O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:54 pm

Ela parou, pensou um pouco, e disse:
- Não, não posso!
Aqui sou livre, faço o que quero.
Ouço dizer que nessas outras cidades tudo é limitado, não se pode fazer o quer.
Aliás, vocês vão querer colocar em minha cabeça que o bem é bom, que praticar caridade dá alegria e nessas coisas eu não acredito.
Além do que, estou interessada em separar um casal na Terra.
Só seguirei com você se prometer que vai separar Flávio de Anita.
O Jorge disse que não tem poder para interferir nessa relação, mas se você tiver vou com você.
Hilário disse:
- Flávio e Anita estão unidos pelos laços do amor.
Casais assim não se separam com facilidade, ninguém interfere num lar onde existe amor verdadeiro.
Só o próprio casal na sua intimidade pode optar pela separação, que nesses casos ocorre sem maiores transtornos.
Quem ama libera e dá plenitude ao ser amado para que ele se expresse e seja como é.
Não acha que o que chama de amor é apenas paixão?
Ela pensou um pouco e respondeu:
- Não, eu amo o Flávio mais que tudo!
Não suporto saber que me traiu e casou com outra.
Hilário jogou sua última cartada:
- Não podemos ajudá-la nesse plano, porém posso garantir que se seguir comigo lhe colocarei frente a frente com seu amor.
Garanto que aqui com o Jorge isso nunca acontecerá.
Ela encheu os olhos de lágrimas e perguntou meio desconfiada:
- Promete mesmo?
Jura que verei o Flávio, o beijarei, o abraçarei?
- Sim, então vamos?
Ele abriu os braços e ela o abraçou.
Uma energia leitosa e branca os envolveu e eles saíram andando pela tenebrosa cidade.
Os guardas pareciam distraídos e nada perceberam, algumas pessoas também passeavam durante a madrugada, mas não viram nem Hilário nem Camila.
Depois de andarem alguns metros ele enlaçou-a pela cintura e assim volitaram para a cidade referida.
Pararam na frente de imenso muro e pesado portão de ferro.
A sua esquerda estava escrito Colónia de recuperação Campo da Redenção.
Hilário introduziu uma espécie de cartão magnético, esperou alguns segundos e um painel se abriu num compartimento do muro.
Ele colocou a mão aberta sobre o compartimento e o painel se iluminou.
Camila percebeu que o painel registou todas as impressões digitais de Hilário.
Logo depois o portão se abriu e eles entraram.
Camila estava estupefacta com o que via.
Imensos jardins floridos e verdes, bancos de madeira onde pessoas apesar da madrugada ainda conversavam.
Eles andaram um pouco mais.
Agora pisavam em rua com calçamento.
De onde estava, ela via conjuntos de casas aos milhares perdendo-se de vista.
Era tudo muito bonito, limpo e organizado.
Carlota vinha chegando com seu sorriso, abraçou-a e curioso fenómeno aconteceu:
as roupas que Camila usava mudaram de aspecto.
Exótico vestido amarelo-claro surgiu, liso e vaporoso.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:54 pm

- Não se assuste amiga, aqui a maioria das roupas é plasmada na hora pela força do nosso pensamento.
Vamos?
O autobus nos espera.
Camila olhou para Hilário:
- O senhor não vai comigo?
Vai me deixar aqui com essa estranha?
Hilário sorriu:
- O prédio onde resido é próximo da sua casa, durma, amanhã lhe farei uma visita e conversaremos melhor.
Meio desconfiada Camila seguiu Carlota.
Quanto mais andava mais se admirava com a beleza da cidade, a organização e a limpeza.
Chegaram em um ônibus um pouco diferente dos vistos na Terra.
Entraram. Carlota sentou do lado da nova amiga e perguntou:
- Para onde estamos indo?
Estou com medo e confusa.
Carlota disse:
- Esse autobus nos levará ao Conjunto Harmonia, onde graciosa casa a espera.
Eu mesma, junto com Jane e Noel preparamos para você.
Espero que esteja do seu gosto.
- Olha, para falar a verdade, estou muito desconfiada de vocês.
Não sei se você sabe, mas nunca usaram a bondade para comigo, até minha mãe foi falsa.
Por isso sei que vocês vão querer algo em troca.
Sei não, uma casa pronta, roupas bonitas...
O que quer de mim?
Carlota sorriu:
- Não seja injusta, você recebeu muita bondade quando estava na Terra, apenas preferiu olhar tudo pelo lado negativo.
Teve um pai que a amou profundamente, uma vida boa e confortável, Flávio que a amou e Rafael também.
Porque é tão ingrata?
Ela surpreendeu-se, nunca havia parado para pensar daquela forma.
- E as injustiças que recebi?
- Cada um recebe de acordo com o que irradia.
Suas crenças e pensamentos foram os responsáveis por tudo o que vivenciou.
A vida é maravilhosa, os seres encarnados é que invertem tudo.
- Quer dizer que o aborto que minha mãe me fez, o facto de ter perdido Rafael e morrido em plena juventude foi culpa minha?
Não consigo entender.
- Em breve saberá como atraiu tudo isso em sua vida.
Agora fique atenta, chegamos ao nosso destino.
A viagem não durou nem dez minutos.
Elas desceram e Camila se encantou com a bela casinha que haviam lhe reservado.
Era pequena, porém graciosa.
Um hall na entrada e pequeno jardim.
Por dentro era iluminada e tinha uma sala, um quarto, um banheiro e um cómodo para refeições.
Ela estava encantada.
Carlota se despediu e ela entrou no quarto.
Era muito simples com janela, guarda-roupas, criado-mudo e um espelho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:55 pm

Olhou-se admirada:
seu rosto estava sem a pesada maquiagem que costumava usar.
Onde estava seu estojo?
Abriu o guarda-roupas e não o encontrou, porém lá havia muitas roupas de vários estilos.
Sobre o criado-mudo havia uma bandeja com suco e pães.
Ela comeu e logo depois um torpor a invadiu.
Na cama, rapidamente adormeceu.
Hilário via tudo pelo monitor, juntamente com Carlota, e disse:
- Certamente, amanhã será um dia de desafios para ela.
Descobrirá seu passado, saberá como atraiu tudo o que vivenciou sobre a Terra e talvez se revolte.
Mas a compreensão e o amor divino a estarão amparando.
- Ela terá que enfrentar a própria realidade para poder partir segura, tentando vencer a paixão que ainda sente pelo Henrique; já sofreu muito por esse amor desenfreado.
- Não só ela como também Anita, que saiu muito prejudicada da última vez.
- Vamos orar, pedindo a Deus por todos, só com a força Dele conseguirão vencer.
O grandioso salão estava iluminado e preparado para a primeira palestra.
A reforma durou o tempo necessário e não houve atrasos, tudo saiu como Flávio desejou.
Na frente do grande palco havia 300 cadeiras, todas numeradas.
A noite estava agradável e Flávio alegre percebeu que a maioria dos convidados estava presente.
Francisca, ansiosa para começar a aprender, estava na cadeira número 1 ao lado de Anita, que agora mais do que nunca considerava o marido uma estrela.
Flávio, muito organizado, havia enviado convites para todos os centros espíritas, casas comerciais, colégios, pessoas conhecidas da família e outras tantas que poderiam se interessar pelo evento.
Nele estava escrito:
O Centro de Estudos Espirituais Luz no Caminho convida você para uma palestra onde assuntos como auto-ajuda, espiritualidade, amor-próprio e mudança interior serão tratados.
Você terá a partir de hoje um lugar para buscar uma vida melhor com orientação espiritual de terapeutas e médiuns capacitados.
Não perca nossa palestra inaugural.
Muita paz, do amigo Flávio de Menezes.
Tudo foi feito com muito carinho e assim o resultado foi o esperado.
O espaço reservado lotou.
A cortina se abriu e Flávio apareceu.
Muito feliz e concentrado ele começou:
- Queridos amigos, hoje é o dia mais feliz de minha vida.
Juntos nesta casa, estudaremos os valores eternos do espírito, trabalhando em favor do nosso progresso espiritual.
Vejo a luz que cada um irradia e sinto a ânsia e a necessidade de aprender para construir uma vida melhor e conquistar a felicidade.
Vamos começar perguntando:
- Como andam suas mentes?
Quais são seus pensamentos habituais?
Como está sua vida?
Você é feliz?
A resposta da maioria será negativa, e não é difícil perceber isto.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:55 pm

Basta parar, olhar em volta para ver a quantidade de amigos, parentes, vizinhos, com problemas dos mais variados: é a queixa de que a saúde não anda boa, de que a vida afectiva está um fracasso, que o dinheiro é escasso, que as pessoas são falsas, etc.
Vocês mesmos que estão ouvindo agora estas palavras não estão felizes.
Se estiverem, parabéns, vocês souberam apertar os botões certos e suas vidas estão seguindo o rumo das realizações.
Porém, o que mais se vê são pessoas com problemas.
Os consultórios psiquiátricos e psicológicos andam cheios de criaturas querendo sair do círculo horrível do negativismo onde elas se colocaram.
É claro que foram elas!
Somos responsáveis por tudo quanto nos acontece.
Não há nada em nossa vida que não tenha estado primeiro em nossa mente e em nosso coração, de uma forma ou de outra.
- O sábio Juvenal disse:
"Mente sã corpo são, mente doente corpo doente".
Com toda certeza esta sabedoria demonstra sua verdade.
Não há nada pior do que uma cabeça ociosa e vazia.
Vazia de ideias boas, vazia de alegria, vazia de aventura, vazia de divertimento, vazia de sabedoria.
Nosso demónio interior e os demónios exteriores começam a trabalhar de forma sorrateira e vamos perdendo dia após dia a alegria de viver.
Quando vocês virem uma pessoa desanimada, frustrada, sem vida ou cometendo absurdos, pode ter certeza:
ela está com a cabeça vazia de bons pensamentos, mas ocupadas com ideias negativas.
Vocês podem protestar e dizer:
"É mentira!
Eu trabalho, estudo, corro feito um condenado, minha mente é muito ocupada, mesmo assim ando tão pra baixo..."
É claro que anda e vai continuar a andar, piorando a cada dia.
É que as pessoas cultivam a ilusão de que o trabalho, o estudo, a vida agitada e corrida preenchem o vazio interior.
Cedo ou tarde perceberão que estão enganadas.
É claro que essas coisas são importantes, mas o alimento que preenche a alma é outro, e ele não é encontrado nas coisas exteriores.
As estatísticas revelam que o suicídio, a depressão, o vazio interior acontecem em todas as classes sociais, mostrando claramente que a condição financeira é o factor menos importante.
Acontece com as pessoas empregadas e com as desempregadas, mostrando também que a falta da ocupação externa não é a causa.
- Vamos procurar entender:
Não estou querendo dizer que o trabalho de nada vale, é claro que ele é importante.
Quando se está bem, alegre e feliz, o trabalho rende e é uma maravilha, nossa produção aumenta, atraímos energias astrais que intensificam nosso entusiasmo e nem vemos a hora passar.
O contrário se dá quando estamos de mal com a vida.
Se pudéssemos nem levantávamos da cama, trabalhar então?
Nem pensar!
Você já observou quando um funcionário trabalha com problemas?
Há irritação, nervosismo, preguiça...
Acontece o mesmo com o estudo.
Se estivermos de bem com a vida, estudaremos felizes e realmente aprenderemos.
Se estivermos mal, de nada valerá o estudo.
Não se iluda procurando fora de você soluções para seus problemas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:55 pm

Tudo o que você precisa para ser feliz está dentro da sua alma.
- Preencham suas cabeças de forma verdadeira e jamais sentirão vazio.
Mas, o que vem a ser o verdadeiro preenchimento?
É viver de acordo com a sua natureza mais profunda, valorizando seus sentimentos, ficando no bem.
Vocês têm a vida íntima que gostariam de ter?
Sua vida amorosa, familiar e sexual está como pede seu coração?
Vocês se conhecem o suficiente para saber o que realmente querem da vida?
Suas amizades são aquelas que satisfazem seu espírito?
Seu sim é sempre sim e o não sempre não?
Vocês já descobriram sua verdadeira vocação?
Vocês se aceitam integralmente como são?
Aceitam seus defeitos com naturalidade buscando melhorar e reconhecer suas qualidades?
Já aprenderam a aceitar o ser humano que há em cada pessoa que convive com vocês?
Deixaram de criticar, de ter complexos de superioridade e de inferioridade?
Aceitam que a vida é livre e incontrolável e já sabem se adaptar aos seus ciclos?
Já baniram por completo a inveja de seus corações?
Deixaram de desejar o mal ao próximo?
Já perceberam que vocês não são melhores nem piores que ninguém?
- Se responderem não a apenas um destes itens, fica claro que é preciso mudar.
Ocupar a mente com coisas positivas.
Descobrir seu mundo interior onde Deus colocou todas as respostas mostrando o caminho para seu progresso espiritual.
Cumprir sua função na Terra, trabalhando, estudando, cuidando da família, do progresso do planeta é um dever para com a vida, que nos dá a oportunidade de aprender aqui.
O dever cumprido nos ajuda a encontrar a paz.
Mas a realização do nosso espírito, a conquista da felicidade está dentro de nós, no desenvolvimento de nossos potenciais e na maturidade do nosso espírito.
- Se você quer a felicidade terá que conquistá-la passo a passo, aprendendo a lidar de forma adequada com todas as situações da vida.
Nesse processo, cada um é um e o que serve para mim, talvez não sirva para você.
Entre dentro de você e tente descobrir como conquistar a sua felicidade e nesta casa, juntos, auxiliados pelos amigos espirituais, vamos procurar encontrar o próprio caminho.
Assim que a palestra acabou Flávio deu avisos importantes.
Falou que o Centro funcionaria todos os dias da semana ficando as segundas-feiras para o tratamento de desobsessão, as terças para as palestras educativas e de auto-ajuda gratuitas, as quartas para o curso de educação mediúnica.
Nas quintas-feiras haveria o curso pago com o título "Prosperidade", sexta e sábado seria outro curso o "Poder da Mente e Metafísica" e um domingo por mês haveria o curso também pago sobre "Saúde e Doença".
Ele também avisou que todos os interessados deveriam passar na portaria, dar seu nome e endereço, confirmando os preços de cada curso.
Os nomes das pessoas em estado de obsessão seriam colocados por uma secretária numa agenda, e Flávio submeteria cada nome à consulta com os guias espirituais, para saber se o tratamento seria a distância ou com o paciente no próprio Centro.
Explicou também que cada caso é um caso e que só os mentores de elevada hierarquia dariam a última palavra no tratamento.
Terminou dizendo que a desobsessão às segundas-feiras seria fechada e iniciaria as oito em ponto, mesmo assim a equipe treinada e disciplinada atenderia os casos especiais que necessitassem de socorro urgente.
Essas pessoas devem chegar ao Centro quinze minutos antes de a porta fechar.
Agradecendo a presença de todos, Flávio encerrou a reunião.
Em seguida, foi rodeado por muitas pessoas que satisfeitas, foram cumprimentá-lo.
Naquele dia, Flávio sentiu que finalmente estava exercendo sua vocação, fazendo um trabalho que lhe dava imensa realização interior.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:05 pm

18 - AJUDANDO O CÉU
No Centro de Estudos que Flávio dirigia com carinho e amor realmente prosperou.
A princípio poucas pessoas frequentavam seus cursos, porém com o passar do tempo a frequência foi aumentando para a felicidade dele.
Poder passar tudo o que havia aprendido com os mestres era um prazer indescritível.
Agora entendia por que não se dava bem com os trabalhos que fazia, é que sua real vocação, seu real desejo ainda não tinham se tornado claros para ele.
A renda de seus cursos a princípio era mínima, todavia ele não desanimava.
Porém, o trabalho que mais lhe dava prazer era a desobsessão.
Apesar de não ser num Centro Espírita propriamente dito, esse trabalho vinha dando frutos, principalmente no seu próprio lar, onde terrível processo se instalou.
No terceiro mês de gravidez, Anita começou a se sentir muito mal.
Desmaiava e demorava a acordar.
Os médicos tranquilizavam Flávio, dizendo se tratar de sintoma passageiro, já que ela não tinha nenhum problema físico.
Realmente passou.
Anita não desmaiou mais, porém estranha sensação a acometeu.
Passou a rejeitar o marido e a sentir raiva dele.
Ela que sempre fora amorosa estava transformada, evitava qualquer contacto com ele por mínimo que fosse.
Tudo aconteceu muito rápido.
Camila se adaptou facilmente à nova vida com os amigos Noel, Carlota e Hilário.
Todos os dias cobrava a promessa que lhe fizeram:
veria Flávio e poderia até abraçá-lo.
Assim foi feito.
Saindo do corpo ele viu Hilário à sua frente.
- Flávio, há uma pessoa que te ama muito e precisa te ver.
Embora não esteja autorizada a falar muitas coisas, se contenta apenas com um abraço terno e amoroso vindo de você.
Flávio pensou por alguns instantes e disse:
- Será quem eu estou pensando? Será Camila?
Nesses seis anos de desencarnada nunca consegui obter nenhuma informação sobre ela.
Por quê?
- Você sabe que nem todas as informações do plano espiritual podem ser passadas aos encarnados.
Existe por aqui um controle para certas informações e só na hora exacta elas são transmitidas.
Ê imperioso que o homem ignore certas verdades para que possa viver em equilíbrio.
- Sei disso, mas é que a amei demais, gostaria de saber se está bem.
Nessa hora um vulto surgiu em sua frente e foi se corporificando.
Era Camila. Estranha emoção o acometeu ao olhar seus olhos.
Ela não conseguiu conter as lágrimas.
Correu e o abraçou, beijou-o repetidas vezes no rosto, transmitindo tudo o que sentia.
Ele estava estático, não sabia como agir.
Perguntou:
- Você está bem?
- Agora mais do que nunca, pois estou perto de você.
Mesmo sabendo que já se casou, não consigo deixar de te amar.
Ele respondeu:
- Além do casamento, estamos separados por uma faixa energética, mas fico feliz ao saber que está bem.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:05 pm

Ela disse:
- Muitas coisas ocorrerão em meu destino.
Eles dizem que tudo é para o melhor, porém estou com medo, desejo ficar do seu lado para sempre.
Você me transmite paz e segurança.
- Nunca estaremos realmente separados, o pensamento é energia viva e onde quer que eu esteja estarei também pensando em você.
Ela sorriu:
- Estranho.
Nem a morte consegue acabar com um amor quando ele é verdadeiro.
Gostaria de saber se Anita vai um dia liberar você para mim.
- Não pense no futuro.
Cuide de você, aprenda a viver melhor, siga o destino que Deus agora te reserva.
Um dia quem sabe poderemos nos unir em melhores circunstâncias.
Naquela época eu era um adolescente inexperiente, com medo da vida, órfão.
Você estava revoltada, se agredia, por isso morreu daquela forma.
Quem se trata mal, agride-se ou ao seu semelhante e está sempre apto a morrer também de forma violenta.
Modifique-se para que numa próxima existência viva melhor.
Ela não se conteve:
- É que vou renascer na...
Hilário rapidamente lançou uma energia cinza, que paralisou sua voz.
Olhou para Flávio e disse:
- Infelizmente filho, deverá esquecer o que ouviu aqui.
Ainda não pode lhe ser revelado que Camila será sua filha.
Dizendo isso lançou em Flávio uma energia violeta que o fez adormecer e levou-o de volta ao corpo.
Quando ele acordou lembrou-se de tudo com nitidez, menos da parte final que não estava clara em seu cérebro.
O que Camila havia dito mesmo?
Não se recordava.
Intimamente agradeceu a Deus aquele encontro e por saber que ela estava bem.
Porém, Camila não se conformou.
Cada dia que passava, ligada a Anita pelos laços do reencarne, ela sentia um ódio surdo brotar de seu peito.
Ela não merecia ficar com o amor de sua vida.
Iria acabar com a vida dela. Hilário foi ao seu encontro:
- Minha filha, se continuar assim será obrigada a deixar esta estância de paz e refazimento.
Suas energias negativas a levarão para a Terra e seu reencarne se dará em circunstâncias não muito boas para você.
Com seu livre-arbítrio poderá optar agora pela felicidade de uma nova vida ou entrar na mesma, cheia de ódio, e sofrer as consequências.
- Por que só dão razão a ela?
Não vê que Anita é o único empecilho para que eu ame o Flávio?
Ele pode sair do corpo e se ela morrer ele poderá vir se encontrar comigo todos os dias para sermos felizes.
- Não seja tão ingénua filha.
As leis que regem os diferentes planos são rígidas.
Mesmo que Anita desencarnasse, Flávio não poderia vir aqui para estar com você, ele tem uma sagrada missão na Terra e a tem desempenhado bem.
Deus não permitiria que isso acontecesse.
- Que Deus é esse que me deixa longe do meu amor?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:05 pm

Ele pensou e resolveu:
- Vou lhe dizer tudo para que possa raciocinar melhor e decidir.
Só daqui a algum tempo você terá acesso a certas informações, antes de sua total inconsciência devido à reencarnação.
Porém, suas energias pedem uma solução para seu conflito e antes que acabe comprometendo a gravidez.
Ela se irritou:
- Que verdade é esta que vivem falando em segredo?
É você, é Carlota, são todos que vêm com esses mistérios e não dizem nada, já estou ficando irritada.
- O que você chama de mistério é todo o drama que envolve sua vida passada com Flávio e Anita.
Chegou a hora de rever.
Ela, meio incrédula, seguiu Hilário que a levou até o parque dos lagos.
Sentaram à beira de um deles e de suas águas começou a surgir uma imagem.
Era o ano de 1756, época em que certas doenças não tinham cura, a lepra era uma delas.
Um casarão antigo no leste de Minas Gerais servia de leprosário.
Em meio a todos aqueles doentes havia um jovem de rara beleza que estava lá como voluntário cuidando de feridas.
Enquanto fazia esse serviço um negro entrou no quarto e o chamou:
- Sinhozinho Henrique, sinhá Helena está lhe chamando lá fora.
Ele pareceu se irritar dizendo:
- O que ela veio fazer aqui?
Sabe que estou trabalhando e não gosto de ser interrompido.
- Num sei sinhó, mais ela disse que lhe fala com urgência.
Henrique deixou o doente e saiu.
Foi encontrá-la em rica carruagem, já na estrada, um pouco longe do leprosário.
- O que quer aqui?
Sabe que não gosto de ser interrompido quando trabalho.
Helena fingiu não perceber o desagrado e falou:
- Vim trazer um recado urgente de seu pai.
Ele ordena que volte para a fazenda o quanto antes, diz que um rapaz como você não deve ficar aqui cuidando de doentes.
Se não obedecer mandará você de volta à França.
Henrique ficou contrariado:
- O que tem de mais um rapaz como eu?
Só porque sou filho de fazendeiro e estudo fora não sou melhor do que ninguém.
Ela replicou:
- Você não se olha no espelho?
Não vê as formas que tem no rosto, no corpo?
Não vislumbra sua magnífica origem?
Não pode e nem deve ficar aqui com esses malditos leprosos.
Ele se deixou dominar pela indignação:
- E você o que tem que ver com isso?
Por que veio ser a mensageira de meu pai?
O António poderia vir sozinho, porém mais uma vez está tentando guiar minha vida.
Quando começamos a namorar, eu não a conhecia direito, não sabia que você era tão mesquinha.
Por isso, tudo terminou e não tem volta.
Ela abriu elegante leque e disse entre dentes:
- Vim porque quero constatar o que lhe prende aqui.
Sei que não são esses míseros doentes.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:06 pm

Deve ter uma mulher no meio disso.
Ela deve estar fazendo sua cabeça.
Se eu descobrir...
Ele irritou-se:
- Deixe-me em paz, vá embora e avise meu pai que só sairei daqui quando o trabalho terminar.
Ela vencida e lançando um olhar vingativo, já ia embora quando uma jovem de especial beleza saiu da casa.
Trajava uma espécie de avental e tinha um lenço na cabeça.
Ela ingenuamente aproximou-se da carruagem e dirigiu-se a ele:
- Henrique, terminei meu serviço de hoje, partirei imediatamente para casa antes do pôr-do-sol.
Vim lhe avisar que aquela família piorou bastante.
Depois que o senhor saiu à mãe começou a ter delírios e os filhos clamaram chorando muito.
Mas o pai... Esse não passa de hoje.
Henrique fez um ar triste e disse:
- Obrigado Anete, sei que tem se esforçado muito, mas quando chega à hora, só a fé em Deus pode nos amparar.
Permita que a leve para casa.
O sol já se escondeu de todo no horizonte.
Pelo semblante de Helena passou um vislumbre de ódio.
Então era ela, era ela a mulherzinha que ousava roubar-lhe Henrique.
Pois ela sentiria o peso de seu ódio.
Henrique virou-se para o escravo e disse:
- António, leve a Helena daqui, ela pode se contaminar e eu não desejo sentir-me culpado por isso.
Virou-se para ela.
- E você pense em tudo o que falei.
Esqueça-me, procure casar e ser feliz com outra pessoa, é o melhor que pode fazer por você mesma.
Ela estava irada:
- O quê? E ainda tem coragem de falar isso na frente desta mulherzinha?
Veremos. Você vai ser meu, custe o que custar!
A carruagem saiu em disparada e logo desapareceu na curva da estrada.
Anete, sempre respeitosa e temerosa, perguntou:
- Do que ela me culpa?
Sinto que me olhou com desdém e ódio apesar de eu nada ter feito para ela.
Tenho medo de estar me envolvendo com pessoas dessa estirpe.
Sou filha única, não tenho pai, desejo ver-me livre de qualquer confusão.
Henrique, que já a amava sinceramente, procurou contemporizar:
- Essa mulher foi minha noiva durante dois anos, apesar de a pressão de minha família, nunca me casei, por não ter certeza de que a amava.
No começo, nossa relação foi muito boa, andávamos muito unidos, mas depois ela passou a ter um ciúme exagerado de mim, a me tratar como posse.
Desde esse dia comecei a desconfiar que não a amava de verdade.
Essa ideia tomou conta de mim e passei a me sentir indigno por estar com alguém a quem não amava de verdade.
Rompi a relação, porém ela continuou obstinada a me reconquistar.
Isso tornou-se uma verdadeira obsessão para Helena, e eu lhe digo:
fique tranquila, nada de mal vai lhe acontecer, eu a protegerei.
Dizendo isso Henrique tomou-a pelo braço e juntos iniciaram uma caminhada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:06 pm

Feliz, mais uma vez ele levaria aquela bela enfermeira que tão amorosamente dedicava-se a cuidar de leprosos.
Certamente, o amor morava em seu peito.
As imagens nas águas do lago apagaram-se.
Camila chorava sem parar. Hilário a confortava:
- Eu sei filha, que a consciência culpada costuma cobrar um tributo muito caro para aqueles que ainda não aprenderam a evoluir pela lei do amor.
Porém, tudo isso já passou há séculos, é hora de seguir adiante.
Ela comentou entre lágrimas:
- Lembrei, lembrei de tudo.
Desde aquela época como Helena já era fútil, vaidosa e egoísta.
Não soube perder e por isso muito errei.
Henrique hoje é Flávio e continua com seu trabalho de amor pelas pessoas.
Anete é Anita, a inimiga que tanto odiei.
A família que Flávio tratava com tanto amor naquele leprosário eram os Carbajaua que actualmente são Ângelo, Érica, Marina e Cristiano.
Mas eu quero ver tudo até o fim, preciso saber o que fiz depois, não posso mais me esconder no véu do esquecimento.
- Tem certeza de que está preparada?
- Sim, preciso saber quem sou e a causa de tudo que experimentei nessa vida presente.
O lago voltou a iluminar-se e novas imagens começaram a surgir:
A carruagem ia depressa, enquanto Helena pensava:
"Preciso destruí-la.
Sei que é ela.
Vi o jeito que ambos se olharam.
Ele me troca por qualquer, mas isso não ficará assim".
Nessa hora duas sombras escuras colaram-se a ela com prazer.
Quando Helena chegou na Fazenda Florença, tratou de fazer uma péssima imagem de Henrique para o pai.
Semeou na mente do coronel Epifânio que o filho estava prestes a se contaminar da doença horrível e que estava se envolvendo com uma mulherzinha qualquer, sem nome ou moral.
O coronel ficou irado e decidiu que no outro dia procuraria o filho e o traria de volta, custasse o que custasse.
Pela manhã do outro dia foi procurá-lo.
Assim que estava frente a frente com o filho, bem longe do local doentio, ele falou:
- Meu filho insano!
Voltará pra casa hoje e comigo, assim eu exijo.
- Não voltarei, tenho um trabalho, uma missão para realizar aqui com esses doentes e não vou, nem que me deserde.
- Filho! Ouve teu pai!
Sua mãe chora dia e noite lembrando que você está aqui exposto ao contágio de uma doença ruim, se é que já não está doente.
A Fazenda Florença não é mais a mesma sem você, sem seu brilho, sua inteligência...
- Preciso ficar aqui, vocês não entendem...
Eu quero, sinto-me bem prestando serviço a quem sofre!
O pai se comoveu, mas foi firme:
- Não adianta tentar me enganar, você pode até gostar do que faz aqui, mas o que lhe prende mesmo é uma mulher, uma enfermeira da casa.
Henrique se contrariou:
- Como sempre a Helena interferindo no destino dos outros e querendo levar o senhor na conversa.
Não percebe o jogo que ela está fazendo?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:06 pm

A Anete é apenas uma das enfermeiras daqui, tenho muito respeito e carinho por ela, mas é só.
- Espero que seja mesmo.
Já vi que não conseguirei levá-lo comigo.
Mas uma coisa eu aviso:
você não manchará a honra de uma família nobre como a nossa, casando-se com qualquer.
Dizendo isso se foi.
Henrique triste e decepcionado com o pai começou a chorar.
Anete se aproximou:
- Nossa, sua família de ontem pra cá começou a lhe procurar mesmo.
Não acha melhor desistir daqui e voltar para os seus?
Há seus estudos em outro país e com isso nenhum pai pode concordar:
um filho deixar de estudar para cuidar de doentes.
Ele enxugou uma lágrima teimosa e respondeu:
- Estou de férias, posso ficar aqui à vontade.
Não há motivos justos para nos desviarmos do trabalho do bem, vou ficar!
Anete corou de prazer:
- Você é determinado, gosto de pessoas assim.
Ele respondeu:
- Você também é determinada e corajosa.
Não é qualquer uma que se torna enfermeira de um lugar como esse, estamos correndo sério perigo de contágio.
Ela corou ao dizer:
- Por você eu perco qualquer medo.
Henrique sentiu a declaração de amor e aproveitou:
- Sinto-me muito bem ao seu lado, gostaria de tê-la como esposa, gosto muito de você.
Ela, que não esperava que as coisas caminhassem tão rápidas, sentiu-se vitoriosa:
- É tudo o que eu mais queria:
ser sua mulher, cuidar de você, estar ao seu lado...
Eles se beijaram com paixão.
De repente, uma senhora enrugada, surgiu na porta e gritou:
- Henrique! Anete!
Corram, seu Paulo agoniza.
Eles interromperam a manifestação afectiva e correram para o interior do leprosário.
Numa cama simples, um homem chegava ao fim de sua jornada terrestre vítima do bacilo de Hansen.
Trabalhando durante semanas com ele, Henrique sentia-se apiedado diante de sua própria impotência.
Ver um ser humano morrendo envolto em farrapos, sem os dedos, sem as orelhas e o nariz era muito penoso.
Nessa hora ele não entendia a bondade de Deus e até questionava se Ele realmente existia.
O velho olhou para o semblante lindo do rapaz e olhos nos olhos, iniciou agonizante:
- Filho, não sei como poderei um dia te agradecer por tudo o que tem feito por mim, se não fosse por sua bondade, não teria o alívio que tive.
Que Deus te abençoe.
Parto deste mundo, mas vou confiante que a minha família ficará nas mãos de um anjo.
Em três leitos no mesmo quarto, três pessoas em estados cadavéricos choravam.
Elas faziam parte da família de Paulo.
Era sua mulher, sua filha e seu filho.
Todos moravam juntos e a vida era boa, até que contraíram a doença e foram expulsos de casa pelos vizinhos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:06 pm

Henrique sempre que estava de férias, procurava uma dessas casas de doentes tão comuns na época, para prestar auxílio.
Quando viu chegar à família de leprosos ele a acolheu e a tratou.
Porém, sentia que perto da vida ele era completamente impotente.
Começou a chorar.
A freira Veridiana rezou uma espécie de extrema-unção, e logo depois puxou Henrique pelo braço, que chorando se abraçava ao cadáver.
Veridiana muito serena afirmou:
- Este não é o primeiro, nem será o último que morrerá assim, é preciso entender que é necessário, Deus muitas vezes sublima o homem pelo sofrimento, acredite, Ele só faz o melhor.
Henrique enxugando as lágrimas discordou:
- Não posso admitir uma coisa dessas, se eu fosse Deus, teria curado todos!
- Não blasfeme!
Querer ser Deus é um sacrilégio dos piores.
Ele cuida de todos nós da forma Dele e com certeza é a mais correta.
- Irmã Veridiana, acredita que essa doença algum dia poderá ter cura?
- Sim! Um dia, quando a vaidade for exterminada da Terra todos alcançarão a cura não só deste como de muitos outros males.
A vaidade cobra um preço alto para quem a cultiva.
Henrique ficou curioso:
- Acredita que uma doença pode vir por causa da vaidade?
Então Deus está dando um exemplo de que a vaidade é um mal?
- Meu filho, muita coisa ainda vamos aprender, porém eu tenho observado como a natureza age e descobri há muito que a causa das doenças reside no padrão espiritual da pessoa atingida.
Se ele é lealmente elevado nada as atinge, porém se é um baixo padrão cultivado por vaidades, crimes, arrogância, orgulho, egoísmo e tantos vícios horríveis que a humanidade cultiva, certamente ele adoecerá.
Não é à toa que se vêem tantos doentes pelo mundo.
Henrique acalmou o coração.
Aquela freira tinha algo diferente das demais.
Quando falava, seu rosto mudava de expressão, parecia que o olhar perdia-se num ponto distante e até a voz modificava-se um pouco.
Apesar de ele estudar muito a ciência terrena nunca tinha conseguido entender certos porquês da vida.
O corpo foi jogado numa vala onde jaziam outros corpos já delidos.
Henrique continuou cuidando do resto da família com desvelo e amor, porém viu um a um ser chamados pela morte.
Chorava a cada acontecimento deste.
Logo depois do pai foi à vez de Matilde, uma moça ainda jovem e depois José o mais novo.
Por último se foi dona Eulália, a que mais sofreu.
Hilário parou as imagens para dar algumas explicações necessárias.
Virou-se para Camila e disse:
- Aquela família que Henrique tanto se afeiçoou foi mais tarde Solano, Zuleika, Marina e Eduardo Carbajaua.
Não conseguindo vencer os impulsos negativos continuaram na delinquência e no preconceito, até que desencarnados e sob a orientação de Henrique conseguiram reencarnar.
Eles foram no Brasil Ângelo, Érica, Marina e Cristiano.
Henrique renasceu para cumprir uma missão e ajudá-los.
Foi chamado de Flávio.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:06 pm

Camila interrompeu:
- Lembrei-me de tudo!
Como fui egoísta!
Quando Henrique voltou para os estudos, o pai dele foi procurado pela mãe de Anete, contando que ela estava grávida e que o filho seria seu neto.
Eu, que morava em fazenda vizinha, e sempre estava por perto, acabei presenciando a cena e disse ao velho Epifânio que se tratava de um golpe daquela mulher, que jamais Henrique teria um filho com qualquer.
Porém, ele não acreditou e foi procurar Anete.
Lá chegando ela mostrou as cartas que recebia de Henrique e a última em que ele demonstrava toda a felicidade em ser pai, orientava também que Anete e a mãe procurassem por Epifânio, pois com certeza ele não as deixaria desamparadas.
E foi o que o velho fez, além de acreditar em tudo o que elas disseram, por causa da gravidez deu-lhes dinheiro para que arcassem com as primeiras despesas.
Fiquei furiosa e tramei a morte de Anete.
Contratei um capanga que matou ela e a criança com três tiros.
Henrique quase enlouqueceu, porém a freira Veridiana hoje a médium Margareth da Inglaterra o consolou e ele acabou seus dias como padre, entregue ao sacerdócio religioso.
O capanga que hoje sei tratar-se de Rafael apaixonou-se por mim e acabamos mantendo um romance.
Para todos eu era uma solteirona virtuosa, porém às escondidas mantínhamos um relacionamento, até que acabei o traindo com um capataz da fazenda e terminei morta por ele que me pegou em flagrante.
Como errei, como tenho errado!
Fez uma pausa, olhou para Hilário e continuou:
- Agora entendo tudo o que passei nesta última encarnação.
Assim como fui preconceituosa com Anete que era pobre, senti na pele o peso do preconceito ao me apaixonar por um negro.
Matei uma pessoa grávida e senti meu filho ser retirado de forma horrível de meu ventre, e para completar, morri com tiros, assim como outrora matei alguém.
Essa foi à vingança divina.
Hilário sério rectificou:
- Você está enganada, Deus não castiga ninguém, muito menos se vinga ou se sente feliz com o sofrimento humano.
Você atraiu tudo o que vivenciou por ter continuado no mesmo padrão de pensamento do passado.
A lei de Talião só é usada em último caso.
Antes Deus procura alertar as pessoas de várias formas para que elas aprendam pela lei do amor.
A lei do carma não é usada para punir, mas para proporcionar aprendizado e evolução.
O motivo maior da vida humana é seu caminhar rumo à perfeição e infelizmente você para chegar até ela tem escolhido caminhos tortuosos.
Ela não conseguia acompanhar o raciocínio de Hilário.
- Estou confusa.
Se não fui punida, por que eu vivenciei todo esse drama?
Afinal, já estou bem melhor espiritualmente.
Ele sorriu ao dizer:
- Não existe alguém bom sofrendo, pode ter certeza.
Se a pessoa estiver realmente arrependida do mal que fez, reconhecer que é a única responsável pelo que lhe aconteceu e procurar ficar no bem, terá condições de modificar o seu destino e ter uma vida melhor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:07 pm

- Aparentemente você havia melhorado, mas bastou um golpe da vida para provar que você continuava igual.
Em pouco tempo passou a se tornar vingativa, vestindo-se de forma agressiva para provocar sua mãe, sem contar os vícios nos quais se embrenhou.
Quando conheceu Flávio, mais uma vez deixou-se levar pela paixão.
Quando foi alertada de que ele não ficaria com você, logo fez um pacto com um pai-de-santo para segurá-lo a todo custo.
Quis violentar a vida mais uma vez e a violentada foi você.
Como vê, não existe punição, apenas aprendizagem.
Hilário fez uma pausa e prosseguiu:
- Antes de renascer você prometeu que mudaria.
Para isso lhe foi concedida poderosa mediunidade e ao lado de Flávio faria belo trabalho a favor do bem.
O encontro amoroso de vocês seria inevitável, porém com o tempo Flávio perceberia que não a amava e terminaria o vínculo afectivo que ambos tinham.
Você deveria aceitar e procurar ser sua amiga.
Com o tempo novos amores viriam e você teria a chance de escolher.
Anita apareceria na hora exacta concretizando o casamento que foi interrompido por você anteriormente.
Como amiga do casal a vida lhe daria chances de redimir os seus erros, e unida a Flávio no trabalho da mediunidade fraterna teria chances de saber como a vida espiritual funciona e com isso conquistaria o equilíbrio.
Porém, você preferiu seguir as intuições perversas, como sensitiva captava facilmente as energias de espíritos alcoólatras e viciados e perdia-se cada vez mais.
Nem o encontro com Flávio conseguiu modificá-la.
Você criou todo o seu destino.
Camila chorava muito, só agora percebia que foi a única responsável por tudo que ocorreu na sua vida.
De nada adiantava o desespero, mais do que nunca percebeu que Deus agia pelo melhor e que tudo era para um objectivo elevado.
Naquele instante desistiu de imantar Anita com vibrações de ódio, devia-lhe a chance de uma nova vida.
Aceitaria ser sua filha, tentaria amá-la e provar para si mesma que tinha se tornado um espírito melhor.
Hilário abraçou-a pela cintura e juntos seguiram para o grande salão de prece da colónia.
Anita, que era sempre amorosa e dedicada a Flávio, passou a rejeitá-lo sem nenhum motivo.
Trancava-se no quarto e evitava recebê-lo.
Ele logo percebeu que era influência espiritual; se levasse ao médico ele suspeitaria alguma enfermidade nervosa, o que Flávio sabia ser improvável naquele caso.
No princípio, Anita sentia as ondas negativas vindas de Camila, porém depois que ela reviu o seu passado ao lado de Hilário, deixou de perturbá-la, mas outros espíritos aproveitaram-se da fragilidade emocional da gestante e continuaram fazendo o trabalho perverso que antes Camila fazia.
Naquela tarde, Flávio mais uma vez bateu na porta do quarto da esposa, decidido a levá-la ao Centro para tratamento espiritual.
Em transe, ele comunicou-se com Hilário, que disse se tratar realmente de obsessão, indicando-lhe o tratamento para aquela mesma noite, solicitando urgência.
Flávio continuava batendo insistentemente na porta e Anita gritava:
- Deixe-me em paz!
Volte para aquele lugar, aliás a coisa que você mais ama na vida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:07 pm

Ele paciente tentava convencê-la:
- Abra, preciso conversar com você, prometo não fazer nada que você não queira.
A empregada estava do lado dele e dizia:
- Como o senhor vê, ela continua muito estranha, hoje nem almoçou.
Fui levar a bandeja no quarto e ela quase me agrediu, jogou tudo no, foi uma trabalheira.
Flávio insistia:
- Abra Anita, o assunto é sério, converso com você e depois te deixo em paz.
Dentro do quarto, ela gritou:
- Fale daí mesmo, não posso ver seu rosto.
O que quero mesmo é expulsar você e essa criança de minha vida.
Quando sair daqui saberei o que fazer!
Flávio gelou, então ela estava pensando em fazer um aborto?
Dentro dele algo se rebelou, ele sentiu uma força agressiva muito grande e arrombou com vários chutes a porta.
Quando conseguiu entrar, encontrou Anita pálida, deitada em posição defensiva.
Ela gritava:
- Seu monstro, pensa que vai me assustar assim?
Saia ou não responderei por mim!
A empregada que entrou junto com o patrão disse angustiada:
- É melhor o senhor sair daqui, ela está desequilibrada e pode cometer uma loucura, aliás, acho que uma pessoa neste estado está completamente louca, quer que eu ligue para o Dr. Eduardo?
- Não! Pode se retirar, deixe-me a sós com ela.
- Mas ela pode agredi-lo, veja!
Nesse instante Anita pegava um vaso grande de cristal que enfeitava o cómodo e fazia menção de jogar no marido.
Ele, ágil, partiu para cima dela, desarmou-a e jogou-a na cama.
Ela começou a gritar e a morder o marido enquanto o vaso de cristal quebrava-se inteiro no chão.
Flávio dominou-a e intimamente começou a orar.
Um cheiro fétido dominou todo o quarto e em poucos segundos Anita estava desmaiada.
A empregada assustada, chorava sem parar.
Flávio tranquilizou-a:
- Fique calma, o pior já passou, ela está bem novamente.
Chorosa, ela disse:
- Bem que me avisaram para não vir trabalhar em casa de pessoas que lidam com espíritos, vejo que aqui acontecem coisas estranhas.
O que se passou com ela, com certeza, é coisa de seres das trevas, ela estava possessa.
Flávio explicou:
- É verdade, ela está sendo vítima de um ataque das trevas.
Mas isso não acontece só em casa de pessoas que lidam com espíritos.
Em todos os lares da Terra existem seres espirituais que quando acham abertura interferem e causam desarmonia.
A vantagem dos espiritualizados é que eles sabem agir com exactidão e contam com as energias superiores.
Se esse fato ocorresse em uma casa de pessoa materialista, ela seria levada a um hospital e teria um tratamento perfeitamente dispensável, que não seria indicado para seu caso.
Ela pareceu entender e perguntou:
- E agora? Ela parece desmaiada, o que vai acontecer com ela?
- Vou levá-la adormecida para a câmara de passes e depois para a sala de desobsessão.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:07 pm

Lá, juntamente com meus amigos médiuns, saberei o que fazer para ajudá-la.
Anita dormiu o resto da tarde até a noite.
Era um sono pesado e angustiado.
Por vezes ela suava muito, outras chamava nomes que ninguém entendia.
Às sete e meia Ernesto e Marilda chegaram na casa de Flávio.
Marilda ao olhá-la, disse:
- Trata-se de poderosa subjugação.
Não sei se poderemos libertá-la nesta sessão.
Flávio reconheceu que era verdade.
Porém, em sua experiência, dizia que desistir era pior.
Os três rezaram e colocaram as mãos sobre o corpo de Anita que estremecia de vez em quando.
A empregada assustada procurou rezar também.
No horário marcado todos partiram para o Centro.
Ao chegarem com Anita ainda adormecida encontraram Walter e mais três médiuns que fariam parte da sessão íntima.
Eles deram passes e oraram chamando pelos amigos espirituais.
Todos fizeram um círculo e colocaram Anita deitada no meio.
Flávio fez a prece inicial e entrou em comunicação com Félix o orientador e instrutor dos trabalhos de desobsessão.
Já em desdobramento, Flávio pôde ouvir o que Félix lhe dizia:
- Ela está envolvida por entidades que sugam suas energias.
Vimos intuir aos médiuns que dêem passagem a esses espíritos para iniciarmos o trabalho de doutrinação.
Flávio indagou:
- Hoje não servirei de instrumento?
- Sim, servirá, eu me utilizarei de suas cordas vocais para tentar convencer as entidades a deixarem Anita.
Voltando ao corpo, Flávio esclareceu:
- Félix nos diz que os espíritos obsessores serão trazidos para cá esta noite.
O médium que estiver em condições de dar passagem para que eles se comuniquem deve fazê-lo com muito amor e respeito.
Minutos depois uma mulher começou a tremer e a sorrir maliciosamente, e de repente falou:
- Que querem de mim?
Pensam que estão lidando com quem?
Sou poderosa, posso fazer este tecto vir abaixo e todos morrerem soterrados.
Flávio, livre do corpo, deixou total espaço para Félix utilizar suas faculdades. Ele disse:
- Não precisa ficar zangada, apenas queremos conversar e saber por que se aproximou de Anita.
Ela, rindo zombeteira, falou:
- Esta aí é muito fraca, serve a nós como repasto, estamos sugando suas energias e fazendo-a ficar longe do marido.
Agora que conseguimos um repasto vivo não o deixaremos por nada, exijo que não interfiram, ou não responderemos por nós.
Félix, através de Flávio, continuava a falar muito sereno:
- Você está fazendo algo que não é bom nem pra você nem pra ninguém, sente-se feliz depois de usá-la?
Acaso não percebeu que esse processo só faz aumentar seu grau de responsabilidade perante a lei?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:07 pm

- Cale-se garoto fraco!
Não abandonarei sua esposa jamais, ela me permite, dá espaço, tem ciúme de você.
Sabe intuitivamente que o espírito que vai nascer através dela pode vir a separá-los no futuro; portanto, inconscientemente, ela se afasta de você, não permitindo que esse espírito esteja ao seu lado.
Se não fosse o ciúme nós não estaríamos tratando-a como nossa refeição energética.
- Sabe, Deus dá a todos a chance de escolher e treinar através da liberdade, porém dia chegará que terá de deixá-la, você e seus companheiros, para assim assumirem a responsabilidade por suas atitudes.
Nessa hora, um médium soltou alta gargalhada:
- Pensam que vão fazer a cabeça de minha tutelada?
Não sabem com quem estão lidando, saibam que se não desistirem, mandaremos Anita para o hospício.
É bom que parem agora antes que seja tarde.
Félix continuou imperturbável:
- Não queremos fazer a cabeça de ninguém, cada um é livre para pensar.
A maior liberdade que o ser humano possui é a do pensamento, apenas gostaríamos que a deixassem em nome de Jesus.
Há um espírito unido a Anita e precisa renascer em paz; o que estão fazendo não pode ser pra sempre.
Quem faz o mal embriaga-se com ele e essa mesma energia fará com que a pessoa se sinta mal, atraindo para si o sofrimento e a tristeza.
É isso o que quer para sua vida?
- Não admito que falem assim comigo, sei o que estou fazendo e dou um último aviso:
desistam desse intento ou não saberemos onde essa história vai dar.
Dizendo estas palavras os espíritos saíram e toda a equipe permaneceu em oração.
Félix, ainda utilizando o corpo de Flávio, prestou alguns esclarecimentos:
- Anita vai melhorar um pouco, há aqui uma equipe de espíritos amigos que está banhando a aura dela com energias boas e fortalecedoras, porém o grupo que se apresentou aqui hoje não desistirá facilmente; são antigos vampiros do astral inferior que querem sugá-la até onde puderem. Não se impressionem pelas palavras deles, o bem é mais forte que o mal e sempre vence.
Eles não conseguirão enlouquecê-la, nem levá-la ao hospício, porém para isso é necessário que Anita venha frequentemente às reuniões de desobsessão, pois só aqui temos equipamentos suficientes para aos poucos desmagnetizar a aura dela dos blocos de energia negativa a que se imantou pelo ciúme.
A reunião terminou com a prece de Cáritas e Flávio ao levar a esposa já acordada, porém calada para casa, percebeu que ajudar o céu muitas vezes é difícil, porém com amor e perseverança sempre se consegue.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:07 pm

19 - A LUTA CONTINUA
Durante o trajecto de volta para casa, Anita ia calada e pensativa.
A sessão conseguiu desbloquear algumas energias negativas, porém ela continuava ainda sob a influência dos espíritos inferiores.
Flávio tentou uma conversa:
- Sente-se melhor?
Ela, parecendo sair de grande torpor, respondeu com ar desagradável:
- Um pouco, mas não pense que vou deixá-lo privar de minha intimidade hoje, você me provoca náuseas.
Flávio, sem perder a paciência, disse:
- Não desejo nada que você não queira, nós todos precisamos sim de uma boa noite de sono e repouso.
O carro chegou ao destino e eles subiram para seus cómodos.
A empregada já havia se recolhido e a casa estava silenciosa.
Como nos últimos dias Flávio dirigiu-se ao quarto de hóspedes quando ouviu o telefone tocar.
Desceu para atender:
- Alô!
- Oi mano!
Como é difícil falar com você!
Flávio exultou ao reconhecer a voz de Cristiano:
- Você ligou em boa hora, estava mesmo precisando desabafar...
- O que você tem?
- Anita está gravemente enferma, está obsidiada por um grupo de espíritos, que suga sua vitalidade, e a faz ficar longe de mim. Está sendo muito duro!
Cristiano ficou em silêncio durante alguns segundos, depois disse:
- Como isso pôde acontecer em sua casa, Flávio?
Como você deixou ela ser influenciada?
- Você sabe que cada um é responsável apenas por si.
Faço minha parte, levo Anita aos cursos, às palestras, porém ela apenas finge interesse para me agradar, as coisas que ouve não penetram de forma real em seu espírito.
Cada um deve fazer a sua parte, se ela foi influenciada foi porque baixou o padrão enérgico com alguma atitude.
Preocupado, Cristiano perguntou:
- A obsessão dela é grave?
Tem conseguido tratá-la aí mesmo no seu espaço?
- Ela está subjugada por mentes infelizes que descobriram suas fraquezas.
Quem a vê ultimamente dirá que está em crise psicótica.
Quanto ao tratamento ele começou justamente hoje, mas acreditamos que há muito caminho pela frente.
- Pôxa, mano, me sinto até constrangido, pois liguei justamente para falar de um acontecimento que me deixou muito feliz!
Laura está grávida, nós vamos casar!
Flávio exultou de alegria:
- Nossa, parabéns!
Coincidência ou não nós dois estamos grávidos!
Dona Alexandra terá muito que fazer, dois netos de uma só vez!
Cristiano lembrou:
- Acha que devo contar a ela o estado de Anita?
- Não, em hipótese nenhuma.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:08 pm

Certamente ela ficará curada e não é necessário preocupar os pais dela por isso.
Cristiano respondeu:
- Como sempre acato suas decisões, meu guru!
Mas aí vem outra notícia:
no final deste mês estarei de férias e pretendo passar uns dois meses no Brasil com vocês, alguma objecção?
- Claro que não, será um prazer recebê-lo.
Eles conversaram mais alguns minutos e logo depois Cristiano desligou.
Flávio foi se recolher e após orar dormiu profundamente.
Ele não viu, porém as entidades que obsediavam Anita chegaram ao seu quarto.
Uma delas com aspecto feminino dizia:
- Teófilo disse que esse aí pode nos dar trabalho, viu o que ele e aquele grupo de médiuns fizeram connosco?
Nos prenderam em seus corpos e fomos obrigados a falar!
Outro retorquia:
- Se pudéssemos neutralizá-lo, acho que seria bom.
Mas veja aquela energia azulada que o envolve, nós não conseguimos atravessar aquela barreira.
- Isso me deixa um pouco receosa.
Tentamos impressionar aqueles médiuns birutas com gritos de pavor e ameaças, mas parece que eles estão muito seguros de si.
A entidade feminina continuou:
- Por hora devemos parar e ir a Larvosa comunicar pessoalmente nossas dúvidas a Teófilo.
Deixaremos o Inácio tomando conta dela, não devemos demorar.
Dizendo isso seus vultos negros sumiram num canto do quarto.
Pela manhã Flávio comunicou a novidade do irmão para Anita:
- É isso mesmo, Laura está grávida e o Cristiano vem com ela passar as férias aqui no Brasil.
O meu irmão precisa mesmo descansar, afinal dá sua vida por aquela empresa.
Anita, que mal tocava naquele rico café da manhã, respondeu com polidez e desinteresse:
- Tanto faz que venham ou não, apenas fico feliz por minha irmã estar grávida.
Quanto ao Cristiano você não pode criticá-lo, também abandonou tudo por esse maldito Centro espírita.
Anita estava angustiada e sofrendo muito.
Sua personalidade não estava completamente aniquilada, ela sentia tudo o que se passava em sua mente e sofria por estar afastada do homem que tanto amava.
Mas uma força maior que ela imprimia em sua mente que estar com Flávio era perigoso.
As entidades sugeriam e ela acreditava cegamente que esse filho que ia nascer iria separá-la do marido.
Pensou em aborto, mas devido a tudo o que ouviu de Flávio, sabia que esse era um caminho de tenebrosos sofrimentos.
Ela deveria agir depois que o filho nascesse, aí sim saberia como se livrar desse fardo.
Porém em seu íntimo o sofrimento era grande, ela lutava, tentava reagir, mas o ciúme era maior.
Aí sentia-se completamente dominada, atirava objectos no marido, esbravejava, blasfemava.
O ciúme vem do complexo de inferioridade e é porta aberta para sérias obsessões.
Flávio ia discutir com a esposa, mas resolveu calar-se, tinha um curso para iniciar naquela tarde e não poderia mesclar suas energias com discussões negativas.
Saiu calado sem beijá-la.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 08, 2018 9:08 pm

Um espírito soprou-lhe ao ouvido:
- É assim que ele a trata?
Acha justo?
Os homens são todos iguais, só porque está grávida ele a está rejeitando, daqui a alguns dias tomará alguém como amante.
Anita sentiu uma onda de rancor ao ver Flávio sair sem ao menos beijá-la.
- Aquele cretino! - pensava - me rejeita apenas porque estou grávida!
É até capaz de arrumar uma amante para satisfazer seus baixos instintos.
Se isso acontecer, juro que os matarei!
Vendo que Anita concordava com seus pensamentos a entidade deformada abraçava-se a ela com muito prazer.
Flávio saiu deixando ordens para que a empregada ficasse atenta a qualquer passo da esposa.
Qualquer novidade estranha era para comunicar-lhe imediatamente.
A luta contra os obsessores continuava.
Outras sessões vieram sem que Anita fosse levada ao Centro, ela era atendida a distância e registrava pouca melhora.
No final do mês Cristiano e Laura chegaram ao Brasil e se hospedaram na casa de Flávio.
Na chegada foram recebidos amavelmente por Anita, porém eles logo perceberam a mudança dela.
Laura ficou estarrecida:
sua irmã estava magra e fundas olheiras abatiam seu rosto.
Após um banho reconfortante eles foram para a sala de estar.
- É tão bom estar novamente no Brasil, sinto que esta temporada aqui fará bem para minha gravidez, concorda Anita?
- Pode ser, quando se tem um marido bom como o seu, já em meu caso...
Flávio e Cristiano se entreolharam mas não articularam palavra.
- Por que diz isso do Flávio?
Ao que me consta, ele é um óptimo marido!
- É porque você não vê a forma como ele tem me tratado ultimamente, me rejeita, age com indiferença, é como se não fosse mais meu marido.
Flávio interrompeu:
- É ela quem me rejeita, não quer que eu me aproxime.
Se estou evitando-a é porque não desejo maiores confusões.
Cristiano mudou o rumo da conversa, enveredando por assuntos diversos, até que o humor de Anita melhorou.
Passaram o resto da manhã conversando e conhecendo a mansão onde Flávio residia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 09, 2018 9:38 pm

20 - COISAS DO DESTINO
Flávio iniciou a reunião com uma prece pedindo assistência aos espíritos superiores.
Os médiuns dispostos em semicírculo, concentrados, com mediunidade educada e com o pensamento em Deus esperavam a entrada do primeiro paciente da noite que viera em busca de socorro.
Na plateia, além de algumas outras pessoas estavam Cristiano e Laura.
Quando as portas foram fechadas entrou a primeira paciente.
Uma moça jovem, aparentando 25 anos, foi introduzida na ampla sala e colocada no meio do círculo, sentada num banquinho.
O assistente deu o nome dela a Flávio que pediu boas vibrações para o caso urgente.
De repente, uma mulher do círculo estremeceu levemente e disse com voz alterada:
- Que querem de mim?
Soltem-me ou não responderei por minhas atitudes.
Ernesto, o doutrinador, com voz suave iniciou um diálogo:
- Nada desejamos de você que não possa cumprir, primeiro responda:
por que persegue esta moça?
- Não quero e nem tenho nada a dizer, me disseram que vocês são muito perigosos e podem prender-me pra sempre, caso não fuja rápido daqui.
Além disso, não posso falar, pois seria punida severamente pelos meus chefes.
- Acredita mesmo que eles têm poder?
Onde estão seus chefes neste momento que não vêm lhe salvar?
A médium fungou um pouco, depois disse:
- Se me prometerem libertar logo, poderei dizer algumas coisas.
Ernesto perguntou:
- Qual o motivo para perseguir esta moça, que mal ela lhe fez?
- A mim nenhum, mas na organização onde vivo mora uma mulher que foi seriamente prejudicada por ela em vida anterior e deseja vingança, pretendemos levá-la ao suicídio.
Ernesto com calma e já falando por Félix disse:
- A vingança é um sentimento mórbido que o afasta de Deus, volta-se contra você.
Por que não tenta analisar melhor os factos e enxergar os outros lados da questão?
Se fizer isso vai se surpreender.
As coisas não são como lhe parecem.
- Não preciso fazer isso.
Eu sei a verdade.
Sandra sofre muito.
Em sua última existência, ela e Mónica foram grandes amigas, porém Mónica apaixonou-se por Vivaldo, marido de Sandra e o quis para ela.
Chamado a ter relações, Vivaldo rejeitou-a com vivacidade, amava a esposa e não queria prejudicá-la com semelhante traição.
Cega pela paixão Constância, hoje Mónica, procurou um feiticeiro e encomendou a morte da amiga através da magia negra, o que ocorreu três semanas depois.
Desde então Sandra jurou vingança e nós da comunidade nos reunimos para ajudá-la.
Não adianta tentarem, nós descobrimos os pontos fracos dela e a dominamos pela depressão profunda; quanto mais ela toma remédios mais perde a razão e assim conseguiremos enlouquecê-la.
Nesse momento algo de inesperado aconteceu:
Mónica levantou-se corajosamente da cadeira e aproximou-se da médium dizendo:
- Por que me querem tanto mal?
Sinto que a cada dia morre um pedaço de mim.
Choro sem parar, não tenho alegria, sinto muita solidão e vazio.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 09, 2018 9:38 pm

Se vocês não pararem com isso sinto que morrerei! – Disse banhando-se em lágrimas.
A entidade pareceu enternecer-se:
- Olha moça, faço apenas meu trabalho, a raiva é dela e não minha.
Ocorre que Sandra já me ajudou a destruir um antigo rival aqui na Terra e agora é hora de retribuir o favor.
Você também não colabora, vive de ilusões!
Em casa quer sempre ser servida, não auxilia ninguém, é fútil e vaidosa, acha que o mundo gira ao seu redor.
Quando conheceu o Ronaldo e se apaixonou, achou que ele deveria ser igual à sua mãe, lhe fazer todas as vontades.
Quando foi trocada pela Ana, entrou em desespero e o que seria uma fase passageira virou obsessão.
Naquele ponto conseguimos contacto com sua mente e semeamos a depressão.
Suas ilusões e vaidades nos deixam no seu comando.
Era verdade, Mónica sentia que o que a entidade lhe dizia era compatível com sua vida.
De repente arrependeu-se amargamente da vida que levava e desabafou:
- E se eu me arrepender de tudo o que fiz, posso ficar livre?
A médium soltou uma sonora gargalhada e disse:
- Pensa que é assim tão fácil?
Nós, da organização, temos aparelhos monitores, com os quais observamos sua vida o dia todo, saiba que sempre encontraremos pontos fracos para a envolver.
Mónica continuou:
- Diga ao espírito que me quer mal o quanto mudei e estou arrependida, quero ser feliz, descobrir novas formas de viver, sei que encontrarei.
A médium estremeceu e baixou a cabeça.
Mónica voltou ao banquinho e Flávio começou a falar:
- Mónica, hoje você deu importante passo para o seu progresso.
O perdão nos livra dos grilhões que amarram nosso espírito e nos permite alcançar dias melhores.
Você começou a perdoar a si própria!
Está informada sobre o seu passado e sobre a organização que a persegue, entretanto, o mal jamais venceu o bem, o mal triunfa apenas por um tempo, um momento, mas qual noite escura ele sempre passa.
Você está tendo a oportunidade de mudar verdadeiramente sua forma de ver a vida e com isso ver-se livre desses perseguidores.
Porém, toda mudança demanda tempo, é como uma longa escada, é preciso começar do primeiro degrau sem desistir jamais.
Vá em paz e que Deus a acompanhe.
Ela foi para a saleta dos passes enquanto um homem de meia-idade era introduzido no círculo.
Gordo, de estatura baixa, demonstrava na face à grande dor que lhe ia na alma.
Flávio deu prosseguimento:
- Continuemos com o pensamento elevado a Deus e vibremos por Elias de Souza, que está aqui presente.
Todos começaram a orar e Flávio deu passividade a uma entidade feminina, com aparência deformada, que começou a falar com admiração.
- Meu Deus!
Que fenómeno é este?
Consigo enxergar!
Que alegria!
Ernesto aproximou-se:
- Isso ocorre porque o choque com as energias deste mundo reavivaram sua visão há muito tempo desgastada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 09, 2018 9:39 pm

- Como sou infeliz!
Perdi tudo, até os olhos, até o Elias me deixou...
Esse é o meu maior drama, não deixarei jamais ele ser de outra!
Ernesto retorquiu:
- Você morreu há muito tempo, vítima de um tumor no cérebro que toldou sua visão.
Não acha que é a hora de encontrar a felicidade?
Seu marido é um ser humano, necessita de uma companheira para viver a vida.
Porém, estranha força faz com que nada dê certo para a vida afectiva dele.
Com o tempo ele passou a ter estranhas crises de convulsões sempre que está com alguma companhia feminina; mal sabe que é você que com suas energias provoca essas crises.
Não é hora de desistir e seguir outro rumo?
Ela começou a chorar copiosamente:
- Não! O Elias é só meu, jamais será de outra.
Mesmo cega tenho condições de achá-lo, como também as suas amantes.
Quando percebi que minha energia doentia os afectava exultei, sabia que poderia facilmente manejá-lo, era só jogar todo o meu ódio sobre ele e estaria satisfeita.
Ernesto tentou contemporizar:
- Mas você mesma sabe que nada pode trazê-la de volta ao mundo.
Hoje vocês vivem em diferentes faixas energéticas, se a vida os deparou é porque assim é o melhor.
Seu caso chegou ao limite permitido por nossos maiores e você terá que se afastar dele por tempo indeterminado.
Se fizer isso agora de espontânea vontade, será levada a um local onde receberá atendimento fraterno, voltará a enxergar e poderá refazer sua vida.
Caso não aceite será afastada da mesma forma e será levada para este lugar, olhe.
Flávio pareceu aquietar-se por alguns segundos, depois falou desesperado:
- Não, por favor, não!
Este lugar é horrível, tudo, menos ir para semelhante sítio.
Ernesto continuou:
- Óptimo, mas terá que retirar toda a energia doentia que colocou nele agora!
- Como posso fazer isto se eu própria estou doente?
Não conseguirei!
- Conseguirá sim, basta chegar perto dele, pensar em Deus e no amor que sente no coração, visualize seu ex-marido bem e com saúde, o resto nós faremos.
Flávio levantou e se aproximou de Elias, que chorava emocionado, depois novamente foi para o seu lugar e disse:
- Pronto, já fiz o que pude, agora posso ir?
Ernesto disse:
- Isso mesmo, siga este grupo que está ao seu lado e aproveite o tempo que ficar com ele para aprender a ser feliz.
Irá para um pronto-socorro de refazimento e paz!
Houve alguns instantes de silêncio, Elias se retirou para a câmara de passes e minutos depois Flávio, incorporado por Félix, começou a falar:
- Amigos, neste último caso saímos vencedores.
Esta irmã chamada Florence habituou-se a achar que pode ser dona das pessoas.
Ela ignora que só possuímos a nós mesmos e que ninguém é de ninguém.
Desde que viveu na Terra, atormentou o lar que Deus lhe concedeu com ciúme e posse desmedidos.
Fez incontáveis abortos para não ter que dividir o marido com os filhos.
Insegura, passava a cercar o marido de perguntas e cedia a pensamentos de traição que entidades abismais colocavam em sua mente, chegava a "vê-lo" nos braços de outra.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 09, 2018 9:39 pm

Chamada ao amadurecimento e reciclagem por um terrível câncer de cérebro, ela tornou-se ainda mais revoltada, e a proximidade da morte fazia com que pensasse mais no marido recebendo carinhos de outra.
Chegou ao astral revoltada e infeliz.
Continuou no lar que residia e apesar de cega sentia o marido onde quer que estivesse.
Devido à falta de visão, começou a apurar os ouvidos na tentativa desesperada de saber como o marido se comportava.
Desde que ouviu tudo sobre os relacionamentos que ele pretendia manter, passou a colar-se nele, passando-lhe energias negativas.
As mulheres corriam dele como o diabo da cruz, e ele, com o tempo passou a sofrer ataques epilépticos e finalmente encontrou nosso auxílio.
Houve alguns minutos de silêncio em que todos meditaram, depois Félix continuou:
- O próximo caso também tem origem no ciúme; aguardemos as vibrações e passividades dos médiuns.
Flávio e os companheiros vibraram por Anita.
Ela, com o estado que mantinha não conseguia ir ao Centro.
É importante que certos tratamentos de desobsessão ocorram com o próprio paciente presente.
É que o local para este trabalho é impregnado de vibrações essenciais ao tratamento e de delicados aparelhos de captação e cura energética.
O paciente à distância nem sempre é bem atendido e assim o processo quase sempre é muito lento.
No lar do encarnado habitam espíritos de diversos níveis de evolução encarnados e desencarnados e as energias que eles emitem na atmosfera doméstica quase sempre interferem negativamente nos casos atendidos a distância.
Já no próprio Centro, além da limpeza energética do ambiente, só entram os espíritos que os guardiões da casa permitem.
Quais doentes terrenos, os obsediados muitas vezes necessitam do tratamento no próprio hospital, e o Centro onde se realiza a desobsessão é qual um hospital terreno.
Logo um espírito sábio se manifestou:
- Boa-noite!
Que Jesus esteja connosco!
Anita, subjugada por mentes infelizes sente que o pequeno ser que chegará poderá atrapalhar sua vida com Flávio.
Antes era o próprio espírito reencarnante que a fascinava, hoje ele já foi esclarecido e segue o caminho do bem.
Todavia, um grupo de espíritos do astral inferior percebendo seus pontos fracos, utilizou-se deles para subjugá-lo.
Flávio querido, acreditamos que esta obsessão vai durar até o nascimento do bebé.
Está difícil o auxílio, pois Anita comunga com eles dos mesmos pensamentos, porém quando estiver com o pequeno e indefeso ser nos braços, sentirá que o ama mais que tudo, assim vencerá o ciúme e o medo.
Nesta hora cortará a ligação com os obsessores.
Não deixe que os psiquiatras a examinem, pois constatarão erroneamente tratar-se de loucura.
Acredite em Deus e nos amigos espirituais, estaremos sempre do seu lado.
Continuem vibrando por Anita e rezando a Deus por ela.
Flávio, emocionado, não continha as lágrimas.
Foram atendidos mais dois casos e a prece final de agradecimento deu por encerrada a sessão.
Na saída, Flávio propôs a Cristiano e Laura um lanche em uma confeitaria próxima.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 09, 2018 9:39 pm

Eles concordaram.
Durante o lanche, Cristiano falava admirado:
- Nossa, mano, aqui vocês têm um grupo muito bem estruturado de desobsessão.
Vejo que segue à risca as orientações de dona Margareth.
Laura também comentou:
- Fiquei impressionada, o seu Elias foi libertado logo na primeira sessão!
Flávio explicou:
- Isto se deu justamente porque ele fez a parte que lhe cabia.
Certamente aprendeu o que a vida quis lhe ensinar e de agora em diante deve seguir em paz.
Outra chave importante é a elevação do espírito.
Fazendo isso os espíritos inferiores não têm mais condições de atacá-lo.
Eles mudaram de assunto, comentando os pontos positivos na conquista do equilíbrio interior.
Já em casa, Cristiano e Laura foram se recolher e Flávio como sempre foi para o quarto de hóspedes.
Anita trancava o quarto, mas ele precavido tinha outra chave e ela nem desconfiava.
Antes de deitar foi vê-la, estava dormindo profundamente.
Flávio também deitou e depois de sentida prece adormeceu.
Passava da meia-noite quando uma luz cinza-escuro surgiu no quarto de Anita.
Ela foi se condensando e tomou forma humana:
era Rafael, antigo namorado de Camila.
Olhando por todos os lados ele começou a gritar:
- Camila! Camila! Apareça!
Nada acontecia, ele novamente gritou, e por fim duas entidades iluminadas vieram trazendo Camila pela cintura.
Ela, após olhá-lo profundamente, disse:
- O que deseja Rafael?
Estou em vias de reencarnar e está sendo uma trajectória muito difícil.
Porque me chama?
Já não temos mais nada um com o outro, bastam às dificuldades que estou tendo para renascer!
Ele, feliz por tê-la encontrado, correu para abraçá-la.
- Como estou feliz em te ver!
Parece que esses meses foram séculos!
Também vou renascer!
Também fui chamado por mentores elevados que disseram ter chegado há minha hora.
Quando você sumiu do Desterro todos ficaram admirados, afinal não é fácil fugir de uma organização como aquela.
Ester me explicou que seu caso talvez seja uma reencarnação involuntária.
Fiquei sem entender até que aconteceu o mesmo comigo.
Adormeci e quando acordei estava num outro quarto próximo de bondoso senhor que tudo me explicou.
Disse que se eu concordasse em reencarnar espontaneamente seria mais Fácil para mim; se eu me negasse, reencarnaria da mesma forma, só que com mais sofrimento.
Diante daquele argumento resolvi ceder.
Eles disseram que me comprometi muito com a lei quando ajudei a enlouquecer sua mãe.
Agora terei que voltar a Terra e reparar o meu erro Camila chorava abraçada a ele.
Surpresa, ela viu um fio ténue cor de prata que se perdia pela mansão.
Rafael, olhando enigmático para ela, perguntou:
- Quer saber onde está ligado este fio?
- Quero sim.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum