A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Página 4 de 12 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:28 pm

— Não sei, acho que sim, dona Raquel...
— Acha? Como acha?
Está ou não?
— Benedita disse que sim, mas eu não sei...
— Com que homem esteve?"
" Chorando, contei tudo a ela.
Pensei que ficaria feliz por aquela criança.
Assim como eu estava."
" — Está dizendo que foi o meu filho?
Está inventando!
Meu filho jamais se aproximaria de uma moça como você!
Ele vai esclarecer tudo.
Por enquanto, vá ficando aqui, mas depois que ele chegar e tudo for esclarecido, você irá embora e terá essa criança em qualquer outro lugar, menos aqui!"
" Fiquei parada, olhando para ela.
De seus olhos parecia que saía fogo.
Muito vermelha e tremendo, saí dali chorando.
Benedita, que ouviu tudo, me abraçou falando:"
" — Não espere que ele vá dizer que fez isso com você.
E melhor já ir arrumando um lugar para ir.
Assim que ele chegar e tudo for esclarecido, vai ter que se mudar daqui!
— Vou para onde, Benedita?
Não tenho ninguém!
— Não posso te ajudar, também não tenho mais ninguém e preciso continuar morando aqui..."
" Dona Raquel nunca mais me olhou ou falou qualquer coisa.
Raul chegou.
Meu coração, ao vê-lo, disparou.
Sabia que tudo seria esclarecido.
Ele fez questão de me ignorar.
Após o almoço, dona Raquel me chamou no escritório.
Ao chegar, me deparei com Raul, seu pai e sua mãe.
Ela me olhava com muito ódio.
Olhou para Raul dizendo:
" — Regina está esperando uma criança e disse que só esteve com você!
O que tem a dizer sobre isso?
" Ele olhou para mim, para os pais e disse raivoso:"
— Está louca!
Nunca me aproximei dela!
Ela, sim, andou me dirigindo olhares, mas eu sempre a ignorei!
" Ao ouvir aquilo, meu coração quase parou.
Ele falava com tanta firmeza que até eu estava acreditando que havia sonhado.
Dona Raquel, com muito ódio nos olhos, falou:"
" — Ouviu o que o meu filho disse?
Achou que poderia entrar para a nossa família usando esse pretexto barato?
Arrume suas coisas e saia desta casa!
Ainda bem que a tua mãe está morta!
Se estivesse viva, estaria com muita vergonha de você!
" — Mas eu não tenho para onde ir!
Não sei o que fazer!
Só estive com o Raul!
Com mais ninguém!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:28 pm

" Ela, tomada de muito ódio, gritou:
" — Nunca mais repita isso!
Não me importo para onde vá!
Tentou enlamear o nome de nossa família!
Saia daqui já!
— O senhor sabe que nunca estive com outro homem, me ajude, por favor!
Não tenho para onde ir!
" Ele desviou os olhos, dizendo:"
" — Nunca estive com você e estou abismado com essa sua afirmação!
Jamais me aproximaria de uma moça como você!
Não tem estudo e nem sabe falar!
E melhor fazer o que minha mãe ordenou!
Siga o seu caminho e nos esqueça!"
" Fui chorando para o meu quarto.
Peguei minhas roupas, todas usadas e gastas pelo tempo, e coloquei em uma sacola.
O salário que recebia não dava para comprar muita coisa.
Sem saber o que fazer, saí de lá e fiquei andando por muito tempo.
Cheguei a este mesmo banco e, chorando, me sentei, sem saber para onde ir e o que fazer."
— Olá, Regina, em que está pensando?
— Olá, Zeca. — ela respondeu levantando a cabeça.
Estou realmente pensando nas voltas que a vida dá para nos levar a determinados lugares.
— Parece que está triste...
_ Não estou triste, só pensando em tudo o que aconteceu na minha vida e pensando se poderia ter sido diferente.
— Não sou a pessoa mais indicada para lhe responder, mas acho que viver sempre é bom.
Como você mesma disse:
são estranhas as voltas que a vida dá para nos levar a determinados lugares.
A minha vida também deu muitas voltas e hoje estou aqui, junto a pessoas que me ajudaram e me ajudam muito.
Quando chegaram na cidade, pensava estar tudo perdido, mas não!
Só estava começando, Regina.
— É isso mesmo, Zeca.
Estamos sempre recomeçando.
Agora mesmo, sinto que estou começando uma nova etapa na minha vida.
Se Clara tivesse deixado eu ir com ela, não teria conversado com você e não ficaria sabendo desse projecto!
— Está vendo!
Coloque um sorriso nesse rosto e vamos nos juntar aos outros.
Está na hora do lanche da tarde.
Regina levantou e acompanhou aquele novo amigo que Deus havia lhe mandado em tão boa hora.
Foram para o bar e sentaram-se ao lado de Célia e Paulina, que já estavam lá.
— Então, meninas, como foi o dia hoje?
_ Bem, Simão, eu cuidei muito bem das minhas plantas.
_ Eu, — disse Regina — fiquei perdida no passado.
Só parei quando Zeca chegou e me trouxe de volta.
_ Regina, relembrar o passado nem sempre, é saudável.
_ Tem razão, Paulina, mas pode também nos confortar pelas batalhas vencidas.
— Eu recebi a visita de Dona Consuelo e um convite para almoçar na casa do Robertinho.
E o aniversário dele.
Aliás, estendeu o convite a todos vocês!
— Ela também esteve aqui, Célia. — disse Simão.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:29 pm

— Ela é uma mulher maravilhosa.
Quando cheguei na cidade, sem me conhecer, me recebeu em sua casa e me deu todo apoio.
Desde então, me tornei amigo da família e principalmente do Robertinho.
Acho que devem ir.
— Já os conheço e sempre gostei de todos.
Por mim iremos. — disse Paulina.
— Está bem, Zeca.
Diga a ela para preparar um bom almoço e que eu levarei as bebidas!
Depois do almoço, poderemos ir até o Grotão.
Não vou abrir o bar neste domingo!
— Pode deixar, falarei com ela.
— Tenho algo mais para dizer a vocês. — disse Simão.
O Prefeito marcou uma audiência para amanhã às dez horas.
Quer nos dar uma resposta sobre o nosso projecto.
Confesso que estou ansioso para saber!
— Já?! — Os quatro disseram juntos.
— Ele está agindo rápido! — disse Zeca.
Será que isso quer dizer um não, Simão?
— Talvez, Zeca, mas precisamos ir até lá para saber.
— Seu Simão! Seu Simão!
O dinheiro! O dinheiro!
— De que dinheiro está falando, Robertinho?
— O dinheiro que chegou pro padre pintar a igreja!
Todos se olharam abismados:
— Quando chegou o dinheiro?
Quem mandou?
—Não sei, Zeca!
Só sei que chegou muito dinheiro para o padre.
Também veio uma carta dizendo que o dinheiro é pra pintar a igreja, não deve ser usado pra outra coisa!
— Estranho, quem será essa pessoa que está mandando tanto dinheiro para a cidade?
Paulina, tão admirada quanto os outros, respondeu:
— Não sei, Célia, mas que é estranho, isso é!
— Sabem de uma coisa?
Acredito que seja um político que logo vai se revelar para conseguir votos!
— Você acredita nisso, Célia?
— Acredito, Paulina!
Ninguém gasta tanto dinheiro à toa.
Deve ter um plano e só pode ser ganhar uma eleição.
— Pode ser, mas por que não se revela?
— Quer fazer suspense, quer que todos falem sobre ele.
Essa deve ser a sua ideia!
— Vamos até a igreja conferir isso?
— Vamos!
Foram para a igreja.
O único que ali permaneceu foi Simão.
Não poderia abandonar o bar.
Na igreja, o padre estava feliz:
— Olhem, meus filhos!
Chegou muito dinheiro, mais até do que preciso para pintar a igreja!
Preferia usar para ajudar as pessoas do Grotão, mas a carta foi bem explícita.
Só pode ser usado para pintar a igreja.
Quem será que mandou este dinheiro e os outros?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:29 pm

— Célia acha que seja alguém tentando se eleger na próxima eleição!
O que o senhor acha?
— Pode ser, Paulina, mas se assim fosse, essa pessoa iria querer que todos soubessem!
Se isso for verdade, não é ninguém da família do actual
Prefeito, o que por si só, seria muito bom, afirmou Regina.
— Isso é verdade!
Se fosse alguém da família, faria questão de aparecer e fazer propaganda.
Mas quem será então?
— Meus, filhos.
Isso não importa.
Vou contratar alguns pedreiros e pintores.
Preciso pedir ao Simão que me ajude na compra do material.
Ele deve saber como fazer.
Vocês podem pedir para ele vir até aqui falar comigo?
— Claro, padre!
Ele só não está aqui, porque não pode deixar o bar sozinho.
Mas, assim que fechá-lo, virá. — Explicou Zeca.
— Já está escurecendo, está na hora de irmos para casa.
Amanhã iremos falar com o Prefeito.
Quem sabe ele autoriza o projecto.
Vamos embora pessoal?
— Vamos sim, Paulina. — disse Zeca.
O dia hoje foi cheio de surpresas, mas amanhã deverá ser melhor.
Voltaram para o bar.
Contaram a Simão tudo o que o padre havia dito e o pedido que fizera para que ele fosse até lá.
Simão concordou.
Após fechar o bar, foi falar com o padre:
— Padre, vim para saber o que quer que eu faça.
— Como sabe, chegou dinheiro para a pintura da igreja...
— Claro que sei.
Eu e toda a cidade.
A esta hora, quem não sabia, Robertinho já contou.
Aquele menino é danado.
O senhor não sabe mesmo quem mandou?
— Por que eu saberia?
— O senhor ouve as pessoas no confessionário.
— Geralmente, as pessoas que se confessam, só contam aquilo que, para elas, é um pecado e doar dinheiro para a pintura da igreja não é pecado.
Se essa pessoa não quer se fazer reconhecer e quer guardar segredo, devemos, respeitar.
Aliás, quase todos temos segredos, o senhor mesmo deve ter um, não tem?
— Quem, eu?!
Não, não tenho segredo algum!
Sabe, meu filho, cada gesto que fazemos para ajudar a alguém, nos traz muita felicidade.
Cada amigo sincero que conquistamos também nos traz muita felicidade.
Todo segredo que guardamos, ao nos lembrarmos dele, pode nos trazer tristeza.
Por isso, a melhor coisa a fazer é não termos segredos, é confiarmos nas pessoas que são nossas amigas.
Como você mesmo disse, eu ouço a todos no confessionário.
Por isso, se quiser abrir seu coração, estarei sempre aqui para lhe ouvir e ajudar no que for preciso.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:29 pm

Mas, o que realmente quero de você é que me ajude a comprar o material para pintar a igreja.
Você deve ter facilidade, pois compra de vários fornecedores.
Pode fazer isso?
— Claro que posso!
Não se preocupe, vou providenciar tudo.
Assim que o senhor me der a relação de materiais, mandarei vir tudo.
Quanto ao que disse sobre segredo, não tenho nenhum, mas, se tivesse, o senhor seria a pessoa em quem eu confiaria...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:30 pm

Nunca Estamos Desamparados
Enquanto Simão conversava com o padre, os outros foram embora.
Paulina e Célia seguiram na mesma direcção.
Zeca, embora morasse do lado oposto a Regina, fez questão de acompanhá-la.
Ao chegarem ao mesmo banco da praça, disse:
— Vamos nos sentar um pouco, Regina?
— Vamos sim, este banco me traz muitas recordações.
— Já percebi.
Da maneira como te encontrei, hoje, as recordações não devem ser boas.
Parece que está triste.
— Realmente, quando você chegou, eu estava relembrando coisas que aconteceram e que me deixaram triste.
— Quer falar sobre isso?
_ Você é a única pessoa que sabe da reacção da Clara.
Reacção que me deixou muito triste e me fez repensar a minha vida.
Estou procurando encontrar onde errei na educação dela e como nunca percebi o ódio que ela sente por mim.
_Você não deve ter errado.
Ela é jovem, não conhece coisa alguma da vida.
Não deve se preocupar com isso.
— Quando chegou, eu estava pensando exactamente no dia em que me vi aqui, neste mesmo banco, com uma sacola de roupas, sem saber o que fazer e para onde ir!
— Quer me contar?
Prometo que escutarei com atenção e pode contar somente o que quiser.
Nada além disso.
— Depois que te contei sobre Clara, fiquei pensando, por que havia confiado em você.
Não sei o porquê.
Só sei que confio.
Preciso falar com alguém.
Preciso de um caminho.
— Não me conhece muito bem, mas posso te garantir que também já sofri muito e que te ajudarei no que for possível.
Regina contou tudo até o momento em que estava sentada naquele mesmo banco, com a sacola na mão e ele chegou.
— Como tiveram a coragem de te colocar na rua, Regina?
Esperando uma criança e sem ter para onde ir?
— Não sei, mas fizeram.
Eu estava aqui sozinha, chorando e sem saber o que fazer, quando se aproximou a dona Júlia, uma velha amiga de minha mãe que, ao me ver aqui, perguntou:
" — O que está fazendo aqui, Regina?
Com essa sacola e chorando desse jeito?
O que aconteceu? "
— Ao vê-la, não consegui controlar o meu choro e desabei.
Depois que contei tudo, desesperada eu disse:
" — Dona Júlia, estou sem saber o que fazer.
Acho que o único caminho será me matar e levar comigo essa criança."
— Ela ouviu sem me interromper e, quando terminei, levantou-se, pegou as minhas mãos:
" Minha filha, nunca estamos sozinhos.
Deus está sempre ao nosso lado.
Somos nós quem não confiamos Nele.
Fui muito amiga de sua mãe e sei o quanto ela sofreu para te criar.
Moro sozinha e tenho um quarto sobrando, você vai agora comigo e ficará lá até essa criança nascer."
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:30 pm

— Ouvi aquelas palavras com o coração cheio de alegria.
Fui para a casa dela.
Ao chegarmos, ela me mostrou o quarto em que eu iria ficar.
Um quarto amplo e arejado.
" — Não precisa se preocupar com nada, Regina.
Não tenho muito, mas o que tenho dará para vivermos muito bem.
Esta casa é minha, não pago aluguel.
Fui casada durante vinte anos e não tive filhos.
Com a pensão do meu marido e com a minha aposentadoria, dá para eu viver muito bem.
Sempre que uma criança nasce é um presente de Deus.
Devemos receber com carinho e amor a sua criança.
— Dona Júlia, não sei como agradecer...
— Não tem o que agradecer.
Aprendi, através da minha religião, que todos temos uma missão nesta terra.
Até agora, eu não sabia qual seria a minha, pois nem um filho tive para, criar, mas hoje, descobri que é acolher você e a sua criança.
Está me fazendo um bem enorme.
Não ficarei mais sozinha.
Se alguém tem que agradecer, esse alguém sou eu.
De uma coisa a senhora me convenceu.
Deus nunca nos desampara mesmo!
Estava tão desesperada e a senhora me apareceu como se fosse um anjo mandado por Ele...
— Não sou um anjo, mas mandada por Ele, sim.
Pode ter certeza disso!
Agora, vamos arrumar o seu quarto?
Ele só foi usado por alguns amigos que vinham nos visitar enquanto meu marido era vivo.
Depois disso, as visitas foram se tornando cada vez mais escassas e por fim terminaram.
Ficará com essa cama e logo mais compraremos o berço que será colocado aqui também.
Não fique preocupada!
Deus nos ama...
— Só posso agradecer a Deus e a senhora, mas ao Raul nunca perdoarei.
Não podia ter me feito aquilo!
Mentir daquela maneira.
É um canalha!
Sabe que eu lutei muito contra o amor que sentia por ele e que muitas vezes fugi para não conversar!
Vai me pagar!
A senhora pode ter certeza disso!
— Aprendi com a minha religião, que Deus nunca nos abandona.
Aprendi que devemos perdoar os nossos inimigos.
Jesus quando veio a Terra, foi humilhado e até levado à cruz, mas, nos últimos momentos da sua vida, perdoou a todas aqueles que tinham lhe feito tanto mal.
Quem somos nós para Julgar?
Deus é quem sabe por que tudo acontece.
Só temos que continuar a nossa vida sempre.
Aconteça o que acontecer.
— A senhora vai me desculpar, mas não dá para perdoar.
Só se eu não tivesse sangue em minhas veias!
— Tudo bem, Regina.
O perdão só deve ser dado quando partir do interior do coração.
Sei que esse dia ainda chegará para você.
Por enquanto, vamos arrumar este quarto?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:30 pm

— Vamos sim.
Preciso arrumar um emprego, não posso ficar aqui em sua casa sem ajudar nas despesas.
— Por enquanto não precisa, já te disse que o que tenho dá muito bem para nós duas.
Depois que a criança nascer, se quiser, poderá arranjar um emprego, mas não vai ser preciso.
O que tem a fazer é dar todo seu amor e carinho para a criança."
— Arrumamos o quarto e a cama.
Ela trouxe roupas de cama, me deu uma toalha e mostrou o banheiro.
Agradeci e me dirigi ele.
Em baixo do chuveiro, com a água quente caindo por meu corpo, senti um bem enorme.
“Há poucas horas atrás eu estava em tão grande desespero e, agora, tudo está resolvido.
Obrigada meu Deus."
— Fiquei lá só sentindo a água escorrendo por meu corpo e lembrando de Raul.
Naquela noite, me senti a pessoa mais feliz do mundo.
Mas o ódio que sentia por Raul era imenso.
Eu realmente o amava e não entendia como pôde fazer de conta que nada havia acontecido.
Como iria conseguir perdoá-lo?
Dona Júlia que me desculpasse, mas não dava, não!
Saí do banho.
Dona Júlia estava na cozinha com a mesa colocada.
" — Não esperava visitas, Regina, por isso o jantar vai ser simples.
Amanhã vou ao armazém comprar mais mantimentos."
— Para mim está óptimo!
Pensei que hoje nem teria o que comer.
A senhora é mesmo um anjo!
— Que nada, menina.
Senta aí e vamos comer."
— Daquele dia em diante minha vida se transformou em um paraíso.
Dona Júlia foi mais do que uma mãe.
Me levou ao médico para eu fazer o pré-natal.
Clara nasceu e ela foi a madrinha.
Nós duas demos para Clara todo o carinho possível.
Atendendo a um pedido de dona Júlia, o doutor Carlos me deu um emprego no Posto de Saúde.
Comecei a trabalhar.
Ele, com muita paciência, me ensinou tudo sobre enfermagem e é onde trabalho até hoje.
Nada faltou para Clara e sempre teve amor também.
Com dona Júlia, comecei a aprender esta doutrina da qual estávamos falando hoje pela manhã.
Essa doutrina está agora me ajudando a aceitar a reacção de Clara.
_ Tenho a minha consciência tranquila.
Fiz o possível para que nada lhe faltasse.
Resolvi continuar a minha vida.
Esse projecto veio bem a calhar.
Como sempre, Deus não me abandonou!
— Ainda mora com dona Júlia?
— Não. Quando Clara fez doze anos ela morreu, deixando a sua casa em meu nome.
É lá onde ainda moro.
— O Prefeito nunca te procurou?
— Não, ele voltou casado e tem hoje a sua família.
Não tenho mais ódio, embora ainda guarde muita mágoa.
— Não pode provar que ele é o pai de Clara?
Não tenho como provar e seria a minha palavra contra a dele.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:30 pm

Quem sabe, um dia apareça algum exame que possa ser usado para isso, mas, hoje, do que adiantaria?
Clara ficaria mais revoltada.
Teve sempre uma vida simples.
Sabendo agora que o pai é rico e que escondi isso dela, o seu ódio seria maior.
— Creio que tem razão.
Será que não foi ele quem mandou o dinheiro para que ela pudesse estudar?
— Cheguei a pensar nisso, por isso fui à Prefeitura outro dia para falar com ele.
— Nós nos encontramos lá.
O que ele falou? Confirmou?
— Não, ele continua o mesmo orgulhoso de sempre.
Não foi ele quem mandou o dinheiro e ainda insinuou que talvez tenha sido um admirador meu.
Continua sendo um cretino!
Eu, mesmo sabendo que não devo, às vezes o odeio muito!
— Bem, o que importa agora é que está bem.
Como você mesma disse, procurou fazer o melhor.
Sua filha é uma bonita moça e, com certeza, um dia entenderá tudo o que fez por ela.
Agora, vamos embora?
Estou ficando com fome.
— Vamos sim, estou me sentindo muito bem.
É muito bom poder desabafar com um amigo.
Acredito que você também tenha muita coisa para me contar.
Quem sabe um dia confie em mim o bastante para revelar um pouco mais.
— Quem sabe um dia, mas por enquanto não, ainda não.
— Tudo bem.
Estarei sempre aqui, disposta a te ouvir.
— Posso te fazer só mais uma pergunta?
— Claro que pode, já te contei tudo.
— Por que nunca se casou?
É jovem e bonita.
— Morando em uma cidade pequena como esta, onde todos conhecem tudo e a todos, qual seria o homem que se atreveria a se casar com uma mãe solteira?
Também, nunca mais apareceu alguém que me atraísse.
— Ainda é muito jovem.
Hoje, os tempos são diferentes.
Uma mãe solteira já não é tão discriminada como antes.
— E, quem sabe.
Só falta aparecer alguém de quem eu goste. — disse rindo.
Zeca também riu.
Despediram-se e foram embora.
Durante o caminho, ele foi pensando em tudo o que ela havia contado.
" Essa moça é uma vencedora, mas ela mesma ainda não se deu conta disso.
E bonita, rindo ficou muito mais!
Que é isso seu Zeca?!
Está com o coração batendo diferente?!
Pode parar!
Você não tem o direito de pensar em amar e receber o amor de uma moça como essa!
Tem que continuar sozinho, e, mesmo assim, nunca conseguirá reparar o grande mal que fez!"
Chegou em casa.
Já há muito tempo fazia as refeições junto com a família de Robertinho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:30 pm

— Boa-noite, Zeca.
Hoje chegou tarde!
— Mamãe! — disse Robertinho com olhar maroto.
Passei pela praça e vi o Zeca conversando com a mãe da Clara!
Parece que estão namorando... parece... mesmo...
— O que é isso, Robertinho? — Zeca disse nervoso.
Estava conversando com ela sim, mas só somos amigos!
— Espere, Zeca! — disse Consuelo rindo.
Não precisa ficar nervoso.
Que mal haveria em estar namorando?
Ela é uma boa moça.
Honesta e trabalhadora.
— Sei disso, dona Consuelo, mas não estou namorando.
Somos amigos.
Estávamos falando sobre a ida de Clara à faculdade.
E a primeira vez que vai se separar da filha e está preocupada. Só isso!
Viu, seu falador!
— Mãe! Ele disse que não está namorando, mas que parece... parece... sim...
— Cala a boca seu falador!
— Está bem, não está namorando, mas que parece... parece...
Zeca e Consuelo começaram a rir.
— Quem pode com esse meu filho!
Até que essa ideia dele não parece ser tão ruim assim.
Você é um bom moço e vive sozinho.
Já não está na hora de se casar e ter uma companhia?
— Não posso e nem quero me casar!-''
— Por que não pode? Já é casado?
— Não, não sou casado, mas não posso me casar...
— Por que não?!
— Não posso lhe dizer, mas eu nunca me casarei, nunca!
Saiu e foi para o seu quarto.
Consuelo ficou assustada com a reacção dele.
Estava mesmo desesperado.
Já no quarto, ele foi para o banheiro tomar banho.
" Como posso pensar em me casar?
Depois de tudo que fiz, só posso continuar a minha vida assim, sozinho.
Mas, por que não consigo esquecer Regina?
Foi a primeira mulher que me chamou a atenção depois que tudo aconteceu.
Que bom seria se eu pudesse ficar com ela.
Mas não tenho esse direito!"
— Vá tomar banho, Robertinho. — Consuelo disse, assustada, com a reacção de Zeca - assim que seu pai chegar vamos jantar.
— Está bem, mamãe! Já estou indo!
Robertinho entrou no banheiro e fechou a porta.
Consuelo foi até os fundos da casa, no quartinho em que Zeca morava.
Chegou e bateu na porta.
Ele estava terminando de se arrumar.
Penteava os cabelos em frente a um espelho.
— Posso entrar, meu filho?
— Pode sim, a senhora é sempre bem-vinda!
— Zeca, olhe bem em meus olhos e me responda:
Se já não é casado, por que não pode se casar?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:31 pm

Deve saber que aqui em casa, você é considerado como se fosse da família.
Eu poderia ser sua mãe.
Quando chegou aqui, percebi que carregava em seus ombros grandes problemas.
O tempo passou, você se adaptou à cidade.
E um rapaz agradável, o que fez com que todos gostassem muito de você.
Hoje, está com aquela mesma expressão do dia em que chegou.
_Novamente seu rosto está triste e pesado.
O que está acontecendo, meu filho?
Por que não confia em mim?
_ Dona Consuelo, quando cheguei, estava perdido, sofrendo muito e sem um rumo na vida.
Aprendi que, embora me sentisse só, nunca estive.
Deus colocou no meu caminho Robertinho, esse menino iluminado que a todos quer ajudar.
Depois, a senhora que me deu uma chance de recomeçar.
Confiou em mim e, sem me conhecer, abriu as portas da sua casa, me hospedou, dando-me até roupas.
Graças a isso, fiquei na cidade e, aos poucos, fui me esquecendo de tudo que havia acontecido.
Voltei a viver uma vida normal.
Mas hoje percebi que nunca poderei ter uma vida normal.
Não tenho esse direito.
Devo continuar como estou até aqui.
Destruí muitas famílias e não tenho o direito de ter a minha.
Nunca! Nunca!
Zeca chorava sem conseguir evitar.
Consuelo se aproximou, passou as mãos em sua cabeça, dizendo:
Chore, meu filho.
As lágrimas fazem muito bem quando vêm lá do fundo, como as suas estão vindo agora.
Depois que chorar o bastante, se sentirá muito melhor e enxergará tudo de uma maneira diferente.
Nada acontece por acaso, como você disse:
Deus não nos abandona nunca.
Confie nele e tudo ficará bem.
Vou para casa preparar o jantar.
Assim que estiver melhor, vá até lá.
Estaremos esperando por você.
Depois do final, só resta o recomeçar.
Acredite nisso...
Ela deu um beijo na testa dele e foi embora.
Sozinho, continuou chorando por um bom tempo.
Relembrou tudo o que havia acontecido.
No meio das recordações tristes, o rosto de Regina surgia, rindo e linda.
Finalmente conseguiu parar de chorar.
Lavou o rosto, sentiu que um peso enorme havia saído de seu coração.
Foi jantar. Quando chegou, os outros estavam sentados e começavam a comer.
Pedro, falou:
— Sente-se, Zeca.
Estávamos te esperando.
Enquanto come, me conte mais sobre o projecto do Grotão.
Zeca sentou-se e começou a contar tudo.
Seu coração estava leve e, da mesma forma que Regina, agradecia a Deus por aquele projecto ter surgido.
Deus havia lhe mostrado um novo rumo para sua vida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:31 pm

Após o jantar, pediu licença e voltou para o seu quarto.
Deitou-se na cama, mas não conseguia tirar o rosto de Regina de sua frente.
Estava absorto em seus pensamentos, não percebeu que Robertinho entrou e ficou olhando para ele:
— Zeca, quero falar uma coisa pra você...
Voltou-se e o viu encostado na parede sem se aproximar.
— O que quer falar, Robertinho?
— Estou muito triste porque deixei você nervoso com aquela história da mãe da Clara...
Vi que você estava tão feliz conversando com ela que achei que seria bom que você namorasse com ela...
Zeca sorriu, abriu os braços e Robertinho o abraçou.
— Robertinho, fiquei nervoso, sim, porque não queria acreditar naquilo que você viu primeiro.
Não estou namorando com ela, mas depois do que me disse, não posso mais negar, gosto dela.
Não sei se tenho o direito, mas se ela me quiser, vamos namorar.
Só que vai prometer uma coisa.
Sei que é um grande fofoqueiro, mas sobre isso não contará a ninguém, antes que eu fale com ela. Promete?
Robertinho soltou-se do abraço, dizendo:
— Prometo! Prometo!
Só que depois que falar com ela vou ser o primeiro a contar para todo mundo!
Você deixa?
— Deixo sim, você merece.
Percebeu antes de mim.
Só não sei ainda o que ela pensa a respeito.
Por isso, preciso falar com ela primeiro. Está bem?
— Pode deixar, não vou contar pra ninguém.
Saiu correndo do quarto.
Entrou em casa afobado.
Consuelo percebeu a agitação do menino:
— O que conversou com o Zeca que deixou você assim?
— Não foi nada, mamãe, — falou com a voz pausada — prometi prá ele que não vou contar prá ninguém que ele vai falar com a mãe da Clara e começar a namorar com ela!
— Prometeu? Como?
Você está me contado!
— Não estou contando nada!
Mas também a senhora não é todo mundo!
A senhora é minha mãe!
— Está bem, mas não conte para mais ninguém.
Deixe primeiro ele acertar tudo. Vamos dormir?
Enquanto tudo isso acontecia com Zeca, Regina chegou em casa.
Clara estava em seu quarto.
Ao ouvir a porta abrir, foi encontrar sua mãe.
— Mamãe, a senhora demorou.
Onde estava?
_ Estava conversando com alguns amigos.
Não precisa se preocupar comigo, estou muito bem...
— Gustavo até agora não se conforma em deixar a senhora aqui sozinha, ele quer que venha connosco...
_ Não, Clara.
Vou continuar aqui, você continuará a sua vida.
Assim tem que ser.
Agora não precisa mais me aturar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:31 pm

_ Será que um dia poderá me perdoar?
Pensei muito a respeito do que falei.
Fui injusta, eu não tinha esse direito...
_ Não tenho o que perdoar.
Ficarei aqui.
Tenho muito para fazer e agora, acho que encontrei uma companhia.
— Uma companhia? Um homem?
Quem é ele? É rico?
— Ainda não posso falar, porque ele mesmo não falou, nem sei se gosta de mim.
Não, ele não é rico, mas é uma pessoa maravilhosa.
Precisa de mim, assim como preciso dele.
— Não estará se aproximando porque pensa que, agora, a senhora está rica?
— Por que está dizendo isso?
Acha que não tenho qualidades para agradar a um homem?
Não, ele não está interessado no meu dinheiro, pois sabe que é só seu!
Também tem outra coisa, ele não está se aproximando, sou eu quem está pensando no assunto.
Agora já está criada e com dinheiro para cuidar da sua vida, não preciso me preocupar.
Chegou a hora de pensar em mim e, pela primeira vez, estou pensando nisso. Boa-noite.
Clara quis falar algo, mas Regina não permitiu.
Foi para o quarto com o coração apertado, por ter criado uma filha tão materialista e sem compaixão.
Deitou-se e ficou pensando.
" Ele é tão amoroso, tão amigo.
Mas, até agora, não deixou transparecer que está interessado em mim.
Não consigo esquecê-lo.
Não sei quem é, e nem de onde veio... por que não sai do meu pensamento?
Queria ficar para sempre ao seu lado, conversando.
Meu Deus, o que é isso?
Nunca senti isso por ninguém, nem mesmo por Raul!
Será que Clara já dormiu?
Vou esperar mais um pouco, depois vou à cozinha comer alguma coisa."
Enquanto esperava, adormeceu.
Sonhou que estava com Zeca em um lugar bonito.
Acordou e fechou os olhos novamente querendo continuar aquele sonho.
Não conseguiu.
Estava com fome, seu estômago doía.
Levantou e passou pelo quarto de Clara, que dormia.
Foi até a cozinha, abriu a geladeira, pegou um pedaço de bolo e um copo com leite.
Foi para a varanda, sentou-se em um banco e começou a comer.
Já era tarde da noite.
A Lua estava alta, na fase crescente, havia muitas estrelas.
Era verão. Pensou em Zeca, que, neste momento, devia estar dormindo.
" Ele é tão misterioso, não fala sobre si.
O que terá acontecido com ele?
O que será aquilo?
Parece que vem vindo alguém, mas quem será?
Vou entrar. "
Levantou-se rápido para entrar em casa.
Estava assustada.
— Regina, espere! Sou eu!
Não precisa ter medo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:31 pm

— Zeca?! O que está fazendo aqui a essa hora?
— Está muito calor e não consegui dormir.
Saí andando e vim parar aqui.
Você também não está conseguindo dormir?
— Acordei com fome, mas entre, venha até aqui!
Ele abriu o portão e foi até ela.
Sentou-se em outro banco.
Ficaram por algum tempo calados.
Não sabiam o que falar.
Regina terminou de comer o pedaço do bolo.
— Quer um pedaço?
Vou buscar, está muito bom.
Ela se levantou para entrar em casa.
Ele a segurou. Os olhos se encontraram.
Os rostos foram se aproximando, sem que tentassem impedir, os lábios se encontraram, e um longo beijo foi trocado.
Naquele momento, como se o céu quisesse dar a sua aprovação, a lua se escondeu atrás de uma nuvem.
O amor transbordou em carinho e silêncio.
Não havia o que dizer.
Os corações batiam juntos, no mesmo ritmo.
Eles se amavam de uma maneira definitiva.
— Regina, eu não devia estar aqui, mas não consigo te esquecer.
Não consegui dormir porque a sua imagem não saía do meu pensamento.
Queria te ver ou pelo menos passar por aqui e saber que estava aí dentro, dormindo.
Jamais poderia pensar que estaria acordada e aqui fora.
Não tenho esse direito, mas estou te amando, de uma maneira total e absoluta.
— Eu também não consigo te esquecer.
Sonhei que estávamos em um lugar bonito.
Acordei e vim olhar a Lua.
Jamais pensei em te encontrar.
O que faremos agora?
Zeca não respondeu.
Tomou Regina em seus braços e continuaram se beijando.
O desejo tomou conta de seus corpos.
Ela o puxou para dentro de casa, para dentro de seu quarto.
Nem lembrou que Clara estava dormindo no quarto ao lado.
Ali dentro só existiam os dois.
Amaram-se com intensidade.
Naquele momento, nada importava.
Só queriam estar juntos.
Quando terminaram de se amar, permaneceram deitados e abraçados, em silêncio.
Não queriam falar, só sentir aquela sensação boa do amor consumado.
— Estou muito feliz, mas como será daqui para frente?
— Também não me sentia assim, há muito tempo.
Não sei como será, só sei que não quero mais me separar de você.
—Clara está aí no quarto ao lado.
Na semana que vem, ela irá embora e você poderia vir morar aqui.
— Não tenho o que te oferecer.
Sabe que só sou um simples jardineiro, nada, além disso!
— Nada disso me importa, não quero saber do seu passado.
Só me importa o futuro, o nosso futuro.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 09, 2017 7:32 pm

Você me fez reviver, e posso te garantir que estive a sua procura por todos esses anos.
Te amo e é só isso que me importa!
— As pessoas vão comentar, Regina!
— Não me importo!
Perdi muito tempo preocupada com o que as pessoas iriam dizer.
Descobri que te amo!
E que amo muito!
Só isso me interessa!
Beijou-a suavemente.
Levantou-se e começou a se vestir:
— Preciso ir embora, tentarei dormir o resto da noite.
Às duas horas temos um encontro com o Prefeito.
— Não quero ir, não quero mais vê-lo, Zeca.
Mas à tarde passarei no bar e vocês me contarão como foi.
— Não vai pela manhã tomar café connosco?
— Estou tão feliz que não sei se conseguirei esconder toda essa felicidade!
Precisamos esperar a Clara ir para a faculdade.
— Está bem, Regina, até lá não falaremos com ninguém.
O primeiro, a saber, deve ser o Robertinho, Regina.
Eu prometi, porque foi ele quem me fez ver o quanto te amo!
— Aquele menino não existe!
Está bem, concordo.
Abraçaram-se.
A porta do quarto abriu:
— Mamãe, com quem está conversando?
Você? — gritou quando viu Zeca.
O que está fazendo aqui?
— Calma, filha!
Vou te explicar tudo!
Clara estava fora de si e gritava muito:
" Explicar? Explicar o quê?
Que está em seu quarto, a essa nora da madrugada, com um jardineiro sujo?
— Não admito que fale assim!
— Clara, você sempre me tratou bem! — Zeca disse constrangido.
Sempre pareceu ser minha amiga!
— Não se enxerga?!
Sempre te tratei como a qualquer um.
Nunca como a um igual!
Você é sujo, não tem onde cair morto!
Mamãe, como pôde se envolver com ele?
_ Nós nos amamos e vamos ficar juntos!
— Ficar juntos?! Está louca!
Nunca vou permitir!
_ Você não tem que permitir!
Tem dinheiro, vai embora e será feliz!
Já decidiu o que vai fazer da sua vida!
Não tem o direito de querer decidir a minha!
—Mamãe! Ele é um ninguém!
Se a pessoa que me deu o dinheiro descobrir que anda com um mendigo, o que vai pensar?
Pode se arrepender e querer o dinheiro de volta!
_ Zeca é o homem que amo!
Ficarei com ele, quer você queira ou não!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:05 pm

Já te criei, hoje não precisa mais de mim.
Vou poder viver a minha vida!
Até aqui, nela, só existiu você, mas daqui para frente vou ser feliz!
A pessoa que te deu o dinheiro, com certeza, não sabe como você é ruim e mesquinha!
"Agora sei por que nunca quis dizer o nome do meu pai!
Andou com tantos, que não sabe de quem sou filha!
Regina deu uma bofetada no rosto de Clara:
— Saia do meu quarto!
Você não tem o direito de falar assim!
Seu pai foi um canalha que me abandonou na rua, sem se importar se eu tinha para onde ir ou não! Saia daqui!
Clara colocou a mão no rosto e saiu chorando.
Regina tremia e chorava.
Zeca a abraçou:
— Não fique assim.
Ela é jovem e eles não admitem que as mães sejam mulheres e possam sentir desejo e amor como eles.
Ela vai embora, sentirá a tua falta e tudo ficará bem.
"Eu não merecia isso!
Dediquei toda a minha vida a ela!
Talvez eu tenha errado, mas sempre procurei dar a ela tudo o que podia.
Sempre procurei fazer o melhor!
— Você fez, Regina!
Ela é uma boa moça!
Você fez o seu melhor, mas ela foi a primeira das muitas pessoas que não entenderão a nossa união.
Precisamos estar preparados.
— Tem razão.
Vá e vamos tentar dormir o resto da noite.
— Irei, mas não se esqueça que te amo, muito.
— Também te amo e muito.
— Você fica linda com esse sorriso!
— Pretendo ficar sempre assim!
Muito feliz!
Beijaram-se, ele foi embora.
No caminho, foi pensando:
Como consegui fazer aquilo?
Não podia, não tenho esse direito, mas ela é um amor e eu a amo!
Se a Clara descobrir tudo sobre mim, com certeza, me odiará ainda mais.
E Regina? Qual seria a sua reacção?
Bem, só sei de uma coisa, eu a amo!"
Chegou em casa, já em seu quarto, deitou-se e adormeceu.
Acordou com o barulho do despertador.
Pensou: "Será que aconteceu mesmo?
Não terá sido um sonho? Não!
Eu a tive em meus braços e ela me ama também.
Deus do céu, não sei se mereço toda essa felicidade.
Só posso agradecer.
Se está me dando este caminho, talvez seja porque.
Já tenha me perdoado.
— Zeca! Não vai levantar?
Hoje, eu não tenho aula.
Vou brincar casa do Tiago!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:05 pm

Você disse que ia me levar até lá.
— Já estou indo, Robertinho.
Pode ir tomando o seu café.
Robertinho foi tomar café e Zeca levantou.
Tomou um banho e juntos foram embora.
Levou o menino até a porta da casa de Tiago, depois foi para o bar.
Quando chegou, Paulina e Célia já estavam conversando com Simão.
— Bom-dia para todos!
Elas responderam com um sorriso e Simão disse:
— Bom dia mesmo! Hoje está um lindo dia!
Zeca sentou-se e Simão serviu o café:
— Simão, hoje estou especialmente feliz.
Preciso comemorar!
Que tal um belo sanduíche de mortadela?
— Mortadela! Deve estar acontecendo algo especial!
Você só come mortadela quando está triste ou alegre!
Pela sua cara, não está triste!
Podemos saber o motivo de tanta alegria?
— Ainda não, mas saberão logo!
— Temos que nos preparar para conversar com o Prefeito.
Estou ansiosa para saber qual será a sua resposta.
— Tem razão, Célia.
Estamos ansiosos, mas eu tenho que ir trabalhar.
Voltarei na hora do almoço para ir à Prefeitura.
— Preciso ir para a praça, as crianças estão me esperando.
— Pedirei ao Juca que fique aqui no bar.
Um pouco antes das duas, nos encontraremos aqui.
Foram cuidar de suas obrigações.
Regina, em sua casa, levantou; tomou um banho; se trocou e saiu, sem falar com Clara, que fez questão de continuar no quarto, pois não podia aceitar que a mãe estivesse envolvida com aquele mendigo.
~ Ela não pode fazer isso!
Não sei se conto ao Gustavo, mas se ele vier a saber por outra pessoa, será pior.
O melhor é eu contar.
Depois que ela sair e eu tomar café, vou telefonar e pedir que venha até aqui.
Contarei tudo e pedirei perdão por ela.
Ele vai aceitar.
Afinal, estamos indo embora."
Assim que Regina saiu, Clara se levantou e ficou andando por toda a casa.
Enquanto andava, falava em voz alta:
Não consigo aceitar que minha mãe esteja envolvida com um homem como aquele.
Preciso falar com Gustavo.
Ele a defendeu tanto, até brigou comigo!
Queria que fosse connosco para a faculdade!
Agora saberá quem ela é!
Mudará de ideia!
Verá que eu tinha razão!
Telefonou para a casa dele.
Assim que ele atendeu falou:
— Gustavo, preciso falar com você!
— O que aconteceu, Clarinha?
— Algo muito grave, mas não posso falar por telefone.
Você não vai acreditar!
Venha logo!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:05 pm

— Está bem, vou terminar de tomar o meu café e irei.
Ela desligou o telefone e ficou pensando em como faria para contar aquela coisa horrível para ele.
Depois de quinze minutos, Gustavo chegou.
Encontrou Clara muito nervosa.
— O que aconteceu?
Por que está tão nervosa assim?
— Não sei como começar a te contar.
É tudo tão horrível!
— Fale logo!
Não me deixe nervoso também!
Ela contou.
Ele escutou arregalando os olhos.
— Está me dizendo que o Zeca e a sua mãe....
— Isso mesmo!
Pode acreditar em uma coisa dessas?
- Nunca pude sequer pensar nisso!
Mas estou muito feliz.
Zeca é um cara legal e sua mãe é uma pessoa muito sozinha.
Nada melhor poderia acontecer para os dois.
Devia estar feliz por sua mãe ter encontrado uma companhia, alguém que goste dela ao invés de colocar obstáculos.
— Está dizendo que acha certo?
Ele é um mendigo!
Não tem onde cair morto!
_ Que está dizendo?
Sua mãe te criou com tanto amor e carinho!
Ela sempre se dedicou a você!
Agora que vai embora e aparece para ela uma companhia, você vem me falar de dinheiro!
Não estou te reconhecendo!
Tenho percebido que mudou muito depois que recebeu aquele dinheiro!
Clara ficou aturdida com a reacção de Gustavo.
Mudou o tom de voz, dizendo:
— Não é nada disso!
Só acho que a minha mãe merecia alguém melhor... não um mendigo...
— Está querendo dizer, com dinheiro?
Se eles se amarem, nada disso importa!
Serão felizes e isso é o que interessa.
Pense nisso e deixe de ser tão egoísta.
Vou embora, tenho algumas coisas para fazer antes de viajar.
Por favor, reflicta no quanto a sua mãe representa para você!
Eu, por minha vez, vou reflectir sobre essa atitude que está tomando agora.
— Espere, Gustavo!
Estou nervosa, mas te amo muito!
— Clara, mas você está diferente!
Ou sempre terá sido assim?
Não estou gostando da sua maneira de agir.
Enfrentei meu pai por você.
Acho que deveria reflectir sobre isso.
— Mas o Zeca é um mendigo!
— Ele pode ser um mendigo, mas é também um bom amigo!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:05 pm

Sabe quantas vezes me ouviu por horas quando eu tinha algum problema com meu pai?
Gosto dele! Gosto de sua mãe também!
Depois, dessa tua atitude, estou pensando seriamente se ainda gosto de você! Até logo!
Gustavo saiu apressado, estava realmente nervoso.
Será que estive por todo este tempo enganado?
Será que Clara não passa de uma menina mimada e egoísta?
Tenho que pensar a respeito.
Mas agora preciso ir até a biblioteca, tenho que devolver este livro."
Entrou na biblioteca.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:05 pm

A Resposta do prefeito
Regina foi até o bar.
Os amigos estavam despedindo-se.
Ela se aproximou:
— Bom-dia, não poderei ir à Prefeitura, tenho que trabalhar, mas à tardinha passarei aqui para saber como foi.
Como todos, também estou curiosa!
— Estaremos te esperando, Regina. — disse Célia.
Regina olhou para Zeca, seu rosto se iluminou.
Ficou calada, mas estava evidente que alguma coisa havia acontecido.
Zeca também sorriu para ela.
Simão percebeu os olhares.
" Hum! Aqui tem coisa.
Aconteceu algo entre eles.
Ontem, estavam conversando lá no banco da praça, será que se entenderam?
Deus queira que sim, mas não vou comentar.
Zeca, quando quiser, me contará."
O dia transcorreu tranquilo.
Só Zeca e Regina se flagravam pensando em tudo o que havia acontecido.
Haviam se encontrado, e isso era o que importava.
Antes das duas horas da tarde, foram chegando.
Robertinho também veio.
Queria ir a Prefeitura, afinal foi ele quem levou todos ao Grotão.
— Está bem, você irá, — disse Zeca — mas tem que prometer que ficará quieto e não interromperá a conversa.
— Prometo, Zeca!
Você sabe que sei guardar segredo!
Não contei pra ninguém até agora.
Zeca colocou a mão na boca de Robertinho:
— Está bem, não contou e nem contará.
Irá junto, mas terá que ficar só escutando, sem falar nada!
Foram para a Prefeitura.
A secretária pediu que esperassem.
Sentaram-se.
Depois de cinco minutos, ela pediu que entrassem.
O Prefeito os recebeu com um sorriso largo:
— Meus, amigos!
Sentem-se. Sueli, por favor, providencie um café para os meus convidados.
A secretária saiu e voltou logo depois trazendo café.
— Bem. Sr. Prefeito, — Simão disse com a xícara na mão — estamos todos ansiosos para saber, qual é a sua resposta.
— Conversei com algumas pessoas.
O Presidente da Câmara de Vereadores disse que a desapropriação do terreno não será difícil.
Mas, quanto ao dinheiro para a construção do parque e das casas terá algum problema.
E uma quantia grande e a cidade não tem.
Se os senhores se comprometerem a conseguir o dinheiro, o terreno será logo liberado.
— Não sei como, mas conseguiremos o dinheiro.
O senhor pode liberar o terreno.
Esse projecto é importante para todos nós, muito mais para os moradores do Grotão.
— Os senhores viram que me esforcei. — disse, com olhar malicioso.
Por isso, se conseguirem o dinheiro, deixem-me contratar, em nome da Prefeitura, as construtoras.
Que tal?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:06 pm

— Está bem, Prefeito, quando conseguirmos o dinheiro, voltaremos a conversar.
Simão falava, os outros apenas ouviam.
Zeca estava com muita raiva, olhando para aquele homem, que agora sabia ter sido o causador de tanta infelicidade para Regina e que fazia aquela proposta indecente.
Acreditava ainda mais em tudo o que ela havia lhe contado.
O Prefeito continuou:
— Quem sabe esse benfeitor da cidade não mande o dinheiro!
Precisam descobrir quem é!
Quem sabe ele poderá subir no palanque ao meu lado!
— Não sabemos quem é.
Estamos pensando que talvez seja um político querendo agradar o povo para poder se eleger.
— Um político?! Não!
Conheço a todos, e nenhum deles gastaria tanto dinheiro, senhor Simão.
— Quem sabe um dia descobriremos quem seja, não é?
— Espero que sim.
Em quinze dias o terreno será liberado para o projecto.
Senhor Simão, onde as casa serão construídas?
— Sabemos que terá que ser distante da área do manancial.
Estudaremos um bom lugar, não se preocupe.
Iremos domingo até lá, conversaremos com as pessoas e veremos qual será o melhor lugar.
Depois, comunicaremos ao senhor.
Despediram-se, foram embora.
Estavam abismados com a atitude do Prefeito.
Já na rua, Simão disse:
— Só o facto de termos conseguido a liberação do terreno, já está óptimo.
— Como conseguiremos tanto dinheiro?
Se a Prefeitura não ajudar, jamais conseguiremos!
— Calma, Célia! — disse Paulina.
De alguma forma o dinheiro virá.
Vamos falar com as pessoas da cidade.
Se cooperarem, teremos ao menos uma parte do dinheiro.
— Paulina tem razão, agora já temos um começo. — disse Simão.
Muito mais que no princípio.
O Prefeito, ao doar o terreno quis dizer que, se o projecto não sair, a culpa não será dele.
Temos que pensar em um modo de conseguir o dinheiro.
— Simão, o que quis dizer com aquela história de deixar as construtoras por conta dele?
— Se ele contratar a construtora, Zeca, o preço aumentará muito.
Pois uma boa parte do dinheiro irá para ele.
— Que canalha!
Não se preocupa com o povo!
— Infelizmente quase todos os políticos usam dessa prática, Zeca.
Ainda bem que temos muitos que são honestos e realmente se preocupam com o povo.
Por isso, muitas leis são aprovadas.
Mas iguais ao nosso Prefeito, existem muitos.
— Sabe que nunca me preocupei com política?
— Pois deveria se preocupar, Paulina.
Aliás, todos deveriam.
Chegaram ao bar.
Célia disse:
— Estive pensando.
Se os moradores do Grotão fizerem algumas peças de artesanato, elas poderão ser vendidas aos turistas e as famílias teriam um dinheiro a mais para a sobrevivência.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:06 pm

Para isso, deveria ser incluído no projecto um galpão, onde aprenderiam a lidar com tinta e madeira.
— É uma óptima ideia, Célia, mas quem ensinaria?
— Eu, Paulina!
Entendo muito de artesanato, não só de pintura.
Ensinarei algumas pessoas, que ensinarão outras.
— É mesmo uma boa ideia, Célia.
Posso ensinar música e dança.
Poderemos oferecer aos turistas um bom espectáculo!
Estão vendo como as ideias vão surgindo? — disse Simão.
Assim é que as mudanças vão acontecendo.
Não podemos deixar tudo para o governo.
Unidos conseguiremos isso e muito mais.
Isso chama-se cidadania...
Robertinho ficou quieto o tempo todo.
Só agora, ao tirar o copo de refrigerante da boca, disse:
— Seu Simão... o senhor disse que não é político.
Mas que parece... ah... isso parece...
Todos olharam para Simão e começaram rir:
— Já disse que não sou e nem quero ser político, Robertinho!
Simão disse nervoso.
— Está bem, — disse Zeca — não precisa ficar nervoso!
Mudaram de assunto.
Sabiam que seria difícil conseguir o dinheiro, mas também não era muito.
Se a população se interessasse, conseguiriam.
— Temos que bolar um meio para que todos ajudem.
— Que tal uma festa típica, Zeca?
Temos aqui, espanhóis, italianos e negros.
Poderia ser uma festa com dança e comida típica de cada colónia!
— Célia, hoje você está iluminada!
E uma ideia muito boa!
Podemos mandar os convites para as cidades próximas!
Podemos fazer barracas e jogos!
— E, Zeca, — disse Simão — parece que as mulheres têm sempre boas ideias.
Poderá até dar certo.
— Como as crianças vão participar?
— Não se preocupe, Robertinho.
Se a ideia for para frente, arrumaremos alguma coisa também para as crianças.
Estavam todos animados e nem perceberam o tempo passar.
Regina saiu do trabalho e veio até eles.
Queria saber o que tinha acontecido na Prefeitura.
Ao chegar, Zeca se levantou e puxou uma cadeira para que ela sentasse e contaram a ela tudo o que aconteceu.
— Posso ensinar primeiros socorros e tudo sobre enfermagem! — ela disse animada.
Podemos fazer um mini posto de saúde!
— Ideias não estão faltando e todas dadas pelas mulheres, Simão!
Com essa equipe conseguiremos tudo.
Já eram seis horas da tarde.
Despediram-se e foram para suas casas.
Zeca acompanhou Regina.
Sentaram-se no banco de sempre.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:06 pm

Mantinham a distância de sempre:
— Não consegui te esquecer durante o dia todo, Regina.
— Nem eu, tive que me beliscar algumas vezes para ver se não estava sonhando.
Nunca fui tão feliz em minha vida!
— Clara falou alguma coisa?
— Não a vi.
Estava dormindo quando saí pela manhã.
Não sei se a encontrarei agora.
Tenha calma, para ela está sendo difícil ver a mãe interessada em outra pessoa que não seja ela!
_ Sei disso, mas não me importo com o que ela esteja pensando.
Depois que recebeu o dinheiro, ela mudou muito.
—Acredita que tenha sido por causa do dinheiro?
_O dinheiro só fez com que ela se revelasse, mas sempre me culpou por não dizer quem era o seu pai.
A atitude dela me libertou.
Posso agora cuidar da minha felicidade.
— No que depender de mim, será a pessoa mais feliz do mundo.
Pode acreditar...
— Boa-tarde, como estão?
— Olá, Gustavo!
Estamos muito bem! — respondeu Zeca.
Clara me contou tudo e estou muito feliz por vocês.
Espero que sejam felizes!
— Clara te contou?
Ela não tinha esse direito!
—Não se preocupe, dona Regina.
Gosto de vocês dois e sei que serão felizes.
Pelo menos, é o que desejo de coração.
— Obrigada, Gustavo.
Você é um bom rapaz.
Já disse isso a sua mãe e agora estou dizendo a você.
Espero que você possa fazer a minha filha muito feliz.
— Farei, porque gosto muito dela.
Embora, às vezes, ela haja como criança, mas, mesmo assim, farei o possível para que seja feliz.
Agora, entendo porque a senhora não quis ir connosco.
Acho que ficará muito melhor aqui, junto com o melhor jardineiro que existe!
Gosto muito de você, cara!
Cuide muito bem da minha sogra.
Ela é uma mulher maravilhosa!
— Sei disso, pode deixar.
Com certeza, seremos felizes.
Obrigado por ter entendido e aceite o nosso amor.
Gustavo abraçou os dois e foi embora.
Regina, disse — Gustavo é bom, Zeca.
Sei que fará Clara feliz.
— É sim, Regina.
Clara teve sorte de encontrá-lo.
Sentiam vontade de se abraçar, mas sabiam que não podiam.
Despediram-se, indo cada um para o seu lado.
Regina entrou em casa.
Clara estava na sala vendo televisão.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:06 pm

— Ainda bem que chegou, mamãe.
Precisamos conversar.
_ O que quer falar?
Estive pensando em tudo o que aconteceu.
Acho que não tenho o direito de me envolver, mas é que ele não passa de um mendigo.
Se gosta dele, tudo bem, vá em frente!
Irei embora e só voltarei nas férias.
Por isso, faça da sua vida o que quiser.
Não vou me envolver.
A vida é sua.
— O que te fez mudar de ideia?
— Nada, só fiquei pensando sozinha.
— Contou para alguém?
— Não, claro que não!
— Está bem, minha filha.
Tenho certeza que serei feliz e você também.
Vamos jantar?
Regina não quis dizer que havia encontrado com Gustavo e sabia que ela mudara de ideia por causa dele.
Jantaram.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 10, 2017 8:06 pm

Surpresa para todos
Era quinta-feira, o domingo estava chegando e seria o dia do almoço na casa de Robertinho.
Ao meio dia, Robertinho voltava da escola com alguns amiguinhos.
Viram, entrando na cidade, um carro grande e luxuoso.
Ficaram olhando, pois nunca viram um igual.
Na frente, um homem com quepe dirigia.
O carro se aproximou e parou perto deles.
A janela de trás do carro se abriu e uma senhora elegante, sorrindo, perguntou:
_Vocês conhecem um jardineiro chamado Ricardo?
— Aqui na cidade, não tem nenhum jardineiro chamado Ricardo, não... só tem o Zeca. — Robertinho respondeu.
— Ele é jardineiro?
— Ele não era, mas agora... é... por que quer saber?
— Preciso falar com ele.
Sabe onde posso encontrá-lo?
— Sei, deve estar me esperando, lá no bar do seu Simão.
— Você me leva até ele?
— Só se a senhora deixar a gente andar nesse carrão!
— Podem entrar. — ela disse gentilmente.
João, acomode os meninos.
Eles vão nos acompanhar.
— Não cabem todos aqui na frente, senhora!
— Coloque alguns aqui atrás!
O motorista desceu, abriu a porta traseira.
Dois meninos sentaram-se junto a senhora, que sorria para eles.
Robertinho e um outro menino sentaram na frente com o motorista.
Robertinho foi indicando o caminho.
O carro circulou toda a praça e, finalmente, parou em frente ao bar.
Todos olharam.
Robertinho desceu do carro, depois do motorista ter aberto a porta, correu gritando:
— Zeca! Zeca!
Essa senhora quer te conhecer!
Acho que tem um jardim grandão para você arrumar!
Zeca se levantou.
O motorista abriu a porta de trás do carro.
A senhora desceu olhando para ele, que estava paralisado, sem saber o que fazer.
Ela abriu os braços:
_ Meu filho! Finalmente te encontrei!
_ Mamãe! O que está fazendo aqui?!
— Durante todo esse tempo tenho te procurado, filho...
Ele a abraçou chorando também.
Os amigos olhavam sem entender o que estava acontecendo.
Regina, que estava chegando, ficou parada, sem acção.
Continuaram se abraçando e chorando.
Ela se afastava, olhava para o rosto do filho, o abraçava e beijava novamente, não escondendo a alegria que estava sentindo.
— Meu filho! Te procuramos por toda parte!
Como pôde nos deixar tanto tempo sem notícias?
Como está?
— Estou muito bem, mamãe, não precisa se preocupar.
O papai, como está?
_ Desde aquele dia, ele ficou muito triste.
Depois que você foi embora, se arrependeu daquelas coisas que te disse.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Missão De Cada Um / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 12 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum