A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Página 10 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... , 9, 10, 11  Seguinte

Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:25 pm

Ao vê-la naquela situação, nenhum deles conseguiu evitar se emocionar e de se condoer.
Zuleica, chorando muito, disse:
—Sei que Fernanda me fez muito mal, mas não consigo deixar de pensar que ela é minha irmã, e é aquela mesma que cresceu ao meu lado e a quem eu tanto amei.
Temos que encontrar uma maneira de ajudá-la.
Ela não pode continuar aqui.
—Foi para isso que viemos -— disse Nivaldo.
— No momento em que a luz chegou até nós, foi para nos dizer que o tempo havia terminado e que ela poderia ser resgatada.
Vamos levá-la connosco.
Ela terá novas oportunidades.
Aproximaram-se, mas Fernanda, assim que os viu chegando perto, apavorou-se ainda mais e começou a correr alucinada e gritando, julgando serem mais monstros que se aproximavam.
Zuleica tentou falar com ela:
—Fernanda sou eu, a Zuleica, viemos aqui para te levar para um lugar bom e feliz.
Fernanda, com o rosto coberto pelas mãos, olhou somente pelos vãos de seus dedos.
Aflita e gritando, não conseguia esconder o medo que estava sentindo:
—É mentira! Você não é Zuleica!
Está aqui para me levar para junto daqueles monstros horrendos!
Vá embora! Não se aproxime!
Sei que está querendo me enganar!
Vendo a reacção inesperada dela, todos pararam onde estavam.
Marilda se aproximou e, emocionada, disse:
—Fernanda sou eu, a Marilda.
Também estou aqui. Estamos todos.
Sei que está com razão de ter medo.
Sei que também sabe todo o mal que causou, mas o tempo de sofrimento terminou.
Sou sua irmã, aquela que sempre esteve ao seu lado e que sempre estará.
Nunca menti e não mentiria agora.
Com a graça de Deus, conseguimos te encontrar.
Venha, minha irmã, venha para os meus braços e sentirá o quanto te amo.
Fernanda deixou aparecer o outro lado do rosto -— Nivaldo continuou falando.
Estava envelhecida, com sombras pretas em volta dos olhos.
Não lembrava, nem de longe, aquela menina bonita que fora.
Marilda aproximou-se mais.
Bem devagar, segurou sua mão.
Aos poucos, foi subindo as mãos e tocando nos seus braços, até que, finalmente, te trouxe para junto do peito.
Emocionada, dizia:
—Fernanda, o momento de desespero passou.
Você esteve aqui por um longo tempo, pôde reflectir sobre tudo que fez.
Agora irá connosco, que te amamos, e ficará bem.
__Você começou a olhar um a um.
Baixava os olhos, talvez por vergonha, não sabemos, mas isso não nos importava.
Você estava ali ao alcance dos nossos braços e com um futuro, quem sabe, melhor pela frente.
Te trouxemos para cá, ficou sob os cuidados de Marli, Marilda e Zuleica por mais um longo tempo.
Fernanda olhou para eles com um sorriso de gratidão.
Sabia que, se estava ali, sentindo-se protegida, era porque de alguma maneira eles se preocuparam com ela e a amaram.
— Foi demorada a sua cura -— disse Marli, para que Fernanda não ficasse envergonhada - mas conseguimos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:25 pm

Finalmente todos estavam preparados para voltar.
— Por que desta vez também não deu certo, Nivaldo?
— Em uma reunião com todos os presentes e mais alguns amigos e nossos conselheiros ficaram decididos que nos reencontraríamos novamente.
Não mais na mesma família, pois, além de tudo que aconteceu cada um de nós teria que prosseguir com os nossos próprios resgates e a busca do conhecimento.
Zuleica e Antero decidiram que se encontrariam, casariam e seguiriam a vida, como teria sido antes de você os interromper.
Eu e Marli ficaríamos aqui, pois tínhamos um trabalho para fazer que nos tomaria muito tempo, mas mesmo assim procuraríamos ajudá-los nos momentos difíceis.
Marilda e Júlio demorariam um pouco para se encontrar, pois ela vivera uma vida submissa, sem reclamar nem lutar por aquilo que achava certo.
Desejava e precisava provar a si mesma que poderia vencer sozinha.
Júlio, apesar de ter tido uma encarnação relativamente boa, contraiu algumas dívidas que precisava resgatar.
Se casaria, teria dois filhos e só depois poderia ser feliz nos braços de Marilda.
Você, por ter feito tanto mal, pediu, para na próxima encarnação, viver sozinha, somente ajudando as pessoas.
Tânia, por ter sido um espírito que já havia praticado o suicídio muitas vezes, precisava de mais um bom tempo para se preparar e tentar, dessa vez, escapar a essa tentação.
Seria a neta de Antero e de Zuleica, onde teria muito amor e protecção, para não ter motivos de incorrer na mesma falha.
Outros, nossos amigos, iriam para ajudar; alguns como amigos, outros como inimigos, mas sempre com um único desejo:
o crescimento e aprimoramento de todos.
—Já que estava tudo bem planeado, porque não deu certo?
Perguntou Fernanda, curiosa.
—Quando estamos aqui, conhecemos as nossas falhas, sabemos o que precisamos fazer para resgatarmos e enriquecermos o nosso espírito.
Por isso escolhemos a maneira como viveremos no corpo físico, sabendo também que teremos de passar pelas mesmas situações nas quais falhamos e tentar vencê-las.
Aqui, nos propomos a fazer o melhor possível para que consigamos superar e vencer.
Sabemos que, se conseguirmos, teremos caminhado alguns passos.
Mas, ao chegarmos lá, o esquecimento nos é forçado, para que possamos realmente lutar contra essas mesmas falhas e vencer.
—Por que acontece o esquecimento? -— perguntou Fernanda.
— Seria muito mais fácil se todos se lembrassem.
Aí, sim, conseguiriam evitar cometer os mesmos fracassos.
—Mas não haveria mérito algum.
Além do mais, conhecendo o passado, ninguém suportaria viver e conviver na mesma família ou no mesmo círculo de amigos com outro alguém que lhes tivesse feito mal.
Desconhecendo o passado, há sempre uma melhor chance de reconciliação.
Mas, como eu dizia, ao chegarmos no plano físico com o esquecimento, quando as mesmas situações surgem, alguns conseguem superá-las, outros não.
Foi o que aconteceu com você, Fernanda.
Ao conhecer Antero, aquele amor doentio que julgava sentir por ele aflorou, quis conquistá-lo de qualquer maneira.
Primeiro tentou envolvê-lo com ternura e carinho, mas logo percebeu que não adiantava, pois ele só te queria como amiga.
Você, inconformada, foi tentando outras formas até conseguir ter com ele um romance e finalmente esperar um filho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:25 pm

Sabia que assim conseguiria tê-lo para sempre, pois ele já havia comentado sobre a rigidez com que fora criado e você sabia que o pai dele não permitiria que ele fugisse à responsabilidade.
Naquele momento, com aquela sua escolha, você mudou tudo que havia planeado aqui e nós também tivemos que mudar.
Você fez uma nova escolha.
—Embora tenha sido tão bem planeado, pode-se mudar?
—Não esqueça Fernanda, de que tudo é planeado quando estamos aqui, protegidos e sabendo das nossas reais necessidades.
Tudo é planeado da melhor maneira, para o aperfeiçoamento de todos.
Mas a resposta de cada um virá de acordo com o seu livre-arbítrio, que é o direito que Deus nos dá para decidirmos sobre a nossa vida física e espiritual.
Deus nunca quis impor o seu desejo, pois, se quisesse tudo seria perfeito.
Ele quis dar a cada um o direito de escolher o seu próprio caminho rumo à perfeição.
Jesus nos falou sobre isso, na parábola dos talentos.
A cada um daqueles três homens foi dada uma moeda e cada um deles fez com ela o que desejou.
Assim Deus age com todos:
Ele dá as mesmas oportunidades, não de riqueza ou poder, mas de aprender e caminhar.
Alguns caminham com maior rapidez, outros demoram um pouco, desviam-se.
Mas Deus sabe que, um dia, em algum momento, reencontrarão a luz.
Por aquela sua atitude, Fernanda, algumas coisas precisaram ser mudadas.
A Zefinha, que fora quem te criara e que te amava muito, prontificou-se a renascer como tua filha.
Ela não estava programada para renascer, mas, diante daquela situação, não quis te deixar sozinha.
—Porque isso não foi evitado?
—Em parte, a atitude do Antero também contribuiu para essa mudança de planos, pois, embora ele já tivesse encontrado Zuleica e já estivessem namorando, ele se deixou levar pela vaidade de ser amado por duas mulheres e também pela fortuna que sabia poder herdar de seus pais.
Ele aceitou sem discutir as exigências do pai e se casou com você, mas nunca deixou de amar Zuleica.
Com o seu casamento, ela se afastou, mas tornaram a se encontrar e a se envolver de uma forma definitiva.
Antero, seguindo a educação que havia recebido no lar, foi para você um bom marido e um óptimo pai, mas foi para Zuleica que ele dedicou todo o seu amor e com quem desejava ficar realmente.
—Ela soube o tempo todo que ele estava casado comigo!
Éramos amigas!
Quando comecei a sair com Antero, não sabia que eles estavam namorando!
—Se você tentar se lembrar, depois de seu casamento, ela ficou um bom tempo sem aparecer, foi morar no interior, para não sofrer vendo a sua felicidade.
Mas precisava trabalhar para ajudar seus pais e, no interior, não encontrou trabalho; teve que voltar para a Capital e candidatar-se a uma vaga que estava sendo oferecida em um jornal.
Assim que chegou para a entrevista, foi recebida pelo Antero.
Vocês já estavam casados há mais de dois anos.
O encontro deles foi definitivo.
Todo o amor que sentiam aflorou e não resistiram.
Começaram a ter um relacionamento, que durou todo esse tempo, durante o qual se amaram intensamente.
—Ela aceitou essa situação, a de ser amante?
—Ela o amava muito, aceitou e procurou não reclamar, pois ele sempre lhe dizia que, a qualquer momento, te deixaria e ficaria com ela para sempre.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:25 pm

—Se ela concordou com essa situação, porque mudou tão radicalmente a ponto de me matar?
—Aristides, durante o tempo todo em que ficou vagando e longe dos nossos olhos, se envolveu cada vez mais no mundo das trevas.
Em vão procuramos por ele e esperamos que a luz viesse nos indicar o seu paradeiro, mas ele não permitiu e, por sua vez, procurava por você e por Zuleica.
Dela, ele queria o amor e, de você, queria se vingar, pois agora sabia que você o havia usado e julgava que você fosse à causadora de todos os seus males.
Encontrou primeiro Zuleica e, através dela, você.
Assim, começou a instigá-la dizendo-lhe que só com sua morte ela poderia ser feliz ao lado de Antero.
Foi aos poucos a envolvendo, até que ela se deixou levar.
O ódio que começou a sentir por você foi incontrolável, até finalmente concretizar os desejos do Aristides.
—Está me dizendo que todos podem ser envolvidos dessa maneira e cometer um crime? -— perguntou Fernanda, intrigada.
—Todos podem ser envolvidos, mas depende de cada um resistir a uma influência negativa.
—Não entendi; como isso pode ser feito?
—Todos sabem, desde muito cedo, o que é certo e o que é errado.
Por isso, temos a oportunidade de escolher o nosso caminho e o que podemos ou não fazer.
Sempre que surge no nosso pensamento algo que vá contra aquilo que julgamos não ser o certo, devemos resistir.
Com certeza esse pensamento não é nosso, mas, sim, de algum espírito que está querendo nos usar.
—Ela não resistiu...
—Foi isso o que aconteceu.
Embora estivéssemos o tempo todo, enviando-lhe bons pensamentos e tentando de todas as formas fazer com que desistisse da ideia, Zuleica não aceitou e preferiu se deixar envolver pelo Aristides.
Ela cometeu o crime e por ele terá de responder.
Essa é uma das leis.
—Não se pode fazer nada para ajudá-la?
—Sim, claro que sim!
Estaremos sempre ao seu lado, mesmo enquanto ela estiver no vale do sofrimento.
Mas Zuleica terá que passar por lá para reflectir no que fez e, um dia, quando retornar para a vida física, terá uma nova oportunidade para se redimir.
Não se esqueça de que Deus é o nosso Pai e Criador e que nos ama muito, a todos, sem distinção, apesar das nossas falhas.
—Desejava muito ajudar a Zuleica, afinal fui à culpada de tudo, mas não sei como fazer.
—Deus nos dá todas as ferramentas de que precisamos para evoluir; uma delas é o perdão.
Muitas vezes dizemos que nunca vamos perdoar, quando, na realidade, somos nós que precisamos de perdão.
Por isso, ao invés de perdoarmos, temos que primeiro pedir o perdão para aqueles que conhecemos e também aos que desconhecemos.
Zuleica foi, sim, uma vítima, mas teve a oportunidade de perdoar e não o fez.
Terá que pagar pelo que fez, mas, com a graça de Deus, terá um dia uma nova oportunidade e, quando esse dia chegar, esperamos, em Deus, poder estar aqui para recebê-la com muito carinho.
—Que posso fazer agora?
— Somente agradecer a Deus a oportunidade que está tendo e se colocar à disposição Dele para se redimir de todo o seu passado.
Quebrar essa corrente de ódio que existe entre vocês e, o mais importante, confiar sempre na bondade e justiça de Deus.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:26 pm

Fernanda olhou para os outros, que, assim como ela, prestavam atenção em tudo que o Nivaldo falava.
Para eles também estava servindo de lição.
Ela estava envergonhada por tudo que havia feito, mas aprendeu que nada está perdido e que a qualquer momento podemos nos aproximar de Deus e Ele estará sempre de braços abertos para nos receber; apesar de tudo que tenhamos feito de certo ou errado, Ele será sempre aquele Pai carinhoso, que sempre nos dará novas oportunidades.
—Meus amigos -— disse Fernanda, tentando sorrir preciso agradecer a todos vocês tudo que fizeram para me ajudar, e lamento não ter correspondido.
Mas, da próxima vez, se Deus me der essa nova graça, prometo que farei o melhor que puder.
—Não se atormente -— disse Marli.
Todos estão na mesma classe da escola da espiritualidade e todos têm muito a aprender.
Não existe ninguém melhor ou pior, só espíritos caminhando para a luz.
Sabemos que algum dia a encontraremos, mesmo que para isso falte muito tempo.
Um dia chegaremos, pois somos todos filhos de um Deus amoroso que nos criou e nos deu o direito de escolhermos o nosso caminho.
Por isso, não precisa se envergonhar, apenas reconheça os pontos em que falhou e tente acertar da próxima vez.
Agora que já está tudo esclarecido, queria pedir para que me acompanhassem com uma prece em favor do meu irmão Aristides.
Eu sei que ele está perdido entre o amor doentio que sente por Zuleica e o ódio que sente por você, Fernanda, mas sei que, com a ajuda do nosso bom Deus, poderemos ajudá-lo e fazer com que retorne para o lado do bem.
Vendo todos concordarem, ela disse, com a voz emocionada:
—Senhor, meu Deus, que a todos ama e a todos dá sempre novas oportunidades.
Estamos aqui para pedir em favor do nosso irmão Aristides, pois sabemos que ele está perdido e andando por caminhos escuros e preso ainda a conceitos falsos.
Sabemos também que, se for da Sua vontade, ele poderá encontrar o caminho da luz.
Senhor permita que consigamos nos aproximar dele e, com o Seu amor, fazer com que reconheça seus erros e volte para os Seus braços.
Em Suas mãos, colocamos a nossa vida espiritual e a dele também.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:26 pm

A pior acusadora
Passou-se mais de um ano desde aquela conversa.
Fernanda pediu muitas vezes para retornar a terra, queria ver como estavam os seus.
Quando pedia para vê-los, respondiam-lhe que ainda não era hora.
Enquanto isso gastava o seu tempo entre muitos afazeres.
A maior parte do tempo passava ao lado de Octaviano pintando e o acompanhando nas suas tentativas de fazer com que os médiuns pintassem.
Ela ficou alegre ao perceber que aquela senhora que era tão insegura quanto sua mediunidade agora já pintava com facilidade e, com agilidade, ia misturando as cores, deixando-se levar.
Pela intuição de Octaviano, pintava belíssimas telas.
Ao terminar uma, Octaviano disse sorridente:
—Até que enfim, ela se entregou totalmente.
Daqui para frente será cada vez mais fácil.
—Estou impressionada, pensei que ela nunca conseguiria.
—Ainda hoje ela tem dúvidas, mas agora já não se preocupa tanto.
Sabe que nunca conseguiria ter tanta agilidade e pintar com tanta desenvoltura.
Só posso dizer que estou feliz, tornou mais fácil o meu trabalho.
—Pensar que todos os artistas são intuídos, sendo médiuns ou não, pertencendo a uma religião ou não.
Deus é mesmo fabuloso!
—É, sim, Fernanda, Ele nos ama a todos e não tem filhos predilectos.
Religião é só questão de escolha e predilecção, para Ele não tem a menor importância.
—Algumas pessoas não pensam assim, acham que Ele é injusto e que está distante delas.
—Você mesma já teve provas de que isso não é verdade.
—Tem razão.
Nunca pensei, quando estava na Terra, que havia feito tanto mal e prejudicado tantas pessoas.
—Você e quase todas as pessoas que estão encarnadas.
Mas agora continue a sua pintura.
Ela olhou para a sua tela, sorriu e continuou pintando.
Em uma tarde, ela estava pintando, quando Marli entrou afobada.
—Fernanda! Chegou à hora!
Recebemos uma luz e Adriano disse que ela veio com uma autorização para visitar Aristides!
Pode imaginar como estou me sentindo?
—Isso quer dizer que ele que pediu perdão?
— Não. Significa que chegou a hora de ele receber ajuda.
Quem sabe consigamos fazer com que reconheça suas falhas e possamos fazer com que volte!
Quer ir connosco?
—Claro que sim!
Sabe o quanto esperei por este momento!
Tenho e quero fazer todo o possível para ajudá-lo.
Preciso de alguma forma reparar o meu erro.
—Acredito que a sua chance chegou!
Venha, não temos muito tempo.
Precisamos nos preparar!
Adriano e sua equipe, além de Nivaldo e Tânia, irão nos acompanhar.
Estou tão feliz, que não consigo esconder a minha ansiedade. Vamos?
—Agora mesmo!
Octaviano, depois eu termino essa tela.
—Não se preocupe, ela estará aqui te esperando.
Vá visitar Aristides, que no momento é mais importante.
Ela e Marli saíram dali apressadas, pois sabiam que a preparação precisava ser feita com esmero.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:26 pm

Precisavam modificar suas energias para se aproximar de Aristides, pois, embora a luz tivesse chegado, sabiam que ele ainda permanecia na casa de Zuleica e sob uma energia carregada.
Encontraram-se com Adriano, sua equipe, Nivaldo e Tânia, que já as esperavam.
Quando todos estavam reunidos, colocaram-se em posição de oração.
Nivaldo, emocionado, fechou os olhos e disse:
—Senhor, meu pai, sei que neste momento está nos dando à oportunidade de resgatarmos o nosso irmão Aristides.
Que possamos Senhor, bem cumprir a nossa missão.
Sabemos que estaremos protegidos de todo o mal, pois o Seu amor é infinito e a Sua luz divina nos acompanhará.
Após a oração, deram-se as mãos e partiram.
Seguiram a luz, e em pouco tempo chegaram à casa de Zuleica.
Ela estava deitada sobre a cama e chorava, tendo ao seu lado Aristides, que não percebeu a presença deles.
Zuleica chorava muito, seus olhos estavam inchados.
Aristides lhe falava:
—Não adianta esperar, ele não vem mais, te esqueceu!
Agora, a sua única saída é se matar.
Assim, poderei te levar para viver ao meu lado para sempre!
Sempre te amei e continuarei amando!
Você é minha!
No momento em que matou Fernanda, se entregou a mim totalmente!
Da Fernanda já cuidamos, agora você precisa dar um fim no Antero!
Ele é um traidor e nunca te amou, sempre mentiu!
Ele dizia essas palavras rindo sem parar.
De seus olhos saíam faíscas vermelhas, que a atingiam completamente.
Zuleica tentava encontrar uma posição para seu corpo, mas não achava.
Estava desesperada, um pouco devido à influência de Aristides, mas muito mais por ter entendido que, mesmo com a morte de Fernanda, não havia conseguido fazer com que Antero ficasse ao seu lado.
Pior, parecia que o havia afastado ainda mais.
"Não posso continuar vivendo assim! -— chorava.
De que adianta!
Não tenho um minuto de paz!
Antero nunca mais veio até aqui, nem atende quando lhe telefono!
Preciso me encontrar com ele!
Tenho que fazer alguma coisa, mas não sei o quê!
Tentarei falar com ele; se não conseguir, terei de matá-lo..."
Fernanda, ao ver Zuleica naquela situação e, ao se lembrar de que tudo foi por sua culpa, começou a chorar em silêncio.
—Fernanda -— disse Marli -— você não é a culpada.
—Como não?
Sabe que eu os destruí!
Eu fui a culpada; se não tivesse me intrometido na vida deles, estariam casados e felizes!
Eu errei no passado e voltei a errar!
—Em parte, o que está dizendo é a verdade.
Mas não se esqueça de que, assim como você teve o direito de usar o seu livre-arbítrio, eles também tiveram o direito de usar o deles!
—Não estou entendendo!
—Antero poderia ter te repelido e ficado com Zuleica, pois já a havia encontrado e sabia que a amava.
Mas ele se deixou envolver pela ganância do dinheiro de seus pais.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:26 pm

—Mas eu sabia que o pai dele não permitiria que fugisse a um compromisso.
Por isso, o envolvi e consegui esperar um filho!
—O pai não permitiria, mas ele poderia ter evitado não se deixando envolver, mas ele não o fez.
—Zuleica cometeu um crime terrível por minha culpa, por eu ter interferido e feito com que todo o plano fosse mudado.
—Você realmente provocou essa mudança, mas mesmo assim ela poderia ter aceitado e continuado a sua vida.
No momento da mudança, outros caminhos surgiriam para ela.
Você teve, sim, a sua parcela de culpa, mas eles também tiveram a deles.
Por isso, todos terão que refazer os planos e, no futuro, tentarem novamente.
Por ora, só o que podemos fazer é tentar convencer Aristides de que a abandone e deixe que ela própria tome a decisão e direcção de suas acções e que faça as suas escolhas...
—Conseguiremos?
Ele parece tão enfurecido...
Não sei se conseguiremos, mas para Deus nada é impossível.
Se a luz chegou até nós, foi porque existe uma esperança.
Faremos tudo que estiver ao nosso alcance.
O que você tem a fazer é parar de chorar e se entregar à oração, pedindo que possamos ser intuídos nas palavras que usaremos e que possamos conseguir encaminhá-los de volta para a luz.
Fernanda entendeu.
Fechou os olhos e se colocou em oração para aqueles irmãos que um dia haviam feito parte de sua vida.
Zuleica, alheia a tudo que se passava à sua volta, pegou o telefone e discou o número do escritório de Antero.
Foi atendida por Luciana.
—Alô, Luciana!
É a Zuleica novamente.
Posso falar com o doutor Antero?
—Sinto muito, dona Zuleica, mas ele não está.
Saiu cedo para visitar as obras.
—Quando ele voltará?
—Não sei, ele não disse.
—Por favor, quando ele voltar, diga que telefonei.
—Farei isso, como tenho feito todos os dias.
Ele tem estado muito ocupado com a construção.
A senhora sabe que está na fase de acabamento e isso toma muito tempo dele.
—De qualquer maneira, por favor, dê o meu recado.
Desligou o telefone.
De seus olhos saiam faíscas de ódio.
—Não te disse que tudo acabou e que só tem um caminho para seguir?
Tem que matá-lo e depois se matar!
Não te resta outra coisa a fazer!
— Aristides ria enquanto dizia isso.
Como se o ouvisse, ela imediatamente pensou:
—Já sei o vou fazer!
Ele está me evitando, não me quer mais!
Vou matá-lo e depois me matarei!
Consegui praticar um crime perfeito.
Farei de novo.
Não tenho outro caminho, só esse!
Não sei viver sem ele...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:26 pm

Fernanda ouvia o que Zuleica dizia e seu coração se apertava cada vez mais.
Continuava em oração.
Nivaldo se fez notar por Aristides, que, ao vê-lo, se afastou um pouco de Zuleica:
— O que você está fazendo aqui? -— gritou Aristides.
Sabe que ela sempre foi minha!
Que a amei e continuarei amando para sempre!
Você não tem o direito de continuar aqui!
—Está havendo aqui uma pequena confusão.
Ela nunca te pertenceu e nem te pertencerá!
Ela é criação e filha de Deus, só a Ele ela pertence, a ninguém mais.
—Não venha com essa conversa de Deus.
Eu nunca o vi e sei que nunca o verei!
Não sei se Ele existe realmente, mas se existir não é um Deus amoroso como vocês pregam!
Se ele fosse, não permitiria tanta desigualdade!
Não permitiria que alguém como eu sofresse tanto por um amor não correspondido!
—Deus é misericordioso, tanto que nos deixa escolher o caminho que queremos seguir.
Você está preso à matéria, não sabe que já não está mais vivendo no corpo físico?
—Claro que sei!
O que acha que senti quando me matei, pensando que encontraria a paz, e, ao chegar aqui, perceber que tudo continuava igual e que a paz tão procurada não existia?
—A paz existe e ela é maravilhosa, só depende de cada um encontrá-la.
Mas ela nunca será encontrada através do suicídio.
Deus é tão misericordioso, que está te dando uma nova chance.
Está em suas mãos encontrar a paz tão procurada.
Estamos aqui para te ajudar, Aristides.
Enquanto Nivaldo dizia essas palavras, Aristides pôde ver os outros que estavam ali e os reconheceu.
Gritou furioso:
— Marli, você aqui novamente!
Já não disse que a sua presença não é bem-vinda?
—Disse meu irmão, mas não me conformo em te ver nessa situação, Aristides.
Viemos até aqui para te buscar.
—Que situação?!
Estou muito bem, ainda mais estando ao lado da Zuleica!
Não quero ir a lugar algum!
—Não está bem.
Você está tentando se enganar e sabe disso.
Sempre existe uma chance do arrependimento e de, assim, receber as graças de Deus, nosso Pai.
Ele está sempre disposto a nos receber, a qualquer momento.
Ele é paciente, Aristides.
—Como sabe disso?
Acha mesmo que, depois de tudo que fiz, Ele, se é que existe, ainda estaria disposto a me perdoar?
—Claro que sim.
Ele só quer a nossa felicidade.
Você pode se quiser, nos acompanhar e comprovará isso.
—Está mentindo!
Porque está fazendo isso?
—Não estou mentindo.
Sabe que sempre te amei como um irmão querido e que, durante a nossa vida, tentei muitas vezes fazer com que se conformasse e agradecesse a vida que o padrinho nos deu, depois que nossos pais morreram.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:27 pm

Mas você nunca quis me ouvir.
A sua revolta e o seu amor doentio pela Zuleica fizeram com que cometesse dois crimes:
primeiro matou Antero e, depois, tirou a sua própria vida.
Crimes esses que te lançaram neste vale das sombras, da dor e do desespero.
—Está querendo me convencer de que eu fui o culpado de ter perdido meus pais e ter sido obrigado a viver de favor na casa de estranhos?
Isso aconteceu!
A culpa não foi minha!
Foi desse Deus que vocês tanto adoram!
—Não foi Dele, foi sim uma escolha sua e minha.
Por isso nascemos como irmãos, mas isso não importa mais.
Estamos aqui para te mostrar a bondade de Deus e te levar de volta para casa.
Lá, saberá de tudo e encontrará a paz que tanto procura.
—Não posso ir!
Preciso ficar ao lado da Zuleica, quero-a ao meu lado e não a deixarei aqui!
—Você poderá, um dia, ficar ao lado de Zuleica, mas, se continuar influenciando os seus pensamentos, jamais terá essa chance.
Se ela cometer mais estes crimes, matar Antero e depois se matar, estará condenada por muito tempo e cada vez mais distante de você.
Ainda está em tempo, Aristides.
Fernanda também está aqui, ela hoje, já sabe tudo que aconteceu.
Ele olhou para Fernanda, que continuava de olhos fechados, orando e ouvindo o que eles diziam.
Assim que ouviu Marli se referir a ela, abriu os olhos e olhou para Aristides, que, ao vê-la, gritou raivoso e tentando atacá-la:
—Você está aqui?
Sua traidora!
Enganou-me, fez com que eu cometesse um crime!
Te odeio! Te odeio!
Sei disso -— Fernanda disse com lágrimas nos olhos— - e infelizmente você tem razão de me odiar.
Mas hoje sei o que fiz e quanto mal causei, não só a você ou a Zuleica, mas contra mim mesma.
Estou arrependida e pedindo a todo instante que Deus me perdoe e que me dê uma nova chance de resgatar todo o mal que causei.
Preciso pedir perdão a você e a Zuleica.
Sei que, se estão nessa situação, em muito a culpa foi minha...
—Em muito não! Em tudo!
Você nos enganou e traiu!
Agora vem com essas lágrimas de crocodilo pedindo perdão e acha que tudo vai ficar bem?
Que tudo que você fez acabou e que está tudo certo? Não está!
Se for verdade que existem outras vidas, eu te perseguirei para sempre e nunca te darei paz!
Você pode ter a protecção que tiver!
Eu te odeio!
Fernanda ficou sem saber o que dizer.
Nivaldo disse:
—Espere aí, Aristides!
Ela teve culpa, sim, mas você também teve a sua parcela e não foi pouca.
—Que culpa eu tive?
Ela me envolveu e mentiu!
—Foi isso que ela fez, mas você sempre soube o que era certo e errado.
Apesar de o certo ou errado serem discutíveis, pois na realidade sobre muitas coisas não sabemos o que é certo ou errado, com o passar do tempo, os conceitos mudam.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:27 pm

Mas sobre assassinato todos sabem que é errado, isso nunca mudou e nunca mudará.
Você sabia que era errado, mas mesmo assim cometeu um assassinato.
Você usou o seu livre-arbítrio e teve que responder por sua atitude.
—O que eu poderia ter feito?
Eu amava Zuleica e sempre fui prejudicado.
Desde minha infância, fui obrigado a viver de favor na casa de estranhos!
—Estranhos que te receberam e que te deram muito amor.
Você pôde estudar e se preparar para o futuro, mas nunca lhes agradeceu.
Você poderia ter sido enviado a um orfanato qualquer e ser apenas um número, criado sem amor e sem carinho, como acontece com muitos.
Você sempre foi egoísta e mal agradecido, por isso não soube aproveitar as oportunidades que Deus te deu e que você mesmo havia escolhido.
Quando Fernanda te propôs a morte de Antero, você poderia ter reagido e se negado a praticá-la; para isso tinha o seu livre-arbítrio e o conhecimento de que era errado.
Em vão, o plano espiritual tentou te demover daquela ideia.
Você não ouviu e se deixou levar.
Portanto, pode ver que a culpa não foi só dela, mas muito mais sua.
Agora, tudo isso não tem mais importância, você está prestes a cometer outro crime:
a morte de Antero e ver Zuleica se perder por muito tempo no vale do sofrimento.
Está em suas mãos não só o seu futuro, como o dela também.
Novamente, está tendo a oportunidade de usar o seu livre-arbítrio e só você poderá fazer isso.
Estamos aqui para te ajudar, para te levar de volta para o Pai, onde todo o seu passado será revelado e assim poderá decidir o seu futuro.
Aristides, embora não quisesse, ouviu tudo que Nivaldo lhe disse.
Em seguida olhou para Zuleica, que continuava se remoendo de ódio e deitada na cama.
Ele a amava muito e não queria ficar separado dela.
—Da maneira como você está falando -— disse olhando nos olhos de Nivaldo -— penso que, sim, eu tive a minha parcela de culpa, mas não posso deixar Zuleica.
Quero ficar ao seu lado para sempre.
Quero não, vou ficar!
—Poderá ficar ao lado dela enquanto ela estiver na mesma faixa de pensamento que o seu.
Quanto a isso, não temos o que fazer.
Mas, se realmente a ama e quer mesmo ajudá-la, evitar que ela se perca no vale do sofrimento, poderá fazê-lo.
—Como? O que preciso fazer?
—Deixar que ela mesma decida o que fazer.
Você pode ir embora com Marli e Tânia.
Elas te acompanharão e te darão toda a assistência de que precisa e verá como tudo ficará bem.
Sem sua influência, Zuleica, também, poderá exercer o seu livre arbítrio.
Está em suas mãos, chegou o momento da escolha.
—Não posso abandoná-la! Eu a amo!
Como posso ir para esse lugar que você diz ser bom sem saber o que vai acontecer com ela?
Como poderei ficar bem?
—Se você prometer ficar quieto, sem fazer coisa alguma, aconteça o que acontecer, você poderá ficar aqui e nos ajudar.
Aristides pensou por um momento; estava cansado.
Durante muito tempo, ficou vagando sem destino, sentiu sede, fome e a tristeza de não se encontrar com Zuleica.
Quando a encontrou, ficou ao seu lado.
Mas agora Nivaldo e os outros lhe mostraram que havia uma esperança.
Amava Zuleica e sabia que ela, assim como ele, ficaria vagando sem destino, sofrendo toda sorte de aflição.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:27 pm

Ele não queria que ela sofresse, amava-a muito.
—Está bem -— disse -— eu ficarei quieto.
Só quero dizer que, para onde ela for, eu irei também.
—Não sabemos como ela usará o livre-arbítrio.
Depende só dela o futuro que terá.
Quanto a você, é também livre para escolher.
Deus nos ama tanto, que não impõe coisa alguma.
Tem paciência, pois sabe que cedo ou tarde iremos para ele.
Aristides, embora sempre tentasse mostrar-se forte e poderoso, sabia que aquilo que Nivaldo dizia era a verdade.
Sabia que estava cansado de vagar e queria encontrar aquela paz oferecida.
O que sabia mesmo, e disso tinha convicção, era que o amor que sentia por Zuleica era verdadeiro, disse:
—Estou disposto a ficar calado e acatar tudo que está dizendo, só não quero que ela sofra.
—Infelizmente, não posso te prometer isso, pois sabe que, a cada um, será dado de acordo com as suas obras; cada um receberá de acordo com aquilo que escolheu e ela escolheu se entregar ao ódio.
Assim como todos, ela terá a chance de ser feliz, mas, antes, terá de aprender que o amor deve estar sempre presente e que ele significa entrega e doação.
Antes que Aristides dissesse algo, Zuleica começou a correr de um lado para outro dentro da casa.
Chorava e gritava sem parar.
Parecia estar alucinada.
—Eu quero morrer!
Não quero mais continuar nessa vida!
Estou cansada.
Antero não me quer mais e sem ele não sei viver!
Nivaldo e Marli aproximaram-se dela e, com passes de luz e energia, fizeram com que ela se acalmasse e parasse.
—Zuleica -— disse Nivaldo, estendendo os braços em sua direcção -— você, agora, precisa parar e pensar em tudo que fez.
Sabemos que, embora tenha sido vítima em outra vida, nesta tornou-se uma pessoa triste e magoada, o que permitiu que Aristides a envolvesse.
Embora essa aproximação tenha sido por amor, ele te influenciou e você permitiu.
Agora, tem sobre os seus ombros um crime...
Que não importam quais tenham sido os motivos, sempre será um crime, e por ele terá de responder.
Ela foi até a cama e se deitou.
Em seu pensamento começaram a surgir cenas do passado:
quando conheceu Antero e Fernanda; o amor que sentiu por ele e a amizade que sentiu por ela; depois, veio o casamento deles, a tristeza e a revolta que sentiu.
Aquelas cenas passavam por sua mente e ela chorou muito ao ver o corpo de Fernanda caído no chão da cozinha.
—O que foi que fiz?
Tirei a vida da Fernanda por ciúmes e quando não era mais necessário.
Antero já a havia abandonado!
Como tive coragem para fazer aquilo?
Eu não tenho perdão!
—Todos nós -— disse Nivaldo -— temos o perdão, Zuleica.
Para isso, basta apenas reconhecer e pedir.
Deus estará sempre de braços abertos para nos receber.
Zuleica não ouvia, mas sentia uma presença boa ao seu lado.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:27 pm

Ela precisava fazer alguma coisa para se redimir do que havia feito do crime que praticou.
Sabia que estava fora do alcance da justiça da Terra, pois muito tempo havia se passado desde a morte de Fernanda e nunca ela foi, sequer, mencionada.
Acreditaram que Fernanda havia se matado, por isso, nesse sentido, podia ficar tranquila.
"Sei que posso ficar tranquila, nada me atingirá, nunca ninguém descobrirá que fui eu, mas porque não estou?
Por que a imagem de Fernanda, deitada no chão da cozinha, não sai da minha cabeça?
Meu Deus, eu vou acabar louca!
Perdi Antero, matei a minha amiga, o que me resta mais para fazer?"
—Para que encontre a paz - disse Nivaldo -— terá que se entregar à policia, confessar, ser julgada e pagar pelo crime que cometeu.
Ela não ouviu, achou que aquele pensamento fosse seu, pensou um pouco e depois disse:
"Não posso me entregar, nem confessar!
Serei julgada e condenada!
Passarei o resto dos meus dias na prisão! Não! Não!"
Levantou e continuou andando de um lado para outro.
Não tinha lugar para ficar e os pensamentos não saíam de sua cabeça.
Nivaldo continuou falando:
—Zuleica, estamos aqui porque nos foi permitido vir para ajudar você e Aristides, como espíritos irmãos e amigos.
Estamos já há muito tempo preocupados com vocês, mas nada poderemos fazer a não ser te intuir para que faça o que é certo.
Sabemos que te custará muito, que será difícil, mas é o único caminho que tem para seguir, se desejar realmente encontrar a paz e a felicidade junto a Deus.
—Nivaldo -— disse Fernanda chorando -— eu sou a culpada de todo esse sofrimento.
Por duas encarnações eu interferi na vida dela e a prejudiquei.
Não é justo o que está acontecendo com ela.
Ela me matou, mas teve razão para fazer isso, eu merecia!
Eu a destruí e roubei a sua vida!
—Não diga isso!
Para o assassinato não há desculpa!
Você interferiu, sim, mas ela deveria reagir e aceitar.
Teve ajuda para isso.
Poderia ter se libertado e continuado a sua vida sem Antero e encontrar em outro alguém o amor.
Com a mudança dos planos, esse alguém lhe seria enviado.
Deus nunca abandona seus filhos, mas ela escolheu o caminho do ódio e do rancor.
Você, por suas faltas, se penitenciou; apesar de ter querido Antero a qualquer preço, viveu o resto do tempo uma vida recta.
Hoje, está arrependida de tudo que fez.
Zuleica terá que fazer o mesmo e novamente, todos juntos nos reuniremos e discutiremos como será a próxima encarnação.
Teremos a chance de nos encontrar novamente e tudo será reparado.
Por favor, hoje, agora, deixe de se lamentar e nos ajude com vibrações de amor e paz.
É só disso que ela está precisando e você também, Aristides!
Levante-se desse canto em que está sentado e nos ajude; a sua vibração de amor é muito importante neste momento.
Aristides, abatido, estava sentado em um canto do quarto.
Ele sabia que, apesar de amar Zuleica, havia sido parte importante nas atitudes dela.
Agora, vendo-a daquela maneira, arrependeu-se, e queria fazer tudo que pudesse para ajudá-la.
Levantou-se e, junto com os outros, começou a pedir a Deus por Zuleica e principalmente por ele mesmo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:28 pm

"Senhor, meu Deus, perdão por ter ficado tanto tempo longe da Sua presença, embora saiba agora que o Senhor nunca ficou longe da minha.
Sei que não mereço, pois por muitas vezes me revoltei com a vida que, hoje sei, fui eu mesmo quem escolheu.
Mas, meu pai, sou apenas um aprendiz que precisa de sua ajuda e de seu perdão.
Permita que Zuleica encontre o seu caminho para que possa se libertar e finalmente ser feliz, ao meu lado ou não.
Isso não tem mais importância, só quero o seu bem.
Eu sempre a amei.
Sei que por causa desse amor me destruí e a ela também."
Conforme ele pensava essas palavras, uma luz desceu sobre ele e o iluminou totalmente.
Ele se encantou ao mesmo tempo em que se assustou, disse:
—Que luz é essa?
—É a luz do perdão -— disse Nivaldo -— e da certeza que você está de volta ao seio do senhor!
Seja bem-vindo!
Agora, vamos ao trabalho.
Aristides não sabia se chorava ou ria.
A emoção que sentia não conseguia descrever.
Aproximou-se dos outros e, como eles, abriu suas mãos sobre Zuleica, que estava deitada.
De repente, ela sentou-se na cama com os olhos esbugalhados.
Todos acompanharam seus olhos e viram o que ela via:
o corpo de Fernanda, deitado na cozinha, começou a se levantar e a encarar Zuleica, dizendo com raiva:
—Você me matou!
Não vou te perdoar nunca!
Vai ter o castigo que merece!
Vou te atormentar até o seu último suspiro!
Zuleica ficou paralisada de medo ao ver aquela cena que estava só em sua mente.
Fernanda não entendeu o que estava acontecendo, perguntou assustada:
—Nivaldo, o que está acontecendo?
Eu não a estou atormentando.
Ao contrário, estou lhe enviando luz de amor e pedido de perdão.
—Ela, agora sem a influência de Aristides, está tomando conhecimento do que fez.
Mesmo que não saibamos, o nosso espírito fica feliz quando pratica algo de bom, pois sabe que caminhou um pouco, mas fica triste e revoltado quando percebe que com uma atitude errada pôde atrasar a sua caminhada em muito.
Ele se revolta e se faz presente; a isso, no corpo físico, se dá o nome de consciência.
Ela é a pior das acusadoras, e, dificilmente alguém consegue escapar.
A consciência vai atormentar Zuleica até que confesse o crime que cometeu e receba o julgamento que merece dos homens, pois ao de Deus nunca conseguirá escapar.
Vamos agradecer a Deus por sua consciência ter chegado com toda essa força.
Sinto que o momento da libertação está próximo.
Todos se colocaram em oração, somente observando Zuleica, que se levantou, foi até a cozinha, tentou tomar um pouco de água, mas não conseguiu.
Dentro do copo, via Fernanda lhe acusando, largou o copo.
Andou pela casa toda e voltou para o quarto.
Não tinha onde ficar.
A imagem de Fernanda não saía do seu pensamento.
Voltou para a cozinha, abriu a geladeira e tentou comer um pedaço de bolo, mas também não conseguiu; a imagem de Fernanda estava em todos os lugares.
"Não quero mais me lembrar daquele dia!" -— disse, chorando, desesperada.
"Já faz muito tempo!
Ninguém desconfia de mim!"
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 02, 2017 8:28 pm

Continuou andando.
Enxugou os olhos com as mãos.
"Preciso esquecer!
Não vou me entregar à policia!
Não posso fazer isso!
Não quero ser presa!”
Eles continuavam observando e enviando luz sobre ela.
Ela tentou dormir, não conseguiu.
Levantou, tomou um comprimido para relaxar e dormir, mas também não conseguiu.
Ficou assim por vários dias, até que, não suportando mais e sentindo-se fraca, pois não conseguia comer ou beber, resolveu:
"Minha vida está terminada.
Sei que cometi um crime e que, enquanto não me entregar, não terei paz.
Que Deus tenha compaixão de minha alma, pois sinto que padecerei no fogo do inferno para sempre.
Vou telefonar para a delegacia, contar tudo e depois me matarei.
Não suporto mais essa vida."
Nivaldo e os outros permaneceram ao lado dela durante todo o tempo e ouviram o que ela pensava.
Fernanda disse:
—Ela não pode se matar!
Se fizer isso estará perdida por muito tempo!
Precisamos evitar de qualquer maneira!
—Sabe que não podemos interferir.
Ela mesma terá que encontrar o seu caminho, só podemos continuar orando e pedindo a Deus que não a abandone nesse momento.
Todos sabiam que ele tinha razão.
Até Aristides se ajoelhou e, juntos, começaram a rezar.
"Preciso tomar coragem e telefonar para a polícia" -— Zuleica continuou pensando -— mas não sei se terei coragem.
Não quero ficar presa pelo resto da minha vida.
O que preciso, mesmo, é encontrar uma maneira de me matar sem sofrer muito."
Saiu para o quintal, começou a olhar tudo, procurando algo que pudesse lhe ajudar.
A sua ideia estava fixa na maneira de se matar.
Foi até o portão, olhou a rua, que naquele momento estava calma; apenas um casal se aproximava e parecia feliz:
"Minha vida, que hoje está sem sentido -— pensou ao vê-los— - poderia ter sido diferente.
Eu estaria assim como eles se não tivesse me prendido ao amor que sentia por Antero.
Poderia ter construído a minha vida de outra maneira.
Já ouvi dizer que tudo depende de escolhas.
Mas como saber quando a escolha é a certa?
Não entendo por que ele me abandonou.
Sempre acreditei em seu amor e nas mentiras que dizia.
Ele sempre me enganou, dizendo que ia abandonar Fernanda.
Mas hoje sei que sempre foi mentira.
Agora não me resta mais nada a fazer, a não ser me matar.
Pensando bem, não vou telefonar.
Vou deixar uma carta contando tudo que aconteceu... depois, vou tomar um vidro cheio de comprimidos”.
Morando sozinha, sem ter ninguém que me visite, quando me encontrarem já será tarde e eu estarei livre desta vida!
É isso mesmo que vou fazer.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:17 pm

Aristides, ao ouvir aquilo, começou a chorar.
—Meu Deus, sei que não mereço te pedir coisa alguma, pois sei que sou culpado, mas, por favor, não permita que ela cometa essa loucura.
Faça comigo o que quiser, mas ajude-a...
—Aristides - —disse Nivaldo -— posso entender o que está sentindo, mas agora não é hora.
Não existem culpados ou inocentes, somente espíritos caminhando.
Vamos continuar pedindo para que ela exerça com sabedoria o seu livre-arbítrio.
Voltaram a rezar com todo o amor e a fé que possuíam.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:17 pm

Instrumento de Deus
Luciana desligou o telefone e foi até a sala de Antero.
Bateu e entrou:
—Doutor Antero, a dona Zuleica voltou a telefonar.
Seguindo as suas instruções, disse que o senhor não estava que tinha saído para visitar a obra.
—Ela aceitou bem?
—Não, claro que não.
Ela disse que voltará a telefonar.
"Será que ela ainda não entendeu que não quero mais vê-la?" -— pensou nervoso.
"Que tudo entre nós terminou?
Que estou cansado de sua insistência?"
—Desculpe doutor, sei que o que vou dizer pode até provocar a minha demissão, mas sou mulher e conheço como as mulheres pensam.
Não sei o que houve entre o senhor e dona Zuleica, mas essa atitude de ficar se escondendo nunca deu certo e nunca dará.
Seria melhor que o senhor a atendesse e tivesse com ela uma conversa definitiva.
Ele olhou para ela entre admirado e furioso, disse:
O que está dizendo?
Quando foi que te dei essa confiança?
Ela só foi minha funcionária!
Quem te disse que tenho alguma coisa com ela?
Ela disse?
—Não, doutor, ela não disse.
Nem o senhor me deu liberdade para tanto, mas, como já disse, conheço os sentimentos das mulheres e sei o quanto sofrem quando são abandonadas.
A mulher pensa e encara as coisas, diferente dos homens.
Quando amam, se entregam totalmente.
Por isso, nunca pensam que possam ser abandonadas.
Esperam dos companheiros a mesma fidelidade e dedicação.
Acho que o senhor deveria conversar com ela.
Não adianta se esconder.
Isso não resolverá a sua situação.
—Saia daqui, por favor! -— Antero disse furioso.
Luciana saiu preocupada, pois sabia que havia se excedido.
Mas confiava em Deus e sabia que, se disse aquilo, não havia sido sem motivo.
Sentada em sua mesa, enquanto trabalhava, sentiu uma leve brisa bater em seu rosto.
Ela já conhecia aquele sinal, sabia que seu mentor estava ao seu lado.
"Não sei, meu Deus, o que me levou a dizer aquilo, mas sinto que era preciso.
Meu mentor está aqui ao meu lado, portanto fiz o que precisava.
Devo ter sido Seu instrumento."
Antero, em sua sala, pensava nas palavras de Luciana.
A princípio, ficou nervoso com o atrevimento dela, mas aos poucos foi reflectindo e decidiu:
"Ela tem razão, não posso mais protelar.
Preciso conversar com Zuleica; não sei o que vou lhe dizer, pois eu mesmo não sei o que me aconteceu.
Depois da morte de Fernanda, entendi que aquele amor que sentia pela Zuleica não era tão importante assim.
Só foi importante enquanto era proibido.
Fernanda me faz muita falta e, por isso, eu não consegui mais ficar ao lado da Zuleica.
Preciso tomar coragem e ir até lá.
Não posso tratar de um assunto como esse por telefone."
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:18 pm

Pegou o paletó; ao passar pela mesa de Luciana, disse:
—Se alguém me telefonar, diga que estou saindo e não sei a que horas voltarei.
Tenho um assunto urgente para resolver.
—Está bem, doutor -— ela disse, sorrindo -— não se preocupe e que Deus o acompanhe.
Ele não percebeu o sorriso dela, saiu.
Sabia que teria uma conversa que, embora dolorosa, era importante.
Zuleica estava sentada em uma cadeira, junto à mesa da cozinha.
Tinha diante de si um papel em branco e um vidro de compridos, que ela sabia ser um sonífero muito forte.
Era o mesmo que ela havia usado contra Fernanda.
Abriu o vidro, retirou os comprimidos, pegou um e colocou em uma colher, com outra o triturou.
Em seguida, jogou o pó que resultou da tritura sobre o papel.
Pegou outro e mais outro e fez exactamente o que tinha feito com os comprimidos que deu para Fernanda beber e que a mataram.
Depois que triturou os comprimidos que sabia ser suficiente, pegou uma caneta e, trémula, começou a escrever.

A quem possa interessar
Estou cometendo este acto terrível, pois não suporto mais viver com a minha culpa.
Matei Fernanda, minha amiga, usando o mesmo método que usarei agora contra mim.
Espero que todos me perdoem e peço a Deus que também me perdoe, embora eu saiba que isso será o mais difícil.

Zuleica

Depois de ler e reler o papel levantou-se.
Foi até a pia.
Pegou um copo, encheu de água e voltou a se sentar.
Colocou o pó dentro do copo e, com uma colherinha, começou a mexer.
Aristides e Fernanda, agora abraçados, choravam.
Nivaldo e os outros continuavam em oração e, de suas mãos, luzes continuavam caindo sobre Zuleica.
Ela mexeu o pó no copo por um bom tempo.
Sabia que precisava fazer aquilo e que não haveria outra solução.
Mas estava lhe faltando coragem.
De seus olhos, lágrimas começaram a cair.
Antero estacionou o carro em frente ao portão da casa de Zuleica e, como sempre fazia, tirou as chaves do bolso e entrou sem se anunciar.
Abriu a porta da sala e ela não estava.
Foi até a cozinha e viu que ela estava sentada de costas para ele.
Ela estava com os cotovelos sobre a mesa, com as mãos sobre a cabeça e chorava muito.
Ele ficou perturbado com a situação em que ela se encontrava.
Ela, envolta em seus pensamentos, não percebeu quando ele entrou.
Ele se aproximou devagar para não assustá-la.
Quando chegou perto, viu sobre a mesa o copo com aquela água esbranquiçada e o papel escrito.
Mesmo de longe, conseguiu ler o que estava escrito.
Disse desesperado:
—Zuleica! O que você fez?
O que está fazendo?
Ela se voltou, levantou e se abraçou a ele:
—Eu a matei!
Eu a matei! Matei Fernanda!
—Mas por que fez isso?
—Eu queria você só para mim!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:18 pm

Fui uma louca e estou arrependida!
Agora tenho que morrer!
—Eu sempre fui seu!
Eu abandonei Fernanda para ficar com você!
Que mais eu poderia fazer para que acreditasse?
—Depois que ela morreu, percebi que você foi se afastando aos poucos e quase não vinha me ver!
Matei-a por causa de seus problemas financeiros.
Eu pensava que, com a morte dela, você seria meu para sempre e que os problemas seriam resolvidos.
—Não precisava fazer isso!
Eu só me afastei porque o delegado estava desconfiando e eu não queria lhe dar a oportunidade de encontrar um motivo.
Quanto aos problemas financeiros, haveria uma maneira de superar!
Você não precisava ter feito isso!
Foi uma loucura!
—Hoje sei disso, mas naquele momento acreditava ser a única solução.
Perdoe-me, Antero!
Ele a soltou foi até a geladeira, colocou água em um copo e tomou.
Estava atónito e não sabia o que fazer ou dizer.
Nunca imaginou que aquilo poderia ter acontecido.
Ela tornou a sentar e ficou olhando para o copo com aquela água esbranquiçada.
Ele voltou e levantou, olhou bem em seus olhos, dizendo:
—Você não precisa se matar!
Já se passou muito tempo!
Ninguém conseguiu encontrar algo que te envolvesse, nem mesmo que provasse que Fernanda não se matou!
Eu não direi coisa alguma!
Você poderá recomeçar a sua vida!
—Você ficará comigo?
—Infelizmente não.
Já deve ter percebido que tentei me afastar definitivamente de você.
Aos poucos, fui percebendo que aquele amor que sentia não era tão forte assim.
Vim aqui hoje para te dizer isso, mas poderá continuar a sua vida mesmo sem a minha companhia!
Não pode se matar!
A sua vida vale muito!
Não pode jogá-la fora dessa maneira!
É preciosa!
—Para quem?
Nivaldo levou as mãos até a garganta de Antero, que disse:
—Para Deus! Sim, para Deus!
Ele é nosso pai e saberá perdoar!
Ele não nos abandona nunca!
Antero mesmo não entendia como e porque havia dito aquelas palavras.
Nunca havia sido muito católico ou pertencera a qualquer outra religião e, para dizer a verdade, nunca pensou muito em Deus.
Sempre se preocupou só em ganhar dinheiro.
—Deus? Você acredita mesmo que ele vai me perdoar? Nunca!
Como ele pode fazer isso, se eu mesma não me perdoo?
Nivaldo continuava com a mão na garganta de Antero.
— Ele pode e faz —- Antero disse, sob a influência de Nivaldo -— porque é um Pai amoroso e tem tanto amor, que nos dá a todo o momento a oportunidade de nos redimirmos.
Por esse mesmo amor, nos perdoa e nos dá sempre novas chances!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:19 pm

Ela o ouviu dizendo aquelas palavras e se admirou:
—Antero! Como você está dizendo isso?
Nunca te ouvi falar sobre essas coisas?
—Nem eu, mas não importa.
Sinto que são verdadeiras, sinto que elas vêm do meu coração!
Ela se afastou, foi para o quarto, pensou um pouco, depois voltou, dizendo:
—Você tem razão.
Acho que posso acreditar nesse amor de Deus.
Sinto que tudo que você disse é a verdade, mas, para que, eu mesma acredite nisso, preciso que me acompanhe até a delegacia.
Não posso ir sozinha.
—Até a delegacia?!
—Sim, preciso me entregar e confessar tudo.
Sinto que esse é o único caminho para conseguir o perdão de Deus.
Ele percebeu que Zuleica falava tranquila, que realmente tinha decidido e que nada faria com que mudasse de ideia.
—Tem certeza que é isso mesmo que quer fazer?
Sabe que não precisa, eu não contarei a ninguém.
—Sei o que estou fazendo.
Sei que cometi um crime e que não posso mais viver com ele.
Preciso pagar por aquilo que fiz.
Embora sinta que o meu crime não tenha perdão, vou tentar.
Antero sentiu-se impotente diante do olhar dela, disse:
—Se é isso o que quer te acompanharei.
Ela foi para o quarto, vestiu uma blusa, pois já estava entardecendo e o céu estava cinza.
Sabia que sentiria frio.
Saíram.
Nivaldo e os outros foram com eles até a delegacia.
Zuleica contou tudo ao delegado, que a ouviu em silêncio.
—A sua vinda até aqui -— ele disse quando ela terminou de falar —- vai pesar a seu favor, mas infelizmente preciso prendê-la e colocá-la à disposição da Justiça.
—É para isso que estou aqui.
—Zuleica -— disse Antero, abraçando-a -— sei que a culpa de tudo que te aconteceu foi minha, mas ficarei ao seu lado para sempre.
Não vou te abandonar...
—A culpa não foi sua, eu tomei a decisão e fiz.
Cumprirei a minha pena sem reclamar.
Sei que mereço.
O delegado chamou uma policial, e Zuleica foi levada para o interior da delegacia.
—Bem, doutor Antero —- disse, com ar preocupado - preciso comunicar ao delegado que cuidou da morte da sua mulher.
—Estarei esperando notícias de Zuleica.
—Fique tranquilo, será notificado de tudo que acontecer.
Antero despediu-se e foi para a rua.
Respirou fundo, seu coração estava apertado, mas sabia que aquilo era o melhor que Zuleica poderia fazer.
Entrou em seu carro e partiu.
Assim que ele partiu, Nivaldo disse:
—Agora podemos ir embora.
A nossa missão terminou.
Conseguimos evitar que ela se matasse e que, usando de seu livre-arbítrio, fizesse a coisa certa: resolveu se entregar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:19 pm

—O que acontecerá agora? -— perguntou Fernanda.
—Ela será julgada e condenada e terá de passar um bom tempo presa.
Na prisão terá muito tempo para reflectir sobre tudo que fez, e lembrar-se que Deus nunca nos abandona.
Ele dará novas oportunidades para que Zuleica faça alguma coisa de bom junto a tantas outras mulheres que estão presas.
Além do que, na maioria das vezes, essa prisão se deu por causa de um grande amor.
Zuleica, mesmo na prisão, estará sempre protegida.
—E na vida espiritual, o que lhe acontecerá?
—Isso depende só de você, Fernanda...
—De mim?! Como, por quê?!
—Você foi sua vítima.
—Fui nesta vida, mas na outra eu fui a culpada!
E nesta eu escolhi mal e modifiquei os planos de todos!
—Sim, hoje você sabe disso e vê dessa forma, mas, se estivesse no plano físico, não entenderia e teria muita dificuldade em perdoá-la.
Chegará o dia que, antes de se perdoar, pediremos perdão, pois nunca saberemos quem é o verdadeiro culpado.
Você poderá quebrar o elo de ódio.
Poderá ficar ao lado dela, dando-lhe carinho e amor.
—Posso ficar ao lado dela até que a pena se cumpra?
—Se quiser pode, a sua presença lhe fará muito bem.
—Eu -— disse Aristides -— quero ficar ao lado dela.
—Você não poderá, já que tem muito a entender.
Precisa fazer um tratamento que te ajudará a reflectir sobre tudo que aconteceu.
Terá que passar por nossas escolas.
Poderá vir visitá-la algumas vezes, mas ficar ao seu lado para sempre ainda não.
As suas energias estão muito pesadas, por isso a sua presença poderá fazer mal a ela.
Aristides não discutiu.
Queria descansar e sabia que estava tendo uma nova oportunidade.
Fernanda lembrou-se de Antero, sentiu que, agora, já não o enxergava mais com aquele amor doentio.
Mas, sim, como um companheiro de jornada.
—O que vai acontecer com Antero?
—Deus, Fernanda, tem um instrumento para nos ajudar a entender as nossas falhas, chama-se remorso.
O remorso fará com que Antero sempre saiba que, por sua ganância, desprezou um amor que sabia ser verdadeiro.
Ele sabe que é o responsável por sua morte e pela prisão da Zuleica.
Isso o acompanhará por todo o tempo em que permanecer no corpo físico.
—Até quando isso vai durar?
—Cada um retornará para a casa do Pai a seu tempo.
Assim que todos estiverem reunidos novamente, conversaremos, estudaremos e veremos onde falhamos.
Depois, juntos, planearemos, escolheremos e renasceremos torcendo que, da próxima vez, consigamos caminhar alguns passos.
—Nivaldo, pensei que a cada encarnação resgataríamos os nossos erros.
Com a Zuleica isso não aconteceu.
Ela foi traída e enganada na encarnação anterior e nesta o foi novamente, a ponto de cometer um crime.
Como na encarnação passada, nesta também eu fui a culpada.
Interferi na sua vida...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:20 pm

—Sim, você interferiu, mas ela se deixou levar pelo ódio, deixando-se envolver pelo Aristides.
Agora, na prisão, ela terá a oportunidade de ajudar outras presas e assim caminhar alguns passos.
Você entendeu o seu erro, por isso está aqui sob a nossa protecção.
Sempre voltamos melhor, pois, por pior que sejam as nossas escolhas, sempre caminharemos ao menos um passo e, para Deus, será o suficiente.
Ele confia na Sua criação e tem a eternidade toda para esperar.
Sabe que, cedo ou tarde, o encontraremos.
Bem, acho que já respondi a todas as dúvidas.
—Tenho uma que ainda está me atormentando.
—Qual é? Pode dizer Fernanda.
—Não sei, mas tive a impressão que sempre que existe um abandono a culpa é da pessoa que foi abandonada e por erros passados, em outra vida, e não daquela por quem foi abandonada.
Nivaldo começou a rir.
—Neste caso foi, sim, mas cada caso é um caso.
O que você não pode esquecer é que somos movidos por nossas escolhas.
—Quando poderemos saber se as nossas escolhas são as melhores? -— perguntou Fernanda, intrigada.
—Quando nos sentirmos bem e felizes com elas.
Se elas nos fizerem felizes, serão as certas.
Agora precisamos ir embora...
—Posso ficar aqui ao lado da Zuleica?
—Se quiser, pode, mas sabe que não pode interferir na escolha dela.
Só ela deverá ser a responsável, sem interferência.
—Não farei isso, pode ficar tranquilo.
Todos se despediram de Fernanda e partiram.
Ela foi até a cela onde Zuleica estava e disse baixinho em seu ouvido:
—Estou aqui e ficarei ao seu lado, enquanto me for permitido.
É o mínimo que posso fazer...
Zuleica não ouviu, mas sentiu-se muito bem e pensou:
“Finalmente estou em paz."
***
Assim que chegou a casa, Antero telefonou para Marilda, que estava feliz, pois, após reflectir muito sobre a sua vida, chegou à conclusão que estava na hora de se casar.
O seu casamento seria dali a vinte dias.
Em rápidas palavras, Antero contou tudo que havia acontecido com Zuleica.
Marilda ficou abismada:
—O que está me dizendo?
Foi a Zuleica?
— Sim, só fiquei sabendo hoje e a acompanhei até a delegacia, e lá ela contou tudo ao delegado.
—Não pode ser!
Por que ela faria isso?
Você já estava separado da Fernanda!
—Também não entendi.
Ela disse que não queria mais me dividir e que, ficou com medo que eu voltasse para casa e que enquanto Fernanda estivesse viva, sempre haveria esse risco.
Ficou com medo de me perder.
—Que loucura! Nunca imaginei que fosse ela!
Que Fernanda não tinha se matado eu tinha certeza, mas que tivesse sido Zuleica, isso nunca pensei.
Ela como está?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:20 pm

—Deixei-a na delegacia e terá que responder a um processo.
Certamente será condenada, pois confessou.
No entanto me pareceu bem, diria até que parecia estar em paz.
—Talvez isso esteja acontecendo por ela ter confessado.
—Acredito que sim, não sei.
—E você, como está?
—Estou arrasado, pois nunca pensei que a minha história terminaria assim.
Tinha toda a minha vida sob controle e, de repente, tudo mudou e fiquei sem nada, sozinho.
Perdi Fernanda e também Zuleica.
O pior é esta sensação de remorso, porque sei que foi somente por minha culpa que tudo aconteceu.
—Eu, por minha vez, estou feliz por finalmente ter a absoluta certeza que Fernanda não se matou e que, de acordo com aquilo que aprendi, deve estar em um bom lugar.
Quanto a você, não sei o que dizer.
Aprendi também que a culpa e o remorso são sentimentos que só nos fazem mal.
Por isso, acredito que você deva se aproximar de alguma religião, buscar Deus.
Ele, só ele, poderá te confortar neste momento.
—Vou fazer isso, sinto que será bom.
Agora vou desligar, preciso contratar um advogado para defender Zuleica.
Pensando bem, não quer pegar o caso?
Afinal, você é uma advogada.
—Desculpe, mas não pode ser não advogo na área criminal, mas posso te indicar um amigo meu.
—Gostaria muito.
Apesar de tudo, Zuleica sempre me amou e esteve ao meu lado durante todos esses anos.
Não vou abandoná-la agora.
—Anote o número do telefone dele.
Eu ainda não posso perdoar Zuleica.
Fernanda era minha amiga, e não merecia morrer.
—Também acho, até mais.
—Até mais, Antero.
Marilda desligou o telefone.
Fechou os olhos.
"Agora, sim, minha amiga, poderá descansar em paz.
Onde você estiver, receba um beijo e, de acordo com o que aprendi muita luz e paz. Seja feliz!”
Fernanda, que estava ao lado de Zuleica, viu a luz chegando e a envolvendo por inteiro, sorriu:
"Essa luz eu já conheço, é Marilda que está pensando em mim.
Já deve ter tomado conhecimento da verdade sobre a minha morte.
Obrigada, minha amiga, por sempre ter estado ao meu lado e nunca ter acreditado que eu havia praticado o suicídio."
Marilda telefonou para Júlio; após lhe contar tudo que Antero havia lhe dito, disse:
—Sei que você vai me condenar, Júlio, mas não consigo perdoar Zuleica nem Antero.
—Eu entendo o que está sentindo e que, agora, não perdoe, mas, com o tempo, tudo isso passará e você verá que o perdão é um dos sentimentos mais preciosos que temos.
Por agora, só deve agradecer a Deus por saber que sua amiga não se matou e deve estar feliz.
O resto deixe a cargo do tempo.
—Acho que você tem razão, farei isso.
—Eu estava pensando:
não quer ir jantar lá em casa?
Afinal, falta pouco tempo para o nosso casamento e a minha mãe ficará satisfeita em te receber.
—Irei, sim, adoro a sua mãe.
Ela me recebeu muito bem e as suas crianças, também.
—Sim, elas só querem a minha felicidade.
Agora preciso desligar, está na hora de eu atender a um paciente.
Depois te telefono. Um beijo.
—Outro para você.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:20 pm

Epílogo
Fernanda, junto com outras equipes, ficou ao lado das prisioneiras, ajudando-as com bons pensamentos e a certeza de que, um dia, sairiam dali e poderiam recomeçar as suas vidas.
Estava feliz ao ver que Zuleica, aos poucos, se entrosou bem.
Ela começou a dar aulas e ensinar àquelas que não sabiam ler.
De vez em quando, ela se lembrava da morte de Fernanda, chorava muito e pedia perdão.
Fernanda a abraçava com carinho:
—Zuleica, estou aqui ao seu lado e sei que não tenho que te perdoar.
Entendi que embora você tenha errado ao me matar, eu também errei muito.
Por isso, fique em paz e cumpra todo o tempo que terá que ficar aqui.
Um dia, quem sabe, encontre a felicidade que tanto procurou e que merece.
Embora Zuleica não a ouvisse ou visse, sentia-se muito bem e voltava para o seu trabalho, junto das outras detentas.
Fernanda, às vezes, ia ter com Octaviano.
Pintava algumas telas e o acompanhava nas suas idas até aquela casa espírita onde a senhora, agora, pintava com desenvoltura.
Estava junto com ele, terminando de pintar uma tela, quando Marli entrou afobada:
—Fernanda, conseguimos!
Você pode visitar os seus!
—Posso mesmo?
Ver a minha filha, o meu neto, Antero e Marilda também?
— Eu não sei se poderá ver a todos, mas poderemos conferir.
Você quer ir?
—Claro que sim!
É uma pena que não poderei lhes contar de como estou vivendo e o quanto estou feliz!
—Não poderá lhes contar, mas poderá abraçá-los e ver que eles também estão vivendo bem.
—Quando iremos?
—Agora mesmo.
Nivaldo está vindo para cá, ele vai nos acompanhar.
—E a Tânia? Ela vai também?
—Não, desta vez não.
—Por que não?
—Ela está envolvida em um trabalho importante, mas não se preocupe, em breve terá notícias dela.
Mas não vamos perder mais tempo, olhe Nivaldo chegando!
—Olá, Fernanda -— disse Nivaldo, aproximando-se -— vejo que está muito bem.
—Estou sim. Muito mais agora que Marli disse que poderei ir visitar os meus.
—Pode, sim.
Finalmente poderá realizar o seu desejo.
—Estou muito feliz, sabe que era o que eu mais ansiava.
—Então, vamos?
Nivaldo e Marli pegaram um de cada lado nas mãos de Fernanda e desapareceram.
Chegaram a uma igreja que estava toda enfeitada por muitas flores.
No altar, um padre rezava uma missa e, para sua surpresa, Fernanda viu Marilda ajoelhada, acompanhada por Júlio, que ela conhecera na encarnação anterior, mas que nesta não havia conhecido.
Curiosa, perguntou:
—O que está acontecendo aqui?!
Marilda não está vestida de noiva, mas parece que está se casando!
—Está sim -— disse Marli, sorrindo.
—Não pode ser Marli!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Dez 03, 2017 8:20 pm

Ela sempre disse que nunca se casaria!
Que gostava de viver sozinha!
—Dizia isso porque não havia encontrado o homem da sua vida.
Agora encontrou.
—Meu Deus do céu!
Que homem é esse?
Ele é lindo!
—Você não o está reconhecendo, mas é Júlio.
Finalmente se encontraram novamente e, agora sim, serão felizes, pois se amam há muito tempo.
—Estou feliz por ela e não poderia mesmo faltar em uma ocasião como esta nem poderia deixar de ser a sua madrinha.
Posso ficar ao lado dela?
Marli, que também estava feliz, sorriu, respondendo:
—Claro que pode, foi para isso que te trouxemos.
Fernanda passou as mãos pelos cabelos e roupas para ajeitá-los e, sorrindo, se colocou ao lado de Marilda, que, sem saber por que, naquele momento pensou:
"Fernanda, minha amiga, é uma pena que não esteja aqui para ver a minha felicidade, mas sei que, onde estiver, estará bem e feliz também".
A cerimónia terminou.
As pessoas levantaram-se e dirigiram-se para fora da igreja para cumprimentarem os noivos.
Em seguida foram para um salão de festas.
Regiane, a filha de Fernanda, também estava lá.
Aproximou-se de Marilda no exacto momento em que Fernanda também se aproximava.
Ao vê-la, Marilda abriu os braços e a abraçou, dizendo:
—Regiane! Que bom que veio!
—Não poderia deixar de vir, sempre te considerei como se fosse uma tia.
Estou feliz por você estar casando, embora todos saibam que você nunca pensou que um dia isso aconteceria.
—Tem razão.
Mas cheguei à conclusão de que não sabemos nada desta vida.
—É isso mesmo!
A minha mãe, de onde estiver, deve estar muito feliz.
Ela gostava muito de você, Marilda.
—Sei disso. Também estou feliz por ela, pois hoje sabemos que não praticou o suicídio, mas, neste momento, sinto a sua falta.
Gostaria muito que ela estivesse aqui...
—Também sinto muito a sua falta, ainda mais hoje, depois de ter tido uma óptima notícia.
—Que notícia, Regiane?
—Hoje, pela manhã, recebi o resultado de um exame, estou grávida novamente!
—Que bom! Esperamos que agora seja uma menina, pois um lindo menino você já tem!
—Gostaria também que fosse uma menina, mas Deus é quem sabe.
Qualquer um será bem-vindo.
É você tem razão, mas o importante é que essa criança vai nascer; menino ou menina, não importa, será bem-vinda.
—Tem razão, Regiane, mas é uma pena mesmo que Fernanda não esteja aqui, ela ficaria muito feliz!
Não se preocupe de acordo com que aprendi, ela já deve saber.
Fernanda, que a tudo ouvia, olhou para Marli, surpresa:
—Você me disse que a Tânia seria minha neta, Marli!
Só não disse que seria agora!
—Disse e é verdade.
Tânia, agora, está pronta para renascer.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 10 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... , 9, 10, 11  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum