REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 9:06 am

Os desencarnados, por sua vez, sentindo-se recordados e queridos, ao captarem a onda mental que lhes é direccionada, têm diminuídas as angústias e perturbações, reconsiderando a situação em que se encontram e se reanimando, desse modo adquirindo forças e valor para superarem as dificuldades que os afligem, frutos amargos da insensatez a que se entregaram anteriormente.
A onda mental da oração cinde a densa camada da psicosfera deletéria onde respiram aqueles a quem é enviada a mensagem de amor, e qual um raio vigoroso deixa a claridade da sua presença e descarga de energia benéfica de que se faz portadora.
Não elimina, certamente, os débitos, nem seria justo que assim acontecesse, também não impede o insucesso, mas oferece serenidade e confiança para o enfrentamento dos efeitos perniciosos dos actos transactos, trabalhando em favor da mudança da paisagem, que se nimba de diferente conteúdo propiciador de paz e de vitória que devem ser alcançadas, a partir de então.
Simultaneamente, aquele que ora se potencializa e irradia ondas de harmonia que envolvem a tudo e a todos quantos lhe estão no campo psíquico ou emocional.
Animais e plantas captam as ondas mentais que lhes são dirigidas, reflectindo no comportamento os efeitos saudáveis ou danosos do tipo de vibrações de que se constituem.
No momento em que a criatura humana se conscientizar do poder da oração ou do pensamento nobre, o planeta será beneficiado pela emissão individual e colectiva de orações para recuperá-lo após todas as agressões que tem sofrido pela imprevidência e loucura dos seus habitantes, tornando-se abençoado reduto de regeneração, ao invés de oficina de dolorosas provas e expiações.
O pensamento, portanto, vinculado a Deus, ao bem, ao amor, ao desejo sincero de ajudar, eis a oração que todos podem e devem utilizar, a fim de que a felicidade se instale por definitivo nos corações.
Por isso que as formas e as fórmulas utilizadas para a oração se fazem secundárias, sendo indispensável a intenção do orante, cujo propósito estimula o dínamo cerebral a liberar a onda psíquica vigorosa que lhe conduzirá a aspiração.
O hábito de orar, a constância da oração, a elevação do pensamento se transformarão em um estado especial de equilíbrio espiritual, que sustentará o ser em todas e quaisquer ocasiões da sua existência.
Isto, porque, oração é vida, e com Jesus é vida em abundância...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 9:06 am

12 - Morrer e desencarnar
A reunião mediúnica de desobsessão, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), prosseguia com atendimento a inúmeros espíritos difíceis, enquanto outros teimavam em negar-se o estado de desencarnados, na noite de 6 de Fevereiro de 2002, quando o Orientador espiritual escreveu a página que transcrevemos:
Morrer e Desencarnar
A cessação dos fenómenos orgânicos ante a desagregação da máquina biológica, de forma alguma representa o término da existência do ser.
Dá-se-lhe a morte, sem que lhe suceda a desencarnação.
O fenómeno decorrente da anóxia cerebral enseja a experiência para a libertação da alma, desenovelando-se dos vínculos carnais, através de cujo processo ocorre realmente a desencarnação.
Consoante a existência de cada indivíduo, a sua desencarnação será sempre resultado dos conteúdos anteriormente vivenciados.
Essa ocorrência pode ser rápida ou de larga duração, em face das fixações emocionais e físicas, bem como a conduta que se permitiu em relação ao uso da indumentária material.
O momento da morte sempre se reveste de grave significação para a alma, que é tomada de aturdimento e de aflição.
O desprendimento da forma física, anteriormente na condição de uma aparelhagem muito complexa que a retinha, ao romper-se, produz um choque inevitável, que é decorrência da mudança brusca de habitat até à adaptação na nova condição de psicosfera correspondente.
A princípio uma névoa densa envolve o ser e asfixia-o, tornando-lhe tardo o raciocínio e difícil a movimentação.
Não há, porém, duas mortes iguais, da mesma forma como não existem duas vidas que sejam idênticas.
As construções mentais realizadas ao longo da existência transferem-se do arcabouço celular para o espírito, por meio do seu corpo intermediário, produzindo-lhe sensações e emoções que correspondem às próprias estruturas.
Quanto maior for-lhe o condicionamento material e a sustentação das paixões primitivas, mais difíceis se lhe fazem os processos da desencarnação.
A morte não interrompe os hábitos mentais, que são do espírito e não do corpo, continuando a predominar nas paisagens das aspirações íntimas e dos anseios do sentimento do espírito.
Todo aquele que se entregou aos condicionamentos inferiores prossegue preso aos costumes perturbadores, negando-se a consciência da nova realidade, teimosamente lutando para preservar o que lhe parece não poder continuar, e que se lhe transforma em desespero incomparável.
Dominado pelos vícios, dos quais dependia a alma em recente separação do corpo, continua absorvendo os fluidos de que se alimentava, que agora lhe emprestam a ilusão de que permanece na masmorra orgânica.
É natural que assim aconteça, pois que, no corpo físico, quando alguém se deseja libertar de um condicionamento vicioso, a luta se lhe faz difícil, exigindo vigilância e disciplina exemplar, o que não o impede de vivenciar reminiscências e desejos que se tornam constrangedores, podendo derrubar-lhe o esforço com a recidiva no hábito doentio.
O fenómeno da morte não produz efeito mágico na conduta de ninguém, isto porque, despojar-se dos componentes celulares é deixá-los, liberar-se das suas sensações é experiência muito diferente e mais complexa, porque implica real libertação dos seus arrastamentos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 9:07 am

À medida, porém, que o cadáver entra em decomposição, não raro, as sensações se transferem para o espírito, proporcionando-lhe sensações de dores físicas e angústias morais, que se prolongam pelo tempo necessário à sua diluição nos equipamentos mentais.
Nessa etapa delicada da ocorrência da desencarnação, as companhias espirituais com as quais se homiziava o indivíduo, enquanto no corpo físico, acercam-se e passam a envolvê-lo nas suas teias perigosas, realizando processos de hipnose perturbadora, mediante a qual facultam o prosseguimento da conduta vivenciada antes da morte orgânica.
Não fosse o amor de Deus que se manifesta através dos Anjos guardiães, encarregados de ajudar os seus pupilos, e tal situação se prolongaria indefinidamente, dando a impressão de eternidade, como, às vezes, pensam alguns alucinados que permanecem nesse estado de desespero...
A desencarnação ocorre somente quando o ser, livre das sensações materiais, permite-se a lucidez e o reencontro consigo mesmo, podendo experimentar as alegrias e as bênçãos da libertação.
De acordo com as faixas mentais em que cada qual se situa, desperta em campo vibratório equivalente, ensejando-se a paz anelada ou prolongando as aflições pelos prazeres que não mais podem ser fruídos.
É relevante a trajectória humana para todos, porquanto, portadora dos recursos de iluminação, quando malbarata, a alma desperta em plena treva interior, em um mundo de densas energias perniciosas em que mais se encharca, mantendo as impressões de permanência no corpo.
O hábito dos pensamentos edificantes, a conduta correta e as acções providenciais, cultivados com esforço e bom direccionamento para o amor e para o bem geral, tornam-se preponderantes para a desencarnação feliz, da qual o despertar faz-se tranquilo e compensador.
O homem e a mulher de bem, aqueles que vivem consoante as leis de Deus, mergulham no corpo e dele se liberam com facilidade e clareza mental, por não se encontrarem imantados às paixões escravizadoras.
Não dependentes das más inclinações, que já superaram, e pertencem ao passado, vestem e despem o escafandro celular sem maior dificuldade, por conduzirem a mente em propósitos e aspirações dignificadores.
O inverso se encarrega de mantê-los nos redutos em que se compraziam, até quando a exaustão pelo sofrimento os conduz no rumo da oração, do arrependimento e do anseio honesto para conseguir a mudança de situação espiritual.
As criaturas são os conteúdos mentais que cultivam, transformando-os em realidade no seu dia-a-dia, passando a depender desses hábitos que se lhes incorporam à existência de onde retiram o prazer e o encantamento para viver.
Nesse comenos, no trânsito da dor para a paz, na transformação que se vai operando no mundo íntimo pelo desejo de sair da aflição juguladora, os seus Guias socorrem-nos por encontrarem receptividade, conduzindo-os às regiões de recuperação ou levando-os de retorno às reencarnações depurativas em expiações reeducativas.
A morte física é apenas uma etapa inicial da desencarnação real que aí começa, e se encerra somente quando o espírito se integra na sociedade livre e feliz da Pátria para onde rumou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 9:07 am

13 - O mundo espiritual
Na noite de 8 de Abril de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), durante as terapias mediúnicas de socorro aos desencarnados, o Dirigente espiritual escreveu a bela página sobre a Esfera de nossa origem:
O mundo espiritual
Causam estranheza e, muitas vezes, recebem críticas ácidas as revelações em torno da realidade do mundo espiritual, das suas estruturas físicas e organização comunitária, que são tidas como fantasias de mentes delirantes ou de médiuns portadores de transtornos megalómanos.
O comportamento ancestral céptico do indivíduo prefere conceber o modus vivendi existencial após a morte como de natureza quase abstracta, eliminando quaisquer evocações terrestres, típicas da existência que ficou na retaguarda.
Outras vezes, os atavismos de antigas crenças pertinentes a religiões ortodoxas, ressurgem em formulações que dão lugar a concepções tão metafísicas, que alcançam as concepções em torno de um céu pulverizado de estrelas e de bênçãos parasitárias sem término.
Ainda aí, reponta a visão terrificante de um inferno apenas interior onde os calcetas e perversos ardem nas chamas do remorso.
Teima-se em negar ainda as características que evocam os complexos da civilização humana no orbe.
Esquecem-se que, sendo a expressão carnal, as comunidades físicas são condensações da energia no plano da matéria organizada, porém, procedentes do mundo espiritual, que é causal.
Cópia imperfeita do mundo além da forma material, depreende-se que as imperfeições na sociedade do planeta decorrem das condições em que se apresenta no processo da evolução.
De acordo com a proximidade da Terra, os círculos espirituais concêntricos apresentam carácter especial bem definido que as estruturas físicas do mundo consolidam.
À medida que se distanciam, habitados por espíritos mais evoluídos, felizes uns e ditosos outros, as suas edificações somente chegarão à crosta do planeta, quando a cultura, a ética e a civilização alcançarem mais nobres patamares.
Nessas Esferas luminíferas igualmente vinculadas ao planeta terrestre — algumas delas mais especialmente — estagiam os missionários da Ciência, da Beleza e do Amor que, ao se reencarnarem no mundo físico, fomentam o desenvolvimento tecnológico, auxiliam as conquistas do conhecimento científico e contribuem com os valiosos recursos para apressarem o progresso e conduzirem os seres humanos a estágios mais nobres.
Simultaneamente, nas regiões de angústia e dor, de reparação e de arrependimento, as densas vibrações dos seus habitantes desencarnados reconstroem os antigos lares e experienciam as organizações sociais e políticas que são compatíveis com a necessidade do progresso ou de recomeço através dos sofrimentos.
Pululam, desse modo, no orbe terrestre e à sua volta cidades e conglomerados com instituições e hábitos humanos, às vezes, tão semelhantes que um observador, menos atento, suporia encontrar-se na Terra, em agregados infelizes ou sítios pestilenciais onde a miséria moral e o descalabro fazem morada.
Atraídos magneticamente, e em razão das afinidades morais e comportamentais, os maus são recebidos pelos seus semelhantes, que se rejubilam, enquanto aqueles que se permitiram vinculação com os exploradores psíquicos, nos tormentosos fenómenos obsessivos, prosseguem em hebetação até quando lhes ilumina o discernimento e optam pelo despertar e transferência para Núcleos de refazimento e de paz.
Não há qualquer tipo de violência nas Leis de Deus, nem ocorrências milagrosas que transfiram para regiões ditosas os espíritos que se acumpliciaram com o crime e a hediondez ou preferiram a ignorância, o desrespeito aos códigos dos deveres.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Ago 22, 2017 9:07 am

O crescimento íntimo dá-se passo a passo, assim como a libertação do primarismo ocorre mediante esforços contínuos.
O mundo espiritual, compreensivelmente, apresenta-se em variado aspecto, quase infinito de graduação, qual ocorre na Terra, se examinadas as comunidades onde enxameiam a desnutrição, as enfermidades epidémicas, as doenças cerebrais e neurológicas dilaceradoras, os distúrbios mentais, passando pelas vilas mais bem ordenadas e cidades com as suas infra-estruturas proporcionadoras de higiene e saúde, até alcançarem-se as megalópoles, nas quais a tecnologia avançada conseguiu realizar, inimagináveis antes, edificações ricas de conforto, bem-estar e beleza.
A diferença básica ressalta nos seus habitantes, que diferentemente dos atormentados que se movimentam ao lado dos pacíficos, dos criminosos que andam misturados aos honrados, na azáfama e balbúrdia, no trânsito perturbador e na disputa pela conquista de destaque social ilusório, encontram-se em refazimento e em paz, experimentando a harmonia e o equilíbrio, o respeito e a amizade sinceros, confraternizando uns com os outros, deixando que a truculência e o desajuste permaneçam temporariamente apenas nas áreas reservadas ao socorro que lhes é necessário, que ali são hospedados para conveniente atendimento e orientação, no momento próprio.
Ninguém conseguirá a transferência do corpo físico para herdades feitas de luz e campos de infinitos gozos, sem transitarem antes pelas faixas intermediárias da depuração e do refazimento.
Allan Kardec, examinando a Erraticidade e os seus habitantes, com a sua lógica de bronze penetrou-a e conseguiu ouvir alguns daqueles que lá se encontravam, em diferentes níveis de evolução, desde os criminosos cruéis aos suicidas insensatos, às vítimas de homicídios nefandos, bem como aos generosos e afáveis, cumpridores dos seus deveres, missionários e apóstolos que trouxeram os seus depoimentos de acordo com as moradas onde se encontravam.
Não são poucos, igualmente, os espíritos que permanecem imantados à crosta terrestre, aos familiares, aos hábitos, aos sentimentos, escravizados pelo ódio, pelo desejo de vingança ou pela morbidez das paixões inferiores, que denominam como amor.
O amor, em verdade, rompe os grilhões das paixões e ala o ser no rumo do Inefável Amor, a fim de facultar-lhe, por sua vez, erguer também, quem não quis ou não soube receber-lhe o influxo.
Somente os sentimentos de apego em sua forma de paixões asselvajadas retêm nas regiões inferiores, que a mitologia religiosa denominou acertadamente como purgatório, porque de trânsito, e equivocadamente de inferno, por não serem eternas.
O paraíso, na sua graduação, é constituído por comunidades que se multiplicam em bênçãos de harmonia e de plenitude, alcançando faixas vibratórias de beleza inimaginável e de amor incomparável.
— Na Casa de meu Pai há muitas moradas — acentuou Jesus com propriedade, anunciando que, além de o Reino dos Céus encontrar-se no coração, lugares existem onde é realidade indestrutível.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:49 am

14 - Vida social do Além-túmulo
Durante a reunião mediúnica de socorro aos desencarnados, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), na noite de 10 de Abril de 2002, o bondoso Mentor entreteceu as considerações abaixo, através da psicografia:
Vida social do Além-túmulo
A sociedade é o organismo complexo que reúne as criaturas humanas, como células individuais que são, trabalhando-as em favor da harmonia geral.
Conquista do processo de evolução, é passo agigantado do período de primarismo, quando o ser, em fase de instinto gregário buscou outrem, do qual se acercou formando o grupo tribal que evoluiu para a vida social.
Sem esse desenvolvimento, que enriquece os seus membros com valores qualitativos, constitui
instrumento valioso para a lapidação das arestas morais e o aprimoramento das expressões elevadas que permanecem em latência.
Nesse intercâmbio de interesses e necessidades, as aspirações se subtilizam e os fenómenos ecóicos, a pouco e pouco cedem lugar ao altruísmo, por cuja contribuição a fraternidade se estabelece sem jaça.
Na vida social o progresso se manifesta, tendo-se em vista as necessidades do grupo que se aprimora e cresce em aspirações cada vez mais complexas e subtis.
A ciência e a arte, a tecnologia e o pensamento, a ética e a religião apresentam-se como veículos poderosos para que se consiga alcançar os melhores resultados que sempre culminam na felicidade, no bem-estar, na saúde, na harmonia...
Cada período da sociedade assinala-se pelas suas glórias ou misérias, não obstante os passos do progresso conseguido na esteira do tempo, que são sempre gigantescos.
Na Terra, no entanto, os limites orgânicos estabelecem também a finitude, a dimensão pequena dos logros da evolução, que se circunscrevem aos factores económicos, morais, em favor da própria sociedade.
No Além-túmulo, porém, pelas características de que se reveste a vida social, os seus patamares multiplicam-se ao infinito, não havendo qualquer limite para as aspirações e conquistas do espírito.
Pujante, a vida social no mundo das causas, é rica nas Esferas superiores, de beleza e de realização, onde se equipam os missionários da evolução da humanidade para transferirem para a Terra o que se apresenta como invento e penetração no âmago dos enigmas cósmicos e microscópicos.
Longe vão os tempos ingénuos em que se acreditava em uma vida social além do corpo, destituída de vibração e de movimento, de acção e de trabalho.
O Espiritismo veio demonstrar que o céu utilitário e sem finalidade, no parasitismo estático da contemplação infinita e o inferno de eterna punição, não passam de conceitos míticos do agrado arquetípico dos privilégios e das punições cruéis.
As estâncias felizes, ao inverso das megalópoles terrenas, são colmeias vivas de amor e de acção, felicitando os seus habitantes com os gozos que se derivam da consciência lúcida e em consonância com as leis de Deus, impulsionando o espírito a incessantes buscas e aprendizagens na ânsia da conquista de sabedoria.
Comunidades resultantes da afinidade de interesses e conquistas morais, harmonizam-se pelas metas que perseguem e através dos labores que empreendem.
Entre elas reina a perfeita confiança e a afectividade é destituída de paixões egoísticas e tormentosas, propiciando relacionamentos duradouros em delineamentos de realizações futuras para o bem geral.
Educandários de grande porte preparam aprendizes da beleza e do conhecimento, a fim de que, periodicamente, como chuvas de estrelas, caiam sobre a Terra, iluminando os sombreados caminhos humanos, libertando as criaturas das injunções severas e penosas dos flagelos destruidores, das enfermidades dilaceradoras, das angústias punitivas, da ignorância e da perversidade...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:50 am

Aptos para a renúncia que treinaram nesses, santuários de bênçãos, afadigam-se na edificação do Bem e da Verdade, sem guardarem outra qualquer recompensa ou entendimento, que não sejam expressos na paz da consciência.
Nesses infinitos ninhos de amor luz o verdadeiro entendimento dos Soberanos Códigos, e a imaginação rompe as amarras que a limitam, facultando a elaboração de incomparáveis paisagens e edificações onde vivem e se movimentam.
Isto porque, à medida que ascende, o espírito se liberta da condição de escravo do trabalho, passando a realizá-lo por necessidade e alcançando o nível superior do anseio de beleza e sublimação.
O esforço físico e a actividade braçal, tão comuns na Terra, são substituídos pela acção mental que plasma, que movimenta, que vitaliza e aperfeiçoa em razão do perfeito controlo das faculdades psíquicas que expressam Deus no ser em crescimento.
De alguma forma, já se podem observar no planeta, alguns desses aspectos de fácil presença, quando a robótica substitui seres humanos em tarefas desgastantes e a informática proporciona operações fantásticas que antes constituíam desafios, nem sempre vitoriosos.
Os equipamentos sofisticados da biónica, da engenharia genética, da biologia molecular, da computação, apenas para citar alguns, que chegaram ao planeta nos cinco últimos decénios são materializações dos extraordinários instrumentos dessas Esferas espirituais, encarregadas de fomentar o progresso humano e apressar a transição do mundo de provas e de expiações facultando sejam instaladas as bases do mundo de regeneração.
Esses espíritos que mergulham em grupo social, procedentes do Além-túmulo, vieram no século V de Péricles, na Grécia antiga e se corporificaram como Praxíteles, Esquilo, Sófocles, entre muitos outros, para ressurgirem nas indumentárias de Sócrates, Platão, Aristóteles, Leucipo, Lucrécio, Demócrito e avançarem para os dias de Caio Júlio César Octávio, na investidura de Marco Aurélio, Tito Lívio, Mecenas e sucessivamente na Escola neoplatónica de Alexandria, no período medieval, no Renascimento até os dias atuais, alterando o planeta nas suas variadas expressões.
A vida social, no Além-túmulo, real e formal, activa quanto grandiosa, é o celeiro de luz de onde a Divindade transfere para o mundo físico os germes de vida, de beleza e de sabedoria, a fim de arrastar nas suas redes de amor e de serviço os espíritos ainda tardos ou renitentes na ignorância que, igualmente, irão viver nesses pousos de plenitude da Erraticidade, quando libertados da canga das paixões e das impurezas morais.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:50 am

15 - O país dos sonhos
A reunião mediúnica de desobsessão, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), na noite de 21 de Agosto de 2002, seguia o seu curso, quando o Benfeitor, analisando os estudos que a precederam, ditou a seguinte mensagem psicografada:
O país dos sonhos
Durante o sono fisiológico ou natural, o espírito desprende-se parcialmente do corpo, volvendo ao seu habitat normal, que é o mundo de origem, onde se movimenta conforme os seus níveis de evolução.
Quanto mais enobrecido melhores possibilidades frui, conseguindo movimentar-se com facilidade e presteza.
Quando saturado de energias densas e primárias, permanece em perturbação como consequência das intoxicações mórbidas que se exteriorizam da organização física.
O sonho representa uma abençoada concessão da vida ao ser humano, de modo a não lhe permitir o deslocamento completo da realidade, seguido de amnésia em torno da Espiritualidade.
Conforme as aspirações cultivadas e os programas emocionais estabelecidos, mediante compreensível identificação vibratória, o espírito é atraído para os recintos e companhias compatíveis com os anelos do sentimento.
Nesse período de lucidez, que é relativa ao estado de evolução de cada ser, reafirmam-se propósitos dignificantes, participa-se de actividades relevantes, revisam-se projectos reencarnatórios, recebem-se orientações e esclarecimentos seguros para serem incorporados ao roteiro humano após o despertar.
Noutras vezes, são realizadas viagens de aprendizagem a Regiões ditosas e a Mundos superiores, onde a cultura e a civilização alcançaram patamares elevados e radiosos que deslumbram, imprimindo nos delicados tecidos da memória espiritual os seus painéis e lições de superior conteúdo.
Reencontros ditosos e convivências felizes fazem-se promissores, ensejando o robustecimento dos valores morais e das energias para os enfrentamentos incontáveis da jornada carnal.
Ocorrem ali também recordações de outras existências já experienciadas, com o objectivo de esclarecer ocorrências menos felizes e convivências desafiadoras.
Paisagens iridescentes quanto fascinantes, totalmente desconhecidas e constituídas por substâncias jamais vistas, imprimem-se no espírito, motivando-o a um incessante desenvolvimento dos tesouros morais que dormem nos refolhos do ser, aguardando os factores propiciatórios para o seu desabrochar.
Experiências luminosas alargam as percepções espirituais, ensejando prolongamentos em contínuos retornos na sucessão do tempo, desde que constituem os fundamentos da vida em cujo programa todos nos encontramos incursos.
As lembranças que remanescem desses momentos, resultam do estágio emocional e de desprendimento das paixões primevas que constituem obstáculo ao claro conhecimento da ocorrência onírica.
Sob o mesmo ângulo de libertação parcial, considerando-se o atraso moral do espírito, nesse comenos de liberdade, defronta adversários cruéis quanto pertinazes, que ameaçam e criam situações penosas, que se transformam em severos pesadelos, atormentando e gerando episódios fóbicos em relação ao sono, assim desequilibrando a organização somática, que instalará transtornos depressivos com ligações obsessivas de breve ou longo curso.
Igualmente, a atracção pelos sítios doentios nos quais se homiziam o crime, a hediondez e a depravação, arrastam o ser, mais aturdindo-o e intoxicando-o como consequência da sua ligação morbífica com essas regiões de sordidez.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:50 am

Enfrentando as recordações insanas e de outras existências inditosas que ressumam à memória actual, atoleima-se ante as torpes acções a que se entregou, volvendo ao corpo sob os crepes da amargura, do medo ou açulado nos desejos inferiores a que se permitiu numa inconsciência lamentável...
O país dos sonhos é o mundo espiritual com as suas glórias e conquistas, mas, também, com as suas lôbregas áreas de sofrimento e de perversão que os espíritos atrasados cultivam e nelas se comprazem até o momento quando lhes luzir a claridade sublime da elevação moral.
O espírito, não obstante encarcerado no corpo, capta também por percepção automática os acontecimentos à sua volta, de forma consciente ou não, que permanecerão arquivados no inconsciente individual profundo, de onde emergem nos estados oníricos, confundindo-se com as ocorrências espirituais, transformando-se em bênção ou dando lugar a conflitos.
Em face dos impulsos sexuais mal direccionados e dos tormentos estabelecidos, estes se convertem em clichés vivos que reaparecem durante o estado onírico, confundindo-se com as imagens da realidade extrafísica, produzindo perturbações e desestruturando, às vezes, a personalidade.
Nesse capítulo valioso, a contribuição da psicanálise é relevante e oportuna para libertar o inconsciente dessas impressões conflitivas.
Mesmo assim, sob as cargas dos registros inconscientes dos acontecimentos externos e dos distúrbios internos de pensamento e de conduta, o defrontar do mundo espiritual em cada desprendimento parcial pelo sono abre as portas da percepção da realidade do ser, que oportunamente retornará ao plano vibratório de sua origem, onde reprogramará o futuro em outras tentativas regeneradoras, sem que se rompam os vínculos com os poderosos núcleos de onde procede.
Existências assinaladas pelo equilíbrio, pelos valores éticos e conquistas do amor, vivenciando a oração, a dignidade e o Bem, conseguem retornos felizes à Espiritualidade, navegando na barca do sono no rumo do ditoso país dos sonhos, de onde se procede e para onde se retorna quando se rompem os laços da matéria, terminada a jornada reencarnacionista.
Os sonhos estão profundamente vinculados ao estado emocional e espiritual de cada criatura, que se desprende parcialmente durante o repouso físico, para dar prosseguimento aos interesses e anelos, aspirações e lutas, na esfera dos arquivos pessoais ou no mundo para-físico ao qual volve nessa ocasião.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:50 am

16 - Espairecimentos espirituais
Enquanto se manifestavam por psicofonia diversas entidades sofredoras, algumas impertinentes e perturbadoras, na reunião de desobsessão do Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA),
o Benfeitor escreveu a página que intitulou como:
Espairecimentos espirituais
Consoante o estágio de evolução de cada espírito, variam expressivamente as comunidades onde se reúnem, habitando-as durante os intervalos das reencarnações.
Não obstante, considerando as esferas intermediárias entre a vida física e as mansões felizes, prólogos das regiões sublimes ou celestiais, a vida social e familiar é rica e empreendedora.
Não experimentando a fadiga física conforme sucede nos planos materiais, pela ausência dos órgãos somáticos que respondem pela preservação da existência, as acções nobilitantes e os compromissos de elevação fazem-se em escala de equilíbrio intermediadas pelos períodos de espairecimentos e belezas.
Além das reuniões nos ninhos domésticos ou nas instalações colectivas onde são evocados os acontecimentos pretéritos com vista à superação, se negativos, ou à ampliação de recursos iluminativos, quando felizes, as conversações são pródigas em planos para os reencontros futuros e projectos de auxílio que se estendem abençoados, direccionados aos afectos que ficaram na retaguarda carnal.
Ademais, a convivência fraternal e afectuosa propicia excelentes roteiros para o engrandecimento das aptidões morais e culturais, que deverão ser desdobradas quando de futuras experiências na Terra.
Simultaneamente, multiplicam-se estâncias e recantos de invulgar estesia, favorecendo a inspiração para os cometimentos, nos quais as reminiscências restaurarão as alegrias e a coragem, quando a rudeza das provas e a exaustão dos sentidos parecerem conspirar contra o sucesso dos compromissos.
Recuperarão as forças e fomentarão o entusiasmo para que não haja desfalecimento ou abandono de tarefas.
Em áreas ajardinadas com vegetação exuberante e desconhecida no Orbe terrestre, que aromatizam a brisa com a explosão magnificente de flores, ocorrem espectáculos de arte sob as mais variadas expressões.
O teatro e as transmissões de deslumbrantes ocorrências em outros planos mais elevados, superam a televisão e a comunicação virtual conhecidas, porque as personagens assumem o aspecto real, tridimensional e não plano conforme no mundo físico e sem a necessidade de qualquer equipamento óptico, facultando, de alguma forma, que os espectadores sintam-se também participantes das ocorrências.
Tanto são apresentadas em páginas vivas os fastos da História da Humanidade, como as mais nobres obras da dramaturgia conhecida no planeta, acrescentadas da contribuição de experiências mais elevadas e inspiradoras, que foram a fonte inicial onde os seus autores hauriram as informações para elaborá-las.
A música sublime, além de cantar na atmosfera, assume excelsa beleza, quando executada por especialistas hábeis e seus delicados instrumentos, que conseguem arrancar melodias transcendentes da Natureza, penetram o ádito dos ouvintes deslumbrados, que jamais as esquecerão.
Não apenas vibra em sons harmoniosos como se expressa em cores de difícil definição que resultam das vibrações de que se constituem.
A dança materializa nos palcos luminosos e evocativos dos anfiteatros greco-romanos, acontecimentos espirituais que na Terra foram concebidos como criados por génios, fadas, mitos, narrando a epopeia e a glória da vitória da vida sobre todas as vicissitudes e do amor pairando sobranceiro em todas as conquistas do pensamento.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:51 am

Conferências de conteúdos complexos e inabituais, profundos e caracterizados pela realidade em forma de sabedoria, apresentadas por expositores de outras esferas encantam e iluminam a inteligência sem entorpecerem o sentimento.
O contacto e o diálogo com os Mensageiros da Luz, que seguirão à Terra para promover-lhe o progresso cultural, social, tecnológico, artístico e moral facultam alegrias inefáveis.
Experiências em desdobramento são apresentadas aos interessados em crescimento interior, sempre objectivando a sublimação da criatura na sua incessante busca do Criador.
Programas de engrandecimento moral e espiritual em forma de recreação para a mente e sua educação, para os hábitos e sua modificação para melhor, desdobram-se continuamente, ensejando crescimento pessoal enquanto se estabelecem novos roteiros de renovação psíquica e emocional sempre com vistas à plenitude.
Os espairecimentos não cansam, produzindo tédio, quando passam, ou saudade após fruídos, porque se incorporam ao espírito, vitalizando-o com energias especiais que lhe dão alegria e facultam permanente bem-estar.
Não apenas o trabalho existe em nossas esferas espirituais, mas também as bênçãos de Deus expressam-se de formas muito variadas, demonstrando-nos o Seu amor e o Seu interesse constante no burilamento das imperfeições e superação total da inferioridade.
Não existindo o cansaço, igualmente ninguém desfruta de ociosidade, porque a lei de trabalho é estimuladora e referta de compensações emocionais, algo diferindo do esforço que se empreende no mundo físico, quase que à semelhança de canga mortificante ou de dever impostergável para a própria e a sobrevivência do grupo social no qual cada um se encontra.
Os planos espirituais são pulsantes e vivos, distantes das narrativas teológicas do passado, onde a inutilidade e a contemplação preencheriam o tempo da Eternidade...
Conforme, portanto, as aspirações e realizações de cada espírito, o mesmo se sediará em ambiente adequado ao seu desenvolvimento intelecto-moral, encarregado da ascensão a planos cada vez mais felizes, sem sombra nem dor, sem ansiedade nem aflição.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:51 am

17 - Actividades espirituais
Durante a reunião de desobsessão da noite de 19 de Setembro de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), enquanto se comunicavam diversos espíritos sofredores, o Benfeitor espiritual escreveu a página que segue:
Actividades espirituais
A dinâmica da acção é lei da vida. Em toda parte o movimento trabalha em favor da ordem e do equilíbrio. Por consequência, o repouso, a ociosidade propiciariam a ocorrência do caos.
Tudo quanto parece imóvel e imutável encontra-se em completa agitação, que os órgãos dos sentidos humanos e alguns delicados e complexos aparelhos não conseguem captar.
Sendo a vida terrestre natural efeito do mundo causal, de energia e de programação, neste as acções são responsáveis pelos valores que trabalham para a evolução espiritual do ser.
Nesses mundos intermediários entre o físico e os mais felizes reinam incomparáveis movimentos de edificação, porquanto, também eles prosperam com a sua comunidade espiritual ascendendo na escala superior infinitamente.
Os espíritos que neles estagiam, são convidados a actividades inumeráveis, graças às quais dão prosseguimento aos labores que experienciaram na existência corporal e a morte não conseguiu interromper.
De outras vezes, programaram futuras realizações que deverão enfrentar, contribuindo para a renovação do planeta e a superação dos males que afligem as criaturas que hospedam.
Pesquisas nas diversas áreas da ciência, da tecnologia, do pensamento, das artes, da fé religiosa ampliam a capacidade de entendimento dos seus realizadores, que mais tarde transferirão para o planeta em ministérios enriquecedores e felizes.
Escolas e Universidades especializadas transferem o conhecimento das Esferas ditosas para esses laboriosos buscadores da verdade, que se capacitam para os futuros cometimentos iluminativos.
Não havendo lugar para a inacção, o trabalho fraternal de auxílio recíproco faculta que sejam organizadas caravanas especiais de socorro às criaturas humanas, que passam a ser tuteladas pelo nobre auxílio, a fim de que se renovem, tenham as suas aflições minoradas quando não cessadas, e o amor se encarregue de equacionar os tremendos conflitos gerados pelo ódio, pela vingança e pela revolta, que remanescem naqueles que pretendem desforçar-se dos males de que foram vítimas, e sem apoio na confiança irrestrita em Deus, que a tudo corrige pelo amor, tomam nas mãos á clava da justiça e enlouquecem, ampliando os círculos das obsessões e as manifestações de doenças e dramas de toda natureza, que infligem aos seus desafectos com objectivos destrutivos...
Aprende-se a ajudar em anonimato reconfortante, oferecendo-se apoio e inspiração àqueles que se encontram algemados aos vícios e aos tormentos, sem nunca deixarem desanimar, mesmo quando os resultados não se fazem auspiciosos.
Treinam misericórdia em visitas de auxílio e amparo às regiões de sofrimentos inenarráveis, de onde procuram retirar aqueles que se apresentam com melhores disposições íntimas para o refazimento pessoal.
Assumem responsabilidades com muitos daqueles que aportam às províncias onde residem como náufragos, e são internados em clínicas próprias de acordo com as mazelas que conduzem, assim como de repouso e refazimento, para a adequada reconquista da saúde e da paz interior.
Simultaneamente, reconstroem-se grupos familiares que volverão à Terra, a fim de repararem equívocos juntos ou construírem novas edificações de harmonia.
Não sendo necessários largos períodos para o repouso, em razão da inexistência do cansaço, o desenvolvimento de actividades é sempre ampliado, com intervalos de auspiciosos encontros de arte e de beleza ou para se poder fruir as esplendorosas mensagens da Natureza sem a poluição mental, geradora das demais que ameaçam a vida terrestre.
Os espíritos intercambiam sentimentos de afectividade pura e profunda, sem quaisquer tormentos egotistas e derivados das faixas primevas do processo evolutivo.
O sexo apresenta-se sem as particularidades morfológicas, mantendo-se as expressões recentes da reencarnação anterior, porém, sem os impulsos perturbadores da libido, a manifestar-se em outros departamentos da emotividade.
Não há competição destrutiva, em que alguns pretendam o pódio da glória, porque o maior servidor sempre passa sem a ostentação nem a volúpia da fatuidade humana.
Todos empenham-se em trabalhar pelo próprio, assim como pelo crescimento geral, esforçando-se em cooperar e produzir, conscientes dos deveres que produzem a realização da felicidade.
Desde as mais inexpressivas até as mais desafiadoras actividades, esses mundos espirituais ensejam o prosseguimento da vida em contínuo dinamismo.
Eis por que o ultrapassado conceito morrer para descansar, faz-se substituído por viver além-da-morte para prosseguir em crescimento infatigável no rumo do Infinito.
Treine-se na Terra a acção que prodigaliza ventura, e após a morte do veículo físico, prosseguir-se-á em actividade ordeira e confortadora com que sempre se apresentará a vida no seu sentido imortal.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:51 am

18 - Sessões espíritas mediúnicas
Enquanto as actividades mediúnicas da noite de 21 de Novembro de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), prosseguiam no atendimento aos desencarnados em sofrimento, o Guia espiritual escreveu a página abaixo:
Sessões espíritas mediúnicas
As reuniões experimentais ou fenoménicas do Espiritismo têm por meta essencial o estudo da imortalidade do espírito e da sua comunicabilidade, do qual surgem as bases seguras para a crença racional em torno da preexistência e da sobrevivência do ser às manifestações biológicas da existência física.
Programadas por investigadores conscientes e responsáveis, ensejam o intercâmbio espiritual que permite os diálogos, os estudos e pesquisas compatíveis com a estrutura de que se revestem.
Dignas de consideração e de apoio, são responsáveis pelo mister de contribuir com os factos probantes da supervivência à morte e da realidade da vida antes do berço, no mundo causal onde se origina.
No que concerne, porém, às reuniões espíritas mediúnicas, defrontamos compromisso bastante diferenciado no que diz respeito à investigação pura e simples.
Programadas pela Espiritualidade, são constituídas por um grupo de pessoas sérias, assíduas e conscientes do seu significado, comprometidas com a acção da caridade em forma de terapêutica eficiente para os desencarnados em aflição.
Os espíritos encarregados de executar o labor são os que estabelecem as directrizes de segurança e roteiros para a acção durante o empreendimento especializado.
Inicialmente cuidam de organizar as defesas vibratórias para o grupo e para o local onde se desenvolvem, realizando actividades que se caracterizam por construções fluídicas, resistentes às invasões das entidades perversas que se comprazem em criar dificuldades para os membros encarnados.
Destacados especialistas para o programa de comunicações, dias antes da sua execução, organizam o mister e seleccionam aqueles espíritos que se devem comunicar por meio dos médiuns do grupo, elegendo-os conforme as leis das afinidades fluídicas portadoras de campos vibratórios que facultem o correto fenómeno mediúnico.
Quando se trata de ocorrências especiais — comunicações de suicidas, de homicidas, de obsessores, de criminosos cruéis — são esses espíritos conduzidos horas antes, às vezes, com mais de um dia, a fim de serem criados condicionamentos psíquicos que propiciem a diminuição das suas cargas de energia deletéria, de forma que, durante a psicofonia, o médium seja poupado de desgaste excessivo e o visitante seja automaticamente beneficiado, tendo diluídas as construções mentais perturbadoras, assimilando as informações que lhe serão oferecidas.
Ao mesmo tempo, o conjunto vibratório opera no necessitado de orientação benefícios imediatos, que o libertam das fixações dos lugares de onde procede, despertando-lhe a consciência para o êxito da incorporação saudável.
Concomitantemente, as operações que aplicam a bioenergia e saturam-lhe o perispírito com outras moléculas de força, constituem uma terapia significativa e imediata, que o ajudará a recompor-se interiormente, ao tempo em que passa a considerar como de urgência o impositivo da auto-iluminação.
Por sua vez, cada médium responsável e consciente do trabalho que lhe diz respeito, faz-se maleável às comunicações, porque sintonizado com os directores espirituais, eles intuem-lhe a maneira como comportar-se, superando conflitos íntimos, ideias perturbadoras e hábitos mórbidos, que lhes constituem verdadeiros tormentos...
Tornando-se dúcteis à inspiração inicial do desencarnado e deixando-se conectar psiquicamente, o intermediário assimila a personalidade, o pensamento e os sentimentos daquele que dele necessita, desse modo, auxiliando-o para a desincumbência da tarefa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:51 am

Não raro, a programação espiritual estabelece como transcorrerão as comunicações, quais as providências tomadas para serem evitados transtornos e perturbações, no entanto, especialistas em contribuição magnética encontram-se a postos para interferir caso haja distúrbios ou agressividade desnecessária daqueles que se comprazem no mal e se elegem como vingadores e contumazes inimigos do progresso, da paz.
Instrumentos delicados, de alta tecnologia, são utilizados durante as manifestações mais vigorosas, de modo que sejam realizadas cirurgias nos enfermos espirituais, vitimados por auto-obsessões ou aloobsessões, ou que se tornaram portadores de implantes de células supersensíveis que os enlouquecem sob comando exterior.
Assistentes espirituais, preparados para o serviço de enfermagem posterior e condução a atendimentos específicos em outros momentos, cooperam com os Instrutores com os quais trabalham em uma equipe harmónica sob o comando do Mentor responsável pela reunião espírita mediúnica.
Depreende-se, desse modo, que os membros que constituem a reunião encontram-se comprometidos com o conjunto, não se devendo permitir situações embaraçosas cujos efeitos se reflectirão no todo.
Organizada a tarefa e estabelecidos os parâmetros de acção, espera-se que a equipe de colaboradores encarnados encontre-se igualmente sintonizada com a actividade, a fim de ser conseguido o êxito anelado.
Quando o médium ou o doutrinador, por motivo frívolo falta ao compromisso, exige que seja modificado o roteiro estabelecido, quando isso é possível, sendo tomadas providências de urgência, certamente previstas pelos Mentores, já que eles não agem por acções de improviso.
Esse conjunto de trabalho harmónico obedece a um ritmo seguro, que somente os membros encarnados podem perturbar.
A reunião espírita mediúnica, portanto, com objectivos socorristas, obedece a um processo de delineamento equilibrado para que, concluído o tempo que lhe é reservado, distendam-se os socorros além da esfera física com a presença ou não dos participantes parcialmente desdobrados pelo sono fisiológico.
A sessão mediúnica séria e responsável é laboratório espírita para actividades psicoterapêuticas aos transeuntes de ambos os planos da vida, contribuindo eficazmente para o equilíbrio e a saúde total dos espíritos.
Na aludida organização, prevê-se a mensagem do nobre amigo espiritual dirigente que culmina o empreendimento, deixando a luz do consolo e da esperança nas mentes e nos corações afervorados.
Desse modo, o elevado mister socorrista constitui expressiva experiência de caridade, em razão do anonimato daquele que vem rogar ajuda e da generosidade de quem a oferece, conforme recomendava Jesus: dando com a mão direita, sem que a esquerda tome conhecimento.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qua Ago 23, 2017 9:51 am

19 - Esponsalício espiritual
Enquanto as actividades de socorro espiritual prosseguiam, na noite de 27 de Janeiro de 2003, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), destacou-se uma comunicação evocativa de um matrimónio fracassado com as danosas consequências que seguiram ao Além-túmulo.
Nesse comenos, o Benfeitor escreveu a página que segue:
Esponsalício espiritual
Em face da realidade do mundo causal, que preexiste e sobrevive à transformação molecular, as programações e os métodos hábeis para o desenvolvimento dos espíritos no seu processo de crescimento intelecto-moral, de lá procedem, não se podendo, no entanto, desconsiderar os factores fortuitos, que decorrem das experiências físicas e do livre-arbítrio de cada um, durante a jornada no proscénio terrestre.
Considerando-se as afinidades emocionais, os relacionamentos entre as criaturas facultam alterações da programática, nos seus métodos, embora não se modifiquem os objectivos essenciais da reencarnação.
A irrupção das tendências perturbadoras, que remanescem nos refolhos do ser espiritual, podem ressumar ante os estímulos da convivência humana, precipitando condutas ou postergando-as, graças ao que, muitos espíritos se resolvem por assumir atitudes que não foram delineadas, como natural efeito da precipitação moral e da imaturidade emocional.
Assim ocorre no que diz respeito às uniões conjugais, em muitas das quais a predominância dos impulsos sexuais em detrimento dos sentimentos profundos termina por gerar situações lamentáveis, que não se encontravam desenhadas para tomar corpo.
A vigorosa vigência do instinto por sobre a razão torna impulsivo o indivíduo, que, não educado emocionalmente para superá-lo, deixa-se arrastar pelos caprichos do imediato, dando lugar a ocorrências desastrosas no futuro.
As licenças morais que fazem parte da ética moderna, reduzem o ser humano a somente um feixe de manifestações primárias que devem ser atendidas prioritariamente.
Em razão disso, os sentimentos permanecem adormecidos ou são mutilados, não se podendo expressar de forma significativa a ponto de conduzir com equilíbrio o ser no rumo da sua destinação histórica, que é a perfeição. Isso faz que se detenha nos meandros das sombras, vitimado pelos arrependimentos graves ou carregado pelo fardo da culpa que o martiriza, quando seria muito mais fácil uma jornada de harmonia como decorrência do respeito às leis do amor que vigoram em toda parte.
A educação no lar, igualmente permissiva, estimula a formação de caracteres débeis, que pretendem experimentar os prazeres até a exaustão, antes mesmo do correspondente amadurecimento psicológico para saber fruí-los em forma de felicidade e não de desbordamento de paixões, que são o suceder de gozos rápidos, fugazes, insatisfatórios...
Malogram, dessa forma, não poucos projectos espirituais que foram trabalhados antes da reencarnação, assim retardando o avanço espiritual e não raro sobrecarregando o ser de penosas injunções.
Certamente, nunca ocorre fracasso no processo de crescimento espiritual, porquanto as experiências malsucedidas transformam-se em verdadeiras bênçãos que ensinam a como não mais actuar dentro desses padrões erróneos de comportamento.
A morigeração dos hábitos, a reflexão antes das acções, a introspecção que faculta identidade de significados próprios para a felicidade devem ser assumidas durante a trajectória humana, de forma que em cada passo do processo de crescimento haja sempre estrutura de segurança para mais audaciosas conquistas.
A frivolidade que domina em praticamente todos os arraiais do pensamento social no planeta, as falsas necessidades que se convertem em imprescindíveis para a plenitude, a busca incessante de jogos prazerosos respondem pela desestruturação psicológica do ser, que mesmo fugindo aos compromissos aceitos antes do berço, guarda-os em forma de tendência ou de reminiscência que estimulam à realização profunda.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:43 am

Não se permitindo aceitar a marcha pela trilha estabelecida, à medida que os vapores da ilusão passam, os transtornos depressivos e fóbicos, as angústias e as obsessões assomam, gerando profundas perturbações em que as alegrias se estiolam e as esperanças esmaecem, dando lugar a sofrimentos que poderiam haver sido evitados.
Na formulação das trajectórias reencarnacionistas os programas de união conjugal, de conquistas emocionais, de realizações iluminativas têm prevalência.
No que tange aos esponsais, ao cumprimento dos deveres junto aos seres elegidos, adredemente estabelecidos, a incúria pode levar aqueles que se encontram comprometidos a alterações de conduta, em face das opções apressadas quando elegem outros indivíduos que se lhes acercam e os atraem, facultando a formação de uma família que não seria a ideal conforme aquela com a qual se encontrava comprometido. Isso não impede, porém, de ser estabelecido um vínculo novo que pode perfeitamente estreitar-se sem qualquer prejuízo. Ocorre, no entanto, que passados os fenómenos orgânicos do prazer sexual e despertando-se para sentimentos mais profundos que não existem, sejam vitimados pelo tédio, pelo desinteresse, pela rotina da convivência, escorregando para desvios morais e conjugais que perturbam a união.
É, dessa forma, que muitas famílias se desestruturam, se esfacelam, dando lugar a tormentos que poderiam ser evitados se os seus membros procurassem agir com menos violência e mais ponderação, pensando na realidade de seres imortais que são, ao invés de nautas imprevidentes quanto irresponsáveis que buscam praias de repouso e inutilidade.
Nas Regiões espirituais em plena vida social, os espíritos afins, que compartilham ideias de beleza e de harmonia ou que anelam por experiências felizes no orbe, estreitam os laços das afeições, delineando projectos de união futura, coroada pela bênção de filhos, que são espíritos com os quais se encontram comprometidos pelo amor ou pelo desequilíbrio e dependem da sua ajuda e da sua convivência.
Em união elevada de pensamentos e de sentimentos, comungam dos valores da compreensão e da responsabilidade, treinando convivência harmónica, estudando limites e deficiências, realizando um verdadeiro esponsal moral que se converterá em nobre união física sob a custódia das leis civis e morais da Terra.
Nesses encontros de ternura inefável, delineiam planos, estabelecem compromissos de fidelidade e de respeito que firmam com unção, preparando-se para os futuros cometimentos no mundo das formas orgânicas, em formosas ante-visões de plenitude.
Ao se reencontrarem, quando na neblina carnal, reconhecem-se e amam-se, dispondo-se à execução dos planos que foram formulados.
As emoções facultam-lhes os incomuns tesouros da alegria e da paz, descobrindo que aquele é o ser para o qual se encontra preparado e por quem aguardava com enlevo e expectativa.
Nem sempre, porém, são atraídos antes de haverem vivenciado experiências que se inserem nos seus compromissos, e que deveriam ter administrado com sabedoria, de forma que permanecessem livres para este momento que os preencheria de felicidade, sem culpa, sem conflito...
Quando o espírito reveste-se de matéria, como é natural, sofre uma alteração de conduta em razão dos impositivos orgânicos.
A aparelhagem física, com os seus condicionamentos multimilenários, impõe-se através dos mecanismos cerebrais, seja mediante o hipocampo, os lobos pré-frontais, a amígdala e outros complexos equipamentos, traçando impositivos de afectividade, de memória, de impulsos, de emoções...
Somente através do cultivo da vida interior, é que se podem sobrepor os objectivos elevados aos impulsos eminentemente fisiológicos.
Não apenas assim acontece de referência às uniões conjugais, mas, também, em se tratando de actividades outras, que fazem parte dos mecanismos da evolução.
Eis por que a conscientização do ser, desde a infância, em torno da sua realidade como espírito imortal que é, torna-se fundamental.
Quando os valores espirituais fizerem parte dos compromissos domésticos e as grades escolares incluírem disciplinas biopsicológicas, bioéticas, morais e espirituais sem os prejuízos das informações religiosas, punitivas e castradoras, conforme fracassaram no passado, a consciência de responsabilidade vicejará nos educandos, preparando-os para desempenhos seguros e ditosos em torno do matrimónio, da família, dos deveres humanos, sociais e edificantes da Humanidade.
A reencarnação enseja o aprimoramento espiritual, trabalhada antecipadamente, não anulando ou impedindo as opções do livre-arbítrio de cada qual na construção da sua plenitude.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:44 am

20 - Programa reencarnatório
A reunião mediúnica da noite de 29 de Janeiro de 2003, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), prosseguia com atendimento a um espírito rebelde, que se recusava à reencarnação, que lhe fora programada.
Enquanto isso, o Director espiritual escreveu a seguinte página:
Programa reencarnatório
Pululando em volta da Terra, existem bilhões de espíritos que ainda se encontram nas expressões do primarismo e da inferioridade moral, sendo programados de urgência para que mergulhem nas roupas físicas, a fim de apressarem o processo de evolução pessoal.
Aguardando que o planeta possua condições propiciatórias ao seu desenvolvimento intelecto-moral, formam uma compacta multidão de seres ansiosos e inquietos que, de alguma forma intoxicam-lhe a psicosfera, atingindo os seus habitantes ainda não treinados para os grandes desafios de ordem espiritual.
Enquanto os valiosos recursos da ciência e da tecnologia já proporcionam equipamentos fisiológicos resistentes para possibilitar o desenvolvimento moral dos reencarnantes, travam-se renhidas batalhas de comportamento entre os sentimentos que os caracterizam e o estágio espiritual do orbe terrestre.
À medida que assumem as vestimentas orgânicas, desvelam os valores que lhes são peculiares, não poucas vezes, dificultando a marcha ascensional das demais criaturas ou embaraçando-as com as torpezas que lhes são normais.
Portadores que são de ideais ainda primários, sem uma formação ética, que infelizmente ainda não desabrochou do emaranhado dos instintos, nos quais estorcegam, geram perturbações, em razão da agressividade de que se fazem portadores.
O que lhes é natural na conduta, já não corresponde aos padrões estabelecidos na Casa terrestre onde se encontram.
Como efeito, embora a compleição física seja bem desenhada, graças à herança genética que foi aprimorada através dos últimos milénios, comprazem-se nos tormentos e paixões de nível ainda primitivo a que se encontram acostumados.
Esse aluvião de recomeçantes violentos na roupagem física, dando prosseguimento às condutas que horrorizam uns e atraem outros, não são frutos do acaso, mas de bem cuidadosa programação superior, a fim de facultar-lhes o ensejo que a todos a Misericórdia Divina concede, em favor de cada qual.
A sociedade espiritual encarregada de apressar o progresso da Terra utiliza-se de delicados e complexos equipamentos para a selecção dos espíritos que devem reencarnar-se, reunindo-os em grupos volumosos, todos portadores dos mesmos transtornos emocionais e necessidades de transformação moral. Dessa forma, é que, massivamente, nos últimos decénios, vêm superpovoando o planeta, e graças ao nível de desenvolvimento em que se encontram, ensejam uma visão pessimista a respeito do Bem, como se os valores nobres que dignificam a vida estivessem cedendo lugar à barbárie e à ignorância.
Os observadores do progresso moral da humanidade, algo chocados, deixam-se enganar ante os pensamentos infelizes de que o mal vem predominando entre as criaturas, enquanto o bem apenas tem vigência em poucos indivíduos ou em alguns grupamentos sociais.
Alegam que as altas estatísticas de crimes selvagens e de aberrações de costumes, competem com a onda avassaladora de insensatez e de servil promiscuidade moral, conspirando contra todos os ideais de beleza, de amor e de evolução.
Afirmam, também, que se multiplicam os disparates, enquanto alucinados líderes carismáticos comandam-nos, apresentando simulacro doentio das artes, destituídas de inspiração superior, que estimulam mais violência, licenças morais, drogadição, alcoolismo, sexo ultrajado, loucura e morte por suicídios e homicídios horrendos, quando não se transformam em batalhas urbanas ou guerras hediondas...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:44 am

Esta é somente uma face da realidade, porque, por outro lado, as organizações dos direitos humanos e do bem-estar da humanidade apresentam índices dantes jamais sonhados, demonstrando que o amor permanece em acção e as conquistas da ética, da cultura e da civilização são indestrutíveis.
A paisagem é comovedora, porque, sem dúvida, reencarnam-se também, procedentes de elevadas Esferas, missionários do conhecimento e do amor, do progresso e da fraternidade, que vêm amenizar as dificuldades cruentas, tornando-se exemplos do dever, do bem e da felicidade, assim conseguindo atrair expressivo número desses irmãos atónitos, que despertam para outros significados existenciais.
Fascinados pela irradiação de bondade, de ternura e de compaixão que deles emana, acompanham-nos, desenvolvendo a centelha de luz que neles se encontra emboscada.
A supremacia do bem no mundo é incontestável, em face das ocorrências que enobrecem o género humano, que já pugna com sacrifício e emoção superior pelos grandiosos valores que constituem a sociedade.
Há muito joio na seara, no entanto, o trigal nutriente é mais exuberante e produtivo.
Para transformar a erva má em alimento, é que a reencarnação faculta a todos as mesmas oportunidades de modificação da estrutura fundamental de que se constituem.
É compreensível, portanto, que se esteja travando no mundo uma batalha inevitável, porque necessária, fomentadora do progresso.
Da mesma forma que a labareda modela os metais, o sofrimento moral trabalha em favor da transformação do espírito em processo de crescimento para Deus.
Sem que tenham oportunidade de vivenciar o mundo terrestre mediante a reencarnação, imantados psíquica e magneticamente ao orbe, como se encontram, atrasariam o próprio e o desenvolvimento geral, em razão das altas cartas mentais e fluídicas sobre os seus habitantes desprevenidos e desequipados de recursos defensivos.
Em tudo vige a providencial presença de Deus, que trabalha em favor da felicidade e do progresso em todas as dimensões do Universo.
Esses irmãos da retaguarda evolutiva, que esperam nossa contribuição espiritual e moral, através dos exemplos, dos ensinamentos e da compaixão que a caridade irradia na sua direcção, à medida que vivenciam a forma orgânica, diminui-lhes a densidade das energias deploráveis que os envenenam.
Desse modo, adquirem novos hábitos, recondicionam-se para futuras experiências no próprio globo terrestre, ou em outro domicílio do nosso ou de outro Sistema Solar...
A Casa do Pai tem muitas moradas! — Exclamou Jesus.
O amor, por consequência, esplende em todos os recantos e faz luz no imo de todos os seres, porque é de origem divina.
É, portanto, o amor que vem reunindo no domicílio carnal os viajantes da agonia, ainda detidos na inferioridade, a fim de que o identifiquem em si mesmos, estabelecendo vínculos vigorosos de união e de conscientização da sua realidade indestrutível.
Desse modo, a cada instante, partem do mundo espiritual na direcção do processo evolutivo, milhares de espíritos em trânsito dos primórdios do instinto para a inteligência, desta para a razão e, alcançando a intuição estuam de plenitude e de amor no concerto universal sob a paternal protecção de Deus.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:44 am

21 - Despertamento espiritual
A reunião mediúnica apresentava-se com atendimento a sofredores de diferentes matizes, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), na noite de 10 de Março de 2003.
Manifestou-se um espírito em profunda amargura, lamentando haver tido dois tipos de existências no corpo:
o exterior — homem de bem — e o interior — pessoa viciada, dissimuladora, hipócrita...
Com habilidade conseguira viver 60 anos sem que alguém lhe descobrisse o comportamento estressante.
Desencarnou, e surpreendentemente não foi recebido por anjos ou demónios.
Nem mesmo por obsessores que lhe cobrassem outra conduta.
O seu padecimento são o remorso, as amargas recordações da dubiedade moral.
Ao mesmo tempo, o Mentor espiritual escreveu a mensagem seguinte:
Despertamento espiritual
O disfarce moral é sempre a maneira mais fácil de que dispõem as criaturas insensatas para o banquete de fantasias e de ilusões a que se entregam durante a romagem terrena.
Acreditam que podem ludibriar as leis soberanas, vivendo conforme os seus padrões íntimos e enganando, pelo exterior, os objectivos essenciais da vida, que são o crescimento intelectual e moral, a fim de ascender aos páramos da Grande Luz.
A viagem terrestre é uma excelente oportunidade de aquisição e de treinamento de recursos morais, mediante os quais torna-se possível o despertamento para a realidade eterna de que se é constituído.
Viaja-se na indumentária orgânica e sem ela, objectivando sempre a sublimação dos sentimentos ainda encharcados dos instintos primários e com os impulsos utilitaristas que propelem à preservação do ego sobranceiro, acima das necessidades reais do espírito.
Ao descobrir-se a importância da reencarnação, raramente dá-se-lhe o valor de que se reveste, optando-se pela conduta mesclada de artifícios e de quejandos que compõem a aparência, mais insculpindo conflitos tormentosos no âmago.
Muitos desses espíritos já se encontram sob tais reflexos que procedem do ontem, experienciando tormentos e dificuldades que poderiam inexistir, caso houvesse sido outra a forma de comportar-se, a seriedade com que encarassem os compromissos de que se deveriam liberar com altivez.
A consciência, sem qualquer dúvida, representa a lei de Deus ínsita no ser, o Psiquismo Divino na criatura, norteando-lhe o passo, auxiliando-a no discernimento próprio para melhor cumprir com os deveres que lhe dizem respeito.
Insensatamente, alguns indivíduos pensam que, enganando-se, conseguem ludibriar os códigos elevados da vida, assumindo atitudes externas que não são correspondidas por aquelas de natureza íntima.
Quando convidados por qualquer crença religiosa à reflexão, passando a tomar conhecimento que tal vida, tal morte, aceitam os seus ensinamentos como se fossem mecanismos escapistas para a existência social, na qual se podem beneficiar pela aparência, e por mais que relutem em aceitá-los integralmente, a legitimidade desses postulados insculpe-se-lhes no cerne, deles não podendo olvidar-se.
Passada a actividade física, sempre de efémera duração, quando se vêem liberados da injunção corpórea, a consciência desperta-lhes e experimentam os conflitos, agora muito mais graves do que antes, convidando à revisão mental de conduta, à colheita dos frutos do comportamento.
Aqueles que acreditaram na sobrevivência, criaram imagens específicas da fé abraçada, e aguardam que se materializem seres bondosos ou perversos, de acordo com a forma pela qual transcorreu a existência.
Não os encontrando, desequilibram-se e, arrogantes, negam a realidade espiritual, porque, mesmo estando nela, não encontram os anjos ou os demónios nos quais fingiram acreditar.
Outros despertam assistidos por cômpares morais com os quais conviveram psiquicamente, que os conduziram e agora pretendem continuar com o comércio psíquico em que se compraziam, tendo prosseguimento as terríveis obsessões de liberação muito complexa.
Muitos outros permanecem adormecidos em face do letargo a que entregaram a mente e o sentimento, aguardando as trombetas da fantasia religiosa, a fim de prestarem contas, embora no torpor em que se encontram a mente permaneça activa, recordando, anelando, sem poder desembaraçar-se dos tóxicos absorvidos pelo período orgânico.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:44 am

Diversos igualmente deparam-se com as construções mentais que se permitiram, dominados pelos fantasmas que construíram no silêncio interno, plasmando punições e justificativas às quais se firmaram, fugindo da realidade de si mesmos.
Desperta-se, porém, na realidade além do túmulo, na dimensão psíquica onde se esteve durante o trânsito carnal.
A mente, que se fixou em determinados padrões de vivência, sintoniza, desde então, com essa faixa vibratória para onde é se arrastado, logo se rompem os vínculos carnais, aí deparando-se com tudo quanto projectou.
As ideias que foram exteriorizadas e mantidas, tomam formas de acordo com os seus conteúdos e assaltam os seus autores, gerando pânico e dor.
Outras vezes, encapsulando-se nos circuitos do pensamento viciado, embora a consciência os reproche, acordam com os profundos sulcos do arrependimento e da queixa na memória, excruciando-se com inúteis autopunições que mais agravam os desajustes emocionais.
Nesses casos, somente a reencarnação pode ser-lhes útil, favorecendo-os com o esquecimento desses erros e a renovação do pensamento capaz de gerar novos hábitos saudáveis em que se arrimarão no futuro.
Cada espírito sempre ressuma o que constrói no imo, seus pensamentos, seus anelos, seus cuidados.
Ninguém, por isso mesmo, foge dos seus esforços.
O céu e o inferno encontram-se presentes na consciência e, de acordo com as suas construções internas, alargam-se em regiões específicas, nas quais se homiziam esses responsáveis, gerando campos de comunhão colectiva onde estorcegam ou repousam das fadigas terrenas.
A desencarnação sempre oferece de volta aquilo que a reencarnação arremessou na sua direcção, gerando efeitos correspondentes.
Mesmo esses espíritos que se encarceram nas lembranças infelizes, perdendo o contacto com a realidade em que se encontram, passado um tempo de recuperação, saem da neblina dos remorsos, e se não mergulham em novo renascimento, deparam-se com os comensais espirituais da sua irresponsabilidade, passando a sofrê-los. Esses perversos comparsas não se contentam em ver a agonia das suas vítimas, mas alegram-se em fazê-las padecer mais.
Infelizes, porque perderam o rumo e encontram semelhantes que os acolhem nos departamentos mentais, exultam com o seu decesso carnal, a fim de darem prosseguimento na fúria que lhes apraz.
O mundo espiritual, na sua real constituição vibratória, é todo organizado por energias mentais de vária procedência, desde a Divina às mais grosseiras, originadas no primarismo humano, havendo, portanto, regiões ascendentes e descendentes compatíveis com os níveis morais dos habitantes da Terra.
Excepção feita àquelas felizes, construídas pelo Excelso Amor através dos Seus Arquitectos venerandos, que somente serão alcançadas após a liberação das imperfeições que prendem o espírito nas baixas províncias de sombra e de dor que envolvem a Terra.
Indispensável, portanto, que o ser humano compreenda que tudo acontece conforme a sucessão de causas geradas, dando campo aos efeitos correspondentes; sem milagres nem excepções, sem predestinações nem privilégios, em face de todos sermos espíritos gerados pelo mesmo Criador, fadados à harmonia que lograremos a esforço pessoal, sem disfarce nem fingimento.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:45 am

22 - Despertar da consciência no Além-túmulo
A reunião de desobsessão encontrava-se em fase final, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), na noite de 13 de Março de 2003, quando se comunicou um espírito atormentado pelas lembranças de que não conseguia liberar-se.
O Benfeitor escreveu a seguinte mensagem:
Despertar da consciência no Além-túmulo
O desacelerar da maquinaria orgânica normalmente culminando com a morte fisiológica, de forma alguma representa a desencarnação propriamente dita.
O processo de liberação dos fluidos que fixam o espírito aos despojos materiais é muito lento, especialmente quando a existência não transcorreu dentro dos padrões de comportamento ético, caracterizando-se pelos apegos às paixões e pela vivência dos sentidos sensoriais em detrimento das emoções transcendentes.
Por consequência, os fortes vínculos perispirituais prosseguem na condição de condutores das sensações produzidas pela decomposição cadavérica, e mesmo após a desestruturação molecular, reproduzindo as peculiaridades que ficaram impressas pelo largo condicionamento a que o espírito esteve submetido.
Nesse período, ocorrem os estados alucinatórios, nos quais o ser, perdendo o contacto com a realidade a que estava acostumado, não consegue penetrar nos campos vibratórios da nova dimensão em que se encontra.
Noutras vezes, como mecanismo de fuga inconsciente entra em hibernação, a fim de postergar os sofrimentos que engendrou para si mesmo, enquanto utilizando-se da vestimenta carnal, que desgastou na futilidade ou no crime, na insensatez ou no desperdício de forças, e ainda nas várias formas de suicídio, desde os indirectos até mesmo àqueles frutos da desesperação e da rebeldia.
Eis por que o período de perturbação espiritual é muito variado, diferindo de cada espírito, em face das conquistas amealhadas ou dos distúrbios produzidos nas estruturas psíquicas que não foram respeitadas.
À semelhança de um paciente despreparado, que desperta de uma cirurgia de largo porte, aturdido e sem conhecimento da ocorrência, as impressões vão-se manifestando, à medida que a sensibilidade retorna ao organismo, passado o efeito da anestesia.
Em muitos casos, torna-se necessária nova dose de anestésico, para evitar que o indivíduo tombe em desespero por falta total de controlo em torno dos procedimentos cirúrgicos de que foi objecto.
Aqueles, porém, que sempre mantiveram uma existência calma e aceitaram a presença da enfermidade, bem como da terapêutica severa, mesmo diante da gravidade de que se reveste o processo cirúrgico, têm um despertar muito diferente, caracterizado pela calma, pelo conhecimento que o toma e pela maneira como enfrenta a situação, confiando nos resultados sob a orientação médica, sem a aflição que seria esperada.
Nesse cometimento, o da adaptação ao mundo espiritual, o despertar da consciência é dos mais severos mecanismos de liberação da experiência carnal.
Vivendo o ser humano anestesiado na ilusão e fascinado pela possibilidade da extinção da vida após a morte, ao dar-se conta do seu prosseguimento noutra dimensão, agudiza-se-lhe o discernimento entre o que deveria ter realizado e aquilo a que se dedicou, sendo tomado, não poucas vezes, pelo remorso que o constringe e desorienta.
Repassando mentalmente as acções nefastas, nas quais se atirou sem freio, percebe-lhes os resultados danosos insculpidos no imo e que ressurgem como acicates que o ferem sem piedade, porque sem justificativa para comportamentos dessa natureza. Tudo quanto estava encoberto pela ilusão apresenta-se-lhe agora sem qualquer névoa que obscurecia a sua realidade, chamando a reflexões penosas, em face da impossibilidade de reparar os danos que geraram e prosseguem prejudicando os demais.
Entrementes, o discernimento que se desvela, apresenta condutas que poderiam haver sido vivenciadas e que, não obstante, foram deixadas à margem, na louca tentativa de a tudo e a todos impor a vontade egoísta e os caprichos insanos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:45 am

Esse remorso, que decorre da consciência lúcida, muitas vezes conduz à loucura do espírito, que se debate nas conjunturas dolorosas do arrependimento e da angústia, resvalando para estados de perturbação profunda, quando sintoniza com outros tresvariados, constituindo as legiões de desditosos que deambulam em bandos pela Erraticidade inferior.
Ninguém burla as leis do equilíbrio sem sofrer-lhes as consequências nefastas.
Quando não ocorre esse fenómeno descrito, o açodar da lucidez hebeta aquele que se embrenhou pelo matagal da perversidade e do crime, lesando-lhe os centros perispirituais por longo período até que a bênção da reencarnação traga-o de retorno ao domicílio terrestre, onde expungirá os delitos em situação lamentável, refazendo os painéis da mente sob os camartelos das aflições contínuas.
A consciência é departamento do espírito, na qual estão escritos os deveres do ser humano em relação a si mesmo, ao seu próximo e a Deus.
Silenciosamente vão sendo arquivados os pensamentos, as palavras e as acções que dão vida a formas fluídicas elaboradas pelas ideias e vivificadas pela intensidade de energia de que se constituem, emitidas pelas fixações adoptadas.
Tanto ocorre na esfera das paixões asselvajadas como nas abençoadas expressões de sublimação, dando lugar a construções sublimes, que irão constituir campo vibratório para onde se rumará após a desencarnação.
Conforme se pense, advirá a edificação do céu ou do inferno pertinente à qualidade de onda emitida.
Uma existência física constitui, por isso mesmo, dádiva do incomparável Amor, ensejando oportunidades incessantes de crescimento e de iluminação para todo aquele que empreende a tarefa de desenvolvimento interior na busca de Deus.
Com a morte interrompem-se os projectos, cessam as programações do que se desejava realizar, em face do retorno ao Grande Lar, quando se deve ser avaliado pela consciência desperta e pelos Mentores que se encarregaram de patrocinar a viagem educativa ao planeta terrestre.
- Certamente que eles não se apresentam na condição de julgadores dos actos que foram praticados, porquanto, amorosos, compreendem as dificuldades do processo de libertação dos instintos e dos sentimentos inferiores, no entanto, educadores por excelência que são, não se permitem realizar o dever que cumpre aos seus tutelados.
Pacientes e generosos, confiam nas bênçãos do tempo, cientes de que chegará o momento da conscientização real dos deveres perante a vida para todos.
Não havendo privilégios para alguns e severidade para os demais, as Soberanas Leis estabelecem os mesmos deveres no longo processo da evolução por que passamos os espíritos.
Originados do Mundo espiritual, para ele retornam, conduzindo as conquistas e prejuízos que lograram amealhar, de forma que sempre conquistem valores inalienáveis para a própria sublimação.
A necessidade de manter-se a consciência ilibada de compromissos perversos e anestesiantes torna-se um dever para todos, desde o período em que se encontram no envoltório físico, gerando um automatismo feliz para o seu despertar após o decesso tumular.
Nesse caso, mesmo algumas questões que surjam e não estejam ainda solucionadas, ao invés de gerarem desconforto moral e aflição, facultam uma programação para o futuro, na qual serão rectificados os equívocos, delineados novos cometimentos felizes, reabilitando-se em definitivo.
Vivendo-se aberto ao dever, ao amor, à verdade, nada consegue perturbar os valores éticos, antes facultando o despertar feliz, sem conflito nem agonia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:45 am

23 - Sintonia espiritual
Na reunião mediúnica de desobsessão da noite de 22 de Dezembro de 2004, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador (BA), uma entidade perversa comunicou-se em deplorável estado de perturbação, asseverando a necessidade que sentia de vingar-se de um seu antigo desafecto.
O Benfeitor espiritual escreveu, então, a página que segue:
Sintonia espiritual
Na gloriosa majestade do Cosmo vigem as leis de afinidade por equivalência de onda vibratória, produzindo a sintonia entre as mentes, os sentimentos e os seres.
Conforme as faixas em que se distendem as mensagens emitidas por alguma fonte, logo se dá o processo de afinidade em ressonância, robustecendo as forças no encontro com outra semelhante..
Trata-se da sintonia, mediante a qual os semelhantes se mesclam, enquanto os diferentes teores vibratórios chocam-se e repelem-se.
Toda vibração desencadeada repercute no Infinito até encontrar outra idêntica, na qual se incorpora.
Eis por que, uma emanação de prece alcança o Incomparável Amor, da mesma forma que uma faísca de ira transforma-se em incêndio devorador, por encontrar equivalente que lhe aumenta a capacidade destrutiva.
Quando se esmaga delicada flor, agride-se a harmonia cósmica, e quando se ensementa um grão que germinará, abençoa-se o Universo.
No que diz respeito aos habitantes da Terra, existe uma interdependência espiritual e moral entre todos os seres com os quais convivem, em decorrência do processo evolutivo, de acordo com as faixas vibratórias do pensamento e da emoção em que se detêm.
Vegetais e animais desenvolvem-se com vigor e saúde quando situados em ambientes de harmonia, quais a Natureza, em si mesma, ou nos ninhos domésticos onde o amor vige, ocorrendo o contrário, quando as emanações da mente e da emoção possuem teor deletério e perverso.
Nas contingências primárias do processo de crescimento espiritual do ser humano, enquanto predominam as paixões asselvajadas, filhas dos instintos primitivos, o intercâmbio psíquico entre os espíritos e as criaturas faz-se tão vigoroso, que dificilmente se poderiam separar as acções e os seus reflexos como decorrência de uns ou de outros.
O mesmo fenómeno dá-se entre as pessoas que se unem em comunidades idênticas em sentimentos e aspirações, quando se transferindo para a Erraticidade, ao manterem as mesmas características, proporcionam o surgimento de Esferas espirituais da mesma constituição estrutural.
Nestas últimas, congregam-se aqueles que são semelhantes, passando a influenciar, positiva ou negativamente, os grupos humanos que permanecem na indumentária fisiológica da densidade física.
Em razão da prevalência de lucidez e parcial liberdade de que desfrutam os desencarnados, imantam-se com mais facilidade aos complexos receptores humanos, em cujos campos magnéticos detêm as expressões de energia exteriorizadas pela mente e pelas emoções, estabelecendo-se automático intercâmbio, mesmo que inconsciente para ambos, ou especialmente para o transeunte carnal...
Emitindo mensagens próprias, em ondas específicas, relativas à densidade de energia externada pelo pensamento humano, os espíritos primários, padecentes de carências diversas, são atraídos aos fulcros de irradiação e neles se instalam, passando a vivenciar as sensações e as emoções dos seus hospedeiros, desse modo, gerando demorados processos de vampirização.
Usurpando as forças daqueles aos quais se conectam pelo pensamento, pela emoção, pelos desejos, nutrem-se das suas cargas de energia animal, revigorando-se e acreditando-se em prosseguimento da existência física, logo passando a comandar-lhes o comportamento e as experiências.
Materializando-se através do mecanismo da ideoplastia grosseira, participam do tempo e do espaço terrestre em que se encontram, volvendo ao estágio ilusório de viandante carnal, tornando-se comensal da existência do obsesso.
Fazem recordar moluscos que carregam a concha na qual se resguardam. Tornam-se a carapaça da vítima, por esta última sustentada e conduzida, sob a injunção dolorosa do peso de que se constitui, seguem-na por toda parte, integrando-se ao seu contexto existencial.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:45 am

É tão expressiva e frequente a ocorrência, porque o estágio moral inferior predomina entre as criaturas que enxameiam em todo lugar, que dão surgimento a infestações desagregadoras e de curso demorado.
Por outro lado, à medida que as experiências dignificadoras alçam o ser a mais elevados níveis de moralidade e de aspirações, a sintonia faz-se com entidades felizes, que erguem o psiquismo a campos mais dignificados do pensamento, permitindo-lhe o trânsito refazente e ditoso pelas Regiões enobrecidas.
Energias balsâmicas e vigorosas sustentam-lhe as estruturas do perispírito, tornando-o mais subtil, de forma que possa imprimir no corpo somático o bem-estar e o equilíbrio, como decorrência das energias captadas nesses Núcleos benfazejos.
Por consequência, o espírito libera-se parcialmente da matéria, ampliando a facilidade do desdobramento da consciência e experiência admiráveis conquistas e aprendizagens nessas Esferas superiores sob o direccionamento dos seus Guias espirituais.
Mesmo que as circunstâncias reencarnatórias apresentem-se graves ou dolorosas, o pensamento em clima de bênçãos sintoniza com as Fontes geradoras do Bem, canalizando recursos preciosos para a sua vilegiatura humana.
O optimismo, a satisfação de viver, o sentimento de gratidão a Deus, formam um quadro de harmonia interior que passa a externar irradiações geradoras de simpatia, ao mesmo tempo produzindo sintonias relevantes, que capacitam para suportar as provações com redobrada coragem e não menor emoção de paz.
A sintonia mental e moral dá-se nos mais variados níveis de vibrações: ascendente e descendente.
Por efeito das cargas orgânicas e dos instintos predominantes na conduta, os desejos infrenes e perturbadores emitem ondas poderosas que se expandem nos campos constituídos pelo mesmo teor de energia em que se debatem os infelizes desencarnados, logo alcançando-os e atraindo-os para o convívio emocional.
As emissões de ondas excêntricas, caracterizadas pela sensualidade, pelo egoísmo, pela cólera, pelo ciúme, enfim, pelas fraquezas morais do ser humano, são portadoras de vibrações densas de baixa frequência, que irão fundir-se em campos constituídos da mesma qualidade vibratória.
No que diz respeito aos comportamentos arbitrários e delituosos, ocorre, não poucas vezes, que o paciente desperte para a necessidade de elevação e busque deslindar-se dos atractivos grosseiros a que se imana no psiquismo dos espíritos que o exploram. Estes, sentindo-se despojados do seu clima alimentador, agora em outra vibração, promovem situações perturbadoras, elaboram planos audaciosos para comprometer a vítima, a fim de continuarem no predomínio sobre os ideais novos em fase de fixação, conservando-a em submissão.
Ciladas bem urdidas são programadas, enquanto acicatam os desejos e intentam assenhorear-se-lhe novamente do pensamento, a fim de trazê-la de volta ao estágio anterior.
E quando não o conseguem de imediato, cegam-se pelo ódio e planeiam a sua eliminação, tornando-se-lhe adversário inclemente.
Acostumados ao alimento mental que os sustentava, desarvoram-se e sofrem-lhe a ausência de nutrição.
Não lhe podendo desfrutar mais dos fluidos grosseiros, pensam em interromper-lhe a existência corporal, como se estivessem acima do Bem e do Mal, permitindo-se realizar todas as alucinações que lhes aprazem.
Olvidam-se de Deus, que subestimam, e redobram as investidas objectivando cansar, desanimar, desviar da senda, vencer...
E nesse momento que o recurso da prece constitui-se terapia valiosa, indispensável, de modo a desviar o pensamento das baixas vibrações e alçá-lo em direcção oposta, alcançando os Núcleos de renovação e de progresso.
Existem, sem dúvida, igualmente, os campos vibratórios de paz e de refazimento ao alcance de todos que os queiram atingir, bem como Missionários do amor e da caridade estão sempre a serviço do Supremo Bem, aguardando solicitação.
Basta que o enfermo espiritual permita-se uma brecha de reflexão e de real desejo de elevar-se, e dispara um sinal que o liga aos receptores de alguma dessas Estações de vigilância, logo recebendo a resposta, em forma de socorro, ânimo e libertação.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Ago 24, 2017 8:46 am

Encerrando-se, porém, em cápsulas construídas pelas paixões inferiores, como ocorre com o bicho da seda que produz o casulo em que se encarcera e morre, torna-se-lhe difícil a sintonia com Deus, o encontro emocional com o Criador.
Vitalizando o pensamento com a vontade de ser livre, porém, rompe-se-lhe o invólucro que o libertará, qual ocorre com a borboleta que foge, flutuando na direcção do ar leve, liberada do cárcere em que esteve hibernada em demorada transformação.
Nessa ascensão mental e moral decorrente do esforço espiritual aplicado, aqueles espíritos com os quais antes o indivíduo sintonizava, a pouco e pouco, vão-se beneficiando, em razão das emissões de ondas superiores enviadas em sua direcção, que lhes chegam vitalizadas por energias saudáveis e benéficas que passam a aspirar...
Tendo havido uma interdependência psíquica e emocional, permanecem os vínculos morais da ocorrência infeliz, agora transformando-se em oportunidade de recuperação da saúde espiritual, de ascensão e de necessidade do encontro com a Consciência Divina, aliás, ínsita em todos, que deve ser penetrada através da reflexão e da mudança de comportamento pessoal.
A sintonia com os Mensageiros da Verdade propicia a libertação dos estigmas ancestrais, diluindo as sequelas do mal anterior vivenciado, trabalhando as emoções, que se enriquecem de aspirações nobres e expressões de harmonia, que se constituem estímulos novos ao avanço incessante no rumo da plenitude que poderá ser alcançada.
É natural que todos hajam passado por essa vereda de sofrimentos, de lutas, de sombras, a noite escura a que se referia São João da Cruz, nas suas profundas reflexões ante a claridade diamantina do Inefável Amor.
Cumpre a todos, espíritos e criaturas humanas, o dever de sublimar a sintonia psíquica, alçando-se às zonas nobres da Espiritualidade, a fim de desfrutarem de paz e real alegria de viver desde agora.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 73959
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 61
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: REENCONTRO COM A VIDA - MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA/DIVALDO FRANCO

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum