O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 30, 2017 8:29 pm

A partir daquele dia Élida começou a definhar até que um padre seu amigo a aconselhou a não se desfazer de sua vida por uma filha que havia se ligado com o demónio.
Então Élida reagiu, foi a cabeleireiros, lugares da moda, enfim, praticamente voltou a levar a vida de antes.
Porém Camila não mudou, continuava provocando escândalos e mais escândalos.
Como exalava uma energia especial, pois era médium sensitiva, rapidamente atraiu mais presenças espirituais inferiores que sugavam toda a sua energia.
Ela passou então a apresentar uma aparência pálida e debilitada.
Essas lembranças incomodavam Camila e, para distrair a mente, invariavelmente usava o computador navegando por sites pesados da Internet.
No panorama espiritual os mentores faziam de tudo para amenizar o estado caótico daquela família, porém eles não tinham liberdade para interferir no livre-arbítrio dos envolvidos.
A obsessão que está presente na maioria dos lares terrenos, naquela casa se encontrava em estado mais grave.
Além dos espíritos sugadores do dia-a-dia, havia uma tenebrosa equipe espiritual treinada e disciplinada por Teófilo para pôr fim à vida de Camila.
Pela forma como ela agia, Teófilo, chefe de uma cidade astral inferior, foi informado que ela seria uma preciosa sugadora e magnetizadora do astral inferior, seria perfeita para a realização dos planos de vingança que ele e seus súbditos tinham em mente e que não podiam ser postergados.
Teófilo decidiu no tribunal da cidade de Larvosa que Camila deveria desencarnar, uma vez que encarnada de nada valia.
O plano foi traçado: dezasseis espíritos iriam afundá-la no vício do álcool, revezando-se continuamente para que ela fosse manipulada 24 horas por dia.
Teófilo designou oito espíritos para ficar com ela da meia-noite ao meio-dia e mais oito para continuarem do meio-dia até a próxima meia-noite.
Tudo na mais perfeita disciplina.
Sabendo o que se passava, Carlota marcou urgente reunião com Hilário para que juntamente com Noel e outros benfeitores do além pudessem intervir no caso.
Em sua habitual sala de trabalho no edifício central da colónia Campo da Redenção, Hilário, sorridente e amável os recebeu:
.- Sejam bem-vindos.
O que desejam?
Carlota iniciou:
- Acreditamos que pela sua experiência já sabe do que se trata.
Somos encarregados da evolução de um grupo espiritual e estamos observando um de seus membros se perder no vício e na degradação.
Trata-se de Camila.
Noel e Carlota narraram em detalhes os acontecimentos e Hilário observou:
- O que me contam não é novidade.
Camila necessita de amadurecimento e está escolhendo o caminho da dor para evoluir.
Sei do interesse de vocês em auxiliá-la, mas nada ou quase nada há para se fazer, a não ser rezar para que Deus nos conforte e alivie o sofrimento dela.
Carlota indignou-se:
- O quê? Vemos a destruição de um ser querido e não podemos fazer nada?
O Teófilo vai conseguir levá-la para Larvosa...
Onde está o Criador?
Impávido Hilário respondeu:
- Está no leme de tudo!
Deus sempre está à frente de qualquer acontecimento e não cai uma folha da árvore sem seu consentimento.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 30, 2017 8:29 pm

À medida que crescemos vamos adquirindo maior liberdade e se foi Deus quem nos deu certamente Ele não irá interferir no seu uso.
Na Terra as pessoas embrenham-se nos vícios de todas as espécies.
Como não têm visão espiritual acham que estão fazendo tudo sozinhas e que vão ficar sempre como estão, gozando deles sem limites.
Em verdade estão em sua maioria sendo usadas pelos chefes das falanges inferiores.
Quando morrem, nem bem termina o desligamento dos laços fluídicos já estão quais vampiros à espera da presa.
Quando finalmente libertos do invólucro carnal os espíritos viciados são capturados pelos chefes do umbral e passam a viver como prisioneiros destes.
Carlota não se conteve:
- Esse será o destino de Camila?
Hilário explicou:
- Tudo pode ser mudado, porém eu diria que no caso dela talvez seja um pouco tarde.
Vamos ver se o reencontro com Flávio lhe será positivo.
Em breve a mediunidade dela se tornará mais ostensiva e bebendo como está não será nada fácil.
Esse rapaz terá muito que fazer para que ela desperte.
Noel ficou em dúvida:
- Em minha inexperiência acho que apenas os espíritos equilibrados merecem a mediunidade, pois saberão fazer bom uso dela.
Até hoje não consigo aceitar que pessoas como Camila ganhem essa preciosa ferramenta.
Hilário sorriu:
- Disse-nos Jesus:
"Não são os sãos que precisam de médicos e sim os doentes".
Sábias palavras do Nazareno.
Como a mediunidade é uma bênção, um espírito necessitado, se bem orientado por pessoas experientes pode vir a equilibrar-se, conhecer outras dimensões do Universo, praticar o bem, aprender, ser feliz.
A mediunidade é um presente para que o homem viva melhor.
Não critique, pois se Deus os favoreceu com esse dom é porque em sua misericórdia sabia que era para um bem maior.
Carlota ansiosa perguntou:
- O que efectivamente podemos fazer para salvar Camila?
- Vejo que você ainda cultiva um grave vício humano:
o de querer salvar as pessoas.
Quanta ilusão!
Ninguém salva ninguém, ninguém ensina nada a ninguém.
Apenas favorecemos para que as pessoas retirem de si mesmas as lições que precisam.
Estamos acostumados a subestimar o poder do ser humano e o mimamos excessivamente.
Se Deus nos colocou num planeta de experiências como a Terra Ele também nos deu todos os elementos para sairmos dela vitoriosos.
Mas nós, orgulhosos que somos, achamos que estamos "ajudando", "salvando" os outros quando estamos apenas exercitando o nosso orgulho.
Ele fez ligeira pausa e vendo que os dois ouviam atentos, continuou:
- Carlota, raros são os que ajudam verdadeiramente.
Enquanto mantivermos a ilusão de que estamos ajudando alguém, evidenciamos apenas nossa vaidade.
Devemos ter a humildade de perceber que quando a vida coloca algum necessitado em nosso caminho é para treinarmos a doação, o dar de coração e principalmente para termos ocasião para fazermos o nosso melhor.
Quem ajuda de coração recebe muito mais do que deu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 30, 2017 8:29 pm

A sabedoria divina aproxima e separa as pessoas para que trocando experiências aprendam a viver melhor.
- Então deixaremos Camila à mercê desse grupo monstruoso? - indagou Noel.
- Não foi isso que quis dizer.
Contamos com vocês para praticarmos a verdadeira ajuda, que só pode ser feita quando a pessoa estiver madura para recebê-la.
Não se atiram pérolas aos porcos.
Nunca se perguntaram por que no umbral e na crosta há tanto sofrimento?
Nunca se perguntaram onde está Deus que vê tudo isso e aparentemente nada faz?
- Quando cheguei aqui há 35 anos tinha esse questionamento - expôs Carlota.
Com você e espíritos de regiões mais elevadas tenho entendido muita coisa, mas a cruel dúvida para muitos casos ainda permanece.
Sei que há muito sofrimento nessas zonas, o irmão André Luiz que reside em Nosso Lar, levou oito anos para ser socorrido e retirado do umbral.
Hilário exultou:
- Belo exemplo.
Deus é suprema justiça, bondade e sabedoria, nada acontece sem seu consentimento.
O exemplo de André Luiz ilustra bem o caso em questão.
De que adiantaria ele ter sido socorrido sem ter aprendido tudo quanto deveria aprender para sair dali?
Nem de Deus ele se lembrava.
Porém quando orou, meditou e aprendeu o significado de sua estada lá, imediatamente à equipe de Clarêncio foi buscá-lo.
Deus não tem pena e nem mima ninguém; olhando casos como este do André, analisando os hospitais da Terra principalmente os infantis, podemos perceber que o conceito de ajuda para Deus é um, mas para nós é outro.
E quem ousaria dizer que Deus fez alguma coisa errada?
Dizer isso é afirmar que Ele é falível, o que jamais podemos conceber.
Se Ele é a causa primeira de tudo, seu objectivo maior é a evolução.
Enquanto nós queremos ser a "muleta" para que os outros se pendurem, Ele deseja ser o professor que ensina a andar direito e com as próprias pernas.
Quer pai melhor?
Noel e Carlota estavam mudos com a sabedoria de Hilário.
Porém, Carlota insistiu:
- Você ainda não respondeu à minha pergunta:
Camila ficará sem auxílio somente porque com o livre-arbítrio escolheu o vício?
- Ninguém está sozinho porque a vida é misericordiosa.
Ela terá não só de vocês, mas de outro grupo espiritual toda a assistência que por mérito conseguir.
No que for possível aliviar aliviaremos, porém se continuar agindo como está atrairá experiências que não poderemos evitar, afinal a vida é feita de escolhas.
Recebi informação de plano mais alto que a convivência com Flávio será uma oportunidade de crescimento para ela.
Se aproveitar será feliz, se não sofrerá as consequências.
Vão em paz e que Deus e Jesus os acompanhem.
Noel e Carlota saíram conformados com as palavras de Hilário.
Eles fariam de tudo para colocar em prática as coisas que ouviram.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 30, 2017 8:29 pm

5 - O DRAMA DE FLÁVIO
A tarde ia em meio quando Flávio resolveu sair da cama.
Desde o acidente não havia mais saído de casa e seu pai não conseguira esquecer as palavras acusadoras que ouvira dele.
Havia uma semana que tudo tinha acontecido, porém ninguém na casa comentou mais nada, nem Marina que gostava de dar alfinetadas esboçou qualquer gracejo.
Flávio tentava concatenar as ideias sem entender o que acontecia com ele.
Lembrava-se claramente do ódio que sentira do pai e de tê-lo acusado de ladrão.
Por que dissera aquilo?
A partir daquele acontecimento o pai estava cada vez mais sisudo com ele, falava apenas o necessário e não havia lhe pedido desculpas pelo soco.
Descendo as escadas encontrou Érica folheando uma revista de moda, que ao ver o filho falou:
- Ainda bem que resolveu descer, precisamos conversar.
Acomodado no sofá, Flávio esperava.
- Seu pai perdeu o emprego, eu não tenho profissão, sua irmã estuda, por tanto resta apenas você.
Na próxima segunda-feira voltará ao trabalho quer queira quer não queira.
Você precisa auxiliar, pois o dinheiro de seu pai vai durar muito pouco para mantermos o padrão de vida ao qual estamos habituados.
Corado pela surpresa Flávio retrucou:
- Isso não poderei fazer, de jeito nenhum!
Aquela empresa é para mim o verdadeiro inferno, você não pode me obrigar.
- Mas obedecerá!
Seu pai já está muito magoado com suas palavras e caso não colabore será pior para você.
- Porque ele não tenta outro emprego?
Afinal, não dizem em sociedade que são os pais que devem sustentar os filhos?
- Ele está procurando, mas você acha que é fácil encontrar emprego depois dos 50 anos?
Vocês jovens nada sabem da vida.
Não estamos em condições de dar importância ao que a sociedade diz ou não.
- Mas há o Cristiano, ele não está lá na Inglaterra levando vida boa?
Por que não recorrem a ele?
- O seu irmão sempre quis nos ajudar, mas o Ângelo é muito orgulhoso e jamais aceitou, muito pior agora.
A porta abriu-se e Ângelo com expressão séria entrou.
Beijou o rosto da esposa, mas não cumprimentou Flávio.
Sentando-se anunciou:
- Temos que viajar.
A empresa do Farias, a única que me restava acaba de me negar emprego, precisamos aceitar a sugestão de Cristiano.
Mudos, Flávio e Érica não sabiam o que dizer.
Ele continuou:
- Nem a você Érica eu revelei que tenho mantido contacto com nosso filho.
Como ele está muito bem na Inglaterra e é dono de uma empresa de porte médio nos chamou para residir lá com ele, me ofereceu emprego em sua empresa e ainda garantiu-me serviços extras.
Diz que na Inglaterra as ideias são outras e por isso o país é próspero.
Lá tudo que se toca vira ouro.
Assustada, Érica perguntou:
- Mas ir embora assim, de repente?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 30, 2017 8:29 pm

E nossa propriedade, nossa filha que falta muito para se formar?
- Já pensei em tudo, mas tem um problema:
não podemos levar o Flávio.
Um susto fez estremecer todo o corpo de Flávio que, instintivamente, disse:
- Como pode ser isso?
Onde eu vou ficar?
Ângelo revelou:
- Telefonarei para sua tia Francisca e ela de bom grado o acolherá.
É solteirona e ficará muito feliz com a companhia de alguém mais jovem.
Flávio ficou sem chão.
Já não tinha amigos, estava com problemas que ele supunha serem mentais e agora perdia o apoio da família.
Foi tomado de uma tontura e seu corpo cobriu-se de suor.
Sua fisionomia mudou e uma vontade irresistível fez com que se levantasse e andasse pela sala, inquieto.
Súbito, virou-se para o pai e disse:
- Como sempre egoísta, além de ladrão é egoísta!
Agora por causa de um ódio quer abandonar o filho e porque vai levar Marina?
Flávio sentiu-se enlouquecer, num átimo foi jogado em espírito a um canto da sala e de lá pôde observar uma mulher loura tomar conta de seu corpo físico.
Ela estava muito próxima dele e o manuseava como um boneco.
Malaquias se aproximou do espírito dele que estava encolhido em um canto e apavorado falou com chispas de ódio nos olhos:
- Não tente fazer nada garotinho ou vai se arrepender, fique só observando, na hora certa Ester lhe devolverá o corpo.
Flávio estava atordoado, que loucura era aquela?
Por que se via longe do corpo?
Agoniado, agitado e nervoso, ele perdeu os sentidos.
Malaquias e Roque sorriram e um disse para o outro:
- Bem que Teófilo nos avisou, esse é presa fácil.
A tarefa será mais rápida do que pensamos.
Enquanto isso, o clima era cada vez pior.
Ester através do corpo de Flávio dizia:
- É isso mesmo, quem mandou você fazer o Adolfo assinar aquelas promissórias?
Você sabia que ele não tinha como pagar.
Só para depois tomar nossas terras e nos deixar morrer na miséria.
Você pagará caro.
Com os gritos, Marina e Sandra apareceram na sala e a cena era patética.
Érica chorava implorando para que parassem e Ângelo bradava:
- Você está louco, não quero um louco me acompanhando a Londres, vou dar autorização à sua tia para interná-lo num hospício!
- Faça isso e levará mais um crime na consciência, é isso que nós queremos!
Por hora vou me retirar, mas estou lhe avisando:
onde você for eu o estarei perseguindo, como uma sombra e farei justiça com as próprias mãos.
Flávio desmaiou e seu corpo cobriu-se de suor gelado.
Sandra e Marina colocaram-no sobre o sofá e Ângelo subiu as escadarias revoltado, Érica o acompanhou.
Sandra trémula confessou a Marina:
- Dona Marina se não estou enganada, o que aconteceu com Flávio é coisa de espírito.
- O quê?
Era só o que faltava, isso não existe, é coisa de gente ignorante!
- Não é não.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:57 pm

Lá no meu bairro o Luís, filho de minha cunhada, era tomado por um espírito vingativo que queria sua morte, e só melhorou quando dona Isaltina foi lá, conversou com o espírito e o convenceu a ir embora.
Falou do perdão, do amor ao próximo e como seria bom ele viver num mundo de paz e refazimento.
Depois disso o Luizinho nunca mais teve nada, sarou de verdade.
Marina muito impressionada com o que presenciou deu um pouco de crédito àquela história.
As horas passavam e Flávio não despertava do desmaio.
Seu espírito em estado de choque pairava alguns centímetros acima do seu físico.
Ao chegar a hora de deixar o serviço, Sandra teve uma ideia:
- Quem sabe se a dona Isaltina vier aqui rezar e falar com o espírito ele não desperte?
- Está louca de chamar uma curandeira aqui?
Minha religião jamais permitiria! - disse Érica a Sandra.
Está na Bíblia que não se pode falar com os mortos e eu não acredito nessas coisas.
Marina interrompeu:
- Mas é bom começar a pensar no assunto.
Em rápidas palavras Marina contou à sua mãe a história de Sandra e por fim disse:
- Mamãe, vamos trazê-la aqui, olhe o estado do Flávio, já são sete horas e ele continua gelado e não acorda.
Papai não quer saber dele, precisamos fazer alguma coisa.
- Nessa hora dona Isaltina está em casa, se formos rápido ela poderá vir.
- Não quero.
Essa curandeira aqui não entra jamais - bradou Érica.
- Eu não vou deixar você com seu preconceito acabar com a saúde do Flávio, ele é meu irmão e não estou gostando de vê-lo nesse estado.
Marina e Sandra saíram e Érica a se ver sozinha com o filho estendido no sofá da sala sentiu um arrepio percorrer seu corpo.
Ela não podia ver, porém Malaquias estava ali atento e com medo de que alguma coisa desse errado com a presença de Isaltina, aproximou-se de Érica.
Érica sentia as energias de medo de Malaquias e achava que eram suas, arrepios de quando em vez percorriam seu corpo.
É claro que como mãe ela também temia, mas boa parte do que sentia vinha de Malaquias.
Roque surgiu na sala assustado, chamando Malaquias a um canto:
- O clima aqui não será bom para nós.
Teófilo mandou que retornássemos urgentemente, pois cidadãos da luz vão invadir esta casa.
Eles podem até nos prender e levar para lugares de onde não mais retornaremos.
Apavorados, seus vultos negros desapareceram da sala.
No mesmo instante uma senhora de meia-idade adentrava o recinto com Marina e Sandra.
Com simpatia ela falou:
- Boa noite, suponho que o rapaz seja este.
- É sim, e seu estado se mantém desde as cinco da tarde, não acha que ele precisa de um médico? - perguntou Marina.
- Olha filha - tornou Isaltina.
O médico que ele realmente precisa é Jesus.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:57 pm

Vamos dar as mãos, fechar os olhos e fazer uma prece pedindo auxílio aos amigos espirituais:
"Senhor Deus Criador do Universo, sua força é sublime e sua misericórdia é infinita, concede-nos a presença de amigos espirituais benfeitores para ajudarmos esse irmão necessitado.
Que sua luz possa brilhar por entre as trevas da ignorância e que sua bondade permita que este espírito possa novamente encontrar a paz.
Que assim seja!".
Flávio estremeceu e sua testa se cobriu de fino suor.
Dona Isaltina colocou a mão sobre sua testa e falou com convicção:
- Volte ao corpo Flávio, assuma o comando de sua vida, é hora de começar a tarefa que Deus lhe confiou.
Todos estavam impressionados.
Flávio abriu os olhos e deu-se conta do que se passara.
Inspirada por Carlota, Isaltina dizia:
- Você foi afastado temporariamente do corpo, mas tudo voltou ao normal.
Você precisa dedicar-se à espiritualidade o quanto antes.
Alguns factos vão acontecer na sua vida e só poderá contar com o conforto espiritual.
Um amigo espiritual está dizendo que chegou à hora de assumir sua tarefa e que contará com o auxílio da mediunidade.
Por isso precisa estudar o assunto e aprender a lidar com sua sensibilidade.
Flávio já completamente acordado perguntou:
- Quem é esse amigo espiritual que está me mandando este recado?
- Um homem de cabelos grisalhos, estatura mediana, com óculos quadrados e se diz chamar Hilário.
Diz que é seu amigo há muito tempo, mas que você agora não se recorda dele.
Deixa-lhe a mensagem para que use sua mediunidade para o bem, com amor e dedicação.
Há aqui mesmo em São Paulo um grupo que está esperando sua chegada e em breve estará com eles, sentirá sua sensibilidade aumentar, sairá do corpo e conversará conscientemente com os espíritos desencarnados.
- Posso saber o que vai acontecer em minha vida?
- Ele diz que é cedo para falar nisso.
Admite, porém que você terá toda assistência necessária.
Agora ele precisa ir, pede que se ligue com a espiritualidade através da prece e mantenha pensamentos positivos que o ajudarão a viver melhor.
O ambiente da casa havia se transformado.
O tumulto desaparecera e em seu lugar havia uma atmosfera agradável de paz.
Isaltina deu um beijo em Flávio e disse:
- Você é muito bonito.
A beleza pode ser a perdição ou a salvação de uma pessoa, utilizando-a para o caminho do bem só terá a ganhar.
Adeus filho, se precisar, me procure neste endereço.
Érica impressionada com tudo o que vira não conseguia articular palavra, apenas agradeceu a benfeitora com admiração.
Nunca vira um padre da sua igreja fazer semelhante coisa.
Marina foi à sacada de seu quarto e olhou o céu cheio de nuvens.
Será que realmente existia um ser que a tudo comandava?
Em sua vida mundana nunca havia pensado em Deus.
Passara a vida inteira vestindo-se à última moda, valorizando o status, mas não se sentia importante nem feliz.
Por causa disso todos a achavam esnobe, metida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:57 pm

Ela porém sabia que não era nada disso.
Tudo quanto fazia era para encobrir seu complexo de inferioridade.
Ela não gostava de si mesma.
Como seria Deus?
Se Ele existisse mesmo, gostaria dela?
O que presenciara naquele dia a fizera compreender que havia muitas coisas além do mundo material.
O que seria tudo aquilo?
Ela não percebeu, mas uma luz muito forte a abraçou e sussurrou-lhe ao ouvido:
- Deus também ama muito você!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:57 pm

6 - A TRAGÉDIA
Sentado na sala de estar Flávio não conseguia esquecer os últimos acontecimentos.
Certa vez ouvira falar em centro espírita, mediunidade e contacto com os mortos, mas nunca parou para pensar na veracidade do facto.
Agora estava acontecendo com ele, porquê?
Logo após a saída de dona Isaltina, sua mãe e Marina foram para os quartos e praticamente ignoraram sua presença.
O que seria de sua vida dali em diante?
Érica entrou na suíte e percebeu que Ângelo dormia profundamente.
Graças à Virgem ele não presenciou aquela cena desagradável da curandeira conversando coisas estranhas em plena sala, onde os maiores figurões de São Paulo já transitaram.
Deitou e tentou dormir, mas o sono não vinha.
Era-lhe penoso deixar o Brasil, havia suas amigas, a igreja que ela tanto amava e se dedicava, e o pior:
deixar Flávio com a insuportável da Francisca.
Ela tinha certeza de que Ângelo sempre duro e rigoroso tomou partido contra o filho e só não o levaria junto por capricho.
Ela nada poderia fazer.
Estava habituada a aceitar todas as ordens do marido sem contradição e se ficasse a favor do filho era capaz de ele a deixar também no Brasil.
Rolou mais meia hora na cama e caiu em sono profundo.
Naquela noite todos dormiram muito bem.
Noel e Carlota trouxeram amigos espirituais para velar por aquele lar tão conturbado e por isso Teófilo não conseguiu entrar lá com Ester.
Pela manhã, na hora do café, Ângelo comentou:
- Escuta Flávio, estou disposto a perdoá-lo em consideração à sua loucura, pois você está muito doente.
Deixarei ordens a Francisca para que ela procure o melhor psiquiatra de São Paulo para ver o que ele fará com você.
- Pai, eu posso garantir que não estou doente, ontem dona Isaltina conversou comigo e quando ela me partiu voltei ao normal.
Tenho quase certeza de que meu caso é interferência de espíritos.
Érica corou e Ângelo não acreditou no que estava ouvindo.
- O quê?
Coisas estranhas se passam dentro de meu lar e não fico sabendo?
O que ocorreu aqui ontem Érica?
Que história é essa de espíritos?
- A Marina e a Sandra trouxeram aqui uma senhora que rezou e o Flávio voltou ao normal.
Coincidência ou não tudo melhorou e nosso filho ficou bem, por favor, vamos acabar com esse clima, eu não aguento mais.
Marina explicou:
- Isso mesmo pai.
Também não acredito nessas besteiras de espiritismo, mas o Flávio saiu do estado em que estava, é isso que importa.
- Mais uma razão para deixá-lo no Brasil.
Não desejo que me acompanhe com essas histórias da Carochinha.
Depois do café conversaremos no escritório.
Não se atrase.
Flávio tremeu.
O que o pai queria com ele?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:58 pm

Não conseguiu mais se alimentar, demorou alguns instantes e foi procurar o pai.
Entrou no escritório bem mobiliado e arrumado modernamente e percebeu seu pai com olhar grave soltando baforadas de cigarro.
- Entre Flávio e sente-se, pois nossa conversa vai ser longa.
Já adiei muito esse momento devido ao seu acidente, porém não dá mais.
Ontem você repetiu o mesmo erro e hoje você irá me confessar:
por que me chamou de ladrão?
Quem lhe passou calúnias tão injuriosas a respeito do seu próprio pai?
Naquele instante Flávio admirou-se.
Em vez de sentir medo e receio, uma força grande surgiu de dentro dele.
Afinal, ele tinha dignidade e não queria ofender o pai.
- Desculpe-me pai, eu não tinha e nem tenho motivos para lhe chamar de ladrão, pois você para mim sempre foi o orientador que dizia que só o trabalho duro e honesto tinha valor.
Ângelo remexeu-se na cadeira.
Na realidade ele sempre tinha dito isso à família, mas de alguns anos para cá tinha mudado um pouco de ideia.
Só conseguiria enriquecer se tirasse dinheiro na empresa onde trabalhava.
E foi isso o que ele fez, criou contas no exterior onde tinha razoável quantia.
Um comprovante esquecido no seu escritório foi o passaporte para a descoberta.
Ele nunca havia passado tanta vergonha, porém procurou esquecer.
- Não minta filho, se alguém lhe disse alguma coisa, cabe a você como filho me defender e me contar e não acobertar caluniadores.
- Falo a verdade pai, não sei o que ocorre comigo, de repente sinto uma tontura, um calor insuportável, vontade de andar sem parar e de falar muito, quando vejo já estou dizendo coisas que não desejo e que não vêm de mim.
- Não venha com essas histórias que a igreja condena, os mortos não voltam e nem falam com os vivos.
Sei que está querendo me enganar, porém vou perdoá-lo se prometer jamais lançar injúrias a quem te deu a vida.
Flávio ia protestar, mas de que adiantaria?
- Sim, prometo.
Mas... Por que não me leva junto para Londres?
Até a Marina vai, menos eu que ficarei aqui com tia Francisca com a qual não tenho afinidade nenhuma.
Ângelo não podia contar o verdadeiro motivo que o fazia não o levar a Londres.
Ele temia e estava certo de que Flávio sabia a realidade da Limbol.
Lá com esses surtos de loucura certamente ele abriria o jogo com Cristiano e o pior:
na frente das pessoas importantes que passavam na casa do filho.
Com certeza ele seria desmascarado e mais uma vez perderia o emprego.
Tinha absoluta certeza de que Flávio estava enlouquecendo e durante os surtos falava o que não devia.
Só não conseguia entender como o filho descobriu tudo.
Hermes, o accionista maioritário, num ato caridoso resolveu mascarar o facto e poucas pessoas sabiam da verdade.
Resolveu contemporizar:
- Flávio, aqui você tem um emprego e lá além de ser mais uma pessoa tomando o tempo do seu irmão, talvez não encontre tarefas fáceis já que não gosta de estudar.
Aqui com tia Francisca nós poderemos mantê-lo e até custear um tratamento psiquiátrico mais em conta.
Flávio corou:
- Quantas vezes quero dizer que não estou louco?
E por acaso a mamãe lhe disse que vou deixar o emprego?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:58 pm

Que não vou voltar mais lá?
Desta vez Ângelo levantou-se da cadeira:
- É claro que já sei dessa loucura, porém pensei que seria mais uma das suas alucinações.
Quer dizer que vai sair mesmo, vai cometer essa insanidade?
Flávio encarou-o nos olhos, respondendo com firmeza:
- Irei, pois não gosto de trabalhar só pelo dinheiro.
Se o senhor quiser continuar me ajudando até eu encontrar algo que me dê prazer, tudo bem.
Se não, posso pedir que tia Francisca me sustente até conseguir.
Sei que é rica e fará isso por mim sem queixas.
Ângelo ficou mudo com tanta determinação:
- É assim que diz? Então assim será.
Hoje mesmo você vai partir para a casa de sua tia e não vai levar nem um centavo meu.
Partiremos daqui a duas semanas e é melhor que você já fique adaptado à sua nova realidade.
Suba e faça suas malas.
Com nó na garganta Flávio subiu e arrumou tudo numa mochila de viagem.
Com o tempo ele buscaria o resto das coisas.
Despediu-se de seu quarto e da janela onde costumava ver o céu estrelado e se perguntar o que existiria naqueles astros bonitos e misteriosos.
A despedida foi de emoção.
Érica chorou bastante e naquele Instante ela sentiu que jamais voltaria ao Brasil.
Era ilógico esse pensamento, mas uma força estranha a avisava que jamais voltaria para aquele que durante 26 anos fora seu lar.
- Venha visitar sua mãe, afinal só iremos daqui a 15 dias.
- É claro que venho mamãe, pode esperar.
Marina quase não o abraçou, pois não gostava de demonstrar o que sentia.
Todas as vezes que tinha um sentimento de amor, gratidão, amizade por alguém, ela não conseguia demonstrar por medo de parecer ridícula.
Apenas desejou sorte ao irmão que também desejou que Deus a amparasse na continuação de seus estudos fora do país.
Noel e Carlota em espíritos estavam lá observando tudo.
- Infelizmente tem que ser assim - comentou Carlota.
- Tudo poderia ser diferente, mas já não há mais tempo, os elementos astrais estão em ebulição e criaram o destino dessa família - respondeu Noel.
- O que me conforta é saber que tudo está sempre certo e que a sabedoria divina a tudo comanda, trabalhando na evolução de todos.
- Isso mesmo Carlota, vejo que tem crescido muito, mas é hora de irmos, pois na operosa cidade astral que vivemos tem sempre muito trabalho a fazer e Hilário conta connosco.
Seus espíritos radiosos saíram da sala.
Poucos minutos depois Flávio chegou na casa da tia.
Era uma casa grande e antiga circundada por lindo jardim.
No hall havia cadeiras, plantas ornamentais, estátuas e à frente da casa uma fonte luminosa dava um ar agradável ao ambiente.
Flávio poucas vezes tinha ido lá.
Sua tia era considerada excêntrica por sua família, pois só fazia o que queria e dizia somente o que pensava.
Não frequentava a igreja e até mesmo discutia com Érica por conta de assuntos religiosos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:58 pm

Ambas viam Deus de forma muito diferente.
Tocou a campainha e uma criada atendeu.
Logo, uma senhora gorda, risonha e simpática, veio recebê-lo abraçando-o com ar de muita felicidade:
- Seja bem-vindo meu filho.
Seu pai já me deixou a par de tudo, até já arrumei seu quarto, espero que esteja de seu gosto.
Flávio era moço simples e estava encantado com aquela casa imensa, cheia de janelas por todos os lados, o que dava uma ventilação agradável ao ambiente.
Quando entrou em seu quarto gostou do que viu: além de tudo muito simples e arrumado havia uma televisão, um som e um videocassete.
Abanando-se com colorido leque, Francisca veio em seguida.
- Gostou do quarto?
- Ora, tia, está bom demais, aqui posso fazer meu mundinho, é muito arejado e claro.
- Ah, eu sou assim, só gosto de tudo muito bonito, colorido, claro.
A vida só tem valor se for vivida em plenitude e com alegria do interno ao externo.
Flávio começou a gostar daquela senhora alegre e elegante, com cativante sorriso.
Ela não parecia ser nada do que sua mãe costumava dizer.
- Venha filho, vou lhe apresentar aos criados e aos outros moradores da casa.
Flávio começou a perguntar-se:
- Sua tia não era solteirona?
Não morava sozinha com os criados?
Havia mais alguém ali que ele desconhecia?
Foram andando por longo corredor que os levavam à cozinha.
Lá ela apresentou Clara, Gaudêncio e João, o jardineiro.
- Agora filho vou lhe mostrar os outros moradores deste lar.
Eles seguiram por outro pequeno corredor e se depararam com pequena porta.
Ao abrir Flávio sorriu:
três gatos siameses gordos e grandes dormiam confortavelmente numa cama.
Francisca explicou:
- Esses são os três moradores deste lar, são minha vida, eu os amo.
Começou a pegar um por um que acordaram ronronando.
- Estes são o Titi, o Inácio e o Cadu, razão do meu viver.
E como que esquecida de tudo começou a falar com eles:
- Filhinhos lindos, querem a merendinha das quatro não é isso?
Mamãe vai buscar.
Flávio sorriu e percebeu o quão simples era aquela mulher que transferiu sua energia afectiva para três animaizinhos.
Sua adaptação àquele lar foi muito fácil.
O clima era gostoso, principalmente pela pontualidade que reinava absoluta.
Sua tia havia morado durante 16 anos na Inglaterra e trouxe de lá muitos costumes gostosos, principalmente o chá das cinco.
Flávio ia todos os dias visitar a família, mas o pai não o tratava bem.
Acabou concluindo que ele o mandara para a casa da tia antes para não ver mais seu rosto e lembrar-se das acusações.
No dia da viagem as despedidas foram poucas, só havia muita tristeza nos olhos da mãe.
- Se eu pudesse não viajaria, juro.
Sinto que nunca mais verei o Brasil.
- O que é isso mamãe, o papai disse que na primeira oportunidade voltaremos aqui para uma visita.
Até disse que se as coisas por lá se ajeitarem bem, poderá mandar buscar o Flávio.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:58 pm

O Cristiano não se conforma por que ele não vai connosco, não é papai? - perguntou Marina.
- Isso mesmo, não há motivos para choros.
Breve estaremos de volta.
Vamos logo que o voo 140 nos espera.
E foram para o aeroporto, Flávio não os acompanhou.
Chegando a casa da tia a encontrou assistindo TV e comendo deliciosa pipoca de forno com guaraná.
- Sente aqui meu filho, está passando um maravilhoso filme de Carlitos que nos dá preciosa lição de vida.
Ele concordou e em meio ao ronronar dos gatos começou a prestar atenção no filme.
Uma hora depois o programa foi interrompido pelo plantão da emissora para avisar que uma tragédia ocorrera com o avião do voo 140 de famosa companhia.
Infelizmente ninguém sobreviveu.
Flávio imediatamente perdeu os sentidos.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:59 pm

7 - OS RESULTADOS DO ORGULHO
Logo após o acidente de avião, o espírito de cada membro da família de Flávio foi para seu lugar de afinidade.
Eles não permaneceram juntos depois da morte.
Ângelo acordou num charco onde vários espíritos como ele gemiam e gritavam.
Aos poucos foi recuperando os sentidos e a cada minuto se horrorizava com o que via.
Aqueles seres não pareciam pessoas e sim retalhos humanos.
Como fora parar ali?
Nunca havia visto semelhante lugar.
Quem o salvou na hora da queda do avião?
Onde estavam Marina e Érica?
Essas perguntas fervilhavam a sua mente quando de repente uma horda gritando e correndo se aproximou.
Uma mulher com a perna direita ulcerada disse olhando para ele:
- Você terá coragem de ficar aqui?
Olhe só o estado de minha perna.
Ângelo observou e viu uma grande ferida abaixo do joelho sangrando e expelindo uma espécie de líquido branco; estava muito profunda também.
- Por que você não procura um médico?
Isso pode ser câncer.
A mulher desesperada gritou:
- Não vê que estou querendo salvar sua pele?
Eles, os terríveis pássaros das furnas estão chegando.
Não ouve seus gritos?
De repente, gritos como de abutres selvagens cruzaram o céu.
Quanto mais alto ficavam mais as hordas tentavam correr.
Ângelo olhou para frente e a mulher havia desaparecido, talvez tivesse seguido o bando.
Algumas pessoas feridas mais gravemente caíam no meio do caminho e gemiam desesperadas.
Foi aí que o pior aconteceu.
Um grupo de 12 aves três vezes maior que os urubus terrenos e muito mais negro surgiu.
Seus bicos eram finos como a ponta de um alicate, seus gritos eram ensurdecedores e logo começaram a beliscar as feridas dos perispíritos dilacerados.
Ângelo ficou desesperado quando viu uma delas faminta aproximar-se dele.
Seus olhos pareciam ser iluminados com uma lâmpada vermelha, pois faiscavam tenazmente.
Ele caiu e ficou imóvel, sua respiração ofegante paralisava todo o seu corpo.
De repente, a estranha ave que mais parecia uma mistura do abutre com o urubu, começou a bicar as mãos de Ângelo.
Ele tentava se livrar, mas seu corpo parecia estar irremediavelmente preso ao chão.
Uma dor aguda o acometeu.
A ave bicava sem parar e ele começou a gemer fortemente.
O sangue jorrou e a ave bebia com prazer.
Perdeu um dos dedos, cada vez mais a respiração aumentava e o coração acelerava.
Ele perdeu os sentidos.
Horas mais tarde quando acordou, havia um silêncio macabro no ar.
Desesperado ele percebeu que estava sem as duas mãos.
Levantou e começou a andar, mas escorregava no próprio sangue.
Num lago da colónia Campo da Redenção que servia de tela, Hilário, Carlota e Noel observavam toda a cena.
Carlota disse:
- Fico penalizada com um caso como este!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:59 pm

Noel aquiesceu:
- Isso mesmo! Apesar de saber que é necessário que o escândalo venha, ainda perco o equilíbrio com cenas deste tipo.
Hilário muito sereno explicou:
- A morte é simples mudança de faixa energética e depois dela cada um encontra a sua realidade.
O inferno e o céu encontram-se dentro de cada um.
É preciso entender que a desonestidade tem um retorno doloroso para quem a pratica.
Se quem faz essa espécie de mal soubesse o que vai receber como consequência, acredito que jamais o faria.
- Ele está pagando o que fez, por isso perdeu as mãos?
Sorrindo, Hilário disse ternamente:
- A vida não cobra nem castiga ninguém.
Ele está apenas colhendo o resultado de suas atitudes.
É assim que ele vai amadurecer.
Deus é infinitamente superior e está acima de castigos e punições.
Porém ele criou leis perfeitas que levam o indivíduo a experimentar as consequências das suas escolhas.
Não existe punição, apenas aprendizagem.
- Difícil acreditar que ele não está sendo punido.
Ao ver uma cena como esta, acredito sim que este é o preço de seus erros – tornou Noel.
Hilário amável replicou:
- É que sua visão ainda não saiu dos acanhados limites da percepção terrena, lá eles inventaram um Deus que pune e um Deus que premeia.
Aqui descobrimos que cada um apenas passa pelo que lhe é necessário para aprender a viver melhor.
Creia Noel, é o homem que escolhe ir pela lei do "faz e paga".
Ele é um ser inteligente que precisa aprender a fazer o melhor.
Deus jamais se compraz com o sofrimento humano.
Porém é a dor que desperta, ensina o homem a compreender que só a prática do amor o levará à conquista da
felicidade.
Eles continuaram discorrendo sobre os vários aspectos da evolução espiritual quando o entardecer os surpreendeu com o convite para a hora da prece.
Reunidos, se dirigiram para o grande salão.
Longe dali Érica sofria muito e não percebeu que havia deixado a vida na Terra.
Atordoada começou a andar sem rumo, mas não encontrava ninguém.
Imaginou que se salvara do acidente de avião e estava perdida em uma espécie de mata sem fim.
Sentia muita fome, sede e calor, porém o que mais a machucava era saber qual o destino do marido e da filha.
Chorava de tristeza, saudade e preocupação, se perguntando se eles teriam se salvado.
Tentando descobrir onde estavam, ela andava sem parar.
Estava numa espécie de caatinga e nem mesmo poderia saber se era dia ou noite.
Olhava para o céu, mas relutava em acreditar que aquele disco alaranjado e quase sem luz fosse o sol.
Descalça, os pés ficaram em chagas.
"Se ao menos encontrasse alguém por aqui, alguma casa..." - pensava aflita.
Mas isso não acontecia.
Pela sua dedução estava há mais de um mês andando sem rumo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:59 pm

Por várias vezes desmaiara de fome e seu corpo magro e ossudo já nem lembravam a Érica de antes.
Foi de repente que começou a ouvir o choro de uma criança que cada vez mais forte pressionava seus ouvidos.
Ela procurou o bebé por entre os galhos retorcidos das árvores, mas não o encontrou.
O choro estava cada vez mais alto e ensurdecedor.
Tão incomodada se sentiu que passou a correr para evitar ouvi-lo, mas o choro a perseguia implacável.
- Meu Deus, estou ficando louca?
Tanto tempo sem comer e ainda não morri? O que acontece comigo?
E esse choro que tanto me angustia?
Durante dois meses ela continuou assim até que ao fim de uma estrada poeirenta encontrou uma mulher loura, cabelos à altura dos ombros, vestido preto, com um bastão de mais ou menos meio metro nas mãos.
Vinha acompanhada de uma moça de uns 20 anos.
Ao vê-la esboçou um sorriso de satisfação:
- Ainda bem que te encontrei.
Você estava certa Mina, é aqui mesmo que ela estava.
Érica olhe para mim, está lembrada? Sou Ester!
Érica, que ficou feliz por ter finalmente encontrado um ser vivente, ao mesmo tempo sentiu medo, pois aquela expressão maquiavélica lhe dava uma desagradável sensação de mal-estar.
- Quem é você?
Pode me ajudar a sair daqui?
Há meses que ando sem rumo, sem saber o que fazer, veja como estou magra.
A outra pareceu não se importar:
- Como sempre se fingindo de vítima, mas aqui não existe isso não.
Se não se lembra de mim será forçada a lembrar-se mais tarde.
Venha, me acompanhe!
Suas palavras soavam como uma terrível sentença.
Érica não viu outra solução a não ser obedecer.
Estava perdida mesmo, depois tentaria saber onde estava e pensaria numa forma de voltar para casa.
Com o bastão, Ester lançou uma energia alaranjada que começou a circular pelos pulsos de Érica.
A energia foi se condensando e uma espécie de algema apareceu.
Ela estava prisioneira, começou a chorar desesperada:
- O que está fazendo comigo?
Preciso voltar para casa, rever meus filhos, meu marido e você me prende, seja bondosa, me solte!
- Cale-se - bradou Ester.
Aqui quem dá as ordens é Jorge.
Você aprontou demais, fez muita besteira desde a última encarnação, agora chegou a hora de pagar o que nos deve.
Érica não acreditou no que ouviu, certamente Ester era uma desequilibrada que trabalhava para um grupo de sequestradores.
Tentou argumentar:
- Se é dinheiro que quer, tenho um filho que mora na Inglaterra que é muito rico.
Tenho o telefone dele e posso passar-lhe para conversarem.
Ester sorriu sarcasticamente:
- Bem se vê que chegou agora.
Terá muito que sofrer e aprender.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:59 pm

Só Jorge poderá saber o seu destino, enquanto isso me siga sem falatórios ou não responderei por mim.
Elas caminharam por uma trilha cheia de pedregulhos e vegetação rasteira.
Depois de alguns minutos chegaram em frente a um sobradão antigo e mal conservado.
Pararam.
Dois cachorros negros da raça pastor alemão vieram festejar a chegada.
De seus olhos saíam chispas vermelhas.
Ester deu um sinal e a porta central se abriu.
Passaram por um corredor com inúmeras portas até que entraram em uma sala enorme onde um homem de rosto fino e cavanhaque os aguardava.
Vestia uma capa preta e tinha olhar penetrante e amedrontador.
Olhou enigmaticamente para Ester e falou:
- Finalmente frente a frente.
A partir de agora será minha escrava.
Ester lhe providenciará a roupa específica.
Porém é necessário você saber do seu real estado antes de qualquer coisa.
- Quem é o senhor?
Em que lugar estou?
Onde está minha família?
E tudo o que quero saber.
- Sente-se.
Ela sentou numa cadeira estilo século XVIII preta e esperou ansiosa.
- Calma! Aqui quem pergunta sou eu.
Cada resposta virá a seu tempo.
Primeiro lugar:
seu marido e sua filha morreram instantaneamente na hora em que o avião caiu.
Assim como você, todos estão mortos.
Pelo semblante de Érica passou um misto de susto e zombaria.
- Ora, que brincadeira é essa?
Não lhe conheço, mas me deve respeito.
Sou uma mulher bem casada e quando sair daqui meu marido virá pedir-lhe contas do que está fazendo comigo.
Um brilho de ódio surgiu nos olhos de Jorge:
- Estou perdendo a paciência com você.
Quanto mais for resistente à verdade mais sofrerá.
Trabalhará para mim de qualquer jeito, acreditando ou não que está morta.
Um arrepio passou pelo corpo de Érica, e se fosse verdade?
Mas não, ela estava muito viva, afinal seu coração batia, podia sentir sua pele e seus ossos, só poderia ser mentira.
Tentou contemporizar:
- Quando sairei daqui?
- Depende muito de você.
Se for boazinha poderei permitir que vá ver o seu filho, ele é o único sobrevivente da família.
Érica concluiu que estava lidando com loucos e o melhor era aceitar tudo quanto eles diziam.
Certamente iria fugir dali e encontraria sua casa.
- Não adianta pensar que somos loucos - falou Jorge, lendo seus pensamentos.
Sei muito bem que pensa em fugir, mas saiba que temos condições de encontrá-la seja onde for e se a pegarmos de volta o castigo será maior.
Você se comprometeu muito quando fez aquele aborto, por isso ganhei sua alma, ficará aqui até quando eu desejar.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 7:59 pm

Érica sentiu que iria desmaiar, aquele homem amedrontador sabia muito sobre a sua vida.
O que mais poderia saber sobre sua família?
Resolveu arriscar:
- O Flávio já sabe que aconteceu a tragédia com o avião?
- Sabe e já está melhorando.
Cristiano, seu filho mais velho, veio ao Brasil ampará-lo.
Quanto ao seu marido foi levado às furnas e assim como você nem suspeita ainda que desencarnou.
Marina, a melhorzinha, foi socorrida num pronto-socorro ligado ao Campo da Redenção e recupera-se lentamente.
Érica sentiu uma tontura e desmaiou.
- O susto foi demais para ela.
Seu espírito sentiu que era verdade o que falávamos e não resistiu, preferiu fugir.
Leve-a para a cela 356 e a mantenha vigiada, não quero perder mais ninguém.
Ester apertou um botão vermelho que havia na parede e rapidamente Malaquias surgiu com Roque trazendo uma maca.
Partiram com Ester.
Sozinho na sala Jorge estava feliz.
Conseguiria através da imposição e do medo conquistar mais uma trabalhadora do mal.
Orgulhosa como era seria de fácil manejo.
Durante suas cinco décadas no comando do Desterro, uma região do umbral localizada acima da cidade de São Paulo já havia conseguido um grande número de servidores, que por cultivarem o orgulho e o egoísmo, eram mandados para zonas inferiores.
Satisfeito ele percebeu que esses vermes estavam grassando no planeta, e sabia que o processo de regeneração do orbe estava lento, principalmente por causa desses sentimentos.
Satisfeito, ele saiu para dar uma palestra sobre a obsessão e os pontos fracos dos seres humanos.
Não poderia se atrasar, pois Teófilo, seu ajudante na palestra, já havia chegado.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 8:00 pm

8 - O REENCONTRO
Voltando a Terra, retomamos a história do ponto em que Flávio viu pela TV a notícia da morte de sua família.
Francisca chamou os empregados que rapidamente levaram Flávio desmaiado para o quarto.
Providenciou atendimento médico e o acordou com sais.
Enquanto o médico não chegava todos estavam desolados com o estado do garoto.
Chorando sem parar, ele se mostrava inconsolável.
Francisca também muito abalada pelo trágico acontecimento tentava se manter firme, mas estava em seu limite.
Finalmente o Dr. Roberto Cavalcanti chegou e medicou Flávio com fortes calmantes.
Ela não sabia o que fazer.
A casa onde a família residia estava fechada e ninguém tinha a chave.
Não tinha como se comunicar com Cristiano, o jeito era esperar de uma forma ou de outra ele saber do ocorrido, que aconteceu rapidamente.
Em Londres os telejornais divulgaram a notícia de que o voo 140 com destino ao país havia tido destino trágico.
Chocado, Cristiano providenciou imediata viagem ao Brasil, pois só restara Flávio de sua família e ele deveria saber como ficariam as coisas.
O reconhecimento dos corpos foi feito por Francisca.
No IML, ao vislumbrar o corpo de Marina tão jovem não conseguiu entender por que aquilo tinha acontecido.
Afinal, eles eram uma boa família e Marina uma jovem com tudo pela frente.
Por que Deus não havia impedido essa tragédia?
Ela sempre foi avessa a qualquer tipo de religião porque elas não respondiam às suas indagações a contento e confundiam-se umas com as outras.
Na religião o que ela via era apenas abuso de poder.
Algumas amigas evangélicas diziam:
- Como você pode viver assim sem freios?
Sem nenhum tipo de suporte religioso?
Você é uma pessoa do mundo!
Ao que ela respondia:
- Do mundo todas nós somos queridas, afinal ninguém aqui nasceu no outro planeta.
Quanto aos freios?
O que vejo são pessoas hipócritas criando regras fora da realidade que no fundo ninguém cumpre porque estão fora da natureza.
Ademais nunca precisei de religião para saber o que é ético.
Pauto minha vida pela ética e não me importo com o que os outros pensam ou deixam de pensar.
Não as vejo sendo mais felizes do que eu!
Elas retrucavam dizendo que o fim do mundo estava próximo e só quem fosse de determinada igreja iria se salvar.
Mas Francisca, dotada de uma intuição fortíssima, não discutia e logo depois elas estavam falando de outros assuntos.
Na hora do reconhecimento dos corpos ela chegou a duvidar de Deus, porém algo lhe dizia que tudo tinha sua razão de ser.
Um dia ela ainda desvendaria os mistérios daqueles acontecimentos.
O velório foi no Araçá.
Cristiano chegou algumas horas antes, abraçou o irmão, a tia e cumprimentou os conhecidos.
Era um jovem de rara beleza e porte atlético, muito diferente de Flávio, que apesar de não ser feio não cultuava o corpo como o irmão fazia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Seg Jan 01, 2018 8:00 pm

Um padre conhecido falou sobre a morte e que era preciso aceitar o que Deus fez.
Chamou as pessoas ao perdão, à vida regrada, para que num instante como aquele não se vissem em maus lençóis com o Criador.
Os corpos foram entregues à mãe-terra e os irmãos abraçados seguiram para a casa de tia Francisca.
Lá chegando tomaram banho e lancharam os deliciosos bolinhos de milho que Clara havia feito para o chá.
- Apesar da tristeza, é reconfortante chegar ao Brasil e ver esse costume maravilhoso reproduzido aqui - disse Cristiano.
- Tem razão.
Todas as vezes que participo dele com a tia sinto uma sensação deliciosa de paz!
Cristiano com olhar profundo disse:
- Esta casa tem muitas energias boas, muitos espíritos bons vêm visitá-la.
Já percebeu a presença de um deles, tia?
Surpreendida, Francisca respondeu:
- Sinto-me em profunda paz neste recanto simples que é minha casa, mas...
Você fala de espíritos, eles existem realmente?
Cristiano esclareceu:
- Claro que sim! Nunca parou para imaginar onde estão as pessoas que morreram?
Se analisar a vida, verá que Deus jamais nos criaria dando sabedoria, amor, liberdade, inteligência só para morrermos um dia e deixarmos tudo para trás.
Além de ilógico, concluiríamos que a vida na Terra não teria nenhum sentido.
Quem morre passa a viver em outras dimensões do Universo, levando apenas seu mundo interior, seus medos, suas ilusões e suas crenças.
Se progredir levará consigo tudo de bom para ser usado numa próxima encarnação.
Nessa hora Flávio não aguentou e perguntou:
- O que é ser médium?
- Um médium é uma pessoa capaz de perceber além dos cinco sentidos físicos.
Enquanto as pessoas comuns só percebem o lado material da vida, os médiuns vão além.
Onde a visão de um homem comum pára, a do médium continua decifrando o que para nós é apenas Considerado sobrenatural.
- Todos podem ser médiuns?
- A resposta certa é:
todos nós somos espíritos e o sexto sentido faz parte da nossa natureza.
Alguns são mais ostensivos do que outros, mais a mediunidade é um fenómeno natural do ser humano.
Francisca quis saber:
- Você é espírita?
Cristiano esclareceu:
- Se você chama de espírita a pessoa que acredita na reencarnação, na comunicação dos espíritos e na diversidade dos mundos habitados então sou sim um espírita.
Porém, fui orientado pelo meu mentor espiritual a utilizar o termo espiritualista independentemente, pois ele além de não me pôr rótulos permite que eu trabalhe em um campo mais livre e tenha uma acção mais proveitosa no âmbito espiritual.
Sou em realidade um universalista.
Todos gostaram dos conceitos de Cristiano, porém Flávio por medo de ouvir algumas verdades que julgava não estar preparado omitiu suas manifestações mediúnicas.
Depois do jantar, com ar grave Cristiano chamou Francisca e Flávio para uma reunião.
Ele começou:
- Eu sei que não é hora de conversarmos sobre certos assuntos, porém não tenho muito tempo no Brasil e antes de partir gostaria de esclarecer alguns pontos.
Nessa hora a campainha tocou e Clara foi atender.
Com surpresa, Francisca percebeu que a família Assunção Ferguson estava em sua casa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 02, 2018 9:08 pm

Delicadamente perguntou:
- O que desejam?
Fernando tomou à dianteira:
- Boa-noite.
Por gosto de minha mulher viemos prestar solidariedade à família tão enlutada.
Era mentira.
Élida ficou sabendo pelos jornais que o filho rico e mais velho de Érica e Ângelo estava de volta por conta da morte dos pais e pretendia apresentá-lo a Isabela sua filha, na esperança de um rico casamento.
Porém Camila decidiu ir junto, o que frustrou os planos de Élida.
Camila acompanhava os pais de vez em quando na tentativa de envergonhá-los com seus modos e suas roupas.
Antes de sair, mãe e filha haviam travado violenta discussão, porém Fernando acabou convencendo Élida a levá-la para evitar problemas.
Francisca, como boa anfitriã, convidou-os a sentar e pediu que Clara servisse chá a todos.
Não era bem a merenda que Élida estava habituada, porém aceitou de bom grado.
Os olhos de Flávio e Camila não paravam de se cruzar.
Ela imediatamente o reconheceu.
Sonhou todos os dias em reencontrá-lo, mas não via como.
Por isso quando soube da visita à família Menezes insistiu para ir.
Agora com a troca de olhares ela tinha certeza de que ele a havia reconhecido.
Élida, demonstrando preocupação, dirigiu-se a Flávio:
- Sei que não é hora nem dia de visitas deste tipo, porém soubemos que o Cristiano em breve voltará a Londres e não podíamos deixar de cumprimentá-lo, já que tarefas inadiáveis nos impediram de ir ao enterro.
Esse aqui eu já conheço, é o Flávio.
Está melhor?
Flávio não conseguiu conter o pranto e foi correndo para o seu quarto.
Todos na sala ficaram constrangidos e Cristiano apaziguou o clima:
- São coisas comuns para quem perde uma família inteira, por favor, entendam e desculpem.
Élida continuou:
- Entendemos perfeitamente, a propósito, já conhece minha filha Isabela?
Quando Cristiano a encarou, sentiu terrível mal-estar.
Ele viu três vultos de mulheres deformadas próximos a Isabela.
Pediu protecção a Cândido, seu mentor espiritual, ao estender a mão para cumprimentá-la.
- Muito prazer.
Depois de algum tempo conversando banalidades, Camila fingiu que ia ao banheiro, mas pé-ante-pé entrou no quarto de Flávio.
O encontrou banhando seu travesseiro em lágrimas.
Ela o surpreendeu:
- Não disse que ainda conversaríamos?
Aqui estou eu, vamos aproveitar e falar sobre outros assuntos que não seja a morte?
Ele profundamente tocado pela atitude dela naquele instante de fragilidade sentiu-se confortado e atraído por ela.
Perfumada, loura, bem maquilhada, teve o condão de mexer profundamente com seu lado afectivo.
- Vamos sim, em meu egoísmo não agradeci por ter vindo nos visitar.
- Você é sempre assim tão sensível?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 02, 2018 9:08 pm

Ele retrucou:
- E você é sempre assim tão ousada?
- Sou sim, a vida obrigou-me a ser assim.
O mundo em que vivemos onde só os maus sobrevivem nesta selva chamada Terra, é cruel e duro.
Enfrento tudo isso a meu modo.
- Não diga isso.
Veja meu estado, não tenho mais nem pai nem mãe, mas mesmo assim consigo olhar as belezas do mundo.
Não quer aprender a olhar junto comigo?
Um calor forte cobriu o corpo de ambos.
A forte atracção que um sentia pelo outro os aproximou e eles se beijaram nos lábios, repetidas vezes, Flávio disse:
- Você salvou minha vida com esses beijos.
- E você a minha.
Meia hora depois, quando eles chegaram na sala de mãos dadas, todos ficaram estupefactos.
Élida corou de vergonha:
- Mas o que significa isso?
- Desde o nosso acidente nos sentimos atraídos um pelo outro.
Hoje conversamos e começamos a namorar.
Todos ficaram mudos.
Isabela, com receio que Cristiano a julgasse uma leviana como a irmã, disse:
- Isso só pode ser brincadeira da Camila com a mamãe.
Papai, faça alguma coisa!
Fernando separou as mãos dos dois e disse:
- Camila, que brincadeira é essa?
Quer mais uma vez nos importunar?
Ela se defendeu:
- Porquê?
Em sua época não existia amor à primeira vista?
Pois foi o que aconteceu comigo e Flávio.
Somos almas destinadas a viverem juntas.
Fernando corou:
- Mas isso só pode se tratar de mais uma das suas.
Eu a conheço muito bem, porém agora foi longe demais, usar esse rapaz no estado em que está é um pecado.
- Mas por que ninguém acredita em mim?
Flávio diga a eles.
Flávio assentiu:
- Desculpe tia Francisca, mas foi isso mesmo que aconteceu, tudo foi inesperado, mas aconteceu.
Camila foi me consolar e lá conversamos, nos entendemos.
Élida exultou.
Ela havia pensado em Isabela, mas aconteceu algo melhor.
Certamente Flávio não era tão rico quanto o irmão, mas se casasse com Camila seria uma dádiva.
Além de ficar livre da filha doidivanas, sua família voltaria a ter o status que tinha antes.
Tentou contornar:
- Devemos entender que são coisas de jovens, perfeitamente compreensíveis.
Porém a hora já é adiantada.
Precisamos ir.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 02, 2018 9:09 pm

A visita terminou no clima do namoro entre Flávio e Camila, quando iam se recolher, Cristiano avisou:
- Por conta desta visita não pudemos conversar um assunto sério e que não pode mais ser postergado.
Amanhã cedo após o café conversaremos.
Sigo agora para o hotel, este é o número.
Se precisarem de mim é só ligar.
- Pensei que quisesse ficar aqui.
Preparei seu quarto e ficaria muito feliz se acompanhasse seu irmão no estado em que está - falou Francisca.
- Tia, agradeço sua hospitalidade, mas já me instalei no hotel não desejo sair de lá.
Flávio está melhor do que eu.
Basta olhar seu rosto.
A visita de Camila lhe fez bem.
Era verdade, aquela noite para Flávio tinha sido mágica, apesar do enterro de seus pais o encontro com Camila o fazia prever dias melhores.
Desde que vira Camila no hospital pela primeira vez se sentiu profundamente tocado.
Notando os olhares interrogativos da tia e do irmão considerou:
- Também não exagerem, estou sim muito interessado nela, mas neste momento não posso me envolver profundamente com Camila, porque não sei como será minha vida daqui para frente sem meus pais.
Cristiano respondeu:
- A vida ensina independência, auto-suficiência, liberdade e embora não pareça a nossos olhos, sempre faz o melhor.
Se levar nossos pais foi porque o tempo que tinham para viver havia terminado.
Certamente eles foram chamados não só para rever suas atitudes de até então, como para em novas experiências continuar aprendendo os valores eternos do espírito.
Acredite, o que aconteceu, embora nos cause sofrimento, foi o melhor para todos.
A morte nos convida a reflectir sobre os objectivos da vida, a reciclar valores, crescer, progredir.
Depois, é bom lembrar que ela não é o fim, pois quem morre passa a viver em outras dimensões deste Universo infinito.
- Onde estão nossos pais agora?
E Marina?
- Só Deus sabe!
Entretanto, penso que se foram atendidos pelos espíritos superiores devem estar adormecidos em algum lugar.
Pessoas relativamente jovens arrancadas assim de forma brutal do corpo físico podem levar mais tempo para desprenderem-se dos laços fluídicos que os ligam ao corpo.
Quando têm mérito esse desligamento ocorre no próprio velório ou no próprio túmulo, dependendo de quanto aquele espírito está ligado ao materialismo.
Ele só se libera espiritualmente quando absorver em seu corpo astral todos os elementos de ligação com a matéria.
Durante esse tempo é assessorado pelos espíritos superiores que o protegem através de um sono reparador.
Os amigos espirituais esclarecem que os espíritos sofrem muito mais pela doença do que pela hora da morte, porque a vida é muito misericordiosa.
Flávio inquietou-se:
- O que ocorrerá a quem não tem mérito?
- Todo espírito após a morte ao acordar no astral recebe a orientação dos espíritos de luz.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 02, 2018 9:09 pm

Os que afundaram nos vícios, no sexo desenfreado, na maldade e na corrupção, não se arrependem nem desejam aceitar o caminho da regeneração que lhes é oferecido.
Envolvidos com os espíritos perturbados com os quais se ligaram, são deixados à mercê de suas escolhas.
Então são atraídos a lugares de sofrimento que lhes são afins.
Lá, através do choque com sua realidade, encontrarão o arrependimento e a necessidade de buscar a ajuda espiritual.
Aceitarão as normas e disciplinas necessárias, serão recolhidos e auxiliados.
Francisca estava enlevada com as lições, havia ido a alguns centros espíritas, mas por não ter encontrado afinidade acabou deixando de frequentá-los.
Hoje após essa conversa voltaria a estudar o assunto.
Precisava aprender mais sobre as lições que a espiritualidade ofertava.
Cansados pelo dia estafante que tiveram, cada um foi para seus aposentos e mergulharam num sono reparador.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Ter Jan 02, 2018 9:09 pm

9 - REVELAÇÕES
Pela manhã após o café, Cristiano chamou todos à sala contígua.
- Nossa conversa foi interrompida ontem, porém hoje não a poderá ser adiada.
Francisca preocupou-se:
- É necessário mesmo que eu fique?
Se for um assunto muito particular posso sair e deixá-los à vontade.
- Não tia - disse Cristiano.
Prefiro que fique.
O que vou falar também vai lhe interessar.
Flávio inquieto persistiu:
- Comece logo, já estou ficando nervoso.
Com ar grave, Cristiano começou:
- Talvez não seja do seu conhecimento irmão, mas nosso pai mantinha contas milionárias no exterior.
Quando ele perdeu o emprego aqui no Brasil e falou que tinha poucos recursos, estava mentindo.
Na realidade há muito dinheiro dele nos Estados Unidos e... - pensou um pouco.
Ele agora é nosso!
Flávio admirou-se:
- Mas como o papai pôde ter assim tanto dinheiro?
Com o trabalho que tinha não dava para tudo isso.
- Não pode ser desvio de dinheiro da empresa onde trabalhava? - arriscou Francisca.
Cristiano atalhou:
- Não apenas de uma empresa, mas de todas as outras a quem ele prestava serviço e trabalhou anteriormente.
Papai também mantinha negócios ilícitos, os quais não desejo nem mencionar.
No entanto, se foi realmente roubo, ele o fez muito bem-feito, pois não há como provar.
Apenas as últimas receitas da empresa Limbol foram comprovadas.
Quanto a essas já as devolvi e está tudo regularizado.
Flávio demonstrou curiosidade:
- Qual o valor dessas contas?
- Algo em torno de sete milhões de dólares.
Francisca não conteve o grito de horror e Flávio aumentou o nervosismo:
- De onde veio tanto dinheiro?
- Não sabemos e acho que jamais saberemos a fonte, porém garanto que nosso pai não estava indo a Londres para nada.
Pretendia montar empresa própria com esse dinheiro e eu já tinha aberto firma em meu nome.
- Por que no seu nome?
- Acredito que por questão de precaução.
Quem move negócios escusos como os dele sempre tem medo de que algo venha à tona, então o melhor é encontrar um bom testa-de-ferro.
Flávio interrogou:
- Por que você aceitou uma coisa dessas?
- Se eu não o aceitasse teria feito com outro.
Essa foi à maneira que encontrei para influenciá-lo e evitar um mal maior.
Protegê-lo de alguma forma.
Flávio não se conteve:
- E o que vamos fazer com tanto dinheiro?
Porque papai não nos proporcionou uma vida melhor?
Vivíamos como classe média.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 80432
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum