O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Página 4 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:21 pm

13 - A VIDA TRAÇA NOVOS RUMOS
Sempre que podia, Cristiano acompanhava Flávio em seus estudos.
O curso que ele fazia era de um nível mais avançado, porém Flávio rapidamente o alcançou e o ultrapassou.
Isso se deu porque em sua mente subconsciente estavam os clichés de tudo quanto já tinha aprendido, tanto em vidas passadas, quanto em suas passagens na erraticidade.
Flávio era um espírito mais evoluído do que o irmão, e tendo conquistado maior equilíbrio espiritual, sua ascendência sobre ele se manifestou naturalmente.
Cristiano passou a consultá-lo antes de tomar qualquer decisão e a acatar suas opiniões.
Tudo quanto fazia passava agora pelo cunho do irmão.
Os negócios de Cristiano prosperavam na Inglaterra, e com eles, era possível arcar com todas as despesas de Flávio até que estivesse preparado para iniciar seu trabalho no Brasil.
Uma tarde Cristiano, em companhia de duas belas jovens, foi visitar Flávio no Centro de Estudos Espirituais onde ele estudava.
Uma aparentava ser mais velha, com tez morena escura, cabelos lisos à altura dos ombros e a outra mais nova era morena-clara, tinha lábios finos e cabelos encaracolados.
Só quem as conhecia sabia de seu parentesco: eram irmãs.
Muito diferentes fisicamente, demonstravam a mesma simpatia.
Cristiano chamou o irmão a uma sala discreta e as apresentou:
- Esta é Laura, minha namorada da qual lhe falei, e esta é Anita, sua irmã.
Ao olhar nos olhos de Anita, Flávio sentiu uma sensação diferente e teve a certeza de que já a conhecia de outras vidas.
Cristiano notou, porém nada comentou.
Flávio fitou-as admirado:
- Muito prazer!
Vocês são diferentes, nem parecem irmãs!
Como aprenderam a falar português tão bem?
Anita explicou:
- Somos brasileiras.
Estamos aqui há apenas dois anos.
Nosso pai conseguiu um óptimo emprego e nos mudamos para cá.
Foi bom para Laura que teve a chance de conhecer o Cristiano.
Ela pareceu encabulada:
- Não repare.
Anita fala demais.
Cristiano interferiu:
- Elas têm personalidades diferentes; enquanto Laura é tímida, Anita é o oposto.
Flávio observou:
- Pelo brilho que vejo em seus olhos, penso que logo teremos um casamento.
- Você é um bruxo mesmo!
Como adivinhou?
Conhecemo-nos há apenas seis meses e sinto que quero viver com ela pelo resto da vida.
- Olhando vocês dois, sinto que nasceram um para o outro.
Cristiano atalhou:
- Viram como ele consegue ler o que se passa dentro de cada um de nós?
- Foi você quem me ajudou a perceber minha sensibilidade.
- Mas o aluno da primeira hora superou o mestre.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:22 pm

- Pare de brincadeiras, você sabe que eu não gosto que me chame assim.
Às vezes você pede e dou minha opinião, mas jamais pretendi guiar sua vida.
- Mas seguindo sua opinião nunca me dei mal.
Anita, muito interessada, perguntou:
- Você, Flávio, é médium?
O que vê na minha aura?
Ele viu nitidamente surgir na aura de Anita um brilho muito forte quando ela o fitava, revelando certo interesse por ele.
Porém, disse apenas:
- Sua aura é de uma pessoa muito alegre, que sabe curtir a vida.
Está muito brilhante.
Anita corou.
Ele disse as últimas palavras olhando profundamente em seus olhos; teria percebido seu interesse?
A conversa continuou até a hora do crepúsculo, quando todos se despediram e foram embora.
Contudo, Flávio e Anita não conseguiram esquecer um do outro.
Desde que chegara a Inglaterra, Flávio não tinha se envolvido com nenhuma moça.
Depois do que sofrerá com a morte de Camila, fechara o coração ao amor, com medo de sofrer.
Porém, ao conhecer Anita, sentiu por ela uma incrível sensação de familiaridade, mas teve medo de estar confundindo as coisas.
Resolveu meditar e tentar compreender melhor o que se passava com ele.
No mundo espiritual, Camila continuava escrava de Jorge.
A princípio, Teófilo queria levá-la para Larvosa, mas um acordo feito com o amigo à fez permanecer no Desterro.
Teófilo queria ter mais uma magnetizadora, porém Jorge lhe garantiu que trabalhando para ele Camila faria a mesma coisa.
Ela sentia muita saudade de Flávio e quando descobriu que estava morta tentou vê-lo, porém Ester explicou:
- Flávio vive em uma sintonia acima da nossa, portanto não podemos vê-lo.
Deverá conformar-se e ficar na saudade.
Também não consigo ver meu marido que já reencarnou e está protegido por uma família espírita.
Eles fazem toda semana o evangelho no lar e por isso não conseguimos nos aproximar.
Aqueles malditos espíritas!
Camila ficou curiosa:
- O Flávio ainda continua nessa de espiritismo?
- Soube que vive na Inglaterra com um grupo de espiritualistas independentes numa faixa de alta elevação.
Nem conseguimos chegar perto.
Jorge não costuma se meter com o pessoal do Cordeiro, pois sempre se dá mal.
Camila teve que se conformar.
Não sentia saudades da família, muito menos de Rafael, seu antigo namorado.
Na cidade em que vivia, pôde conhecê-lo melhor e percebeu que era apenas paixão o que havia sentido por ele.
Porém, ele não deixava de persegui-la e às vezes ela deixava-se envolver e ambos se entregavam à paixão, num daqueles quartos sombrios e escuros da cidade.
Depois que isso acontecia, Camila passava horas em depressão e ia a Terra sugar as libações do álcool das pessoas que se entretinham nesse vício.
Fazendo isso conseguia esquecer um pouco a insatisfação.
Numa dessas visitas ao orbe, ela percebeu que algo de muito estranho acontecia na sua antiga casa.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:22 pm

Aterrorizada ela percebeu que sua mãe Élida havia enlouquecido e se encontrava internada.
Seu pai e sua irmã não a visitavam e de certa forma sentiam-se aliviados por se verem livres dos problemas que ela lhes trazia.
No hospício, Camila não conseguiu permanecer nem cinco minutos.
Ela viu que lá havia grande quantidade de entidades em desequilíbrio, que assim como ela queria viver no lado obscuro da vida.
Ela viu próximo à sua mãe um espírito de aparência horrível.
Sentiu-se muito mal.
Élida em nada lembrava a mulher bonita e chique de antigamente.
Estava com os cabelos desgrenhados, mal vestida, além de babar muito.
Camila fugiu logo dali, pois não desejava desequilibrar-se mais.
Não estava interessada na mãe nem em seu destino.
Era até bom que tivesse enlouquecido.
Com o tempo, Érica deixou de ser prisioneira para ser trabalhadora de Jorge na cidade do Desterro.
Em todos os anos de desencarnada ela nunca viu a família. Soube da situação do marido, mas recusou-se a vê-lo.
Marina não lhe interessava, já Flávio e Cristiano ela não pôde nem chegar perto devido à vibração de ambos.
Por isso conformou-se com a situação em que vivia.
Passou a utilizar seus poderes para magnetizar as pessoas da Terra e tentar manipulá-las conforme sua conveniência.
Porém, de tudo que havia visto depois da morte, jamais esqueceu da viagem que fizera ao abismo.
Aquelas cenas permaneceram vivas em sua memória.
Naquela noite, ao ver o grupo que Jorge convocara juntamente com Rafael para ir ao abismo, ela espantou-se:
- Para que tanta gente?
Ester explicou:
- As formas degeneradas são muito pesadas, são necessários homens fortes para locomovê-las.
Esses homens irão lá com essa função.
Veja o Rafael como está alegre com a vingança.
Conversa e sorri sem parar.
Érica olhou para Rafael, que era ainda muito jovem, e exclamou:
- Não entendo como um rapaz desse, pode se comprometer dessa forma.
Tenho ajudado nos trabalhados de vingança, mas noto que ninguém sai feliz de uma coisa dessas.
Ester retorquiu:
- É porque você não sabe o que a Élida fez.
Quando chegou no astral, Rafael descobriu que Camila perdeu o bebé porque a mãe fez ela praticar um tenebroso aborto.
Imagine só a raiva que ele sentiu.
Além de separá-los por puro preconceito ela cometeu esse ato draconiano com o filhinho que estava por nascer.
É muito justa essa vingança, aquela mulher merece a loucura que a aguarda.
- Estou com muito medo, Ester - confessou Érica.
Não sou acostumada a ir em lugares como o abismo, acho que me recusarei a ir.
- Não desobedeça ao Jorge, ele é muito violento.
Disse que faz questão de levá-la junto para que veja do que ele é capaz.
Ela estremeceu:
- Então irei, mas você me protegerá.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:22 pm

Ester sorriu:
- Aqui ninguém protege ninguém, se tiver alguma coisa ruim lá lhe aguardando, não sou eu quem irá salvá-la.
Érica ficou apavorada, porém não tinha como deixar de obedecer.
Ela percorreu junto com o grupo um longo caminho.
Ao chegarem em certo ponto, já na sub-crosta, todos colocaram uma espécie de óculos protector.
No limiar para o abismo, Érica sentiu que ia desfalecer.
As cenas que viu eram de aterrorizar qualquer criatura.
Os homens indiferentes chegaram ao local e retiraram de lá uma forma que parecia ser de uma mulher.
Ela babava sem parar e tinha os olhos vidrados.
Os cabelos se transformaram em uma crina e ela andava de quatro pés.
Do meio da cintura para baixo seu corpo era de cavalo e ela relinchava como se fosse mesmo um animal.
Jorge chamou Érica a um canto e disse:
- Essa aí foi uma antiga criminosa que chegou a esse estado por sugestão de um espírito vingativo.
Traz nas costas mais de cem crimes e o remorso torturante, sem remédio, a levou pouco a pouco a se transformar nisso que vê aí.
Agora, está completamente louca.
Colaremos esse espécime no corpo de Élida, que bem merece.
Ela implorou:
- Não faça isso Jorge, pelo amor de Deus.
Os filhos do Cordeiro não irão permitir que isto aconteça.
Jorge deu uma gargalhada:
- Élida não tem protecção dos filhos do Cordeiro.
É ambiciosa, má, perversa, crítica e maledicente.
Vive num mundo de fantasias e ilusões.
Por que acha que iremos atingi-la?
Se fosse uma pessoa voltada ao bem jamais conseguiríamos esse intento.
Os homens fortes abriram uma jaula e prenderam a forma tenebrosa dentro com muita violência.
O caminho de volta pareceu mais rápido, porém, eles não descansaram.
“Ler o romance O Abismo, de R.A. Ranieri.”
Foram directo para a mansão dos Assunção Ferguson.
Encontraram Élida no trocador aprontando-se para sair.
O quarto era luxuoso e muito bem decorado.
Rapidamente os homens ligaram alguns fios energéticos, que Érica não entendeu de onde vinham, no cerebelo de Élida.
Em seguida abriram a jaula e soltaram no recinto a forma meio humana, meio animal.
Érica percebeu que os fios vinham da entidade e esperou aflita o que ocorreria.
De repente, Élida sentiu ligeira tontura.
Olhou no relógio e percebeu que já eram oito horas da noite.
Sem saber por que, começou a se sentir nervosa e angustiada.
Uma sensação de apreensão a invadiu e ela começou a suar fino na testa.
Pôde ver claramente a forma degenerada próxima a seu corpo e deu um grito de horror.
Gritou alto e muito forte, repetidas vezes.
Isabela e Fernando apareceram no quarto e ela pediu chorando:
- Tirem-na daqui, eu lhes suplico.
Tirem-na.
O marido protestou:
- Não há nada aqui Élida, o quarto está vazio!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:22 pm

Rafael ria de felicidade.
A mulher maldosa e preconceituosa virará um farrapo humano.
Ela insistia que havia um monstro no quarto, mas Fernando repetia que não havia nada lá.
Isabela dizia a mesma coisa, porém ninguém conseguia contê-la.
Sentindo-se perseguida, Élida começou a correr pela grande casa.
Por mais que tentasse não conseguia se livrar do ser monstruoso que estava ligado ao seu corpo.
Aonde ia, o ser urrando e babando a acompanhava.
Ela acabou sendo levada ao psiquiatra que diagnosticou esquizofrenia paranóide.
O Dr. Francisco disse que casos assim eram comuns e que poderiam ser medicados em casa.
Ela não apresentava lesões no cérebro, porém o médico explicou que todos os sintomas eram de uma esquizofrenia e certamente a lesão deveria estar em uma zona específica que os exames não conseguiram identificar.
Era uma explicação confusa.
Na realidade, o Dr. Francisco não entendia como uma pessoa com esses sintomas não apresentava nenhuma lesão.
Élida tomava 16 comprimidos por dia.
Mas, não melhorou.
Pelo contrário, os medicamentos agravaram seu estado.
Ela passou a andar nua pela casa e pela rua.
Fernando e Isabela optaram pela internação que ocorreu com Élida numa camisa de força.
Érica não conseguia entender como podia existir tanta maldade no mundo.
Não entendia como uma mulher bondosa e religiosa como Élida pudesse terminar naquele estado.
Com esses pensamentos resolveu se recolher.
Pelo amanhecer trabalharia mais.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:22 pm

14 - NO BRASIL
Flávio continuava com os pensamentos contraditórios no que se referia a Anita.
Ela se mostrava completamente apaixonada por ele.
Ia visitá-lo frequentemente na companhia de Cristiano que sempre estava próximo do irmão.
Rolando na cama, ele pensava se o que sentia era algo mais profundo ou apenas uma atracção passageira.
Não desejava misturar as coisas, queria agir com absoluta certeza de seus sentimentos.
Fazia dois meses que se conheciam, mas um não tirava o outro do pensamento.
Lembrou-se repentinamente de uma frase do Dalai-Lama que dizia:
Ame profundamente e com paixão.
Você pode se machucar, mas é a única forma de viver a vida completamente.
Era isso que precisava fazer.
Vivia pregando em suas palestras que o amor deve ser vivido em plenitude e que jamais devemos deixar de demonstrar um sentimento.
Nesse instante, percebeu que estava fazendo totalmente o contrário, fugindo covardemente do amor.
Tomou uma decisão:
logo após a palestra convidaria Anita para um passeio e se declararia.
Flávio entrou num salão repleto de pessoas, onde ouviriam uma palestra sobre o planeta Terra.
Era um grupo de espiritualistas interessado em saber um pouco mais sobre o panorama espiritual do nosso planeta que confiava muito no que Flávio dizia.
Ele iniciou:
- Vamos todos pedir a Deus, supremo Criador do Universo, que tome a direcção deste trabalho que hoje se realizará.
Que Ele possa nos enviar vibrações de paz, amor e harmonia, que possamos contar com a presença de nossos amigos espirituais e com a cumplicidade do Universo.
- Meus amigos, o governo espiritual do planeta Terra é monitorado por uma junta muito grande de espíritos, que acompanha sua evolução.
São espíritos superiores designados pela fonte de vida, para ajudar a humanidade a encontrar o caminho do progresso, com menos sofrimento.
As leis cósmicas, perfeitas e imutáveis funcionam, respondendo às atitudes de cada um e ao mesmo tempo às escolhas colectivas dos povos, cuja ignorância tem levado a guerras e aos jogos do poder, ocasionando todo sofrimento que tem crucificado na dor toda a humanidade.
Em uma cruzada de amor, esses espíritos iluminados intervém, buscando de todas as formas esclarecer a consciência dos encarnados, a fim de que se ajustem às leis do progresso e possam evoluir pela inteligência, banindo da face do planeta o sofrimento.
Ele continuou discorrendo com extrema facilidade sobre a Terra e seus mecanismos, inspirado que estava por entidade de elevada hierarquia.
Ao final, concluiu:
- Na Terra, o bem-estar das pessoas depende exclusivamente das energias que produzem.
Elas alimentam ideias que determinam suas atitudes.
Essas atitudes formam o destino do planeta e conforme a situação, os espíritos superiores não intervém, só o fazendo quando as transformações provocadas pela colheita dos resultados, tornam propício o momento, favorecendo o sucesso de seus propósitos.
É bom lembrar que a vida não joga para perder e só atua quando há grande probabilidade de obter o que ela deseja.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:23 pm

Quando um desafio se faz presente em nossas vidas é porque temos condições de enfrentá-lo e vencê-lo.
- Vamos pensar melhor se estamos ou não contribuindo para a evolução do planeta, e a partir daí pautar nossa vida pela ética, pelo optimismo e pela fé.
- Que Jesus possa nos abençoar pelos caminhos da vida, hoje e sempre.
Que assim seja!
Os trabalhos da noite foram encerrados e alguns dos presentes foram cumprimentar Flávio pelas palavras de incentivo.
Anita estava no meio deles, juntamente com a irmã e Cristiano.
Após um aperto de mão e um abraço caloroso, Flávio, meio sem jeito, falou-lhe ao ouvido:
- Anita, preciso muito conversar com você, me espera no jardim?
Ela, parecendo saber do que se tratava, respondeu com um sim muito expressivo.
Para esclarecer a situação com Laura, Flávio comentou:
- Gostaria muito de poder conversar particularmente com Anita.
Depois eu a deixarei em casa.
Laura respondeu:
- Fique à vontade.
Despedindo-se da irmã e de Cristiano, Anita foi ao jardim esperar por Flávio.
Ele foi em seguida.
Um vez juntos no carro, Flávio disse:
- Vou levá-la a um belo restaurante.
- Não estou com fome Flávio, não desejo comer nada.
Ele respondeu:
- Você vai gostar.
Há música instrumental ambiente e se não quiser jantar, poderemos ficar no barzinho.
Durante o trajecto ele pegava algumas vezes na mão de Anita que corava de prazer.
Será que finalmente seu sonho se realizaria?
Sentia que amava Flávio mais que tudo na vida e namorá-lo seria o ápice da sua felicidade.
Num lugar do barzinho, meio em penumbra, Flávio fez sua declaração a Anita.
Foi objectivo e sincero.
Falou da sua vida, do seu trabalho com a mediunidade, da sua paixão por Camila e da morte trágica dos pais e da irmã.
Confessou ter sentido algo diferente e especial por ela, não afirmou ser amor, mas era um bom sentimento que deveria ser vivido com intensidade.
Flávio aprendeu que nenhum sentimento deve ficar escondido, principalmente os de amor.
E o amor que dá alegria à vida e quando ele aparece deve ser vivido.
Anita não estava em si de tanta felicidade.
Era uma alma de evolução mediana e não estava interessada nos trabalhos mediúnicos de Flávio.
Ela fingia que se interessava, fazia perguntas, mas do que gostava mesmo era de estar com ele.
No fundo dava graças a Deus pelo namorado ser assim, meio beato, só assim ficaria sossegada quanto às traições, que certamente jamais ocorreriam.
Bendita mediunidade, pensava ela, com certo egoísmo.
Ela procurou fazer tudo para agradá-lo a partir daquele dia.
Cristiano ficou muito feliz com o namoro dos dois, pois ficaria tudo em família.
Onde Flávio estivesse, lá estaria Anita.
Não fosse pelo egoísmo dela, essa seria uma relação perfeita.
Flávio a amava.
Sabia de seus defeitos, mas eles não eram suficientes para acabar com o amor que ele sentia.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:23 pm

Compreendia e jamais discutiam.
Para ela, viver ao lado de Flávio, era uma oportunidade de progresso que a vida lhe oferecia.
Estando unidos por compromissos do passado, o casamento por certo se realizaria, visando o progresso de ambos.
Anita, desde a época que vivia na espiritualidade, aceitou tê-lo como marido.
Por tê-lo perdido de forma trágica no passado remoto, ela cristalizou em seu espírito que só seria feliz se estivesse com ele, por isso tudo fazia para ficar ao seu lado.
Um ano se passou desde o início do idílio entre Flávio e Anita.
Durante esse período estavam sempre juntos.
Ela aproveitava toda a chance de estar com ele e por isso era assídua nas reuniões espíritas de dona Margareth.
O tempo passava e Flávio ia desenvolvendo mais sua consciência e agindo com mais sabedoria.
Fez diversos tipos de cursos, dentre eles os de auto-ajuda, psicologia comportamental, análise, parapsicologia, terapias, incluindo a logoterapia, que tem como base fundamental a busca e a expressão do eu.
Mas foi numa viagem a Califórnia que Flávio fez um dos cursos que mais o ajudaria, o curso de mentalismo e prosperidade.
Quando voltou dessa viagem, num horário de meditação, Flávio viu aproximar-se dele o espírito Hilário:
- Que a Paz de Deus esteja com você.
- Que assim seja.
O que deseja de mim, Hilário?
- Primeiro lhe avisar que mais uma parte de sua missão será cumprida.
Deverá deixar a Inglaterra o quanto antes e voltar para o Brasil.
É lá que reside o grupo de pessoas que você deverá ensinar.
Sua iniciação e aprendizagem se completaram com o curso que recebeu na Califórnia.
É hora de metodizar o trabalho e traçar as directrizes para bem organizá-lo.
As pessoas estão cada vez mais perdidas com os desafios que enfrentam no mundo.
Você será o agente transformador da vida de cada um deles, que já estão prontos para a ajuda.
- E Anita? Vai poder seguir comigo?
- Sim. Ela também é uma necessitada.
Você ainda descobrirá que a ama mais do que imagina.
Terão que passar por um grande desafio, mas a vida jamais desampara ninguém e vocês terão condições para vencê-lo.
A sugestão da espiritualidade é que formalize sua união, case-se com ela.
Depois de casados deverão residir no Brasil.
Lá o procurarei para maiores esclarecimentos.
Que Deus te proteja.
Flávio agradeceu a Deus mais esse contacto e resolveu colocar em prática os conselhos de Hilário, pedindo Anita em casamento.
Ela ficou imensamente feliz com o pedido de casamento do namorado.
Seus pais, Rómulo e Alexandra, também concordaram com o enlace, pois viam em Flávio a personificação do genro perfeito:
bonito, inteligente, sadio e rico.
Apenas não gostavam das ideias espirituais dele; como católicos ortodoxos que eram, jamais compartilhariam com as ideias de reencarnação, comunicações de espíritos e coisas do tipo.
Mas, acabaram deixando de lado seus pontos de vista em favor da felicidade da filha.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:23 pm

Uma tarde, lá estava Flávio no apartamento dos pais de Anita, com a noiva presente, traçando planos para o casamento:
- Vim avisar que pretendo ir embora do país retornando ao Brasil.
Conversei com Anita e ela concordou em nos casarmos lá.
Alexandra não gostou:
- Lá? Eu queria tanto que fosse aqui.
Tinha feito tantos planos, afinal, ela casará primeiro que a Laura, é minha primeira filha que casa! - disse ela com um tom melancólico na voz.
- É que a minha única tia viva mora lá e me é muito querida.
Somos todos brasileiros e desejamos oficializar lá em nossa terra essa tão sonhada união.
Vocês poderão ir pra lá também no dia da cerimónia...
Rómulo concordou:
- Eu não queria perder minha filha, mas concordo que ela deve seguir o futuro marido.
Se quiserem se casar por lá têm toda a minha aprovação.
Alexandra retorquiu:
- Mas quero ir com vocês.
Desejo preparar tudo para esse casamento pessoalmente.
O Rómulo e a Laura podem ir no dia, mas eu não deixo minha filhinha só, por nada.
Flávio argumentou:
- Nós desejamos apenas uma festa simples.
A cerimónia será civil, sem mais badalações, não foi isso que combinamos Anita?
Anita, que se mantinha calada, respondeu:
- Sim, mas sabendo como dona Alexandra é teimosa, acho melhor fazermos como ela quer senão teremos problemas.
Alexandra era uma mulher rígida, porém de boa índole.
Gostava muito da filha e sonhava com o mais lindo casamento para ela.
Não deixaria passar uma ocasião dessa, evidentemente.
- Sou teimosa mesmo, vou organizar a mais bela festa de São Paulo.
Eu e meu marido vamos dar tudo para a festa, de modo que você, Flávio, não precisa se preocupar.
- Eu faço questão de colaborar, afinal sou o noivo.
Rómulo interviu:
- Deixe isso com a gente, você já terá que arcar com as despesas da casa, mobiliário, dentre outras coisas.
A discussão seguiu acalorada, cada um dando sua opinião, ao final concluíram que Flávio daria o enxoval, a casa e os móveis, enquanto os pais dariam uma luxuosa festa.
Depois de tudo decidido Flávio, Anita e Alexandra voaram de volta ao Brasil.
Cristiano, Rómulo e Laura foram se despedir no aeroporto.
Francisca iria recepcioná-los e estava ansiosa para rever o sobrinho tão amado depois de longos seis anos.
Mandou arrumar três quartos especialmente para eles e preparou deliciosa merenda para o chá das cinco.
As três em ponto eles estavam no Brasil.
Flávio estava emocionado:
- Ah, minha terra!
Esse cheiro, esse sol, essa magia só existem mesmo aqui.
Alexandra também se emocionava:
- Já havia me esquecido do quanto é bom e bonito esse querido país.
Parece que passei cem anos fora.
Devo confessar que mesmo com toda a organização da Inglaterra ainda prefiro aqui.
E que sou muito baderneira, desorganizada e o povo do Brasil é assim, muito zen.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:23 pm

Flávio corrigiu:
- Aqui há mesmo muita liberdade, porém o povo brasileiro já se adaptou mais ao ritmo organizado dos países de primeiro mundo.
Hoje você pode ver que o país está bem cuidado, organizado e dirigido.
Será maravilhoso vivermos aqui.
Anita apenas falou:
- Para mim onde você estiver estará minha felicidade.
O Flávio que acabara de chegar ao Brasil, em nada mais lembrava aquele adolescente cheio de dramas, confuso consigo mesmo.
Agora era um homem feito, de corpo e alma.
Experiente, centrado, maduro, Flávio era realmente um mestre.
De repente, a lembrança dos pais, de Camila, dos velhos amigos lhe veio à memória, mas foi interrompida pela recepção calorosa de Francisca que veio buscá-los.
- Como é bom te ver Flávio.
Como está diferente, mudou até a cor dos cabelos! - disse sorrindo.
Flávio abraçou aquela alma generosa e apresentou as mulheres.
- A Anita é muito mais bonita do que eu imaginava, e essa é Laura, irmã dela?
- Não, esta é Alexandra, mãe de Anita.
Francisca observou:
- Nossa, invejo sua juventude e beleza, parecem irmãs.
Olha, tenho orgulho de levar vocês com o meu próprio carro.
Muita coisa mudou na minha vida nestes seis anos, me tornei até empresária - falou muito contente.
Flávio exultou:
- Nossa, tia, que progresso!
Ela disse:
- Percebi que a vida ociosa que levava em nada contribuía para meu progresso, com o tempo fui cansando da rotina que tinha e resolvi investir parte de minha herança num empreendimento.
Mas agora vamos, pois estou ansiosa para instalá-los em minha casa.
A conversa seguiu animada, mas Flávio estava viajando em suas lembranças.
Realmente, o Brasil mexia muito com ele, principalmente pelo seu passado, sua paixão por Camila, tudo fazia lembrar o tempo que ainda era adolescente e que morava com seus pais levando uma vida como tantas outras.
Até que um dia o destino mudou o rumo dos acontecimentos, e lá estava ele, prova viva e consciente que Deus jamais erra e só faz o melhor.
Assim que Flávio chegou ao Brasil, Ester tratou de comunicar a Camila.
Durante aqueles seis anos ela continuava trabalhando nos planos de vingança da Cidade do Desterro.
Vivia amedrontada, mas como não acreditava ser possível sair dali, continuava fazendo tudo o que Jorge mandava.
Ultimamente estava sendo uma das produtoras das roupas dos moradores da cidade.
Ester a encontrou numa espécie de tear, porém os fios eram magnéticos e saíam da mente de Camila; assim ela aprendeu a plasmar os tecidos.
- O que foi, Ester?
- Tenho novidades do Flávio.
O Jorge viu pelo monitor quando ele chegou ao Brasil.
Parece que o trabalho dele com os filhos do outro lado vai começar em São Paulo.
Camila largou o serviço, interessada que estava naquela conversa.
Durante aqueles anos todos o que mais queria era aproximar-se do grande amor de sua vida, porém os companheiros diziam não ser possível, pois Flávio vivia em faixa mental elevada.
Mesmo assim Jorge o espiava sempre que possível através dos monitores e ela sempre estava informada.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:23 pm

Perguntou:
- Ele continua com ela, a trouxe para o Brasil?
Ester ficou calada durante alguns segundos e informou:
- Sinto dizer, ele além de trazê-la, pretende casar-se com ela.
Tente se acalmar.
Camila entrou em fúria, seus olhos expeliam chispas e todo o seu corpo tremia:
- Isso não pode acontecer, impedirei a todo custo!
Ester retorquiu:
- Não sei se será possível, terá que pedir permissão ao Jorge.
Durante esses anos, ninguém dessa cidade conseguiu chegar nem perto de Flávio.
Acha que será possível agora?
- Não sei, mas tenho que encontrar uma maneira de impedir que essa maldita case-se com ele, deve haver algum modo, Ester.
- Nem sempre se pode interferir assim ao bel-prazer na vida dos encarnados.
Se assim fosse, a Terra já teria se transformado num hospício mais louco do que é.
Se em muitas vezes conseguimos, em outras fracassamos.
Se a pessoa for protegida da luz, nada conseguiremos fazer.
Camila rosnou de raiva e decidiu:
- Flávio é só meu e jamais será de ninguém, de nenhuma outra.
Ester, marque uma reunião com Jorge, preciso vê-lo ainda hoje.
Ester, com mau humor, respondeu:
- Não sei se será possível, hoje ele está muito ocupado, mas com jeitinho talvez eu consiga.
Falou estas últimas palavras com jeito malicioso.
Camila perguntou:
- Há tempos venho desconfiando que você está de rolo com o Jorge, me diga, é verdade?
Ela sorriu ao responder:
- O Jorge tem muitas amantes, mas duvido que as outras dêem tudo de si a ele como eu.
- Eu sabia! - exultou Camila.
Ele lhe dá muitas facilidades.
Só podia ser isso.
Ester lamentou:
- Desde que meu marido reencarnou eu não tinha mais vida sexual, sabe, eu estava carente, daí acabei me entregando ao Jorge.
Camila disse:
- Certa você!
Faço a mesma coisa.
Amo o Flávio, mas para assuntos íntimos eu sempre uso o Rafael.
Elas continuaram com a conversa sensual, envoltas de energias negras, mas a certo ponto Camila disse:
- Chega desse papo, vá marcar minha audiência com o Jorge.
Eu separarei esse casal ou não me chamo Camila Assunção Ferguson.
Ester procurou Jorge, que relutou um pouco para receber Camila, porém acabou cedendo.
No horário marcado, rosto compungido pelo ódio, lá estava ela:
- Jorge, eu preciso arrumar um jeito de separar Flávio de Anita, ele deverá se guardar apenas pra mim.
Jorge tirou uma espécie de cachimbo da boca e sorriu:
- Realmente, você tem muita sorte.
Hoje, justamente hoje, eu descobri que você poderá interferir na relação.
Os olhos dela brilharam.
- Como assim?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:24 pm

Jorge foi metódico ao responder:
- Primeiro quero dizer que você ainda não pode se aproximar de seu amor.
Não conseguirá alcançá-lo.
Mas Anita tem baixas energias e você poderá trabalhar negativamente com ela.
- Graças a Deus, poderei me vingar daquela infeliz que tenta roubar o amor do Flávio, mas...
Como farei, poderemos enlouquecê-la?
- Isso seria perfeito, mas não temos autorização para tanto.
Segundo informações de Teófilo, Anita não traz nenhum tipo de enfermidade no perispírito, mas podemos semear a discórdia entre o casal, a desconfiança e o ciúme na mente dela, bem como a depressão e se ela ceder mais, futuramente um suicídio.
Daí poderemos capturá-la no vale e trazê-la para cá.
Ela será só sua, poderá molestá-la à vontade.
Camila ficou radiante, o orgulho e a maldade eram sentimentos que a excitavam.
- Isso será logo?
A Ester me afirmou que o casamento será breve, temos que agir rápido.
- Sinto muito, mas o casamento não poderemos evitar.
Camila abriu desmesuradamente os olhos.
- Por quê?
Está me dizendo que você é fraco e nada poderá fazer?
Onde está sua força, Jorge?
Ele a olhou raivoso:
- Não me provoque ou se arrependerá.
Esse casamento está na programação reencarnatória de Flávio e só pode ser evitado pelos dois, quanto a isso nossa actuação é nula.
Contra certos determinismos da vida, nós somos completamente impotentes.
Camila começou a chorar:
- Aquela sonsa!
Conseguirá o maior desejo da minha vida, ser a esposa de Flávio.
Mas... Se não podemos impedir o casamento, o que de facto podemos fazer?
Jorge explicou:
- O casamento dele está protegido, mas depois vamos actuar pouco a pouco na vida conjugal e os problemas começarão.
Lembre-se de que Flávio tem uma vibração muito alta, mas Anita não, vamos actuar nela, nas fraquezas dela.
O que posso fazer, já estou fazendo.
Enviei um servidor à crosta para observar os pontos fracos de Anita 24 horas por dia.
Quando descobrirmos todos eles vamos atacar.
Camila ficou em dúvida:
- Será que Flávio não tem mais pontos fracos?
Virou santo?
Nada pode atingi-lo?
- Não é bem assim.
Os filhos do Cordeiro não exigem a perfeição de seus trabalhadores.
Segundo pude observar, Flávio tem muitos defeitos, pois é um homem comum, porém esforça-se para melhorar, dá o melhor que pode em seu nível de evolução, busca a alta espiritualidade.
Quem age assim é automaticamente protegido pela lei.
Só podemos atacar quem não dá o melhor de si, como é o caso de Anita.
Camila parecendo entender, perguntou:
- Será que conseguirei separá-los?
- Isso dependerá muito dela. Flávio é protegido, mas Anita não.
Vamos ver o que podemos fazer.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:24 pm

Cada coisa no seu tempo.
Ela se despediu dele e saiu meio tristonha.
No meio de uma praça feia e malcheirosa Ester veio ao seu encontro.
- E aí amiga?
O que o Jorge lhe disse?
- Infelizmente não posso fazer nada contra esse maldito casamento, porém depois posso interferir.
Talvez os possamos separar.
Ester vibrou:
- Você é das nossas!
Já vi que merece viver aqui connosco.
- Desde que fui traída pela minha própria mãe não consigo ver à minha frente nenhum sentimento que não seja o ódio.
Antes disso eu era uma adolescente feliz, alegre, era uma pessoa comum, infelizmente ela me transformou num monstro!
- É isso mesmo, os outros é quem são culpados pelos nossos problemas.
Por isso, aqui no Desterro, fazemos justiça com as próprias mãos.
Essa história de perdoar só serve mesmo para pessoas fracas. Camila concordou:
- Adorei a dona Élida ter enlouquecido.
Quero que morra e venha pro nosso lado, aí poderei fazer dela o que bem quiser.
- Minha vida foi destruída pelo Solano Carbajaua e hoje também ele teve a paga que mereceu.
Está lá sem as duas mãos vagando a esmo.
Ninguém, nem mesmo Jorge, conseguiu ainda saber seu paradeiro, ele sumiu.
Deve estar escondido numa daquelas cavernas.
Camila disse:
- Você sempre teve esse ódio, porém nunca nos contou a causa, gostaria muito de saber.
- Então chegou a hora, prepare-se para saber o que aquele desgraçado me fez!
E começou a narrar todo o drama de sua vida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:24 pm

15 – DE VOLTA AO PASSADO
Era o ano de 1896, algum tempo depois da abolição da escravatura no Brasil.
Eu, Ester, e meu marido, Adolfo Cruz, morávamos em uma vila chamada Guadalupe, interior de uma Cidadezinha do México, que hoje faz parte da capital.
Cultivávamos ervas e tínhamos pequena plantação que vendíamos nas feiras de fim de semana.
Nossa vida era boa, calma e tínhamos dois filhos chamados Malaquias e Roque.
Solano e Zuleika Carbajaua eram nossos vizinhos mais próximos e traçamos estreita amizade.
Eles tinham um casal de filhos que eram a Juliete e o Eduardo.
Viviam aparentemente bem e eram mais prósperos que nós.
Além das plantações, mantinham um grande armazém no Arraial de Guadalupe do qual todos éramos clientes.
O tempo foi passando e começou o período da seca.
Nossas plantações não vingavam e precisávamos continuar nos mantendo.
Eu tinha verdadeira adoração pelos meus filhos, enlouquecia-me a ideia de vê-los passando fome, e assim Adolfo fez grande soma de dívidas, não só no armazém de Solano, como em outras casas comerciais da região.
Eduardo, o filho mais velho de Solano, tomava conta do armazém e sempre aumentava o número das notas dos clientes.
Solano era temido pelas redondezas e por isso ninguém ousava desafiá-lo.
Com o tempo, Eduardo roubava mais e mais e assim fizeram pequena fortuna.
Tínhamos uma conta altíssima e não teríamos condições de pagar.
Eu afirmava ao meu marido que nós não tínhamos feito tantas compras, ao que ele dizia:
- O Eduardo me apresentou essa soma e não podemos fazer nada contra, aliás, os mantimentos estão acabando e precisamos abastecer novamente no armazém do Solano.
E assim foi, a seca continuou pelo resto deste ano e ficou do mesmo jeito nos três anos seguintes.
A única solução foi continuar devendo à família Carbajaua.
Um dia, quando estávamos tomando café, Eduardo chegou em nossa humilde casa acompanhado pelo pai.
Seus rostos estavam compungidos e Solano começou:
- Viemos comunicar que a situação de vocês com nosso comércio não é boa. Devem muito dinheiro e acredito que não têm com que pagar.
Adolfo, lembrando da velha amizade entre as famílias, ainda tentou contemporizar:
- Sei disso amigo, mas tempo virá que saldaremos todas as nossas dívidas contigo.
Deixe esta seca passar e devolverei tudo o que nos fornece em forma de dinheiro.
Nossas terras sempre foram boas para o plantio e haveremos de colher em dobro.
Solano, com sorriso cínico no olhar, redarguiu:
- Sabemos que suas terras são óptimas, por isso viemos aqui.
Desejamos trocar todas essas promissórias pela sua casa e suas terras.
Estremeci de horror ao ver o calhamaço de promissórias na mesa de minha cozinha e percebi que se tratavam de todas as outras que tínhamos na cidade.
Solano, interessado que estava em nossas terras, saldou todas as nossas dívidas e somado ao montante que Eduardo aumentava nas compras do armazém dava uma enorme quantia.
Desesperada gritei:
- Isso não pode ser!
Mais da metade do que está aqui não foi comprado por nós em seu armazém.
Eduardo, com rosto marcado pela cobiça, gritou:
- Está duvidando de minha conduta, chama-me de mentiroso?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Qui Jan 04, 2018 9:24 pm

Eu repliquei:
- Não foi isso que quis dizer, é que tenho consciência de que não compramos nem metade do que aí está.
Comecei a chorar desolada.
Adolfo pediu:
- Deixe-me examinar.
Quando ele pegou as promissórias, sentiu-se gelar.
A soma era o valor exacto de todas as nossas terras e propriedades.
Vociferou alto:
- Vocês não podem fazer isso connosco, iremos pagar!
Solano não queria controvérsia e afirmou:
- Vocês devem muito.
Por isso vão deixar essa propriedade e as terras até amanhã cedo.
A partir de agora elas são nossas.
Comecei a chorar abraçada a Malaquias e Roque que eram adolescentes na época.
Eles saíram zoando nas botas, deixando para trás uma família destruída.
Adolfo tentou consolar-nos dizendo que partir era a única alternativa.
A raiva e o ódio dominavam nossos corações e às seis da manhã um grupo de peões armados veio nos expulsar daquele que foi nosso lar durante tantos anos.
Unidos, pegamos a estrada em direcção à capital jurando vingança.
Porém nunca pudemos nos vingar.
Sofremos muito na capital e nas primeiras noites dormimos em plena rua.
Foi com decepção e amargura que recebemos no rosto a grossa chuva que acabava de chegar àqueles lados do México.
Desnutridos, Malaquias e Roque acabaram morrendo.
Nunca senti em minha vida uma dor tão imensa.
Adolfo, pelo desgosto, também não resistiu e acabou fazendo seu passamento.
Eu fiquei sozinha naquela cidade tão grande, pois vivíamos como maltrapilhos, fazendo serviços aqui e ali, nas mansões, em troca de alguma comida.
Numa dessas casas encontrei Malvina, uma prostituta que mantinha um castelo na periferia e que se interessou pelas minhas formas.
Eu não era uma mulher feia, apenas estava maltratada pela vida.
Malvina me levou a salões e tratou de mim, colocando-me na vida do comércio sexual.
Quando fui ficando velha e os clientes me rejeitando acabei voltando às ruas, pois o dinheiro como prostituta não rendia, parecia amaldiçoado.
Um dia caí doente e um grupo católico me acolheu num asilo, onde morri solitária.
Cheguei ao astral no ano de 1956, desencarnei com 80 anos.
A morte retirou o véu que ocultava minha visão e me vi num lugar sujo, frio e molhado.
Os mesmos homens que me usaram sexualmente quando na Terra, agora durante o sono físico, me perseguiam implacáveis.
Acabavam me achando e continuavam abusando de mim.
Fiquei assim por seis anos, até o dia que uma linda mulher surgiu me convidando para abandonar aquela vida, dizia que eu não merecia viver mais assim.
Afirmava que havia um belo lugar me esperando e que para entrar nele eu precisava de uma única coisa: perdoar.
Em sua docilidade ela dizia:
- Lembre-se do sofrimento de Jesus, ele padeceu pela injustiça dos homens e mesmo assim perdoou.
Agora é a sua vez.
Ela falava isso, pois sabia que eu não havia perdoado o Solano, era esse ódio que me mantinha e me mantém viva até hoje.
Recusei terminantemente, ela ainda voltou algumas vezes, depois desapareceu.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:52 pm

Daí aconteceu o melhor:
Jorge veio ao meu encontro e disse que eu estava certa em não seguir esta mulher, pois me levaria com ele para ver os meus filhos e então fiquei muito feliz.
Cheguei ao Desterro, essa nossa cidade, onde meus filhos já residiam.
Foi um encontro fabuloso.
Para minha felicidade ser completa só faltava meu marido, porém Jorge informou que ele seguiu com aquela mulher e nunca mais eu o veria.
Foi o que aconteceu.
Pouco tempo depois fiquei sabendo que ele reencarnou no Brasil.
Malaquias e Roque, agora já amadurecidos e com os semblantes de outra encarnação onde foram sanguinários, me ajudaram procurar Solano.
Exultei ao saber por Jorge o fim trágico de toda a família Carbajaua.
Solano prosperou por mais alguns anos, porém logo depois cometeu grave erro, que o levou à falência.
Suas falcatruas foram descobertas e ele foi preso.
Na prisão ele se suicidou.
Juliete foi morar no mesmo castelo que outrora eu trabalhei e se tornou prostituta.
Eduardo fugiu e Zuleika morreu velha e muito beata, apesar de solitária.
Perseguimos todos no umbral, porém havia uma alma muito bela chamada Henrique que os queria ajudar.
Por muitas orações desse espírito, Deus concedeu uma nova chance para toda a família.
Eles reencarnaram. Usamos uma médium aqui do Desterro chamada Mina e conseguimos localizá-los no Brasil.
Mas quando isto aconteceu eles já estavam bem de vida.
Daí, influenciada por Jorge, tracei meticuloso plano.
Colei-me ao Solano e o induzi mais uma vez ao roubo.
Facilmente ele captou minhas mensagens e começou a subtrair dinheiro ilicitamente das empresas onde trabalhava.
Minha vingança tinha começado.
Malaquias e Roque induziram Cristiano, que fora Eduardo, também a compactuar com as falcatruas do pai e os dois estavam no meu encalço.
Jorge me apoiou na vingança odienta e passou também a obsedar a família.
Como eles não tinham protecção, acabaram sendo atingidos.
Henrique, a alma nobre, também renasceu com eles e se chama Flávio, o grande amor de sua vida, Camila.
Mas pouco ele conseguiu fazer.
Você viu que todos morreram e estão sofrendo tudo o que nos fizeram sofrer.
No umbral, Solano, hoje Ângelo, passou privações, perdeu as mãos e Zuleika que é Érica, está escrava.
Marina está no Vale do Amor Livre e infelizmente perdemos de vista o Eduardo.
Ele está realmente mudado e se imbui a cada dia pelos propostos do Cordeiro.
Não posso me vingar dele. Jorge diz que se tentar isto me darei mal.
Esse é meu drama, minha vida acabou naquele dia que me tiraram tudo.
Você não acha que estou certa em me vingar?
Camila, que a tudo ouviu com espanto, confirmou:
- Claro amiga, avalio sua luta.
Pela sua história, e pela minha também, vejo que só através do mal conseguimos ser mais fortes.
Se você fosse ruim, certamente teria feito uma desgraça com eles e estaria bem melhor.
Talvez nem tivesse perdido suas terras.
- Isso mesmo, antes eu era boba, aceitava tudo de cabeça baixa.
Hoje ninguém mexe comigo.
Aquelas criaturas perdidas numa moral falsa e estacionaria continuaram conversando.
Elas ignoravam que só o perdão liberta e que a vingança é uma faca de dois gumes: atinge principalmente quem a pratica.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:52 pm

16 - O CASAMENTO
Alexandra acordou animada, era o dia do casamento de sua filha.
Aquela temporada no Brasil havia feito muito bem ao seu espírito.
A casa de Francisca tinha um clima mágico, agradável e levava todos a uma sensação de paz interior.
Naquele dia em particular, a azáfama era geral, finalmente Flávio e Anita se uniriam.
Na mesa do café a conversa girava em torno do assunto:
- É tão bom quando duas pessoas que se gostam resolvem viver num mesmo tecto, é uma pena que não tenha acontecido comigo - dizia Francisca levando uma torrada à boca.
- O bom é que as pessoas procurem viver bem e felizes de qualquer jeito.
Um ser humano não é feliz apenas porque se casa e também não é infeliz porque está sozinho.
Você mesma tia, se queixa à toa.
Vive sozinha, mas não sente solidão, está sempre alegre e de bem com a vida.
Para muitos o casamento tem sido sinónimo de angústia e infelicidade - elucidou Flávio.
- Eu e o Rómulo vivemos muito bem graças a Deus.
Nos compreendemos e sabemos aceitar os defeitos um do outro.
Acho que o respeito é fundamental numa relação, mais até que o amor, pois quem diz que ama e não respeita a individualidade do ser amado, na verdade não está amando em plenitude - disse Alexandra.
- Nossa, mamãe, a senhora hoje está uma verdadeira filósofa - brincou Anita.
- É isso mesmo filha, de médico e louco todos nós temos um pouco.
A conversa seguiu animada e depois cada um foi cuidar dos seus afazeres.
Francisca havia aplicado boa parte de sua herança deixada pelo pai e cuidadosamente administrada numa loja de confecções.
Para ela, ser empresária estava sendo um divertimento, uma forma de ser útil.
Flávio nesses três meses no Brasil comprou um imóvel grande em rua aprazível no centro de São Paulo e estava reformando de acordo com suas necessidades de trabalho.
Hilário sempre o orientava no que fazer para que o trabalho com a espiritualidade se desse o melhor possível.
Havia o salão específico onde haveriam os trabalhos de desobsessão, outro onde se dariam os cursos e palestras e mais um dedicado a passes e terapias alternativas.
Ele queria fazer um centro de estudos, onde as pessoas pudessem ter aconselhamento individual e para isso estava contratando especialistas e os treinando quanto aos conceitos de metafísica e mentalismo.
Tudo estava programado pela espiritualidade e Flávio confiava no futuro.
Anita saiu com a mãe para ultimar os ornamentos do vasto salão onde se daria a união civil.
Ela não se continha de felicidade, ter o homem amado, fiel, religioso, era tudo o que ela mais ansiava.
Alexandra estava com pressa, pois ainda receberia o marido, Laura e Cristiano que estavam chegando da Inglaterra.
O clube estava impecável, ela e Flávio haviam gastado muito, porém o resultado era muito bom.
O luxo excessivo incomodava.
Flávio, porém, resolveu fazer todas as vontades de sua futura mulher.
Tencionava iniciá-la nas tarefas espirituais e com isso passar-lhe-ia ensinamentos sobre as leis cósmicas.
Anita era um espírito pouco amadurecido e estava longe de saber o que era a verdadeira simplicidade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:53 pm

A prova da riqueza que ela aceitou quando estava na espiritualidade era justamente para que aprendesse a viver na simplicidade, mesmo tendo muito dinheiro.
Porém, as leis das probabilidades indicavam que ela estava no limiar da falência perante a prova escolhida.
Na arrumação ela sempre exagerava e sua mãe contribuía.
Tudo tinha que ser do mais caro e do melhor.
Ao meio-dia em ponto o avião de Londres chegou em famoso aeroporto de São Paulo.
Foi com alegria que Rómulo, Cristiano e Laura pisaram o solo brasileiro.
Cada um fez a exclamação que pôde, enquanto abraçavam Flávio, Anita e Alexandra.
No caminho para casa, já no luxuoso carro de Flávio, Cristiano brincou:
- Vejam como a vida é irónica.
O Flávio disse que logo eu e Laura estaríamos casados, e quem foram os apressadinhos?
Quem foi que marcou a data de casamento com apenas seis meses de namoro?
Flávio, respondendo disse:
- Foi isso mesmo, para que adiar a felicidade?
Anita é a mulher da minha vida, tenho certeza disso, então para que esperar?
Rómulo falou:
- Fico muito feliz em deixar minha filha em suas mãos, sei que ela será muito feliz, sua alma é muito nobre.
- Nobre só Jesus o foi integralmente, todos nós ainda estamos longe da nobreza.
Qualquer qualidade que tenhamos neste mundo ainda é muito problemática.
Tenho horror à fama de santidade!
- Desculpe Flávio, não quis lhe causar aborrecimentos, porém sou verdadeiro, falo o que sinto, e sei que sua alma é muito elevada.
- Bondade sua amigo, você é que deve ser muito bom para me enxergar assim.
Eles chegaram em casa.
A cada palavra dita por Flávio, Anita sentia-se privilegiada.
Que homem sábio!
Que homem perfeito!
Pensava ela perdida em fantasias.
Ela ignorava que por mais que uma pessoa tenha certo magnetismo que nos impressione, jamais é perfeita ou maravilhosa.
É apenas um ser humano com qualidades e defeitos.
A adoração, o culto e o endeusamento excessivos revelam falta de discernimento espiritual.
Quando essa pessoa comete falhas, nossa ilusão cai por terra, e assim percebemos se a amamos realmente ou se estávamos apenas vivendo através de uma projecção feita por nossa mente quase sempre invigilante.
O casamento se deu com muita pompa, bem ao gosto de Anita.
A mais fina sociedade foi convidada, uma vez que os pais da noiva, já conhecidos em São Paulo, gozavam a fama de serem milionários no exterior.
Havia muita fartura, música, beleza e a festa foi muito elogiada.
Os noivos receberam os cumprimentos e depois partiram em lua-de-mel que seria num chalé em Angra dos Reis, a contragosto de Anita, que queria conhecer alguns países da Europa.
Passados os primeiros dias, Anita chamou Flávio e disse:
- Gostaria que você explicasse o porquê daquela gafe na festa de nosso casamento.
Ele assustou-se e perguntou:
- Qual gafe?
- Ora, você ter interrompido os cumprimentos dos convidados para anunciar esse tal curso que irá realizar com os espíritos.
Fiquei passada!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:53 pm

Flávio, que jamais esperava isso dela, disse:
- Ora amor, não foi gafe nenhuma.
Apenas aproveitei a ocasião para anunciar o início dos meus trabalhos, havia muita gente e senti que era uma óptima oportunidade.
- Muita gente católica, você quer dizer?
Aquelas pessoas jamais vão se interessar por nada que diga respeito a espíritos, almas de outro mundo, coisas do tipo, pois você terá todo o tempo do mundo para fazer isso.
Flávio olhou sério para ela e disse:
- Não desejo que nosso casamento comece assim.
A amo muito e pensei que estava de acordo com minhas ideias, aliás, expus todas elas pra você assim que nos conhecemos.
Tenho uma missão delicada para realizar em São Paulo e sei que há um grupo de evolução me esperando, aguardando a espiritualidade se manifestar através de mim.
Tenho certeza de que as pessoas vão se interessar.
Aliás, na nossa festa não mencionei nada com espíritos, apenas falei da ciência mentalista e da metafísica.
Há algo de mal nisso?
Ela contemporizou:
- Não, meu bem, é que apenas não achei o momento apropriado...
Ele captou sua energia facilmente e respondeu:
- Olhe Anita, sei que você pensa que com o tempo vai me controlar, mandar em minha vida e coisas do tipo, mas eu quero que saiba que comigo não vai conseguir.
Sou um espírito livre e independente.
O casamento é apenas o desejo de duas pessoas que se amam e que querem viver juntas, formar uma família.
Casamento, alianças, podem emocionar, levar lágrimas aos olhos, porém não é uma prisão, uma algema.
Quem ama liberta e não aprisiona.
Ela ficou calada durante alguns segundos, depois o abraçou:
- Desculpe-me amor, prometo que o aceitarei como é.
Jamais poderia viver sem você!
- Cuidado com isso, a dependência escraviza e enfraquece.
Nada nesse mundo é tão seguro quanto imaginamos.
A vida é surpreendente e as coisas podem mudar a qualquer momento.
Cada um tem um caminho para evoluir.
De facto a única coisa segura nesse mundo é a mudança que renova.
- Está querendo me deixar?
Apenas uma semana de casado e já fala em separação?
- Não me interprete mal.
Não estou dizendo que vamos nos separar, eu não desejo isso.
Porém o futuro tem suas leis e pode traçar outros caminhos, novos rumos para as pessoas.
O bom mesmo é viver o presente sem perspectiva de amanhã, fazer do hoje o único momento de felicidade.
Só se pode ser feliz agora, nunca no passado ou futuro, pois o futuro sempre é presente e o passado já está morto.
Anita estava embevecida.
Ela havia criado em Flávio uma aura de santidade que a fazia tecer os sonhos mais apaixonados.
Se um dia o perdesse não saberia como viver.
Após ouvir as últimas palavras do marido ela o encheu de beijos e o arrastou ao quarto onde continuaram aproveitando os bons momentos da lua-de-mel.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:53 pm

- Precisamos partir - avisava Alexandra a Francisca durante o chá das cinco.
- Ah, já tão cedo?
- Isso mesmo, não vamos nem esperar Anita voltar da lua-de-mel.
O Cristiano e a Laura já partiram e nós temos nossos negócios na Inglaterra.
Infelizmente Francisca, nossa temporada de férias terminou.
O marido tomando chá com bolachas concordou:
- É isso mesmo, já estou a uma semana longe dos negócios e, sabe como é, empresário nem sempre pode se dar ao luxo de férias em qualquer época do ano.
Francisca concordou:
- Compreendo.
Minha confecção é relativamente pequena e eu já me vejo sem tempo, imagine você com uma empresa tão grande.
Na verdade eu é que gostaria de tê-los mais em minha companhia.
- Imagine! Nós é que estamos encantados com você, com sua casa deliciosa...
Hoje sei o quanto o Flávio foi feliz aqui - disse Alexandra feliz.
- Ele sofreu muito, afinal tinha acabado de perder os pais e a irmã.
Porém esse menino é muito forte, venceu tudo, soube se fazer lá fora, acredito que terá muita sorte aqui.
Nessa hora Rómulo perguntou:
- Acredita mesmo que essa história de espíritos, mediunidade, mundo espiritual, pode dar algum lucro?
Sei que o meu genro tem muito dinheiro, mas um dia esse dinheiro acaba e aí, como vai viver com minha filha?
Francisca esclareceu:
- Você está equivocado!
O trabalho com a espiritualidade é muito sério e jamais pode ser cobrado.
Flávio é um médium de incorporação muito ostensivo, veio programado para trabalhar em desobsessão e por isso não cobrará um centavo.
O dinheiro que ele ganhará virá dos cursos sobre mentalismo e metafísica, ciências que ele aprendeu nos Estados Unidos.
Rómulo estava incrédulo:
- Nunca interferi nas ideias do Flávio, mas intimamente acredito que ele não terá retorno.
Está investindo muito alto, num prédio grande...
As pessoas não dão muita importância a tais coisas, esses modismos só dão certo lá para os americanos, os brasileiros não darão valor - falou muito seguro de si.
- Não diga isso! - interveio Francisca.
As pessoas estão cansadas de sofrer e buscam meios alternativos para alcançar a felicidade.
E num mundo onde cada um é um e não existem duas pessoas iguais, ao invés de procurar sua própria essência e seguir sua vocação, a maioria tenta se encaixar nos modelos sociais com medo de não ser aceita.
E fingem felicidade quando estão amargas por dentro, aparentam sabedoria, inteligência, intelectualidade quando não sabem entender nem a si próprias.
É aí que Flávio, auxiliado pelos espíritos de luz, tem muito que ensinar.
O mundo espiritual tem feito o possível para esclarecer as pessoas enviando profetas, médiuns conscientes, que inspiram a prática do bem.
Acredito que meu sobrinho terá todo o sucesso que merece.
Rómulo sorriu ao dizer:
- Vejo que já foi catequizada pelo Flávio.
- Com certeza.
Tudo o que meu sobrinho diz pode ser comprovado pela vida, pela prática do dia-a-dia.
A viagem do casal se deu no dia seguinte.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:53 pm

Mais uma vez no aeroporto, ao se despedir, Francisca rezou para que eles fizessem uma boa viagem.
Após um mês de lua-de-mel Anita e Flávio regressaram a São Paulo.
Francisca, mesmo atarefada, cuidou da bela casa que ambos adquiriram num bairro próximo ao local escolhido por Flávio, para ser o Centro onde desenvolveria seus trabalhos.
Anita escolheu tudo com muito cuidado e dedicação, sua casa seria um verdadeiro santuário, tendo Flávio como seu ídolo.
Tentou agradar o marido em casa para que ele se sentisse feliz.
Ao fazer isso ela se anulou totalmente, abdicando de suas preferências para agradá-lo.
As obras no Centro ainda estavam em andamento, porém Flávio fazia questão de acompanhar tudo de perto.
A fachada do prédio era grande e nela havia escrito "Centro de Estudos Espirituais Luz no Caminho".
Naquela tarde, após examinar os trabalhos dos operários no Centro, Flávio chegou em casa cansado.
Ao abrir o portão, admirou mais uma vez à beleza do jardim que circundava a casa.
Era sempre assim, ele não conseguia penetrar o recinto se não admirasse as roseiras, as dálias, os cravos e todas as flores e plantas que havia no seu jardim.
Cruzou a porta central da casa e não viu ninguém.
Na luxuosa sala, ricamente mobiliada, só havia Rosália retirando o pouco pó que havia no carrilhão.
- Já falei que não precisa se esmerar tanto, há essa hora aposto que já tirou o pó desta sala umas quatro vezes - disse Flávio dirigindo-se a ela.
Assustada Rosália respondeu:
- É que dona Anita assim exige, diz que o pó deve ser retirado cinco vezes ao dia.
Ele beijou a senhora já um pouco idosa e respondeu:
- Pois diga à dona Anita que não precisa tanta coisa assim, por hoje está bom, já pode descansar, cadê sua patroa?
- Chegou toda misteriosa da rua, telefonou muito e depois foi para o quarto, disse que assim que o senhor chegasse era para encontrá-la lá.
- Nossa! O que será que a minha senhora tem assim de tão importante para falar comigo? - disse num gracejo.
- Não sei, mas parece que é coisa séria.
Ele subiu a escadaria que dava para grande corredor.
Era uma casa grande, que pensava em povoá-la de filhos seus com Anita; queria uns seis.
Quando dizia isso à esposa ela não gostava, achava demais.
Porém, no íntimo ela sentia que por Flávio faria tudo, até se sacrificar no tormento que seriam tantas gestações.
O quarto do casal era o maior da mansão.
Todos os quartos tinham sacada que dava para o jardim.
Ao entrar no recinto ele encontrou Anita deitada na cama fazendo pose, trajando belíssimo vestido azul.
Ele estranhou, a esposa não costumava se arrumar tanto sem que fosse a alguma festa importante.
Olhou para ela e se emocionou com o que viu. Um fio ténue cor de prata estava ligado ao ventre de Anita, ele começou a chorar, correu e abraçou a esposa.
Ela percebendo que o marido, com sua mediunidade já havia percebido, sussurrou-lhe ao ouvido:
- É isso mesmo meu amor, estou grávida.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:53 pm

É a primeira criatura que vem através de nós.
- Sei disso querida, nosso lar foi bafejado pela bênção da maternidade.
Que Deus te proteja nessa linda fase.
Eles começaram a se beijar repetidas vezes e logo depois entregaram-se ao amor que sentiam um pelo outro.
Na cidade astral Campo da Redenção Carlota, Noel e Hilário juntamente com um grupo de técnicos estavam em séria reunião. Carlota perguntava:
- Não é arriscada uma intervenção desta maneira?
Hilário explicava:
- Toda reencarnação é prevista e aprovada pelo Criador, portanto tem sempre condições de dar certo.
Contudo, todos têm livre-arbítrio.
O que as pessoas fazem comprometendo a própria reencarnação é de responsabilidade apenas delas.
Anita está com seis semanas de gestação, por enquanto o feto está sendo mantido por espíritos superiores, porém em breve o espírito de Camila se ligará a ele, renascendo no lar de Flávio.
Essa será a chance de Camila santificar a antiga paixão que sente por ele.
Vendo-o como pai e aprendendo a amá-lo respeitosamente terá a chance de sublimar esse sentimento.
Noel interveio:
- Entendo a preocupação de Carlota, também a tenho.
Temo que Camila, uma vez reencarnada, volte a sentir a mesma paixão pelo ser que então será seu pai.
Não sabendo gerir esse sentimento talvez cometa erros gravíssimos.
Um dos técnicos chamado Aramis respondeu:
- As reencarnações só ocorrem quando aprovadas por plano superior.
Soubemos por mentor mais avançado que a hora é esta.
Se assim é, Camila já tem a chance de vencer a sua prova.
Se vier a falir é por sua própria escolha e por não dar o melhor de si.
Houve um silêncio, Hilário interrompeu:
- Creio estar encerrada a nossa reunião.
A equipe de Aramis continuará a cuidar do feto que receberá Camila.
Noel e Carlota deverão dar sustentação à família e apoiar mais uma vez Anita.
Ela está muito feliz, porém sua gestação será complicada.
Quando o espírito de sua rival entrar em contacto com seu campo vibratório, ela entrará em depressão, começará a evitar Flávio, na tentativa inconsciente de afastar Camila de seu grande amor.
Teremos muito trabalho, porém as bênçãos de Deus jamais nos desamparam.
Vão com Jesus e que ele possa sempre estar do seu lado.
A reunião encerrou-se.
Noel e Carlota saíram pela praça principal ainda pensativos com tudo que ouviram.
Juntaram-se a um grupo de pessoas que estava num banco e começaram um gostoso bate-papo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:54 pm

17 – PRELÚDIO DA VOLTA
No dia imediato, Hilário novamente chamou Noel e Carlota à sua sala.
Ao chegarem, ele os convidou para assistirem Camila em seus últimos momentos na Cidade do Desterro.
Um monitor foi ligado e logo eles puderam ver o ambiente onde estava Camila.
Na sala de Jorge ela dizia:
- É isso mesmo Jorge, há alguns dias estou sentindo uma sensação estranha, sinto-me inquieta, não consigo trabalhar na confecção das roupas, nem mesmo bater um papo com minha amiga Ester.
Jorge pareceu observá-la no mais fundo dos seus sentimentos e disse:
- Suas idas à crosta não têm resolvido esse problema? Geralmente, quando sugamos as energias das pessoas invigilantes e viciadas nos sentimos muito melhor.
Ela, muito melancólica, respondeu:
- Nem isso mais me anima.
Não vou à crosta há quinze dias.
Sinto-me sem vigor, parece que algo muito grave vai acontecer comigo.
Jorge já conhecia aqueles sintomas.
Era sempre assim, muitas vezes seus súbditos se sentiram depressivos, com vazio interior, demonstravam arrependimento pelos actos cometidos e desejo de melhorar.
Às vezes ele os mandava para a prisão e os castigava "fisicamente" machucando-os, o que resolvia a questão.
Uma boa surra e uma palestra sobre as maldades do mundo eram suficientes para demover alguns dos bons intentos.
Porém, para outros nem isso mesmo adiantava, eles ficavam estranhos, dizendo que algo de muito sério estava para acontecer e que eles não sabiam definir o quê.
Pouco tempo depois eles desapareciam misteriosamente.
Ninguém os encontrava em lugar algum.
Teófilo, seu amigo, explicou:
- Isso tudo é culpa dos seres da luz.
Quando eles percebem que alguém do nosso lado precisa reencarnar, fazem tudo direitinho, invadem nossas cidades e os levam.
Não adianta montar guarda, eles entram imperceptíveis ao nosso olhar, driblam nossos melhores guardas e levam quem desejam.
Infelizmente amigo, ainda temos essas limitações que com o tempo venceremos.
Chegará a hora que nenhum servo do bem entrará aqui ou lá no Desterro sem nossa autorização.
Veja como os filhos do Cordeiro são ousados, fazem o querem connosco e ainda saem vitoriosos.
Mas tenho a esperança de que um dia o mal vencerá o bem definitivamente.
Relembrando esse diálogo, Jorge achou que Camila estava prestes ao reencarne.
Não mandaria castigá-la, apenas disse:
- Aconselho-a distrair-se na crosta.
Chame Ester e vá passear, sugar as libações do álcool, do cigarro e de outros vícios sempre faz bem.
Tenho observado, você nunca mais fez maldade alguma.
Depois que virou produtora de roupas, deixou de lado as práticas do nosso magnetismo.
Acho que errei quando há deixei tanto tempo fora do serviço.
Ela perguntou:
- Acha mesmo que se voltar a trabalhar na produção de magnetismo ficarei boa?
- Por enquanto vá com Ester na Terra e divirta-se um pouco, se não melhorar terá que voltar à prática do mal.
Camila saiu em busca de Ester, foi encontrá-la em sua residência.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:54 pm

Era uma casa de aspecto feio e sujo.
As paredes eram pintadas de um rosa encardido.
Ester abriu a porta e com satisfação viu que era a amiga:
- Que bom que veio, estava já entediada aqui sem meus filhos.
- Para onde foram Malaquias e Roque?
Ela, passando um pente sujo nos cabelos louros e crespos, respondeu:
- Estão em missão na Terra.
No Tribunal da Justiça Jorge decidiu que um homem na Terra deve morrer numa briga de bar.
Meus filhos foram para esse bar inspirar o algoz do homem a assassiná-lo friamente.
Camila, com rosto de quem ouve algo corriqueiro, disse:
- Ah, pensei que fosse algo sério!
Vim aqui falar de mim.
Sabe amiga, não estou mais me sentindo feliz como antes, aliás, aqui nunca senti alegria ou felicidade.
Ester retorquiu:
- Você sabe que a felicidade não existe, nascemos para sofrer mesmo!
O que espera da vida?
Vocês jovens têm tanta ilusão!
Devemos agradecer a Jorge a chance de estarmos aqui, e vivermos com ele, que é tão inteligente.
- Você sabe que comecei a duvidar da inteligência dele?
A outra ficou chocada:
- Como assim?
- Fui contar o meu estado, mas parece que ele não sabe o que tenho.
Foi curto nas palavras e pareceu estar me escondendo alguma coisa séria.
Depois mandou eu ir a Terra gozar com você dos prazeres e só.
Ester defendeu Jorge:
- Não diga jamais que o Jorge não é inteligente.
Vivo com ele há mais de 80 anos e nunca o vi errar.
Talvez você não deva saber de alguma coisa, deve ser isso.
- Mas o quê?
Sinto que algo terrível ocorrerá comigo, parece que a Terra está me puxando.
Sinto que em breve passarei longo período por lá.
- Não diga besteiras, isso só poderá acontecer se você desobedecer ao Jorge e ele a expulsar daqui.
Ela pareceu concordar:
- É, talvez seja impressão boba mesmo.
Agora vamos a Terra?
- Vamos sim, lá nos divertiremos e você espantará todos esses fantasmas.
Elas seguiram para a crosta e logo estavam numa rua na periferia de São Paulo.
Era uma rua pobre, mas tinha um movimentado barzinho.
Elas se aproximaram e lá encontraram várias entidades iguais a elas.
Era manhã, porém já havia jovens e adultos no vício do álcool.
Um dos jovens dizia:
- Galera, hoje o reggae aqui será da pesada.
A turma lá da Rua 15 vem e vamos mandar bala nela.
Os outros jovens se animaram e começaram a gritar.
Era um grupo de no máximo oito adolescentes e quatro adultos.
Eles se referiam a outro grupo que chegaria para beber com eles e nos fundos do bar fazerem uma orgia.
Alugavam esse quarto contíguo para praticarem a sexualidade irresponsável e o uso de drogas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Jan 05, 2018 8:54 pm

Camila e Ester ficaram lá até a noite quando o referido grupo chegou.
Ester, loucamente se colou a uma jovem e começou a saborear deliciosa bebida.
Camila fez o mesmo.
Quando saíram de lá estavam cansadas por tudo o que vivenciaram.
Era madrugada e cada uma foi para sua casa.
Camila ainda embriagada preparava-se para dormir quando de repente viu uma forte luz invadir seu quarto.
Tentou abrir os olhos, o que conseguiu após muito esforço.
A luz era forte e ofuscava sua visão.
Vislumbrou um senhor de mais ou menos 60 anos que a olhava com profundidade.
Perguntou:
- O que o senhor deseja?
O que quer de mim?
Nunca o vi aqui no Desterro, é morador novo?
Ele pareceu não ouvir e disse:
- Chegou sua hora minha filha.
A o tempo de plantar e o tempo de colher.
Acompanhe-me.
Ela assustada, porém confiante naquele homem disse:
- Vai me levar daqui?
Mas eu não...
Eu não posso sair, o Jorge me encontraria onde quer que eu fosse.
O senhor não deve saber, mas aqui vivemos como escravos, há um tribunal onde ele julga as pessoas.
Temo sofrer; para onde quer me levar?
Ele, muito sereno, explicou:
- Somos escravos apenas das nossas atitudes e pensamentos.
Enquanto não os modificarmos no bem continuaremos a sofrer.
Você está escrava por causa de suas ilusões, pensa que pode ser dona da vida e das pessoas.
Acredita poder mandar e pensa que só o mal tem poder.
Quanta ilusão!
Só o bem é verdadeiro, o mal só existe para quem acredita nele.
A partir de agora deverá ceder e vir comigo.
O tempo urge e você deverá reencarnar em questão de poucos meses.
Ela abriu os olhos aparentando pavor e disse:
- Reencarnar?
Quer dizer que isso é real, existe mesmo?
- Esse é um dos processos mais naturais da vida e você já passou por ele inúmeras vezes.
Agora acompanhe-me.
Ela relutou:
- Não podemos sair daqui.
Há guardas por toda a cidade.
Aliás, como você entrou aqui sem ser visto?
Se alguém souber que está em minha casa seremos severamente punidos.
Ele sem se perturbar revelou:
- Me chamo Hilário e moro numa cidade acima desta faixa chamada Campo da Redenção.
É lá que viverá até renascer na Terra.
Se aceitar, poderemos sair daqui sem que ninguém nos veja.
Pela manipulação de certos fluidos podemos passar despercebidos pelo olhar de qualquer pessoa que vive aqui.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 76515
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O AMOR NÃO PODE ESPERAR - Hermes / Maurício de Castro

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum