A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Página 9 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 8, 9, 10, 11  Seguinte

Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:07 pm

Em poucos minutos, surgiu no papel, em tamanho menor, a mesma paisagem que Fernanda viu Octaviano terminando de pintar.
Ela falou abismada e feliz:
— Não pode ser!
Você a reproduziu em poucos minutos!
Está linda, tanto quanto a maior que te vi terminando!
— Está linda mesmo!
Mas não fui eu; usei a energia que emana dessa senhora...
Por alguns instantes ela se deixou levar e se entregou totalmente.
Só assim eu consegui passar para o plano físico a tela que havia pintado no astral.
Mas olhe, nós sabemos o que aconteceu, porém ela não.
Veja o que está pensando.
Fernanda, curiosa, fixou sua atenção na mulher, que, olhando para o papel que estava à sua frente e no qual acabara de reproduzir a tela de Octaviano, pensava:
"Essa paisagem está linda!
Não sei como explicar de que maneira ela surgiu, mas não pode ter sido através de um mentor.
Estou consciente!
Eu mesma escolhi as cores que usaria!
Se me disser que estou consciente, as pessoas, assim como eu, não irão acreditar que foi através de um mentor, e não posso culpá-las!
Eu mesma não acredito, e acho que fui eu mesma...
— É assim que sempre funciona? —- perguntou Fernanda.
— Na maioria das vezes, as pessoas não acreditam e isso dificulta muito o nosso trabalho.
— Estou vendo e entendendo a aflição dessa senhora.
Ela não acredita na sua interferência por estar consciente?
— Sim, mas com o tempo, e através de várias provas que lhe daremos, esperamos que ela passe a acreditar.
—Entendo, mas, para ela poder pintar, é preciso estar em um lugar como este, cercada de tanta vibração boa?
—Seria o ideal, mas não é necessário.
Sempre que alguém se colocar diante de uma tela, esteja onde estiver, terá ao seu lado um inspirador como eu -— disse isso, rindo muito.
— Pensar que tantas vezes tive vontade de pintar, mas nunca me julguei capaz.
Sempre achei que não conseguiria pintar coisa alguma —- confessou Fernanda.
— Não se recrimine por isso, acontece com milhões de espíritos encarnados.
Todos têm, como se diz aqui, uma veia artística, mas a maioria não sabe ou não quer acreditar nisso, e sentem medo de tentar.
— Que pena, se eu soubesse disso quando estava Terra...
— Nunca é tarde para se aprender.
Olhe, ali, aquele senhor.
Ela olhou para onde ele apontava:
viu um senhor que também estava sentado diante de uma folha de papel branco.
Viu também uma senhora sorridente e percebeu que ela também estava desencarnada.
Octaviano aproximou-se dela, dizendo:
— Olá, Justina, está aqui também cumprindo a sua missão?
— Estou, sim, mas está difícil...
Já mandei várias mensagens, mas ele não quer escrever; julga que as ideias são dele.
Como sempre acontece, está com medo de mentir.
—Essa desconfiança atrapalha muito mesmo.
Eu estava comentando isso com a Fernanda.
Ela está me acompanhando para ver como funciona a mediunidade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:07 pm

— Olá, Fernanda, está gostando do que está vendo?
— Muito! Nunca imaginei que fosse assim, Justina.
— Pois é assim mesmo.
Esse meu irmão já está há muito tempo tentando.
Com a minha ajuda escreve mensagens belíssimas, mas não acredita e julga que escreve sozinho.
— Por que não acredita?
— As pessoas se enganam e acham que, para serem aceitas ou para que tenham credibilidade, precisam fazer um ar de mistério dizendo que não se lembram do que falaram ou escreveram que estavam inconscientes.
Isso atrapalha aqueles que, por estarem conscientes e sabendo muito bem de tudo que se passa ao seu redor, acreditam que estejam mentindo ou mistificando.
Muitos médiuns já se afastaram da doutrina ou de sua missão por essa dúvida que os cerca.
— Nunca frequentei ou conheci profundamente essa religião onde existem médiuns, mas sempre ouvi dizer que eles estavam inconscientes e que não sabiam como escreviam ou falavam pelos espíritos.
Isso não é verdade?
Todos sabem o que está passando ao seu redor, Justina?
Justina olhou para Octaviano e os dois sorriram:
— Felizmente, sim.
Imagine se alguém perdesse totalmente a consciência e não soubesse o que estava escrevendo, pintando ou falando.
Em um lugar como este, onde existe aquela separação magnética —- Justina apontou com a mão e Fernanda viu uma corrente de luz que rodeava os médiuns -— estão todos protegidos.
Eu, o Octaviano e todos os outros que está vendo estamos trabalhando em paz.
Octaviano está intuindo essa senhora e ela terminou de pintar essa linda paisagem.
Através da minha intuição, esse senhor pode escrever mensagens de amor, esperança, felicidade e transmitir ensinamentos.
Mas, em outros lugares onde não existe a mesma protecção, eles poderiam ser visitados não só por espíritos de luz, mas também pelos das trevas, espíritos maus ou simplesmente brincalhões, e, ao invés desse nosso trabalho, poderia surgir uma pintura pornográfica ou uma escrita cheia de ódio e mentira.
Por isso, é necessário que o médium esteja consciente, para que sirva de sensor e perceba se o que está escrevendo, pintando ou falando está vindo mesmo de um espírito de luz ou de qualquer outro.
Além do que, se assim não fosse, estaria sendo violada uma das maiores leis, a do livre-arbítrio.
— É uma pena que isso aconteça.
Que não acreditem em uma coisa tão maravilhosa — disse Fernanda.
— Sim, mas está mudando.
Com o tempo, todos irão perceber que, para a doutrina ser conhecida, respeitada e para os médiuns também serem respeitados, não será mais necessário coisas espectaculares ou sobrenaturais.
O que vai importar mesmo é a doutrina como um todo:
as mensagens de amor e paz que serão espalhadas por todos os lugares criados por Deus.
No início, foi importante e necessário que essas coisas acontecessem.
Eram outros tempos e surgia uma doutrina nova como essa, que ensinava coisas diferentes de tudo que se sabia e se havia aprendido até então.
O plano espiritual sabia que a quebra de tabus e as coisas novas assustariam a todos.
Essa doutrina deveria surgir e provar a existência de vida após a morte e que cada um é responsável por suas acções; que o céu não se compra com dinheiro, mas sim com trabalho, com o aperfeiçoamento do espírito através de várias encarnações.
Para isso foi preciso que coisas espectaculares e sobrenaturais acontecessem.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:07 pm

Hoje, isso não se faz mais necessário, muitos estão aceitando com tranquilidade e procurando viver a doutrina, sabendo que o que importa na realidade, são as mensagens transmitidas de todas as formas possíveis.
— Desculpe a minha curiosidade, mas não existe nenhum médium inconsciente, Justina?
— Na realidade não.
O que acontece com alguns é que, por acreditarem que são intuídos e terem a certeza de que tudo que fazem não parte deles entregam-se totalmente.
Tanto que, às vezes, distanciam-se, deixando que os mentores trabalhem em paz, por isso lhes parece que são inconscientes.
Mas, na realidade, não o são, pois, ao sentirem que o que estão dizendo, pintando, compondo ou escrevendo não corresponde à verdade ou estão desvirtuando os ensinamentos, imediatamente tomam os seus lugares e dão por encerrados os trabalhos.
Esse é o seu papel de sensor.
Além do mais, se assim não fosse, estaria sendo violada uma das maiores leis, a do livre-arbítrio, pois estaria tirando-se do médium o seu direito de escolha, e isso não pode acontecer, pois, em última análise, o médium é o responsável por tudo que faz.
É assim que precisa ser para o bem da doutrina.
— Entendo...
Mas como são escolhidos os médiuns?
Eles precisam pertencer a essa doutrina?
— Todos são médiuns, pertencendo à doutrina ou não.
Até mesmo aquele que não acredita em Deus, aquele que se diz ateu.
Qualquer um poderia pintar, escrever ou falar através de nós.
O que impede é a falta de fé em si mesmo e o medo de falhar.
Mas existem aqueles que conseguem compor, pintar, escrever ou falar mesmo não pertencendo à doutrina.
Assim surgem obras belíssimas.
Agora, preciso voltar para o meu amigo, vamos ver se hoje eu consigo fazer com que escreva.
Fernanda olhou ao redor da mesa e percebeu que, atrás de cada uma das pessoas que estavam sentadas, tinha um mentor com as mãos abertas e que de suas cabeças saíam raios que iam directamente para a cabeça dos médiuns.
Ficou encantada com o que viu.
Aos poucos, foi notando que os médiuns iam escrevendo e pintando sob a influência dos espíritos.
Disse para Octaviano:
— Isso tudo aqui é maravilhoso!
Jamais imaginei que fosse assim.
Estou encantada!
Será que algum dia poderei estar em um lugar como este, fazendo as mesmas coisas que vocês fazem?
— Poderá estar, sim, mas ainda não viu tudo.
Você ainda tem muito para ver e aprender.
Ficaram ali por mais ou menos duas horas.
Eles e Justina ficaram felizes, pois o senhor a quem ela estava se dedicando finalmente conseguiu escrever algumas palavras.
Em seguida, os trabalhos foram encerrados e eles voltaram para a cidade.
Ao se encontrar com Marli e Tânia, Fernanda disse, animada:
— Marli, Tânia!
O Octaviano me levou para passear!
Fomos lá na Terra, a um tipo de escola, onde as pessoas, sob a influência dos espíritos, fizeram coisas maravilhosas!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:08 pm

— Parece que você gostou -— disse Marli.
— Muito! Nunca pensei que fosse assim e estou arrependida de não ter querido conhecer mais quando estive na Terra.
— Não se preocupe com isso, não era a sua hora.
Em uma próxima encarnação, agirá diferente, pois está tendo a oportunidade de ver aqui como tudo acontece.
Fernanda parou de falar e em seus olhos surgiu uma sombra.
—O que aconteceu, Fernanda?
Eu falei algo errado?
—Não falou Marli, só me fez lembrar que estou morta e que nunca mais poderei estar ao lado daqueles que deixei.
Queria estar lá para poder contar tudo que estou vendo aqui e também lhes confirmar que a vida existe depois da morte e que tudo continua igual.
Não posso deixar de lembrar-me da Zuleica e de todo o mal que ela me fez.
— Você está tendo uma visão diferente de tudo que pensou.
Não deixe que maus pensamentos estraguem tudo.
Embora triste e revoltada, aceitou bem a sua morte e viu que ela não é o fim, mas apenas o começo.
Não se preocupe com o que está se passando por lá.
Deixe nas mãos de Deus e continue desfrutando de tudo que tem aqui.
Tem muito ainda para ver e aprender.
— Tento fazer isso, mas está sendo difícil.
Vocês falam em perdão, mas eu não consigo...
Sempre que me lembro, sinto uma revolta imensa.
Não sei se um dia conseguirei perdoar.
Zuleica não estava contente só em tirar o meu marido, quis e conseguiu tirar a minha vida.
Por causa dela, não vou ver o meu neto crescer nem os que estão para nascer.
— Como não?
Poderá ir até lá quando quiser.
Você estará sempre ao lado deles e, quanto aos netos que nascerão você os verá aqui.
Verá como são preparados para renascer!
Está na hora de saber que a Tânia está se preparando para renascer e será na casa da sua filha.
Ela será sua neta...
Fernanda olhou incrédula para Tânia, que sorria, e perguntou:
— Você vai ser a minha neta?
Não posso acreditar nisso!
— Vou renascer, sim -— disse Tânia em lágrimas - preciso voltar.
Na última encarnação deixei algumas coisas sem terminar.
— Mas porque na minha família?
Porque ser minha neta?
— Estamos ligados por laços de amor e ódio.
Com todos aqueles que reencontramos na vida física, temos algo em comum, resgates, amor ou ódio para que possamos caminhar juntos.
— Resgates, amor e ódio?
Está dizendo que em algum tempo já nos encontramos?
Já convivemos na mesma família?
— Sim, por muitas vezes.
Mas, embora eu quisesse, não consegui resgatar todos os meus erros.
Estou voltando para mais uma tentativa e queira Deus que desta vez eu consiga.
Posso saber como e quando foi a nossa última encarnação?
Estou curiosa...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:08 pm

Tânia olhou para Marli, que respondeu:
— Terá que saber, mas precisamos conversar com Nivaldo.
Ele saberá te dizer quando poderá saber.
— Vai perguntar para ele?
Agora estou ansiosa, Marli!
— Conversarei e veremos como ele deseja fazer.
Por enquanto, continue vendo tudo por aí com a Tânia, preciso fazer algo.
Sorriu e saiu.
Precisava conversar com Nivaldo.
Sabia que havia chegado a hora de contar tudo para Fernanda.
Entrou na sala de Nivaldo.
Assim que a viu, sorriu e perguntou:
— Olá, está tudo bem?
Parece preocupada...
— Estou as duas coisas, bem e preocupada.
— Está preocupada com o quê?
Que aconteceu?
—Fernanda esteve com Octaviano em uma aula prática de médiuns.
Acabou de chegar.
— O que ela achou?
Não gostou?
— Gostou muito e voltou encantada.
— Então, qual é o problema, Marli?
—Apesar da sua felicidade e de estar se adaptando muito bem aqui, não consegue esquecer e perdoar Zuleica.
Cada vez que se lembra do que ela lhe fez, fica envolvida por uma nuvem escura e isso está me preocupando.
Outra coisa:
enquanto conversávamos, eu falei que a Tânia está se preparando para nascer e que será a sua neta.
—Fernanda... Como reagiu?
—Ficou feliz e interessada em saber sobre sua última encarnação.
Pediu que eu lhe pedisse permissão para lhe contar.
—Você acha que ela já está pronta para isso, Marli?
— Não sei, às vezes parece que sim.
Mas, em outras, temo que seja cedo demais.
—Sabemos que não poderá ser adiado por muito tempo.
Faça o seguinte, Marli, marque para daqui a um mês e, se ela continuar agindo assim como está fazendo agora, nos reuniremos e contaremos tudo.
Durante esse tempo, tentaremos fazer com que perdoe Zuleica, mesmo desconhecendo o passado.
—Falando em Zuleica, estou preocupada com Aristides.
Ele está ao lado dela e poderá fazer com que pratique outras maldades ou até o suicídio.
Você o conhece e sabe como é vingativo, por isso poderá conseguir tudo que quer.
—Sim, tem razão.
Mas ela se deixou envolver.
O Aristides, como sabemos, está envolvido com as forças do mal.
Por enquanto, vamos nos preocupar com Fernanda e em como ajudá-la.
Talvez então possamos fazer algo por ele e pela Zuleica.
Sabe que todos estão envolvidos por laços imensos.
— Está bem, vou falar com ela.
Despediu-se com um aceno de mão e voltou para junto de Fernanda e Tânia, que conversavam animadamente:
— Fernanda, disse - aproximando-se - conversei com o Nivaldo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:08 pm

Ele disse que dentro de um mês nos reuniremos para que possa relembrar a sua encarnação passada.
—Óptimo! Por que só daqui a um mês, não pode ser agora?
—Não, julgamos que você ainda não esteja preparada.
Mas não se preocupe, tem muito para ver.
Sei que costumava frequentar a igreja católica tem aqui igrejas maravilhosas, que poderá visitar sempre que quiser.
—Igrejas católicas, aqui?
Como pode ser?
—Igrejas católicas, protestantes, evangélicas, sinagogas, mesquitas, templos budistas e terreiros de umbanda, com seus pretos velhos, caboclos e suas crianças.
Temos também terreiros de candomblé, com seus orixás, e todas as crenças e religiões.
— Não acredito!
Como pode ser?!
— Nem todos os que chegam, assim como você, conhecem ou entendem da espiritualidade:
aqueles que nada sabem julgam se tratar do demónio.
Eles trazem suas crenças.
Aqui, não se impõe.
Aqui não existe religião.
Por isso, todos continuam frequentando os lugares a que estavam acostumados e, com o tempo, vai lhes sendo revelada a vida após a morte.
—Não pode ser!
Tudo aqui é perfeito!
—Tentamos fazer com que seja —- Marli disse, sorrindo.
— Seria cruel impor uma crença para alguém que viveu outra e acreditou durante toda a sua vida terrena.
Nunca nos esquecendo que cada um imagina o céu de uma forma e muitos levam tempo para aceitar que estão mortos e que a vida continua.
Para que possam se adaptar, sem grandes traumas, encontram aqui tudo que precisam para serem felizes.
Não seriam felizes se não pudessem professar a crença que conheceram e acreditaram.
Nem se lhes fosse imposta outra, que julgavam ser do demónio.
—Estou cada vez mais encantada.
—Tem muito ainda para se encantar.
Encontrará aqui tudo que viu enquanto esteve na Terra e muito mais.
—Este é mesmo o céu?
—Ainda não, estamos distantes dele.
Precisamos caminhar muito até lá, Fernanda.
—Porque eu aceitei logo a minha morte?
—Antes de renascer, escolheu a vida que queria ter para reparar e resgatar alguns erros.
Você foi muito bem preparada e através do livre-arbítrio, fez algumas escolhas e se desviou do prometido.
Mas, apesar disso, daí para frente, cumpriu quase tudo daquilo a que havia se proposto.
Por isso, ao desencarnar, nós estávamos lá esperando para te trazer par cá.
Durante o tempo em que ficou adormecida, recebeu um tratamento de passes e energia.
Quando acordou, estava mais ou menos preparada.
No momento em que Nivaldo te contou, não sabíamos qual seria a sua reacção, mas graças a Deus foi muito boa.
—A princípio eu me revoltei e não aceitei.
—A princípio, mas em seguida foi aceitando e agora parece que aceitou de vez.
—Com tudo que estou vendo aqui, não teria como não aceitar.
No entanto, ainda não aceito a forma como a minha morte se deu nem a impunidade de Zuleica.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:08 pm

Não consigo deixar de sentir um ódio muito grande por ela e o desejo de vingança me persegue.
Só ficarei bem quando conseguir me vingar.
—Não deve se preocupar.
Ao contrário, procure assimilar o máximo que puder de tudo que está vendo por aqui, garanto que em uma próxima encarnação lhe será muito útil.
O crime nunca fica impune.
Poderá ficar nas leis dos homens, mas perante Deus não.
Todos, cedo ou tarde, terão o seu julgamento.
Confie nisso e será feliz.
Tente tirar esses pensamentos de ódio e vingança, pois eles não te ajudarão; ao contrário, só poderão te fazer mal.
—Vou tentar, mas não sei se conseguirei.
Marli, você há de convir que não é fácil quando se descobre que sempre foi traída.
Ainda mais para alguém que, como eu, sempre pensou estar tudo bem em sua vida.
—Entendo, sim, por isso vou repetir.
Está tendo toda a assistência que precisa.
Dentro de um mês entenderá mais ainda.
—Estarei esperando ansiosa.
Ficarei contando os minutos.
—Faça isso.
Agora, continue com a Tânia.
Poderemos nos ver mais tarde.
Marli se afastou e Fernanda a acompanhou com os olhos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:09 pm

Nada é como parece
O tempo foi passando.
Fernanda procurou conhecer todos os recantos, distraindo-se até que chegasse o dia em que saberia todo o passado e pudesse ir visitar aqueles que deixara e amava.
Ficou encantada ao ver uma fábrica de brinquedos; perguntou para Tânia, que a acompanhava:
—Até os brinquedos são feitos aqui?
—Sim, eles são feitos e testados.
Depois, são passados para aqueles que se dedicam a esse tipo de trabalho nas fábricas de brinquedos.
Antes de renascer, foram treinados aqui.
— Como são passadas essas ideias?
Através de médiuns?
— Não. Geralmente são passadas durante a noite, quando aquele que precisa recordar o que fez aqui está dormindo.
Uma equipe daqui vai até ele para trazê-lo aqui.
Ele percorre tudo e, quando acorda pela manhã, acha que teve uma ideia, coloca-a em prática e assim surgem os brinquedos.
—Pelo que estou vendo, tudo que é inventado na Terra antes foi criado aqui.
—Isso mesmo.
As pessoas não sabem, mas todas trabalham naquilo em que foram treinadas aqui.
Algumas não aceitam e tentam fazer outras coisas por causa do dinheiro ou para manter um status, mas, nunca dá certo.
Mais cedo ou mais tarde, voltam para realizar aquilo que sempre sonharam e planearam.
Sonhos e planos que levaram daqui ou de outro lugar como este.
—Existem outros lugares como este Tânia?
—Sim, muitos, em todo o Universo.
Lugares como este servem para receber os recém-chegados, auxiliá-los em tudo que precisarem, e depois, se pertencerem a outro lugar, serão levados.
Isso porque sempre estaremos ao lado de nossos companheiros de caminhada: amigos e até inimigos, sem esquecer os nossos familiares que nos antecederam.
Estavam conversando, quando um raio de luz caiu sobre Fernanda, envolvendo-a totalmente.
Ela se assustou, deu um pulo para trás, dizendo:
—O que é isso?!
—Não se preocupe -— disse Tânia rindo - essa luz significa que alguém lá na Terra está pensando em você, com amor, paz e saudade, mas sem sofrimento.
Mesmo sem saber, está te mandando essa luz, que se transforma em energia.
—Como? Que luz é essa?
—Quando alguém pensa naquele que partiu do alto da sua cabeça sai esse tipo de luz, que na realidade é uma energia muito boa.
Você verá como se sentirá bem, isso acontece sempre.
—Nunca vi em mim ou em qualquer outra pessoa...
—Mas chegaram muitas vezes.
Geralmente quando isso acontece estamos dormindo e não percebemos.
Para você, no início, chegaram muitas!
Eu mesma presenciei e com o tempo elas foram se tornando mais raras.
—Porquê?
As pessoas se esqueceram de mim?
—Não! Sempre que alguém morre, no início chora-se muito, mas aos poucos se acostumam e vão se esquecendo.
—Tem razão. Quando perdi meus pais, sofri muito, mas com o tempo a lembrança deles foi-se tornando mais distante.
Por que isso acontece?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:09 pm

—Deus é mesmo sábio.
Ele faz com que, à medida que o tempo vai passando, as pessoas vão sendo envolvidas pelas lutas do dia a dia e deixam de pensar naqueles que foram.
Isso é bom para elas próprias e muito mais para aqueles que estão aqui.
Nem sempre a luz é como essa que chegou agora.
Muitas vezes são de dor e na não aceitação da morte.
Nesses casos, a luz, ao invés de fazer bem, como está acontecendo com você, causa muito mal, pois uma das doenças do espírito chama-se saudade.
—É mesmo? Eu não sabia disso!
—Não é difícil de entender.
Mesmo quando vivos, ao ficarmos distantes, não sentimos saudade daqueles que amamos?
—Sim e, dependendo de onde estivermos, sentimos muito.
—Aqui não poderia ser diferente.
Ficamos ansiosos para revê-los e lhes contar tudo que vimos.
—É verdade.
Neste momento, é o que mais desejo.
—Mas nem sempre é possível.
Alguns levam muito tempo para entender e aceitar a sua actual situação.
Enquanto não estiverem prontos, não poderão voltar.
Outros, embora aceitem e entendam prontamente, se deixam envolver por trabalhos e raramente voltam ao seu antigo lar.
—Isso acontece?
—Sim, pois para os que estão aqui é indispensável que tenham trabalho.
Já cumpriram o seu tempo renascido e agora precisam se preparar para uma próxima volta.
Assim como acontece na Terra, aqui também todos são envolvidos, para que possam continuar a caminhada.
Isso só é possível de acontecer quando aqueles que ficaram na Terra só lembram-se deles com saudade e amor, sem sofrimento e, principalmente, sem ódio, mágoa ou rancor.
—A energia de ódio e mágoa também chega?
—Sim. Da mesma forma que esta que chegou para você te fez bem, aquela que vem com dor, sofrimento, ódio e mágoa causa muito mal.
—Quem terá me mandado essa luz?
—Não sei, mas poderemos verificar; você gostaria?
—Claro que sim.
—Vamos conversar com a Marli ou o Nivaldo, só eles saberão como tirar a sua curiosidade.
Encontraram Marli na sala de Nivaldo.
Estavam conversando, quando Tânia e Fernanda entraram.
Foram recebidas com sorrisos.
—Fernanda -— disse Nivaldo -— estava falando a seu respeito.
Íamos pedir que viesse até aqui.
Mas já que veio sem o convite, deve ter algum motivo, posso saber qual é?
—Que bom que falavam sobre mim, mas o que falavam?
Espero que seja a respeito da promessa que me fizeram, de revelar tudo que aconteceu na minha encarnação passada.
—Era sobre isso mesmo que falávamos, mas antes, sentem-se e digam qual o motivo da sua presença aqui.
—Estávamos conversando eu e Tânia -— disse Fernanda enquanto sentavam-se -— quando uma imensa bola de luz caiu sobre mim.
Confesso que, a princípio, me assustei, mas depois me senti muito bem.
Tânia disse que aquela luz provinha de alguém que estava pensando em mim com muito amor e saudade, sem sofrimento.
Que luz foi aquela?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Nov 30, 2017 9:09 pm

—Luzes como essa chegam diariamente.
Elas são, sim, mensagens de amor, paz, saudade e o desejo de que aqueles a quem elas foram dirigidas estejam bem e felizes.
—Quem me enviou?
Não posso te responder de imediato, mas posso quase adivinhar que foi a Marilda.
—A Marilda! Só ela?
—Não, todos os seus mandam, só que com dor e sofrimento, por acreditarem que você cometeu realmente o suicídio.
Marilda é a única que não acredita, portanto sabe que você está bem e sempre te manda pensamentos de amor e paz.
Ainda mais depois que começou a conhecer a doutrina.
—Ela está conhecendo?
Nunca se interessou por nada!
— Tudo tem a sua hora.
Agora, chegou a hora de Marilda deixar de se preocupar só com o material e se preocupar um pouco mais com o espírito:
é o que está fazendo, e muito bem.
Ela foi uma grande aliada nossa para a sua recuperação.
—Ela, realmente, sempre foi minha amiga.
Gostaria de fazer algo para agradecer-lhe esses bons pensamentos.
—Para isso, só precisa mandar-lhe também pensamentos de amor.
Ela não verá a luz caindo, assim como aconteceu com você, mas certamente a receberá e lhe fará muito bem.
Fernanda fechou os olhos, pensou firmemente em Marilda:
—Obrigada, minha amiga, por ter estado sempre ao meu lado, mesmo nos meus momentos mais difíceis e, agora, por não acreditar que cometi esse terrível pecado.
Estou bem e desejando que você também esteja e que tenha toda a felicidade do mundo.
Enquanto Fernanda fazia isso, uma imensa esfera de luz saiu de seu peito e sumiu no espaço.
Depois disso, ela abriu os olhos, dizendo preocupada:
—Será que consegui?
—Conseguiu, sim -— disse Nivaldo sorrindo.
Neste momento, esteja Marilda onde estiver, estará recebendo uma dose de energia muito grande e se lembrará de você.
É assim que funciona; o amor não tem fronteiras, nem distâncias.
As pessoas trocam energias, mesmo sem saber ou perceber.
— Estou me sentindo muito bem.
—Esse é o melhor remédio que há para todos nós.
Mas agora, já que está aqui, quer mesmo saber como foi a sua encarnação anterior?
—É o que mais desejo.
—Talvez vá se surpreender -— disse Nivaldo.
—Depois de ter descoberto que Antero me traiu a vida toda e que Zuleica me matou, nada mais poderá me surpreender.
—Estou sentindo que ainda não conseguiu perdoar, apesar de ter estado muito bem aqui, Fernanda.
—Desculpe, mas não consegui mesmo e acho que nunca conseguirei.
Foi muita traição.
—O perdão é algo que deve ser sincero e de coração.
Não esquecendo jamais que tudo tem a sua hora.
—Tenho me esforçado muito, mas não consigo.
Sempre que me lembro, uma onda de ódio cresce dentro de mim.
—Está bem, mas agora vamos até o auditório.
Lá você assistirá a um filme e talvez mude de ideia e entenda que o perdão foi, e é sempre será a melhor solução.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:34 pm

—O filme que vou ver é igual ao que vi aquele homem assistindo quando estava conhecendo tudo por aqui?
—Isso mesmo.
Naquele dia, ele estava assistindo ao filme que o interessava.
Hoje, você vai assistir ao seu, vamos?
Levantaram-se, saíram do prédio e se encaminharam até o auditório que estava vazio.
Nivaldo apontou uma poltrona para cada uma de suas acompanhantes, dizendo:
—Agora, Fernanda, procure ficar calma e não interromper.
Preferi conservar os nomes das pessoas, conforme você as conhece hoje.
Embora tudo isso tenha acontecido em outra época e todos, então, tinham outros nomes.
Ela sorriu, estava ansiosa para ver, e Nivaldo, sabendo de sua ansiedade, fez um sinal para alguém que ela não viu.
A tela se iluminou e apareceu um quarto imenso, com os móveis em madeira escura e a decoração toda verde, com detalhes em dourado.
A cama era grande e tinha sobre ela um véu em verde bem claro.
O ambiente era luxuoso.
Fernanda se vê diante de um espelho e parecia feliz.
Por uma porta entrou outra moça bonita e com um vestido de festa azul-turquesa:
__Você está muito bonita, mas já está atrasada.
Estão todos te esperando, Fernanda!
—Sei disso, mas só faltam alguns retoques.
Quero estar bem bonita e que todas as atenções sejam voltadas para mim.
—Isso não será difícil, pois sempre foi e será a mais bonita de nós três.
—Somos eu e a Marilda? -— perguntou Fernanda, no presente e assustada
—Estamos com roupas diferentes das que usamos agora!
Mas somos nós mesmas!
—Claro que são vocês! -— disse Marli, sorrindo.
Só que em outra época.
Não queria saber como foi a sua última encarnação?
Não pode ficar interrompendo, apenas assista até o final.
Então, entenderá tudo que te aconteceu.
—Desculpe, mas é que não consegui me conter.
Estamos muito bonitas!
Tem certeza que somos nós mesmas?
—Claro que sim, mas continue assistindo.
Fernanda, cada vez mais curiosa, se calou.
Na tela, ela e Marilda conversavam:
—Marilda tem muitos rapazes lá embaixo?
—Sim, Fernanda, sabe que sim.
Todos da alta sociedade.
Vamos, minha irmã!
Você está atrasando a festa!
Afinal, você é a aniversariante e nem sempre se faz dezoito anos.
—Estou bem mesmo?
—Claro que está!
Vamos você está linda!
Saíram juntas e abraçadas.
Seguiram por um corredor e chegaram a uma escadaria em formato de caracol e forrada com tapete vermelho.
Do alto podia-se ver um imenso salão todo enfeitado com camélias e lírios brancos.
O ambiente era rico e deslumbrante.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:34 pm

Assim que Fernanda e Marilda surgiram no alto da escada, todos os olhares se voltaram para elas, que, sorrindo, desceram calmamente.
Um senhor elegante se aproximou, dizendo eufórico:
—Minha filha, você está linda.
Um pouco encabulada Fernanda disse:
—Obrigada, papai, e obrigada por esta linda festa.
Você merece.
Venha, estamos te esperando.
Quero ser o primeiro a dançar com você para que todos sintam inveja.
Ela sorriu e, assim que entrou no salão, a valsa começou a ser tocada por uma orquestra que só estava esperando a chegada dela para começar.
Ela saiu dançando nos braços do pai, feliz.
Marilda se aproximou de uma outra moça que, como todos, acompanhava os dois dançando, disse:
—Zuleica, ela está mesmo linda, não é?
—Está sim Marilda, mas não esqueça que ela sempre foi a mais bonita de nós três.
—Pode ser, mas nós também não ficamos atrás.
Somos também muito bonitas.
Zuleica sorriu, confirmando com a cabeça, e perguntou:
—Onde está mamãe?"
—Está toda atrapalhada com os convidados.
Você sabe que ela não gosta de festas.
Ela deve estar torcendo para a noite passar depressa e tudo isso terminar.
—Ela sempre foi assim, mas olhe quem está chegando!
Marilda olhou para onde Zuleica apontava e viu Nivaldo chegando acompanhado por outro rapaz desconhecido delas.
—Quem é aquele que está com Nivaldo?" -— perguntou Marilda espantada.
—Não o conheço, nunca o vi por aqui!
—Deve ser o irmão dele, estuda na França.
—Ele é muito bonito, Zuleica!
—É mesmo, muito mais que o Nivaldo.
—Vamos esperar que se aproximem... assim, a nossa curiosidade será satisfeita.
—Senhoritas, boa noite - disse Nivaldo gentil.
Nivaldo cumprimentou Marilda, beijando-a na mão.
Em seguida, fez o mesmo com Zuleica.
Depois, voltando-se para o rapaz que o acompanhava, disse:
—Este é o meu irmão Antero, que estava estudando na França.
—Olhou para ele e disse:
— Estas são Marilda e Zuleica, duas pérolas da sociedade.
A outra é aquela que está dançando com o pai.
Seu nome é Fernanda.
Antero olhou primeiro para Fernanda, depois cumprimentou Marilda e, quando ia beijar a mão de Zuleica, seus olhos se encontraram.
No mesmo instante, sentiram o corpo todo estremecer, como se fosse uma corrente eléctrica passando por eles.
Um pouco constrangidos, tentando esconder um do outro o que estavam sentindo, sorriram.
—Fernanda, como sempre, está muito bonita e parece feliz —- disse Nivaldo, sem perceber a reacção dos dois.
— Ela é bonita -— disse Marilda -— e está feliz.
Sabe como ela é.
Apesar de estar fazendo dezoito anos, ainda parece uma criança.
Acredito que continuará sendo assim para sempre.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:35 pm

—Isso que a torna encantadora.
Não querem dançar?
Marilda olhou para Zuleica e notou que ela estava um tanto diferente do normal.
Perguntou, sorrindo:
—Zuleica, você quer dançar?
—Quero... -— respondeu um pouco desajeitada.
Nivaldo estendeu a mão para Marilda, Antero fez o mesmo para Zuleica, saíram dançando.
Zuleica tremia muito e não conseguia coordenar os passos.
Por muitas vezes, pisou no pé de Antero, que se divertia muito.
Em dado momento ele disse:
—O meu irmão falou muito de vocês três e de como eram bonitas.
Mas acho que ele não conseguiu transmitir o quanto.
Ela sorriu e disse:
—De nós três, eu sou a menos bonita...
—Não acho.
Ao contrário, a sua beleza é terna.
Estou muito impressionado, nunca senti o que estou sentindo agora.
Ela, tímida, não sabia o que dizer; estava confusa, mas feliz por estar nos braços dele.
A música parou e Fernanda caminhou em direcção a eles.
Quando ela se aproximou, conversavam.
—Nivaldo! Estou feliz por ter vindo!
—Também estou Fernanda.
Este é o meu irmão Antero, que estava estudando na França e que acabou de chegar.
Antero, esta é Fernanda, outra pérola da casa.
—Muito prazer, senhorita!
Fernanda estendeu a mão, que ele beijou delicadamente.
—A senhorita é realmente muito bonita, muito mais do que pensei que fosse.
—Obrigada. O senhor é muito gentil.
Sorriram e continuaram conversando.
Fernanda também se impressionou com ele, mas, por ser a aniversariante, teve que se afastar.
Antero e Zuleica dançaram durante o tempo todo.
Em dado momento ele a puxou para uma das sacadas que havia em volta do salão, pegou em suas mãos, dizendo:
—Senhorita estou encantado com a sua beleza.
Não sei o que estou sentindo, mas a sua companhia me faz muito bem.
Já ouvi falar em amor à primeira vista.
Não sei se o que estou sentindo é amor, mas queria a sua permissão para pedir ao seu pai licença para poder visitá-la.
Ela não sabia o que dizer, mas com a voz trémula disse:
—Também estou sentindo algo diferente, algo que nunca senti antes.
Não sei se meu pai permitirá.
O senhor teve uma educação na Europa; ali, pelo que ouvi dizer, é diferente, mas aqui as moças devem obediência aos seus pais.
Meu pai tem planos para nós e é ele, também, quem vai escolher os nossos maridos.
—Na Europa também ainda existe isso.
Mas, está mudando.
Eu não concordo com arranjos matrimoniais, pois acredito que cada um deve ser responsável pela sua vida e escolher com quem deve ficar.
Mas os costumes são assim e precisamos respeitá-los; mesmo assim, gostaria de tentar.
Acredito que não haverá empecilho, pois também pertenço a uma família rica e poderosa, tanto quanto vocês.
Além do mais, nossos pais são amigos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:35 pm

Se a senhorita permitir, tentarei.
Por mim está bem, e ficarei feliz se ele concordar.
—Quem está feliz com a sua resposta sou eu, mas vamos voltar ao salão e dançar?
A festa está linda e devemos aproveitar.
Ela sorriu, pegou no braço que ele lhe oferecia, foram para o meio do salão e começaram a dançar.
Em um canto, sozinho, outro rapaz os observava.
Não conseguia disfarçar o ódio que estava sentindo por vê-los dançando felizes.
Uma moça se aproximou dele.
—Aristides, meu irmão, como está?
—Estou bem e exactamente no lugar em que devo estar.
Com ódio desse estranho que está com Zuleica!
—Você precisa tirar esses pensamentos que tem a respeito dela.
Sabe que o padrinho jamais concordará que ela se case com você.
Sabe também que ele já tem planos para as filhas.
—Sei disso, mas não acho justo.
Eu a amo desde criança e quero que ela seja minha esposa.
Fernanda, no presente, e que até aí assistia calada, não resistiu e disse entusiasmada:
— Marli, Nivaldo!
Vocês também estavam lá, viveram no mesmo tempo que eu?
— Sim -— disse Marli, sorrindo -— vivemos juntos no mesmo tempo.
Continue assistindo.
Tem ainda muito para ver.
Ela se ajeitou na poltrona e voltou sua atenção para a tela.
—Não sei o que fazer —- Aristides falava.
—Não consigo tirar esse amor do meu peito.
—Tem que tirar meu irmão.
Se não fizer isso, sofrerá para sempre.
Sabe bem que ela gosta de você como a um irmão.
Desde que os nossos pais morreram o padrinho, por ser o único amigo e por não termos família, nos trouxe para a casa dele.
Criaram-nos com carinho, como se fôssemos seus filhos.
— Como se fôssemos, mas não somos Marli!
Não temos direito a coisa alguma que é deles.
Não tenho dinheiro nem posição, por isso não posso me atrever a sequer pensar em casar com uma das suas filhas.
—Tem razão, mas existem outras moças que ficarão felizes em se casar com você, Aristides!
—Não quero outra moça!
Quero-a e conseguirei, pois, se ela não for minha, não será de mais ninguém!
—Não diga isso, pense em mim.
Se fizer alguma coisa que te prejudique, eu também serei prejudicada, só tenho a você!
—Não haverá problema.
Sabe que Nivaldo está interessado em você e que o padrinho não se oporá, pois ele é também de família rica e poderosa!
Eu, sim, é que não conseguirei o que mais quero, o amor da Zuleica.
Ser feliz ao lado dela!
—Não sei mais o que te dizer, estou preocupada.
Te amo, você é o meu irmão.
Só posso te pedir que, antes de tomar qualquer atitude, pense bem nas consequências que poderá ter...
Fernanda se aproximou deles.
—Olá, está tudo bem por aqui?
Parecem nervosos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:35 pm

—Está tudo bem.
Só estamos conversando, Fernanda.
—Pelo rosto dos dois, parece que a conversa não está sendo muito boa -— disse, com ironia.
— Será que estão falando da Zuleica e daquele moço com quem ela está dançando?
—É sobre isso mesmo que estamos falando -— respondeu Aristides, agressivo.
—Estão dançando há muito tempo!
—Acho que você deve esquecer Zuleica.
Assim como eu e a Marilda, ela te considera como a um irmão, Aristides.
Bem, preciso ir.
Tenho que atender aos convidados.
Saiu, deixando os dois.
Ao passar por Zuleica e Antero, que dançavam e pareciam apaixonados, pensou:
Ele é realmente muito bonito; quando o cumprimentei não notei, parece que está interessado nela..
A festa terminou.
Os convidados foram embora e as irmãs, apesar de cansadas, queriam comentar sobre tudo que aconteceu naquela noite.
Foram para o quarto de Fernanda, que era o maior de todos.
Depois de fazer muita birra, e por ser a preferida do pai, ela conseguiu aquele quarto, que por direito pertenceria a Marilda por ser a mais velha.
No princípio, Marilda brigou, mas aos poucos Fernanda foi conquistando a sua amizade novamente, mas nunca deixando que elas, as irmãs, esquecessem que naquela casa quem tinha o poder era ela.
Zuleica, embora não tivesse demonstrado para Antero, estava exultante:
—Ele é maravilhoso, atencioso e parece que gostou realmente de mim!
Estou tão feliz!
Ele disse que pedirá permissão ao papai para me visitar.
—Fico feliz por você minha irmã - disse Marilda.
— Ele me parece um bom moço.
Se for como o Nivaldo, sei que te fará feliz.
Falando em Nivaldo, onde está Marli?
—Se ela não está aqui -— disse Fernanda debochando deve estar com ele.
Não esqueçam que irão se casar em breve.
Ela teve muita sorte:
apesar de não possuir fortuna ou pertencer a uma boa família, conseguiu conquistar um rapaz como o Nivaldo.
Nunca gostei dela, sempre me pareceu ser fingida e invejosa.
—Não fale assim, Fernanda -— disse Zuleica, muito nervosa.
—Ela está aqui desde que era ainda uma criança.
Fomos criadas juntas, eu os considero como se fossem minha família, ela e o Aristides.
Você sabe que o papai e a mamãe, também.
—Pois eu, não.
São dois estranhos que entraram na nossa casa e hoje se comportam como um de nós.
Você devia ter visto os dois conversando e o ódio que o Aristides estava sentindo te vendo dançar com Antero.
Você sabe que ele sempre te amou.
—Não sei por que ele insiste nisso.
Já conversamos muito a esse respeito e sempre lhe disse que não o amava e que nunca me casarei com ele.
—Ele não gosta de você -— disse Fernanda, ainda debochando.
Ele sabe que não tem direito a coisa alguma da herança de nossos pais e está querendo se casar com você somente para se tornar um herdeiro.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:35 pm

—Nossa Fernanda -— disse Marilda, nervosa.
Você está sendo cruel!
Sabemos que ele a ama desde muito tempo!
Acredita que Zuleica não tenha atributos para despertar o amor?
Apesar de não ser tão bonita quanto você, ela também é linda!
Isso foi provado hoje, pois um rapaz bonito como Antero se impressionou com ela e não fez questão nenhuma de esconder de todos.
Não sei se percebeu, mas ele nem sequer nos notou.
—Não percebi -— disse, com ar de despeito - —estava ocupada atendendo aos convidados.
Mas ele poderia estar brincando.
—Fernanda! Pare com isso!
Não queira estragar a felicidade da Zuleica com insinuações que não são verdadeiras.
Ele disse que conversará com papai, espero sinceramente que isso aconteça! - disse Fernanda furiosa.
Eu também -— disse Zuleica - —pois, se não acontecer, serei a mulher mais infeliz do mundo.
O papai aceitará Antero.
Ele pertence a uma boa família e papai tem muitos negócios com o pai dele.
Não sei se é amor, mas não consigo esquecê-lo nem por um minuto.
A todo o momento o vejo diante de mim.
Aquele rosto, aquele sorriso.
Será que estou amando mesmo, de verdade?
—Está amando, sim -— disse Marilda.
— Posso te dizer isso, pois é o mesmo que sinto em relação a Júlio.
Também não consigo esquecê-lo, nem por um minuto sequer.
Agora está na hora de dormirmos.
Conversaremos mais amanhã.
Venha, Zuleica, vamos deixar a rainha dormir.
Levantaram-se da cama e saíram.
Fernanda também se levantou, foi até ao espelho, começou soltar os cabelos.
"Ele não pode estar apaixonado por Zuleica.
Não pode ter deixado de me notar.
Como disse a Marilda, sou muito mais bonita que as duas.
Se ele não me notou, com certeza farei com que me note.
Ele é um bonito rapaz e bom partido, não deixarei que fique com a Zuleica, aquela tonta.
Terminou de soltar os cabelos, passou sobre eles uma escova e depois foi para a cama.
Deitou-se.
Fazia um esforço enorme para lembrar-se do rosto de Antero, mas não conseguia.
Pois na realidade ela também não o havia notado.
—Está certo que também não o notei, mas a partir de agora passarei a notar.
Marilda e Zuleica entraram no quarto de Zuleica.
Dirigiram-se para a cama.
Marilda, ainda nervosa, disse:
—A Fernanda, às vezes, se torna insuportável!
Parece que, apesar de ter uma beleza invejável, de ter um pai que a ama com predilecção, ela sente inveja das coisas que conseguimos!
Lembra-se quando eu comecei namorar com o Júlio?
Ela fez tudo para nos separar, inventou uma porção de mentiras.
—Mas não adiantou.
Vocês estão noivos e, assim que ele terminar a faculdade se casará e será muito feliz, Marilda.
—Espero que sim.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:36 pm

Ele se dedica tanto aos estudos, quer tanto ser médico, que nem pôde comparecer hoje à festa, pois está em provas e não poderia viajar.
Eu o amo profundamente!
Assim como acredito que você também está amando Antero, mas agora vamos dormir e esperar para ver o que acontece.
—Vamos, sim, mas sinto que vou demorar um pouco para adormecer.
Estou sentindo o toque das suas mãos e seu cheiro.
—Boa noite, e tenha bons sonhos, você merece.
Fernanda, no presente, e que a tudo assistia, ao ver a sua atitude no passado, disse, um pouco nervosa e assustada:
—Nivaldo, essa que vocês estão mostrando não sou eu!
Eu não sou assim!
Vivi para a minha casa e para o meu marido!
Procurei ser uma pessoa de bem, nunca senti inveja de ninguém nem quis nada que não me pertencesse, Nivaldo...
—Sabemos disso.
Graças a Deus, você mudou, mas você era essa mesma que está sendo mostrada.
Para ganhar tempo, vou te contar o que aconteceu depois dessa noite.
Antero começou a frequentar a sua casa, seu pai permitiu.
Você, não se conformando com a felicidade de Zuleica, se insinuou muitas vezes para ele, tentando fazer com que ele se apaixonasse.
Mas tudo foi em vão, ele amava realmente a Zuleica e por isso fingia não entender as suas reais intenções.
Eles ficaram noivos e, um ano depois, se casaram.
O casamento teve uma festa sumptuosa.
Seu pai fazia questão que todos soubessem que ele tinha muito dinheiro e, por consequência, muito poder.
Fazia questão de ser respeitado pelas pessoas.
Zuleica estava linda, não só devido ao rico vestido de noiva que usou, mas pela felicidade que transmitia em seus olhos.
Você estava à distância olhando e invejando a felicidade dela, quando viu, em um canto, Aristides, que também a observava, aproximou-se e percebeu que ele estava se remoendo de ódio.
A tela se iluminou novamente e apareceu aquele mesmo salão, todo iluminado e decorado.
Fernanda, no passado, aproximou-se de Aristides e disse com ironia nos olhos e na voz:
—Parece que as suas esperanças terminaram.
Ela se casou com outro, Aristides, e você a perdeu para sempre...
—Aristides estava muito nervoso -— Nivaldo continuou falando.
—Por isso levou alguns minutos para responder:
—Infelizmente, você tem razão, Fernanda.
—O que pretende fazer, Aristides?
__ Não sei, mas acredito que não tenho mais o que fazer.
Agora a perdi para sempre.
Só resta me conformar.
—Para sempre é muito tempo.
Quem sabe não aconteça algo que a traga de volta para você, e assim poderão ser felizes!
—O que poderia acontecer?
Está tudo terminado!
—Quem sabe... ele morrer...
—O que está dizendo? Como morrer?
—Um acidente sempre pode acontecer, Aristides...
—O que está insinuando?
Que eu o mate? Está louca!
Nunca farei isso, por mais que a ame!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:36 pm

—Nunca também é muito tempo.
Se a ama de verdade, pensará nisso com carinho...
—Após dizer isso, você se afastou, Fernanda.
Aristides ficou olhando você e Zuleica, que, feliz, dançava nos braços de Antero.
Uma onda de ódio tomou conta de todo o seu ser.
Aristides procurou tirar aquelas ideias da cabeça, se afastou e foi para o seu quarto.
A festa terminou.
Zuleica e Antero, para desespero de Aristides e o seu, ficaram morando naquela casa.
Você, Fernanda, ficava, cada vez mais, irritada com a felicidade deles.
Você, que a princípio queria apenas tirar o namorado da sua irmã, com o tempo e diante da recusa dele, e da felicidade de Zuleica, julgou-se apaixonada por Antero e não se conformava por tê-lo perdido para ela.
Ficava pensando, todo o tempo, em uma maneira de separá-los, mas não encontrava.
Um ano depois do casamento de Zuleica, com uma grande festa, eu e Marli, e Marilda e Júlio, nos casamos e fomos morar em nossas casas.
O tempo foi passando.
Ia fazer dois anos que eles estavam casados, não tinham tido filhos, pois Tânia ainda estava sendo preparada para renascer, como filha deles.
Ela tinha um trabalho importante para fazer:
lutaria junto dos demais abolicionistas pela liberdade dos escravos.
Quando Tânia ficou pronta e Zuleica descobriu que estava esperando um filho, a felicidade foi completa.
Seu pai ficou feliz, pois seria o seu primeiro neto.
Ele nem queria pensar na possibilidade de ter uma neta.
Havia tido três filhas, que amava, mas nunca se conformou por não ter tido um filho para que o seu nome seguisse adiante.
Todos ficaram felizes, menos você, pois, embora houvessem aparecido muitos pretendentes, você não aceitou nenhum e convenceu seu pai a também não aceitá-los.
No fundo, ele te amava de uma maneira obsessiva e não queria te ver casada com ninguém.
Por isso, ficava feliz quando você recusava um pretendente.
Agora, com a criança que iria nascer você ficou com mais ódio de Zuleica e da sua felicidade:
"Essa criança não nascerá!
Não permitirei!’’
—Você ia ser a minha sobrinha, Tânia?
—Ia não, fui.
Você não se lembra Fernanda?
—Não, tudo que estou vendo está me parecendo ser a história de outra pessoa.
—Mas é a sua mesmo -— disse Nivaldo —- mas, vamos continuar.
A felicidade deles cada vez mais a irritava.
Aristides também não se conformava de ter perdido Zuleica e você se aproveitou disso.
Então, começou a tentar convencê-lo:
—Aristides sei que está sofrendo muito; eu também, pois amo Antero perdidamente.
Precisamos encontrar uma maneira de matá-lo.
Assim, Zuleica acabará te aceitando, e eu, por minha vez, se não puder ficar com ele, não quero que fique com ela.
Não suporto ver a felicidade deles!
—Você dizia isso para Aristides -— falou Nivaldo -— mas na realidade queria que quem morresse fosse Zuleica, pois ela, além de ter o amor de Antero, trazia agora, dentro de si, um filho dele e isso você, Fernanda, não poderia suportar.
Uma noite, aproximou-se de Aristides, que continuava com muita raiva e ciúmes:
—Aristides -— disse sussurrando —- descobri uma maneira de você matar o Antero.
— Como? Não quero ser preso.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:36 pm

—Se fizer da maneira como vou te dizer, isso não vai acontecer, e você ficará livre para conquistar Zuleica.
— Como?
—Percebi que, todas as vezes que eles saem de carruagem, ela sempre senta do lado direito do banco.
Se você ficar escondido do lado esquerdo, poderá atirar cruzado, e com certeza irá acertá-lo.
Depois, sozinha, triste e esperando um filho, Zuleica ficará feliz em encontrar alguém que se case com ela.
Meu pai também não se oporá, pois não vai querer uma filha sem marido.
Ele te conhece e sabe que você é um bom rapaz e que poderá fazer Zuleica feliz.
Essa é a única chance de você ser feliz.
—Como vou fazer isso?
Alguém pode me ver atirando; até mesmo o cocheiro, se me vir, me reconhecerá!
—Todas as quartas-feiras, eles vão jantar na casa de Marli e de Nivaldo.
A carruagem é obrigada a passar por aquela rua, onde não tem casa ou ninguém por perto.
Na rua tem muitas árvores e, entre elas, uma com muitos galhos e folhas.
Sempre que eles saem, já está anoitecendo.
Você poderá esconder-se e, quando a carruagem passar, você atira no lado direito e, fatalmente, atingirá Antero.
O cocheiro ficará tão desesperado, que não vai querer ficar procurando quem atirou.
Ele vai querer socorrer Antero.
Você fica ali, escondido no meio da árvore, até eles irem embora.
Depois, volta para casa e fica esperando.
Quando a notícia chegar, assim como eu, você deve ficar desesperado.
—Não sei não, e se não der certo?
Se o cocheiro ou a Zuleica resolverem me procurar e me acharem?
—Você acha que eles irão se preocupar com isso?
Estarão mais interessados em salvar a vida da Zuleica.
Não esqueça que o tiro tem que ser certeiro e só poderá dar um, pois, se errar, estará perdido.
Antero e o cocheiro ouvirão e, aí sim, irão atrás de quem atirou e certamente te encontrarão."
—No exército, me especializei em tiro.
Não errarei!
—Está bem, então fica para a próxima quarta-feira.
—Meu Deus -— disse Fernanda no presente e chorando —- eu fiz isso mesmo!
Estou me lembrando!
Fiz mesmo, Marli!
—Infelizmente fez -— disse Marli - mas já pagou por tudo isso; quer continuar vendo?
Podemos parar.
—Não, Tânia, você disse que falhou na sua última encarnação.
Quero saber porquê.
Estou me lembrando, mas não de tudo.
Não sei o que se passou depois.
—Está bem -— disse Nivaldo -— vamos continuar.
Você disse aquilo para Aristides, mas era mentira.
Na realidade, você sabia que quem viajava do lado direito era Antero.
A sua real intenção era que Aristides, ao atirar, matasse Zuleica e a criança que estava para nascer.
Pois assim você ficaria com Antero.
Imaginava que ele, sozinho, sem a mulher que amava e o filho que esperava, ficaria triste o suficiente para aceitar a sua atenção e o seu amor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:36 pm

Era sábado quando combinaram tudo e Aristides ficou esperando ansioso o dia chegar.
Na quarta-feira, quando Zuleica e Antero se prepararam para sair, você se despediu, como sempre, beijando o rosto de Zuleica.
O beijo da traição já aconteceu antes e acontecerá muitas vezes.
Nivaldo disse isso com dor.
Fernanda entendeu o que ele quis dizer, baixou a cabeça e, com a mão, tentou secar a lágrima que corria por seu rosto.
Ele continuou.
—Na quarta-feira seguinte, bem antes da hora, Aristides foi até a árvore; olhou seus galhos, subiu e ficou escondido em um deles, do lado contrário ao que julgava que Antero estaria sentado.
Assim que a carruagem passou, ele atirou e ouviu um grito.
O cocheiro parou, desceu e correu para ver se alguém havia sido atingido.
Depois voltou desesperado para frente, chicoteou os cavalos e saiu em disparada.
Aristides, nervoso e já arrependido, tremia muito.
Deixou passar alguns minutos, depois desceu da árvore e passou por um rio que corria ali perto.
Por cima da ponte, jogou a garrucha que havia usado.
Aristides sabia que ali ninguém a encontraria, pois o rio era fundo.
Além disso, ninguém sabia que ele possuía uma arma.
Foi para casa.
Assim que entrou, viu que você, Fernanda, estava sentada ao lado de seu pai e fingia bordar.
Você olhou para ele, que confirmou com a cabeça.
Intimamente, você sorriu, sabia que agora o caminho estava livre para poder, finalmente, viver o seu grande amor.
Ficou ali até que Zefinha, a escrava que havia criado vocês três e que as amava como se fossem suas filhas, entrou na sala, avisando que o jantar já estava pronto.
Você e seu pai se levantaram e foram jantar.
Aristides, também os acompanhou.
Durante todo o tempo em que estiveram jantando, evitaram se olhar.
Estavam terminando de jantar, quando ouviram alguém batendo na porta.
Vocês já sabiam do que se tratava.
Jeremias, que era marido de Zefinha e que fazia às vezes de mordomo, foi abrir a porta e por ela entrou o cocheiro, desesperado.
Seu pai se assustou, perguntou:
—O que aconteceu, homem?
Porque está assim?
—Alguém atirou na gente, lá naquela rua que não tem nada, só árvores.
O senhor Antero morreu.
— Como? O que está dizendo?!
Quem fez isso?
—Não sei senhor, quando a menina Zuleica viu o marido todo ensanguentado, não me deixou procurar quem tinha atirado e, desesperada, pediu que eu fosse rápido para o hospital.
Os cavalos correram o mais que conseguiram, mas não adiantou, antes da gente chegar ao hospital, o senhor Antero morreu.
—Não pode ser!
Quem faria isso?
Nem ele nem eu temos inimigos!
Nunca tivemos!
—Também não sei.
Meu Deus do céu!
Zuleica, onde está?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:36 pm

—Ficou lá no hospital.
Não quis sair do lado do marido.
—Você, Fernanda -— continuou Nivaldo -— que estava em pé, sentiu o chão sumir sob seus pés, ficou branca como cera e desmaiou.
Aristides não entendeu aquele desmaio.
Afinal, sabia que aquilo aconteceria e julgou que você estivesse fingindo.
Chamou Zefinha, que veio com uma garrafa de vinagre e esfregou em seu rosto, mãos e pés.
Aos poucos, você foi recobrando a razão.
Ao perceber o que havia acontecido você começou a chorar desesperadamente.
Antero trocou de lugar com Zuleica, por isso morreu e você tinha sido a culpada.
Você queria que Zuleica morresse para ficar com Antero e quem morreu foi ele.
Como se diz, o feitiço virou contra o feiticeiro.
Seu pai, juntamente com Aristides e o cocheiro, foi até o hospital.
Quando chegaram, encontraram Zuleica, que chorava sem parar.
O enterro foi feito.
Zuleica entrou em uma depressão profunda.
Para ela, a vida tinha terminado com a morte de Antero.
Marilda e Marli ficaram ao lado dela e foram importantes, no sentindo de fazer com que ela se lembrasse que estava esperando um filho e que dedicasse sua vida a ele.
Com o tempo, Zuleica foi se acalmando e esperou, com ansiedade, o nascimento da criança.
Você se tornou triste e foi entendendo o terrível erro que cometeu; tornou-se uma pessoa amarga.
Não restou nada daquela menina bonita e feliz.
Aristides procurou se aproximar de Zuleica, mas ela não lhe deu chance.
Falava que, para ela, ele continuava sendo seu irmão.
Ao ouvir aquilo, ele foi para o quarto, chorando:
"Não adiantou nada o que fiz.
Ela nunca ficará ao meu lado.
Matei um homem e hoje sei que não devia ter feito.
Já que não poderei ficar com ela, prefiro morrer."
— Foi até a sala de armas de seu pai, Fernanda -— Nivaldo continuou -— pegou uma das garruchas, voltou para o quarto e atirou na cabeça.
Aristides morreu na hora.
Usando o seu direito de escolha, cometeu o maior dos erros, o suicídio.
Ninguém entendeu o motivo daquele acto desesperado.
Só você, Fernanda, sabia o que realmente havia acontecido, mas ficou calada.
Enquanto as cenas iam passando na tela e Nivaldo falava, Fernanda ia se encolhendo cada vez mais na poltrona.
Estava triste e envergonhada, não querendo acreditar nas imagens que via e no que ele falava.
Na tela, apareceu Zuleica dando à luz.
Todos corriam pela casa.
Zefinha, ajudada por outra escrava, atendia Zuleica.
Finalmente, a criança nasceu.
Fernanda estava do lado de fora do quarto, junto com o pai.
Quando ouviram o choro da criança, sorriram.
—Nasceu! Nasceu, é uma menina!
Zefinha saiu do quarto, dizendo isso feliz.
Seu pai, Fernanda, começou a chorar de alegria —- Nivaldo continuou falando.
—Você se afastou e foi para o seu quarto, onde também chorou, mas de revolta e ódio.
"Nasceu a filha dele e eu estou sozinha.
Zuleica, apesar de tudo, venceu!
Eu a odeio e não vou perdoá-la nunca por ter me tirado o homem a quem eu amava tanto."
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:37 pm

—Você, Fernanda, estava com tanto ódio e ciúmes da sua irmã, que não percebia que na realidade, você nunca o amou; apenas não suportou a ideia de que um homem bonito como ele não havia te notado e escolheu a sua irmã.
Apesar de saber que era e sempre seria mais bonita do que ela.
Tudo que fez foi movida por inveja e por ciúmes.
—Não posso acreditar Nivaldo!
— Agora Fernanda chorava desesperada.
— Eu não posso ter feito isso!
Não posso ter sido tão má!
Sou totalmente diferente!
Jamais faria!
—Não se culpe; apesar de toda a maldade que cometeu Deus nunca te abandonou.
Mas não terminou aí, muito ainda iria acontecer.
Com o nascimento da Tânia, a paz pareceu voltar àquela casa.
Zuleica, embora se dedicasse à filha, não deixava de pensar em Antero e foi ficando cada vez mais triste, apesar dos esforços da Marilda e da Marli.
Quando Tânia completou oito anos, Zuleica contraiu tuberculose e, apesar de todos os esforços, ela morreu.
Foi outro choque para seu pai.
Marilda e Marli sabiam que você não estava bem, pois ainda continuava triste e amarga.
Quiseram levar Tânia para viver com uma delas, mas seu pai não aceitou, ele amava muito aquela menina.
Tânia continuou com vocês, mas era uma menina triste.
Apesar do amor de seu pai, ele era um tanto calado e você não lhe dava a mínima atenção.
Só quem cuidava dela com amor era Zefinha.
Quando Tânia ia fazer quinze anos, seu pai também morreu.
A dor dela foi imensa, pois sabia que não teria mais ninguém para amá-la.
Você ficou cada dia mais amarga, e a maltratava cada vez mais.
Agora, você, Fernanda, sem o seu pai por perto, podia demonstrar o ódio que sentia por ela, por ser a filha do homem que julgou amar e da irmã a quem invejava e odiava.
Tânia, que várias vezes, em muitas vidas, praticou o suicídio, nessa também não resistiu ao apelo e, por falta de amor, carinho e protecção, também sucumbiu:
enforcou-se em uma árvore e outra vez desperdiçou uma encarnação.
Fernanda, no presente, olhou para Tânia, que chorava:
—Perdão, Tânia, por todo o sofrimento que te causei.
Perdão por não ter sido a tia que deveria ser.
Tânia levantou-se da poltrona em que estava sentada, aproximou-se de Fernanda, abraçaram-se e beijaram-se.
—Não tenho o que te perdoar Fernanda.
O erro foi todo meu.
Apesar de tudo, eu deveria ter lutado contra o meu desejo de suicídio.
O suicida sempre encontra um motivo para cometer esse erro.
Por isso lhe, disse que, ao voltar dessa vez, eu tinha a esperança em Deus, de não fracassar novamente, mas não consegui.
—Perdão, Tânia.
Se eu tivesse te ajudado, talvez você não tivesse feito isso.
—O "se" é relativo.
Aprendi que todos somos espíritos livres e, por isso mesmo, responsável por tudo que nos acontece.
—Fernanda -— continuou Nivaldo -— ela tem razão no que diz.
Geralmente, tudo que nos acontece na vida física ou espiritual é sempre de nossa responsabilidade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:37 pm

Cada um colhe o que planta, embora, se usássemos o perdão, que é o antídoto para todos os males, muito seria evitado.
Aqueles que foram prejudicados poderão exigir a justiça de Deus, e ela tem que ser cumprida.
Tânia foi, é e será responsável por sua vida.
Ela, só ela, poderá lutar contra suas fraquezas.
Aconteça o que acontecer, o suicídio nunca será solução, e sim um agravamento da pena.
—Estou começando a entender.
Mas o que aconteceu comigo?
Qual foi o meu merecido castigo, Nivaldo?
—Como já disse você se tornou cada vez mais amarga.
Com a morte da Tânia, piorou muito, isolou-se naquela casa e não queria receber ninguém.
Você ficou presa aos seus pensamentos e não conseguia tirar da memória o crime que havia praticado.
Suas irmãs tentaram te ajudar, mas você não permitiu.
Morreu com quase setenta anos, sozinha, sentindo que não havia construído coisa alguma na vida.
Não se casou, não teve filhos, não participou de nada perante a sociedade.
Apenas viveu e, infelizmente, perdeu uma encarnação, que é tão desejada por muitos.
Como todos nós já havíamos voltado e como não recebia visitas, levou algum tempo para ser encontrada.
Foi enterrada por estranhos.
Por pessoas que não conheciam a sua história e que se comoveram ao vê-la morrer sozinha e abandonada.
Enquanto Nivaldo falava, na tela aparecia o corpo de Fernanda jogado na cama, já em estado de putrefacção.
Logo depois, algumas pessoas, condoídas, levaram-na para que fosse enterrada.
Fernanda viu o momento em que seu espírito saiu do corpo e foi levado por Aristides que, apesar de estar um pouco diferente daquele que ela se lembrava, pôde reconhecê-lo.
Estava tão apavorada, que não conseguia falar.
Nivaldo continuou, enquanto as imagens apareciam na tela.
—Quando você morreu, Aristides estava à sua espera.
Nós, aqui no plano, não pudemos evitar.
Vocês estavam ligados pelo mesmo crime.
Aristides desapareceu com você.
Tentamos te encontrar, mas foi impossível.
Existem lugares em que nem mesmo nós podemos chegar sem que haja um motivo justo.
Você estava colhendo aquilo que havia plantado.
Escapou da justiça dos homens, pois a morte do Antero nunca foi solucionada, portanto você nunca respondeu por ela.
Mas da justiça de Deus não teria como escapar.
Ficou vagando por muito tempo, sofrendo tormentos jamais imaginados.
Via e revia Antero morto e o seu corpo putrificado.
Foi visitada por seres horrendos, que te apavoravam.
Tentava fugir, mas, por mais que quisesse, não conseguia.
Viveu em constante estado de terror.
Fernanda, embora envergonhada, assustada e sofrendo muito, conseguiu perguntar, gaguejando:
—O que aconteceu com Zuleica e Antero?
—Zuleica, quando chegou aqui, foi recebida por nós e tratada durante muito tempo.
Quando ela estava recuperada e sabendo que estava morta, perguntou por Antero.
Embora ele estivesse ao seu lado durante todo o tempo, ela não o havia visto.
Eles se encontraram e fizeram juras de amor.
Assim como aconteceu com você e acontece com todos, ela também quis saber o que havia acontecido com Antero, quem o havia matado e porquê.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:37 pm

Assim como está acontecendo hoje com você, ela foi trazida para esta mesma sala e assistiu a este mesmo filme.
—Não! Não fizeram isso! -— gritou Fernanda.
Ela deve ter me odiado, da mesma maneira que eu estou me odiando!
—Adiamos o máximo que pudemos, mas chegou uma hora em que teve que ser mostrado.
Realmente, assim como você, ela se revoltou e queria a qualquer custo fazer com que você fosse desmascarada, presa e condenada.
Antero, que já havia passado por todo esse mesmo processo, convenceu-a de que não valia à pena, que ela precisava perdoar e deixar que a justiça de Deus se encarregasse do resto.
Ela não se conformou, mas depois de muita conversa aceitou.
Quis procurar Aristides, mas não o encontraram.
Antero e Zuleica não queriam te procurar.
—Não podemos fazer isso —- disse Marilda.
—Ela é nossa irmã.
Não poderemos abandoná-la.
Precisamos pedir com fervor para que ela se arrependa e assim possamos ajudá-la.
—Podemos até fazer isso por Fernanda, Marilda, mas o que quero mesmo é encontrar Tânia.
Precisamos procurá-la.
Ela já sofreu muito, foi apenas uma vítima.
—Não, Zuleica -— disse Marilda -— ninguém é vítima.
Tânia foi para a Terra com uma missão.
Sabia que não poderia mais se matar.
Fracassou, não conseguimos evitar, ela teve que passar algum tempo no vale, não sabemos se o tempo já terminou.
Mas tem razão, precisamos encontrar uma maneira de ajudá-la.
—Daquele dia em diante, Fernanda, ficamos pedindo uma oportunidade de ajudar vocês duas e Aristides.
Mandávamos luzes, como aquela que você viu hoje.
Quando a luz saía daqui, era imensa, mas, ao atravessar a densa energia onde vocês estavam, chegava fraca.
Mesmo assim não desistimos.
Sabíamos que, na hora certa, a luz conseguiria atravessar a energia e chegar até vocês.
Estávamos um dia conversando, quando chegou até nós uma luz fraca.
Sabíamos que ela vinha de um de vocês, mas não sabíamos de quem.
Ficamos eufóricos, fomos conversar com Adriano, que é o responsável por todos os que estão nos diversos vales de sofrimento.
Ele se prontificou a nos acompanhar enquanto seguíamos a luz e, juntamente com alguns outros, também acostumados a andar por aqueles caminhos, acompanhamos aquela luz fraca.
Estávamos protegidos por uma corrente magnética.
Por causa dela não enxergávamos o que acontecia à nossa volta, só o caminho que deveríamos seguir.
Ouvimos os lamentos de dor, medo e sofrimento.
Depois de caminharmos com muita dificuldade, chegamos ao final da luz.
Lá, encontramos Tânia, que corria de um lado para outro, chorava e dizia:
—Mamãe! Onde a senhora está?
Estou com medo, preciso da senhora!
Venha me buscar, mamãe!
Porque a senhora me abandonou?
Venha me buscar!
—Todos nos emocionamos ao vermos aquela menina ali sozinha e chorando daquela maneira.
Zuleica foi a primeira que correu para ela, segurou-a e fez com que se sentasse, depois se sentou ao seu lado, segurou a sua cabeça e trouxe-a para junto de si.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 01, 2017 8:37 pm

Enquanto a beijava e abraçava, dizia, também chorando:
—Estou aqui, minha filha querida.
Perdão por ter te abandonado; eu te amo muito!
Eu e seu pai estamos aqui, viemos te buscar e nunca mais te abandonaremos.
—Tânia ouviu aquela voz e sentiu os abraços e beijos.
Abriu os olhos, nos viu a todos, principalmente Zuleica, a quem havia conhecido muito pouco, mas de quem nunca se esqueceu.
Não conseguiu falar, apenas sorriu e desmaiou.
Antero correu para ela, também a abraçou e pegou no colo.
Todos agradeceram a Deus por aquele momento.
Antero, com Tânia nos braços, Zuleica e todos nós, chorando e emocionados, tomamos o caminho de volta.
Finalmente a encontramos.
Agora, ela estava protegida de todo o mal -— explicou Nivaldo.
A tela se apagou.
Todos que estavam naquela sala choraram.
Muito mais Fernanda, por saber que ela havia sido a causadora de todo aquele sofrimento.
Ela não conseguia falar.
A dor, o sofrimento, a vergonha e o arrependimento que sentia eram imensos.
Permaneceu muito tempo de cabeça baixa, sem coragem de encará-los.
Até que Nivaldo disse:
—Fernanda, foi isso o que aconteceu.
Fernanda levantou os olhos, encarou um a um e disse:
—Estou profundamente envergonhada por tudo que fiz.
Não sei o que dizer ou fazer.
Devo ter sofrido um castigo, mas até agora eu não sei o que me aconteceu.
Mostraram a minha morte e o Aristides me levando embora; o que aconteceu depois?
A tela voltou a se iluminar.
Nela apareceram todos aqueles que haviam partido em busca da luz:
Antero trazia Tânia adormecida nos braços.
Zuleica, ao seu lado, chorava, mas não de desespero, e sim de felicidade e paz.
Levaram Tânia para um quarto, acomodaram-na em uma cama e todos ficaram ao seu lado, jogando sobre ela focos de luzes coloridas.
—Por vários meses, continuamos o tratamento.
Antero e Zuleica foram os que mais se dedicaram, até que, finalmente, Tânia começou a se recuperar e ficou totalmente curada.
Agora, ela já estava pronta para rever o que havia feito e planear o que faria em seguida.
Foi quando a nossa preocupação em relação a ela terminou.
Zuleica não se conformava em saber que você, Fernanda, poderia estar naquele lugar horrível, onde encontramos Tânia.
Tanto insistiu que começamos também a vibrar, orar e pedir muito para que, assim como aconteceu com Tânia, surgisse uma luz que nos conduzisse até você.
Passou muito tempo até que, finalmente, um foco brilhante de luz surgiu.
Não tínhamos certeza, mas desejávamos que aquela luz fosse à resposta que tanto esperávamos.
Novamente, com o auxílio de Adriano, seguimos a luz.
Como aconteceu com Tânia, a luz, ao penetrar nas trevas, tornou-se fraca, mas não desistimos até chegarmos ao ponto em que ela começava.
Enquanto Nivaldo falava, as imagens passavam na tela.
No final da luz, encontraram Fernanda, que chorava muito.
Por seus pensamentos, revia tudo que havia feito.
Via monstros que eram criados por sua própria mente.
Tentava se esconder, mas sem conseguir gritava desesperada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80450
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 9 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 8, 9, 10, 11  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum