A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Página 2 de 11 Anterior  1, 2, 3, ... 9, 10, 11  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 18, 2017 8:31 pm

Da maneira como ele nos recebeu, não acredito ser boa hora para se dizer qualquer coisa.
Vamos embora, conversaremos e encontraremos um outro caminho. Vamos!
Estava terminando de dizer isso, quando Antero entrou na sala.
Trazia em suas mãos algumas folhas que queria mostrar para Marilda.
Ainda ignorando a presença de Fernanda, estendeu as folhas sobre a mesa e disse sorrindo:
— Olhe, Marilda, como o prédio é bonito e os apartamentos são espaçosos!
Olhe que área verde!
Marilda não sabia o que fazer, não estava se sentindo bem com aquela situação, queria sair correndo, mas apenas sorriu e fingiu olhar para as folhas.
Ele, ainda ignorando Fernanda, começou falar sem parar sobre os apartamentos.
Fernanda não suportou mais, levantou-se e, tentando manter a calma, disse com a voz pausada:
—Antero, não sei por que você está me tratando assim, mas não viemos aqui para comprar apartamento algum.
Talvez você não tenha notado, mas hoje me arrumei toda e viemos aqui te convidar para sairmos, jantarmos e conversarmos sobre tudo que aconteceu ontem.
Antero voltou-se para ela como se só a estivesse vendo naquele momento.
Dobrando as folhas, disse:
— Notei, sim, e quero te dizer que está muito bonita, mas não temos mais o que conversar.
Ontem tomei uma decisão que venho adiando há muito tempo.
Não posso mais viver ao seu lado.
Nossa filha está criada, casada e bem.
Meu pai morreu, e agora posso viver a minha vida da maneira como sempre quis.
— Não estou te entendendo, você precisa me explicar.
Acredito que tenho esse direito.
Eu, como fico?
— Não quero nem posso te explicar nada.
Você ficará muito bem, continuará na nossa casa, com o seu carro, e te darei uma pensão com a qual poderá viver, tranquilamente, pelo resto da sua vida, sem ter que se preocupar com nada.
Lágrimas começaram a descer pelo rosto de Fernanda.
Ela estava desconhecendo aquele homem que estava à sua frente.
Não sabe o que está dizendo!
Não estou preocupada com a parte financeira.
Sabe muito bem que tudo que tem hoje é meu, pois tudo foi construído com o dinheiro dos meus pais!
Estou preocupada com o nosso casamento, com a nossa família e com você! -— disse soluçando.
Todo o dinheiro que um dia me deu, multipliquei várias vezes, mas mesmo assim vou devolver com juros e correcção monetária.
Quanto à nossa família, está tudo bem.
O nosso casamento nunca deveria ter acontecido.
Nunca fui feliz ao seu lado, sempre quis outra vida e agora vou conseguir tê-la.
Não se preocupe, não deixarei que lhe falte nada.
Procure encontrar um outro alguém e seja feliz.
Marilda, assim como Fernanda, estava sem saber o que dizer ou fazer.
Ele, embora nervoso, disse aquelas palavras com uma tranquilidade impressionante.
Você não sabe o que está dizendo! -— disse Fernanda, muito nervosa.
Nada está bem!
Tudo está se desmoronando a nossa volta.
Não quero encontrar um outro alguém!
Sempre fui feliz ao seu lado!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 18, 2017 8:31 pm

Não sei por que está dizendo tudo isso!
Deve estar doente e precisando passar por um psiquiatra!
Não estou louco, apenas decidi viver a minha vida da maneira que sempre quis e você deve viver a sua.
Está me abandonando por causa da sua secretária?
Não vê que ela poderia ser sua filha?
Que ela só te quer por causa do seu dinheiro?
Se você fosse pobre, ela nem te olharia!
Não sabe o que está dizendo, não tenho nada com a minha secretária -— ele disse, sem alterar a voz.
— Ela apenas trabalha aqui.
Nada além disso!
Não foi por ela, apenas quero viver a minha vida!
Agora, por favor, volte para casa, procure reconstruir a sua vida e ser feliz.
Está querendo que eu acredite que não existe outra?
Como pode ser isso?
Se não houvesse outra, jamais me abandonaria!
Tem que existir!
Pense o que quiser, mas, por favor, vá embora.
Preciso ir a uma reunião com alguns fornecedores...
Para espanto de Marilda, Fernanda deu a volta ao redor da mesa, abraçou Antero e disse chorando copiosamente:
— Você não pode me abandonar!
Por favor, não faça isso!
Não sei o que será da minha vida sem você!
Volte para casa!
Eu farei tudo que você quiser, mas não me abandone!
Antero, com força, afastou Fernanda, dizendo:
— Não faça isso! Terminou!
Não quero mais viver ao seu lado!
Quero viver a minha vida!
Quantas vezes precisarei te dizer isso?
Volte para casa e procure viver a sua vida também!
Não suporto mais a sua companhia!
— O que eu te fiz? -— disse, chorando.
Sempre procurei ser a melhor esposa deste mundo!
Sempre me dediquei a você e a nossa filha!
Você precisa me dizer o que foi!
— Você não fez nada! -— ele disse, muito nervoso.
Esse foi o motivo! Não cresceu!
Foi a melhor dona de casa que conheci, mas como minha mulher foi um desastre!
Sua casa sempre esteve muito limpa, mas para isso você escravizou a mim e à nossa filha!
Não tínhamos liberdade para nada!
Não podíamos sentar no seu sofá sem colocarmos um cobertor ou qualquer coisa, pois ele não poderia sujar!
Ela não podia brincar, pois sujaria a casa!
Essa sua mania de limpeza sempre me fez muito mal, tentei te alertar muitas vezes, mas você fez questão de ignorar!
— Sempre quis manter a casa limpa para vocês, para evitar doenças por germes!
Mas se esse foi o motivo, prometo que mudarei!
Não ligarei mais para a limpeza!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 18, 2017 8:32 pm

— Esse foi um dos motivos, mas sabe muito bem que eu não queria me casar.
Você arrumou um filho e eu fui obrigado por meu pai a te assumir!
Eu nunca quis me casar!
Mesmo assim, mantive nosso casamento por eles.
Mas hoje ela não precisa mais da minha presença e ele morreu!
Minha obrigação com você terminou!
— E eu, como fico?
— Vai continuar cuidando da sua casa e da sua vida!
Fernanda chorava desesperada.
Marilda estava constrangida com aquela cena.
Penalizada e ao mesmo tempo com raiva da atitude da amiga, percebeu que Antero não mudaria de ideia:
— Fernanda - disse nervosa , vamos embora.
Vocês estão muito nervosos.
Deixe essa conversa para outro dia.
— Não posso ir embora!
Eu não quero que ele me abandone!
Preciso dele!
— Não adianta insistir, tomei a minha decisão e nada neste mundo fará com que eu mude de ideia.
Marilda, desculpe-me por esta cena, mas não tenho mais condições de viver ao lado dela.
Marilda não olhou, nem respondeu, estava com raiva dos dois.
Deu a volta na mesa, segurou no braço de Fernanda:
— Fernanda, vamos embora!
Não tem mais nada para fazer aqui!
Tudo que poderia fazer já o fez!
Fernanda olhou-a, sem conseguir conter as lágrimas.
Em silêncio, acompanhou-a.
Passaram pela recepção.
Luciana, ao perceber que Fernanda chorava muito, disse:
— Tudo bem com a senhora?
Aconteceu alguma coisa?
Fernanda não respondeu.
Marilda, olhando para ela com muita raiva, respondeu:
— Não aconteceu nada que seja da sua conta! Boa tarde!
Segurando Fernanda pelo braço, empurrou-a para dentro do elevador e já na garagem a colocou dentro do carro.
Deu a partida, acelerou e saíram rápido.
Na rua, Fernanda continuava chorando copiosamente.
Marilda estava sem saber o que fazer.
Entendia a situação da amiga, mas, ao mesmo tempo, assim como ela, não entendia a atitude de Antero e como ele pôde ser tão cruel.
Não sabia o que dizer.
Continuou dirigindo em direcção à casa de Fernanda.
"O que será dela agora?"
Marilda pensava, enquanto dirigia. —
"Nunca imaginei que o seu casamento fosse só de aparência, ao menos por parte de Antero.
Ele sempre me pareceu tão tranquilo e feliz.
O que será que aconteceu na realidade?
Não posso acreditar que o motivo tenha sido aquele por ele alegado.
Deve existir um outro, mas qual?"
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 18, 2017 8:32 pm

Fernanda -, disse preocupada - não adianta você ficar assim.
Isso não vai resolver... precisa reagir...
Estou tentando me controlar, mas não consigo!
Você viu o que ele disse?
Viu das coisas que me acusou?
Me condenou por eu ter sido uma boa mãe, esposa e por querer a minha casa sempre em ordem!
Pode uma coisa dessa?
Tudo isso para mim foi sempre motivo de orgulho!
O que ele queria?
Chegar em casa e estar tudo desarrumado, a minha filha abandonada?
Não consigo entender!
Não pode ter sido esse o motivo!
Tem que ter outro!
Você tem razão, mas nem sempre aquilo que julgamos ser o correto na realidade o é.
Talvez ele quisesse um pouco mais de liberdade dentro de casa.
Ele tinha toda a liberdade do mundo.
Só me incomodava quando ele se deitava no sofá da sala e queria comer.
Eu dizia que lugar dessas coisas era na copa.
Nunca imaginei que isso o estava desagradando.
No início ele reclamou, mas depois não tocou mais no assunto!
Você acha que fui tão errada para que ele me abandonasse?
— Não sei o que responder, como você sempre diz, nunca tive marido ou filhos, sempre vivi sozinha.
Fernanda pareceu não ouvir a resposta e continuou:
— Dizer que eu arrumei um filho só para forçar um casamento, foi ridículo!
É verdade que eu sabia que ele não queria se casar, mas não arrumei um filho, simplesmente aconteceu.
Não fiz a Regiane sozinha!
— Por que você não se protegeu?
— Eu tinha vinte anos!
Não tinha cabeça para isso.
Na realidade, eu sempre tive tudo.
Por ser filha única, meus pais sempre me deram tudo, inclusive muito dinheiro.
Ele esqueceu de dizer que o nosso casamento para ele foi um bom negócio, pois seus pais estavam falidos e ele, talvez, nem conseguisse terminar a faculdade.
Disso, convenientemente, ele se esqueceu!
Não se lembra mais!
— Não sei o que dizer, mas vamos para sua casa, lá terá tempo para pensar com mais calma.
— Para minha casa?! Nem pensar!
Passei o dia todo me arrumando, não vou para casa!
Quero ir a um lugar onde possamos jantar, dançar e, quem sabe, conhecer algum homem.
Marilda estacionou o carro junto à calçada, disse indignada:
— Não ouvi isso que você disse.
Não está realmente pretendendo arrumar um homem!
— Claro que estou!
Você não viu a secretária dele?
Não viu que ele me trocou por ela?
— Eu vi a secretária, sim, ela realmente é muito bonita, mas não tem certeza de que ela tenha sido o motivo.
— Claro que foi ela!
Por isso hoje vou dançar e encontrar um homem.
É impossível que eu não encontre um que não me rejeite.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 18, 2017 8:32 pm

Você vai comigo!
Eu?! Sinto muito, Fernanda, mas não gosto de frequentar esses lugares onde há dança.
Não me sinto bem.
Você sempre foi assim!
Por isso não arrumou um marido até hoje!
Não posso ir sozinha, você tem que ir comigo!
Está com medo do quê?
Não estou com medo de coisa alguma.
Só acho que essa não seja uma boa ideia.
Quanto a não ter arrumado nenhum marido, você sempre foi minha amiga e sabe que muitos apareceram, mas não encontrei em nenhum deles a segurança para entregar a minha vida e a minha felicidade.
Confesso que, embora você possa não acreditar, não sinto falta alguma.
Tenho a minha carreira e a minha liberdade e isso, minha amiga, não tem preço.
Desculpe, sem querer eu te ofendi novamente, mas você precisa me perdoar.
Está vendo que estou transtornada!
Não estou sabendo o que dizer ou fazer...
Não tenho o que te desculpar.
Entendo a sua situação.
Você colocou a sua vida e a sua felicidade nas mãos do Antero, esqueceu que as únicas responsáveis por isso somos nós mesmas.
A nossa felicidade só será completa quando tivermos o seu domínio em nossas mãos.
Sei que está perdida.
Admito que na sua situação eu também estaria, mas arrumar um homem, da maneira como está, continuo dizendo que não é uma boa ideia.
Talvez não seja, mas é a única alternativa que estou vendo.
Preciso me sentir amada e desejada, seja por quem for!
Estou me sentindo muito mal, a mulher mais feia e asquerosa deste mundo!
Você sabe que isso não é verdade.
Você é uma mulher bonita, inteligente e educada; se isso lhe faz tanta falta, com certeza encontrará alguém que te ame do modo como quer e merece.
Só precisa ter um pouco de calma, pensar em como recomeçar a sua vida sem ele.
Não tome nenhuma atitude agora.
Fernanda ficou novamente furiosa.
Disse, gritando:
Você ainda não entendeu?
Não existe vida sem ele!
Se eu não o reconquistar, com certeza encontrarei uma maneira de acabar com esta vida que não tem mais sentido!
-Você está ouvindo o que está dizendo?
Pensar em acabar com a vida por causa de um homem?
Você não está raciocinando direito!
Tudo isso vai passar e você se reencontrará.
Vamos para sua casa.
Vou tomar um café e você, um comprimido.
Depois vai dormir e amanhã será outro dia, com novas ideias.
Além do mais, do jeito que está o seu rosto, não poderemos ir a lugar algum.
O que tem o meu rosto?
Com todas essas lágrimas -— Marilda disse, rindo — a sua maquiagem borrou toda, seus olhos estão pretos, parece que levou um soco!
Fernanda tirou da bolsa um pequeno espelho e se olhou.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:15 pm

— Está bem -— disse —- você tem razão, vamos fazer isso.
Vamos para minha casa.
Chegaram em casa.
Fernanda ainda estava chorando.
Não conseguia entender nem aceitar que Antero a havia abandonado.
Marilda observava a amiga, sabia que precisava animá-la, mas como?
Entraram, Fernanda foi para o banheiro.
Marilda permaneceu na sala, olhando tudo à sua volta.
A sala era ampla, muito bem decorada cada coisa estava colocada em seu lugar.
Tudo com muito bom gosto.
Sabia que Fernanda havia contratado uma decoradora para projectar todos os cómodos da casa.
Lembrou-se do dia em que, com uma festa, a casa foi aberta para os amigos e da felicidade de Fernanda, que dizia orgulhosa:
"— Marilda, a minha casa não está linda?!"
"— Está sim, você tem muito bom gosto."
Marilda estava ainda olhando e pensando, quando Fernanda regressou.
Estava com o rosto limpo, mas os olhos inchados.
Pegou no braço de Marilda e fez com que ela sentasse em um sofá.
Disse com a voz embargada:
Lembra do dia da inauguração desta casa?
Estava aqui, lembrando daquele dia.
Vocês estavam tão felizes!
Nunca pensei que o seu casamento estivesse passando por uma crise.
Preciso te confessar que, vendo como teu casamento era feliz, algumas vezes fiquei em dúvida se havia feito a escolha certa, no sentido de não ter me casado e não ter tido filhos.
— Sei que não só você, mas muitas pessoas tinham esse pensamento.
Eu mesma não acreditava em tanta felicidade.
Nunca imaginei que o Antero fosse tão infeliz.
Ele nunca deixou transparecer.
Não consigo ver a minha vida daqui para frente.
Não sei viver sem ele...
Mas terá que aprender.
Você tem muito tempo pela frente.
A vida não se resume só a um marido e filhos.
Isso é para você que nunca teve, mas para mim é difícil.
É difícil, mas não impossível.
Verá como, com o tempo, tudo ficará mais claro e você encontrará um caminho.
Só precisa ter um pouco de paciência, logo tudo ficará bem.
Nada ficará bem!
Não sei o que fazer sem ele!
Meu mundo caiu, sinto como se me faltasse o chão.
É natural que isso aconteça, mas logo tudo voltará ao normal, você vai ver!
Nada voltará ao normal sem ele!
Estou confusa, não sei onde errei, mas com certeza aconteceu em algum momento.
Preciso descobrir onde e quando.
Não se torture mais.
Você não errou, sempre foi uma óptima esposa e boa mãe.
Também sempre pensei isso, mas agora vejo que nunca fui boa esposa, mãe ou coisa alguma!
Espere aí. - Marilda disse furiosa.
Assim também, já é demais!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:15 pm

Você foi, sim, uma óptima esposa!
Por que não se pergunta se ele foi um bom marido?
Um casamento é feito a dois!
Quando termina, não existe só um culpado!
Ele te abandonou! Não foi você.
Ao contrário, dedicou toda a sua vida a ele!
Você terá agora a oportunidade de descobrir novos caminhos, poderá realizar alguns sonhos que ficaram perdidos!
Tem ainda muito tempo de vida!
Não pode continuar se culpando por algo que fugiu ao seu controle!
Tem que reagir!
Sei que você tem razão em quase tudo que está dizendo, mas eu não consigo pensar em algo que possa fazer neste momento.
Nem sei se deixei de realizar algum sonho.
— Você agora não está podendo pensar com clareza, mas dentro de algum tempo, quando se acostumar com a ideia, sei que encontrará um novo caminho.
Fernanda, chorando, se abraçou a Marilda.
Depois de algum tempo, parou de chorar, ficou com os olhos distantes.
Marilda ficou calada.
Sabia que não tinha o que fazer, a não ser ficar ao lado da amiga, dando-lhe todo o apoio.
Apenas isso.
Não sei! -— disse Fernanda quase gritando.
Não sei viver sozinha, sem ter alguém a meu lado.
Pensando bem, ainda não são oito horas.
Você passou o dia todo ao meu lado, o mínimo que posso fazer é te oferecer um jantar.
Não tenho nada pronto e nem vontade de cozinhar, por isso vamos até a um restaurante, jantaremos e poderemos até dançar.
Fernanda, o que está pensando?
O mesmo que você.
Quero me divertir e, quem sabe, encontrar alguém que me ame!
Já conversamos sobre isso, continuo achando que não é uma boa ideia.
Você não está bem.
Precisa pensar na sua vida antes de decidir sobre qualquer assunto.
Estou me sentindo muito mal.
Estou sendo rejeitada!
Preciso ter alguém que me ame!
Mas não vai encontrar esse alguém em um restaurante ou bar.
Da maneira como está, só atrairá para o seu lado pessoas também deprimidas.
Espere mais algum tempo, veja como as coisas ficarão.
Tenha calma...
Você não viu como ele falou?
Não tem volta, não!
Ele disse para eu encontrar um caminho!
É isso mesmo que vou fazer!
Encontrar um novo amor!
Vou me arrumar e sairemos para jantar!
Depois decidiremos o que fazer. Está bem assim?
— Está bem; se vai fazer com que se sinta melhor, vamos.
Fernanda voltou para o quarto.
Seu coração estava partido, mas ela bem lá no fundo, tinha certeza que traria Antero de volta.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:15 pm

Aquele que estava no escritório e que disse aquelas coisas para ela não era o Antero que conhecera, era outro.
Alguma coisa havia acontecido para que ele mudasse daquela maneira e ela descobriria que coisa era essa.
Não podia aceitar ficar sozinha com toda aquela idade e depois de tanto sacrifício para conquistar tudo que sonharam e quiseram.
Não, ela não dividiria tudo aquilo com ninguém.
Arrumou-se, colocou uma maquiagem suave e voltou para a sala.
Marilda percebeu que nos olhos da amiga estava novamente aquele brilho estranho, e perguntou:
—Tudo bem com você?
Quer mesmo sair?
— Está tudo bem, quero sair, sim, mas só para jantar.
Não se preocupe, não pretendo arranjar uma companhia.
Sei que alguma coisa aconteceu para fazer com que Antero mudasse de comportamento e vou descobrir o que foi.
Ele está diferente.
Jamais me tratou da maneira como fez hoje, parece que ele está me odiando e eu não sei o motivo.
Mas não quero mais falar sobre isso, vamos sair e jantar.
— Está bem, vamos fazer o que quiser.
Estou feliz por notar que você já está tentando se controlar.
Isso é bom, pois só assim poderá encontrar um caminho para seguir. Vamos?
Foram ao restaurante onde Fernanda, Antero e a filha sempre iam.
O garçom e os donos conheciam Fernanda.
Assim que elas entraram e se sentaram, o garçom se aproximou:
Dona Fernanda! Boa noite!
Que bom que está aqui!
O doutor Antero não veio?
Boa noite, Luigi, o Antero não veio, teve uma reunião.
Você já sabe o que desejo comer.
Esta é a minha amiga Marilda.
— Boa noite, senhora.
Aqui está o menu, pode escolher.
Marilda, sorrindo, pegou o menu e começou a ver os pratos que eram oferecidos.
Fernanda olhava a sua volta, pensativa.
Marilda observava a amiga e sabia que, com certeza, ela devia estar pensando no marido, na filha e nas muitas vezes que haviam estado ali.
Sentia um grande pesar pela situação da amiga, mas não tinha o que fazer a não ser ficar ao lado dela.
Jantaram. Fernanda comeu pouco e permaneceu quase o tempo todo em silêncio, só respondendo às perguntas que Marilda lhe fazia, na tentativa de trazê-la de volta.
Terminaram de comer, saíram e entraram no carro.
Marilda olhou para Fernanda e disse:
— Ainda é cedo, você não quer ir ao cinema?
Está passando um óptimo filme!
Pensando bem, você tem razão, é ainda muito cedo.
Vamos ao cinema.
Foram ao cinema, mas, durante o tempo todo, Fernanda permaneceu calada e Marilda respeitou o silêncio dela.
Após terminar o filme, voltaram para a casa de Fernanda.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:16 pm

Assim que chegaram, ela desceu do carro e não convidou Marilda para entrar:
Já está tarde, vou entrar, tomar um banho e tentar dormir.
Faça isso, lembre-se de que amanhã será outro dia, mas se precisar de alguma coisa basta ligar, virei o mais rápido possível.
— Sei disso e preciso te pedir desculpas, por hoje e pela maneira que algumas vezes falei com você.
— Não se preocupe, entendo a sua situação. Até logo.
Beijaram-se, Marilda acelerou o carro e foi embora.
Fernanda entrou em casa.
Aquela casa que ela e Antero haviam planeado nos mínimos detalhes.
Onde sua filha nasceu, cresceu e foram tão felizes.
Aquela casa, que agora era imensa e solitária.
Novamente seus olhos se encheram de lágrimas.
Com as mãos, enxugou-as e entrou em seu quarto.
Foi para o banheiro, tomou um banho, voltou para o quarto e se olhou no espelho.
Lembrou-se de Luciana tão jovem, bonita, com a pele macia e um corpo escultural.
"Como posso competir com ela?
Com este rosto marcado pelo tempo?
Com este corpo disforme e esses cabelos escassos?
Ela tem juventude e mistério, coisas que já há muito tempo eu perdi.
Antero não podia ter feito isso!
Dediquei toda a minha vida a ele!
O que vou fazer agora?
Marilda disse que preciso recomeçar, mas como e por onde?
O que vejo diante de mim a não ser tristeza, solidão e esse terrível sentimento de rejeição?
O que vou dizer para Regiane?
Ela entenderá?
Não sei o que fazer.
Preciso dormir.
Como Marilda disse, amanhã será outro dia."
Deitou-se, fechou os olhos e tentou dormir, mas foi em vão.
Seus olhos, boca e garganta estavam secos.
Levantou várias vezes foi até a cozinha para beber água.
Voltava para a cama, virava de um lado para outro, mas não conseguia relaxar e dormir.
Em sua mente via a imagem de Antero e Luciana beijando-se.
Novamente levantava, ia até o banheiro, sala e cozinha, andava de um lado para outro até que finalmente decidiu:
foi ao banheiro, pegou um comprido que Antero tomava quando não conseguia dormir e tomou.
Após alguns minutos, finalmente adormeceu.
Seu sono foi agitado.
Em dado momento, sonhou que corria atrás de Antero por um campo; ele olhava para trás, a via e corria ainda mais.
Ela chamava por seu nome, mas ele corria cada vez mais rápido.
Ele parou junto a um precipício.
Quando ela estava se aproximando, ele olhou, sorriu e se jogou.
Ela chegou junto ao precipício e pôde vê-lo ainda caindo.
Começou a gritar.
Diante dela surgiu a figura de Luciana, que ria sem parar.
Fernanda se atirou sobre ela e acordou.
Seu corpo todo tremia e transpirava, seu coração batia acelerado.
Sentou-se na cama, respirou fundo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:16 pm

Percebeu que havia sonhado.
Levantou-se e foi para a cozinha tomar um pouco de água.
Depois foi ao jardim.
A noite estava silenciosa, o céu com poucas estrelas e a lua escondida atrás de uma nuvem.
Caminhou até o portão:
"Que sonho louco foi aquele?
Será algum aviso?
Será que o Antero está em perigo?
E Luciana?
Por que ria daquela maneira?
Ela parecia saber o que estava acontecendo!
Meu Deus do céu, será que ela fez algum feitiço para ele?
É, só pode ter sido isso!
Ela deve ter mandado fazer alguma macumba!
Se ela fez isso, preciso mandar desmanchar, mas como? Onde?
Não conheço ninguém que lide com isso!
Vou ligar para a Marilda, ela conhece tanta gente!
Quem sabe possa me ajudar!"
Entrou em casa e foi até um telefone que estava na sala de estar.
No momento em que ia discar o número de Marilda, seus olhos voltaram-se para o relógio que estava ao lado do telefone.
"Não posso fazer isso, ainda é madrugada, ela deve estar dormindo.
Ficou ao meu lado quase toda a noite passada e hoje o dia inteiro.
Vou esperar amanhecer, aí sim telefonarei."
Colocou o telefone de volta no gancho, foi para o seu quarto e tornou a se deitar.
Marilda chegou em casa.
Estava cansada, pois não havia dormido bem na noite anterior e o dia também não havia sido fácil.
Estava triste com a situação da amiga e por ver um casamento como aquele se desfazer daquela maneira.
"Assim como a Fernanda, também não reconheci Antero.
Ele foi sempre muito educado, sempre tratou Fernanda com carinho, nunca presenciei um gesto ríspido por parte dele, mas hoje à tarde ele pareceu sentir por ela um ódio profundo.
Não consigo entender o que aconteceu.
Será que ele tem algo com aquela moça?
Será que todo aquele amor, que parecia sentir, terminou assim de repente?
Não sei, mas hoje dou graças a Deus por nunca ter me apaixonado.
Percebo que o amor só traz sofrimento.
Estou feliz assim, pois sei que a minha felicidade está só nas minhas mãos.
Não tenho marido, nem filhos, mas tenho tranquilidade e paz quando leio um bom livro, assisto a um filme ou vou ao teatro.
Não posso negar que se tivesse uma companhia seria bem melhor, mas para sofrer prefiro ficar sozinha.
Além do mais, já passei da idade.
Estou com quase cinquenta anos, quem se interessaria por mim?
Bem, de qualquer maneira, não consigo entender o que aconteceu com o casamento da Fernanda, só sei que ela terá de encontrar um novo caminho para seguir e que pretendo ajudá-la no que for possível.
Não entendo, mas também neste momento não quero entender.
O que quero, na realidade, é me deitar e dormir."
Foi o que fez.
Tomou um banho rápido e foi para a cama.
Assim que se deitou, adormeceu.
Antes, desligou o telefone, não queria ser acordada subitamente por Fernanda.
Queria dormir e acordar sozinha, sem susto ou atropelo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:16 pm

Experiência de vida
Fernanda, após rolar muito pela cama durante o resto da noite, também adormeceu.
Acordou, olhou para o relógio.
Assustada, sentou na cama:
"Quase dez horas!
Como pude dormir tanto?
Preciso me levantar e telefonar para a Marilda, ela deve conhecer alguém ou algum lugar aonde possamos ir.
Sei que vai ser difícil convencê-la, mas conseguirei."
Sentou-se na cama e pegou o telefone para discar, mas colocou-o de volta.
Precisava pensar com mais calma.
"Sei que Marilda não tem uma religião que siga.
Ela nunca foi dada a acreditar nessas coisas de espíritos ou macumba.
Por isso, sei que vai ser difícil convencê-la a me acompanhar, mas eu preciso salvar o meu casamento e a minha família, e para isso farei qualquer coisa."
Marilda também acordou e, assim como Fernanda, olhou para o relógio.
"Nove e meia!
Há quanto tempo eu não dormia tanto!
Estou me sentindo muito bem, tenho trabalhado muito, por isso pretendo aproveitar bem as minhas férias.
A minha viagem para a Europa já está programada.
Na próxima semana, embarcarei e certamente irei aproveitar muito, mas e Fernanda?
Como estará?
Estou com muita pena dela, quem sabe também não queira fazer essa viagem comigo?
Vou me levantar, tomar o meu café e em seguida telefonarei para ela."
Olhou para o telefone, sentiu uma ponta de remorso.
"Será que ela tentou me telefonar?
Eu não devia ter desligado o telefone, mas também eu estava tão cansada e não queria ser acordada no meio da madrugada.
Assim que tomar o meu café, telefonarei para ela, inventarei uma desculpa qualquer.
Direi que não ouvi o telefone ou que ele está com algum defeito."
Levantou, foi para a cozinha, encontrou Renata.
— Bom dia, Renata.
Está tudo bem?
— Bom dia, dona Marilda, está tudo bem.
Assim que cheguei, percebi que a senhora estava dormindo e não quis fazer barulho; vim aqui para a cozinha preparar o seu café e o seu almoço.
— Estranhei te encontrar aqui, quase nunca te vejo.
Quando saio para o trabalho você ainda não chegou e quando chego à noite você já foi embora.
Mas não sei o que seria da minha vida sem você para me ajudar.
— A senhora sabe que adoro trabalhar aqui e que ficarei até quando a senhora quiser.
— Se for assim, ficará para sempre.
Marilda sorriu:
— Pode ir para a copa, logo levarei o seu café.
A senhora quer algumas frutas?
— Quero sim, obrigada.
O telefone tocou.
Renata ia atender, Marilda disse:
— Pode deixar, eu atendo.
Deve ser a Fernanda.
Marilda foi para a sala de estar, sentou e atendeu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:17 pm

Do outro lado da linha ouviu a voz de Fernanda.
— Bom dia, Marilda!
Já está acordada?
Dormiu bem?
— Bom dia, Fernanda.
Estou acordada e dormi muito bem.
Aliás acabei de acordar, ainda não tomei o meu café.
E você, conseguiu dormir?
— Tive alguma dificuldade, mas, depois que consegui resolver o meu problema, adormeci e acordei quase agora também.
— Resolveu o seu problema? Como?
— Tive uma ideia, mas vou precisar da sua ajuda.
— Sabe que estou sempre pronta para te ajudar, embora às vezes eu ache que não vai te fazer bem.
O que pretende fazer?
Que solução encontrou?
— O assunto é sério!
Não gostaria de falar por telefone.
Você não quer vir almoçar comigo?
Poderemos conversar.
— Antes de sair em férias, tenho alguns processos pendentes e preciso colocar alguns papéis em ordem, mas nada que não possa ficar para depois.
Está bem, vou tomar um banho e irei para aí.
Estou curiosa para saber que solução é essa.
Estarei te esperando.
Vou cozinhar algo que você vai gostar muito, tenho certeza!
Sei disso, pois sei também que você é uma óptima cozinheira!
Comendo a sua comida fico com medo de engordar.
A voz de Fernanda ficou embargada quando disse:
Mas isso não serviu para fazer Antero feliz...
Não vá começar a chorar!
Estou indo para aí. Tchau!
— Está bem, não vou chorar.
Já está tudo resolvido. Tchau.
Marilda tomou o café, se vestiu.
Antes de sair foi até a cozinha e disse para Renata:
— Não precisa se preocupar com o almoço.
Não almoçarei em casa, vou para a casa de Fernanda.
Saiu, olhou para o céu, que estava azul e sem nuvens.
Entrou no carro e foi para a casa de Fernanda.
Assim que chegou e entrou na casa, percebeu no olhar da amiga um brilho diferente.
Perguntou, curiosa:
O que aconteceu?
O que está pretendendo fazer?
Sente-se aí, vou te contar tudo.
Contou o sonho e que, assim, teve a certeza de que Luciana era a culpada do abandono de Antero.
Terminou dizendo:
— Foi ela sim!
Acho que ela fez um feitiço para ficar com ele ou uma macumba.
Sei lá, eu não entendo nada disso!
Marilda, que estava sentada, levantou-se e disse indignada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:17 pm

Você definitivamente não está bem da cabeça!
Como pode pensar e acreditar em uma coisa dessa?
Tudo por causa de um sonho!
Tire isso da cabeça ou vai acabar louca mesmo!
Você fala assim porque não viu o rosto de felicidade dela!
Ela fez alguma coisa sim!
O Antero mudou muito!
Ele sempre foi amoroso!
Não posso aceitar e ficar sem fazer nada!
Não posso acreditar que estou ouvindo isso!
Sabe muito bem que, embora eu não siga uma religião, acredito em Deus e Ele jamais permitiria algo assim!
O Antero simplesmente cansou da vida que levou durante todos esses anos e quis se libertar, só isso!
Não existe macumba ou feitiço!
Você precisa aceitar a separação e seguir a sua vida!
Arrumar algo para fazer!
Vou fazer o que, com quase cinquenta anos?
Não tenho mais aquele impulso da juventude!
Todo o impulso e energia que tinha dediquei para ele e para a minha filha!
Não sei o que fazer daqui para frente sem ele!
Será que você não entende isso?
— Entendo que você esteja passando por um momento difícil, mas ele, como tudo na vida, vai passar e você encontrará um novo caminho.
Por favor, não se deixe levar por crendices!
Tudo isso é bobagem.
Da maneira como está, só poderá ser enganada.
Tem que ter cuidado.
— Não sei se é bobagem, mas alguma coisa aconteceu!
Você não lembra da Palmira, aquela que estudava na faculdade?
Ela gostava do Luiz, que não gostava dela, e, quando ela foi naquele lugar, eles se casaram.
Lembra-se dela?
— Lembro dela, sim, mas lembro também que dois anos depois de casados estavam separados.
Além do mais, não sabemos se foi por causa daquilo que eles se casaram.
Tem outra coisa, você não tem certeza de que foi a Luciana quem te tirou o Antero.
Pode ter sido outra pessoa qualquer ou ninguém.
Ele pode ter se cansado de ser casado.
— Eu sonhei! Ela ria com muito desdém!
Foi ela, sim! Tenho quase certeza!
— Está vendo o que disse?
Quase, mas não total.
Acho melhor voltarmos ao nosso plano inicial.
Vou telefonar para a Ivete, conversar com ela, pedir o seu carro emprestado, seguiremos o Antero e veremos se é com ela que ele está saindo.
Se tivermos certeza, prometo que vou procurar saber onde tem e irei com você a um lugar desses.
Está bem assim?
Fernanda estava nervosa, mas, diante da forma com que Marilda falou, só lhe restou concordar.
— Está bem, faça isso.
Fale com a Ivete; se ela concordar, vigiaremos os dois.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:17 pm

Assim, você verá que tenho razão e vai me acompanhar.
Marilda sorriu, intimamente estava feliz por ter conseguido tirar aquela ideia louca da cabeça de Fernanda.
Pegou o telefone e falou com Ivete.
Contou a ela tudo que estava acontecendo; do outro lado da linha, Ivete disse:
— Já passei por isso e sei como é!
Não conheço Fernanda muito bem, mas diga a ela que sei o que está sentindo.
É uma sensação de rejeição, de abandono e inconformismo, parece que o mundo vai acabar.
É muito triste, mas diz pra ela também que, depois de algum tempo, ela vai descobrir que nem tudo está terminado.
Na realidade, está apenas começando.
Ela vai descobrir que não é tão ruim viver só e descobrirá o que realmente sabe e poderá fazer coisas que nunca pensou saber.
— Estou tentando, mas está difícil.
Ela quer segui-lo, para descobrir quem é a outra.
Para isso precisamos de um carro, pode emprestar o seu?
Poderemos trocar, deixo o meu com você.
Do outro lado da linha, Ivete começou a rir.
Marilda estranhou a atitude dela:
Do que está rindo?
A situação é triste!
Não é para rir!
Desculpe, mas é que já passei por isso.
Também segui o meu marido em um carro que ele não conhecia, fui a bares para tentar encontrá-lo com alguém.
Estou rindo, pois a situação sempre se repete e as mulheres fazem as mesmas coisas!
Poderia dizer que não vai adiantar.
Se ele resolveu sair de casa, com certeza não voltará, mas sei também que não adianta dizer isso a ela, pois não vai acreditar.
Ela se julga, neste momento, mais inteligente que todas as outras que passaram por isso.
Portanto, está bem.
Pode vir buscar o meu carro, mas realmente vou precisar ficar com o seu para ir para casa, assim que terminar o meu expediente.
Está bem, iremos até aí depois do almoço.
Volto do almoço às duas horas, estarei esperando.
Em seguida desligou o telefone.
Fernanda perguntou:
E daí? Ela concordou? -— estava ansiosa.
Ela concordou, podemos buscar o carro quando quisermos, só que preciso deixar o meu com ela.
Pronto, agora você poderá seguir Antero sem que ele desconfie, mas antes vamos almoçar.
Está bem, já está quase pronto.
Começaram a almoçar.
Fernanda quase não comeu, estava nervosa, sentia como se tivesse um caroço em sua garganta.
"Não posso aceitar essa situação.
Não sei o que vou fazer, mas de uma coisa tenho certeza: não vou perder o Antero.
Farei o possível e o impossível para que isso não aconteça."
Parou o garfo na altura da boca, olhou sério para Marilda, que comia tranquilamente, e disse com determinação:
— Não vou permitir que uma sem-vergonha como aquela me tire o marido.
Ela não perde por esperar!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:17 pm

— Para ser bem sincera, não acho que isso valha a pena.
Depois de tanto tempo de casados, ele te abandonou, não te dando valor, e, o pior, não te respeitando.
Acho melhor que continue a sua vida sem ele.
Sei que encontrará um caminho.
— Quero o meu marido de volta e o trarei.
Só poderei continuar a minha vida se for ao lado dele!
— Está bem, mas termine de comer.
Três horas da tarde.
Chegaram à empresa onde Ivete trabalhava.
Era uma confecção.
Identificaram-se ao porteiro, ele as anunciou, e foram encaminhadas até a sala, onde Ivete as recebeu com um sorriso:
— Olá, Marilda, há quanto tempo não nos vemos!
— É verdade, sabe como é, a vida não nos dá muito tempo.
— Sei disso, mas na realidade não é a vida.
Somos nós mesmas que não arrumamos tempo para outra coisa a não ser o trabalho.
E você, Fernanda, como está?
— Na medida do possível, estou bem.
— Óptimo, mas queiram sentar.
Sei que estão começando uma maratona.
Sei, Fernanda, como você está se sentindo.
Acredite, já percorri esse caminho e sei como é doloroso.
Justamente por tê-lo percorrido, sei também que no fim dele encontrará não só outro caminho, mas a você mesma, e isso te fará muito bem.
Fernanda, calada, apenas sorriu.
Conhecia Ivete apenas de vista.
Encontrara-a em algumas reuniões nas quais acompanhou Marilda, que era amiga de Ivete há muito tempo.
Nunca teve uma conversa mais longa com ela, a não ser um "como vai" ou um "até logo”.
Ivete compreendia plenamente a situação de Fernanda, por isso voltou-se para Marilda, perguntando:
— E você, Marilda, como vai?
Ainda sozinha?
— Vou bem, e ainda estou sozinha, Ivete.
Mas posso te dizer que isso não me incomoda nem um pouco.
Acostumei-me com a minha vida e o meu trabalho me toma muito tempo.
— Eu também trabalho muito, mas não deixo de viver.
— Gostei deste lugar.
Nunca pensei que gostasse de moda!
Como começou a trabalhar aqui?
— Nem eu sabia -— respondeu, sorrindo.
— Quando o Reinaldo me deixou, fiquei quase louca, como você sabe... nós temos a mesma idade.
Eu já não era mais jovem e pensava que viveria ao lado dele até o fim dos meus dias.
Desde que nos casamos, ele tomou a frente de tudo.
Pagava as contas, comprava os alimentos.
Enfim, cuidava de tudo.
Eu nem sabia qual era o seu salário.
Nunca precisei me preocupar com nada.
Tinha segurança e tranquilidade, só precisava ser boa dona-de-casa, boa mãe, e isso, com certeza, fui.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:17 pm

De repente me vi privada de tudo.
Senti que me faltava o chão, fiquei desesperada, deprimida.
Tornei-me uma pessoa doente.
O meu prazer maior era ir ao médico, me queixando de problemas; embora ele dissesse que a minha saúde era perfeita, eu não acreditava, porque sentia realmente os sintomas.
O médico dizia que eu precisava encontrar algo para preencher o meu tempo, mas eu não conseguia pensar ou fazer nada, a não ser chorar e procurar onde eu havia errado.
Aos poucos fui me controlando e voltei ao meu normal, mas isso só aconteceu quando, finalmente, eu aceitei que ele não voltaria mais.
Aí, sim, entendi que, embora ele tivesse ido embora, eu continuava ali e precisava continuar vivendo.
Logo que o divórcio saiu, ele se casou, saiu do emprego e mudou-se para Curitiba.
Na partilha, fiquei com a casa e meus dois filhos, que só estudavam.
Reinaldo mantinha-os na faculdade e continuou mantendo, mas eu fiquei sem nada, além da casa.
Precisava de dinheiro para me manter, mas como conseguir?
Nunca havia trabalhado, pois, assim que me formei, casei e vivi para a minha família.
Fiquei desesperada.
Ele quis me dar uma espécie de pensão, a princípio recusei.
Eu julgava ser humilhante.
Passei dias, semanas e meses terríveis.
Estava perdida.
Um dia, não tendo o que fazer, fui até o shopping para me distrair.
Não tinha dinheiro para compras, fiquei olhando vitrines.
Estava olhando uma vitrine de roupas, quando ouvi uma voz me chamando.
Olhei, era a Laurinda.
Marilda, você lembra dela?
Ela fez parte do nosso grupo.
Aquela que era muito engraçada e que sempre tinha uma piada para contar!
Claro que lembro, embora não a veja há algum tempo; fiquei sabendo que ela ficou viúva.
— Isso mesmo. Ela ficou feliz ao me ver.
Fomos até a praça de alimentação e, enquanto comíamos, conversamos muito.
Aliás, eu falei muito, contei tudo que me havia acontecido.
Ela me ouviu calmamente.
Quando terminei de contar a maldade que o Reinaldo havia feito e como eu estava arrasada, ela me olhou e perguntou tranquila:
— E agora? Pretende fazer o que da sua vida?
— Não sei. Estou quase com cinquenta anos.
Não tenho profissão, nunca trabalhei.
Não sei o que fazer, acho que a solução seria eu morrer.
Já pensei em várias maneiras de fazer isso, mas sou covarde.
Nem para isso presto.
De todas as formas que existem, eu penso que sofrerei muito e tenho medo.
Ela continuou me olhando firme, depois disse:
— Existem muitas maneiras de se cometer o suicídio.
Já ouvi dizer que se tomar comprimidos não sentirá nada.
Poderá também tomar veneno de rato.
Dizem que a morte é quase certa; ou então cortar os pulsos com uma gilete.
Esta quase nunca dá certo, mas não custa tentar.
Poderia, também, se enforcar no cano do chuveiro com uma corda, só que não pode ser de náilon, tem que ser de sisal, pois a de náilon não é muito confiável; quem sabe se jogar na frente de um carro, mas aí estaria envolvendo o motorista, qui não tem culpa dos seus problemas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:18 pm

Como vê, não é difícil de cometer suicídio, mas... e depois?
Como ficará a sua alma ou espírito?
Para onde ele vai?
Que futuro você deseja para a eternidade?"
— Fiquei chocada com a maneira como ela falou, aquilo não era normal.
Pensei que Laurinda fosse tentar me demover da ideia, mas ao contrário, ela estava me incentivando.
Fiquei calada por alguns minutos, depois eu disse:
— Você diz isso porque não foi abandonada, seu marido morreu!
Você não teve alternativa.
Foi diferente do meu caso, meu marido me abandonou.
Além do mais, acho que não existe nada depois da morte.
Acho que somos como os animais ou as plantas, morremos e acabou.
— Você acha, mas não tem certeza. Tem?
— Pensei por alguns segundos; intrigada, respondi:
— Não tenho certeza, mas ninguém tem.
Tudo que se ouve é muita teoria, mas na realidade, como as pessoas dizem, ninguém voltou para dizer se é verdade ou não.
— Aí é que você se engana.
Muitos voltaram e estão voltando para nos dizer como é do outro lado.
—As pessoas dizem, mas nunca ninguém voltou em carne e somente falam que recebem esse ou aquele espírito, nada mais do que isso.
Desculpe minha amiga, mas não posso acreditar nessas pessoas.
Elas querem só se promover, ganhar dinheiro.
—Talvez você tenha razão, mas mesmo assim existe a dúvida da existência da vida depois da morte.
Acredito que só essa dúvida já nos faz pensar que, se realmente existir, temos um espírito ou alma e devemos saber o que queremos para eles.
De acordo com a sua teoria, não existe vida depois da morte, mas e se existir?
Está disposta a arriscar?
— Não sei, você está me deixando confusa, Laurinda, respondi quase chorando.
—Não sei se existe algo além, só sei que estou vivendo aqui e agora!
— Isso é o que importa!
Acordar todos os dias, respirar, ver o sol nascendo, o céu e toda a natureza linda que Deus nos presenteou.
Ver homens e mulheres caminhando, alguns até correndo em busca da sua felicidade.
Crianças nascendo, crescendo e brincando.
O ser humano evoluindo para um mundo melhor.
Isso é o que importa realmente, o resto é só resto.
Você disse que somos como plantas e animais, somos mesmo.
Estamos rodeados de energias, boas ou más.
Assim como nós, quando uma planta ou animal morre, eles voltam para a terra para adubá-la, fazem com que outra planta nasça.
Nós comemos dessa planta, crescemos, temos nossos filhos, vivemos e morremos e nosso corpo continua adubando a terra.
Mas nossa energia não morre, apenas se transforma.
Deus, que criou tudo isto, fez com perfeição.
Por isso nada está errado.
Tudo é como tem que ser.
— Você vive em um mundo diferente do meu!
No meu, só vejo desigualdade.
Enquanto muitos não têm nada, outros têm até demais.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:18 pm

Vejo tristeza, fome e miséria.
Vejo crianças sofrendo, homens e mulheres trabalhando para sobreviver e alguns nem isso conseguem.
Além dos crimes e todo tipo de violência.
— Tudo isso faz parte da evolução de cada um.
Eu não acreditava em nada daquilo e disse indignada:
—Você está dizendo que está tudo certo?
Até essas maldades?
Você deve estar louca mesmo.
Alguém fez a sua cabeça.
Ninguém pode aceitar toda essa injustiça e maldade que existem!
—Não estou dizendo que alguém nasce para ser ruim.
Ao contrário, nascemos e vivemos da maneira que escolhemos.
Alguns, durante a jornada, se desviam e seguem rumos diferentes.
Mas um dia, mais cedo ou mais tarde, entenderão e voltarão para o rumo certo.
Deus é nosso pai e nos ama a todos sem limites ou privilégios.
Em Sua bondade infinita nos dá o direito da escolha.
— Está dizendo que cada um vive da maneira que escolheu?
Que alguém escolheu ser pobre, miserável?
— Isso mesmo. De acordo com o que seria melhor para sua evolução."
Enquanto Ivete ia falando, Marilda e Fernanda se olhavam, mas nenhuma das duas teve coragem de interrompê-la.
Ivete continuou falando:
— Ao ouvir aquilo que Laurinda dizia, não suportei e perguntei num impulso:
—Quer dizer que o pobre escolheu ser pobre e o rico ser rico?
Que alguns escolheram ser saudáveis, enquanto outros escolheram ser doentes?
Alguns escolheram ser bons, enquanto outros escolheram ser bandidos?
Disse que cada um está vivendo de acordo com a sua evolução, quer dizer que só o rico é evoluído?
Está dizendo que já temos um destino e que ele será sempre ruim, que não poderemos fazer nada para mudar, só nos conformarmos?
Está dizendo, como dizem muitos, que tudo é vontade de Deus?
Quase tudo que eu disse você entendeu, mas nem só o rico e evoluído, ao contrário.
O dinheiro também é uma forma de teste.
Aquele que vem com muito dinheiro é para usá-lo de uma maneira que propicie trabalho e ajuda para muitos.
O dinheiro serve para nos testar e para sabermos o que fazer com ele.
Posso te garantir que é o mais difícil dos karmas.
Eu disse que sempre estamos evoluindo e não que devemos nos conformar e aceitar.
Mas, sim, escolher a melhor maneira de passarmos pela vida.
Quase todos os problemas que temos nesta vida são por nossa culpa mesmo; quase sempre por nos desviarmos do nosso caminho.
Ninguém nasceu para ser ruim, isso é um desvio.
Nós traímos as nossas esperanças, deixamos de lutar por aquilo que acreditamos, seja em que nível for.
Teremos, sim, que encontrar amigos e inimigos.
Teremos, sim, alguns testes para superar, mas nunca, quando eles chegarem, estaremos sós.
Teremos sempre a ajuda de alguém ou de alguma coisa e a oportunidade de superá-los.
Oportunidades nunca faltarão.
Deus nos dá tudo o que precisamos para que a nossa felicidade seja completa.
Cada um tem um ritmo, a evolução não termina nunca.
Evoluímos através da reencarnação e de várias vidas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:18 pm

—Karma!? Reencarnação!?
Desculpe, mas não vou continuar conversando sobre isso!
Não aceito a vida após a morte e muito menos isso de reencarnação.
Não tenho muita religião, mas acredito que isso tudo é bobagem.
A única coisa que sei é que estou aqui, sozinha, desesperada, sem saber o que fazer com a minha vida, sem saber que caminho tomar.
— Desculpe, você tem razão, mas é que estou tão feliz.
Depois que aprendi isso, às vezes me empolgo e falo demais.
—Sou eu quem te peço desculpas.
Embora eu não tenha uma religião que siga com frequência, não tenho o direito de criticar a de ninguém.
Agora preciso ir.
Fiquei feliz por te ver.
— Eu estava me levantando para ir embora, quando Laurinda, segurando a minha mão, disse:
—Espere, acabei de te dizer que Deus nunca nos deixa sós.
Quando precisamos ajuda para cumprir o nosso destino, Ele faz com que algo aconteça ou alguém apareça para nos ajudar.
—Não estou entendendo o que está querendo dizer.
—Quando Rubens morreu, fiquei desesperada.
Ele tinha só cinquenta e um anos, estava forte.
A morte nunca passou por nossas cabeças.
Ele era director de um importante banco, sempre teve um bom salário; por isso, nunca tivemos preocupação com dinheiro.
Sempre tivemos uma vida muito boa.
Nos amávamos e éramos felizes.
Rubens estava trabalhando, quando sentiu-se mal e morreu ali mesmo no seu escritório.
Sofreu um enfarte fulminante.
A morte abalou a todos e, principalmente, a mim.
Não conseguia acreditar que aquilo estivesse acontecendo.
Revoltei-me contra Deus e contra a vida, pois havíamos feito muitos planos para o nosso futuro:
ele trabalharia por mais algum tempo e, quando se aposentasse, começaríamos a viver realmente, pois, embora tivesse um bom salário, não tinha muito tempo para descansar.
As pessoas me diziam que tinha sido a vontade de Deus, aí sim eu me revoltava ainda mais.
Que Deus era aquele que havia tirado deste mundo um homem trabalhador, honesto, bom pai e bom marido como ele e deixado tantos outros de mau carácter, péssimos pais e maridos, bêbados e bandidos?
Que Deus injusto era aquele?
Nunca poderia aceitar aquele Deus.
De repente, eu vi todos os meus sonhos destruídos.
Financeiramente, a minha vida não mudaria, pois ele possuía um bom seguro de vida e o banco continuaria pagando o seu salário.
Minha casa era enorme, mas mesmo assim eu me sentia sufocada dentro dela.
Fiquei desesperada, entrei em uma profunda depressão.
Meu filho quis me levar para morar com ele; tentei, mas não consegui.
Não encontrava um lugar para ficar e, como você está hoje, Ivete, também não tinha um caminho para seguir.
Achava que o meu único caminho seria morrer para me reencontrar com ele.
Ivete parou de falar por alguns segundos.
Fernanda olhou para Marilda, pois ela também havia dito que a sua única solução seria morrer depois que o Antero a abandonou.
Marilda sabia o que amiga estava pensando, mas ficou calada, apenas sorriu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 19, 2017 9:18 pm

Olhou para Ivete, dizendo:
— Continue, o que aconteceu?
Como veio trabalhar aqui?
Laurinda, enquanto me dizia essas coisas, estava emocionada.
Seus olhos estavam cheios de lágrimas, mas continuou:
—Fiquei assim por muito tempo, até que um dia recebi a visita da minha cunhada, irmã do Rubens.
Estranhei, pois, diferente de mim, ela parecia feliz.
Ignorando a minha aparência, disse:
— Laurinda! Como você está bonita!
Nem parece que já está chegando aos cinquenta!
—Aquilo me revoltou mais ainda.
Eu não estava bem, nem bonita.
Estava triste e só querendo morrer; disse nervosa:
— Não estou bem.
Perdi o meu marido, não tenho motivo algum para estar feliz!
Estou admirada por te ver dessa maneira, nem parece que perdeu o seu irmão!
Você não gostava dele?
Não sentiu a sua morte?
— Claro que gostava dele, mas penso de uma maneira diferente.
Para mim, a morte não existe, é só uma mudança de dimensão.
O corpo do meu irmão cumpriu a sua missão e voltou para a terra, mas o espírito dele alçou voo e ele está bonito e feliz como sempre foi.
— O que está dizendo?
De onde tirou essa ideia?
— Pertenço a uma doutrina que nos ensina isso e acredito.
Para mim, não perdi o meu irmão.
Ele foi viajar e está em algum lugar, onde mais cedo ou mais tarde nos reencontraremos.
— Não acredito em nada disso!
Não quero saber de religião, Deus ou de seus companheiros!.
— Está bem, não precisa ficar nervosa.
Vim até aqui porque fiquei sabendo que você não está bem, não vim falar de religião ou doutrina.
Vim para te fazer uma proposta.
— Que proposta?
— Sabe que tenho uma confecção.
Desde o início, tive ao meu lado uma funcionária que cuidava da parte administrativa, enquanto eu me dedicava a modelar e cuidar das costureiras.
Como você sabe, sempre gostei de costurar.
Por isso, me dei muito bem, mas agora a minha funcionária de tanto tempo, e em quem eu confiava plenamente, ficou doente e teve que se afastar.
Estou desesperada, pois ela era quem cuidava de todos os papéis e do dinheiro da confecção.
Não conheço ou confio em ninguém para ficar no seu lugar, só você, Laurinda.
—Eu?! O que está dizendo?
Nunca trabalhei, não sei como administrar uma empresa!
— Sempre administrou o dinheiro do Rubens e se deu muito bem, compraram várias casas e apartamentos.
Por isso, sei que saberá administrar muito bem a minha confecção, Laurinda.
—Não sei, não estou com cabeça para nada.
—Por que não tenta?
Poderá sair, conhecer outras pessoas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 20, 2017 9:53 pm

Tente por um mês, se não der certo poderá sair e ficará o dito pelo não dito; encontrarei alguém para me ajudar.
—Está bem, vou tentar.
Quem sabe eu me encontre novamente e consiga reconstruir a minha vida.
Comecei a trabalhar com ela.
No princípio, me senti um pouco deslocada, me sentia velha para recomeçar e aprender, mas ela teve muita paciência e nem vi o mês passar.
Ela também fez de conta que não viu e eu continuo trabalhando até hoje.
Investimos dinheiro e a confecção cresceu muito, hoje até exportamos.
Comecei a frequentar uma casa espírita.
Aprendi e aceitei o que aprendi.
Hoje sei que o Rubens está caminhando também, mas em outra dimensão, e que a qualquer momento irei ao seu encontro.
Com o tempo, compreendi que Deus, através da minha cunhada, me ajudou a seguir o meu caminho e descobri como é que Ele trabalha.
Ontem, ela me disse que o seu filho, que mora na Inglaterra, pediu que ela fosse para lá passar algum tempo.
Como está cansada de trabalhar, pediu que eu encontrasse alguém para tomar o seu lugar e ficaria até essa pessoa ser treinada.
Vim hoje até aqui para visitar um cliente e te encontrei, Ivete.
Acho que Deus vai te ajudar através de mim.
Quer trabalhar comigo na confecção?
Eu me assustei com o que Laurinda me propunha; respondi, gaguejando:
—Eu?! Como!
Não entendo nada de moda ou costura!
— Sei disso! Mas poderá aprender!
Sei que também gosta de fazer as suas roupas.
Minha cunhada ficará com você, te ensinará tudo.
Só irá embora quando você ficar pronta!
—Estou velha para isso.
Terei dificuldade para aprender!"
Laurinda começou rir e disse:
— Estou me vendo dizendo essas mesmas palavras, Ivete.
Vou fazer como a minha cunhada: tente por um mês.
Se der certo, continue.
Preciso de alguém responsável e em quem eu possa confiar.
Você reúne todas essas qualidades, Ivete. Tente!
—Tentei e fiquei. Fui para a escola.
Eu era mais velha da turma, mas me dei muito bem.
Aprendi modelagem, crio todos os modelos e a confecção continua indo muito bem.
Comecei a frequentar uma casa espírita, ler e entender aquela doutrina da qual ela havia falado.
Entendi que a missão do Reinaldo ao meu lado havia terminado, que ele tinha outro caminho para seguir e eu também.
Precisava me descobrir e me dar valor.
Hoje vivo feliz, tenho meu trabalho e um namorado com o qual me dou muito bem; sou feliz.
Consigo conversar com o Reinaldo como companheiro de caminhada.
Alguém com quem eu precisava me reencontrar e aparar algumas arestas.
Mas com quem não poderia ficar por toda a minha vida.
Como vê, Fernanda, nada está perdido, sempre existe um caminho e, com certeza, você encontrará o seu.
Fernanda apenas sorriu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 20, 2017 9:53 pm

Toda aquela conversa não estava interessando.
Ela fora ali somente para pegar o carro, nada mais.
Teve que ouvir toda aquela história.
Esse era o preço que precisava pagar pelo empréstimo do carro.
Ela não era a Ivete, nem a Laurinda, por isso não desistiria, traria seu marido de volta para casa, custasse o que custasse.
Por nada deste mundo permitiria que uma safada como aquela Luciana roubasse o seu marido.
Marilda, vendo o rosto de Fernanda, perguntou:
—Ivete, por quanto tempo podemos ficar com o seu carro?
—Pelo tempo que for preciso.
Você vai me deixar o seu, portanto não haverá problema algum.
—Obrigada. Bem, acho que está na hora de irmos.
—Está mesmo, fiquei falando tanto, que não vi o tempo passar e tenho muito trabalho.
Marilda, sorrindo, levantou-se e tocou no braço de Fernanda para que ela fizesse o mesmo.
Despediram-se e saíram.
Já lá fora, no carro, Marilda perguntou:
Fernanda, que vamos fazer agora?
Não sei, o Antero ainda deve estar no escritório.
Vamos para minha casa, esperaremos lá até que seja a hora de ele sair e ai o seguiremos.
Veremos como e onde ele a encontra.
Está bem, mas, mesmo depois de tudo que a Ivete nos disse, você ainda quer continuar com isso?
Acredita que valha a pena?
Não seria melhor tentar achar algo para fazer, esquecer e seguir a sua vida?
Nem pensar!
Ouvi tudo aquilo por causa do carro!
Ela é muito diferente de mim!
Aceitou a ideia de perder o marido, mas eu não!
Não vou permitir!
Não é justo!
Não preciso trabalhar, tenho minha casa e dinheiro suficiente para viver muito bem!
Eu nunca trabalhei em minha vida e não vou começar agora com quase cinquenta anos!
Não vou trabalhar.
Ao contrário, vamos seguir o Antero, descobrir onde ele se encontra com ela e depois verei o que quero fazer.
Amo o meu marido e não vou perdê-lo!
Está bem, se é assim que você quer, mas me pareceu que ela estava sendo sincera, que está realmente feliz.
Você acreditou mesmo em toda aquela história?
Ela não conseguiu trazer o marido de volta e encontrou uma desculpa para dizer que aceitou, mas lá no fundo te garanto que ela é uma pessoa revoltada, como eu ficarei se não conseguir trazer o Antero de volta!
Mas eu vou conseguir!
Sei que ele também me ama!
Está bem, tenho alguns dias de folga e poderei te acompanhar, mas e depois?
O que fará?
Não sei o que farei, só quero ter certeza de que ele está com ela, para que você não me impeça de ir buscar ajuda.
Ainda quer fazer algum trabalho de macumba, Fernanda?
Não quero fazer um trabalho, quero somente desmanchar o que foi feito!
Em algum lugar, deve existir alguém que desmanche!
Eu vou encontrar esse lugar!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 20, 2017 9:53 pm

Eu amo o meu marido!
Sei que você ama o seu marido, mas será que é amor mesmo ou somente a dor da traição?
Por que está dizendo isso?
Como pode duvidar do amor que sinto?
Estamos casados há muito tempo, tivemos uma vida feliz e tranquila por todo esse tempo!
Claro que amo o meu marido e, por isso, farei tudo para que fique ao meu lado!
— Puxa! Ainda bem que nunca me apaixonei dessa maneira louca.
Gostei do Jorge, mas nunca desse modo!
— Por isso mesmo é que não pode avaliar o que estou sentindo!
Se um dia se apaixonar, vai ver como é!
— Sinto que nunca verei esse dia!
Se não aconteceu quando era jovem, não acontecerá agora! -— Marilda disse, rindo.
— Tomara que Deus te livre disso, Marilda.
— Já me livrou!
Se não aconteceu até agora, não acontecerá mais!
Ainda bem que não me faz falta!
Tenho uma vida muito boa e a minha única preocupação é com o meu trabalho.
A minha felicidade está somente em minhas mãos.
Não dependo de ninguém para ser feliz.
Acho isso uma conquista e posso te garantir que é muito bom.
Vendo o que aconteceu com você e depois de tudo que Ivete nos disse, fico feliz por nunca ter me casado.
Chegaram à casa de Fernanda.
Marilda estacionou o carro diante do portão e entraram.
Ficaram conversando. Fernanda preparou um café e tomaram um lanche.
Na realidade quem comeu foi Marilda, pois Fernanda não sentia fome.
Ainda continuava com aquele caroço na garganta.
Estava nervosa, ansiosa e olhando a toda hora para o relógio, esperando que desse cinco e meia para saírem.
Sabia que Antero sairia do escritório lá pelas seis horas.
Estava decidida a segui-lo e descobrir toda a verdade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 20, 2017 9:54 pm

Vigiando
Faltavam dez minutos para as seis horas, quando Marilda estacionou o carro em frente ao escritório de Antero.
Do lugar em que estavam, poderiam ver qualquer pessoa que saísse pela porta principal ou pela garagem.
Ficaram lá por algum tempo, quando viram Luciana saindo.
Ela estava apressada, parou em um ponto de ônibus que ficava a uns dez metros de onde Fernanda e Marilda estavam.
As duas acompanharam todos os movimentos dela.
Estava sozinha.
Logo depois o carro de Antero surgiu na porta da garagem.
Marilda ligou o carro e se preparou para segui-lo.
Ele nunca pensaria que elas o estavam seguindo, pois o carro era estranho e elas estavam com óculos escuros.
Ele estava acompanhado de Flávio, seu sócio e amigo.
Iniciaram juntos a construtora, conheciam-se desde o tempo da faculdade.
Marilda colocou o carro atrás de dois outros, assim poderia segui-los sem que as vissem.
Fernanda, nervosa e ansiosa, perguntou:
Para onde será que estão indo?
Não sei, é para isso que estamos aqui, vamos descobrir.
Antero percorreu algumas ruas do centro e foi seguido por elas.
Parou diante de um bar, já conhecido por Fernanda.
Era um lugar de encontros no fim da tarde.
Alguns empresários ali se encontravam para discutir negócios ou conversar.
Fernanda sabia que ele o frequentava e não se importava, embora soubesse que ali também havia encontros amorosos.
Marilda também estacionou o carro, mas não desceram, ficaram esperando com impaciência.
Fernanda olhava a todo instante para o relógio, que parecia ter parado.
Queria entrar para ver o que estavam fazendo, mas foi contida por Marilda:
-Não pode fazer isso, o lugar é pequeno e fatalmente eles te veriam e isso estragaria todo o nosso plano.
Vamos esperar.
Tenha calma, logo tudo será esclarecido.
Mas, se saírem acompanhados, o que vamos fazer?
Não sei, mas você precisa manter a calma, se é que realmente quer descobrir tudo.
Um escândalo de nada vai adiantar.
Precisa esperar.
Quarenta minutos depois, eles saíram sozinhos.
Entraram no carro.
Fernanda, intrigada, disse:
Por que será que o Flávio não está com o carro dele?
Por que saíram juntos?
Não sei, mas isso não tem importância.
O carro pode estar na oficina para uma revisão ou ele vendeu e está de carona até comprar outro; mas acredito que o Flávio não seja o nosso problema.
Se o Antero continuar ao seu lado, não encontrará mulher alguma.
A não ser que os dois se encontrem com duas amigas -— disse isso sorrindo com desdém.
Fernanda sorriu, ela também conhecia Flávio desde o tempo da faculdade, gostava dele, considerava-o um bom amigo.
Ele sempre frequentou a sua casa e a sua filha tinha verdadeira adoração por ele, no que era correspondida.
Mesmo durante o tempo em que esteve casado e depois de alguns anos se separou, nunca deixou de visitá-los e de presentear a menina com brinquedos, roupas e de levá-la para passear.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Nov 20, 2017 9:54 pm

Ele era quase ou mais que um irmão, por isso riu e disse:
Enquanto o Antero estiver na companhia dele, não preciso me preocupar.
Tem razão, por isso acho melhor irmos embora.
Não, Marilda.
Vamos continuar seguindo.
Precisamos saber para onde irão.
Sobre o que estarão conversando?
Provavelmente sobre o mesmo que nós duas... vocês...
O que não é de estranhar, pois assim como eu sou sua melhor amiga o Flávio é o melhor amigo do Antero.
Tem razão, e ele deve estar contando o real motivo que fez com que me abandonasse.
Pode ser.
O carro entrou na garagem de um prédio; ao vê-lo entrar, Fernanda disse surpresa:
Temos um apartamento neste prédio, no nono andar, e o Flávio tem um no oitavo, mas pensei que estivesse alugado...
Bem, parece que não está.
O Antero deve ter-se mudado para cá.
Agora, também, temos o motivo de estarem usando um só carro.
Morando no mesmo prédio não há necessidade de usarem dois carros para irem até o trabalho.
É... tem razão... não precisam de dois carros.
O Antero deve ter-se mudado para cá, mas será fácil eu descobrir:
tenho as chaves do apartamento.
Amanhã virei até aqui para ver se ele está morando com alguém.
Não pode fazer isso!
Se ele estiver morando com alguém, você irá encontrá-la e fará o quê?
O quê?! Vou colocá-la para fora do meu apartamento, nem que para isso seja necessário eu chamar a polícia!
Está louca?
Isso se transformaria em um escândalo!
Os jornais comentariam e a credibilidade do Antero, como construtor, iria por água abaixo!
Você não pode fazer isso!
Tem que resolver tudo com cautela.
Não se esqueça que a sua filha trabalha em uma empresa respeitada.
Um escândalo poderá afectá-la muito!
Já te disse que precisa manter a calma!
Você está certa.
Preciso agir com cautela.
Conheço o síndico do prédio.
Amanhã vou telefonar e perguntar-lhe se o apartamento está vazio.
Se estiver, viremos aqui para ver se tem só as roupas do Antero.
Assim está melhor, só poderei vir na parte da tarde.
Sabe que vou viajar e preciso colocar a minha vida em ordem, pagar contas e providenciar a dispensa da minha casa.
Renata continuará cuidando da casa e dos meus cachorros.
Não sei como você tem paciência para cuidar de cachorros!
Eu nunca consegui; mesmo quando a minha filha quis um, sempre dei uma desculpa e nunca tive animais em casa.
— Pois eu adoro os meus cachorros, com eles posso conversar.
Você não acredita, mas eles me entendem.
São óptimas companhias.
Acho que não temos mais nada para fazer aqui.
Provavelmente, eles não irão sair mais.
Vamos embora.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Vida é feita de Escolhas / Elisa Masselli

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 11 Anterior  1, 2, 3, ... 9, 10, 11  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum