e tem certeza que o peixe morderá a isca!
— Se houver alguma vantagem financeira para ele, pode ter certeza que, Simão conseguirá.
Ela parou de chorar.
Aquele assunto envolveu-a e, enquanto conversavam, esqueceu-se de Clara e de tudo o que ela havia dito.
Do bar, Simão via os dois conversando.
— Nossa, Zeca!
Estamos falando tanto que esqueci dos meus problemas!
É muito triste... não estou entendendo e não quero acreditar no que ouvi hoje.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:31 pm

— Você estava com um sorriso ouvindo o que eu dizia e, agora, está triste novamente.
Quer falar sobre isso?
— Não sei, para ser sincera, estou muito infeliz.
Descobri hoje, que toda a minha vida foi inútil.
Não vi o mal que estava fazendo para a minha filha.
Ela se tornou uma pessoa revoltada, infeliz e, sente um ódio imenso por mim.
— O que está dizendo?! Não acredito!
A Clarinha é uma menina doce e educada e isso se deve a você, com certeza!
Sempre achei isso dela, mas não era verdade.
Hoje, ela me disse coisas que jamais pensei ouvir da minha filha.
As lágrimas voltaram a cair de seus olhos.
Zeca tirou um lenço e lhe ofereceu. Ela aceitou.
Enxugou as lágrimas e contou tudo o que Clara havia dito.
Ele ouvia e não acreditava.
— Está dizendo que ela não quer que você a acompanhe?
Acredita que, por não precisar de você financeiramente, pode te abandonar?
Foi isso o que ela disse?
— Sim, mas ela tem razão.
Eu deveria ter ido embora, antes que ela nascesse, mas eu era muito jovem e não sabia como viver fora daqui.
Aqui eu teria a chance criá-la.
Nunca pensei que ela seria discriminada e que os outros a apontariam como uma estranha.
Por isso é que ela me odeia tanto...
— Ela não pode fazer isso!
Você a criou com carinho, tanto é que a pessoa que mandou o dinheiro deve conhecer vocês e, sabendo o quanto ela quer estudar, quis facilitar tudo.
Com certeza, não pensou que a reacção dela seria essa!
_ Não sei quem foi, mas, de qualquer maneira, ainda agradeço a essa pessoa.
Nasci e vivi nesta cidade.
Tenho o meu emprego e, na medida do possível, fui feliz.
Hoje, Clara está uma moça, pode e deve escolher o seu caminho.
Eu não vou impedir.
Se vocês me deixarem participar desse projecto, sei que preencherei o meu tempo.
Ajudando as pessoas, conseguirei esquecer os meus problemas.
^£Você é uma grande mulher.
Deixe que ela vá.
A vida costuma ensinar, eu sou uma prova viva do que estou dizendo...
— Por que você chegou como um mendigo?
Ao conversar com você, logo se vê que teve uma boa educação e nunca deve ter sido jardineiro!
— Bem, já conversamos muito.
Não quer ir até o bar do Simão?
Vamos falar com ele da sua participação no projecto?
— Vamos, mas prometa que não vai falar com ninguém o que te contei.
Não quero que a pessoa que deu o dinheiro venha a saber!
Poderia prejudicar a Clara e isso não quero.
Só desejo que ela estude e se torne a médica que sempre sonhou!
— Não falarei com ninguém, pode ficar tranquila!
Agora só quero ver o sorriso de volta ao seu rosto...
Ela enxugou as lágrimas e sorriu.
Foram falar com o Simão.
Zeca lhe contou da vontade de Regina em participar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:31 pm

— Regina, vai ser muito bom. — disse Simão alegre.
Quanto mais pessoas participarem, melhor será!
Está fazendo isso em agradecimento pelo dinheiro que recebeu?
— Sempre quis ajudar, mas nunca soube como.
Estou agradecida pelo dinheiro sim, mas ele não é meu, é da Clara.
— Sendo da Clara é seu também! Não vai com ela?
— Não, ela não vai! — disse Zeca ao perceber que Regina ficou sem saber o que dizer.
Gosta daqui e acha que será melhor para Clara ir sozinha.
Portanto, acha que, com esse projecto, poderá distrair-se e não sentirá tanta falta da filha!
— Tem razão, Zeca! Eu concordo ser saudável termos algo para fazer.
A falta disso é o motivo de muitas doenças.
— Ainda somos poucos, Regina, — continuou Simão — mas sei que outras pessoas, virão, quando perceberem que o projecto é honesto e que está realmente sendo implantado!
Por enquanto, nos encontraremos todos os dias, se quiser poderá vir!
Estamos esperando uma resposta do Prefeito.
Assim que ele autorizar, começaremos a envolver a cidade.
— Esse vai ser o nosso principal problema, mas quem sabe ele deixe de ser egoísta e resolva ajudar ao povo.
— Sei que já lhe dei um bom motivo para nos ajudar.
— O Zeca me contou.
Espero que consiga.
Vou embora e voltarei amanhã.
E bom que seja pela manhã, pois à tarde eu trabalho no posto de saúde e não poderia vir!
Até logo, Zeca!
Obrigada por tudo, a conversa que tivemos me fez muito bem.
— Até logo, Regina!
Vá com calma e tenha paciência.
— Zeca, vi vocês dois lá na praça. — Simão disse, enquanto ela se afastava.
O que conversaram?
— Nada! Eu estava falando para ela sobre o nosso projecto.
Ela ficou interessada e fez muitas perguntas.
E uma boa moça.
— Ela contou quem mandou o dinheiro para a Clara?
— Ela não tem a menor ideia.
A Clara vai embora e ela ficará aqui sozinha.
Quer trabalhar connosco no projecto.
— Qualquer pessoa será bem-vinda!
— Vou embora, Simão.
Aliás, estava indo quando me encontrei com Regina.
Não poderemos fazer nada antes da decisão do Prefeito.
Só podemos esperar. Tchau!
— E isso, Zeca. Só podemos fazer isso mesmo.
Tchau. Regina foi para casa.
Sentia um aperto no coração por
descobrir o que a filha pensava a seu respeito.
Sentiu que toda a sua vida havia sido inútil, mas agora sentia um novo alento.
" Não entendo porque contei tudo ao Zeca.
Não quero que as pessoas saibam.
Tenho medo que se a pessoa que mandou o dinheiro souber, se arrependa e prejudique a Clara.
Vou me envolver nesse projecto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:31 pm

Trabalhando muito, não terei tempo para ficar chorando.
Deus abençoe a minha filha.
Que ela seja muito feliz na sua nova vida.”
Entrou em casa.
Clara estava em seu quarto.
Regina foi para a cozinha.
Clara percebeu que a mãe entrou em casa.
— Mamãe, — disse aproximando-se — estive falando com Gustavo.
Ele brigou, porque achou que eu a levaria comigo.
Disse não ser justo a senhora ficar aqui sozinha.
Por isso, pode se preparar.
Vamos juntas começar uma nova vida.
Regina olhou para ela.
A filha que criara com tanto amor estava ali se desculpando, só porque o namorado pediu.
_ Não, filha! Eu não vou!
Em tudo que falou, você tinha razão.
Nasci e cresci aqui, tenho o meu emprego, amigos e pessoas a quem posso ajudar.
Vá com Gustavo, ele é um bom menino e te fará feliz.
Vou continuar aqui e, sempre que quiser, poderá vir me visitar.
É agora uma moça e deve continuar o seu caminho.
Realize o seu sonho, estarei aqui torcendo para que tudo dê certo.
— A senhora não pode fazer isso!
Gustavo não vai acreditar que não quer ir!
Vai achar que eu não quero levá-la!
— Falarei com ele e mostrarei que não posso simplesmente abandonar o meu trabalho e tudo o que tenho aqui.
Foi uma ideia tola esta que tive!
Não seria feliz longe de tudo e de todos!
Vocês são jovens e está na hora de construírem as suas vidas.
Não se preocupe, estarei bem como sempre estive!
— Então, fale com ele!
Não quero que ele pense que sou eu quem não quer!
Estou pedindo desculpas, quero que venha connosco!
Será bom, mamãe...
— A minha parte em relação a você já fiz.
Permiti que nascesse.
Hoje, Deus te mandou esse dinheiro, que não sabemos de onde veio, para que realize o seu sonho.
Agradeça a Ele e devolva, estudando muito e sendo uma boa médica.
Não se preocupe, ficarei bem...
Saiu da cozinha, foi para o seu quarto. Deitou-se.
Ela só veio falar comigo, porque o Gustavo mandou.
Como eu poderia aceitar, sabendo agora o que pensa de mim?
Não, não irei. Continuarei aqui e farei o possível para não guardar rancor.
Só posso agradecer a Deus por ter me feito encontrar o Zeca e ele vir com aquela proposta de trabalho.
Me fez lembrar o que eu sempre soube, que quando pensamos estar tudo perdido, há sempre um caminho novo a seguir.
Clara seguirá o dela e eu o meu..."
A noite chegou.
Uma nova manhã surgiu.
Em cada vida, sempre, uma surpresa chegando.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:31 pm

Os amigos levantaram-se e foram todos para o bar.
Agora, tinham mais um motivo para se encontrarem.
Um projecto que tomaria todo o tempo ocioso que tivessem para ficar pensando em seus problemas.
Foram chegando.
Sorrindo, mostravam em seus rostos a felicidade por estarem ali, mas, agora, com um propósito maior.
Zeca foi o primeiro a chegar.
Simão já estava com a mesa colocada, inclusive com um lugar a mais para Regina.
Aos poucos, foram chegando.
— Para quem não conhece, — Simão disse quando todos chegaram — esta é Regina que vai fazer parte do nosso grupo.
Ela também está entusiasmada e quer nos ajudar.
— Já a conheço, — disse Paulina sorrindo — nos criamos juntas.
Tenho certeza que o nosso grupo só vai se enriquecer com a sua presença. Seja bem-vinda!
— Obrigada, Paulina. — Regina disse emocionada.
Realmente nos criamos juntas e frequentamos a mesma escola, mas o destino nos separou.
Agora nos une novamente.
— Eu não a conheço, — disse Célia — mas por essa apresentação, sei que seremos amigas.
Seja bem-vinda!
Simão enquanto servia o café, ouvia a conversa e pensava:
" O nosso grupo está aumentando. Logo seremos muitos..."
Tomaram o café e conversavam animadamente. Zeca era o mais feliz:
— A cada dia que passa, fico mais feliz por ter chegado a esta cidade.
Regina, será que foi o destino que nos uniu?
Um olhou para o outro como se estivessem se conhecendo só naquele momento. Célia disse:
_ Acredito que sim.
De acordo com esta doutrina que estou estudando, nada acontece por acaso.
Todos temos um caminho para seguir e esse caminho vem sempre acompanhado por amigos e inimigos.
Mais cedo ou mais tarde, todos se encontram.
Talvez, nós tenhamos algo para fazer juntos.
— Essa ideia é interessante. — disse Simão — Regina é ai única que nunca saiu daqui.
Paulina foi embora e voltou.
Zeca chegou, naquele dia, parecendo não querer mais nada da vida e ficou.
Célia veio para ficar uns dias e está aqui até agora.
Eu vim atendendo a um pedido de meu tio, também fiquei.
Todos nos encontramos e estamos juntos, lutando por uma mesma causa.
Célia, talvez esteja certa.
Se assim for, estamos no caminho certo.
Olharam-se e, por alguns minutos, ficaram calados.
Cada um tentando encontrar no outro o amigo ou inimigo.
— Célia, que doutrina está estudando?
— A doutrina espírita.
Encontrei nela muitas respostas para os meus problemas.
Entre elas a reencarnação, que pode nos explicar muitas coisas.
Sabe, Regina, depois que comecei a ler sobre o assunto estou revendo a minha vida.
_ Já sigo essa doutrina há muito tempo.
Por isso, sempre que algo de ruim me acontece, procuro saber o porquê.
Com ela, aprendi que nada acontece por acaso.
Deus está, todo tempo, nos dando graças e oportunidades.
Jesus veio nos ensinar que o perdão é o único caminho para se chegar à perfeição.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:32 pm

Tenho vários livros e se quiserem, posso lhes emprestar.
Sei que muita coisa mudará em suas vidas
— Regina, não acredito em religião ou religiosos.
— Nem eu, Simão!
— Como não? Está agora mesmo pregando uma!
— Estou falando em doutrina, não em religião!
Todas as religiões que existem no mundo foram criadas por homens.
Jesus passou por aqui e deixou muitas mensagens, mas cada um interpreta da maneira que quer.
Penso que o importante é o ser humano na sua caminhada.
Religião é como partido político, no qual as pessoas ficam por acreditarem no que ele propõe.
Nós estamos aqui porque acreditamos no projecto e nos sentimos bem.
Poderíamos dizer que é uma religião.
Deus não tem religião.
Ele é pai de todos e a todos ama...
— Tudo isso que está falando tem fundamento, Regina. - disse Paulina.
Dá até para pensar.
_ Isso mesmo, Paulina.
Dá até para se pensar, mas sem preconceito.
Acredito que estamos unidos para uma missão.
Deus está nos dando uma oportunidade de, juntos, fazermos algo em favor de alguém ou de muitos.
Cabe a nós, através do livre-arbítrio, cumprirmos a nossa parte ou não.
Existem várias, perguntas que devemos nos fazer.
Se o nosso passado tivesse sido diferente, hoje, estaríamos aqui, envolvidos nesse projecto?
Zeca enquanto se levantava, disse:
— É, dá para se pensar.
Mas agora preciso ir cuidar do meu jardim.
Senão, como pagarei o meu aluguel?
— Também tenho que ir embora.
As crianças já devem estar me esperando. — Levantou-se Célia.
Foram embora.
Simão, sozinho, começou a pensar:
" Elas têm uma certa razão.
Eu era um homem feliz e realizado.
Tudo corria tão bem em minha vida, que jamais me preocuparia com outra pessoa que não fosse eu mesmo.
Era muito egoísta e ganancioso para isso..."
— Bom-dia, seu Simão!
— Bom-dia, José!
Estava tão distraído que não vi o chegar.
Como vai? Seu filho fez a operação?
Como ele está?
— Ele fez a operação e está muito bem!
Precisamos ficar por lá, até que o médico dê alta.
Ele está fazendo um tratamento pós-operatório, mas em breve voltaremos.
Vim até aqui ver como está
tudo. Estou muito feliz, e agradeço todos os dias a Deus, bem como à pessoa que me mandou o dinheiro.
Se assim não fosse, com certeza, o meu menino já estaria morto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:32 pm

— Foi mesmo.
Deve agradecer a Deus que iluminou essa pessoa.
Não descobriu até agora quem foi?
— Não, mas também parei de me preocupar com isso.
Se essa pessoa não quer ser reconhecida, acho que devo respeitar^
Não tive problema algum com o dinheiro.
Estou com a minha família morando em um hotel muito bom.
Eu quis me mudar para um mais simples, mas o gerente do hotel não permitiu, disse que tinha recebido ordens de nos dar tudo o que precisássemos.
A despesa do hospital foi toda paga, a dos médicos também.
Ainda vai sobrar algum dinheiro.
Quando o meu filho tiver alta, vou pegar o dinheiro que sobrar e dar ao padre.
Ele dará a alguém que, como eu, também esteja precisando.
— Bonita essa sua atitude!
— Toda a minha vida trabalhei e vivi relativamente bem.
Não preciso de mais dinheiro do que aquele ganho com o meu trabalho.
Só de ver o meu filho com saúde, já é o bastante.
Esse dinheiro veio para a cura dele, o que sobrar será para ajudar aos outros.
Preciso ir embora.
Até logo, seu Simão!
— Até logo, José.
Que tudo continue dando certo.
José sorriu e foi embora.
Simão ficou olhando e pensando:
" Qual é o valor do dinheiro?
Por que tantas coisas más são feitas em Nome dele?
Por que existe tanta maldade e ganância no mundo, se é tão fácil viver em paz?"
Célia chegou à praça.
As crianças já estavam esperando.
— Bom-dia, crianças! — sorrindo.
Hoje está um bonito dia para pintarmos!
Vocês me ajudam a montar as telas?
As crianças sorriram.
Embora ela continuasse com o rosto quase totalmente coberto, elas não tinham mais medo.
Aprenderam a confiar e gostar daquela moça.
Célia montou as telas e começou a ensinar.
Estava distraída, ensinando e não percebeu a chegada de uma senhora:
— Bom-dia! As crianças estão aprendendo mesmo!
— Bom-dia, estão sim.
Algumas, no início, têm um pouco de dificuldade, mas depois entendem e, aí, é só esperar.
— Desculpe, não me apresentei.
Meu nome é Consuelo, sou a mãe do Robertinho.
— Muito prazer!
A senhora tem um filho maravilhoso!
— É sim, ele é o meu tesouro, mas por tudo o que ouvi, ele e Zeca falar a seu respeito, a senhorita também é uma pessoa muito boa.
_ Nada disso!
Sou só alguém que precisava de um caminho, e graças ao seu filho, encontrei.
— Como assim?
— Quando crescer, acho que deve trabalhar com relações públicas!
Ele é muito bom nisso.
— Ah, é porque ele fala demais e conhece todas as pessoas que moram na cidade, não?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:32 pm

— Quando cheguei, não conhecia ninguém, me hospedei na pensão.
Fiquei muitos dias, perambulando pela cidade, até o dia em que ele veio falar comigo.
Num instante me apresentou a todos e logo eu tinha vários amigos.
— Ele gosta muito da senhorita!
— E eu dele! Por favor, não me chame de senhorita!
Gostaria que me chamasse de Célia!
— Está bem, Célia.
Vim aqui por dois motivos.
Para conhecê-la e convidá-la para ir no próximo domingo almoçar lá em casa.
E o aniversário do Robertinho.
Todos ficaremos felizes com a sua presença.
Vou falar com os outros do grupo.
Além disso, eu e meu marido queremos saber mais a respeito desse projecto do Grotão.
O Zeca e o Robertinho estão entusiasmados!
— Almoçar na sua casa?
Não sei se poderei!
Costumamos todos os domingos, à tarde, ir até o Grotão!
— Muito bom, iremos todos junto ou é proibida a presença de pessoas estranhas no grupo?
— Não é isso!
É que me pegou de surpresa.
— Não precisa responder agora! Vou falar com os demais.
Se decidirem ir, ficarei muito contente.
— Obrigada!
Estou feliz com o seu convite!
Consuelo saiu, Célia ficou olhando:
" Que bonita mulher, não deve ter ainda cinquenta anos e é tão agradável, mas não sei se devo ir até a casa dela."
Consuelo foi falar com Simão, fez o mesmo convite.
Pediu a ele que transmitisse aos outros.
Com o Zeca, ela mesma falaria à noite.
Simão ficou alegre com o convite e com a possibilidade dela e do marido também se envolverem no projecto.
Assim que ela saiu, pensou:
Só falta o Prefeito aceitar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:32 pm

Recordação
Regina voltou para casa.
Entrou e foi até à geladeira e pegou um pedaço de bolo de laranja.
Comeu o bolo e andou por toda a casa.
Seu pensamento voltou ao passado.
“ Que caminho longo percorri para chegar até aqui!
Estou com trinta e oito anos.
Não conheci o meu pai.
Quando nasci, ele já havia morrido.
Para minha mãe, coitada, sem instrução, só restou ser cozinheira e era muito boa!
Foi trabalhar na casa do Raul, a família mais rica da cidade.
Estudei um pouco e quando fiz quinze anos também fui para lá ser arrumadeira.
Um ano depois, minha mãe morreu.
Fiquei sozinha, sem ninguém.
Não tendo onde morar, continuei ali.
Raul tinha vinte e cinco anos e estudava na Capital.
Vinha para casa só nas férias.
Eu lembrava dele muito pouco.
Quando, depois de muito tempo, o revi, meu coração disparou.
Alto, forte e muito bonito.
Assim que chegou, me olhou sem nada dizer.
Fiquei sem jeito.
Era tímida, sem conhecer nada da vida.
Ele continuou me olhando, o seu olhar me deixava feliz.
Sentia que gostava de mim.
Eu, por minha vez, já o amava.
Em uma manhã, eu estava arrumando seu quarto quando ele entrou:"
— Bom-dia, menina!
Um bom-dia, mesmo, pois está fazendo um lindo dia!
Não está?
"Fiquei olhando para ele, sem conseguir desviar os olhos."
— O que você tem? Está assustada?
— Estou, sua mãe me disse que nunca deveria conversar com qualquer pessoa da família.
Se ela vir o senhor falando comigo, irá me castigar e, quem sabe, até me mandar embora.
Não tenho para onde ir, por isso peço que não fale mais comigo!
— O que é isso?
Você é gente e pode conversar com quem quiser!
Só lhe desejei um bom-dia, nada mais!
— Não posso conversar não! Bom-dia!
" Saí do quarto.
Meu coração batia forte.
Na semana seguinte, dona Raquel avisou que naquele domingo a família iria viajar.
Eu deveria levantar, arrumar a casa e ir à missa.
Assim fiz.
Fui para a parte superior da casa em direcção ao quarto de Raul.
A cama estava desarrumada.
Peguei o travesseiro, comecei a cheirar.
O cheiro dele era bom.
Encostei o travesseiro no meu rosto, fechei os olhos e fiquei pensando nele.
Eu sabia que não podia estar ali fazendo uma coisa daquelas, mas foi mais forte que eu.
De repente, senti umas mãos que me abraçavam por trás.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:33 pm

" — Gosta do meu cheiro? "
— Levei um grande susto, tentei me livrar daqueles braços, mas ele começou a beijar minha nuca e os meus cabelos.
Sem que eu pudesse resistir, meu corpo começou a amolecer.
Ele me virou de frente e me beijou.
Senti que minha alma voava para o céu.
Aquele beijo, o primeiro da minha vida, me deixou sem defesa.
Eu o amava muito.
Ele me deitou na cama e continuou me acariciando.
Como se uma bomba tivesse me atingido, voltei à realidade, me levantei, saí correndo do quarto e da casa.
Fui à missa.
Por mais que quisesse ficar braba, não conseguia.
Estava me sentido a mulher mais feliz do mundo.
— Mamãe! A senhora está em casa?
Regina voltou de seus pensamentos.
Clara a chamou.
— Estou, filha!
Aqui no quarto!
— Ainda bem que está em casa.
Clara disse entrando no quarto — Gustavo está aí fora e quer falar com a senhora.
— Está bem, já vou.
Levantou, ajeitou os cabelos e foi até a sala.
— Boa-tarde, Gustavo!
Quer falar comigo?
— Boa-tarde!
Sim, preciso falar com a senhora.
— Vamos nos sentar.
Clara, por favor, pegue na geladeira um suco para tomarmos enquanto conversamos.
Clara foi à cozinha.
Gustavo e Regina sentaram-se.
— O que quer falar comigo, Gustavo?
— Clara disse que a senhora não quer ir connosco.
Vim aqui lhe dizer que ficarei muito feliz se nos acompanhar.
Tendo a senhora por perto, teremos comida caseira e uma mãe para nos cuidar.
Afinal, a senhora só tem a Clara e não é justo separar-se dela.
Ficaria muito feliz se fosse connosco!
Clara voltava da cozinha trazendo uma jarra e copos.
Olhou para a mãe.
Estava assustada e com medo que ela falasse algo sobre o que haviam conversado.
— Você é um óptimo menino, Gustavo.
Seus pais têm muita sorte de ter um filho como você, mas não posso abandonar tudo aqui.
Minha casa, meu trabalho e meus amigos.
Clara já está crescida e sei que estando com você, estará bem.
Eu também estarei bem e agora melhor ainda.
Vou participar, de um projecto para ajudar as pessoas do Grotão.
Sentirei saudade, mas o meu tempo será tomado por esse projecto.
Gustavo olhou para Clara que disfarçou, como se só agora, estivesse falando com a mãe sobre aquele assunto.
Regina olhou para a filha.
Sentiu um aperto em seu coração.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:33 pm

Não entendia como nunca percebeu o ódio que ela sentia:
— Se acredita que ficará bem, dona Regina, está bem.
Mas, se quiser, poderá ir.
Não vamos morar juntos.
Eu já tenho uma república para ir e Clara poderá alugar um apartamento perto da faculdade.
Gosto dela, mas não poderemos nos distrair com namoro, estamos indo para estudar.
— Tenho absoluta confiança em você.
Sei que minha filha estará bem.
Estou e ficarei bem e peço a Deus que abençoe vocês dois.
Preciso sair.
Até logo, Gustavo.
" Gustavo é um bom menino. — pensou, assim que saiu, com lágrimas caindo por seu rosto.
Clara não o merece, mas quem sou eu para julgar? "
Continuou andando.
Chegou na praça, sentou-se em um banco.
Ficou olhando a sua volta.
Aquela praça, a igreja e as pessoas indo e vindo.
Começou a pensar.
" Sempre vivi aqui, não conheço outro lugar.
Dediquei minha vida ao trabalho e à Clara.
Agora, estou me sentindo tão sozinha.
Depois daquela manhã em que Raul me beijou, não consegui mais deixar de pensar naquele beijo e nele.
Ele continuou me perseguindo e, para ser sincera, bem que eu gostava de vê-lo sempre a minha procura.
Eu dormia em um quarto que havia nos fundos da casa.
Naquela noite, acordei com ele deitando-se ao meu lado.
Quis fugir, mas ele me segurou, beijando-me.
A princípio resisti, mas o amor que sentia por ele era muito grande e aos poucos cedi aos seus carinhos.
Ele, carinhosamente, me possuiu.
Entreguei-me a ele com amor.
Quando tudo terminou, eu estava feliz.
Ficou junto a mim abraçando-me.
Depois me beijou e foi para o seu quarto.
Fiquei ali, sonhando com tudo o que havia acontecido.
Pela manhã fui para a cozinha.
Benedita, a cozinheira, já estava terminando de preparar o café.
Ao me ver, disse:
— Não sei se sonhei, mas ouvi um barulho estranho esta noite.
Parecia que alguém andava e falava baixo.
Você ouviu?
— Quem?! Eu? Não!
Dormi pesado e acordei só agora.
— Acho que sonhei mesmo.
— Deve ter sido isso que aconteceu."
" Tomei o café e saí.
Fui para a sala e comecei a arrumar.
Estava ansiosa para vê-lo.
Desceu acompanhado por sua mãe.
Passou por mim sem olhar.
Sentaram-se para tomar café.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 08, 2017 7:33 pm

Ajudei Benedita a servir a mesa e ele não me olhou.
Não me preocupei, sabia que, para o meu próprio bem, sua mãe não podia desconfiar.
Eu estava feliz!
Terminaram de tomar café.
Naquela manhã não brincou como sempre fazia.
Foi para seu quarto e voltou logo depois trazendo duas malas."
" — Meu filho, faça uma boa viagem, estude muito e volte nas férias de julho.
Cuidado com a sua alimentação.
" — Não se preocupe mamãe.
Vou me cuidar direitinho. Estudarei o mais que puder. Vou ser um óptimo advogado!"
" Saiu sem me olhar.
Senti um aperto no coração e fiquei pensando naquilo que aconteceu.
Será que sonhei?
Ele não podia ir assim, sem falar comigo, sem me dar adeus... mas ele foi e eu fiquei ali, sem saber o que fazer.
O tempo passou.
Estranhei quando minha barriga começou crescer.
Era muito ingénua.
Eu não sabia como se fazia uma criança.
Depois de quatro meses, Benedita me chamou."
— Regina, por que sua barriga está tão grande?
— Não sei, começou crescer, acho que estou engordando...
— Ninguém engorda só na barriga.
Isso está parecendo criança!
O que você fez?
— Criança? Como assim?
— Você está esperando uma criança.
Com quem foi?
— Não sei do que está falando, Benedita...
— Você se deitou com algum homem?"
Fiquei quieta pensando: "será que foi naquela noite?"
— Fale menina!
Se deitou com algum homem?
— Acho que sim!
— Como acha, Regina? Quem foi?"
Contei a Benedita tudo o que havia acontecido.
"— Meu Deus do céu! Como pôde fazer isso?
E, agora, como vai ser na hora que a patroa descobrir?
— Não sei, mas ele disse que me ama e que vai se casar comigo, por isso, sei que ficará feliz em saber que vai ser pai.
— Você é muito boba mesmo!
Acha que ele vai se casar com você?
Pode esquecer, ele vai dizer que nunca te olhou!
— Não! Sei que gosta de mim!
Vai voltar daqui a um mês, vai ver como ficará feliz!
— Está bem.
Tomara que você esteja certa."
Após alguns dias, dona Raquel ficou de longe me olhando.
Olhou, olhou e disse:
" — Regina, você está esperando criança?"
" Fiquei olhando para ela sem saber o que responder."
"— Você está esperando uma criança? — ela repetiu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 74808
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 12 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum